*

*

*

*

domingo, 6 de março de 2016

"Em breve Lula terá motivos para se 'sentir preso'"



A 24ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta-feira (4), é só o começo das investigações de denúncias de corrupção envolvendo o ex-presidente Lula, seus familiares e sócios. No despacho que deu origem à Operação Aletheia, Lula é acusado de integrar o "esquema criminoso de cartel, fraude, corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da empresa Petrobras, cujo acionista controlador é a União Federal".
Colarinho branco
Lula e petistas adotam discurso de "prisão política", mas na verdade o ex-presidente está sob investigação de crimes de colarinho branco.
Selo de aprovação
Na delação de Salim Schahin, ele contou à PF que o contrato suspeito entre o Grupo Schain, que dirigia, e a Petrobras foi "aprovado por Lula".
Benção do chefe
Na delação de Fernando Baiano, o operador conta que José Carlos Bumlai disse que Lula "abençoou" o esquema criminoso na Petrobras.
Doações suspeitas
A força-tarefa da Lava Jato investiga "doações" ao Instituto Lula, que recebeu R$ 20 milhões de cinco empreiteiras enroladas no Petrolão.
Luta de Delcídio agora é manter delação premiada
Ex-líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS) corre contra a Polícia Federal e o Ministério Público para se beneficiar do acordo de delação premiada. Se as investigações da Operação Lava Jato avançarem sobre o ex-presidente Lula, alvo da delação, Delcídio irá direto para a cadeia. Para usufruir do benefício, é preciso revelar novidades ainda não detectadas pelos órgãos de investigação.
PGR confirmou
Dilma, Lula e advogados ainda duvidam do acordo de delação de Delcídio. Mas fonte da Procuradoria Geral da República já o confirmou.
É ainda mais grave
Circula a certeza, nos tribunais superiores de Brasília, de que a força-tarefa da Lava Jato já reuniu mais provas contra Lula do que se imagina. Ou o juiz federal Sérgio Moro, ponderado, minucioso e técnico como é, não teria ordenado a 24ª fase da Operação Lava Jato.
Testada e aprovada
A condução coercitiva de Lula serviu para testar a reação das pessoas à eventual prisão do ex-presidente. A avaliação foi a de que sua prisão provocará protestos de petistas, mas nada preocupante.
Arrogância
Mesmo informado de que é acusado de vários crimes graves, o ex-presidente Lula preferiu ofender os investigadores e até o juiz federal Sergio Moro, classificando-o de "arrogante” e “prepotente".
Fonte: Cláudio Humberto

Nenhum comentário: