*

*

No Orient Cineplace

No Orient Cineplace
13h20 - 15h50 - 16h30 - 18h20 - 19 - 21h30 (Dub) - 20h50 (Leg)

Rede Orient - 14 de dezembro

Rede Orient - 14 de dezembro
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

domingo, 19 de novembro de 2017

Super-heroína feminina



1. Gal Gadot como Diana Price
2. Primeira aparição de Mulher-Maravilha no filme
3. Mulher-Maravilha em ação
4 e 5. Gal Gadot em posters

A bela atriz e modelo israelense Gal Godot (Fotos: IMDb) está de novo nas telas em "Liga da Justiça" (Justice League) como Diana Price/Mulher Maravilha, super-heroína  baseada em comic book, criado em 1941 por William Houlton Marston (1893-1947). O comic book "Justice League of América" reunindo os super-heróis foi criado por Gardner Fox (1911-1986).
Primeiro, apareceu em "Batman Vs. Super-Homem: A Origem da Justiça", em 2016. Depois, em "Mulher Maravilha", em 2017. Já estão anunciadas as sequências "Mulher Maravilha 2" e "Liga da Justiça 2".

"O mito da imprensa isenta"



Por Claudia Wild
Os dois piores conselheiros da imprensa atual são: o medo e o desespero. Elementos presentes na candidatura Bolsonaro.
Um candidato sem dinheiro, sem partido e sem máquina propagandista, mas com incontáveis potenciais eleitores.
Ao ler a reportagem desonesta da revista 'IstoÉ' tive a certeza de que os dois fatores acima determinarão o que será dito ou escrito contra o candidato.
Resgatam falas infelizes, deturpam citações, interpretam "cumpañeramente" o que lhes convém, manipulam fotos com semblantes beirando a raia da esquizofrenia e, sobretudo, tentam imprimir uma imagem de um homem-demônio para criar uma repulsa quase leprosa nos brasileiros.
Tudo isto para afastar sua tendência atual: ser o único nome capaz de enfrentar a velha política nacional, que está disposto a enfrentar as graves consequências e os reflexos da degeneração sócio-econômico-moral vivida pelo Brasil.
Bolsonaro não é perfeito e não está imune a críticas - é bom que seja questionado de forma séria e saudável, isto faz parte da democracia.
Como ele mesmo disse: "Messias é só no nome, não sou salvador da pátria". Entretanto, o que o mainstream brasileiro faz é absolutamente desonesto e seletivo.
Primeiro, porque distorce o contexto e relativiza o estado de barbárie do Brasil atual - que deverá obrigatoriamente ser enfrentado por mãos firmes, não contaminadas pela praga do politicamente correto.
Segundo, porque tivemos num passado não tão distante, políticos que pleitearam (e levaram) a Presidência da República que falaram frases infinitamente mais infelizes e jamais foram rotulados de "ameaça totalitária".
Vale lembrar das "brincadeirinhas" (para a imprensa) do mestre Lula da Silva elogiando genocidas como Adolf Hitler e Mao Tse Tung - dois assassinos totalitários que o Lulinha Paz & Amor nutre confessa admiração. Vale refrescar a memória meio enferrujada dos nossos queridos jornalistas, quando o sociólogo prafrentex FHC chamou os aposentados brasileiros "carinhosamente" de vagabundos. Vale não esquecer do inclusivo Lula se referindo grosseiramente a suas feministas de plantão como mulheres daquilo duro, ou ainda dizendo que Pelotas é polo exportador de homossexuais.
Afinal... A lista é longa e memorável. Mas a seletividade norteia nossos iluminados escrevinhadores que se julgam os únicos, hoje, a influenciar a opinião alheia. Todavia, qualquer um poderá ter acesso ao que foi dito pelos nossos amados ex-presidentes, basta uma simples consulta.
Na atualidade, acusam Bolsonaro de "ignorância econômica" e aí mais risível torna-se o libelo de seus detratores. Tivemos dois presidentes analfabetos nos últimos anos e isto nunca foi motivo para qualquer questionamento e/ou impeditivo. Mas, enfim, algo precisa ser dito em um país de economia ARRASADA pelo socialismo. Assim, o tema não poderia ser ignorado. Compreensível a tentativa.
Enquanto o "democrático" e já condenado candidato Lula regurgita seu ódio contra a democracia e promete "regulamentar a mídia" (outro nome para a censura); perseguir juízes que cumprem a lei - e que tiveram a inaceitável audácia de interromper seu projeto de poder, descortinando as maracutaias de sua quadrilha - o candidato que posta-se como uma ameaça autoritária é, claro, Jair Bolsonaro.
Bom, os dois conselheiros da imprensa acima citados - o medo e o desespero - serão decisivos para desmoralizar ainda mais a desacreditada imprensa nacional - a mesma que durante décadas, anos e muitos carnavais foi servil ao projeto mais audacioso e covarde que o Brasil já teve: o da implantação do socialismo cucaracha, aquele que também distribuiu gordos pixulecos para nossos "isentos" palpiteiros leninistas e stalinistas que confortavelmente sentaram-se nas redações dos jornais e hoje coordenam a jovem moçada atrasada em Woodstock, para que ela continue a enganar o povo brasileiro. Resta saber se conseguirão!
Não é de hoje que a propaganda é a alma do negócio.
Estes formadores de opinião de araque são os únicos que ainda não perceberam que o Brasil defendido pela imprensa é justamente tudo aquilo que não mais queremos. A maioria dos nossos jornalistas está trabalhando para aqueles que podem eleger Jair Bolsonaro.
O "mito" que realmente existe chama-se o "mito da imprensa isenta", nada mais.
Ademais, toda arrogância tende a ser castigada.

sábado, 18 de novembro de 2017

"Os Incríveis 2" ganha primeiro trailer



Sequência chega aos cinemas quase 15 anos depois do original. Lançamento está marcado para junho de 2018.


Durante a programação da ESPN, a Disney divulgou o primeiro trailer da animação "Os Incríveis 2" (Incredibles 2), de Brad Bird.
O filme começará minutos após o final do longa original, do mesmo diretor, lançado em 2004. Dezenas de novos heróis serão revelados e o Sr. Incrível precisará ficar em casa cuidando de Zezé e acaba descobrindo os poderes do filho mais novo - que ao enfrentar um guaxinim demonstra 10 poderes.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

"Paulo, Apóstolo de Cristo" tem lançamento na Páscoa de 2018



Jim Caviezel como o apóstolo Lucas
Foto: IMDb
 
A produtora Affirm, subsidiária da Sony, lançou o primeiro trailer (Assista) de sua nova produção, um longa sobre a vida do apóstolo Paulo. A data de lançamento foi anunciada para Páscoa de 2018.
Com o título de "Paulo, Apóstolo de Cristo" (Paul, Apostle of Christ), o filme é baseado no Novo Testamento e conta a história do homem que perseguia os cristãos, até que teve um encontro radical com Jesus e acabou por ser um dos maiores responsáveis pela expansão do evangelho no primeiro século.
O foco da produção, que está em pós-produção é mostrar Paulo (James Faulkner) em suas viagens missionárias, onde Lucas (Jim Caviezel) o acompanha. É o médico que vai escrevendo a história, como no Livro de Atos, e divulgando os fatos para a crescente comunidade cristã.
Com a maioria das locações na ilha de Malta, o drama histórico tem direção de Andrew Hyatt - responsável por "Full of Grace", filme sobre Maria inédito no Brasil - que também assina o roteiro.
Os produtores do filme, que são cristãos e fizeram "O Céu É o de Verdade", entendem que o filme servirá para "compartilhar essa história tão necessária com o mundo".
Jim Caviezel volta a fazer um filme com temática bíblica. Conforme explicou em entrevista recente: "Meu dever é viver de acordo com o Evangelho todos os dias e dar testemunho da verdade". Em "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson, 2004, ele viveu Jesus. O ator explica que faz o seu trabalho "por amor, para cumprir minha missão cristã".
Com informações de Relevant Magazine
Fonte: "Gospel Prime"

O que vem por aí nos cinemas

Julia Roberts e Jacob Tremblay no drama "Extraordinário"
Foto: IMDb

Na próxima semana, a partir de quinta-feira, 23, devem entrar em cartaz os filmes "Pai em Dose Dupla 2", que está em pré-estreia no Orient Cineplace e no CineSercla, "Boneco de Neve" e "Extraordinário".
Para a última semana deste mês, os filmes disponíveis no mercado para lançamento, são: "Assassinato no Expresso Oriente", "Jogos Mortais: Jigsaw", "Os Parças" e " a animação "A Estrela de Belém".
Para dezembro, os lançamentos de "No Limite", dia 7; "Star Wars: Os Últimos Jedi", dia 14; "O Rei do Show", dia 21; "O Jovem Karl Marx" e "Fala Sério, Mãe!", no dia 28.
Agora, é aguardar a confirmação pelos dois cinemas.

Recorde de "Liga da Justiça"

"Liga da Justiça" (Justice League) bate recorde de tamanho de lançamento no Brasil e está em cartaz, desde o feriado de quarta-feira, 15, em mais de 1.500 salas no país - sete em Feira de Santana (cinco no CineSercla, do América Outlet, recém-inaugurado, e duas no Orient Cineplace Boulevard com sessões lotadas. São 16 sessões diárias nos dois cinemas, com cópias dubladas e legendadas.
Nos Estados Unidos, o filme entrou em quatro mil cinemas.
A presença de Mulher-Maravilha (Gal Gadot, na Foto: IMDb) impulsiona as bilheterias.



"Um socialista no armário"



A privatização partidária de um ente estatal pode ser anterior e se perpetuar além do governo desse partido. Quem duvida olhe para o Ministério de Educação e para as universidades públicas.

Por Percival Puggina
Pretendia contar o número de empresas, institutos e fundações estatais existentes no Brasil, considerando União, Estados e municípios. Comecei com determinação, mas desisti. Levei um susto! Quem quiser sentir a pujança do estatismo nacional vá à página da Wikipedia que tem a lista. Estamos falando de muitas centenas, senão de milhares desses entes. O Brasil é um país socialista, que muitos, sacudindo bandeiras vermelhas, se esforçam para tirar do armário. Armário cheio de esqueletos.
A União tem 148 empresas estatais! Trinta por cento, segundo editorial de O Globo do dia 19 de agosto de 2016, criadas durante os governos petistas. Anos de gritaria contra privatizações e discursos de que "Estão vendendo tudo!" me levaram, ingenuamente, a crer que de fato estivessem. Mas era berreiro na sala, para distrair, enquanto a cozinha produzia novas iguarias para o cardápio político. A mesma matéria de O Globo conta que entre o fatídico ano de 2003 e 2015, esses filhotes do amor petista pelo Estado pagaram R$ 5,5 bi em salários e totalizaram um prejuízo de R$ 8 bi. A mais engenhosa das novas estatais foi concebida no PAC 2. É a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), que absorveria a tecnologia do trem-bala e executaria o projeto da ligação de alta velocidade entre Rio e São Paulo. A empresa, descarrilada desde sua criação em 2008, é totalmente dependente do Tesouro.
O formidável e assustador conjunto das "nossas" estatais é parte ponderável dos problemas do Brasil. No entanto, o Instituto Paraná Pesquisas revelou, há três meses, que 61% dos brasileiros são contra privatizações feitas pelo setor privado. Pelo jeito, preferem as "privatizações"
 caseiras, as notórias apropriações, por partidos, sindicatos e líderes políticos, de tudo que for estatal. Se é para ser abusado que seja pelos de sempre. Trata-se de um vício do nosso presidencialismo. Quem governa comanda a administração e chefia o Estado, estendendo as mãos sobre o que puder alcançar em suas instituições.
É nos estofados desses grandes gabinetes, que a "privatização" do Estado proporciona os melhores orgasmos do poder. Em outras palavras: a experiência política e administrativa nos evidencia que empresas estatais realmente devotadas ao interesse público são fenômeno incomum. Como regra, resultam submetidas às conveniências privadas que descrevi acima. São nichos de usufruto e poder que pouco têm a ver com o bem nacional. Dentro desses domínios nascem as maiores reações a qualquer transferência que conduza ao desabrigo do Tesouro e às aflições do livre mercado. A ninguém entusiasma a ideia de remover o acento da poltrona e alinhá-lo à reta da competitividade.
A doutrinação socialista cumpre seu papel, ensinando que estatal é sinônimo de público, de social, e imune a interesses privados. Empresas estatais seriam como santuários de desprendimento e abnegação. Sim, claro. O Mensalão não existiu e a Lava Jato, você sabe, foi criada para impedir a alma mais honesta do Brasil de retornar à presidência.
E quando um partido sai, vem o outro para fazer a mesma coisa? - perguntará um leitor estrangeiro. Nem sempre, prezado visitante. Se o serviço for bem feito, a privatização partidária de um ente estatal pode ser anterior e se perpetuar além do governo desse partido. Quem duvida olhe para o Ministério de Educação e para as universidades públicas. Ali se educa a nação para amaldiçoar a iniciativa privada, amar o Estado, abrir o armário, e fornecer, nos ambicionados concursos públicos, respostas de acordo com o que pensa a banca.
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

Lucas da Feira: a verdade sobre o salteador sangrento

Estou de posse do livro "Municípios da Bahia", escrito em 1907 por Guimarães Cova, que foi delegado nesta cidade no final do século XIX e inicio do século XX. Trata sobre Feira de Santana e relata a respeito de Lucas da Feira - são 14 páginas. Material cedido por Carlos Brito, da Fundação Senhor dos Passos, e secretário de Planejamento.
Diz o autor: "Se Roma mandasse apagar de seus annaes a mínima narração dos factos que praticaram Augusto, Nero, Commodo, Heliogabalo e Tibério naquele período de decadencia moral da raça romana, a história da grande pátria de Dante não estaria completa.
É uma página negra, não há duvida, a que descreve a vida dissoluta daqueles imperadores degenerados; no entanto, é uma página dessa mesma história, que segundo a opinião do Bispo Estromaia, "dela não se apagará uma só letra, mesmo caindo-lhe em cima todos os oceanos do mundo".
Nas mesmas circunstancias consideramos a história do rico município feirense.
Não se apagará o borrão da vida de Lucas, o salteador, sem que não fique uma grande falha na história de Feira,
Demais, ella se afastaria da norma que traçamos, porque só conhecemos, unicamente, como inspiradoras, as injunções da verdade para narrarmos desapaixonadamente a vida dos bons e dos maus, no presente livro, que é um fragmento de história e uma migalha de geografia.
Feitas essas explicações, comecemos a narração dos factos principaes da vida de Lucas e de sua quadrilha."
A grafia está conforme o original e em vermelho, como o sangue que ele derramou:
A 18 de Outubro de 1807, nasceu Lucas Evangelista, na fazenda "Sacco do Limão", do município da Feira de Sant'Anna.
Produziram o temível facínora os africanos Ignácio e Maria.
Captivo de nascimento, Lucas pertenceu, a princípio, a D. Anna Pereira do Lage, e por fallecimento desta senhora passou ao domínio do Padre José Alves Franco, vindo mais tarde a caber, em nova partilha, ao pae deste sacerdote, Alferos José Alves Franco.
Ao tempo em que se deu o traspasse do maldicto escravo ao novo senhorio, elle já havia fugido para as mattas da Feira, mais ou menos em meiados de 1828.
Uma vez no goso daquella conquista de liberdade, a índole perversa do bandido entrou, desde logo, em cogitações diabólicas de que resultou a organisação da célebre quadrilha de salteadores, da qual faziam parte os escravos também fugidos, de nomes: Flaviano, Nicolau, Bernardino, Januário, José e Joaquim.
Inspirada nos sentimentos sanguíneos do bandido que a chefiava, essa malta de terríveis assassinos e ladrões commetteu, livremente, toda sorte de crimes nas estradas do famoso município, até o dia 28 de Janeiro de 1848, data da prisão do célebre salteador chefe da quadrilha.
Para que o leitor fique conhecendo a série de crimes praticados por Lucas e seus cúmplices, esses bandidos que trouxeram, por 20 annos, a população da Feira em constante sobresalto, vamos transcrever o interrogatório a que foi submettido no tribunal do jury o chefe desses miseráveis.
O Juiz de Direito da Comarca e Presidente do julgamento era o Dr. Innocencio Marques de Araújo Góes que fez do seguinte modo o interrogatório ao réu:
- Perguntado o seu nome, naturalidade, edade e profissão?
- Respondeu chamar-se Lucas, ter sido escravo do fallecido Padre José Alves, nascido na fazenda do "Sacco do Limão", frequezia de São José maior de 35 annos e que era empregado no serviço da lavoura e carpina.
- Perguntou-lhe se sabe o motivo por eu foi preso e o que vem fazer neste tribunal?
- Respondeu que tendo fugido da companhia de seu senhor há quase dezoito annos e commettido em todo esse tempo algumas acções más, pelo que tem sido processado pela Justiça, pensa ter sido preso para dar contas do seu procedimento e julgado como merece.
- Perguntou em que empregava-se durante tanto tempo que viveu nas mattas, como sustentava-se e obtinha aquillo de que carecia?
- Respondeu que até certo tempo matava seus bichinhos para sustentar-se, e pedia algumas coisas que precisava a pessoas de seu conhecimento e amisade, mas que passando a ser perseguido pela Justiça, vendo-se desesperado, como ainda se acha, começou a offender e fazer mal ao povo.
- Perguntado quaes os conhecidos e amigos que lhe devam objectos que elle pedia?
- Respondeu que não tinha empenho em declarar nomes, que por estar perdido não queria perder outros christãos que lhe haviam feito benefícios.
- Perguntado se esses amigos e conhecidos a que se refere lhe forneciam também algumas porções de polvora e de chumbo e algumas armas?
- Respondeu que há mais de quatro annos tomara na estrada um barril de pólvora e uma grande porção de chumbo de que usou até agora.
- Perguntou-lhe onde e como obtinha os mesmos objetos, antes dessa tomada de que fala?
- Respondeu que nas estradas tomava a uns á força e outros voluntariamente lhe davam, e que também algumas vezes comprava, não declarando seus nomes, porque, já disse, não queria perder outros.
- Perguntou-lhe mais como offendia geralmente ao povo, segundo disse, quando affirma que só queria offender àquelles que o perseguiam e o insultavam nas estradas?
- Respondeu que somente maltratava e offendia aquelles de quem receiava que o atraiçoassem ou perseguissem por qualquer forma.
- Perguntado si tem noticia dos tiros dados no guarda policial Joaquim Romão e Manoel Antonio Leite, resultando a morte deste, que também foi roubado?
- Respondeu negativamente.
- Perguntou-lhe si não tem noticia de Antonio Correia Pessoa, que foi morto e roubado em sua própria casa?
- Respondeu saber desse facto, e que foram autores elle respondente e seus companheiros, Nicoláo, Joaquim e Januário e que assim procederam porque esse Pessoa os perseguia e que já lhes havia dado dois tiros.
- Perguntado como foi morto esse homem?
- Respondeu que fora com pancadas e couces.
- Perguntou-lhe si tinha lembrança da morte de Ventura Ferreira de Oliveira, na Lagoa do Peixe?
- Respondeu que fora morto por seu camarada Nicolau, estando presente elle interrogado.
- Perguntou-lhe si tem noticia das mortes de Alexandre Felippe de Lima e de José Francisco Caboclo e quaes os autores?
- Disse, quanto à primeira, nada sabe e quanto á segunda foi elle interrogado quem matou, porque esse José Francisco recusava-se a pagar-lhe um dinheiro e também o queria matar.
- Perguntou si tinha noticia da morte do Antonio, escravo de José Antonio da Silva, que teve lugar na fazenda Sobradinho, próximo a esta villa?
- Respondeu que passando elle e alguns companheiros pela estrada, o dito Silva e outros lhe dirigiram insultos, pelo que elle respondente para desaffrontar se dera uns tiros contra aquelles, de um dos quaes resultou a morte do crioulinho.
- Perguntou mais si tem noticia da morte de Antonio Bonifácio e quem foi o autor?
- Respondeu ter sido elle interrogado, porque esse Bonifácio andava o perseguindo, pelo que o matou antes que lhe dizesse o mesmo.
- Perguntou si tem noticia da morte de Theotonio, escravo de Victorino Alves e qual o motivo? Respondeu que estando elle e alguns companheiros procurando a vida, o seu camarada de nome Joaquim matara e dito Theotonio.
- Perguntado si também tem noticia da morte de Alexandrina de tal, escrava de Manoel Joaquim?
- Respondeu ter sido elle quem a matou na occasião da morte do seu companheiro Nicoláo.
- Perguntou-lhe mais si tem noticia da morte de Manoel Lima, que também foi roubado, em uma das estradas desta villa?
- Respondeu negativamente.
- Perguntou-lhe si tem noticia da facada e pancadas que soffreu João Gomes de Oliveira, levando as também duas filhas?
- Respondeu que só lhe deu pancadass com o couce da arma porque elle sabia do rancho em que se escondiam, e que as filhas foram somente conduzidas até a beira do rio Jachuype onde elle as deixou.
- Perguntou mais se tem notícia da morte de João Vicente e qual o motivo?
- Respondeu que esse João Vicente também sabia do seu rancho, e tendo dado lá uma tropa, entendeu que foi elle o denunciante, por isso o matou.
- Perguntou-lhe mais si também tem noticia da morte de Joaquim Romão?
- Respondeu negativamente.
- Perguntou-lhe mais si sabe da morte feita em João de tal, morador no lugar denominado Papagaio?
- Respondeu ter sido o autor, porque elle sabia, e effectivamente mostrou, o logar em que tinha o seu rancho e de seus companheiros.
- Perguntou-lhe também si fora o autor da morte de Alexandre de tal, filho de Antonio Felippe?
- Respondeu que elle e seu companheiro Nicoláo fora os autores, porque os ditos Alexandre o seu pai Antonio Felippe constantemente os perseguiam.
- Perguntou-lhe si sabe quem deu as cutiladas no crioulo Manoel João?
- Respondeu que foram elle e seu companheiro Nicoláo, porque receiavam desse individuo.
- Perguntou-lhe sei tem noticia dos tiros dados no capitão Gregório do Nascimento?
- Respondeu que fora elle e seus companheiros, porque Gregório também os perseguia.
- Perguntou se tem noticia dos tiros dado em Manoel das Chagas e qual o motivo?
- Respondeu que foi elle por ver que esse homem merecia e assim quis quebrar-lhe as pernas.
- Perguntou-lhe mais, porque?
- Respondeu que por ter promettido pical-o em postas, assim elle respondente quis ensinal-o.
- Perguntou si tem noticia do roubo feito a José Dionysio, morador nas Campas?
- Respondeu que fora feito por seus companheiros Nicolau e Manoel, estando elle também presente.
- Perguntou o que roubaram nessa occasião?
- Respondeu que três colheres de prata.
- Perguntou-lhe si teve noticia do roubo feito a Vicente de tal, das Campas?
- Respondeu que fora elle o autor do roubo, tendo somente roubado uma calça e uma jaqueta.
- Perguntou mais si tem noticia dos cinco tiros dados em Gregório José de Almeida, no caminho de São José?
- Respondeu que foram dados por elle e seus companheiros, por um insulto que o dito lhes fizera.
- Perguntou si além dessas mortes e furtos sobre que tem respondido, lembra-se de ter feito mais alguma cousa?
- Respondeu que perante o Juiz Municipal já fora também conduzido e interrogado sobre alguns outros factos, como fosse o roubo da egreja das Brotas, e os tiros no Alferes Agostinho, em Joaquim Ferreira da costa e outros feitos a um homem chamado Sampaio Pinheiro e o vaqueiro de Aprigio Pires Gomes.
- Perguntou-lhe mais si durante a estada nos matos raptou algumas mulheres e sei tem lembrança do numero?
- Respondeu ter com effeito raptado algumas em numero de cinco ou seis, tendo, porém, outras ido voluntariamente para sua companhia.
- Perguntou si não matou alguma destas raparigas que levou para a sua companhia?
- Respondeu negativamente.
- Perguntou se em algum encontro, que elle respondente teve com pessoas que o perseguiam, levou alguns tiros e si tem lembrança do numero?
- Respondeu ter contado até cem e que felizmente escapou, tendo levado outros muitos que dahi em diante deixou de contar.
- Perguntou se não guardou em alguma parte ou em poder de qualquer pessoa dinheiro e outros objectos que tivesse tomado nas estradas?
- Respondeu que tudo quanto tinha era somente alguma roupa e outras miudezas que existiam no rancho em que foi preso, nada tendo guardado em parte alguma.
E nada mais respondeu nem lhe foi perguntado.
Por esta forma houve o Juiz por findo este interrogatório, mandando lavrar este termo, em que assignou com o curador do réo, depois de lido por mim Manoel José de Araújo Patrício, escrivão que escrivi - Innocencio Marques de Araújo Góes - O curador, Manoel Pereira de Azevedo.
Do interrogatório que acabamos de transcrever, vê-se quanto foi flagellada a Feira de Sant’Anna, principalmente depois do anno de 1840, quando o celebre salteador organisou sua quadrilha.
A prisão de Lucas teve os seus prodromos a 23 de Janeiro de 1848.
Narremos o facto que deve ter alguma importância para os nossos leitores.
Achando-se foragido o official de justiça do fórum feirense, de nome José Pereira Cazumbá, porque praticara um homicídio, pensou de obter o indulto, offerecendo-se para prender o salteador Lucas.
Acceita a proposta pelas autoridades com o accrescimo de que o governo compromettia-se a dar a Cazumbá, além do indulto mais quatro contos em dinheiro, foram affixados editaes neste sentido nos lugares mais públicos da Feira e publicados pela imprensa.
Na capella de N. S. dos Humildes, três legoas ao Sul da Feira de Sant’Anna, realisou-se uma festa, e para ella dirigiu se Lucas em procura, talvez, de alguma presa.
Cazumbá, acompanhado de Manoel Gomes, montou guarda no lugar chamado Pedra do Descanso, por onde, fatalmente, Lucas teria que passar de volta da festa.
Na segunda-feira 24, cerca de 6 horas da manhã, surge o salteador felizmente desacompanhado.
Manoel Gomes esmorece e treme, caindo-lhe a arma das mãos; mas na emboscada detona uma outra arma, cujo projectil aloja se certeiro no braço do salteador - foi a arma de Cazumbá, o official de justiça pronunciado que necessitava de liberdade.
Passada a primeira impressão, causada pelo susto de que o salteador não fosse atacal-os em seu esconderijo, sahiram elles e foram examinar o lugar onde estava Lucas quando recebeu o tiro.
O salteador havia de facto desapparecido, mas ali se achava o clavinote de seu uso e um rasteiro de sangue pela estrada afora.
Nessas averiguações estavam os dois, Cazumbá e Gomes, quando por ali passou o dr. Leovegildo de Amorim Filgueiras, juiz municipal e delegado do Termo, acompanhado de outros para effectuarem uma medição de terás.
Sciente de tudo, a dita autoridade poz a força publica em movimento para a captura do bandido, cujo paradeiro haviam de descobrir pelos vestígios de sangue, deixados na estrada e no mato.

Infelizmente assim não aconteceu porque a força de policia, os Inspectores de Quarteirão e o povo que os acompanhava, andaram todo dia e nos seguintes debalde, porque os vestígios desappareceram.
Quando o desanimo já começava a invadir aquelle troço de homens ávidos pela prisão do malvado crioulo, surgiu entre elles uma lembrança providencial.
Benedicto da Tapera, suspeitado como um de seus confidentes e intermediários, havia de lhes dizer qualquer cousa.
Sem demora seguiram para a casa do mesmo e gratificaram-n'o, ameaçando-o ao mesmo tempo de matal-o se não disesse onde estava Lucas.
Nestas condições, Benedicto confessou o paradeiro do salteador.
Na manha do dia 28 de Janeiro, o bandido, que tanto aterrorisou as populações daquella zona no período de vinte annos, estava entregue á justiça para responder por tantos crimes que praticara.
Condemnado à força pelo tribunal do Jury que se reuniu a 1º de Março do mesmo anno, foi executado a 26 de Setembro de 1849, no Campo do Gado, em presença de uma multidão que exultava pelo goso da tranqüilidade aspirada com o desapparecimento do bandido que a ameaçara por tantos annos.
Às 10 horas da manhã, daquelle dia, foi o salteador retirado da prisão e revestido de uma túnica branca.
Posto o baraço ao pescoço, em cuja extremidade segurava o carrasco, começou a percorrer as ruas da Feira, ladeado por dois franciscanos e o vigário da Freguezia padre José Tavares da Silva, e acompanhado das autoridades locaes, força publica e enorme massa popular da villa e de muitos logares que viera para esse fim.
De espaço a espaço paravam, os franciscanos resavam, os sinos dobravam e o official de justiça Marcellino Marques da Silva apregoava em altas vozes a morte do condemnado.
Ao meio dia chegou o cortejo fúnebre ao Campo do Gado, lugar em que estava armado o instrumento do supplicio.
Guindado ao plano superior da força, acompanhado de seu carrasco, Joaquim Correia, rapaz branco de 20 annos de edade, que espontaneamente se offerecera para aquelle reprovável mister, por ter o réprobo assassinado barbaramente seu pai Francisco Correia, elle, Lucas, acenando com a mão que lhe restava, pois a outra tinha sido operada em conseqüência dos tiros recebidos quando foi preso, disse: "Espere!"
Divagou o olhar acovardado por aquella multidão, e com voz fraca e arrastada declinou estas ultimas palavras:
"Sei que muitos dentre vós estão contentes de me verem assim acabar; eu peço perdão a Deus e a todos que perdoem".
Dito isto o carrasco atira-o ao espaço: desce pela corda; arrima-se aos hombro do condemnado e mantém-lhe a bocca fechada. Os membros do suppliciado controhem-se, seguindo-se a mieção e o exhalar do ultimo suspiro.
Morto! Foi o brado uniforme, abafado e fúnebre sahido dos lábios da multidão.
Effectivamente o condemnado tornara-se cadáver; a Feira exaltava pela volta de sua tranqüilidade; a justiça desafrontara-se, e a sociedade; quanto a nós que escrevemos estas linhas desapaixonadamente, devia ter se enlutado por esse assassinato cobarde praticado na pessoa de um facínora, é verdade, mas no entanto criminoso porque a sociedade não soube educal-o.

Micareta termina mais cedo a partir de 2018

Regulamento da festa homologado pelo prefeito José Ronaldo

A partir de 2018, Micareta termina mais cedo. Nos dias de semana, a festa será iniciada às 19 horas e a última atração partirá do pórtico de início à meia noite, no máximo. No fim de semana e feriado, o evento começará ao meio-dia e a última atração também partirá do pórtico de início à meia noite. A Micareta do próximo ano ocorre entre 19 e 22 de abril.
Considerando a necessidade de estabelecer diretrizes para a realização da Micareta e em respeito às tradições, o prefeito José Ronaldo de Carvalho decretou a homologação do Regulamento da Micareta de Feira de Santana, definindo os limites do Circuito Maneca Ferreira, estabelecendo com pórticos o início e o fim, bem como as transversais da avenida Presidente Dutra que serão interditadas, e estabelecendo normas regulamentares.
Durante os quatro dias de festa, a Micareta terá, no máximo, um total de 56 atrações contratadas pela Prefeitura e 18 blocos. Qualquer atração independente só poderá desfilar devidamente autorizados pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. Considere-se como atração independente toda aquela que não é contratada pela Prefeitura Municipal.
Barracas
Só serão permitidas barracas nos pontos de venda comercializados pela Prefeitura e que obedeçam ao padrão e à quantidade estipulados pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. Não será permitido o uso de qualquer tipo de som, seja mecânico ou ao vivo, em todos os pontos de venda comercializados pela Prefeitura. Caberá à Secretaria de Meio Ambiente adotar as providências para evitar e punir.
A instalação elétrica das barracas, exigida pela Coelba, será providenciada e custeada pelo barraqueiro.
Camarotes
Só poderão ser armados camarotes em áreas previamente estabelecidas e licenciadas. Na reserva do espaço para o camarote, o proprietário deverá apresentar todos os projetos e documentos exigidos pela Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), no prazo de 2 de janeiro a 28 de fevereiro de 2018. Os camarotes deverão estar armados até a segunda-feira que antecede o primeiro dia da Micareta.
Não será permitido nos camarotes qualquer tipo de som, seja mecânico ou ao vivo, que prejudique o desfile de trios elétricos, cause poluição sonora no circuito. O volume de som deve ser reduzido a ponto de não haver poluição sonora durante a passagem de trio elétrico ou similar. Caberá à Secretaria de Meio Ambiente a fiscalização para o cumprimento dessa norma e a punição que porventura seja necessária.
As testeiras dos camarotes são consideradas espaços públicos para exploração publicitária dos patrocinadores da festa, garantindo-se o direito do proprietário apenas acordar a colocação de sua marca, se for o caso. Não poderão ser expostas marcas de concorrentes dos patrocinadores da Micareta.
O uso de microfones no circuito da festa, seja em trios, mini-trios ou carros de som autorizados para o desfile, só poderá ser feito para a interpretação de músicas, saudações dos artistas ou para avisos de utilidade pública, resguardando-se o livre direito de liberdade de expressão garantido na Constituição. Ressalva-se que será punido com redução de 50% no valor do contrato ou, para os que não contratados, multa de um salário mínimo o uso do microfone para pornofonia.
Circulação de veículos
Somente veículos devidamente vistoriados pela FPI poderão circular no circuito da festa, no período em que ele estiver fechado para a folia, com exceção de ambulâncias, viaturas policiais ou do Corpo de Bombeiros.
Os atrasos na apresentação ocasionados por banda, pelos trios elétricos ou similares, resultarão em redução proporcional no valor do contrato. As bandas deverão estar preparadas para o desfile uma hora antes do horário marcado para a apresentação.
Blocos
Todos os blocos que desejem desfilar deverão fazer uma inscrição no período de 2 de janeiro a até 30 dias antes do primeiro dia da festa.
Para efeito de pagamento do Documento de Arrecadação Municipal (DAM) e da taxa de inscrição os blocos serão divididos em três categorias: Grande - com mais de 1.500 integrantes; Médio - Com 1.000 a 1.500 integrantes; Pequeno - De 500 a 1000 integrantes.
A taxa de inscrição terá os seguintes valores: Grande - 70% do salário mínimo;  Médio - 50% do salário mínimo; Pequeno - 30% do salário mínimo.


Método de Emagrecimento 5S Privilege chega a Feira de Santana

Chega a Feira de Santana o espaço ideal para quem quer emagrecer de maneira saudável, inovadora e diferente. O Espaço Rebeca Gomes é a primeira franquia da cidade do Método de Emagrecimento 5S, criado em 2015 pela fisioterapeuta dermato-funcional Edivana Poltronieri, do Espírito Santo, e que já sucesso em mais de 300 clínicas de 25 estados brasileiros - e em outros países, como Uruguai, Portugal e Estados Unidos. 
O método alia controle da alimentação, atividade física e tratamentos estéticos tendo na reeducação alimentar outra novidade: o paciente é orientado a evitar o consumo de alimentos industrializados, hipercalóricos e de alto índice glicêmico, como carboidratos simples, mas não existe um cardápio específico. Com base na bioimpedância e em exames laboratoriais é definida uma meta para a perda de peso de acordo com o Índice de Massa Corpórea (IMC) e o objetivo do paciente. A partir daí, ele tem acompanhamento diário, via aplicativo de celular, e frequenta a clínica duas vezes por semana para fazer a parte estética, repetir a bioimpedância e sessões de exercício aeróbico intenso, como os treinos HIIT, em um aparelho específico para esta atividade. 
Quatro passos são fundamentais no método 5S. 
1. Suplementação de vitaminas e minerais 
2. Desinflamação do hipotálamo (a partir do uso de compostos de ômegas - 3 e 9) 
3. Tratamentos estéticos (uso de mantas térmicas e aparelhos que emitem radiação infravermelha com o intuito desintoxicar e alcalinizar o sangue) 
4. Terapia motivacional em grupo (feita por meio de um aplicativo de celular) O público-alvo são pessoas obesas e com sobrepeso a partir de 14 anos de idade, mães em pós-parto imediato e mulheres que precisam perder peso para engravidar. Não podem aderir ao Método as gestantes, indivíduos com insuficiência renal, distúrbios degenerativos e anemias. 
A fisioterapeuta Rebeca Gomes, licenciada do Método de Emagrecimento 5S em Feira, alerta ainda que para que ele tenha resultado é preciso também que o paciente siga corretamente os passos e inclua a atividade física em sua rotina.  "A proposta do Método 5S é perder peso de forma saudável, a partir de mudanças de hábitos diárias, alimentação saudável e balanceada. Nele ainda, cuidamos da parte estética e aumentamos a autoestima do paciente", diz Rebeca. 
A obesidade é um dos principais problemas de saúde pública atualmente no Brasil e no mundo e é responsável por causar doenças como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. O excesso de peso também traz problemas sociais e emocionais para aqueles que sofrem com a doença. 
O Espaço Rebeca Gomes, licenciado do Método de Emagrecimento 5S em Feira, funciona na Academia Feira Fitness Brasília, na rua Aderbal Miranda, 421 - Serraria Brasil.   
(Com informações de Rose Leal)

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ministério Público Federal pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula

O Ministério Público Federal de Brasília pediu para a Justiça o bloqueio de R$ 24 milhões em bens e valores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do seu filho caçula, Luís Cláudio.
O valor de bloqueio solicitado pra Lula é de R$ 21,4 milhões e o do filho, Luís Cláudio, de R$ 2,5 milhões. Caberá à 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília decidir sobre o caso.
O pedido do MP foi feito dentro de uma ação da Operação Zelotes em que Lula e o filho são réus..
Lula é acusado de editar uma medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina. Luís Cláudio era ligado às empresas, de acordo com apurações da polícia.
Lula e o filho são investigados também por suspeita de favorecimento ao grupo sueco Saab nas negociações que levaram à compra pelo governo brasileiro de 36 caças do modelo Gripen.
O Ministério Público alega que Lula sabia, desde setembro de 2012, que os lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, donos de uma empres de consultoria, diziam que tinham prestígio junto ao governo federal para favorecer a empresa sueca.
Ainda segundo o MP, em agosto de 2013 Lula aderiu a essa "divulgação" de que poderia haver influência no governo Dilma Roussef , reafirmando uma "venda de fumaça" para beneficiar seu filho com dinheiro que a Saab pagaria à empresa de Mauro marcondes e Cristina Mautoni.
O MP diz que Lula é responsável pelo retorno financeiro que eles tiveram da Saab, além de também ter agido pelo recebimento de R$ 2,5 mi do filho Luís Cláudio.

Fonte: G1

Obra de Da Vinci bate recorde mundial ao ser leiloado por 450,3 milhões de dólares

A casa de leilões Christie's, em Nova York, leiloou, na quarta-feira, 15, por 450,3 milhões de dólares, um quadro pintado por Leonardo da Vinci há cinco séculos, "Salvator Mundi" (Foto: Reprodução), a única obra do artista italiano mantida em coleções privadas.
O quadro, que chegou a fazer parte da coleção do Rei Carlos I da Inglaterra, acabou nas mãos de um bilionário russo, que o comprou em 2013 por 127,5 milhões de dólares.
Segundo a Christie's, o valor alcançado representa um recorde mundial para qualquer obra de arte vendida até o momento. O preço do martelo foi de 400 milhões de dólares, e o restante representa o ágio que o comprador deve pagar.
A venda foi feita durante o leilão de arte contemporânea da Christie's, embora o trabalho de Da Vinci tenha sido introduzido fora de seu tempo, considerando a grande atração dos leilões que acontecem esta semana em Nova York.
O leilão durou cerca de 20 minutos, um período muito longo para os padrões habituais. O preço inicial foi de 70 milhões de dólares, mas três minutos depois, já tinha alcançado os 200 milhões de dólares.
"Salvator Mundi" é a mais importante redescoberta artística deste século. Foi em 2011, quando após um processo de restauração e análise, os especialistas eliminaram muitos anos de dúvidas ao confirmar a autoria de Da Vinci.

Fonte: G1

Cidadão comum é agressivamente discriminado

Por Graciano Coutinho
Não sou: Nem negro, nem homossexual, nem índio, nem assaltante, nem guerrilheiro, nem invasor de terras. Como faço para viver no Brasil nos dias atuais? Na verdade eu sou branco, honesto, professor, advogado, contribuinte, eleitor, hétero. E tudo isso para quê?
Meu Nome é: Ives Gandra da Silva Martins. Hoje, tenho eu a impressão de que no Brasil o "cidadão comum e branco" é agressivamente discriminado pelas autoridades governamentais constituídas e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que eles sejam índios, afrodescendentes, sem terra, homossexuais ou se autodeclarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos. 
Assim é que, se um branco, um índio e um afrodescendente tiverem a mesma nota em um vestibular, ou seja, um pouco acima da linha de corte para ingresso nas universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles! Em igualdade de condições, o branco hoje é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior (Carta Magna). Os índios, que pela Constituição (artigo 231) só deveriam ter direito às terras que eles ocupassem em 5 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado, e ponham passado nisso. Assim, menos de 450 mil índios brasileiros - não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também por tabela - passaram a ser donos de mais de 15% de todo o território nacional, enquanto os outros 195 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% do restante dele. Nessa exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não-índios foram discriminados. 
Aos 'quilombolas', que deveriam ser apenas aqueles descendentes dos participantes de quilombos, e não todos os afrodescendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição Federal permite (artigo 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito. 
Os homossexuais obtiveram do presidente Lula e da ministra Dilma Roussef o direito de ter um congresso e seminários financiados por dinheiro público, para realçar as suas tendências - algo que um cidadão comum jamais conseguiria do Governo! 
Os invasores de terras, que matam, destroem e violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que o governo considera, mais que legítima, digamos justa e meritória, a conduta consistente em agredir o Direito. 
Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem esse 'privilégio', simplesmente porque esse cumpre a lei. 
Desertores, terroristas, assaltantes de bancos e assassinos que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de R$ 4 bilhões de reais o que é retirado dos pagadores de tributos para 'ressarcir' aqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos. 
E são tantas as discriminações, que chegou a hora de se perguntar: de que vale o inciso IV, do artigo 3º, da Lei Suprema? Como modesto professor, advogado, cidadão comum e além disso branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço nesta sociedade, em terra de castas e privilégios, deste governo.
Fontes: A Voz de Silvio Jr. - blogopovo.com.br

Semana Global do Empreendedorismo tem inscrição aberta

Estão abertas as inscrições para a Semana Global do Empreendedorismo, que será realizada em Feira de Santana de 20 a 26 de novembro. Aberto ao público, o evento tem como objetivo fortalecer a cultura empreendedora, conectando e inspirando os participantes a empreender através da capacitação.
Serão seminários, palestras, oficinas e simpósios, dentre outros, abordando temas como empreendedorismo, carreira, comunicação, inovação tecnológica e modelo de negócio. A programação conta ainda com uma exposição robótica educacional, workshop de carreira, fórum de comunicação, feirão do jovem empreendedor, startup weekend e muito mais.
A abertura do evento ocorre na segunda-feira, 20, a partir das 18 horas, no Sesi, localizado no Alto do Cruzeiro. O encontro marcará o lançamento do Plano Estratégico de Sesenvolvimento de Feira de Santana (Projeto Feira 2030) e contará com a presença de autoridades municipais. Também será realizada uma palestra com tema "Cidades Criativas". As inscrições para a abertura estão sendo realizadas na Loja Virtual do Sebrae Bahia.
As demais atividades ocorrem em locais distintos. Acesse a programação clicando aqui. Para efetuar a sua inscrição nas capacitações e obter mais informações, o interessado deve acessar o site do programa Feira Empreende (www.feiraempreende.com.br) ou ligar nos telefones (75) 99972-8639 e (75) 3221-2153.
O evento é uma realização do programa Feira Empreende, que reúne diversas entidades representativas, entre elas o Sebrae, com o intuito de promover o desenvolvimento de negócios locais. Faça aqui o download da programação completa. 
(Com informações de Vívian Rodrigues, da Agência Sebrae de Notícias Bahia)

Quem É Quem

A direção regional da "Tribuna da Bahia" e o jornalista Antonio José Laranjeira convidando para a solenidade de premiação Quem É Quem Feira de Santana, que será realizada no dia 24 de novembro, às 20 horas, seguida de recepção, no Palacete Fróes da Motta.  
Trata-se de destaque de expressão pelo reconhecido mérito à presença de personalidades de Feira de Santana durante o ano de 2017.

"No centro de uma fantasia psicótica da esquerda"

Por Olavo de Carvalho

(Publicado no Diário Filosófico do autor no Facebook.)
Na esquerda brasileira já não existe, desde há muito tempo, pensamento individual. Tudo ali se decide em grupos, reuniões, debates internos em redes que formam o discurso ideológico destinado a criar e manter a hegemonia, o controle do movimento sobre o curso da vida social e política.
Decorridas algumas décadas da adoção desse estilo gramsciano de viver e pensar, é inevitável que cada participante da rede, desde os seus líderes e mentores intelectuais mais destacados até o último militante e tarefeiro, projetem a imagem da sua experiência sobre o que quer que lhe pareça personificar "o adversário".
Como, por outro lado, a esquerda domina hegemonicamente toda a mídia, o show business e o sistema de ensino, essa visão das coisas se alastra por toda parte e se torna o modo normal e normativo de interpretar todas as ações humanas.
Graças a esse fenômeno, chegamos ao ponto em que já ninguém mais consegue distinguir entre a influência difusa de um escritor, cujas idéias e palavras se impregnam num vasto círculo de leitores sobre o qual ele não exerce o menor controle, e as palavras-de-ordem de um líder de partido ou guru de movimento político.
É como se Aleksander Soljenítsin fosse uma espécie de Leonid Brejnev da oposição, cercado de um Politburô, de uma KGB, de um departamento de propaganda e de toda uma estrutura partidária e governamental oposta ao sistema de comando oficial.
Encontro-me, hoje, no centro dessa fantasia psicótica. Tudo o que faço e digo, por pessoalíssimo e original que seja, é interpretado como se fosse fruto de deliberações estratégicas no seio de um movimento "de direita"; e, quanto mais minhas palavras se difundem espontaneamente pela sociedade e meus livros alcançam um sucesso considerável, tornando-se símbolos aglutinadores de sentimentos populares difusos, mais a esquerda inteira me enxerga como um temível chefe de partido, o membro e representante de um comitê diretivo, empenhado em transmitir palavras-de-ordem a toda uma militância obediente e disciplinada - exatamente aquilo que todos os intelectuais de esquerda são.
Por esse motivo, ninguém a quem as minhas opiniões desagradem imagina sequer a possibilidade de combatê-las pelos meios normais do debate intelectual, mas todos se empenham em mobilizar contra mim os instrumentos apropriados, antes, a destruir uma carreira política de deputado, senador ou presidente da República: os protestos coletivos, as movimentações de massa, a gritaria da militância organizada e, é claro, as campanhas virulentas de assassinato de reputação.
A anormalidade monstruosa desse estado de coisas salta aos olhos de qualquer observador isento, mas, nos próprios círculos de esquerda, parece a coisa mais normal e corriqueira do mundo combater um movimento político pelos meios usuais do combate político, sem ver que contra ela não se levanta um político ou uma organização de massas, mas apenas um escritor independente, sem respaldo partidário ou organizacional, sem patrocinadores, sem aparato de propaganda e sem outro auxílio que não o da sua esposa e de dois dos seus filhos.
A desproporção de forças, nesse confronto, é tal, que não se pode descrevê-la senão com a imagem empregada por Sebastião Castellio para resumir a disputa entre ele e a ditadura de João Calvino em Genebra: o mosquito contra o elefante.
Muitos líderes intelectuais e figuras de destaque nos círculos esquerdistas ajudaram a tecer em torno de mim essa imagem mitológica que já se consolidou numa campanha de caça ao Olavo de Carvalho.
Entre os culpados por esse estado de coisas destaca-se o sr. Caetano Veloso, que nunca abriu a boca a meu respeito para discutir minhas opiniões, mas para fazer delas a cristalização estereotipada de um movimento político que, na imaginação dele, se formou e atua exatamente como o "coletivo" da esquerda, apenas com sinal ideológico trocado.
Tão natural lhe parece esse modo de ver, que daí ele tira conclusões factuais totalmente fantasiosas, como por exemplo a de que "orquestrei" a vinda do deputado Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, com a qual não tive absolutamente nada a ver e da qual participei apenas como conferencista, a convite do presidente do Inter-American Institute, Jeffrey Nyquist.
Também é inevitável que, nessa fantasia paranóica, minhas opiniões pessoais, em vez de ser compreendidas conforme as escrevi pessoalmente, apareçam mescladas e indistintas com as de pessoas, grupos e organizações com os quais não tenho contato absolutamente nenhum e pelos quais não nutro sequer alguma simpatia.
http://olavodecarvalho.org
http://seminariodefilosofia.org
http://theinteramerican.org/
Fonte: http://midiasemmascara.org/