*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

sábado, 15 de dezembro de 2018

"Como Battisti, PF soube da prisão pela imprensa”

Causou espanto a divulgação da ordem de prisão do terrorista italiano Cesare Battisti na noite de quinta (13), favorecendo sua fuga. A notícia da ordem do ministro Luiz Fux, do STF, contrariou a prática adotada há anos pela Justiça e a polícia, de surpreender de manhã cedo o alvo de mandado de prisão. O mandado chegou à Polícia Federal após a sua divulgação pela imprensa. Na manhã de sexta (14), quando a polícia bateu à porta do bandido a ser extraditado, ele havia desaparecido.
Destino provável
Policiais acham que Battisti teve ajuda de cúmplices ou agentes de outro país. Há um ano, ele foi preso tentando escapar para Bolívia.
Fuga planejada
Policiais experientes observam que fugitivos como o terrorista Battisti tem sempre plano de fuga preparados nos mínimos detalhes.
Vai que é tua, STF
Procuradores também estranharam a fuga de Battisti. Mas, indagada, a Procuradoria Geral da República informou que isso é "assunto do STF".
Fux não comenta
No STF, o ministro Luiz Fux informou que não vai comentar a suspeita de que a fuga de Battisti pode ter sido provocada pelo vazamento.
Decreto de extradição estava pronto há um ano
O decreto de extradição do terrorista Cesare Battisti, assinado pelo presidente Michel Temer, estava pronto desde o ano passado. A única alteração foi preparada também nesta sexta (14) pelo ministro Torquato Jardim (Justiça), um dos mais admirados juristas do País, que refez a argumentação para seguir a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF) ao ordenar a prisão do criminoso.
Tratativas diplomáticas
Em novembro do ano passado, os chanceleres do Brasil, Aloysio Nunes, e da Itália, Angelino Alfano, iniciaram tratativas para extradição.
Frieza e crueldade
Battisti revoltou os italianos ao executar 4 pessoas e deixar paraplégico um garoto de 15 anos. Foi condenado duas vezes à prisão perpétua.
Apenas um bandido
Até por ignorância, a "esquerda" brasileira dá tratamento de "ativista" ou "perseguido político" a Battisti, que é apenas um bandido comum.
Pergunta à consciência
Se Battisti é"“ativista", como proclama a esquerdopatia nacional, apesar do assassinato de 4 pessoas, o que será terrorismo para essa gente?
Fonte: Cláudio Humberto

Nenhum comentário: