*

*

sábado, 20 de maio de 2017

Revisão de "A Primeira Vitória"





"A Primeira Vitória" (In Harm's Way), de Otto Preminger, 1965, foi revisto na manhã deste sábado, 20, no TeleCine Cult. Foi visto no Cine Santanópolis, no final dos anos 1960. Em preto e branco, tem 165 minutos de duração, quase três horas.
Drama de guerra com batalhas navais, combates aéreos tem romances e dramas familiares - adultério, estupro, sedução, suicídio. Também tem redenção.
A Segunda Guerra Mundial se aproxima do fim quando o contra-almirante Rockwell Torrey (John Wayne) e o comandante Paul Eddington (Kirk Douglas) são chamados pelo almirante Nimitz (Henry Fonda) para criar uma estratégia de retaliação ao ataque japonês em Pearl Harbor.
Os dramas pessoais acompanham o drama de guerra. Torrey tem uma relação de amizade bastante complexa com seu chefe de estado-maior (Kirk Douglas), apaixona-se pela enfermeira Maggie Haynes (Patricia Neal) e tenta reconquistar o amor de seu filho Jeremiah (Brandon De Wilde).
Outros dramas pessoais são vividos por Eddington, que é traído pela mulher Liz (Barbara Bouchet) e se envolve com Annalee (Jill Haworth), que é namorada de Jeremiah; e pelo capitão-de-corveta Mac McArnold (Tom Tryon), casado com Bev (Paula Prentiss).
"A Primeira Vitória" destaca as virtudes de um comandante militar: coragem, determinação e senso de dever. Torrey representa tudo que todo oficial naval gostaria de ser. 
Faz referências a personalidades americanas, como Abraham Lincoln, Franklin D. Roosevelt, Woodrow Wilson e generais Grant e McClellan.
No início do filme, numa festa o pianista sinaliza a orquestra para parar de tocar. Trata-se de do maestro Jerry Goldsmith, autor da trilha sonora. Teve uma indicação ao Oscar: de Melhor Fotografia para Loyal Griggs.
Ainda no elenco: Patrick O'Neal, Dana Andrews, Burgess Meredith, Stanley Holloway, Franchote Tone, Carroll O'Connor, George Kennedy, Larry Hagman, Hugh O'Brian, Slim Pickens e Bruce Cabot.

Nenhum comentário: