Venda antecipada de ingresso no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada de ingresso no Orient Cineplace Boulevard

Lançamento nacional dia 31

Lançamento nacional dia 31
No Orient Cineplace Boulevard

No Orient Cineplace Boulevard

No Orient Cineplace Boulevard

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Um épico esplendoroso

1. Cartaz original de "O Sinal da Cruz"
2. Fredich March e Claudette Colbert
Fotos: IMDb

DVD do épico religioso "O Sinal da Cruz" (The Sign of the Cross), de Cecil B. De Mille, de 1932, faz parte de minha coleção. É baseado no livro homônimo de Wilson Barrett (escrito em 1896) e no livro "Quo Vadis", de Hanryk Sienkiewics.
Depois de incendiar Roma, em 64 depois de Cristo, o imperador Nero (Charles Laughton) culpa os cristãos, e com sua loucura prende todos os cristãos romanos e os envia a arena para os leões. Porém, o imperador não esperava que Marcus Superbus (Fredric March), o militar do mais alto escalão do império romano, intercedesse pelos cristãos. Além do conflito com o imperador ele também tem que enfrentar a imperatriz Pompea (Claudette Colbert), que ama Marcus e está morrendo de ciúme. Ele a despreza pois está apaixonado perdidamente por Mercia (Elissa Landi), e por ela, tenta livrar os cristãos da arena.
Pode-se afirmar que é um clássico do cinema. O filme é esplendoroso em cada detalhe: interpretações, direção, produção cuidadosa, fotografia (em preto & branco, de Karl Struss, indicada ao Oscar), cenário, figurino. Cecil B. DeMille consegue ser fiel a história. Como sempre em seus épicos bíblicos, ele ainda explora cenas de lascívia e luxúria, como o banho de leite de jumenta de Pompea, a dança de Ancaria (Joyzelle Joyner), com a música "The Naked Moon" (A Lua Nua), em cena de orgia.

Nenhum comentário: