À venda nas bancas e livrarias

À venda nas bancas e livrarias

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

"Dilma só tem uma saída honrada e honrosa: anunciar a privatização da Petrobras depois da desratização. Mas não fará isso, é claro! Enterrará a estatal e o país"



Por Reinaldo Azevedo
Dilma Rousseff poderia fazer um bem imenso ao Brasil e à Petrobras. Mas ela não vai. Já chego lá.
A estatal é um retrato do Brasil sob a era petista: gigante, depauperada, sucateada, com futuro incerto. Imaginem o que aconteceria se, nas campanhas eleitorais de 2006, 2010 e até 2014, um candidato do PSDB dissesse isto: "A Petrobras precisa redefinir o seu tamanho". João Santana, aquele marqueteiro que só fala a verdade, iria para a TV acusar os tucanos de tentar privatizar a empresa. Pois foi o que falou nesta quinta, em teleconferência com analistas, a presidente da estatal, Graça Foster. Foi além: a gigante cambaleante terá de reduzir seus investimentos em exploração e refino ao mínimo necessário. Trata-se de uma medida preventiva para assegurar o caixa da empresa.
Como é que essa decisão se casa com a obrigação que tem a Petrobras de ser parceira da exploração do pré-sal? Ora, não se casa. Lembram-se daquela cascata da dupla Lula-Dilma em 2010, segundo a qual o óleo lá das profundezas era um bilhete premiado? Isso ficou para trás. O mais impressionante é que, no discurso proferido antes da reunião ministerial de terça-feira, a soberana mandou brasa: "Temos de apostar num modelo de partilha para o pré-sal, temos de dar continuidade à vitoriosa política de conteúdo local." Nesta quinta, na prática, Graça estava dizendo que a fala da sua chefe é pura cascata.
Graça foi além. A Petrobras, que já estuda não pagar dividendos a seus acionistas, resolveu congelar as obras de Abreu e Lima, em Pernambuco, e da Comperj, no Rio - ambas com suspeitas de superfaturamento e no epicentro da roubalheira perpetrada pela quadrilha que comandou os destinos da empresa por mais de 10 anos.
A Petrobras está no chão. Em dois dias, suas ações caíram praticamente 15%, consequência da patuscada protagonizada pela empresa, que divulgou um balanço de mentira. Na quarta-feira, a companhia destacou em seu balanço empreendimentos superavaliados em R$ 88,6 bilhões. Diante do número, Dilma fez aquilo que mais sabe fazer: ficou furiosa. Ela não suporta a conspiração dos fatos.
Então ficamos assim: aquela que já foi a maior empresa brasileira tem ativos superestimados em R$ 88,6 bilhões; já calcula em R$ 4 bilhões só o montante da roubalheira; pensa em não pagar dividendos; divulga um balanço não auditado; congela obras em andamento; reduz à sua expressão mínima a exploração e o refino de petróleo, suas principais áreas de atuação, e sua presidente diz que a apuração das falcatruas pode durar muitos anos.
E Dilma? Ah, Dilma Rousseff poderia fazer com que a empresa, que hoje deve valer pouco mais de R$ 100 bilhões na Bolsa, volte a valer quase R$ 400 bilhões. Bastaria ir à televisão e anunciar: "Assim que sanarmos as contas, vamos privatizar a Petrobras". As ações subiriam de modo vertiginoso e contínuo. É certo que alguns vagabundos e larápios tentariam organizar alguns protestos… A população, cansada de ser roubada e de pagar a gasolina mais cara do mundo, certamente aplaudiria. Antes que as antas se levantem: todas as riquezas do subsolo brasileiro pertencem à União, pouco importa quem as explore.
Mas Dilma não vai fazer isso. O PT está decidido a enterrar o Brasil e a Petrobras, dois gigantes cambaleantes. 
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Não existe viagem aérea de graça

No voo inaugural da Azul Linhas Aéreas entre Campinas (Aeroporto Internacional de Viracopos) e Feira de Santana (Aeroporto João Durval), que ocorre na próxima segunda feira, 2 de fevereiro,  os participantes convidados vão bancar o custo da passagem, com desconto oferecido pela companhia aérea. 
É a informação que se tem.

"Brasil à beira do apagão: Furnas e Três Marias caminham para a paralisação"



Por Reinaldo Azevedo
É claro que o Brasil está à beira do apagão, que pode ser chamado, eufemisticamente, de "racionalização de energia". Aliás, caso o ministro Eduardo Braga decidisse pôr em prática o que ele mesmo anunciou, medidas de contenção de consumo teriam de ser postas em prática já. Por quê? Segundo ele disse, se os reservatórios das usinas chegassem a 10%, seria preciso deflagrar a operação. Chegaram. Nesta quarta-feira, informa o Estadão, a Hidrelétrica Três Marias, no rio São Francisco, chegou a 10,34%, e Furnas, no rio Grande (MG), a 9,87%. Atenção! A capacidade de geração da primeira usina é de 396 megawatts (MW). Com apenas uma das seis turbinas em funcionamento, está gerando menos de um décimo: 36 MW. Furnas, com capacidade de 1.216 MW, ainda tem em operação 6 das 8 turbinas, mas a expectativa é a de que vá haver redução.
Por que a situação é ainda mais dramática do que parece? Porque esse é o período chuvoso. Para comparar: em janeiro do ano passado, informa o Estadão, Três Marias contava com 28% de sua capacidade; chegou a outubro com 2,89%; Furnas tinha 47% e chegou a 11,64% em novembro. Caso não chova muito acima de qualquer expectativa, as duas usinas caminham para a paralisação.
O mais impressionante é que, até agora, por motivos meramente políticos, o governo federal se nega a fazer o óbvio: uma campanha nacional em favor da economia de energia. E a única responsável por mais essa decisão equivocada é Dilma Rousseff, a mesma que decidiu baixar na marra a tarifa de energia e antecipar as concessões do setor elétrico, o que, na prática, quebrou a área, que teve de ser socorrido com empréstimos bilionários.
Nesta quinta, o ministro Eduardo Braga afirmou que o governo negocia com um grupo de bancos o alongamento do pagamento da dívida das distribuidoras, que é de R$ 17,8 bilhões. Quer elevar o prazo de 24 para 48 meses.
Impressionante, não é? Petróleo e energia elétrica eram as duas áreas sob os cuidados de Dilma, aquela supergerontona, lembram-se? Ela ganhou as eleições de 2010 com essa conversa. E teve seu mandato renovado em 2014. A Petrobras está na pindaíba, e o Brasil à beira do apagão. Não é um amador qualquer que produz uma obra desse vulto. É preciso ser muito incompetente.
Fonte: “Blog Reinaldo Azevedo

Datas diferentes pelo Dia do Jornalista

Sete de abril é a data oficial ao Dia Nacional do Jornalista, em homenagem a João Batista Líbero Badaró.
A imprensa brasileira completa 207 anos em 2015. Esta data se deve ao trabalho e dedicação de todos os jornalistas, que merecem ser reconhecidos.
Mas para homenagear os profissionais da imprensa, pesquisa feita sobre a data aponta outros dias como Dia do jornalista: 24 de janeiro, 29 de janeiro, 16 de fevereiro, 3 de maio e 1º de junho.
Em consulta a fontes diferenciadas e ao livro "História da Imprensa no Brasil", de Nelson Werneck Sodré sobre a formação da imprensa no Brasil, diversos acontecimentos ligados a todas as datas foram citados:
24 de janeiro - Data do padroeiro da profissão, São Francisco de Sales (bispo e doutor da Igreja Católica) para homenagear os profissionais do jornalismo.
29 de janeiro - A data é, de longe, mais citada nos calendários comemorativos brasileiros mas, ao mesmo tempo, a que menos tem referências à sua criação. As informações vão desde uma homenagem ao jornalista e abolicionista José do Patrocínio (que teria falecido, nesta data, em 1905) até sendo uma data exclusivamente católica.
16 de fevereiro - Dia do Repórter. Ao contrário do que o senso comum, repórter não é sinônimo de jornalista. A função de repórter é apenas mais uma das que os jornalistas podem exercer.
7 de abril - A data foi instituída pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em homenagem a João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista, que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, em 22 de novembro de 1830. O movimento popular gerado por sua morte levou à abdicação de D. Pedro I, no dia 7 de abril de 1831. Um século depois, em 1931, em homenagem a esse acontecimento, o 7 de abril foi instituído como o Dia do Jornalista.
3 de maio - Pode ser considerado o Dia do Jornalista por ser a data da Liberdade de Imprensa, decretada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1993.
1 de junho - Dia da Imprensa que durante 192 anos foi comemorado, erroneamente, em 10 de setembro (atribuía-se à 'Gazeta do Rio de Janeiro', jornal oficial do Império, ser o primeiro jornal brasileiro). No Brasil, a Imprensa surgiu em 1808, quando passou a circular, em 1º de junho, o "Correio Braziliense", editado em Londres por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça.

Do Hotel onde fiquei hospedado em Abu Dhabi

Celebrate Valentine's this year with one of our romantic packages across several Rotana properties!
Whether you wish to relax at the poolside, indulge yourself with a couples spa treatment or enjoy acandelit dinner for 2, we have everything to suit your every desire this Valentine's.
To learn more about the packages and to book, please visit rotanatimes.com.
Rotana Hotel Management Corporation PJSC.
PO Box 43500 Abu Dhabi UAE | T: 800 7744 | W: http://www.rotana.com 

Deu em Claudio Humberto


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Cabine de Imprensa de "Selma - Uma Luta Pela Igualdade"


Na quarta-feira, 4 de fevereiro, às 10h30, na Sala 5 do UCI Orient Shopping Barra, Cabine de Imprensa de "Selma - Uma Luta pela Igualdade (Selma)", de Ava DuVernay.
O filme narra a luta histórica de Martin Luther King Jr. para garantir o direito ao voto para os afro-americanos – uma campanha perigosa e apavorante que culminou na épica marcha de Selma a Montgomery, no Alabama, que galvanizou a opinião pública americana e persuadiu o presidente Lyndon Johnson a apresentar a Lei do Direito ao Voto de 1965.
Neste 2015, o 50º aniversário deste momento crucial do Movimento dos Direitos Civis."
(Com informações de Gláucia Zachariadhes,Atendimento Disney, de Selma Santos Produções e Eventos)

Adelmario Coelho lança promoção para fãs



Para comemorar o sucesso do lançamento da nova música de trabalho, Adelmario Coelho lança a promoção "Amor à Primeira Vista" em parceria com a Belle Mundi Turismo, sua agência oficial. 
Para participar, os fãs precisam relatar como aconteceu uma história de amor à primeira vista e enviar uma foto com seu par para o email promocao@adelmariocoelho.com.br
As melhores histórias serão publicadas na página oficial do artista no Facebook e aquela que tiver a maior interação (curtidas - comentários - compartilhamentos) ganhará uma noite romântica com jantar e hospedagem no Hotel Mercure, em Salvador. 
O resultado do casal vencedor será divulgado no dia 5 de março. Para maiores informações, o regulamento da promoção já está disponível no Facebook do artista.
(Com informações de Lorena Santos, da Assessoria de Comunicação)

Entrevista na TV Olhos d'Água




Na tarde desta quinta-feira, 29, fui entrevistado pelo jornalista em formação Isaac dos Santos para a TV Olhos d'Água, emissora da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). O cinegrafista Eduardo Vasconcelos captou as imagens.
Cinema foi o tema de toda a entrevista. Questões sobre gosto pela sétima arte, mercado, salas de exibição, realização de filmes, Olney São Paulo, José Umberto, Tuna Espinheira, Juraci Dórea, memória do cinema em Feira de Santana, estiveram em pauta. Também falei sobre o livro "cinema demais".
A entrevista deve ir ao ar em meados de fevereiro

Balanço do cinema em janeiro



Oito filmes foram exibidos - cinco deles estão ainda em exibição - neste primeiro mês do ano em Feira de Santana, no Orient Cinemas Boulevard. Dos cinco filmes em cartaz, um foi lançado no dia 25 de dezembro de 2014: "Êxodo: Deuses e Reis".
Os demais filmes em exibição são: "Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba", lançado no dia 1º; "Loucas Para Casar", lançado no dia 8; "Os Pingüins de Madagascar", que entrou no dia 15; e "Busca Implacável 3" (Foto: Divulgação), que teve estreia no dia 22.
"O Hobit: A Batalha dos Cinco Reinos" permaneceu até o dia 7, tendo sido lançado em 11 de dezembro. Os outros filmes exibidos foram: "Operação Big Hero" e "Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel", também lançados no dia de Natal e que permaneceram em tela até o dia 21 passado.
FORA DO CIRCUITO
Neste primeiro mês do ano, já foram lançados vários filmes que ainda não chegaram em Feira de Santana, exemplos de "Invencível" e "Depois da Chuva" (dia 15), "Foxcatcher: Uma História Que Chocou o Mundo" e "O Grande Hotel Budapeste" (dia 22).
Nesta quinta-feira, 29, novos filmes entram em cartaz no país, menos em Feira. São: "A Entrevista", "A Teoria de Tudo", "Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância", "Caminhos da Floresta", "Cássia Eller" e "Grandes Olhos"

Deu em Claudio Humberto


Licitação para publicação de atos oficiais

Tendo como objeto a contratação de empresa especializada para gerenciar publicações de atos oficiais em jornais - editais, avisos, extratos de contratos, citações e demais atos  do Governo Municipal, a Prefeitura de Feira de Santana realiza licitação - Pregão Presencial – tipo Menor Preço, no dia 6 de fevereiro.
Edital está publicado na edição desta quinta-feira, 29, do jornal "A Tarde". 

Deu em Claudio Humberto


Atriz Vanja Orrico, que morreu ontem, filmou em Feira de Santana

As fotos com Vanja Orrico (de costas) foram feitas nas locações em Feira de Santana
Acervo: Carlos Brito

Morreu na quarta-feira, 28, no Rio de Janeiro, aos 85 anos, a atriz, cantora e cineasta Vanja Orico. Ela será sepultada na tarde desta quinta-feira, 29, no Cemitério São João Batista.
Vanja Orrico se projetou no cenário em 1953 ao interpretar a música "Mulher Rendeira", no filme "O Cangaceiro", de Lima Barreto. Foi consagrada como a musa do "Ciclo do Cangaço", pela sua participação em filmes como "Lampião, O Rei do Cangaço", "Cangaceiros de Lampião" e "Jesuíno Brilhante, o Cangaceiro".
A atriz carioca participou de mais de 20 filmes e foi a única brasileira a atuar com o cineasta italiano Federico Fellini , em 1950, no filme "Mulheres e Luzes" (Luci del Varietá), logo em sua estréia no cinema, como Moema, cantora brasileira.
Há 60 anos, em 1955, a atriz Vanja Orrico esteve em Feira de Santana.  Aqui, ela foi a protagonista de "Ana", episódio brasileiro do filme alemão "Rosa dos Ventos" (Die Windrose), com direção de Alex Viany. Em preto e branco, o curta tem duração de 25 minutos. Lembrar que a realização desse filme é que motivou o jovem Olney São Paulo a fazer definitivamente cinema, inclusive no texto trecho de carta de Olney para Alex Viany.
Os outros episódios do longa-metragem internacional são dirigidos por Yannick Bellon, Serguei Gerassimov, Gillo Pontecorvo e Wu Kuo Yin. O projeto foi coordenado por Joris Ivens, para as companhias produtoras Defa (Alemanha Oriental) e Companhia Cinematográfica Maristela (Brasil).
"Ana" tem argumento de Jorge Amado, roteiro de Trigueirinho Neto e Alberto Cavalcanti; fotografia de Chick Fowle; montagem de José Cañizares. Além de Feira de Santana, locações em Monte Santo, Cocorobó e Canudos; narração de Helene Weigel.
O filme tematiza a migração de retirantes nordestinos e a exploração a que eles estão sujeitos. Além de Vanja Orrico, o elenco é composto por Aurélio Teixeira, Miguel Torres, Marlene França (descoberta na feira livre), Aracy Cardoso, Valdo César e grupo de quarenta retirantes sitiados em Feira de Santana.
Os outros filmes de Vanja Orrico, que dirigiu "O Segredo da Rosa":
1987 Ele, o Boto 
1 974 Leão do Norte 
1962 Os Mendigos 
Fonte: IMDb

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard

Período de 29 de janeiro a 4 de fevereiro
CONTINUAÇÕES
BUSCA IMPLACÁVEL 3 (Taken 3), de Olivier Megaton, 2014. Com Liam Neeson, Famke Janssen, Forest Whitaker e Maggie Grace. Ação.  O ex-agente do governo norte-americano Bryan Mills tenta tornar-se um homem família, mas vê tudo ruir quando Lenore é assassinada. Acusado de ter cometido o crime, ele entra na mira da polícia de Los Angeles. Desolado e caçado, ele tenta encontrar os verdadeiros culpados e proteger a única coisa que lhe resta: a filha Kim. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 104 minutos. Horários: 14h10, 16h30, 18h50 e 21h10. Sala 4 (264 lugares).
OS PINGUINS DE MADAGASCAR (The Penguins of Madagascar), de Simon J. Smith. 2014. Animação. Os pinguins Capitão, Kowalski, Rico e Recruta compõem uma tropa de elite entre os animais. Eles juntam forças com uma agência de espiões, a Vento do Norte, para impedir que o vilão, Dr. Otavius Brine, consiga dominar o mundo. Em terceira semana. Classificação: Livre. Duração: 93 minutos. Horários: 14 horas, 16h10, 18h20 e 20h30. Sala 1 (243 lugares).
UMA NOITE NO MUSEU 3: O SEGREDO DA TUMBA (Night at the Museum: Secret of the Tomb), de Shawn Levy, 2014. Com Ben Stiller, Robin Williams e Ben Kingsley. Comédia. O segurança Larry Daley segue com seu inusitado trabalho no Museu de História Natural de Nova York. Ele descobre que a peça que faz os objetos do museu ganharem vida está danificada. Com isso, todos dos amigos dele correm o risco de não ganharem mais vida. Em quinta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 97 minutos. Horários: 13h30 e 15h40. Sala 2 (160 lugares).
ÊXODO: DEUSES E REIS (Exodus: Gods and Kings), de Ridley Scott, 2014. Com Christian Bale, Joel Edgerton e Ben Kingsley.Épico. A vida do profeta Moisés, nascido na época em que o faraó Seti ordenava que todos os homens hebreus fossem afogados. Ele é resgatado pela irmã do faraó e criado na família real. Quando se torna adulto, recebe ordens de Deus para liberar os hebreus da opressão. No caminho, ele deve enfrentar a travessia do deserto e passar pelo Mar Vermelho. Em sexta semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 149 minutos. Horários: 17h50 e 20h50. Sala 2.
LOUCAS PARA CASAR,de Roberto Santucci, 2014. Com Ingrid Guimarães, Tatá Werneck, Suzana Pires e Márcio Garcia. Comédia. Malu tem 40 anos e trabalha como secretária de Samuel, o homem de sua vida. Apesar de estarem namorando há três anos, não há o menor indício de que um pedido de casamento esteja por vir. Ela descobre que há mais duas mulheres na vida dele: uma dançarina de boate e uma  religiosa. Em quarta semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 108 minutos. Horários: 13h50, 16h20, 18h40 e 21 horas. Sala 3 (167 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cinemas Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

"Ação nos EUA cita Odebrecht e Graça Foster"

Ação civil coletiva (class action suit) é movida na Justiça de Nova York contra a Petrobras por acionistas nos Estados Unidos, e pode fazer a estatal e seus executivos pagarem indenização. De acordo com a ação judicial movida pelo escritório de advocacia americano Wolf Popper, à qual esta coluna teve acesso, o esquema de roubalheira do Petrolão foi abastecido por tipos como a presidente Graça Foster e o ex Sérgio Gabrielli, para beneficiar fornecedores como a empreiteira Odebrecht.
Papéis sujos
Além de indenização por dano material, a ação coletiva pede reparação por "dano moral": agora, pega mal ser portador de ações da Petrobras.
Crimes financeiros
A ação acusa a Petrobras de emitir relatórios falsos e seus executivos de "maquiar" fatos e resultados financeiros para esconder a corrupção.
Devassa financeira 
Entre os pedidos da ação está investigação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA em todos os relatórios emitidos pela Petrobras.
Multa bilionária 
A ação coletiva pode ter milhares de autores, já que a Petrobras vendeu 768 milhões de ações na Bolsa americana entre 2010 e 2014.

Fonte: Claudio Humberto 

Lembrando "Timbuktu"

No Oscar 2015, o filme "Timbuktu", do diretor africano (da Mauritânia) Abdherrahmane Sissako, concorre na categoria de Melhor Produção Estrangeira. Trata sobre a ocupação em 20912 por militantes muçulmanos extremistas da cidade história, no Mali.
Lembrar do filme de ação "Timbuktu", de Jacques Tourneur, realizado em 1959 - foi exibido no Cine Madrid, no início dos anos 60, em Feira de Santana. Na trama, em 1940, Mike Conway (Victor Mature) é um traficante de armas americano com o apoio de um coronel da Legião Estrangeira (George Dolenz), que liberta um chefe religioso muçulmano (Leonard Mudie), prisioneiro de um emir (John Dehner), por ser o único capaz de restabelecer a paz entre as tribos de tuaregues. No tempo, a França caía sob o domínio dos alemães. Mike ainda tem tempo de se envolver com a mulher (Yvonne de Carlo) do coronel. 
Estou recebendo exemplar em DVD para a necessária visão.

"Dilma relê 'O Poema de Sete Faces' e faz o Discurso de Duas Caras. Ou: Piorando Goebbels, o que parecia impossível"

Por Reinaldo Azevedo
Consta que as relações entre a presidente Dilma Rousseff e o marqueteiro João Santana já viveram dias melhores. Não sei qual a razão da rusga. Mas cabe à presidente não ser ingrata. Santana deu a melhor embalagem que podia a uma formidável coleção de imposturas. A combinação desse profissional sem dúvida competente com o partido poderia ser esta: "Eu contarei as mentiras de vocês de um modo que parecerão verdades inquestionáveis". E deu certo para eles. E deu errado para o país. Dilma obteve o segundo mandato.
A Desaparecida do Cerrado voltou a dar as caras nesta terça na maior reunião ministerial do mundo, realizada na Granja do Torto. Proibiu a presença de assessores dos ministros. Faz sentido. Ou teria de fazer o encontro no estádio Mané Garrincha. Parafraseio o "Poema de Sete Faces", de Drummond, para a presidente de duas caras:
"Pra que tanto ministro, meu Deus?, pergunta o meu coração.
O homem atrás do bigode
é o Mercadante"
Abro este texto falando de João Santana. E volto a ele. Dilma deu uma recomendação clara a seus ministros no discurso (íntegra aqui) que abriu a reunião, prestem atenção:
"Nós devemos enfrentar o desconhecimento, a desinformação sempre e permanentemente. Vou repetir: sempre e permanentemente. Nós não podemos permitir que a falsa versão se crie e se alastre. Reajam aos boatos, travem a batalha da comunicação, levem a posição do governo à opinião pública, a posição do ministério. Sejam claros, sejam precisos, se façam entender. Nós não podemos deixar dúvidas."
Para uma turma viciada em marquetagem, tudo se resolve mesmo numa batalha de comunicação. Entendo. Houve certa feita um senhor que cravou uma frase realmente notável: "Um bom governo sem propaganda dificilmente se sai melhor do que uma boa propaganda sem um bom governo. Um tem que complementar o outro." Seu nome era Goebbels. O discurso a que me refiro está aqui.
A presidente que não quer que a falsa versão se alastre afirmou o seguinte:
"As medidas que estamos tomando e que tomaremos, elas vão consolidar e ampliar um projeto vitorioso nas urnas por quatro eleições consecutivas e que estão, essas medidas, ajudando a transformar o Brasil. Como disse na cerimônia de posse, as mudanças que o país espera, que o país precisa para os próximos quatro anos dependem muito da estabilidade e da credibilidade da economia. Nós precisamos garantir a solidez dos nossos indicadores econômicos."
Que "projeto" venceu nas urnas? O da elevação de tarifas, o dos juros altos, o da mudança do seguro desemprego, o da recessão? Já escrevi, reitero e não vou desistir de lembrar: a petista acusava seus adversários de ter essas intenções. Afirmar que o que está em curso é congruente com o que prometeu em campanha chega a ser ofensivo. A menos que passemos a adotar a perspectiva do presente eterno, conformados em ter o PT como nosso guia. Assim, ficaria definido que o partido estará sempre no governo e que tudo o que fizer concorre para o bem porque, afinal, busca fortalecer o… próprio partido. Os petistas resolveram, para nosso espanto, piorar Gobbels: "Precisamos é de uma boa propaganda, não de um bom governo".
A presidente que quer "enfrentar o desconhecimento e a desinformação" atribui as dificuldades do país a "dois choques": o externo e o interno. O primeiro seria marcado pelo crescimento menor da China e pela estagnação de Europa e Japão, associados à queda de preço das commodities. Poderia me alongar, mas serei breve: ela teria de explicar por que a maioria dos países da América Latina, para ficar por aqui, cresce mais do que o Brasil. Nas terras nativas, ela vê um choque de alimentos derivado do regime de chuvas, que também traz impactos na água e na energia. E pronto.
A líder que pede que se faça a guerra de propaganda apresenta um diagnóstico que 10 entre 10 pessoas que já venceram o "desconhecimento e a desinformação" - que lhe deram o segundo mandato, note-se - sabem ser falso.
Leiam a íntegra do discurso. Há muitas outras tolices, mas destaco mais uma. Referindo-se ao escândalo do petrolão, afirmou:
"Temos que continuar apostando na melhoria da governança da Petrobras, aliás, de todas as empresas privadas e das empresas públicas em especial. Temos de apostar num modelo de partilha para o pré-sal, temos de dar continuidade à vitoriosa política de conteúdo local. Temos que continuar acreditando na mais brasileira das empresas, a Petrobras. (…) E queria dizer para vocês que punir, que ser capaz de combater a corrupção não significa, não pode significar a destruição de empresas privadas também. As empresas têm de ser preservadas, as pessoas que foram culpadas é que têm que ser punidas, não as empresas."
Trata-se de uma mentira assentada sobre bobagens. A mentira: ninguém está perseguindo empresas, mas criminosos. A bobagem (também falaciosa): a política de conteúdo nacional não é vitoriosa. Ao contrário: ela está se revelando desastrosa. A própria Dilma está querendo enfiar R$ 10 bilhões de dinheiro público no setor naval.
Para encerrar: Dilma resolveu refazer as promessas de 2011: "Lançaremos um Programa de Desburocratização e Simplificação das Ações de Governo. Já iniciamos também a definição de uma nova carteira de investimentos em infraestrutura. Nós vamos ampliar tanto as concessões como as autorizações de infraestrutura ao setor privado. Vamos continuar com as concessões de rodovias, com as autorizações e concessões em portos e ampliar as concessões de aeroportos. Realizaremos concessões em outras áreas, como hidrovias e dragagem de portos".
Ou por outra: se fizer o que diz que vai fazer, estará cumprindo em oito anos o que prometeu fazer em quatro. Os tempos que vêm por aí não serão nada fáceis.

Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

25 de Março desfila e se apresenta no dia de seu 147º aniversário

A Sociedade Filarmônica 25 de Março vai desfilar na noite de seu 147º aniversário, partindo da sua sede, na rua Conselheiro Franco até a avenida Senhor dos Passos, em frente ao Colégio Padre Ovídio. A 25 de Março na mesma noite participa do IV Festival de Filarmônica Princesa do Sertão, no Teatro Frei Felix de Pacatuba, no Centro Comunitário Ederval Fernandes Falcão, nas Baraúnas. O Festival vai até quinta-feira, 26 de março.
A tradicional instituição continua seu processo de resgate, voltando às atividades, como informa Carlos Brito, atual presidente.
A Sociedade Filarmônica 25 de Março foi fundada em 1868 - está quase sesquicentenária -, com o objetivo cultural de desenvolver a arte da música ao nível do Teatro e Escola de Piano. Foi cinco anos depois da primeira a ser criada na Bahia, a Sociedade Filarmônica Erato Nazarena, fundada em 1863.
A Filarmônica se apresentará inclusive com mais de 20 alunos, com idades entre oito e 14 anos, da Escola de Música Maestro Estevam Moura, mantida pela 25 de Março, sob a regência do professor Antonio Carlos Batista Neves Júnior, o Tony Neves, feirense e integrante da Filarmônica da Universidade Federal da Bahia (Ufba),  responsável pela formação de músicos.

Deu em Claudio Humberto


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Orient Cinemas Boulevard inicia reforma

Nenhum lançamento - nem nacional nem mundial - no Orient Cinemas Boulevard, a partir desta quinta-feira, 29, quinta semana do ano. 
Não tem filme novo na tela, mas tem uma grande novidade, que é o início da reforma do complexo Multiplex do Boulevard Shopping, no seu 14º ano. 
Pintura, manutenção do piso, revestimento, colocação de novas poltronas, estão entre os melhoramentos. É provável que o projeto inicial de oito salas seja retomado. Os serviços estão sendo feitos depois das sessões - na madrugada e pela manhã.
Enquanto isso, continuam os mesmos programas em cartaz nas quatro salas. Em segunda semana, o thriller "Busca Implacável 3", de Olivier Megaton, com Liam Neeson.

A animação "Os Pinguins de Madagascar" entra em terceira semana. Também continuam a comédia brasileira "Loucas Para Casar", de Roberto Santucci, em quarta semana; a comédia americana "Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba", em quinta semana, mais "Êxodo: Deuses e Reis", em sexta semana.

Atores e atrizes mortos em 2014

Conhecidos: Mary Anderson, Jacques Bergerac, Sid Caesar, Ruby Dee, Mona Freeman (Foto: Reprodução), James Garner, Bob Hoskins, Martha Hyer, Russell Johnson, Beverly Long, Paul Mazursky, James Rebhorn, Mickey Rooney, Maximilian Schell, Philip Seymour Hoffman, Shirley Temple, Efrem Zimbalist Jr., Ralph Waite, Eli Wallach,
Desconhecidos: Alex Angulo, Luis Avalos, Ann B. Davis, Martin Bergmann, Mary Grace Canfield, Leslie Carlson, Ann Carter, Lee Chamberlin, Hal Douglas, Tony Genaro, Bob Hastings, Roger Hill, Herb Jeffries, Christopher Jones, Veronica Lazar, Joan Lorring, Casey Kazem, Sam Kelly, Nancy Malone, Hanna Maron, Francis Matthews, Ric Mayall, Skye McCole Bartusiak, Barbara Murray, Kate O’Mara, Alicia Rhett, Terry Richards, Karl Schanzer, Mashach Taylor, Pauline Wagner, Ma Wu.

"Revoada" na 18ª Mostra de Cinema Tiradentes



Na manhã de domingo, 25, na 18ª Mostra de Cinema Tiradentes, dois debates do Encontro da Crítica, Diretor e Público. Na mesa sobre "Revoada", filme baiano de José Umberto Dias (Foto: Facebook), a crítica e pesquisadora Maria do Rosário Caetano contextualizou o longa-metragem dentro da produção brasileira ambientado no cangaço.
"A estrutura dos filmes, desde 'O Cangaceiro', de Lima Barreto, em 1950, se dá no embate entre o líder que quebra as regras e um integrante do bando que tenta retomar a tradição e reconstruir os valores. No caso de 'Revoada', a estrutura é outra, de maior liberdade e poesia", disse Maria do Rosário.
O autor José Umberto Dias contou ter se inspirado na estética barroca "do excesso" para sua visão muito particular da saga de Corisco e Dadá entre o final dos anos 1930 e começo dos anos 40. "É um filme antropofágico", resumiu o cineasta.
"Revoada" foi exibido com plateia lotada no sábado, 24, na "Mostra Autorais".

Jairo na Sudic

Não. Não se trata do feirense Jairo Carneiro. Jairo Vaz toma posse na próxima quinta-feira, 29, às 9 horas,  como diretor-presidente da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial do Estado da Bahia (Sudic), nomeado pelo  governador Rui Costa.

"O velho e desgastado discurso do PT"

Por Ricardo Noblat
Um dia desses, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) disse a propósito do seu partido: "Ou o PT muda ou se acaba".
Para que mude deverá renova seu discurso que é mais ou menos o mesmo desde que Lula se elegeu presidente pela primeira vez.
Um bom exemplo do discurso velho, gasto e nada convincente saiu da boca do ex-ministro Gilberto Carvalho durante reunião com 150 militantes do PT em Brasília, anteontem.
Para defender o ex-ministro José Dirceu, citado na Operação Lava-Jato que investiga a roubalheira da Petrobras, Gilberto apelou para a vitimização do partido, anotou a repórter Fernanda Krakovics.
Disse a certa altura:
- Eles [a oposição] querem nos levar para as barras dos tribunais. O envolvimento do Zé (Dirceu) agora de novo é tudo na mesma perspectiva. E a leitura que se impõe diariamente na cabeça do nosso povo é essa de que a corrupção nasce conosco e por isso não temos condição de continuar governando o país.
Manobra antiga e viciada, essa de se exibir como vítima. Sem dizer exatamente de quem. Do mundo todo ou quase todo. A capacidade de imaginação de Gilberto o a avançar:
- Tem uma central de inteligência disposta a fazer o ataque definitivo ao Partido dos Trabalhadores e a nosso projeto popular. Não vamos subestimar a capacidade deles para nos criminalizar, nos identificar com o roubo, para nos chamar de ladrão, para tentar impingir em nós uma separação definitiva em relação à classe média, para tentar nos isolar e inviabilizar em 2018 a candidatura do Lula, seja politicamente, seja judicialmente.
Que central de inteligência é essa? Montada aonde? Manejada por quem? Por que é tão fácil ligar o PT a escândalos? Por que os brasileiros são uns tolos dispostos a acreditar em qualquer coisa? Ou por que o PT oferece razões de sobra para isso?
Falar em candidatura de Lula para 2018 é a melhor maneira de reconhecer que o PT não dispõe de outro nome para suceder Dilma. E não dispõe mesmo. Que partido é esse, há 12 anos no poder, destinado a ficar mais quatro, e tão carente de líderes?
Gilberto justificou as duras medidas fiscais adotadas por Dilma mal o seu segundo governo começou Mas passou longe do motivo que a levou a adotá-las - os erros cometidos pela presidente na condução da política econômica do seu primeiro governo.
Também não enfrentou a irritação dos petistas com as medidas fiscais. Eles discordam delas, até aí nada demais. Ocorre que eles também acreditaram na palavra de Dilma quando ela disse que tais medidas seriam dispensáveis. Dilma mentiu.
Por fim, Gilberto valeu-se do truque ao gosto dos seus companheiros de considerar eventuais derrotas do PT como derrotas dos mais pobres, quando elas são simplesmente derrotas do PT. E por vezes merecidas.
- Se a gente baixar a cabeça, se a gente se acadelar, tiver medo deles, eles vão passar por cima de nós, eles vão provocar uma derrota não ao partido, mas aos mais pobres, aos excluídos.
Estou por ver em apuros outro partido que tenha sido vitorioso há tão pouco tempo. Vitória amarga do jeito que foi.

Fonte: "Blog do Noblat"

"Parecer de presidente do TC causa estupefação"



O presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz, provocou estupefação dos colegas ao ignorar o art. 39 do regimento interno, que veda atuação de ministros em processos "de interesse próprio, de cônjuge, de parente consanguíneo" etc. Estranho despacho dele, de 29 de dezembro, tenta reverter decisões do TCU, como bloqueio de bens, no caso da compra superfaturada da refinaria de Pasadena (EUA), que é objeto da operação Lava Jato. Seu filho Tiago é citado na Lava Jato.
Intermediação
Tiago Cedraz também é acusado de intermediar outro negócio suspeito: a venda da refinaria da Petrobras em San Lorenzo, Argentina.
Filho não é parente
Para o TCU, filho não é parente. Por sua assessoria, o TCU alega que o despacho de Cedraz não fere as vedações do art. 39 do regimento.
Pegando leve
Em seu parecer, Cedraz se diz contra a decisão que responsabiliza diretores e ex-diretores da Petrobras pela negociata de Pasadena.
Ruidoso silêncio
O ministro corregedor Raimundo Carrero mantém ruidoso silêncio sobre o comportamento de Aroldo Cedraz na presidência do TCU.
Fonte: Cláudio Humberto