*

*

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Museu da Segunda Guerra Mundial: um obelisco arquitetônico contra o esquecimento



A Polônia tem um novo museu dedicado à Segunda Guerra Mundial: o II World War Museum. A sua abertura foi um esmagador sucesso, como novo ícone arquitetônico da cidade costeira de Gdansk, onde a guerra eclodiu oficialmente.
Com projeto do Studio Architektoniczne Kwadrat, dispõe de 23.000m2 de área total, dos quais 5.000m2 correspondem à zona de exposição permanente e uns outros 1.000m2 para exposições temporárias. De arquitetura minimalista, o design e as cores escolhidas pelos autores fundem-se na perfeição com o ambiente histórico da cidade. A singularidade é demonstrada através de uma proposta de exposição submersa. O museu é dividido em três áreas, simbolizando a relação entre o passado, o presente e o futuro: o passado que permanece oculto nos andares subterrâneos do museu, o presente que surge nos espaços abertos em redor do edifício e o futuro que se expressa através de um grande obelisco que emerge, como símbolo da catástrofe e da esperança dos sobreviventes. Sem dúvida, um projeto notável que perdurará no tempo.

Desafio do projeto
O auditório do Museu apresenta-se com um ar solene. É uma sala circular, com capacidade para 300 pessoas, revestida de madeira. Projetada para múltiplos usos, foi dividida em três zonas de assentos, dispostos em linhas curvas de ângulo aberto. A distribuição dos assentos teria que estar em conformidade com as normas de segurança da Polônia. As filas possuem um grande espaço de 1.200mm entre si, proporcionando assim grande conforto aos espectadores. As duas primeiras filas incluem também mesas rebatíveis, embora a zona de passagem continue a ser a adequada, considerando o espaço reduzido que a mesa rebatida ocupa. A nível estético, a poltrona tinha que adequar-se ao espaço, com linhas sóbrias e elegantes e um elevado nível de conforto.
Modelo utilizado
O auditório do museu foi equipado com 300 poltronas modelo 6036 Flex da Figueras, de grande conforto e mínimo volume, com retorno automático dos apoios de braço, que uma vez rebatidos ocupam apenas 47cm. Além disso, foram incorporadas mesas F48 nas duas primeiras filas de assentos, um modelo retrátil para utilização em conferências e congressos.
O museu conta também com uma sala especificamente dedicada a apresentações, que foi equipada com 115 poltronas do modelo 8136 Megaseat da Figueras. Este assento ergonómico, de dimensões generosas, é especialmente concebido para espaços cinematográficos. Não só apresenta elevada resistência ao uso intensivo, como é também muito confortável, permitindo uma visualização em condições ideais.

Enviado por Figueras International Seating

Nenhum comentário: