*

*

*

*

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Sobre "La La Land: Cantando Estações"

Além de homenagear Los Angeles, a "Cidade dos Sonhos", "La La Land: Cantando Estações" presta homenagem ao cinema - filmes, filmagens, astros e estrelas, pôsteres. São muitas as referências a títulos de musicais dos anos 30 a 50. O filme inicia com a tela quadrada e se alargando e aparecendo o CinemaScope e as cores vivas.
Trata sobre dois sonhadores, seus encontros e desencontros durante a primavera, o verão, o outono e o inverno, o músico Sebastian (Ryan Gosling) e a candidata a atriz Mia (Emma Stone).
A assistência ao filme confirma a fama que o precede com mais de uma centena de premiações - as principais do Globo de Ouro. E o Oscar vem aí.
Pelo público presente nas duas sessões do primeiro dia, na quinta-feira, dá para esperar que entre em segunda semana. 
Sobre público, lastimável que as plateias modernas, além da má educação, prefira mixórdias de ação exacerbada e comediotas brasileiras.
Ao final do filme, aplausos de muitos espectadores, arrebatados e extasiados pela beleza do que foi visto.

Nenhum comentário: