*

*

sábado, 26 de março de 2016

'"Nanicos' esperam PMDB para romper com Dilma"



Os partidos aliados do governo petista aguardam decisão do PMDB, marcada para terça-feira (29), para seguirem a linha do rompimento com a presidente Dilma. Chefiado pelo senador Ciro Nogueira (PB), o PP, por exemplo, se reunirá na quarta-feira (30), um dia após a provável decisão peemedebista de deixar o governo. "O PMDB tem papel importante para abrir a porteira", segundo cacique do PP.
Desembarque doméstico
PP e PMDB estão de malas prontas para desembarcarem do governo. PR e PSD, que continuam no muro, também cogitam abandonar Dilma.
É o desespero
O governo tenta, em vão, ameaçar parlamentares com exoneração de afilhados políticos alocados em estatais e empresas públicas.
Reforço ao impeachment
A saída dos peemedebistas da base aliada do governo pode significar uma perda de 66 votos no processo do impeachment de Dilma.
Barco furado
 “Estamos convencidos de que não há como permanecer apoiando o governo”, afirma o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), sobre a discussão que deve sacramentar o abandono do partido ao governo.
Passou um boi?
Apoiadores do impeachment dizem que uma ampla vantagem pela perda do mandato inibirá o Senado de derrubar a cassação. Até os petistas acham difícil segurar o processo após aprovação na Câmara.
Empurrando com a barriga
O Palácio do Planalto decidiu judicializar todas as derrotas do governo Dilma, seja no plenário do Congresso ou na comissão processante de impeachment. A estratégia oficial é "complicar para postergar".
Fonte: Cláudio Humberto

Nenhum comentário: