*

*

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

terça-feira, 12 de abril de 2016

"A reconstrução"

Por Nivaldo Cordeiro
Parece que o impeachment vai se impor porque foi formada uma sólida maioria contra o PT e suas práticas perniciosas, que se estende até o Congresso Nacional. Na semana que entra poderemos ter o desfecho, mais rápido do que muitos imaginariam, com a conclusão do impeachment na Câmara de Deputados, para o devido julgamento do Senado Federal. Se A Câmara de Deputados, por maioria absoluta, decidir pelo impeachment, não caberá a Dilma Rousseff que não a imediata renúncia, a única coisa sensata a fazer, imitando o gesto de Fernando Collor de Mello.
Sintoma dessa sólida maioria é o fato da liderança do PSDB ter declarado apoio ao possível futuro governo Temer. Esse foi talvez o fato político mais importante da semana. Temer conseguiu algo que o PT pagaria em dobro para ter, se preço tivesse tido (bem sabemos que não). O gesto dos tucanos é ainda mais importante porque mostra que parte significativa da nossa elite política está mesmo preocupada com os rumos do país, com a reconstrução necessária depois da saída do PT do poder, com o conserto de tudo que está avariado na Nação.
Reconstrução? Sim, cabe falar essa palavra sinistra, típica de uso em situações de destruição bélica. O que o PT fez nesses quatorze anos equivale ao que faria uma força de ocupação estrangeira.  A queda do PIB é apenas um dos sintomas da tragédia, que joga numerosos brasileiros na penúria. Tudo está por ser refeito, a começar pela administração da moeda, da Petrobras, das contas do Estado. Certamente essa será uma tarefa hercúlea, que não se fará sem sofrimentos. A união em torno do saneamento, que chamo aqui de reconstrução, é vital para que o mandato-tampão de Temer sirva para aplainar os caminhos do governante a ser eleito em 2018.
O descalabro administrativo do PT equivaleu a uma praga de gafanhotos em plena época de colheita da lavoura, a safra do Plano Real. Terra arrasada, economia destruída. Agora sabemos que Lula e sua gente instituíram a economia do crime, entrópica em si mesma. Destrutiva em mais alto grau. A compra ignominiosa da refinaria de Pasadena será talvez o emblema mais acabado da lógica mafiosa empregada pelo PT na condução dos negócios do Estado. O simples cessar dessa lógica, com a saída do PT, já produzirá um grande bem para o país. Se tivermos uma administração empenhada na reconstrução aqui mencionada podermos, nós brasileiros, recolocar o Brasil na trilha do progresso.
Considero que o dia seguinte da saída do PT do poder será pacífico e festivo. Os tais movimentos sociais raivosos e ameaçadores que tomam as ruas em defesa de Lula e Dilma e fazem ameaças apocalipticas desaparecerão por um passe de mágica, sejam porque perderão a proteção do Executivo, seja porque ficarão sem os fartos recursos que são jocosamente traduzidos na diária de trinta reais e na distribuição do pão com mortadela que é a marca registrada da "mobilização" desses movimentos. Sem o dinheiro farto da corrupção e do compadrio do PT isso acaba instantaneamente e certamente a disposição de luta também. Essa gente não tem força para quebrar a paz social. E, se tentar, quebrará a cara. Estamos vendo o que a Justiça está fazendo com os chefes mafiosos do PT, o que faria com os soldados rasos comedores de mortadela?
O que vemos é que todos os governos alinhados com o Foro de São Paulo estão sucumbindo vítimas de sua própria incúria, incompetência e má fé. Não será diferente por aqui. A via da cassação no Congresso vai consagrar a democracia brasileira, que poderá conseguir produzir uma troca de poder em termos civilizados, mesmo com todo o esperneio dos petralhas. Falta pouco tempo para que esses fatos históricos sejam registrados. Mal posso esperar para ver.
Quem viver verá.
www.nivaldocordeiro.net
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

Nenhum comentário: