Clique na imagem

*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

quarta-feira, 21 de março de 2007

Muniz Sodré receberá pleitos de José Ronaldo

Escritores Muniz Sodré e Raquel Paiva
Reprodução

Convidado pelo Município, o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, professor e escritor Muniz Sodré de Araújo Cabral, autor de cerca de 30 livros - ficção, teoria da comunicação cultura nacional e cultura afro-brasileira -, vai cumprir na próxima segunda-feira, 26, uma intensa agenda de atividades em sua visita a Feira de Santana, programada pela Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa.
Na pauta, audiência com o prefeito José Ronaldo de Carvalho e com autoridades municipais, além de intelectuais convidados. Também, visitas à Biblioteca Municipal Arnold Silva, onde vai inaugurar programa digital, Biblioteca Municipal Professora Raquel de Freitas Araújo, em Maria Quitéria, e Casario Fróes da Motta. Aqui, ele marcará outra visita, provavelmente em abril, para inaugurar a Biblioteca Municipal de Humildes, cuja conclusão aconteceu recentemente. Por ter um encontro agendado com o ministro da Cultura, ele não poderá ficar na cidade na terça-feira, como anteriormente previsto.
Muniz Sodré também dará entrevista coletiva aos meios de comunicação, na manhã da terça, depois da visita à Biblioteca Municipal, seguida de entrevista na TV Subaé, além de almoço com autoridades. Na noite da segunda-feira, às 20h30, ele vai proferir palestra sobre “O Livro e a Leitura Hoje”, no Teatro Ângela Oliveira, no Centro de Cultura Maestro Miro, evento em parceria com a Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (Unef) e a Faculdade Anísio Teixeira (FAT), que mantém cursos de Comunicação nesta cidade. Assim, os alunos dessas faculdades comporão uma faixa do público, além de professores, intelectuais e artistas.
No encontro com o presidente da Biblioteca Nacional, o prefeito José Ronaldo deverá fazer pleitos pelas unidades locais, com Muniz Sodré analisando a possibilidade de celebração de convênios para a inclusão das bibliotecas locais no Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, entre demais programas existentes no órgão federal. Outras parcerias também poderão ser viabilizadas entre a fundação e órgãos municipais.
Muniz Sodré vem acompanhado de sua esposa, Raquel Paiva, que é doutora em Comunicação, e que forma com ele dupla de professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro e de pesquisadores do CNPq. Também escritora, junto com ele lançou os livros “O Império do Grotesco”, que examina o tema não como um fenômeno autônomo, mas como categoria estética; e “Cidade dos Artistas”, que trata das relações das celebridades com o cotidiano do Rio de Janeiro.

5 comentários:

Anônimo disse...

A vinda de Muniz Sodré se reveste num fato importante para a vida cultural de Feira de Santana. Ponto para o Governo Municipal. Não vejo a hora de ouvir sua palestra sobre "O Livro e a Leitura Hoje". Espero frutos positivos e parcerias com a Prefeitura.

Anônimo disse...

Espera-se que alunos dos cursos de Comunicação locais participem da palestra, e tenham aproveitamento do que Muniz Sodré vai dizer em Feira de Santana. Oportunidade rara, graças à Prefeitura, através da Fundação Cultural Egberto Costa, que mostra serviçi.

Anônimo disse...

No meu comentário, quis dizer que a Prefeitura, através da Fundação Cultural Egberto Costa, mostra serviço.

Anônimo disse...

Será que nenhum vereador de Feira de Santana vai aporveitar a oportunidade de Muniz Sodré na cidade e prjetar para ele o título de cidadão feirense? Fica a sugestão.

Renato Ribeiro disse...

A vinda de Muniz sodré para Feira de Santana é uma grande conquista para o mundo acadêmico, como radialista e aluno do 7º Semestre do curso de jornalismo eu posso garantir em nome dos colegas que os alunos estão interessados em participar da palestra, muito mais até do que alguns coordenadores de curso das faculdades particulares que não sabem mensurar a importância dessa visita, se não fosse a prefeitura e abnegados como Dimas, eles não tomariam a iniciativa de trazer Muniz Sodré, estão pegando a ponga no evento, fazendo gentilezas com o chapéu dos outros.