*

*

*

*

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Só em outro governo - que não seja petista - para se ter Centro de Convenções concluído

O governo petista na Bahia já está no 13 ano e continua mantido inalterado o quadro do Teatro e do Centro de Convenções de Feira de Santana. As obras do complexo cultural estão paralisadas desde que os petistas assumiram o poder, em 2007.
Nesse período de mais de 12 anos anos, várias alegações já foram dadas para a suspensão das obras - até uma incrível justificativa de "falhas no projeto" -, que estavam bem adiantadas.
Blog Demais tem tratado da questão várias vezes e é um dos poucos veículos de imprensa que tem insistido no tema. A constatação é que as lideranças políticas da base governista pouco estão preocupadas com o caso.
De fato, só sendo mesmo muito ingênuo para acreditar que os oito anos de governos de Jaques Wagner fossem acabar a construção do Teatro e Centro de Convenções. Governos petistas não se interessam por cultura, ainda mais em Feira de Santana.
Deve ser lembrado que o deputado estadual José Neto (PT), na época do anúncio das obras, pelo então governador Paulo Souto, considerou a capacidade do Teatro como pequena para as necessidades de Feira de Santana.
Uma das inúmeras e esfarrapadas alegações petistas para a suspensão das obras é justamente a capacidade do espaço, que passou a ser considerada grande para a cidade.
Projeto
Blog Demais relembra também que o projeto do complexo foi bancado pela Prefeitura de Feira de Santana, assim como foi o Município, no governo de José Ronaldo de Carvalho, quem doou a área para a construção. A autorização para a construção do Teatro e Centro de Convenções foi assinada em 6 de julho de 2005, pelo então governador Paulo Souto. A estrutura do prédio está erguida no bairro São João e tem 20 mil metros quadrados de área construída.
Pelo projeto original - do arquiteto sergipano Eduardo Carlo Magno, que ganhou licitação - o espaço conta com um Teatro para 720 espectadores, moderno, dotado de salas para ensaio, cenografia, oficina de produção, camarins, além de equipamentos de som e luz de última geração. O Centro de Convenções tem dois andares. No térreo, um pavilhão para eventos com 900 metros quadrados; no primeiro piso, salas de imprensa, administração e mais seis espaços para reuniões, palestras e congressos.
As classes produtoras de Feira de Santana consideram que o empreendimento era de extrema importância para a cidade. Não só para desenvolver o turismo de negócios, mas também para alavancar as atividades artísticas. A execução do projeto ficou a cargo da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, através da Superintendência de Construções Administrativas (Sucab). O investimento do Estado previsto na obra foi de cerca de R$ 13 milhões, que até dezembro de 2006 seguiu projeto arquitetônico. Pela previsão do governo Paulo Souto, as obras deveriam ser concluídas em março de 2007. Em 20 de setembro de 2006, o então secretário de Desenvolvimento Urbano, Roberto Moussallem, e o então secretário da Cultura e Turismo, Paulo Gaudenzi, estiveram em Feira de Santana para uma visita de inspeção. Eles constaram na época que as partes mais difíceis e demoradas já haviam sido feitas - a fundação e a estrutura. A partir daí, a conclusão seria rápida e depois viria a montagem de palco, iluminação cênica, som entre outros equipamentos.
Postagem
Em 7 de agosto de 2008, o Blog Demais postou nota informando que "no site da Superintendência de Construções Administrativas da Bahia (Sucab), no link "Acompanhamento de Obras", constava em "Obras em Execução no Município de Feira de Santana", a execução pela Liz Construtora da "construção do Centro de Eventos e Teatro de Feira de Santana", no valor de R$ 13.398.901,94. A ordem de serviço foi em 07.07.2005 e a data prevista para conclusão em 27.08.2008.
Outra postagem
Em 8 de novembro de 2008 este espaço lembrou em postagem que "em 19 de junho, há quatro meses e 20 dias, o Blog Demais postou nota sobre o estilo petista de governar:
Primeiro, a colocação da placa anunciando "Obras e serviços de manutenção neste local".
Com a observação do Blog Demais sobre o que significava "manutenção" no local, foi providenciada outra placa, com a inscrição "Centro Múltiplos de Eventos e Teatro de Feira de Santana", que pelo visto, foi feita às pressas, pois contém um erro de concordância. Ou se escreve Centro Múltiplo ou Centros Múltiplos, nunca Centro Múltiplos. Interessante ainda que o projeto original é de construção do Teatro e Centro de Convenções de Feira de Santana.
Além da colocação e da mudança de placa, nada mais foi feito no local".
Pois é, passado esse tempo todo e continua sem nada, nada mesmo, feito no local. Nem o reparo no erro de concordância da placa. Feira de Santana esperou que esta obra fosse concluída pelo governo Wagner. O governo Rui Costa está no quinto ano e alguém espera conclusão?
O que é certo
Dessa forma, é muito lamentável que a obra iniciada no governo Paulo Souto tenha sido suspensa pelo governo Jaques Wagner, sem explicações e justificativas plausíveis - só a embromação característica do petismo. A obra do complexo Teatro e Centro de Convenções está abandonada esse tempo todo. Está sendo deteriorada pela inexorável ação do tempo, com o mato tomando conta e ferragens expostas sendo enferrujadas.
O certo continua sendo que Feira de Santana precisa tanto do Teatro como do Centro de Convenções. Todos - menos os que desgovernam a Bahia há 12 anos e quatro meses consideram um equipamento importante para a cultura e para a economia do município.
Também é certo que o governo petista não vai concluir a obra e sim continuar embromando com sua incrível lentidão e olhando sempre para o retrovisor, culpando o governo anterior. Só em outro governo - que não seja petista ou similar - para se ter a obra concluída.

Nenhum comentário: