*

*

quarta-feira, 22 de junho de 2016

"Que o PT caminhe para a extinção, abandonado pelo povo. É o justo! É o merecido!"



Por Reinaldo Azevedo
Edinho Silva, o ex-ministro da Comunicação Social de Dilma e que também é investigado na Lava Jato, já previu em entrevista que 2016 será um dos piores da história para o partido no que respeita à disputa eleitoral. Bem, acho que ele tem razão. Confio na vergonha na cara média dos brasileiros, não é? Um pouco de bom senso basta para não votar no partido que organizou o mensa-petrolão.
Não só isso: a crise chega depois de 13 anos de poder, sendo que os 22 que o antecederam foram dedicados à construção da imagem do monopolista da ética e da moralidade pública, atacando todas as outras forças políticas porque supostamente comprometidas com a corrupção.
Um dos sinais dessa dificuldade se revelou nesta quarta-feira. Embora esteja exercendo o terceiro mandato consecutivo na Bahia - agora com Rui Costa, depois de dois com Jaques Wagner -, o partido não terá candidatura própria à Prefeitura de Salvador. O Estado era um dos redutos eleitorais mais fortes do partido. É bem verdade que a legenda nunca conseguiu administrar a capital.
Os petistas vão se juntar ao PSB - que é petista-dilmista no Estado - e ao PCdoB para lançar uma candidata dessa legenda, a deputada Alice Portugal. ACM Neto, do Democratas, atual prefeito, disputa a reeleição e é considerado por todos o favorito.
As pré-candidaturas do PT não teriam a menor chance de vingar. Um nome era Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura, que é simplesmente ignorado pelas bases do partido e pelo eleitorado mais pobre. Outro, o deputado federal Valmir Assunção, é mero braço do MST e afasta o eleitorado de classe média. Um terceiro, o vereador Gilmar Santiago, não conseguiu se eleger nem deputado estadual em 2014.
É claro que isso reflete a crise por que passa o partido. Já está certo que outras capitais do Nordeste também não terão candidatos próprios: Teresina, Aracaju, São Luís e João Pessoa. Ocorre que as dificuldades não se limitam a ser cabeça de chapa.
Segundo levantamento de abril, o partido perdeu 135 dos l38 prefeitos eleitos em 2012 (21,15%). Em alguns Estados, a situação é dramática. Em São Paulo, caíram fora 35 dos 73 (48%); no Paraná, 18 dos 40 (45%); no Rio, 7 dos 11 (63,63%).
Isso demonstra que nem os petistas acreditam nas histórias contadas pela direção do PT. A cada vez que vemos Lula ou Dilma, com suas bazófias, a anunciar amanhãs sorridentes para a legenda, devemos nos lembrar de qual é o sentimento real do eleitor.
Ora, um partido não consegue lançar um candidato quando não está em conexão com o sentimento das ruas. E vê a fuga de seus filiados quando já não consegue mais lhes oferecer um horizonte.
Que caminhe para a extinção, abandonado pelo povo. É o justo! É o merecido.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Nenhum comentário: