*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

quarta-feira, 31 de julho de 2019

BRT ganha Centro de Controle Operacional


Centro de Controle Operacional do Transporte Público de Feira de Santana, o "cérebro da mobilidade urbana", com múltiplas funções e utilidades. Trata-se do monitoramento em tempo integral do Sistema do Bus Rapid Tansit (BRT), que está avançando, ao contrário do que imaginam os que puxam a cidade para baixo. O prefeito Colbert Martins  apresentou o Centro a integrantes dos meios de comunicação, na terça-feira, 30 (Fotos: ACM).
Além de acompanhar o deslocamento dos ônibus do BRT, em tempo real, o equipamento também vai permitir aos monitores que o operam, visualizarem todas as situações que influenciem negativamente o setor, permitindo que interfiram, em tempo recorde, nas soluções exigidas em cada caso específico.
O Centro Operacional que vai viabilizar a modernização do transporte público em seus variados modais, representa um investimento superior a R$ 1 milhão pelo Governo Municipal. As instalações estão na avenida Rio de Janeiro.
O processo inclui a ativação de ferramenta de controle por GPS interligando a Central de Controle Operacional às 100 linhas de  ônibus em circulação nos vários ramais da cidade; localizando-os durante o trajeto, aferindo a velocidade, o tempo do trajeto, com acesso ao número do veículo, e o nome do condutor.
O número de câmeras de vídeo-monitoramento instaladas em pontos estratégicos da cidade passará das atuais 186 para 300 unidades, integrando-as a Central de Controle.
Todo o aparato tecnológico contará com um moderno e sofisticado software, que será empregado na fiscalização do trânsito.

Venda antecipada de "Era Uma Vez em... Hollywood"


Assista ao trailer

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt em "Era uma Vez em... Hollywood"
Foto: IMDb

A Orient Cinemas anunciando a venda antecipada, a partir desta quinta-feira, 1º, da comédia dramática "Era uma Vez em... Hollywood" (Once Upon a Time... in Hollywood) de Quentin Tarantino, para semana de lançamento entre 15 e 22 deste mês, no Orient Cineplace Boulevard, com sessões às 14 horas e 17h10, com cópia dublada, e às 20h20, com cópia legendada. São 161 minutos de duração e não é recomendado para menores de 16 anos.
A ação de passa em Los Angeles, 1969. Na trama, a história do astro de TV Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) e seu dublê de longa data Cliff Booth (Brad Pitt), que traçam seu caminho em meio à uma indústria que eles nem mesmo reconhecem mais. 
Ainda no elenco, Margot Robbie como Sharon Tate, Mike Moh como Bruce Lee, mais Dakota Fanning, Al Pacino e Bruce Dern.

Ingresso para turnê do Hillsong United começa a ser vendido


"The People Tour Brasil" será realizada em novembro, com apresentações em quatro cidades
Uma das bandas cristãs mais conhecidas mundialmente está de volta ao Brasil em 2019 para mais uma turnê. Em novembro, a Hillsong United chega ao país com a "The People Tour" para realizar apresentações em quatro cidades: no dia 8 de novembro, o grupo estará em Curitiba (Parque das Pedreiras), no dia 9 em São Paulo (Arena Anhembi), no dia 14 no Rio de Janeiro (Km de Vantagens Hall) e no dia 16 em Brasília (estacionamento do Estádio Mané Garrincha).
Quem está ansioso para garantir os ingressos já pode comemorar. A pré-venda acontecerá na próxima sexta-feira, dia 2, e segue até o dia 6 de agosto ou até o término do primeiro lote. A partir do dia 7, a venda estará aberta a todo o público. Para quem deseja assistir às ministrações em Curitiba, São Paulo e Brasília, os bilhetes serão disponibilizados através do site Ingresso Rápido. Já para o Rio de Janeiro serão vendidos no site Tickets for Fun.
Para aqueles que não têm direito a meia-entrada, a produtora oferecerá a modalidade de ingresso social, com desconto de 50% no ingresso inteiro + 1kg de alimento. As doações arrecadadas serão distribuídas a entidades que cuidam de comunidades carentes na região onde for realizado o evento. Além disso, parte do valor arrecadado na venda dos ingressos será destinada ao Instituto Livres, presidido pelo cantor Juliano Son. A "The People Tour Brasil" será realizada pela Enter Eventos e RB Music, com o apoio da Prime Productions Group, especializada no segmento gospel internacional.
Formado em 1998 pela união dos ministérios de juventude da Hillsong Church, na Austrália, a banda Hillsong United é liderada por Joel Houston, filho dos pastores Brian e Bobbie. Entre tantas canções no estilo pop rock contemporâneo conhecidas por quem acompanha o grupo, a música Oceans (Where Feet May Fail), do álbum "Zion" foi amplamente difundida no Brasil recentemente ao fazer parte da trilha sonora do filme "Superação: O Milagre da Fé", que estreou nos cinemas em abril e reuniu mais de um milhão e meio de espectadores nas salas de cinema. Essa mesma música, em 2016, levou o Hillsong United a ser nomeado como "melhor artista cristão" no Billboard Music Awards. Além disso, o grupo também já foi reconhecido em vários outros prêmios da música gospel no mundo, como Dove Awards e American Music Award.
Hillsong United é um ministério de louvor e arrasta milhares de pessoas com suas composições voltadas ao público jovem cristão. O grupo já fez turnê em vários países e a última vez em que esteve no Brasil foi em 2013, no lançamento do álbum "Zion". Seis anos depois, a banda divulga o retorno ao país para apresentar ao público a nova produção: "People", que traz entre as músicas de destaque as faixas Whole Heart (Hold Me Now)Good Grace e Another in The Fire.
Vários cantores do Brasil já gravaram versões das músicas da banda e a vinda do ministério ao país tornou-se um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Nas páginas do Instagram @hillsongunitedtourbrasil e Facebook Hillsong United The People Tour Brasil, criadas pelo grupo para divulgar a turnê no Brasil, o ministério falou sobre a alegria em retornar para o lançamento de mais um álbum.
(Com informações de Paloma Furtado, da Assessoria de Imprensa de 360 WayUp)

"Cartório de luxo"


Após a polêmica entre Bolsonaro e Felipe Santa Cruz, o jornalista José Roberto Guzzo disse na sua conta no Twitter que "a OAB não representa nada. É só um cartório para desfrute de quem manda nele".
Fonte: Claudio Humberto

"Um Senhor Embaixador"

Por Ipojuca Pontes

Convivi certo tempo com um típico diplomata de carreira, famoso pela ourivesaria untuosa que imprimia às palavras, e que me definiu a diplomacia do seguinte modo: - "Ipojuca, diplomacia é festa". Ele dizia e repetia: - "Diplomacia é festa! Diplomacia é festa!". Depois completava, ao seu modo, sobranceiro: "Se possível com muitos jantares e bons vinhos". E, de fato, na sua Embaixada palaciana, em que pese o momento crítico em que submergia o Brasil, notadamente no plano econômico e político, era rara a semana em que a Embaixada brasileira, em país vizinho, não abria suas portas para oferecer jantares ou coquetéis invejáveis por conta da patuleia ignara.
(De minha parte, achava aqueles festas um desperdício - não tanto, é claro, quanto os R$ bilhões despejados por Lula para júbilo das velhacas ditaduras comunistas da Venezuela, Cuba, Nicarágua. Equador e dos companheiros de viagem Uruguai, Argentina, Bolívia, Moçambique, Angola e outros países africanos).
Querem saber o que penso da Diplomacia oficial?
Exatamente o mesmo que Honoré de Balzac. O genial romancista da vasta "Comédia Humana", considerava nas suas "Ilusões Perdidas" que a diplomacia era "a ciência daqueles que nenhuma ciência têm e que são profundos pelo próprio vazio" - o vazio fáustico das festas inúteis e das frases rebuscadas.
Mas há outro tipo de diplomacia mais gravosa do que a diplomacia de festas e jantares: é a de diplomatas que, no dizer do velho Will Rogers, são tão essenciais em começar uma guerra quanto os militares em findá-las. Exemplo clássico desse assombro burocrático é a diplomacia de guerra levada a efeito contra os Estados Unidos pelos fanáticos Celso Amorim, o "Celsinho", e Samuel Pinheiro Guimarães, o "Samuca", ambos conluiados com Marco Aurélio Garcia, o "MAG Toc-Toc" à frente da política externa do Itamaraty vermelho nos governos de Lula e Dilma Rousseff, a Guerrilheira.
Com efeito, no comando do Ministério das Relações Exteriores (MRE), a troika se empenhou em sabotar, dia e noite, com requintes de perversidade, o Acordo de Livre Comércio das Américas (Alca) proposto pelos Estados Unidos para instituir o desenvolvimento e a potencialização dos processos de integração da América Latina. O objetivo básico norte-americano era a eliminação gradual das barreiras alfandegárias entre os 34 países do continente, a reunir uma população de 850 milhões de consumidores para mobilizar, à época, um PIB inicial de US$ 20 trilhões formando aquilo que poderia se transformar no maior bloco econômico do mundo.
A proposta era ambiciosa, mas factível. Todavia, Lula, Fidel Castro e Chávez, comunistas de babar na gravata, disseram "não". Foi uma coisa sinistra. Um diplomata, então a serviço de Amorim, feito embaixador em Washington (mais tarde inimigo declarado do governo Lula) para torpedear a Alca, classificou o Acordo de "falsa odalisca de bordel" - a tanto se chegou.
No histórico, os ministros do Itamaraty a partir do governo Sarney, passando por Collor, Itamar, FHC, Lula e Dilma, com maior ou menor intensidade, cultivaram uma diplomacia de puro antiamericanismo selvagem. Gente como o propinado Zé Serra, Lampreia, Celso Lafer, Amorim e o assaltante de banco Aluísio Nunes, ao exerceram o cargo, devotaram o mais fundo ressentimento, quando não um ódio mortal, aos Estados Unidos da América por ele representar o "capitalismo que deu certo". Para essa patota, antes perfilar ao lado de genocidas e tarados como Fidel e Raul Castro, Hugo Chávez, Daniel Ortega, o cocaleiro Morales ou mesmo Manuel Marulanda Vélez, o "Tirofijo", criador das criminosas Farcs.
Essas breves observações diplomáticas vêm a propósito de quê? Bem, em entrevista recente, o presidente Bolsonaro, em resposta a mídia coatora, explicou que ia nomear o filho embaixador na capital norte-americana, entre outros motivos, porque "desde 2003, os embaixadores brasileiros em Washington não fizeram nada de bom". Síntese perfeita. Atirou na mosca!
De fato, os embaixadores do Brasil em Washington, em sua generalidade, quando não colocavam empecilhos para firmar um diálogo produtivo entre as duas nações, tornavam-se arautos do antiamericanismo declarado, como no caso da atuação nefasta dos diplomatas amestrados de Lula face à proposta da Alca. Antes, aliás, na vigência da "Nova República", a coisa também desandava. Mesmo no governo Collor, tido como "de direita", o embaixador em Washington era um intelectual da USP (que ficou famoso depois de dispensado do governo Itamar, quando deixou vazar à nação a seguinte norma de conduta: "Eu não tenho escrúpulos: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde debaixo do tapete").
Agora, para acabar com esse ciclo de antiamericanismo barato da diplomacia vermelha, em que prevalecia a legenda stalinista do "blame América first", o presidente Bolsonaro, sempre lúcido, indica o deputado Eduardo Bolsonaro, seu filho, para ocupar o posto de Embaixador do Brasil em Washington.
Mas quem é Eduardo Bolsonaro?
Em primeiro lugar, o deputado federal mais votado do Brasil, com quase dois milhões de votos. Advogado formado pela UFRJ e inscrito na OAB, é casado e preside a Comissão de Relações Exteriores e da Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, em Brasília, eleito por larga margem de votos. Eduardo, que estudou e morou em Maine, nos Estados Unidos, fala melhor inglês do que o badalado Hamilton Mourão, além de ter aprendido a fritar hambúrguer - um "must" da culinária americana (mais importante do ponto de vista cultural do que tentar a leitura do ilegível "O Capital", que alguns embaixadores vermelhos dizem que leram sem ter lido).
Além do mais demais, EB é um parlamentar sério, competente e atuante. Entre seus projetos estão incluídos a necessária redução da maioridade penal, o fim do imoral auxílio-reclusão, a defesa do Agronegócio contra as invasões do MST, a expansão do livre-comércio e a revisão da política de cotas que marginaliza índios, pobres, brancos e deficientes. Em maio de 2016, como parlamentar, encaminhou corajoso projeto de Lei que criminaliza a propaganda nazista e comunista. Ele se mostra contrário à anistia do caixa 2, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos e defende, com unhas e dentes, em debates no plenário, o projeto anticorrupção do Ministério Público Federal - entre outras medidas de igual importância.
Em março, quando da visita oficial a Donald Trump na Casa Branca, ao lado do pai, Eduardo Bolsonaro foi calorosamente recebido pelo presidente americano, que o distinguiu com palavras de agradecimento pelo trabalho de aproximação entre os Estados Unidos e o Brasil. Foi um ato testemunhado pelo mundo.
Diante do óbvio ululante, só um idiota chapado indicaria para o posto outra pessoa que não Eduardo Bolsonaro. E o Brasil, depois de alojar em Washington os "barbudinhos" do Itamaraty (royalties para Roberto Campos), sempre empenhados em destilar o antiamericanismo rasteiro, tem agora a chance de indicar para o posto uma figura especial com todas as credenciais para se tornar um Senhor Embaixador.
Deus o tenha!
Fonte: https://diariodopoder.com.br

terça-feira, 30 de julho de 2019

Spin-off da franquia "Velozes & Furiosos"


Jason Statham, Idris Elba e Dwayne Johnson em "Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw" 
Foto: IMDb

A novidade no Orient Cineplace Boulevard a partir desta quinta-feira, 1º, é o lançamento nacional do filme de ação e aventura "Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw" (Fast & Furious Presents: Hobbs & Shaw), de David Leitch, com Dwayne Johnson e Jason Statham, mais Idris Elba, Vanessa Kirby e Helen Mirren.
Trata-se de spin-off da franquia "Velozes e Furiosos", que já rendeu oito filmes anteriores, a partir de 2001.
Na trama, um agente americano e um ex-agente britânico, que são inimigos, se unem para derrotar um anarquista geneticamente aprimorado, que toma o controle de uma arma biológica perigosa que pode alterar a humanidade para sempre.
Continuam em cartaz: “O Rei Leão” em versão em computação gráfica (CGI, que entra em terceira semana. Continua em duas salas e sete sessões diárias.
"Homem-Aranha: Longe de Casa" continua, em quinta semana. A animação "Toy Story 4" entra em sétima semana. E "Turma da Mônica: Laços" entra em quinta semana. 
Matinais no sábado, 3, com sessões de "Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw", às 10h20; "O Rei Leão", às 10h40; "Toy Story 4", às 11 horas; e "Turma da Mônica", às 11h30.

BNB Clube negociado

Uma loja especializada em aluguel de automóveis vai surgir na antiga sede do BNB Clube Feira de Santana, imóvel situado na avenida Maria Quitéria (Fotos: Jorge Magalhães).
Pelo que foi informado ao Blog Demais, essa empresa alugou de outra que adquiriu o valorizado imóvel. O negócio girou em torno de R$ 3 milhões.
Em janeiro de 2015 que os sócios do clube foram convocados para assembleia geral extraordinária, para tomada de decisão sobre a negociação.

UFRB contrata professores substitutos para o Campus de Feira de Santana

         São oferecidas três vagas de professor substituto. O regime de trabalho será de 20 horas

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) abre inscrições para o para processo seletivo de contratação de professores por tempo determinado, para atuar no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (Cetens), em Feira de Santana.
As inscrições acontecem no período até 12 de agosto, exclusivamente, via Internet no endereço www.ufrb.edu.br/concursos. A taxa de inscrição é no valor de R$ 60,00.
Poderão se inscrever somente candidatos brasileiros (natos ou naturalizados) ou estrangeiros com visto permanente, desde que os candidatos não tenham sido professores substitutos em Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) ou que não tenham trabalhado, com contrato temporário, em outro órgão federal, nos últimos 24 meses, anteriores à data do Edital.
São oferecidas três vagas para professor substituto, nas áreas de conhecimento e cargas horárias: Engenharias (20 horas) - 1 vaga; Ciências Exatas e da Terra/Matemática (20 horas) - 1 vaga e Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial (20 horas) - 1 vaga.
O processo seletivo exige que o candidato tenha Licenciatura ou Bacharelado em Matemática para a área de conhecimento Ciências Exatas e da Terra/Matemática; Licenciatura em Matemática ou Licenciatura em Educação do Campo com Habilitação em Matemática, para a área de conhecimento Matemática/ Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial; e Bacharelado em Engenharia de Produção ou Bacharelado em Engenharia Mecânica para a área de conhecimento Engenharia de Produção/ Tecnologias de Processos de Fabricação.
O salário pode variar de professor auxiliar (Graduação) de R$ R$ 2.236,32 até Adjunto A (Doutorado) de R$ 3.522,21, por vinte horas semanais.
Processo Seletivo
O processo seletivo constará de duas etapas distintas: a) prova didática, com peso 7,0; b) análise de currículo, com peso 3,0.
As etapas serão realizadas nos dias 19 a 21 de agosto próximo, no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade da UFRB, campus localizado na rua Godofredo Rabelo de Figueredo Filho (avenida Centenário), nº 697 - bairro SIM - Feira de Santana - Bahia - CEP: 44085-132.
Até 22 de agosto, será tornado público o resultado do certame com posterior publicação no "Diário Oficial da União". O prazo de validade da seleção será de um ano contado a partir da data da publicação do resultado.
Edital n.º 01/2019.       
(Com informações da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia)

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Morre ator George Hilton


George Hilton como caubói
Foto: IMDb

Faleceu no domingo, 28, o ator uruguaio George Hilton, aos 85 anos. Ele começou a atuar no cinema argentino, com o nome de Jorge Hilton. Em 1964, foi para a Itália, onde se destacou como mocinho em westerns spaghettis.
Filmografia
Fonte: IMDb

"Nem a pau!"

Fonte: Roque Sponholz

Parabéns, Mary Barbosa!

Mary Barbosa (Foto: Facebook) completa idade nova nesta segunda-feira, 29. A comemoração será em família. 
Ela atuou no teatro em Feira de Santana nos anos 60/70 nas peças "Toda Donzela Tem um Pai Que É uma Fera" - ganhou o prêmio de Melhor Atriz Revelação -, "Viúva, Porém Honesta" e "Cleóputo", essas duas ao lado de Dimas Oliveira. 
Atualmente, mora no Rio de Janeiro, onde se dedica às artes plásticas e astrologia..

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Visão de clássico


O drama de ação, com humor, "Inferno Nº 17" (Stalag 17), de Billy Wilder, 1953, foi visto nesta sexta-feira, 26, no TeleCine Cult. William Holden ganhou o Oscar de Melhor Ator. Billy Wilder foi nominado ao Oscar de Melhor Diretor, e Robert Strauss nominado como Melhor Ator Coadjuvante.
Baseado em peça da Broadway, a ação se passa em dezembro de 1944. Dois prisioneiros de guerra tentam escapar de um campo de concentração nazista e são mortos após serem descobertos. Todos os homens têm que lidar com um problema - parece haver um vazamento de segurança. Os alemães sempre parecem estar prevenidos sobre as fugas. As suspeitas recaem sobre um cínico sargento americano, JJ Sefton (William Holden), qolden)Holdenue costuma trocar favores com os guardas por pequenos luxos.
Sefton nega dar aos alemães qualquer informação e deixa bem claro que ele não tem intenção alguma de tentar escapar. Ele planeja sair da guerra com o pouco conforto que consegue, mas não se estende à espionagem para os alemães. Ele é quem acaba descobrindo quem é o informante.
Na trama, referências a Adolf Hitler, à Convenção de Genebra, à atriz Betty Grable. Também aos atores Cary Grant, Clark Gable, James Cagney e Ronald Colnab, que são imitados pelo personagem de Jay Lawrence (sargento Bagradian).
Foi incluído na lista de 1998 dos 400 filmes indicados para o Top 100 Greatest American Movies do American Film Institute.
Ainda no elenco: Don  Taylor, Otto Preminger, Peter Graves, Neville Brand, Robert Strauss, Harvey Lembeck, Richard Erdman e Sig Ruman.

Morre Carlos Kruschewsky


Faleceu nesta sexta-feira, 26, em Salvador, o médico psiquiatra e escritor Carlos Alberto Kruschewsky.
Natural de Cipó, Carlos Kruschewsky era formado em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), em 1953, e em Teologia pela Faculdade de São Bento, em 2010. Deixa viúva Gildete Ferreira Kruschewsky, com quem teve quatro filhos: a médica Kátia, o engenheiro e empresário Carlos Filho, a psicóloga Tânia e a advogada Carla.
Era sócio honorário do Rotary Club de Feira de Santana. Foi presidente desse clube em 1974-1975 e governador do então Distrito 455 de Rotary Intetrnational em 1987-1988.
Foi colunista do jornal "Feira Hoje", onde escrevia com o pseudônimo de Saulo Daqui. Autor dos livros "Memórias de Saulo Daqui", "O Véu Suspenso", "De Mãos Dadas" e "O Teorema de Arquimedes", este lançado em Feira de Santana no dia 10 de novembro de 2016, no Museu Parque do Saber.
Carlos Kruschewsky dirigiu durante 18 anos o Hospital Colônia Lopes Rodrigues, foi superintendente do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps), presidente do Instituto de Assistência e Previdência dos Serviços da Bahia (Iapseb), presidente da Fundação Hospitalar, que mantém o Hospital da Mulher Inácia Pinto dos Santos, e foi um dos fundadores do Hospital Emec.
Nomina o Túnel inaugurado em 20 de março de 2018 pelo então prefeito José Ronaldo na avenida João Durval sob a avenida Presidente Dutra.

Veja o que o Senai Bahia tem!

Enviado por Senai Bahia

"Crime de encomenda"


Uma das linhas de investigação, no caso do roubo de mensagens do ex-juiz Sérgio Moro, é o de crime de encomenda, com o objetivo de desqualificar as investigações. Um dos bandidos presos citou o PT.
Fonte: Claudio Humberto

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Candidatura feminina a prefeito

A Justiça Eleitoral tem estimulado a participação feminina por meio da chamada cota de gênero, prevista no artigo 10, parágrafo 3º, da Lei das Eleições.
Em conformidade com a previsão legal, a Justiça Eleitoral elege o tema como prioridade, tendo promovido diversas ações no sentido de fomentar a participação feminina na política, tais como campanhas, seminários e até encontros internacionais.
Nas eleições para Câmara dos Deputados, assembleias legislativas e câmaras municipais, cada partido deve preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo.
No caso de eleição majoritária, pela marcha dos acontecimentos, Feira de Santana poderá ter uma candidatura feminina à Prefeitura, fato que não ocorre há 23 anos.
É que nas eleições de 1996, a radialista Cristiane Carneiro Fernandes, pelo Partido da Solidariedade Nacional (PSN), que nem existe mais, foi candidata à Prefeitura. Ela obteve 235 votos - a mais ínfima votação de candidatos a prefeito nos seis últimos pleitos.
Nas eleições municipais de 2012, a candidatura de Eliana Boaventura (PP) a vice-prefeita, na chapa de José Neto (PT), que ficou em segundo lugar.
Publicado na edição do jornal "NoiteDia", desta quinta-feira, 25

Filmes em Exibição no Orient Cineplace Boulevard

Semana até 31 de julho

CONTINUAÇÕES
O REI LEÃO (The Lion King), de Jon Favreau, 2019. Aventura. Simba, futuro rei da Pedra do Reino,  idolatra seu pai, o rei Mufasa, e é fiel ao seu destino de assumir o reinado. Mas nem todos pensam da mesma maneira.Reino,  idolatra seu pai, o rei Mufasa, e é fiel ao seu destino de assumir o reinado. Mas nem todos pensam da mesma maneira. Scar, irmão de Mufasa e ex-herdeiro do trono, tem seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino é repleta de traição, eventos trágicos e drama, o que acaba resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de novos e inusitados amigos, Simba terá que crescer e voltar para recuperar o que é seu por direito. Segunda semana. Cópia dublada. Não recomendado para menores de 10 anos. Duração: 120 minutos. Horários: 10h30 (sábado, 27), 13 horas, 15h30, 18 horas e 20h30, na Sala 1 (240 lugares); 14 horas, 18h30 e 21 horas, na Sala 2 (158 lugares), e 17h30 e 20 horas, na Sala 3 (165 lugares).

PETS: A VIDA SECRETA DOS BICHOS 2 (The Secret Life of Pets 2), de Chris Renaud, 2019. Animação. A história de Max e seus amigos peludos continua, seguindo suas vidas secretas quando seus donos saem de casa para a escola, ou para o trabalho. Desta vez, acompanhando suas jornadas em busca de coragem para enfrentar grandes desafios e seus maiores medos. Quinta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 86 minutos. Horários: 10h20 e 12h10 (sábado, 27), na Sala 2.
TURMA DA MÔNICA: LAÇOS, de , 2019. Com Kevin Vechiatto, Giulia Benite, Gabriel Moreira, Laura Rauseo, Rodrigo Santoro e Monica Iozzi. Após o sumiço do Floquinho, Cebolinha vai precisar da ajuda de seus inseparáveis amigos Mônica, Cascão e Magali para bolar um de seus planos infalíveis e recuperar seu cãozinho, dando origem a uma aventura que reacende os laços que unem a Turma da Mônica há mais de 50 anos. Quinta semana. Classificação: Livre. Duração: 97 minutos. Horário: 16h30. Sala 3.
TOY STORY 4 (Toy Story 4), de John Lasseter e Josh Cooley, 2019. Animação. Woody sempre teve certeza sobre o seu lugar no mundo e que sua prioridade é cuidar de sua criança, seja Andy ou Bonnie. Mas quando Bonnie adiciona um relutante novo brinquedo chamado Garfinho ao seu quarto, uma aventura na estrada ao lado de velhos e novos amigos mostrará a Woody quão grande o mundo pode ser para um brinquedo. Sexta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 100 minutos. Horários: 10h30 e 12h35 (sábado, 27), 14h40, 16h50. Sala 3.
HOMEM-ARANHA: LONGE DE CASA (Spider-Man: Far From Home), de Jon Watts, 2019. Com Tom Holland, Zendaya, Jake Gyllenhaal, Sanuel L. Jackson e Marisa Tomei. Ação, aventura e ficção científica. Peter Parker decide se juntar a seus amigos MJ, Ned e o resto da turma para uma viagem de férias na Europa. No entanto, o plano de Peter de deixar as tarefas de super-herói para trás por algumas semanas é rapidamente frustrado quando ele relutantemente concorda em ajudar Nick Fury a desvendar o mistério por trás de vários ataques de seres elementais que espalharam o caos pelo velho continente. Quarta semana. Duração:  130 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos. Horários: 13h20, 16 horas, 18h40, com cópia dublada, e às 21h20, com cópia legendada. Sala 4 (261 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONE
Orient Cineplace Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515, para informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orienta Cinemas)

"Adoradores de boquinha não gostam de dividir"


É vexatório o protesto de ex-ministros contra a extinção do Ministério da Cultura, cabide que saltou de 2.796 cargos nos anos 90, segundo o cineasta Ipojuca Pontes, para os atuais 20 mil. Quase todos os últimos países com prêmios Nobel de Literatura não têm Ministério apenas da Cultura. Os últimos dez vencedores são do Reino Unido, EUA, Bielorrússia, França, Canadá, China, Suécia, Espanha e Alemanha. Ex-União Soviética, a Bielorrússia é o único com "Ministério da Cultura".
França e Canadá
Na França o ministério é da “Cultura e Comunicação” e no Canadá é da "Herança Canadense", que inclui Cultura, Mídia, Esporte e Artes.
Espanha, Reino Unido e EUA
Espanha: "Educação, Cultura e Esporte"; R. Unido tem "Cultura, Mídia e Esporte"; EUA tem escritório de "Assuntos Educacionais e Culturais".
China, Suécia e Alemanha
Até a China mudou o ministério para "Cultura e Turismo". Na Suécia é "Cultura e Democracia" e a Alemanha não tem esse órgão federal.
Fonte: Claudio Humberto

Onde tem um laboratório igual a esse?


Enviado por Senai Bahia

"A incômoda maioria que fala nas redes sociais"

Por Percival Puggina
Usuários de redes sociais jamais deveriam esquecer as lições colhidas nos dias que se seguiram ao fechamento da mostra Queermuseu, no Santander Cultural de Porto Alegre, em setembro de 2017. A exibição, com indicação para escolares e financiamento público (quase um milhão de reais através da Lei Rouanet), tinha conteúdo sexual, homossexual e transexual associado à infância e a animais, e vilipêndio religioso com desrespeito a figuras e objetos sacros. Tudo tão ao gosto de quem se regala com esse tipo de coisa quanto inadequado para crianças. Só quem estava a serviço de alguma "causa", na mídia, no Ministério Público e no mundo cultural poderia não ver ali conteúdo impróprio à infância.
Graças às redes sociais, imagens chocantes das peças exibidas - repito: expostas ao público infantil - chegaram ao conhecimento da sociedade provocando rápida reação de clientes que começaram a fechar contas no Banco, levando-o a cancelar a exibição. Agiam conforme manda o bom figurino da cidadania em casos assim. Sem violência, civilizadamente e aos bons modos do mercado, que escolhe com quem quer manter relações comerciais e decide quais jornais e revistas quer assinar e quais emissoras de rádio e TV deseja ouvir ou assistir.
Como lição para a eternidade, o mais importante veio depois. Com raríssimas exceções, os meios de comunicação, seus formadores de opinião e o "mundo cultural", em estado de choque e indignação, colocaram-se contra a opinião pública e contra o que denominaram reação conservadora. Aquilo, diziam, era um desrespeito à arte, coisa de gente atrasada, preconceituosa, em conflito com a laicidade do Estado e "flertando" (eufemismo que a esquerda anda gastando de tanto usar) com a censura. Ou seja, lançaram-se contra a imensa maioria da sociedade.
O protesto contra o fechamento do Queermuseu, realizado ante as portas cerradas do Santander Cultural, reuniu apenas um punhado de militantes perfeitamente alinhados com o conteúdo exibido além delas. Nem mesmo uma performance erótica com mulheres nuas conseguiu atrair espectadores...
Todo episódio compôs um momento simbólico, espécie de "Alons enfants de la patrie" da cidadania, a simbolizar a queda de um poder. As redes sociais se impunham como instrumento para democratizar o direito de opinião, proclamando a independência dos indivíduos em relação aos fornecedores habituais. Estes, por seu turno, reagiram de modo indignado ante o declínio de poder. Era como se a cada linha escrita ou cada frase proferida estivessem a clamar: "Não nos ouvem mais? Não nos atendem mais?". Ao que se poderia responder: "Há outras opiniões e pontos de vista a merecerem atenção".
Nessa mesma época, ouvi de amigos cientistas políticos a advertência de que as redes sociais fechavam-se em círculos de afinidade e que poderiam, por isso, ser ilusórias como informação sobre o conjunto da opinião pública. Era bem verdadeiro o que diziam. No entanto, essa miríade de círculos uniu conservadores, liberais e adversários da esquerda que se tinha por hegemônica e contava com a intensa militância em círculos de influência que tradicionalmente empalmavam o monopólio do direito se fazer ouvir. O tempo veio mostrar que a maioria ganhou voz nas redes e que a hegemonia esquerdista era coisa distrófica, desproporcional. Por isso, os círculos em que se expressa odeiam as redes sociais e a elas reservam os piores adjetivos.
Percival Puggina (74), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de "Crônicas Contra o Totalitarismo", "Cuba, a Tragédia da Utopia", "Pombas e Gaviões", "A Tomada do Brasil". Integrante do grupo Pensar+.

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Atitude pequena, mesquinha, da "grande imprensa"

A realidade dói, não é mesmo? 
Por que a chamada "grande imprensa" - jornal, televisão, site - não divulgou nenhuma imagem da participação popular na inauguração do Aeroporto de Vitória da Conquista? 
Nos textos, a mentira deslavada de que foi um "evento fechado ao público". "Má vontade explícita", como já foi dito.
Na primeira imagem, os convidados - 600 - em espaço especial. Nas demais imagens, o povo - multidão - querendo estar próximo do presidente Jair Bolsonaro, aplaudindo e chamando-o de mito, como as redes sociais mostram em abundância.
Com outra atitude pequena, mesquinha, a "grande imprensa" continua mostrando sua cara. Um boicote orquestrado, não é mesmo? Lamentável papel.
Fotos: Galeria Multimidia http://www2.planalto.gov.br/

Sesc convoca artistas e produtores culturais


A Equipe de Cultura do Centro Cultural e Restaurante Sesc Feira de Santana  Carlos Fernando Amaral, nova unidade do Sesc Bahia nesta cidade, convoca a todos artistas e produtores de teatro, circo, dança, música, literatura, audiovisual e artes visuais, interessados na ocupação do novo equipamento cultural, a uma reunião ampliada, onde será tratada a proposta da instituição para a cultura, seus projetos, procedimentos, modalidades e valores de pauta, além de apresentar os espaços do Complexo Cultural e Gastronômico - que é composto atualmente por teatro, galeria, foyer, biblioteca, central de relacionamento, café-teatro, restaurante, salas de ensaio e cursos.
Esta iniciativa visa dar publicidade aos modos e ações desenvolvidos pelo Sesc através da unidade, otimizar a comunicação entre os elos da rede produtiva da cultura feirense e promover um espaço de aproximação, escuta e potencialização mútua entre os fazedores da cultura de Feira de Santana e a instituição, a serviço da comunidade, conforme missão do Serviço Social do Comércio, entidade privada de interesse público voltada à promoção do bem-estar do trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo.
O encontro, aberto ao público, ocorre nesta quinta-feira, 25, às 19 horas no Teatro (Foto: Divulgação) do equipamento, na praça Carlos Bahia, s/n, Centro. 
Mais informações: (75) 3602-0024 / 0035