Dê este livro - R$ 30,00 - de presente

Dê este livro - R$ 30,00 - de presente
Adquira no Boulevard Shopping (na Cappa Clara Tabacaria), Restaurante Flor do Maracujá (na Kalilândia), bancas Avenida, Cidreira e Status (na avenida Getúlio Vargas), no Espaço Cultural e O Folheteiro (no Mercado de Arte Popular)

Segunda semana

Segunda semana
Orient Cineplace Boulevard: 21h40

Disponível na plataforma NOW a partir do dia 27

Disponível na plataforma NOW a partir do dia 27

Lançamento mundial

Lançamento mundial
Orient Cineplace Boulevard - 13 - 15h40 - 18h20 - 21

*

*

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

"PSL na Bahia vai unir força com Democratas para derrubar o PT", diz secretário Alberto Pimentel


Secretário de Trabalho, Esportes e Lazer de Salvador e membro da Executiva do PSL na Bahia, Alberto Pimentel quer que o seu partido se una ao Democratas para derrotar o PT na eleição de 2022, quando haverá a sucessão de Rui Costa (PT).
"O rumo do PSL na Bahia é unir força com o Democratas para tentar derrubar o PT no nosso estado. Ninguém vai a lugar nenhum sozinho. Acho que unido a gente consegue mais. Obviamente, o PSL vai buscar o seu espaço e o Democratas. Já temos o nosso espaço e vamos buscar crescimento. Juntando isso tudo, a gente vai tentar derrubar o PT aqui no nosso estado", afirmou, em entrevista ao jornal "Tribuna da Bahia".
Casado com a presidente do PSL na Bahia, a deputada federal Professora Dayane Pimentel, Alberto afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não irá retaliar o Estado, mas ressaltou que o chefe do Palácio do Planalto pode beneficiar a Bahia sem ajudar o governo de Rui Costa. "Existe outras formas de beneficiar. Pode ser diretamente pelos municípios. A parceria será maior com os prefeitos do PSL e do Democratas, da base aliada. Mas, de jeito nenhum, o presidente irá prejudicar o nosso Estado", declarou.
Pimentel defendeu, ainda, que o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, seja o candidato à sucessão de ACM Neto em 2020. "A minha vontade é que ele seja o candidato de ACM Neto para a sucessão", ressaltou. 

Nenhum comentário: