Dê este livro - R$ 30,00 - de presente

Dê este livro - R$ 30,00 - de presente
Adquira no Boulevard Shopping (na Cappa Clara Tabacaria), Restaurante Flor do Maracujá (na Kalilândia), bancas Avenida, Cidreira e Status (na avenida Getúlio Vargas), no Espaço Cultural e O Folheteiro (no Mercado de Arte Popular)

Lançamento nesta quinta-feira, 24

Lançamento nesta quinta-feira, 24
Orient Cineplace Boulevard -13 e 21h35

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Quarta maior empresa do ramo de refeição coletiva no país amplia atuação em Feira de Santana


Único do Norte e Nordeste entre as 10 maiores empresas do ramo de refeições coletivas do Brasil, o Grupo LemosPassos amplia sua atuação em Feira de Santana, e assume a gestão do refeitório (Foto: Divulgação) do centro de distribuição da Bartofil Distribuidora, do ramo industrial e atacadista, recém instalada na cidade. Na unidade, a LemosPassos vai produzir diariamente 280 refeições para atender aos funcionários da distribuidora, de segunda-feira a sexta-feira, com perspectiva de atingir 800 refeições/dia em médio prazo.
Em Feira de Santana, o Grupo LemosPassos também é responsável pela gestão de outros restaurantes coletivos, entre eles da Mercante, Ferragens Negrão e Rodobens Feira, e também do restaurante popular do Centro de Abastecimento do município, para o qual produz diariamente 1.000 refeições, subsidiadas pela Prefeitura.
Com a chegada de novos contratos - este ano a LemosPassos também vai produzir as refeições para o Hospital Unimed Petrolina -, a empresa dá mais um passo a superar os cinco milhões de refeições/mês produzidas em nove estados – volume que lhe trouxe um avanço importante no ano passado, quando subiu três posições no ranking nacional da Associação Brasileira das Empresas de Refeições Coletivas (Aberc).
(Com informações de Flávia de Oliveira, da AC Comunicação)

Quanto custa pegar uma tela


No Orient Cineplace Boulevard, os preços dos ingressos são: R$ 16,00 inteira e R$ 8,00 meia, de segunda-feira a quarta-feira; e R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia, de quinta-feira a domingo mais feriado

Trailer de "Creed II"


Assista
Trailer de "Creed II", que tem lançamento nesta quinta-feira, 24, no Orient Cineplace Boulevard.

Trailer de "Sou Carnaval"


Assista

Trailer de "Sou Carnaval", que tem lançamento nesta quinta-feira, 24, no Orient Cineplace Boulevard.

Trailer de "Eu Sou Mais Eu"


Assista
Trailer de "Eu Sou Mais Eu", que tem lançemento nesta quinta-feira, 24, no Orient Cineplace Boulevard.

Filme de diretor feirense sobre Carnaval de Salvador

1. "Sou Carnaval de São Salvador", de Márcio Cavalcante
2. "Creed II"
3. Kéfera Buchmann em "Eu Sou Mais Eu"
Fotos: Divulgação

O documentário "Sou Carnaval de São Salvador", dirigido pelo feirense Marcio Cavalcante, conta com cerca de 500 entrevistas, além de imagens do Carnaval de Salvador, gravadas em cinco anos, entre 2014 e 2018. Trata-se do principal programa desta última semana do primeiro mês do novo ano, no Orient Cineplace Boulevard, a partir desta quinta-feira, 24.
Marcio Cavalcante  também é diretor do documentário "Bahêa Minha Vida", lançado em outubro de 2011,na mesma sala, que retrata a história de amor entre torcedores e o Esporte Clube Bahia.
Outras novidades: o drama "Creed II", com Michael B. Jordan e Sylvester Stallone; e a comédia brasileira "Eu Sou Mais Eu", com Kéfera Buchmann.
O drama com mistério, ficção científica e suspense "Vidro" entra em segunda semana, assim como a animação "Como Treinar Seu Dragão 3".
Outras continuações, em terceira semana, a animação "Homem-Aranha no Aranhaverso"; em quarta semana, outras animações, "WiFi Dalph: Quebrando a Internet" e "Dragon Ball Super: Broly".
Em quinta semana, a comédia brasileira "Minha Vida em Marte" e o filme de ação, aventura, fantasia e ficção científica "Aquaman", chega à sétima semana, atraindo o grande público.
No sábado, em matinal, sessões de "Eu Sou Mais Eu" (10h50); "Dragon Ball Super: Broly" (11h10)) "Como Treinar Seu Dragão 3" (11h20); e "Homem-Aranha no Aranhaverso" (11h30). 

"A pressa do PT em condenar adversários"


Não é de surpreender ninguém, mas a militância petista e psolista, que defende o corrupto e lavador de dinheiro condenado em segunda instância Lula - e até outro dia o terrorista de extrema esquerda condenado na Itália à prisão perpétua Cesare Battisi -, agora pede, inflamada pelas notícias que ligam funcionários e homenagens de Flávio Bolsonaro a milicianos, a prisão do filho do presidente, que, antes da suspensão determinada por Luiz Fux, vinha sendo investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro na área cível por improbidade administrativa, assim como continuam sendo outros 26 deputados estaduais, entre eles André Ceciliano, do próprio PT, e Eliomar Coelho, do Psol, além de Carlos Minc, ex-ministro de Meio Ambiente do governo Lula e hoje no PSB, como já registramos.
Todos, obviamente, devem ser cobrados e investigados e, se houver provas de ilicitudes - para além de movimentações bancárias suspeitas -, punidos nos termos da lei. Só é curiosa a pressa condenatória dos defensores de criminosos condenados.
Fonte: https://www.oantagonista.com

“Bando, um filme de”: longa baiano será exibido na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes


 Filme levanta o legado de um dos grupos de teatro mais inovadores e plurais do País por meio de mais de 40 entrevistas além de imagens, músicas e vídeos de bastidores

Depois de receber o prêmio de Melhor Longa na Competitiva Baiana do XIV Panorama Internacional Coisa de Cinema, "Bando, um filme de" será exibido na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes, no Cine Praça, no próximo sábado, 26, último dia da Mostra. 
Dirigido por Lázaro Ramos e Thiago Gomes o filme revela de modo poético e emocionante a história do grupo soteropolitano Bando de Teatro Olodum, coletivo teatral que surgiu em 1990 e estreou nos palcos da Bahia em 1991 e que, de lá para cá, tornou-se um dos símbolos de identidade brasileira, construindo um discurso estético, político e social.
Realizado entre 2015 e 2018 o documentário reúne 42 entrevistados, mais de 120 fotos cedidas por 12 fotógrafos, além de preciosas imagens de bastidores e até canções inéditas feitas para a película, e conta a história dos primeiros 25 anos do Bando de Teatro Olodum por meio de seus atores, colaboradores e estudiosos, em uma produção da Modupé Produtora, em coprodução com o Canal Brasil e produção associada com a Lata Filmes e Bando de Teatro Olodum,
O filme tem sido exibido em festivais e mostras nacionais e internacional e já está disponível em VOD pelo NOW, Vivo Play e Oi Play, e entrará em exibição pelo Canal Brasil em abril.
Trailer oficial: https://vimeo.com/269278124  
Enviado por Susan Kalik, da Modupé Produtora

Os filmes indicados ao Oscar 2019

Lady Gaga indicada a Melhor Atriz por "Nasce uma Estrela", indicado a Filme, Ator, Ator Coadjuvante, Roteiro Adaptado, Canção Original, Fotografia e Mixagem de Som

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood  anunciou nesta terça-feira, 22, os indicados para a 91ª edição do Oscar. A premiação ocorre no dia 24 de fevereiro.
Melhor Filme
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Green Book: O Guia
Roma
Nasce Uma Estrela
Vice

Melhor Direção
Spike Lee (Infiltrado na Klan)
Pawel Pawlikowski (Guerra Fria)
Yorgos Lanthimos (A Favorita)
Alfonso Cuarón (Roma)
Adam McKay (Vice)
Melhor Ator
Christian Bale (Vice)
Bradley Cooper (Nasce Uma Estrela)
Willem Dafoe (No Portal da Eternidade)
Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Viggo Mortensen (Green Book: O Guia)
Melhor Atriz
Yalitza Aparicio (Roma)
Glenn Close (A Esposa)
Olivia Colman (A Favorita)
Lady Gaga (Nasce Uma Estrela)
Melissa McCarthy (Poderia Me Perdoar?)
Melhor Ator Coadjuvante
Mahershala Ali (Green Book: O Guia)
Adam Driver (Infiltrado na Klan)
Sam Elliott (Nasce uma Estrela)
Richard E. Grant (Poderia Me Perdoar?)
Sam Rockwell (Vice)
Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams (Vice)
Marina De Tavira (Roma)
Regina King (Se a Rua Beale Falasse)
Emma Stone (A Favorita)
Rachel Weisz (A Favorita)
Melhor Roteiro Original
A Favorita
First Reformed
Green Book: O Guia
Roma
Vice
Melhor Roteiro Adaptado
The Ballad of Buster Scruggs
Infiltrado na Klan
Poderia Me Perdoar?
Se a Rua Beale Falasse
Nasce Uma Estrela
Melhor Fotografia
Guerra Fria
A Favorita
Never Look Away
Roma
Nasce Uma Estrela
Melhor Edição
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Green Book: O Guia
Vice
Melhor Trilha Sonora Original
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Se a Rua Beale Falasse
Ilha dos Cachorros
O Retorno de Mary Poppins
Melhor Canção Original
All the Stars - Pantera Negra
I’ll Fight - RBG
The Place Where Lost Things Go - O Retorno de Mary Poppins
Shallow - Nasce Uma Estrela
When A Cowboy Trades His Spurs For Wings - Ballad of Buster Scruggs
Melhor Edição de Som
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
O Primeiro Homem
Um Lugar Silencioso
Roma
Melhor Mixagem de Som
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
O Primeiro Homem
Roma
Nasce Uma Estrela
Melhores Efeitos Visuais
Vingadores: Guerra Infinita
Christopher Robin
O Primeiro Homem
Jogador N°1
Han Solo: Uma História Star Wars
Melhor Figurino
The Ballad of Buster Scruggs
Pantera Negra
A Favorita
O Retorno de Mary Poppins
Duas Rainhas
Melhor Cabelo
Border
Duas Rainhas
Vice
Melhor Direção de Arte/Design de Produção
Pantera Negra
A Favorita
O Primeiro Homem
O Retorno de Mary Poppins
Roma
Melhor Documentário
Free Solo
Hale County This Morning, This Evening
Minding the Gap
Of Fathers and Sons
RBG
Melhor Animação
Os Incríveis 2
Ilha de Cachorros
Mirai
Wifi Ralph: Quebrando a Internet
Homem-Aranha no Aranhaverso
Melhor Filme Estrangeiro
Capernaum (Líbano)
Guerra Fria (Polônia)
Never Look Away (Alemanha)
Roma (México)
Shoplifters (Japão)
Melhor Curta Animado
Animal Behavior
Bao
Late Afternoon
One Small Step
Weekends
Melhor Curta em Documentário
Black Sheep
End Game
Lifeboat
A Night at the Garden
Period. End of Sentence.
Melhor Curta em Live-Action
Detainment
Fauve Marguerite
Mother
Skin

"Governo corta até 70% da propaganda do Planalto"

Cálculo feito pela Secretaria de Comunicação atinge agências off-line, com orçamento de R$ 260 milhões para este ano
O Palácio do Planalto quer cortar até 70% do total gasto com propaganda direta do Governo Federal. Atualmente, três agências atendem à Secretaria de Comunicação: NBS, Calia e Artplan, que venceram a concorrência de 2017 e teriam contrato válido por cinco anos, até o fim de 2021, com a possibilidade de a contratação ser renovada ou não a cada ano. A verba para este ano é de R$ 260 milhões.
A mudança está sendo discutida em conjunto pelo ministro Carlos Alberto Santos Cruz, da Secretaria de Governo, pelo chefe da Secom Floriano Barbosa, e por um ator externo ao Planalto: Carlos Bolsonaro, o filho do presidente, que, mesmo sem estar nomeado, cuida à distância da comunicação do governo.
Carlos foi um dos que mais pressão fez para que a medida prosperasse.
O Planalto ainda não decidiu como eliminar os Bônus de Volume (BVs), conforme anúncio feito por Jair Bolsonaro no começo do governo.
Segundo a regra corrente, quanto mais publicidade uma agência destina a um veículo em um determinado período de tempo, maior será o BV pago por este veículo à agência.
O mecanismo é legal, uma vez que as Normas-Padrão da Atividade Publicitária dão liberdade para os veículos determinarem seus métodos de bonificação. As normas-padrão são definidas por uma entidade chamada Conselho Executivo das Normas-Padrão, sem fins lucrativos e mantida por associações de veículos, agências e anunciantes, entre outras organizações.
Fonte: "Época"

O Dia na História: Há 120 anos


Em 22 de janeiro de 1899, há 120 anos, "A sociedade Victória realiza grandes festas em comemoração ao seu 25º aniversário."
Fonte: Crônica Feirense, de Arnold Silva, no livro "Memórias: Arnold Ferreira da Silva", de Carlos Mello e Carlos Brito, editado pelo Núcleo de Preservação da Memória Feirense Rollie E. Poppino


Presidente condecora primeiro-ministro de Israel com Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul

Netanyahu afirmou que estava contente por poder começar uma nova era entre Israel e Brasil

Presidente Jair Bolsonaro e primeiro-ministro Netanyahu pretendem ampliar parcerias entre Brasil e Israel
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O presidente da República, Jair Bolsonaro, concedeu ao primeiro-ministro do Estado de Israel, Benjamin Netanyahu, a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, no Grau de Grã-Cruz. A decisão foi publicada no "Diário Oficial da União", edição de sexta-feira, 18.  
Criada como Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul, em 1º de dezembro de 1822, por Dom Pedro I, a comenda é a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros.  
Netanyahu foi uma das autoridades presentes na posse do presidente, em 1º de janeiro. Dias antes da cerimônia, o primeiro-ministro usou sua conta no Twitter para afirmar que estava contente "por podermos começar uma nova era entre Israel e a grande potência chamada Brasil".  
Fonte: Planalto  

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

"Nem Átila"

Por J. R. Guzzo

É realmente uma canseira, mas não tem outro jeito. A cada vez que você vai escrever ou falar alguma coisa sobre a imprensa no Brasil, é preciso explicar direitinho, se possível com desenho e quadro-negro, que o autor não é -repetindo: não é, de jeito nenhum, nem pensem numa coisa dessas - contra a liberdade de imprensa. Não está pedindo a volta da censura, mesmo porque seria legalmente impossível. Não quer a formação de uma polícia para fazer o "controle social dos meios de comunicação". Não está "a favor dos militares e contra os jornalistas". Não acha, pelo amor de Deus, que é preciso fechar nenhum jornal, revista, rádio, televisão, folheto de grêmio estudantil ou seja o que for. Não lhe passa pela cabeça sugerir aos donos de veículos e aos jornalistas que publiquem isso ou deixem de publicar aquilo; escrevam em grego, se quiserem, e tenham toda a sorte do mundo para encontrar quem leia. Com tudo isso bem esclarecido, então, quem sabe se possa dizer que talvez haja um ou outro probleminha com a imprensa brasileira de hoje. Um deles é que a mídia está começando a revelar sintomas de Alzheimer ou de alguma outra forma de demência ainda mal diagnosticada pela psiquiatria.
É chato lembrar esse tipo de coisa, mas também não adianta fazer de conta que está tudo bem quando dizem para você dia e noite, 100 mil vezes em seguida, que o novo governo brasileiro provou ser o pior que a humanidade já teve desde Átila, o Huno. Não faz nexo. Até Átila precisaria de mais de duas semanas de governo para mostrar toda a sua ruindade - e olhem que ele foi acusado de comer carne humana e andava cercado de lobos, em vez de cachorros, sendo que nenhum dos seus lobos era bobo o suficiente para chegar perto do dono quando sentiam que o homem não estava de muito bom humor naquele dia. Além disso, errar em tudo é tão difícil quanto acertar em tudo. Talvez fosse mais racional, então, recuar para uma antiga regra da lógica: as ações devem ser julgadas pelos resultados concretos que obtêm, e não por aquilo que você acha delas. Um governo só pode ser avaliado depois de se constatar se as coisas melhoraram ou pioraram em consequência das decisões que colocou em prática. O número de homicídios, por exemplo -aumentou ou diminuiu depois de doze meses? A inflação está em 2% ou em 20%? O desemprego caiu ou subiu? E por aí vamos.
Mas essa lógica não existe no Brasil de hoje. Está tudo errado, 100% errado, porque é assim que decretam os estados de alma dos proprietários dos veículos e dos jornalistas que empregam - e não porque mediram algum resultado concreto. Ou seja: ainda não aconteceu, mas o governo já errou. A condenação começou no dia da posse de Bolsonaro e dali até hoje não parou mais. Os jornalistas, denunciou-se já nos primeiros minutos, não receberam instalações à altura da sua importância para a sociedade. Donald Trump não veio. O discurso de estreia foi ruim - embora não tivessem publicado uma sílaba de algum discurso presidencial anterior, para que se pudesse fazer uma comparação. Há generais em excesso no governo - e qual seria o número ideal de generais no governo? As médias das administrações de Sarney para cá? A média mundial? O que é pior: o general A, B ou C ou os ministros Geddel, Palocci ou Erenice? Há poucos nordestinos. O ministro do Ambiente acha que esgotos, por exemplo, ou coleta de lixo, são problemas ambientais sérios. Conclusão: ele vai abandonar a Amazônia para os destruidores de florestas.
Como o doente que repete sem parar a mesma coisa, não consegue descrever o que vê pela janela, e esquece tudo o que lhe foi demonstrado 1 minuto atrás, a imprensa travou. A prisão do terrorista Cesare Battisti foi uma "derrota" para Bolsonaro; imaginava-se que teria sido uma derrota para Battisti, mas a mídia quer que você ache o contrário. O acesso à armas de fogo para que um cidadão (só aquele que queira), tenha a chance de exercer o direito de legítima defesa antes de ser assassinado, vai desencadear uma onda de homicídios jamais vista na história. Como as armas de fogo são caras, denuncia–se que a medida é "pró-elites". E se vierem a baixar de preço? Passarão a ser melhores? Quando alguém começa a escrever coisas assim, e faz isso o tempo todo, é porque parou de pensar; o cérebro não está mais ligando Zé com Zé. É um problema. Os leitores, cada vez mais, estão percebendo que a imprensa é inútil. Não só eles. No dia em que o governo descobrir que não precisa mais prestar atenção à mídia, vai ver que está perdendo uma montanha de tempo à toa.
Fonte: https://www.facebook.com/jrguzzoveja/posts/850322791969609?__tn__=K-R

Feirense está entre os dez fotógrafos de casamento mais premiados do Brasil

Investimento em profissionalização dos serviços e atendimento são as principais estratégias do fotógrafo para consolidar sua marca
       
"Pôr do sol", premiada na Bride Association
"Gamboa", premiada na Bride Association
Fotos: Murilo Mascarenhas

O fotógrafo feirense Murilo Mascarenhas encerrou 2018 como um dos dez fotógrafos de casamento mais premiados do Brasil, e lidera o ranking no Estado da Bahia, pela Bride Association. O trabalho em tempo integral, atualização constante na área e o profissionalismo apresentado aos seus clientes fazem com que ele permaneça em destaque ao longo dos seus cinco anos de carreira. 
"Trabalhamos numa cidade onde a economia gira em torno do comércio de produtos e serviços, então, além de perseguir uma boa técnica fotográfica o nosso outro grande investimento está na requalificação do serviço, considerando que nós lidamos com momentos muito importantes para nossos clientes", afirma Murilo. A preocupação em oferecer um atendimento de excelência, fez com que ele e sua parceira, Rebeca Rodrigues, fossem convidados para compartilhar suas práticas com outros fotógrafos, em eventos voltados para aperfeiçoamento nesta área, no primeiro semestre de 2019.
Murilo explica que a fotografia, assim como toda carreira profissional requer uma atenção especial nesses momentos de crise, sendo o período ideal para investir na qualificação dos processos e melhoria dos produtos e serviços oferecidos. "Se acredita no seu negócio, invista na profissionalização do seu atendimento, por que dessa forma você estabelece o seu diferencial no mercado", conclui.
Murilo e Rebeca atuam como fotógrafos de casamento em Feira de Santana e região desde 2014. Para conhecer mais sobre o trabalho deles acesse o Instagram @muramascarenhas.

O Dia na História: Há 109 anos


Em 21 de janeiro de 1912, há 109 anos, "Estréia no teatro local, o Grêmio Dramático Arthur Azevedo, de que fazem parte Deraldo Araújo, Cícero Lima, Augusto Fructuoso e outros sob a direção do sr. Sinval do Nascimento."
Fonte: Crônica Feirense, de Arnold Silva, no livro "Memórias: Arnold Ferreira da Silva", de Carlos Mello e Carlos Brito, editado pelo Núcleo de Preservação da Memória Feirense Rollie E. Poppino


"Lava Jato: dinheiro do BNDES no bolso de Lula”


A lista dos financiamentos do BNDES no exterior, divulgada sexta-feira, 18, dá sentido às relações promíscuas do ex-presidente Lula com a Odebrecht, que ele beneficiou com 80% das obras em ditaduras latino-americanas e africanas. Integrantes da Lava Jato acham que dinheiro do BNDES acabou no bolso de Lula. Emílio Odebrecht, controlador da empreiteira, confessou até mesmo que havia uma "conta corrente" de R$ 300 milhões para o ex-presidente presidiário gastar como quisesse.
Pagou, levou
A relação entre Lula e a empreiteira baiana foi baseada em corrupção, simples assim. A Odebrecht pagou e levou os melhores contratos.
Pacotão de negócios
A construção do Porto de Mariel (Cuba) foi financiada pelo banco público BNDES por R$ 2,7 bilhões. E construído pela Odebrecht.
Pacto de sangue
E o ex-ministro Antonio Palocci revelou à Justiça espontaneamente, sem acordo de delação, o "pacto de sangue" entre Lula e a Odebrecht.

Propina em caixas

A propina era tão rotineira que Palocci contou fazer entregas de dinheiro vivo a Lula em caixas de celular e, claro, de uísque.
Fonte: Claudio Humberto


domingo, 20 de janeiro de 2019

"BNDES: Cuba foi destaque, mas Angola era preferida"


A construção do Porto de Mariel (Cuba), por R$ 2,7 bilhões, ganhou destaque entre as maracutaias envolvendo financiamentos do BNDES, mas empréstimos “pós-embarque” (sem a necessidade de aprovação do Senado ou fiscalização de órgãos de controle) inauguraram novo tipo de favorecimento, sucesso nos governos do PT. Foi com esse modelo de financiamento que Lula e Dilma destinaram R$ 8,7 bilhões a obras em Angola, como hidrelétricas e aeroportos, de 2007 a 2014.
Contrabando internacional
O Conselho de Segurança da ONU apontou o porto de Mariel como "ponte" de armas da antiga União Soviética à Coreia do Norte.
Mama África
A OAS garantiu obra de R$ 1 bilhão na Guiné Equatorial "com ajuda do Brahma", segundo o ex-presidente da empreiteira Léo Pinheiro.
Só para alinhados
Os bilhões do BNDES foram usados sem pudor para financiar obras em ditaduras como Venezuela, e "democracias" como Bolívia e Cuba.
Tem para todos
Eike Batista também faturou alto e a parceria com a Petra Energia, do filho de Aloizio Mercadante, rendeu R$ 400 milhões do BNDES.
Fonte: Cláudio Humberto

"Agenda de Sérgio Moro impressiona"


O ritmo de trabalho de Sérgio Moro impressiona os servidores do Ministério da Justiça, que "não estão acostumados com um ministro trabalhando tanto, inclusive às sextas", disse um funcionário. Na sexta, 18, ele começou o dia com compromisso com o presidente Jair Bolsonaro às 9 horas e seguiu no trabalho até às 19 horas, incluindo um encontro com presidente do Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, Miguel Ángel Martín, exilado no Brasil devido à perseguição da ditadura.
Agilidade
O ministro foi visto almoçando no restaurante-escola do Senac, no próprio Ministério, para economizar tempo e dinheiro público.
Ritmo é o mesmo
O ritmo de trabalho de Moro já era conhecido por quem trabalhava com o ex-juiz na operação Lava Jato. Em Brasília era inédito
Fonte: Cláudio Humberto

O Dia na História: Há 182 anos


Em 20 de janeiro de 1837, há 182 anos, "Estão nas mãos do coronel Rodrigo Brandão quase todos os cabeças do movimento revolucionário, entre eles, o alferes Baraúna. Não puderam ser capturados, porém, o tenente coronel Manoel Pedro dos Santos Vital e o major Manoel José de Souza."
Fonte: Crônica Feirense, de Arnold Silva, no livro "Memórias: Arnold Ferreira da Silva", de Carlos Mello e Carlos Brito, editado pelo Núcleo de Preservação da Memória Feirense Rollie E. Poppino


sábado, 19 de janeiro de 2019

Bahia de Feira vence Jacuipense na abertura do Baianão

O Bahia de Feira estreou bonito no Campeonato Baiano de 2019. O elenco fez um jogo seguro, forte e conquistou os três pontos em sua primeira partida na Arena Cajueiro, sede do time. O placar final do jogo terminou em Bahia de Feira 2x1 Jacuipense.
No primeiro tempo o Bahia de Feira fez um jogo ofensivo. Aos 17 minutos do primeiro tempo o meia atacante Vitinho marcou o primeiro gol da partida e levou a torcida à loucura. Em seguida, aos 36 minutos, o lateral direito Van marcou também o seu gol, e deixou o jogo em 2x0 para o Bahia de Feira.
No início do segundo tempo o meia atacante Bruninho levou o segundo cartão amarelo, o que gerou a sua expulsão. A partir de então, o Bahia de Feira fez um jogo mais defensivo, já que estava com um jogador a menos, entretanto não foi o bastante para segurar o placar. Aos 16 minutos do segundo tempo o jogador Marcelo Nicassio, do Jacuipense, marcou o primeiro e único gol do time na estreia do Baianão.
O segundo tempo também teve três substituições para o Bahia de Feira: Menezes entrou no lugar de Vitinho, Ebinho no lugar de Deon e Dionísio no lugar de Jarbas. Esse foi o primeiro jogo do Campeonato Baiano, que segue neste domingo, 20, com mais jogos na fase de grupos.
Ao final, o público de mais de 600 torcedores pôde assistir uma importante estreia do Campeonato Baiano de 2019 e também o primeiro dos jogos oficiais a serem realizados na Arena Cajueiro.
No próximo domingo, 27, o Bahia de Feira enfrenta o Vitória da Conquista, também na Arena Cajueiro, sede do time. Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do time, por R$ 30,00. Maiores informações: (75) 3023-8930 ou www.bahiadefeira.com.br.  
(Com informações do Departamento de Marketing e Comunicação do Grupo Nobre

Trailer de remake de "Dumbo"



Assista ao trailer

Pôster de "Dumbo", divulgado pela Disney
Pôster da animação "Dumbo", de 1941
Fotos: Divulgação

Está passando no Orient Cineplace Boulevar o trailer do remake com atores da clássica animação "Dumbo". Dirigido por Tim Burton, o filme tem lançamento previsto para março de 2019.
A história segue um antigo astro de circo, personagem Colin Farrell, que retorna à tenda depois de voltar da guerra. Lá, ele é encarregado de cuidar de um elefante recém-nascido, que é motivo de chacota no show por causa de suas grandes orelhas.
Eva Green, Michael Keaton, Danny DeVito e Alan Arkin também estão no elenco. A animação original de "Dumbo" estreou em 1941, e ganhou o Oscar de Melhor Música.

Jesus no Cinema no Aprisco


Apresentação de estudo sobre Religião x Cinema feita por Dimas Oliveira durante culto noturno em Aprisco Church, 19 de janeiro de 2016, há três anos.
Imagens e edição: Arivaldo Publio

O Dia na História: Há 111 anos


Em 19 de janeiro de 1908, há 111 anos, "Assume a presidência da Soc. Ph. Victória o maj. Cícero Carneiro da Silva, que já exerceu, há anos, o mesmo cargo."
Fonte: Crônica Feirense, de Arnold Silva, no livro "Memórias: Arnold Ferreira da Silva", de Carlos Mello e Carlos Brito, editado pelo Núcleo de Preservação da Memória Feirense Rollie E. Poppino


sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Dayane Pimentel diz que ainda não conversou com Colbert


Em resposta sobre a especulação veiculada no site "Bahia na Política" de que o PSL poderia assumir uma secretaria no governo do prefeito Colbert Martins, a deputada federal professora Dayane Pimentel, que é a presidente estadual da sigla, diz que seu papel é gerar resultados que beneficiem a população. Mas, afirmou que esta conversa com o prefeito de Feira de Santana não ocorreu.
"Por conta do governo de transição, ainda não tive tempo para dialogar com o prefeito Colbert, mas entendo que ele se mostra muito receptivo ao governo de Bolsonaro.  Se o prefeito busca estabelecer uma gestão com a minha maior participação, será uma satisfação servir ainda mais a sociedade feirense."
"Vários municípios têm buscado atuar junto ao meu grupo e por isso nos convidam a ocupar espaços dentro de suas gestões. O objetivo do PSL é crescer e quando essas alianças forem  positivas ao partido, serão estabelecidas. Quando não for interessante, seja por questão ideológica ou por questão de posição política divergente da nossa atuação, não aceitaremos," disse mais
Dayane Pimentel ressalta também que articulações políticas tem seus momentos para serem executadas e quando for convidada vai dialogar com todos fora da esquerda que se interessarem pelo apoio do PSL.
"Vou conversar com todos que tenham interesse pelo nosso apoio no momento certo. Mas, as movimentações políticas em Brasília exigem minha presença constante neste momento que antecede a posse e para que possa defender com maior eficácia os interesses do povo da Bahia e em especial da nossa querida Feira de Santana, a prioridade é compreender o Congresso Nacional."
(Com informações da Assessoria de Comunicação)


"Lula recebeu dinheiro em espécie de propina da Odebrecht, segundo Palocci"

Informações estão na 1ª delação fechada pelo ex-ministro de Lula e Dilma. Termo de colaboração de 13 de abril de 2018 foi anexado na quinta-feira ao inquérito.


O ex-ministro Antonio Palocci, delator da Operação Lava Jato, relatou entregas de dinheiro em espécie, de propina paga pela Odebrecht, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com Palocci, Lula lhe pedia que não comentasse com ninguém a respeito do assunto.
As informações estão em um termo da primeira delação fechada por Palocci com a Polícia Federal de Curitiba. O depoimento foi prestado em 13 de abril de 2018, e a delação foi homologada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em junho do ano passado. O depoimento foi anexado na quinta-feira, 17, ao inquérito da PF sobre a Usina de Belo Monte, que tramita em sigilo.
Um trecho da delação diz: "[Palocci] Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da Odebrecht e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de trinta, quarenta, cinqüenta e oitenta mil reais em espécie para o próprio Lula".
O ex-ministro afirmou ter entregue R$ 50 mil ao ex-presidente, dentro de uma caixa de celular, no Terminal da Aeronáutica em Brasília-DF, durante a campanha de 2010. Um ex-motorista de Palocci chamado Claudio Souza Gouveia testemunhou o encontro.
"Em São Paulo, recorda-se de episódio de quando levou dinheiro em espécie a Lula dentro de caixa de whisky até o Aeroporto de Congonhas, sendo que no caminho até o local recebeu constantes chamadas telefônicas de Lula cobrando a entrega", diz um trecho da delação.
Segundo Palocci, essa cobrança do ex-presidente a caminho do aeroporto foi presenciada por outro motorista, chamado Carlos Pocente, que inclusive brincou, perguntando se toda aquela cobrança de Lula era apenas pela garrafa de uísque.
Em resposta, Palocci disse que "era óbvio que a insistência de Lula não era por bebida, e sim pelo dinheiro; que o motorista afirmou ao colaborador que estava brincando e que sabia que se tratava de dinheiro em espécie".
G1 procurou a defesa do ex-presidente Lula e aguarda um posicionamento. Em outras ocasiões, a defesa de Lula disse que o ex-presidente nunca cometeu atos ilícitos. O G1 também tenta contato com as defesas de Branislav Kontic, Emilio Odebrecht e Marcelo Odebrecht e com a empreiteira Odebrecht.
O que disseram os motoristas
Dois motoristas que trabalharam com o ex-ministro Palocci também foram ouvidos pela PF como testemunhas, em agosto do ano passado, no inquérito sobre a Usina de Belo Monte.
Claudio Souza Gouveia disse no depoimento prestado à PF que por diversas vezes levou Palocci até o Terminal da Aeronáutica em Brasília para levar a Lula presentes e outros objetos.
Gouveia recordou que, entre os presentes, estavam caixas de uísque, celulares e canetas. Elas eram entregues por Palocci, que voltava minutos depois ao carro. O motorista, no entanto, declarou que nunca soube as caixas continham efetivamente os produtos.
Ele também disse ter visto o ex-ministro carregando grandes quantidades de dinheiro em espécie. Em algumas oportunidades, Palocci teria dito se tratar de documentos, mas fazia um gesto com os dedos que indicavam ser dinheiro.
De acordo com Gouveia, o ex-ministro tinha pressa ao fazer esses deslocamentos.
Já o motorista Carlos Alberto Pocente afirmou se recordar de um episódio, entre aqueles que envolviam dinheiro, no qual Palocci estava com muita pressa para levar uma caixa de uísque até Lula, no Aeroporto de Congonhas (SP).

Partidos políticos receberam R$ 1,7 bilhão do Fundo Eleitoral em 2018

MDB e PT foram as legendas que receberam as maiores parcelas do montante total
Nas eleições de 2018, 34 dos 35 partidos políticos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebram recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), também conhecido como Fundo Eleitoral. Aprovado em 2017 pelo Congresso Nacional, foi a primeira vez que o Fundo foi utilizado em uma eleição no país. Apenas o partido Novo não participou da partilha dos valores, por uma decisão interna da legenda.
O montante total, no valor de R$ 1.716.209.431,00, foi disponibilizado pelo Tesouro Nacional ao TSE em 1º de junho de 2018. O Tribunal repassou os valores às legendas, respeitando as regras de distribuição estabelecidas pela Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições).
Com direito há pouco mais R$ 230 milhões, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) é a sigla que recebeu a maior parte do Fundo. O Partido dos Trabalhadores (PT) ficou em segundo, com R$ 212,2 milhões; e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), em terceiro, com R$ 185,8 milhões.
Também acima da casa dos cem milhões estão o Progressistas (PP), com R$ 131 milhões; o Partido Socialista Brasileiro (PSB), com R$ 118,7 milhões; o Partido da República (PR), com R$ 113,1 milhões; além do Partido Social Democrático (PSD), com R$ 112 milhões. De acordo com a legislação, os recursos não utilizados pelas agremiações para os fins previstos na legislação têm que ser devolvidos ao Tesouro Nacional. 
Critérios de distribuição
Os recursos do FEFC somente são disponibilizados pelo TSE às legendas após a definição dos critérios para a sua distribuição, que devem ser aprovados, em reunião, pela maioria absoluta dos membros dos diretórios nacionais de cada agremiação e, posteriormente, informados ao Tribunal. Tais critérios devem prever a obrigação de aplicação mínima de 30% do total recebido do Fundo para o custeio da campanha eleitoral das candidatas do partido ou da coligação.
Em seguida, os órgãos nacionais das legendas devem encaminhar ofício à Presidência do TSE, indicando os critérios fixados para a distribuição do FEFC. O ofício deve estar acompanhado da ata da reunião que definiu os parâmetros, com reconhecimento de firma em cartório da maioria absoluta dos seus membros, de prova material de ampla divulgação dos critérios de distribuição, e da indicação dos dados bancários da conta corrente aberta exclusivamente para a movimentação dos recursos.
Os procedimentos administrativos para gestão e distribuição do Fundo estão previstos na Resolução-TSE nº 23.568/2018. A tabela com o montante total do FEFC pode ser consultada no Portal do TSE.
De acordo com o assessor de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (Asepa) do TSE, Eron Pessoa, a distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral para os partidos em 2018 ocorreu dentro do esperado. Segundo ele, os diretórios nacionais das legendas cumpriram o requisito definido em lei para acesso aos recursos, apresentando à Corte os critérios de distribuição do FEFC a seus candidatos.
Outrossim, diz Pessoa, a falta de critérios objetivos na lei que tornassem mais claras as regras para distribuição do FEFC dos partidos para seus candidatos foi um dos principais problemas identificados no ano passado. Essa falta de objetividade, destaca ele, dificulta a fiscalização do TSE.
A forma de repartição dos valores para cada sigla segue quatro critérios diferentes. Do montante total, 2%  são divididos igualmente entre todas as legendas registradas no TSE. Outros 35% são divididos entre os partidos quem têm pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, na proporção dos votos obtidos pelos deputados na última eleição. Exatos 48% são repartidos conforme o número de deputados de cada partido na Câmara, e os 15% restantes divididos conforme o número de senadores de cada sigla. 
Fundos Eleitoral e Partidário
O Fundo Eleitoral foi criado pelas Leis nº 13.487/2017 e 13.488/2017, aprovadas pelo Congresso durante a reforma política. Os recursos dele provenientes são utilizados pelos partidos políticos para financiar as campanhas eleitorais de seus candidatos. Com a proibição de doações de pessoas jurídicas estabelecida por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o FEFC tornou-se uma das principais fontes de receita para a realização de campanhas políticas.
Os partidos também contam com outra fonte pública de recursos: o Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, o Fundo Partidário. Os valores dele provenientes são utilizados pelas legendas para custeio de suas atividades ordinárias.
Ele é composto por multas e penalidades em dinheiro aplicadas de acordo com o Código Eleitoral e outras leis vinculadas à legislação eleitoral, e por recursos financeiros que lhes forem destinados por lei, em caráter permanente ou eventual. Também se constitui por doações de pessoas físicas ou jurídicas efetuadas por meio de depósitos bancários diretamente em conta específica destinada a essa finalidade, e por dotações orçamentárias da União em valor nunca inferior, a cada ano, ao número de eleitores inscritos em 31 de dezembro do ano anterior ao da proposta orçamentária, multiplicados por R$ 0,35 (em valores de agosto de 1995).
De acordo com a legislação em vigor, 5% do total do Fundo Partidário são distribuídos, em partes iguais, a todos os partidos que tenham seus estatutos registrados no TSE. Outros 95% do total do fundo são repartidos às legendas na proporção dos votos obtidos por cada uma delas na última eleição geral para a Câmara dos Deputados, respeitados os requisitos de acesso da chamada cláusula de desempenho.
Fonte: http://www.tse.jus.br