Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Segunda semana no Orient Cineplace Boulevard

Segunda semana no Orient Cineplace Boulevard
13 - 15h40 - 18h30 (Dub) - 21h20 (Leg) no Orient Cineplace Boulevard

sábado, 24 de fevereiro de 2018

"Vítima de atentado na ditadura ainda luta por reparos"


O desembargador Fábio Prieto, do TRF-3, pediu vista do processo em que Orlando Lovecchio Filho, vítima de ato terrorista em 1968, luta por indenização. Ele tinha 22 anos e passava pelo Consulado dos Estados Unidos em São Paulo, na Avenida Paulista, quando explodiram uma bomba. Ele escapou por milagre, mas perdeu parte da perna e viu destruído o sonho de ser piloto. A Comissão de Anistia premiou o autor do terrorismo com pensão vitalícia, mas negou o benefício a Orlando.
Ato de cinismo
A Comissão de Anistia encontrou um pretexto para negar pensão a Orlando Lovecchio Filho: exigiu dele prova de "militância de esquerda".
Insensibilidade
A Comissão considerou o atentado terrorista "acidente" e considerou que a vítima "embrenhou-se por vias erradas" ao pedir reparação.
Crime imprescritível
 Orlando recorreu no TRF-3 após o STJ considerar imprescritíveis os tempos de chumbo. O desembargador Fábio Prieto pediu vistas.
Fonte: Cláudio Humberto


sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

"Aniquilação", um filme NetFlix


Assista ao trailer
Nathalie Portman em "Aniquilação"



A Netflix, canal de streaming, divulgando o trailer legendado, pôster e a data de estreia: 12 de março, do filme "Aniquilação" (Annihilation), de Alex Garland.
Baseado no livro homônimo de Jeff VanderMeer, "Aniquilação" é uma ficção-científica de trama complexa e misteriosa, mas igualmente fascinante, que acompanha a 11ª expedição à misteriosa Área X, uma zona do litoral americano tomada por um fenômeno inexplicável que está aos poucos se expandindo e modificando geneticamente os ambientes.
A expedição para a região misteriosa isolada pelo Governo americano é formada pela bióloga Lena (Natalie Portman), a psicóloga Dr. Ventress (Jennifer Jason Leigh), a líder do time, a topógrafa Josie Radek (Tessa Thompson), a antropóloga Anya Thorensen (Gina Rodriguez) e a linguista Cass Sheppard (Tuva Novotny).

Apresentação de TCC em equipamento municipal



"Colaboradores Como Vitrine Viva: Influência ou Interferência?" é o título do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos Caroline Correia da Silva Barbosa, Lucas Correia da Silva Queiroz, Maria do Carmo de Souza Barbosa e Rafaela Almeida Souza, do curso de Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e propaganda da Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (Unef).
A defesa e a exposição do trabalho acadêmico ocorreu no Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira, na noite de quinta-feira, 22. A banca foi composta pelos professores-mestres Thiago Oliver da Silva, coordenador do curso, Felipe Chagas Freitas e Antonio Carlos Bastos Magalhães, orientador e presidente do colegiado.
A escolha do local, um equipamento municipal, foi elogiada pelo coordenador do curso Thiago Oliver. "Os expositores conseguiram harmonia nos espaços - duas salas do MAC - utilizados na exposição", considerou.
O orientador do TCC, o conhecido ACM, considera importante a nova fase de apresentação de trabalhos da Unef, em que a instituição permite defesas fora do espaço acadêmico, "propiciando à comunidade o conhecimento do que é produzido dentro de seus muros".
Ele ainda considera que a exposição de fotografias, além da "qualidade muito boa, retrata com propriedade o cotidiano dos colaboradores das lojas pesquisadas e como eles se preparam para alcançar o objetivo de venda".
O coordenador do Museu Edson Machado afirmou que "o MAC está sempre aberto a propostas novas e o trabalho apresentado pelo grupo está inserido no que se chama de arte contemporânea".
As graduandas Caroline Barbosa e Maria do Carmo concordam na consideração de que o trabalho defendido e exposto num local público e de grande visibilidade é importante. "Maravilhoso!", exultaram.
Para a mostra das fotografias, a utilização de expositores e manequins cedidos pelo Boulevard Shopping e pela Lorena Modas.
A exposição, com 20 fotografias, que retratam o jeito de se vestir dos colaboradores de lojas e a relação com o cliente, permanece por dez dias no espaço.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

"Dinheiro de campanha da CNBB financiou MST e ongs abortistas"



Pedido é que "os fiéis católicos deixem de contribuir para a coleta do Fundo Nacional da Solidariedade"
 

O site Paráclitus, com notícias sobre o meio católico, fez uma pesquisa e mostra que o Fundo Nacional da Solidariedade (FNS) fica com 60% do valor arrecadado na coleta, enquanto os Fundos Diocesanos da Solidariedade com os 40% restantes.
Conforme o site do Fundo Nacional de Solidariedade, uma das entidades favorecidas com o dinheiro foi a Associação Brasileira de Ongs (Abong). Em seu site, essa entidade que reúne várias ongs defende pautas chamadas progressistas, como: legalização do aborto, reconhecimento civil das uniões homoafetivas e a "liberdade afetiva e sexual para todas as pessoas".
Além disso, o FNS também fez doações para a Fundação Grupo Esquel Brasil. Entre seus objetivos declarados no "Marco Regulatório" é "a construção da democracia", conceito muito popular na esquerda para impor a agenda comunista. Entre os gestores do projeto estão a Pastoral da Criança, a Abong e o Movimento dos Sem-Terra (MST).
Conforme a denúncia do Paráclitus, faz-se necessário a CNBB explicar por que "beneficiaria com recursos da Campanha da Fraternidade (ou com quaisquer outros) a legalização do aborto e a invasão de terras? Não vai tudo isso contra a moral católica? Não é a defesa da vida desde a concepção até a morte natural um dos princípios inegociáveis da Igreja Católica?"
Revoltados com o destino dado ao dinheiro da coleta, pedem que "enquanto a CNBB não cortar o financiamento a esse tipo de organização, é urgente que os fiéis católicos deixem de contribuir para a coleta do Fundo Nacional da Solidariedade".
Contatada pelo portal Gospel Prime, a CNBB disse que "no momento oportuno a CNBB irá manifestar" sobre as acusações do site Paráclitus.

"23 notas sobre Jair Bolsonaro"

Por Olavo Carvalho

Selecionadas e organizadas por Pedro Henrique Medeiros
1. Objetivamente, o Jair Bolsonaro é o único político de direita que tem chance de eleger-se presidente em 2018. Boicotá-lo, sob qualquer pretexto que seja, não é 'dividir' a direita: é matá-la no berço.
2. Só pessoas totalmente lesadas das faculdades mentais não entendem que a segurança vem antes da economia. Isso inclui toda a classe política brasileira, com exceção do Bolsonaro. Eis por que vou votar nele e aos outros não darei sequer um minuto de atenção.
3. Mostrem-me UM político - de direita ou de esquerda - que em todas as cidades seja recebido com o entusiasmo e o carinho que cercam o Jair Bolsonaro, e admitirei que estou errado.
4. A recepção entusiástica dada ao deputado Jair Bolsonaro por onde quer que ele passe mostra que, se a presente geração tem uma missão histórica, é a de realizar, sem extinguir uma só instituição democrática, o que os militares de 1964, extinguindo várias, não fizeram: extirpar o comunismo da vida política nacional, integralmente e para sempre.
5. Podem dizer o que queiram do Bolsonaro, mas alguém duvida de que, para os trabalhadores, ele seria um presidente melhor do que FHC, Lula e Dilma?
6. Se o Olavo de Carvalho chegou, num certo momento, a condensar simbolicamente o espírito da revolta popular, é natural e compreensível que os interessados em abortar esta última e transformá-la em outra coisa se assanhem em destruir esse símbolo tanto quanto a encarnação propriamente política do movimento, isto é, a candidatura Jair Bolsonaro.
7. Até que o deputado Bolsonaro tome a iniciativa de me decepcionar em alguma coisa, o que ele não fez e espero que não faça, continuarei a vê-lo como o ÚNICO líder popular que representa as aspirações dos memoráveis protestos de Março de 2015.
8. Nenhum problema dura para sempre, mas alguns duram mais que a gente. Se um lado está dispostos a votar, é o outro a matar ou morrer, adivinhem quem vence. Por isso, antes de votar no Bolsonaro, avalie o quanto está disposto a arriscar para mantê-lo no cargo.
9. Já avisei e repito: Declaro-me eleitor do Bolsonaro enquanto estiver seguro de que ele não tem rabo preso com nenhum esquema globalista. Se descobrir que tem algum, voto em branco.
10. Vou votar no Bolsonaro porque acho que essa é a minha obrigação, não porque acredite que isso vá mudar alguma coisa. Toda política eleitoral, nas presentes condições, segue o lema do Montherlant: "Service inutile."
11. Nenhuma direita será possível no Brasil sem derrubar o mito da "luta contra a ditadura". Antes bolsonarette do que arruinaldette.
12. Nunca fui cabo eleitoral do Bolsonaro, mas, depois da entrevista dele com o Marco Antonio Vil, aceito, a título de merecida reparação moral, até serviço de homem-sanduíche, espremido entre duas placas: VOTE EM BOLSONARO.
13. Mesmo considerando que o Bolsonaro é incomparavalmente mais culto do que o Lula (ninguém chega a capitão sem ter cursado escola militar), admitamos a premissa vulgar de que ele não tem cultura. Segue-se inevitavelmente a pergunta: Se a esquerda tem o direito de eleger um presidente inculto e ainda considerar isso um mérito, por que a direita não pode fazer o mesmo? Negá-lo é submeter-se à guerra assimétrica.
14. Desistam, fofoqueiros e intrigantes. Não só vou votar no Bolsonaro, como vou trazer para ele mais votos do que vocês, sem fazer um só minuto de propaganda e sem pedir nem aceitar nenhum carguinho em troca.
15. Quantas vezes preciso avisar que o meu voto vai para o Bolsonaro?
16. Aviso, para os devidos fins, que pretendo votar em Jair Bolsonaro para a Presidência da República e acho que todos os brasileiros deveriam fazer o mesmo, mas isso não é motivo para eu adotar uma retórica de cabo eleitoral e, a pretexto de eleger um presidente, contribuir para estragar a língua portuguesa mais um pouco.
17. O que mais admiro no Bolsonaro é a humildade com que ele busca o aprendizado. Com um por cento disso o Lula não teria sido o bosta que foi.
18. "Unidade da direita" é apoiar o Jair Bolsonaro. O resto é carreirismo porco.
19. Repito: "Unidade da direita" é apoiar o Jair Bolsonaro. O resto é carreirismo porco.
20. O Bolsonaro é o único político brasileiro que não apenas não roubou nada, mas não tem sequer amigo ladrão.
21. Nossos liberais são tão idiotas que bastou o deputado Bolsonaro falar em "Estado cristão" - aliás num sentido vago e não como proposta política formal - para que alguns deles já saíssem gritando "Fascismo!". Como se fosse concebível um Estado fascista que aceitasse uma autoridade acima dele próprio.
22. Pensem o que bem desejem do Jair Bolsonaro, mas contestem, se puderam, as seguintes afirmações:
1. Ele é um dos RARÍSSIMOS políticos que jamais se envolveram em qualquer esquema de corrupção.
2. Ele é o ÚNICO presidenciável que dá mais ênfase à segurança pública do que à economia, isto é, o único que tem senso das proporções no julgamento das urgências nacionais.
3. Ele é o ÚNICO presidenciável que jamais cortejou a elite esquerdista hegemônica, muito menos a mídia.
4. Ele é o ÚNICO presidenciável que não modera o seu discurso pelos cânones da etiqueta esquerdista.
Provem que algum outro candidato tem essas qualidades, e talvez eu o considere um concorrente à altura do Bolsonaro.
23. Perguntam-me o que penso do deputado Jair Bolsonaro.
Quando eu era pequeno, meu pai fazia comigo a seguinte gozação:
 - Pai, em quem você vai votar para presidente?
 - Adhemar de Barros.
 - E para governador?
- Adhemar de Barros.
- E para deputado?
- Adhemar de Barros.
E assim por diante.
Pois eu, sem gozação nenhuma, digo que votaria em Jair Bolsonaro para todos os cargos. Há muitos homens valentes neste país, mas ele é o mais valente de todos. Posso discordar dele num ou noutro ponto, mas tenho a certeza de que é um homem honrado e nunca decepcionará seus eleitores.

Dois thrillers anunciados


                                  Mulheres como protagonistas

Jennifer Lawrence e Helen Mirren: ganhadoras de Oscar em dois thrillers anunciados
Fotos: IMDb
O ano avança e já estamos entrando no terceiro mês. Na próxima quinta-feira, primeiro dia de março, dois thrillers estão anunciados e devem entrar em lançamento nacional, no Orient Cineplace Boulevard. 
Um, thriller de mistério, "Operação Red Sparrow" (Red Sparrow), de Francis Lawrence. Outro, thriller de terror, "A Maldição da Casa Winchester" (Winchester), de Michael e Peter Spierig. Ambos, com mulheres como protagonistas: Jennifer Lawrence como a bailarina Dominika Egorova e Helen Mirren como uma herdeira atormentada, Sarah Winchester.
Interessante que as duas são ganhadoras de Oscar como Melhor Atriz. Helen Mirren com "A Rainha" (2007) e Jennifer Lawrence com "O Lado Bom da Vida" (2012). Coincidentemente, ambas ainda têm mais três indicações ao prêmio.
Baseado no best-seller homônimo de Jason Matthews, "Operação Red Sparrow" tem trama de espionagem envolvendo a Rússia e a a agência americana CIA. A bailarina Dominika Egorova é recrutada para a Sparrow School, um serviço de inteligência russo, onde é forçada a usar seu corpo como arma. Mas sua primeira missão, visando um agente americano, ameaça desvendar a segurança das duas nações.
Inspirado em uma história real, "A Maldição da Casa Winchester" tem Sarah Winchester, herdeira de uma empresa de armas de fogo que é assombrada por espíritos. Ela decide construir uma mansão para afastar fantasmas vingativos.

Filmes em Exibição no Orient Cineplace Boulevard


Período até quarta-feira, 28 de fevereiro
LANÇAMENTOS NACIONAIS
A GRANDE JOGADA (Molly's Game), de Aaron Sorkin, 2017. Com Jéssica Chastain, Idris Elba, Kevin Costner. Drama. Após perder a chance de participar dos Jogos Olímpicos, a esquiadora Molly Bloom decide tirar um ano de folga dos estudos e ir trabalhar como garçonete em Los Angeles. Através de circunstâncias curiosas, ela acaba se tornando milionária e famosa por organizar os mais exclusivos jogos de pôquer da região. Cópia legendada. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 140 minutos. Horários: 17h40 e 20h30. Sala 2 (158 lugares).
PEQUENA GRANDE VIDA (Downsizing), de Alexander Payne, 2017. Com Matt Damon, Kristin Wiig, Christoph Waltz, Hong Chau e Laura Dern. Comédia dramática. Na cidade de Omaha, as pessoa descobrem a possibilidade de reduzir de tamanho para uma versão minúscula, a fim de terem menos gastos vivendo em pequenas comunidades que se espalham pelo mundo. Um homem aceita passar por esse processo. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração:135 minutos. Horários: 13h10 e 18h20, com cópia dublada, e às 21h10, com cópia legendada. Sala 3 (165 lugares).
CONTINUAÇÕES
CINQUENTA TONS DE LIBERDADE (Fifty Shades Freed), de James Foley, 2018. Com Jamie Dornan, Dakota Johnson, Eric Johnson, Kim Basinger e Marcia Gay Harden. Drama. Agora, Ana e Christian têm amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades à sua frente. Mas o relacionamento não será fácil e a vida a dois reserva desafios que eles não seriam capazes de imaginar. Ela precisa se ajustar ao mundo de opulência dele e ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador. Terceira semana. Não recomendado para menores de 16 anos. Duração: 105 minutos. Horários: 14 horas, 16h20 e 18h40, com cópia dublada, e 21 horas, com cópia legendada. Sala 1 (240 lugares).
MEU AMIGO VAMPIRO (The Little Vampire), de Richard Claus e Karsten Kiilerich, 2017. Animação. Rudolph é um vampiro de treze anos e sua família está ameaçada por um caçador de vampiros. Ele conhece Tony, que é fascinado por antigos castelos, cemitérios e vampiros. Ele acaba ajudando Rudolph em uma batalha contra seus adversários e, juntos, salvam a família de Rudolph e se tornam amigos. Terceira semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 84 minutos. Horários: 13h30. Sala 2 (148 lugares).
VIVA: A VIDA É UMA FESTA (Coco), de Lee Unkrich, 2017. Animação. Apesar de a música ter sido banida há gerações em sua família, Miguel sonha em se tornar um grande músico como seu ídolo, Ernesto de la Cruz. Desesperado para provar o seu talento, Miguel se vê no pitoresco Mundo dos Mortos seguindo uma misteriosa sequência de eventos. Ao longo do caminho ele conhece o trapaceiro Hector, e juntos eles partem em uma jornada extraordinária para descobrir a verdade por trás da história da família de Miguel. Oitava semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 105 minutos. Horário: 15h20. Sala2. 
O TOURO FERDINANDO (Fedinand), de Carlos Saldanha, 2017. Animação. Ferdinando é um touro gigante com um grande coração. Depois de ser confundido com um animal perigoso, ele é capturado e arrancado de sua casa. Determinado a voltar para sua família, ele se une a uma equipe desajustada. Sétima semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 97 minutos.  Horários: 15h50. Sala 3 (168 lugares). 
PANTERA NEGRA (Black Panther), de Ryan Coogler, 2018. Com Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Lupita Nyong'o, Martin Freeman, Andy Serkis, Angela Bassett, Forest Whitaker e Letitia Wright. Ação e aventura. O rei T'Challa volta a Wakanda para servir como o novo líder de seu povo. No entanto, T'Challa logo descobre que ele é desafiado pelo trono por facções dentro de seu próprio país. Quando dois inimigos conspiram para destruir Wakanda, surge o herói conhecido como Black Panther para evitar que Wakanda seja arrastada para uma guerra mundial. Ele se junta ao agente da CIA Everett K. Ross e membros das forças especiais de Dora Milaje. Segunda semana. Não recomendado para menores de anos. Duração: 134 minutos. Horários: 13 horas, 15h40 e 18h30, com cópia dublada, e 21h20, com cópia legendada. Sala 4 (261 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONE
Orient Cineplace Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)