*

*

*

*

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Mesa no centro das atenções





Por muitos anos a mesa manteve uma única função, receber as refeições. Foi no início do século vinte que galgou missões diversificadas. A mobília passou por transformações de tamanho, materiais e também em sua forma de utilização. Atualmente existe uma variedade enorme no mercado: mesa de centro, de canto, para refeições, aparadores, feitas de madeira, vidro, plástico, policarbonato, dentre diversas outras variações.
Em meio a todas essas transformações, uma que não perdeu seu valor foi a mesa de centro. Versátil e útil tanto em sua funcionalidade quanto como peça de decoração, ela é o centro das atenções de uma sala de estar. Quando não está em uso para receber um lanche da tarde ou um café, recepciona como nenhum outro móvel as pequenas peças de decoração. Sua atemporalidade, charme e utilidade a torna indispensável a um ambiente.
Há diversos aspectos a serem levados em consideração no momento da escolha da mobília ideal, afinal este pequeno móvel pode fazer uma grande diferença no espaço. Em cômodos quadrados, o indicado é que a peça também seja quadrada. Já nos ambientes retangulares, o morador pode apostar sem medo em mesas ovais.
Se a preocupação for com quais acessórios colocar em cima da mesa de centro, a dica é: evite objetos muito altos que possam atrapalhar a visão de quem estiver conversando entre os sofás. Outra recomendação é sempre utilizar peças que reflitam o estilo de vida do morador, como uma lembrança de uma viagem, porta retratos, livros ou revistas, ou até um bom e velho vaso de flor. Uma observação importante a se considerar é a distância entre a mesa de centro e o sofá. O recomendado é deixar um espaço de 40 a 60 centímetros entre o móvel e demais mobílias que estejam por perto para não obstruir a circulação do ambiente.
Na CASA COR Goiás 2016, elas marcam presença em quase todos os ambientes. Cada uma com seu estilo, as mesas de centro figuram papel fundamental em ambientes como o projetado pela arquiteta Anna Paula Melo, o Wine Bar. Sua escolha foi uma peça com duas mesas redondas conjugadas. O móvel espelhado dá o toque final de classe ao espaço que alia elementos nobres e rústicos com alma clássica e sofisticada.
A proposta da arquiteta Carine Rocha mostra outra possibilidade. No Lounge (Foto 2), ambiente de sua autoria, não só uma, mas três mesas de tamanhos diferentes compõe o centro da sala de estar. As peças são todas de vidro com base de metal dourada, escolhidas com a intenção de que contribuam na composição de um espaço propício para o descanso.  No Lounge 9 (Foto 3), os arquitetos Ana Paula de Castro e Sanderson Porto investiram em uma mesa retangular que mais parece três. Ela é divida em três partes iguais, e com topo de vidro e base de metal preta, a sua baixa altura possibilita que os moradores sentem no chão e desfrutem de sua funcionalidade.
Uma mesa retangular com o topo de vidro também foi a opção da arquiteta Milena Niemeyer no loft Piano Et Vin. Em um espaço recheado de peças sofisticadas e luxuosas, a peça de centro completou o ar de requinte com sua base dourada. Em um ambiente minimalista e clean criado pelo designer de interiores Nando Nunes no Studio Nando, uma mesa de centro quadrada, charmosa pelo topo de laca branca e pelo acabamento dourado, agrega e destaca ainda mais as colunas de cristal branco que dividem o espaço.
Até na Biblioteca seu espaço está garantido. A mesa de centro redonda (Foto 1) em madeira vasada marca presença no ambiente projetado pela arquiteta Cláudia Zuppani. O móvel contrasta entre o simples e o luxuoso para acolher leitores e pesquisadores. O resultado é harmonia e aconchego.
Fotos: Yasmine de Paula
(Com informações de Imprensa Casa Cor Goiás casacorgoias2016@gmail.com)

Nenhum comentário: