#vaiterBRT

*

*

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Solução contra insistência



Petista não passa


#vaiterBRT: Obras continuam com recursos próprios



As obras de implantação do Bus Rapid Transit (BRT) continuam, em suas diversas frentes, principalmente a construção da trincheira no cruzamento entre as avenidas Maria Quitéria e Getúlio Vargas, com recursos próprios do Município. 
O anúncio foi feito pelo prefeito José Ronaldo (Foto: Washington Nery), na tarde desta quinta-feira, 11, durante entrevista coletiva, na Sala de Imprensa Arnold Ferreira da Silva, no Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf).
Ele disse que a Secretaria da Fazenda está levantando sobre a viabilidade financeira para a continuidade das construções das estações de embarque e desembarque de passageiros iniciadas ao longo da avenida Getúlio Vargas, bem como o passeio que está sendo construído no canteiro central da Getúlio Vargas. 
"Existe disposição do governo para isso e queremos agilizar os serviços e reabrir as vias o mais rápido possível, para a população sentir a importância do que estamos fazendo pelo bem-estar a comunidade", afirmou José Ronaldo.
- O Município vai continuar os serviços com recursos próprios, enquanto a Procuradoria Geral do Município prepara a defesa, com agravo de instrumento, visando normalizar os repasses da Caixa Econômica Federal, interrompidos por uma liminar da Justiça Federal, sob alegação de desvio de finalidade declarou o prefeito.
"Tenho muita esperança em que haja uma revisão na decisão judicial. Nós temos o direito e vamos recorrer. Mas enquanto a Justiça não decide, nós vamos continuar as obras", garantiu.
Fonte: Página do Prefeito José Ronaldo no Facebook

Primeiro filme visto em soirée

Audie Murphy e Kieko Shima em "A Rosa Oriente"
Foto: Reprodução
Poster original

A comédia "A Rosa do Oriente" (Joe Butterfly), de Jesse Hibbs, 1957, da Universal, foi o 66º filme visto por mim e o primeiro filme assistido em sessão noturna, no Cine Santanópolis, no final dos anos 50. Contava então com 11 anos.
Audie Murphy, George Nader, Keenan Wynn, Fred Clark, John Agar, Charles McGraw e Kieko Shima estão no elenco. A música é de Henry Mancini. 
Na trama, equipe da revista "Yank" está entre os primeiros americanos em Tóquio após a rendição japonesa, em 1940. Sua missão: produzir uma edição da revista em três dias. 
Como curiosidade, o personagem asiático que titula originalmente o filme Joe Butterfly, é interpretado por um ator americano, Burgess Meredith, o que é estranho atualmente e até considerado ofensivo. 

"Lula está no mato de Atibaia sem cachorro"


Por Reinaldo Azevedo
Vamos lá… Voltando do Carnaval, do balacobaco, do ziriguidum, do telecoleto… dos outros! Uau! Consegui passar quatro dias sem ouvir um único samba-enredo, nem um miserável "Olha aí, minha gente, alô Comunidade de Não-Sei-Onde", acompanhado daquele inevitável desfile de folclorização da pobreza pra deslumbrar intelectual do miolo mole e estrangeiros interessados no nosso remelexo… Também não vi os bloquinhos de São Paulo emporcalhando a cidade, inundando-a de lixo e xixi. "Ah, que coisa mais enfezada…" Eu não!
Quem me conhece sabe que sou irresistivelmente atraído pela felicidade. Só não suporto sujeira, fedor de mijo, música ruim e bêbado chato falando chatices… Não é um pecado, certo? Vamos adiante. Quem não relaxou no Carnaval foi Lula. Não, caros! Tecnicamente, ele ainda não é um investigado. Mas a sua reputação está pior do que a Rua da Consolação depois da passagem do bloco dos sujinhos.
Vamos pôr os pingos nos is. O juiz Sergio Moro nem autorizou nem desautorizou a Polícia Federal a abrir inquérito novo sobre o sítio de Atibaia. E a razão é simples. Não é ele quem faz isso. Como deixou claro no despacho em que tratou do assunto, isso é matéria afeita à Polícia Federal, que tem autonomia para abrir um novo inquérito desde que o Ministério Público Federal concorde.
Então vamos ver. Agora, o tal sítio está sob investigação num inquérito específico, mas noto que ainda se evita falar que Lula é um investigado. E é o caso de perguntar por que tanto cuidado. Que eu saiba, ele não ganhou a inimputabilidade de presente do Espírito Santo.
E quando é que se decide abrir um novo inquérito? Ora, quando há objeto e suspeito próprios, isto é, quando estes não estão devidamente contemplados em inquéritos já existentes. Assim, parece evidente que a Polícia Federal esbarrou em alguma coisa que não tem como ser apurada nas outras frentes de investigação. E elas estão relacionadas àquela propriedade vistosa que Nilo Batista, advogado de Lula, chama um "puxadinho", deixando evidente que os petistas, definitivamente, perderam qualquer senso de modéstia.
Que Lula não tem como se explicar, isso já parece evidente. Ou já teria se explicado. Quando seus amigos tentaram, o resultado foi desastroso. Vejam o caso de Gilberto Carvalho, o segundo homem mais poderoso do PT e faz-tudo do lulismo. Em entrevista à Folha, este gênio da raça tentou demonstrar que a reforma do sítio pode, sim, ter sido um presente de empreiteiras para Lula, mas que não haveria nada de mau nisso.
Carvalho só não explica por que, para presentear o chefão petista, as empresas fariam benfeitorias na suposta propriedade de sócios do filho do hoje ex-presidente - mas ainda presidente quando se operou parte da reforma.
Lula sabe que está no mato de Atibaia sem cachorro. Explicações, quando chegam tarde demais, já não fazem efeito. Se a lei vai ou não puni-lo, isso é o que vamos ver. A população já deu seu veredicto. E, para formar seu juízo, usou o absurdo silêncio de Lula.
Fonte: http://veja.abril.com.br/

"Lula pelo Brasil?"

Por Rosa Magalhães
Criado para divulgar "as viagens e atividades públicas do ex-presidente Lula em tempo real" e "as transformações ocorridas no Brasil nos últimos 12 anos", o perfil oficial @LulapeloBrasil não é atualizado desde fevereiro de 2015.
Coincidentemente, um dos últimos posts "em tempo real" do perfil, que tem mais de 40 mil seguidores, foi o discurso de Lula no aniversário de 35 anos do PT. Na época, Lula saiu em defesa dos petistas acusados na Lava-Jato - inclusive o ex-tesoureiro João Vaccari Neto, preso até hoje - e criticou delatores como o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, que faziam acusações ao partido.
O PT fez 36 anos na segunda-feira, agora com o próprio Lula como alvo de ao menos duas investigações derivadas da Lava-Jato. O ex-presidente gravou um vídeo menos efusivo no apoio, reconhecendo "erros" do partido. A peça só foi divulgada no Facebook do ex-presidente. O perfil Lula pelo Brasil do Twitter permaneceu em silêncio.

Fonte: "Radar On-Line"

"Há 57 operações policiais pendentes de 2015"

Operações policiais no âmbito da Justiça Federal serão retomadas com força, este ano. Fontes ligadas a órgãos investigativos afirmam que 57 operações foram autorizadas em dezembro, antes do recesso de fim de ano. A maior parte das operações pendentes seriam fases de investigações em curso, como Lava Jato, que apura a gatunagem na Petrobras nos governos do PT, e a Zelotes (fraude bilionária no Carf).
Planejamento
As operações ordenadas pela Justiça não foram realizadas porque demandam planejamento e recursos, e não por causa do recesso.
Complexidade
Várias operações da PF são realizadas com policiais deslocados de outros estados, o que as tornam ainda mais complexas e onerosas.
Má vontade
Os cortes orçamentários, decorrentes da crise e de certa má vontade do governo Dilma, tornam ainda mais sérias as dificuldades na PF.
Incansáveis
A PF realizou 331 operações nos 253 dias úteis de 2015 (média de 1,3 por dia). Em 2014, início do auge da Lava Jato, foram 390.

Fonte: Claudio Humberto

"Dedicação total ao fracasso"


Por Percival Puggina

Engana-se quem supõe que o desastre da pedagogia marxista se dá apenas na sala de aula onde estão os alunos mais vulneráveis, aqueles que Paulo Freire chamava "oprimidos" e aos quais dedicou uma pedagogia que os oprime para o resto da vida. O aluno que recebe dos professores, ano após ano, uma carroça cheia de materialismo histórico, dualismos e conflitos em sociedade de classes, sai da escola pronto para coisa alguma - ou para as "lutas sociais". Jamais para ganhar a vida, que isso é coisa de neoliberal. Mas não é somente ali que se prepara o desastre. Idêntico problema se derrama sobre todo o sistema de ensino, transmitindo aos estudantes uma visão de sociedade e de Estado incapaz de estimular o desenvolvimento individual e, consequentemente, o desenvolvimento social e econômico do país.
Os calouros da Faculdade de Serviço Social (SeSo) da Uerj contam-se entre prováveis novas vítimas da pedagogia marxista. O Centro Acadêmico dessa faculdade criou um legítimo trote para os novatos da primeira turma de 2016. A todos foi sugerido (felizmente não é imposto) que suas páginas no Facebook - ora vejam só! - sejam encimadas por uma "capa" onde, ao lado da imagem de Marx, se lê: "Sou calouro do SeSo e não viro à direita".
É razoável presumir que o jovem, feliz por ingressar numa faculdade estatal gratuita, que lhe vai garantir o futuro canudo, receberá essa sugestão como animada declaração de princípios, norma técnica a ser replicada e preservada ao longo do curso. E a tal "capa" proposta para as páginas dos alunos pode ser compreendida como dístico no umbral de um espaço acadêmico em que o marxismo - supõem-se - seja a chave que abre as portas ao conhecimento e à interpretação da realidade.
Não é assim? Pois se não for assim, que reajam com firmeza calouros e demais alunos! Com essas coisas não se brinca. Graças a tais desgraças, tolerâncias e omissões, as políticas sociais do Brasil são de estagnação, de cristalização na miséria, de manutenção do IDH na mesma posição relativa no ranking mundial. Poucos sabem (esse dado, quando divulgado, irritou Lula profundamente) que o governo petista, devidamente "virado à esquerda" como pretendem os acólitos marxistas da SeSo, tem resultados bem piores do que seus antecessores na melhoria do IDH nacional. Eis o que revelou o relatório de 2014 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud):
Entre 2000 e 2013, o crescimento do IDH brasileiro foi de 0,67% ao ano, em média - abaixo da média mundial, de 0,74%. Entre 1990 e 2000, o índice havia sido de 1,1%. Na década anterior, de 1,16%. Desde 2008, o Brasil perdeu quatro posições - não porque teve uma redução no IDH, mas porque outros países cresceram mais rápido: Irã, Azerbaijão, Sri Lanka e Turquia, especificamente. Na América Latina, o país ficou atrás de Argentina, Uruguai, Chile e (pasmem!) Venezuela" (1).
Contra todas as evidências, porém, os seguidores de Marx têm no alemão uma fé que faz inveja aos fieis de qualquer religião. Ela não é do "tamanho de um grão de mostarda", como Jesus dava por mais do que suficiente para produzir milagres, mas do tamanho de uma semente de abacate. Só que não serve para coisa alguma, exceto angariar militantes do atraso.
(1) http://www12.senado.gov.br/emdiscussao/edicoes/pacto-federativo/realidade-brasileira/agenda-social-avancou-mas-desigualdades-persistem

Frente suprapartidária reage com miado à artimanha do ministro Barroso
Não é sempre que um ministro do STF é flagrado em vídeo omitindo algo que conhece, para induzir seus colegas a cometerem um erro de julgamento. Pois isso aconteceu no dia 17 de dezembro, foi gravado em vídeo que já foi assistido por quase 150 mil pessoas (https://youtu.be/y_jK_zNfg6k).
Eis que agora, a adormecida oposição politico-partidária brasileira resolve tomar uma atitude contra esse escândalo que confirmou a condição de "puxadinho do PT" assumida pelo STF. Dita atitude leva a assinatura de quase 300 deputados. Faz o que deve, ou seja, pede o impeachment do ministro? Não, não vamos chegar a esses extremismos, disse o porta-voz do grupo, deputado Osmar Serralho (PMDB). Como a Procuradoria da Câmara já havia interposto recurso à decisão do Supremo, o grupo de parlamentares pró-impeachment simplesmente firmou apoio a esse recurso em documento à Procuradoria daquela casa legislativa. Na prática, escreveram para si mesmos.
O deputado Osmar Serralho, ao falar aos jornalistas, disse: "Nossa inconformidade é porque o Supremo julgou como se não houvesse um dispositivo no Regimento Interno, absolutamente expresso, que foi omitido, lamentavelmente. A gente só quer que cumpra a Constituição. Evidente que isso é um impasse. Há inclusive a possibilidade de representação por crime de responsabilidade. Mas nós não queremos chegar a esse extremismo - acrescentou o deputado peemedebista".
Não vão mesmo. Metade da casa tem apêndice caudal preso entre as pilhas de processos que se empoeiram nos arquivos do STF.
Brasileiros viúvos de Cristina choram por ti, Argentina
Transcrevo pequeno trecho de um "necrológico" maior, publicado em site brasileiro (1) sobre os primeiros movimentos do governo Macri na Argentina. A leitura é muito instrutiva sobre essa disfunção mental que leva os esquerdistas a virarem a realidade pelo avesso como se fosse um par de meias.

"O eleitorado argentino deu um prêmio quase inesperado à direita mundial, os capitais internacionais, os banqueiros, as transnacionais e, muito em particular, aos Estados Unidos. Mas, em menos de 30 dias já suspeita que deu um tiro no pé. A república macrista fantástica que se prometia em Clarinlândia era mentira, como a maioria do que vende Clarín, e vendeu gato por lebre. Macri está destruindo a Argentina para dentro do país, e para fora, entregando-a de mão beijada. A democracia presente na Argentina é atingida de forma violenta e ícones e símbolos da malha social e pensante do país sofrem a perseguição diária, simbólica e prática, por parte desta espécie de “ditadura democrática” que encarnam Macri e sua equipe. Não se salva ninguém, nem sequer o Parlamento, nada. A buldozzer macrista não descansa.
A soberania monetária foi atingida na linha de largada. A moeda argentina foi desvalorizada com relação ao dólar um 40%. O passo imediato foi atingir a Lei de Meios que durante mais de 20 anos o povo argentino procurou com debates setoriais e populares ao longo do país. Um agrado especial ao CEO do Grupo Clarín, Héctor Magnetto, capo da campanha de toda e qualquer direita argentina, especialmente das ditatoriais. O seguinte foi uma agressão não muito bem explicada à Sede da Rádio das Mães de Praça de Maio, com apedrejamento e agressão a um funcionário da emissora. Dias depois foram liberados da prisão cinco militares da repressão. Depois veio o anúncio da demissão em massa de 2.035 trabalhadores do Senado argentino e, a repressão social, a proibição de trabalhar aos médicos formados em Cuba, e um ar de ameaças de clausura contra o Centro Cultural Néstor Kirchner além de demissões de 85% dos trabalhadores. Essas são as ações na linha de largada imputáveis a este governo antipopular e conservador que votaram os argentinos."
O autor do texto acima tem todo o direito de chorar a derrota da esquerda e de se lamuriar diante das medidas tomadas por Macri (nem todas as alinhadas pelo jornalista são decorrentes de ordens expedidas pelo novo governo). No entanto, o que se observa é que ele critica o governo por seus méritos, convencido de que o contribuinte argentino tinha deveres idênticos aos que o PT impôs aos pagadores de impostos no Brasil: custear servidores públicos desnecessários, pagar ao governo cubano um overhead de 80% por seus médicos de meia receita e sustentar os "símbolos da malha social pensante do país" instalados em estruturas onerosas para fazerem, ali, a militância política da esquerda e do partido do governo.
Obviamente, porém, não é pela Argentina que choram os viúvos brasileiros da Era K.. O que lhes arranca suspiros e gemidos é o que vêm no próprio horizonte com os estertores do lulopetismo em nosso país.
(1) Desacato.info (Raul Fitipaldi)
http://puggina.org
Fonte: "Mídia Sem Máscara"


Charge de Sponholz



quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard


Período até 17 de fevereiro 

LANÇAMENTOS NACIONAIS

DEADPOOL (Deadpool), de Tim Miller, 2015. Com Ryan Reynolds, Morena Baccarin, Gina Carono e T. J. Miller. Thriller de ação. Depois de ser submetido a um desonesto experimento que o deixa com poderes de cura acelerada, o ex-agente das Forças Especiais Wade Wilson adota o alter ego de Deadpool e se torna mercenário. Armado com suas novas habilidades e um senso de humor negro e distorcido, ele persegue o homem que quase destruiu sua vida. Não recomendável para menores de 16 anos. Duração: 107 minutos. Horários: 14h20, 16h40 e 19 horas, com cópia dublada, e 21h30, com cópia legendada. Sala 1 (240 lugares).

UM SUBURBANO SORTUDO, de Roberto Santucci e Marcelo Antunez, 2015. Com Rodrigo Sant'Anna, Carol Castro, Stepan Nercessian e Claudia Alencar. Comédia. Denilson é um simples camelô do subúrbio, mas sua vida muda quando seu até então desconhecido pai biológico morre, deixando para ele toda o seu legado milionário. Junto com a fortuna, porém, ele herda a família insatisfeita e endividada do falecido, que fará de tudo para colocar as mãos na herança. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 110 minutos. Horários: 14h10, 16H30, 18h50 e 21h10. Sala 3 (165 lugares).
CONTINUAÇÕES
O REGRESSO (The Revenant), de Alejandro González Iñarritu, 2015. Com Leonardo DiCaprio e Tom Hardy. Aventura dramática. Em uma expedição pelo desconhecido deserto americano, o lendário explorador Hugh Glass é atacado por um urso e deixado como morto pelos membros de sua própria equipe de caça. Em luta pela sobrevivência, ele resiste à dor inimaginável, bem como à traição de seu confidente. Guiado pela força de vontade e pelo amor de sua família, Glass deve navegar um inverno brutal em uma incessante busca por sobrevivência e redenção. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 16 anos. Duração: 156 minutos. Horários: 17h20, com cópia dublada, e 20h30, com cópia legendada. Sala 2 (158 lugares).
SNOOPY & CHARLIE BROWN: PEANUTS: O FILME (The Peanuts Movie), de Steve Martino, 2015. Animação. Snoopy embarca em sua maior missão, quando alcança o céu atrás de seu arqui-inimigo, o Barão Vermelho, enquanto seu melhor amigo, Charlie Brown, inicia a sua própria missão. Em quinta semana. Classificação livre. Duração: 88 minutos. Horário: 15h20. Sala 2.
OS DEZ MANDAMENTOS – O FILME,de Alexandre Avancini, 2016. Com Guilherme Winter, Sergio Marone, Camila Rodrigues, Petrônio Gontijo, Gisele Itié e Vera Zimmermann. Drama.A saga de Moisés, desde seu nascimento até a chegada de seu povo à Terra Prometida, passando pela fuga do Egito através do Mar Vermelho e o encontro com Deus no Monte Sinai. Em terceira semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 120 minutos. Horários: 13h30, 16 horas, 18h30 e 21 horas. Sala 4 (261 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cinemas Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

"É só explicar"

Por J. R. Guzzo
O que poderia ser mais fácil para o ex-presidente Lula do que explicar ao público e às autoridades da Justiça Penal brasileira, acima e além de qualquer dúvida, as histórias desse apartamento triplex no Guarujá e desse sítio em Atibaia, ambos em São Paulo, que tantas dores de cabeça lhe têm dado? Se não há nada de errado com os dois negócios, ou pelo menos nada que possa ser descrito como francamente ilegal, bastariam quinze minutos para deixar tudo muito bem justificado. Qual o problema? Não se trata de álgebra avançada. São casos bem simples, que qualquer cidadão pode entender perfeitamente, sem nenhuma necessidade de chamar advogado ou ficar nervoso. Ou os imóveis são dele, ou não são; ou foram reformados com seu próprio dinheiro, ou alguém pagou o serviço em seu lugar. De um jeito ou do outro, tudo pode estar correto. Lula tem recursos de origem boa para comprar e reformar propriedades; também tem o direito de usar propriedades pertencentes a outras pessoas e beneficiar-se de melhorias que os proprietários fizeram nelas. Houve a ajuda de empreiteiras de obras públicas num e noutro caso, mas e daí? Elas já lhe pagaram 27 milhões de reais entre 2011 e 2014 para fazer palestras, e Lula diz que se orgulha disso. Então: é só dizer direitinho, afinal, o que está acontecendo. Nada mais simples para um homem que acaba de jurar que não existe nenhuma "alma viva" mais honesta do que ele entre os 200 milhões de habitantes deste país.
Mas Lula não diz nem uma palavra sobre os fatos. Se está assim tão convencido de que tudo é mentira, por que não disse nada até agora? Só começou a falar porque será oficialmente investigado - e quando falou foi para vir com esse prodigioso despropósito sobre a honestidade das almas brasileiras, uma das declarações mais infelizes que já fez em seus trinta e tantos anos de vida política. Logo numa hora dessas? É estranho: Lula parece estar perdendo contato com os talentos políticos que lhe são atribuídos. Onde andaria hoje a sua tão celebrada maestria como tático? Vai saber. O fato é que, insistindo o tempo todo na recusa a dar qualquer explicação sobre qualquer coisa que faz, Lula constrói sobre sua própria cabeça, por conta própria e sem a ajuda de ninguém, uma nuvem de suspeitas que parece o cogumelo atômico de Hiroshima. Só consegue se defender atacando os outros - "a mídia", como sempre, ou "a oposição", que foi incapaz de dizer uma única sílaba sobre essa história até agora. É um esforço inútil. Ninguém vai acreditar que foi a imprensa que construiu o Edifício Solaris ou reconstruiu o sítio de Atibaia. Lula só faz um número cada vez maior de gente perguntar: "Mas o que ele está escondendo?". Se não tem nada a esconder, é um péssimo negócio.
É verdade que, pensando um pouco melhor, seriam necessários outros quinze minutos para explicar como um dos seus filhos conseguiu vender em 2005 à empreiteira Andrade Gutierrez, por 5 milhões de reais, parte das ações de uma empresa de games que nunca foi a lugar nenhum. Desde o primeiro minuto, essa história, que jazia havia onze anos no arquivo morto e agora sai da tumba, pareceu esquisitíssima. A troco de que a segunda maior empreiteira do Brasil iria dar esse monte de dinheiro ao primeiro-filho para se tornar sócia minoritária de um fracasso? Lula, na ocasião, disse que o rapaz era "o Ronaldinho dos negócios", e que a Andrade Gutierrez estava fazendo uma compra espetacular - o que talvez tenha feito mesmo, quando se considera que acabou beneficiada depois com uma mudança de lei decretada pelo presidente. A explicação era quase um deboche, mas fazer o quê? Aqueles eram tempos dourados para a impunidade da classe AAA-plus. Mais um bloco de quinze minutos precisaria ser dedicado aos empréstimos do primeiro-amigo José Carlos Bumlai, hoje residente no xadrez da Polícia Federal de Curitiba, outro teria de esclarecer o pagamento de 2,5 milhões de reais feito ao segundo-filho por uma empresa de lobby, e por aí se vai. Mas, por maior que seja a soma final de tempo requerida para as explicações, sempre é melhor do que ficar fazendo cara de bravo e deixar que cresça à sua volta um monumento à desconfiança.
O que há de definitivamente certo nisso tudo é, em primeiro lugar, uma intimidade extraordinária entre o ex-presidente e grandes empreiteiras - todas elas metidas até o fundo da alma com a corrupção, como comprovado pelas confissões e condenações da Operação Lava-Jato. Em segundo lugar, é a evidência de que Lula não se conforma, de jeito nenhum, em ser um brasileiro como os demais.

Fonte: Revista "Veja"

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Brasileira Morena Baccarin em "Deadpool"

A atriz Morena Baccarin interpreta o principal papel feminino do filme de ação "Deadpool", que tem lançamento nacional na quinta-feira, 11, no Orient Cinemas Boulevard. Ela é brasileira e aos sete anos se mudou para Nova York. Nasceu no Rio de Janeiro em 2 de junho de 1979. É filha da atriz Vera Setta (dos filmes "Ipanema Toda Nua", "O Vamprio de Copacabana", "Se Segura. Malandro", "A Noiva da Cidade" e "O Mágico e o Delegado") e do jornalista Fernando Baccarin. Nunca atuou em filme brasileiro. Morena Baccarin faz o papel de Vanessa Carlysle/Copycat, uma garota de programa que se apaixona por Wade Wilson/Deadpool.
Morena Silva de Vaz Setta Baccarin é o seu nome de batismo.
Além de atuar em filmes é conhecida por atuar na televisão. Ela interpreta a
doutora Leslie Thompkins na série "Gotham".
Sua estreia foi em 2001 como uma modelo no filme "Perfume". Apareceu  no filme de ação "A Luta Pelo Amanhã" (Serenity), de Joss Whedon, em 2005. Mais recentemente, no ano passado, esteve no filme "A Espiã Que Sabia de Menos".

Trailer de "Deadpool"



Assista
Trailer de "Deadpool", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 11, no Orient Cinemas Boulevard

Trailer de "Um Suburbano Sortudo"



Assista
Trailer de "Um Suburbano Sortudo", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 11, no Orient Cinemas Boulevard

Thriller com atriz brasileira no elenco



Ryan Reynolds em "Deadpool"
Foto: Divulgação
Baseado no anti-herói não convencional da Marvel Comics, "Deadpool", de Tim Miller, é a principal novidade pós-Carnaval no Orient Cinemas Boulevard, a partir desta quinta-feira, 11, em lançamento nacional.
Conta a história da origem do ex-agente das Forças Especiais que se tornou o mercenário Wade Wilson. Depois de ser submetido a um desonesto experimento que o deixa com poderes de cura acelerada, ele adota o alter ego de Deadpool. Armado com novas habilidades e um senso de humor negro e distorcido, ele persegue o homem que quase destruiu sua vida.
O thriller de ficção-científica tem ação e aventura. Por conter cenas de sexo e nudez, o filme não é recomendado para menores de 16 anos. Nascida no Rio de Janeiro, mas sem ter atuado no Brasil, a atriz Morena Baccarin está no filme. Em “X-Men Origens: Wolverine”, de 2009, o personagem aparece, interpretado pelo mesmo Ryan Reynolds.

Outra novidade é a comédia - está mais para comediota - brasileira "Um Suburbano Sortudo", de Roberto Santucci e Marcelo Antunez, com Rodrigo Sant'Anna e Carol Castro (Foto: Divulgação), mais Stepan Nercessian e Claudia Alencar
O thriller dramático "O Regresso" (The Revenant), de Alejandro González Iñarritu, com 12 indicações ao Oscar da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Leonardo DiCaprio), Melhor Ator Coadjuvante (Tom Hardy), entra em segunda semana. Continua com cópia legendada na última sessão. O filme ganhou o Globo de Ouro nas categorias de Filme, Diretor e Ator.
 Em terceira semana, "Os Dez Mandamentos - O Filme", que continua atraindo grande público para a maior do Multiplex, com 261 lugares. O filme conta a épica e emocionante saga de Moisés, que cobre mais de 100 anos de história e adapta livremente quatro livros da Bíblia - Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.
Outra continuação é "Snoopy & Charlie Brown: Peanuts: O Filme", que chega à quinta semana

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

"Carnaval: bebedices, orgias, ocultismo, celebração à deuses"



No "Bloggraner":
O Carnaval, esta festa que arrebata multidões para as ruas, promove desfiles suntuosos, comilança, excessos em geral e também muita violência, liberalidade sexual etc. Ao estudarmos a origem do Carnaval, vemos que ele foi uma festa instituída para que as pessoas pudessem se esbaldar com comidas e festa antes que chegasse o momento de consagração e jejum que precede a Páscoa, a Quaresma. 
Veja o que a "The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997 nos diz a respeito:
"O Carnaval é uma celebração que combina desfiles, enfeites, festas folclóricas e comilança que é comumente mantido nos países católicos durante a semana que precede a Quaresma. Carnaval, provavelmente vem da palavra latina carnelevarium (eliminação da carne), tipicamente começa cedo no ano novo, geralmente no Epifânio, 6 de janeiro, e termina em fevereiro com a Mardi Gras na terça-feira da penitência (Shrove Tuesday)". ("The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997, traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade).
Em contrapartida vemos que isso era apenas um pretexto para que os romanos e gregos continuassem com suas comemorações pagãs, apenas com outro nome, já que a Igreja Católica era quem ditava as ordens na época e não era nada ortodoxo se manter uma comemoração pagã em meio a um mundo que se dizia cristão.
"Provavelmente originário dos ritos da fertilidade da primavera pagã, o primeiro carnaval que se tem origem foi na Festa de Osiris no Egito, o evento que marca o recuo das águas do Nilo. Os carnavais alcançaram o pico de distúrbio, desordem, excesso, orgia e desperdício, junto com a bacchanalia romana e a saturnalia. Durante a Idade Média a Igreja tentou controlar as comemorações. Papas algumas vezes serviam de patronos, então os piores excessos eram gradualmente eliminados e o Carnaval era assimilado como o último festival antes da ascensão da Quaresma. A tradição do Carnaval ainda é comemorada na Bélgica, Itália, França e Alemanha. No hemisfério ocidental, o principal carnaval acontece no Rio de Janeiro, Brasil (desde 1840) e a Mardi Gras em New Orleans, EUA (dede 1857). Pré-cristãos medievais e carnavais modernos tem um papel temático importante. Eles celebram a morte do inverno e a celebração do renascimento da natureza, ultimamente reunimos o individual ao espiritual e aos códigos sociais da cultura. Ritos antigos de fertilidade, com eles sacrifícios aos deuses, exemplificam esse encontro, assim como fazem os jogos penitenciais cristãos. Por outro lado, o Carnaval permite paródias, e separação temporária de constrangimentos sociais e religiosos. Por exemplo, escravos são iguais aos seus mestres durante a saturnália romana; a festa medieval dos idiotas inclui uma missa blasfemiosa; e durante o Carnaval fantasias sexuais e tabus sociais são, algumas vezes, temporariamente suspensos" ("The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997, traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade).
A Enciclopédia Grolier exemplifica muito bem o que é, na verdade, o Carnaval. Uma festa pagã que os católicos tentaram mascarar para parecer com uma festa cristã, assim como fizeram com o Natal. Os romanos adoravam comemorar com orgias, bebedices e glutonaria. A cacchalia era a festa em homenagem a Baco, deus do vinho e da orgia, na Grécia, havia um deus muitíssimo semelhante a Baco, seu nome era Dionísio, da mitologia grega Dionísio era o deus do vinho e das orgias. Veja o que "The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997 diz a respeito da Bacchanalia, ou Bacanal, Baco e Dionísio e sobre o festival dionisiano:
"O bacanal ou bacchanalia era o festival romano que celebrava os três dias de cada ano em honra a Baco, deus do vinho. Bebedices e orgias sexuais e outros excessos caracterizavam essa comemoração, o que ocasionou sua proibição em 186 dC" ("The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997. Traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade).
Essa descrição da bacchanalia encaixa como uma luva em Carnaval
"Da mitologia romana, Baco era o deus do vinho e da orgia. O filho de Semele e Júpiter, Baco era conhecido pelos gregos como Dionísio. Sua esposa era Ariadne".
"Dionísio era o antigo deus grego da fertilidade, danças ritualísticas e misticismo. Ele também supostamente inventou o vinho e também foi considerado o patrono da poesia, música e do drama. Na lenda órfica Dionísio era o filho de Zeus e Persephone; em outras lendas, de Zeus e Semele. Entre os 12 deuses do Monte Olimpo ele era retratado como um bonito jovem muitas vezes conduzido numa carruagem puxada por leopardos. Vestido com roupas de festa e segurando na mão uma taça e um bastão. Ele era geralmente acompanhado pela sua querida e atendido por Pan, Satyrs e Maenades. Ariadne, era seu único amor".
"O festival dionisiano era muitas vezes orgíaco, adoradores algumas vezes superavam com êxtase e entusiasmo ou fervor religioso. O tema central dessa adoração era chamado Sparagmos: deixar de lado a vida animal, a comida dessa carne, e a bebida desse sangue. Jogos também faziam parte desse festival" ("The Grolier Multimedia Encyclopedia", 1997, traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade).
O festival dionisiano então, não parece ser a mesma coisa que a bacchanalia e o Carnaval?
Nós, os cristãos, não devemos concordar de modo algum com essa comemoração pagã, que na verdade é em homenagem a um falso deus, patrono da orgia, da bebedice e dos excessos, na verdade um demônio. Pense nisso.
Fonte: Irlan de Alvarenga Cidade
http://www.busca01.com/carnaval-estudo-biblico.php

domingo, 7 de fevereiro de 2016

"Uma nação sob juízo"


Confira a carta que está sendo lida em reuniões da Igreja Batista da Lagoinha, de Belo Horizonte-MG, inclusive pelo presidente da denominação, pastor Márcio Valadão:

Nós estamos, claramente, passando por um tempo de juízo no Brasil.
A derrocada da nossa economia, a violência crescente, as catástrofes naturais sem precedentes, as pragas manifestadas por epidemias e doenças que há pouco tempo nem se conhecia e tantas outras realidades que afetam tragicamente a vida  dos brasileiros hoje, não são apenas uma infeliz coincidência. Deus está açoitando uma nação que não reconheceu o tempo da sua visitação e desprezou a graça que lhe tem sido oferecida.
Que o Espírito foi derramado sobre o Brasil, ninguém pode negar. Nas últimas décadas vimos muitas manifestações do seu agir, produzindo movimentos sobrenaturais e abrindo portas amplas à pregação do evangelho. Profetas e mais profetas se levantaram aqui e vieram de outras nações para soprar fôlego de vida sobre nossa nação. O que fizemos, porém, com tudo isso?
O Brasil dos quarenta milhões de evangélicos de hoje é mais podre e mais corrupto do que o de ontem, que tinha menos crentes. Estamos vendo as entranhas da nossa classe política e empresarial sendo expostas com sua vergonha pela justiça, mas isso é só uma tênue amostra do que, de fato, é a ética e a moral do nosso povo. Sim, do nosso povo, pois a desonestidade indecente não é marca apenas dos políticos, mas de grande parte de nossa população, incluindo, pobres e ricos, cultos e indoutos, descrentes e evangélicos!
Infelizmente, professar a fé em Jesus não denota mais o compromisso de andar como Ele andou. Eu gostaria de dizer outra coisa, mas minha percepção profética não permite. Nossos próximos anos não serão fáceis. De uma forma geral, as coisas vão piorar. Não falo apenas de economia (pois para isso, não é necessário ser profeta), mas de tragédias que abalarão as estruturas da nossa nação. Guardem o que estou dizendo. Povos de outras línguas comerão o nosso pão e rirão do nosso luto. Falo em nome do Senhor!
Uma leitura de Jeremias 5 pode nos ajudar a enxergar o Brasil de hoje como Deus enxerga. Recebi esse texto de uma jovem, durante um tempo de oração, e entendi perfeitamente o recado de Deus. Sua vara fustigará os nossos lombos. Até quando? Até que sejamos quebrantados, como nação.
Historicamente, quando Deus envia juízo, Ele encontra um remanescente que o busque e que aplaque a sua ira. Que façamos parte disso! Permanecer fiéis não nos livrará completamente das dores da disciplina, mas nos dará a força que precisamos para resistir e a oportunidade para sermos testemunho e voz profética no meio do caos.
Temos que nos arrepender! O altar tem sido profanado nesta nação e a oferta do Senhor, desprezada. Se é verdade que milhões e milhões lotam os templos, é verdade também que uma grande parte aí está servindo a Mamon, cultivando sua velha ganância, buscando o brilho da prata, só que agora "em nome de Jesus".
Pior, isso inclui uma parte considerável da classe pastoral. Temos que nos arrepender da feitiçaria, não somente daquela que é feita nos terreiros e encruzilhadas, mas da que é praticada nos altares evangélicos. Chega a ser absurda a supersticiosidade e o sincretismo maligno fomentados por uma legião enorme de falsos mestres e falsos profetas, que se multiplicam como ratos. A venda de objetos e rituais com supostos poderes miraculosos mistura o comércio com o engodo na Casa de Deus. 
Outro dia, assisti a um vídeo em que pastores de uma das maiores denominações do Brasil desciam a uma mina de ouro para buscar a "água da prosperidade", para ser distribuída (ou vendida) aos fiéis que, certamente, ávidos pelo apelo das riquezas mundanas, nem se dariam ao trabalho de julgar o desvio teológico e de perceber o ridículo a que seriam induzidos.
Uma liderança "cristã" que ilude seu povo com águas da prosperidade, rosas sagradas e lascas da cruz não é melhor que os pais de santo, que fazem o mesmo em seus terreiros. Na verdade, é pior... E que diferença há entre um esotérico que confia no seu patuá e um crente que, em vez de colocar sua fé em Jesus, recebe um "amuleto gospel" do seu pastor e o pendura em casa, como fonte de proteção? Nenhuma!
Temos que nos arrepender da idolatria, não só da que se pratica em procissões e templos consagrados a entidades mortas, supostos "santos", que têm boca, mas não podem falar.
Há também idolatria às personalidades humanas nas igrejas protestantes, com líderes e artistas sendo alçados pelo povo à categoria de "semi-deuses", acima do bem e do mal, muitos deles com um testemunho tão sujo que não mereceriam admiração nem nos antros do mundo.
Como Deus não visitaria com juízo uma nação que, tendo sido apresentada ao evangelho, segue expondo sua imoralidade a céu aberto, nos carnavais e marchas gays da vida?
Nossos governos erotizam crianças em escolas públicas, com materiais pornográficos e nossas leis dizem "bem-vindo" ao homossexualismo e toda forma de perversão sexual.
Mas será que esse espírito não está livre para atuar também nas casas das famílias brasileiras e em muitos espaços da própria igreja? Pornografia, adultério, pedofilia, prostituição e pederastia não mancham também os altares?
O que dizer dos pastores e personalidades "gospel" que estão no segundo ou terceiro casamento, sem argumentos bíblicos que lhes desse tal direito; ou dos que usam o seu feitiço travestido de "unção" para seduzir ovelhas aos matadouros da imoralidade?
Não estou falando de uma nação ignorante. O evangelho foi apresentado ao Brasil. Muitos dos que afrontam a santidade de Deus, ou estão na igreja, ou passaram por ela e decidiram voltar ao chiqueiro do mundo. A maioria absoluta já, ao menos, ouviu a Palavra ou teve oportunidade de fazê-lo e não quis. Portanto, somos indesculpáveis. Se Jesus proclamou juízo sobre a cidade onde viveu, dizendo: "Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje"; se Ele chorou sobre Jerusalém, lamentando o fato de que seus filhos seriam entregues à espada, já que ela não reconheceu o tempo da sua visitação (conf. Lucas 19.41-44), porque seríamos nós poupados, tendo desdenhado tanto da Verdade, como nação?
Obviamente, no meio de tudo isso há um povo fiel, um remanescente que teme ao Senhor e respeita a sua Palavra. Como nos dias de Elias, enquanto Israel era fustigado com a seca e a fome, sete mil joelhos recusavam curvar-se diante de Baal; como no cativeiro babilônico Deus encontrou Daniel, Ananias, Mizael e Azarias, entre outros, para manter a honra do altar, há muitos crentes e igrejas hoje que, remando contra a maré, permanecem na Verdade. Que nos esforcemos para fazer parte desse remanescente, pois é dele que pode brotar de novo a misericórdia.
Os próximos anos não serão fáceis, fique você avisado disso. A vara de Deus sobre os lombos do Brasil já começou a arder e será pesada. Não é mero castigo, mas a disciplina de um Pai que quer essa nação de volta. Ele é justo em fazê-lo, não questione. Apenas disponha-se a ser um argumento que aplaque a sua ira, a permanecer como uma testemunha fiel no meio das trevas, a chamar pessoas para viverem o verdadeiro evangelho e a interceder, como legítimo sacerdote, para que a justiça e a genuína fé cristã possam, de fato, voltar a prosperar.
Não me entenda mal, eu lhe peço. Eu não sou um irresponsável, unindo-me a Satanás para acusar a igreja. Sou parte dela. Eu a amo! Sinto vergonha dos seus pecados, porque eles são meus também. Quero me unir ao Espírito e gemer por ela. Quero ser um argumento para que a esperança e a fé verdadeira, comprometida com a Palavra, não se apaguem de vez nesta nação. Ao contrário, que se multipliquem, até que possamos virar esse jogo e ver o Senhor recolhendo a vara da punição.
Por favor, junte-se a mim nesta busca! Os próximos anos não serão fáceis para nós, mas há um caminho: "Se o meu povo, que por mim se chama, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então Eu o ouvirei do céu, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra" (2 Crônicas 7.14).
No arrependimento e na fidelidade está a nossa esperança.
Danilo Figueira

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Estratégia oportuna com trailers



Nas sessões de "Os Dez Mandamentos – O Filme", no Orient Cinemas Boulevard, a exibição de trailers de cinco filmes apropriados para a visão de cristãos, principalmente.
Tem a animação "Êpa! Cadê Noé?", que entra em cartaz depois do Carnaval; "Deuses do Egito", com Gerard Butler e Abbey Lee, programado para o dia 24 de fevereiro; "Ressurreição", com Joseph Fiennes (Foto: Divulgação) e Maria Botto, para o dia 17 de março; "O Jovem Messias", com Sean Bean e Adam Greaves-Neal; e "Deus Não Está Morto 2", com Robin Givens e Hayley Orrantia, com lançamento no dia 7 de abril.

Charge de Sponholz






"Os Dois Caminhos"

Clique na imagem para ampliar
Certa vez, parando para tomar café da manhã em Ibotirama, às margens do rio São Francisco, a visão na parede do restaurante da gravura "Os Dois Caminhos", de autor desconhecido. Sabe-se que ela evoluiu a partir de uma primeira versão, impressa em Londres, no governo da rainha Vitória, em 1856, intitulada "The Two Ways of Life".
A gravura é de uma versão que mede 42 cm x 54 cm, introduzida no Brasil no século XIX por missionários ingleses e norte-americanos. Foi distribuído pela Casa Editora Presbiteriana, de São Paulo. dos anos 40 e 50.
A gravura ensina, biblicamente, sobre o caminho da salvação e o caminho da perdição. O caminho da salvação não tem atrativos que seduzem e nada que mexa com os prazeres. Por isso poucos andam no caminho estreito enquanto a maioria vai pelo caminho largo. 
Mas o final do quadro mostra a bem-aventurança daqueles que optam por Deus, enquanto revela a desgraça dos que o rejeitaram no caminho da existência.

Seis filmes noir para visão




Neste período de Carnaval, vou aproveitar para ver os seis filmes do Volume 4 da coleção "Film Noir".
DISCO 1
"Rififi" (Du Rififi Chez Les Hommes), de Jules Dassin, 1955. Com Jean Servais, Carl Möhner e Robert Manuel. Em Paris, quatro homens planejam um assalto tecnicamente perfeito, mas algo sai errado. Com a sequência de roubo mais famosa da história do cinema, "Rififi" é um magnífico filme noir realizado por Dassin no exílio.
"Por Amor Também Se Mata" (He Ran All the Way), de John Berry, 1951. Com John Garfield, Shelley Winters e Wallace Ford.  Após um assalto mal sucedido, criminoso mantém uma família como refém. Com direção de John Berry e roteiro de Dalton Trumbo, duas vítimas do Macarthismo, este tenso filme noir foi o último trabalho do astro John Garfield. 
DISCO 2"Corpo e Alma" (Body and Soul), de Robert Rossen, 1947. Com John Garfield, Lilli Palmer e Hazel Brooks. A trajetória de um boxeador pobre seduzido pelo submundo do crime. Realista e com forte comentário social, este é um dos grandes filmes de boxe do cinema e a maior influência de "Touro Indomável", de Martin Scorsese.
"A Força do Mal" (Force of Evil), de Abraham Polonsky, 1948. Com John Garfield, Thomas Gomez e Beatrice Pearson. As trapaças de um inescrupuloso advogado no submundo do jogo. Dirigido magistralmente por Abraham Polonsky, outra vítima da histeria anticomunista, este é um dos mais emblemáticos e geniais filmes noir de todos os tempos. 
DISCO 3
"Redenção Sangrenta" (The Breaking Point), de Michael Curtiz, 1950. Com John Garfield, Patricia Neal e Phyllis Thaxter.  Endividado, capitão de um barco se envolve com o crime. Baseado no conto de Ernest Hemingway filmado antes de "Uma Aventura na Martinica", este soberbo filme noir tem um dos finais mais impactantes do gênero.
"Homens em Fúria" (Odds Against Tomorrow), de Robert Wise, 1959. Com Robert Ryan, Harry Belafonte e Gloria Grahame. Dois homens são contratados para um golpe, mas o racismo de um deles pode pôr tudo a perder. Adorado pelo mestre francês Jean-Pierre Melville, esse é um eletrizante filme de assalto na tradição de "O Segredo das Joias".

Fonte: 2001 Vídeo

35º BI na operação "Força Amiga"

A Seção de Comunicação Social do 35º Batalhão de Infantaria enviando comunicação sobre campanha de utilidade pública de ações voltadas para o combate ao mosquito  Aedes Aegypti, envolvendo militares do Exército Brasileiro/35º BI e a Secretaria de Saúde de Feira de Santana.
Diz o texto da nota: "Vários estados brasileiros apresentam um quadro endêmico de doenças que têm o mosquito Aedes Aegypti como seu principal vetor, destacando-se entre elas a dengue, a febre chikungunya e a zica.
O ano de 2015 foi caracterizado pelo aumento de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e, neste sentido, a região Nordeste vem apresentando um aumento considerável dos casos de recém-nascidos com microcefalia, moléstia associada ao vírus zika, sendo assim, a presidente da República determinou o emprego das Forças Armadas, em apoio às Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, na promoção de ações sociais de combate ao mosquito Aedes Aegypti em todo território nacional.
Por meio de diretriz ministerial, o Ministério da Defesa, através do Comando do Exército Brasileiro, empregará seu efetivo militar, para que em coordenação com os órgãos dos Ministérios da Saúde e de Integração Social, promova ações de sensibilização e conscientização da população quanto à gravidade do problema e seu grau de responsabilidade na questão do enfrentamento ao aedes aegypti.
Neste sentido, em parceria com a Secretaria de Saúde de Feira de Santana e seus agentes de saúde, o 35º Batalhão de Infantaria realizará neste sábado, 13, um trabalho de conscientização, esclarecimento e motivação da população feirense, com visitação a residências e estabelecimentos comerciais, quanto aos procedimentos para evitar focos do mosquito, por meio de panfletos educativos para enfrentamento do mosquito Aedes Aegypti.
No período de segunda-feira, 15, a quinta-feira, 18, serão realizadas ações de vistoria de residências e colocação de larvicida para a erradicação de focos de proliferação do mosquito nas áreas urbanas de Feira de Santana".
A nota é assinada pelo comandante do 35º Batalhão de Infantaria, tenente-coronel Claudio Eduardo Bouças.
(Com informações da Seção de Comunicação Social do 35º BI)