Venda antecipada de ingresso no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada de ingresso no Orient Cineplace Boulevard

Lançamento nacional dia 31

Lançamento nacional dia 31
No Orient Cineplace Boulevard

No Orient Cineplace Boulevard

No Orient Cineplace Boulevard

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Terrorismo palestino no Brasil

Quatro imigrantes sírios e um palestino foram presos em flagrante na avenida Paulista, em São Paulo, na noite de terça-feira, 2, por atentarem contra manifestantes que protestavam contra o projeto da Lei de Migração. Por volta de 20h30, na altura da Estação Consolação de metrô, uma bomba foi lançada no meio das pessoas - uma delas teve a perna queimada com a explosão. Em seguida, os agressores partiram para cima dos manifestantes, deixando pelo menos quatro feridos, sendo duas mulheres.
Ao ataque sucedeu-se uma correria, mas policiais militares interviram rapidamente, utilizando bombas de efeito moral e imobilizando e detendo cinco dos agressores sob aplausos dos manifestantes, que bradavam "Viva a PM!" Outros conseguiram fugir. Os detidos foram levados para a 78ª Delegacia Policial, no Jardins. Com eles, foram apreendidas mais bombas e outras armas como martelos, facas e socos ingleses.
Um dos detidos é o palestino Hasan Zarif, líder do movimento Palestina Para Todos e dono de um bar, no Bexiga, centro de São Paulo. Segundo manifestantes na delegacia, outro dos detidos estaria no país há dois meses e teria necessitado do auxílio de um tradutor para o idioma português.
Logo do ingresso dos detidos na 78ª DP, prontamente surgiram advogados e também cerca de 40 pessoas enfurecidas, aparentemente muçulmanas, exercendo pressão em favor dos detidos e causando transtorno na delegacia. Segundo policiais no local, considerando todos os materiais e elementos reunidos, o ataque caracteriza um ato terrorista.
"Eu estou indignado, nós estávamos num ato pacífico contra a Lei de Migração. Eu, brasileiro, fui agredido no meu próprio país por estar defendendo a minha nação. Aqui na DP, soube que os agressores são estrangeiros, de origem palestina e que nem português fala."
E apelou ao presidente Michel Temer. "Presidente Temer, vete agora, o Brasil não aguenta mais ver brasileiros sendo agredidos dentro da nossa própria nação. Mais do que nunca vou às ruas porque eu fui agredido como brasileiro dentro do meu país, e não aceito isso."
Dentre os detidos e os fugitivos, todos os agressores possuem vínculos com o movimento Palestina Para Todos e nenhum aparentava ser brasileiro.
O projeto da nova Lei de Migração foi proposto em 2015 pelo atual ministro das Relações Exteriores e então senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e aguarda a sanção ou o veto do presidente Michel Temer.
Os manifestantes lembraram o passado terrorista de Aloysio Nunes, que atuou durante o regime militar como motorista de Carlos Marighela, comandante do grupo terrorista Ação Libertadora Nacional.
Fonte: Epoch Times www.epochtimes.com.br

Nenhum comentário: