Istoé/Sensus: Aécio lidera com 54,6% das intenções de voto e abre 9,2 pontos contra Dilma

O candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), aparece com 54,6% das intenções de voto no último levantamento Sensus/Istoé, considerando os votos válidos, contra 45,4% da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição. A diferença é de 9,2 pontos percentuais, o equivalente a cerca de 12,8 milhões de votos. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Com a totalidade dos votos, Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%; 11,9% (aproximadamente 12,8 milhões de eleitores). A consulta entrevistou 2 mil pessoas em 24 estados e em 136 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01166/2014.

sábado, 25 de outubro de 2014

Propaganda eleitoral ilegal flagrada em ônibus do transporte coletivo







Vários ônibus – das empresas 18 de Setembro e Princesinha, permissionárias que exploram o serviço - do Sistema Integrado de Transporte de Feira de Santana foram flagrados pela Secretaria de Transportes e Trânsito (SMTT) circulando com propaganda eleitoral do PT, na manhã deste sábado, 25.
A Justiça Eleitoral enquadra a prática como ilegal e é enquadrada como crime eleitoral. O flagrante se deu na Estação de Transbordo Centro. Praguinhas, cartazes e adesivos da presidente-candidata Dilma Russeff foram afixadas nos pára-brisas dianteiros e nos fundos dos veículos.
Motoristas fardados e em atividade na condução dos ônibus também contribuíam para o crime eleitoral, com adesivos fixados na camisa da farda. Mais: santinhos foram distribuídos no interior dos ônibus.
O secretário de Transportes e Trânsito Ebenezer Tuy coordenou a fiscalização. Ele ressaltou que "o transporte coletivo urbano é público, sendo explorado por um ente particular com concessão do Município para prestar o serviço". 
Os ônibus flagrados com propaganda eleitoral foram retidos na Estação de Transbordo até as irregularidades serem sanadas. Depois foram liberados. Motoristas em serviço justificaram que saíram das garagens das empresas de ônibus com o material publicitário já fixado nos veículos.


"Auditoria constanta distorção na amostragem alterando resultados das pesquisas Datafolha e Ibope prejudicando Aécio Neves"



Diário do Poder teve acesso a uma auditoria realizada nas pesquisas de 15 de outubro dos institutos Datafolha e Ibope. O técnico responsável identificou que o Ibope entrevistou 46% de pessoas que votaram na candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff,  no 1º turno, e o Datafolha entrevistou 44%. Entretanto, Dilma teve 37,5% dos votos na primeira fase da eleição presidencial. Essa distorção na amostra pode ter retirado entre 3 e 5 pontos percentuais do candidato do PSDB Aécio Neves nas pesquisas do dia 15. Segundo o relatório, no Datafolha ele teria 54% e no Ibope, 56%, se fossem mantidas as proporções corretas dos resultados no 1º turno.
O Ibope, por exemplo, entrevistou 1.210 pessoas que votaram Dilma no 1º turno (46% do total), mas a atual presidente obteve 37,5% dos votos no 1º turno. Essa enorme diferença altera os resultados finais da pesquisa.
A matemática Datafolha
Foram entrevistados 3.596 pessoas que votaram Dilma no 1º turno (43,78% da amostra), 2.561 que votaram Aécio (31,18%), 1.515 que votaram Marina (18,45%) e 541 que votaram em outros/nulo/branco (6,59%), um total de 8.213 respostas. No entanto, o resultado do 1º turno foi: Dilma 37,58%, Aécio 30,31%, Marina 19,26% e outros/branco/nulo 12,84%. Para seguir a proporção, os entrevistados deveriam ser 3.087 que votaram Dilma, 2.489 que votaram Aécio, 1.582 que votaram Marina e 1.055 que votaram em outros/branco/nulo.
Segundo a pesquisa Datafolha do dia 15, daqueles que votaram Dilma no 1º turno, 88% votariam de novo e 6% votariam Aécio, ou seja, na pesquisa, foram 3.164 votos para Dilma (88% de 3596) e 216 para Aécio (6% de 3596), quando o correto, com as devidas proporções, seria 2.717 para a Dilma (88% de 3.087) e 185 (6% de 3.087) para o candidato do PSDB.
Dos que votaram Aécio no 1º turno, 94% votariam novamente e 3% votariam Dilma. Ou seja, foram 77 votos para Dilma (3% de 2.561) e 2.407 para Aécio (94% de 2.561). Na matemática "correta" seriam 75 para a Dilma (3% de 2.489) e 2.340 para o Aécio (94% de 2.489).
Dos que votaram Marina no 1º turno, 66% votariam Aécio no 2º turno e 19% na candidata do PT Dilma Rousseff. Ou seja, na pesquisa, foram 288 votos para a Dilma (19% de 1.515) e 1.000 (66% de 1.515) para Aécio. Mantidas as proporções do resultado na primeira fase, seriam 301 para a Dilma (19% de 1.582) e 1.044 para o Aécio (66% de 1.582).
Finalmente, entre os que optaram por outros/branco/nulo, 22% votariam Aécio e 12% votariam Dilma. A pesquisa aponta 65 votos para Dilma (12% de 541) e 119 para o Aécio (22% de 541). Na conta proporcional, seriam 127 votos para Dilma (12% de 1055) e 232 para Aécio (22% de 1.055).
Total alterado
Somando-se os votos na pesquisa , o Datafolha concedeu 3594 "votos" para Dilma (3.164 + 77 + 288 + 65) e 3.742 para Aécio (216 + 2.407 + 1.000 + 119), exatamente 51% para Aécio e 49% para Dilma, como divulgado pelo instituto, no dia 15 passado. Mas se fossem utilizadas as proporções certas na amostra em relação ao primeiro turno, os votos seriam 3.220 para a Dilma (2.717 + 75 + 301 + 127) e 3.801 para o Aécio (185 + 2.340 + 1.044 + 232), um total de 54% dos votos válidos para o Aécio e 46% para a Dilma, como outras pesquisas detectaram à época do levantamento.

Horário de votação na Bahia não sofre alteração



Eleitores devem comparecer aos locais de votação entre 8 e 17 horas, hora local; o esclarecimento é por conta do Horário Brasileiro de Verão
Neste domingo, 26, data marcada para a realização do segundo turno das Eleições 2014, os eleitores baianos deverão comparecer aos locais de votação entre 8 e 17 horas, hora local. A Bahia não participará do Horário Brasileiro de Verão este ano, que iniciou à meia noite do dia 18 de outubro.
Como os relógios estarão adiantados nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal, a divulgação dos resultados da apuração dos votos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) só poderá ser feita a partir das 19 horas, hora local (20 horas, em Brasília). Isso ocorrerá por conta do horário do Acre, cuja diferença será de três horas a menos que a Capital Federal.
O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) esclarece, ainda, que nenhum serviço eleitoral será prejudicado devido à mudança. A não adesão da Bahia foi comunicada ao TRE-BA pela Governadoria do Estado, para que fossem providenciados ajustes na configuração de sistemas eleitorais, caso fossem necessários.
(Com informações de ascom@tre-ba.jus.br)

Elinaldo vai às ruas de Camaçari para pedir votos para Aécio


A um dia do segundo turno da eleição presidencial, o vereador e primeiro suplente a deputado estadual Elinaldo, líder da oposição em Camaçari, foi às ruas neste sábado para pedir votos ao candidato Aécio Neves. "Ontem, mais uma vez, no debate da TV Globo, Aécio Neves demonstrou por que é o melhor candidato. Ele foi perfeito. Fez críticas e apresentou propostas concretas", disse o vereador.
Desde o final do primeiro turno, a rotina de Elinaldo tem sido conversar com lideranças e eleitores para pedir votos para Aécio Neves. De acordo com Elinaldo, a alternância de poder é um dos requisitos essenciais da democracia. "O PT está há 12 anos no poder no governo federal e não fez nada para combater a corrupção, além de se conformar com a estagnação da nossa economia", acrescentou o vereador.
Elinaldo disse, ainda, que a votação de Aécio Neves será surpreendente em Camaçari, assim como em toda a Bahia. "Existe uma insatisfação muito grande com o PT e os eleitores já demonstraram isso no primeiro turno, quando mais de 65% dos brasileiros votaram na oposição."
(Com informações de Monique Rivas, da Assessoria do Democratas Camaçari)

Mar de gente com verde, amarelo e azul nas ruas de Feira




"Agora é Aécio!" Esse foi o brado uníssono do mar de gente que tomou o centro de Feira de Santana na manhã deste sábado, 25, véspera do segundo turno das eleições. A candidatura à Presidência da República de Aécio Neves recebeu o apoio da população de Feira de Santana, durante a caminhada, iniciada às 9h20, a partir da praça Monsenhor Renato Galvão, local de concentração, com movimentação desde às 8 horas. 
O prefeito José Ronaldo liderou a caminhada. Ele assistiu ao debate da TV Globo e considerou que "Aécio Neves é mesmo o melhor candidato. Estamos confiantes na vitória neste domingo." Na caminhada, ele foi solicitado para selfies, conversou com populares e também apitou.
Homens e mulheres, crianças, jovens e adultos percorreram o percurso de pouco mais de uma hora, até a avenida Getúlio Vargas, ao lado da Igreja Senhor dos Passos, passando pela rua Conselheiro Franco, rua Tertuliano Carneiro, praça Fróes da Motta, rua Santos Dumont, praça João Barbosa de Carvalho (a do Fórum Filinto Bastos), rua Barão de Cotegipe.
O Hino Nacional Brasileiro foi cantado várias vezes pela multidão. Músicas da campanha de Aécio animaram os participantes, que cantaram e pularam com entusiasmo. Bandeiras do Brasil e da campanha do presidenciável eram carregadas pelos manifestantes, a maioria vestida de verde, amarelo e azul. Muitos carregavam cartazes com palavras de ordem contra o PT e manifestando indignação contra a situação em que o País de encontra. Apitos foram trilados. Adesivos foram colocados no peito de todos. Nas casas comerciais e nos passeios, assistentes aplaudiam a passagem da caminhada.
Presença dos candidatos a deputado federal Colbert Martins e Zé Chico, vereadores, lideranças políticas, servidores públicos federais, estaduais e municipais, empresários, profissionais liberais - como médicos e advogados -, enfermeiras, bancários, sindicalistas, estudantes
Todos confiantes na mudança que está por vir, com a eleição de Aécio Neves para a Presidência da República.

"Muito cuidado com as mesas eleitorais depois das 16h. Como flagrar!"



Por César Maia

Os "profissionais" das mesas eleitorais costumam usar uma fraude depois das 16h em várias mesas. Na medida em que as pessoas, em geral, não se interessam em participar das mesas, grupos "interessados" compõem as mesas. A partir das 16h o afluxo é mínimo. Um "amigo" se aproxima da mesa e o "mesário" aponta um nome para ele assinar. E em seguida vai votar.
Se por acaso chega o verdadeiro dono do nome, o "mesário" diz que houve um descuido, mas ele pode assinar em outro lugar, sem problema, porque na ata isso se ajusta. E assim vai.
Em mesas que se repetem em muitas eleições isso é feito com facilidade porque parte da abstenção compulsória (moram fora etc.) é conhecida. Por isso, o risco é mínimo, assim como a chegada no final do verdadeiro dono do nome.
Mas o TSE tem como pegar esta fraude. Basta cruzar a lista dos que justificaram a ausência com a lista dos que votaram. Isso se faz eletronicamente. Aqueles nomes que "votaram" e que justificaram ausência correspondem a uma fraude. Aquela urna deveria ser anulada retroativamente e procedida nova eleição.
Fonte: "Ex-Blog do César Maia"

O ÚLTIMO PROGRAMA DE AÉCIO

"O debate na TV Globo! Aécio pode ter ganhado até 3,3 pontos"


Por César Maia 

Os debates não mudam o voto dos decididos. Mas podem mudar os dos indecisos - 6% - somados aos que marcam sua intenção de voto nas pesquisas, mas admitem que podem mudar -10%. A tendência dos indecisos se pode mensurar pelas perguntas feitas pelos indecisos escolhidos pelo Ibope para fazerem perguntas. Todas as perguntas foram de críticas ao governo. Ou seja: precisavam de razões para votar na oposição. 
O debate mostra a falta que faz a prática parlamentar. Dilma não tem eloquência, gagueja, perde a continuidade da frase e se interrompe. Aécio não apenas levou vantagem por isso, mas com tiradas que geram lembrança como "para acabar com a corrupção no Brasil: tirar o PT do poder". Dilma tem erros de concordância e de português (para mim responder, etc.). E ainda sugeriu à economista indecisa fazer o Pronatec (arghh). 
A ambos falta suavizar as expressões, o que a TV gosta. Dilma nunca, Aécio às vezes. 
A audiência do debate foi de 30 pontos na média e 38 pontos no pico. A cada 100 televisores ligados, 47 sintonizavam o debate. 
Numa pesquisa telefônica (600 ligações Rio, SP, BH), buscando aqueles que não estavam convencidos antes do debate, citando Aécio, Dilma e nenhum dos dois por enquanto, e usando como referência aqueles 16% de indecisos, 39% responderam que o debate não foi suficiente. 41%, responderam Aécio e 20% Dilma. Ou seja, liquidamente, Aécio cresceria 3,3 pontos em relação à Dilma pelo debate, extrapolando-se para todo o Brasil.  
Fonte: "Ex-Blog do César Maia"

"Aécio vence rigorosamente todos os embates com Dilma nesta sexta; tucano faz na Globo o melhor debate da série, e Dilma, o pior"



Por Reinaldo Azevedo
Nunca antes na história desta eleição o tucano Aécio Neves tinha se saído tão bem num debate, e a petista Dilma Rousseff, tão mal. Ele é, nem petista pode negar, um debatedor mais competente do que ela, mas a desproporção jamais havia sido tão gritante. No encontro da Globo, Aécio foi melhor do que a média de Aécio, e Dilma, pior do que a média de Dilma. A presidente-candidata estava com o raciocínio confuso, mais do que de hábito, o discurso lhe saía truncado, as ideias, aos borbotões, sem um eixo organizador. Se é assim que ela pensa no dia a dia da administração, muita coisa se explica.
Dilma, a rigor, levou um direto no queixo logo no primeiro embate, ficou atordoada e não conseguiu mais se recuperar. O tucano abordou a reportagem publicada por VEJA, segundo a qual o doleiro Alberto Yussef confessou à Polícia Federal e ao Ministério Público que ela e Lula sabiam das lambanças ocorridas na Petrobras. O candidato do PSDB disse que daria a Dilma a chance de se explicar e perguntou: "A senhora sabia?" Dilma resolveu atacar a revista VEJA e anunciou que tomará decisões na Justiça. Na réplica, Aécio lamentou a resposta, criticou a sordidez dos ataques de que foi vítima e indagou se a adversária se orgulhava da campanha que fez. Dilma não respondeu; tartamudeou. O massacre se anunciava. Não vai aqui, acreditem, torcida ou juízo ditado por afinidades eletivas. Revejam o confronto. Dilma não conseguiu vencer um único embate.
Sobre a "questão VEJA", uma nota rápida: neste sábado, outros grandes veículos de comunicação fazem relatos parecidos, alguns até com detalhes novos. A exemplo do que faz a revista, atribuem as informações a Alberto Youssef, fornecidas no curso da delação premiada. Dilma pretende processar todos eles ou tem especial predileção por VEJA?
Notem: acho que os petistas podem destacar aspectos virtuosos de sua gestão ao longo de 12 anos. Não estão no terceiro mandato, com chances reais de conquistar o quarto, porque só cometam equívocos. Por que, então, precisam apelar com tanta determinação ao que não aconteceu, atribuindo aos adversários o que não fizeram? Resposta: porque esse é e sempre foi o jogo de Lula; o jeito que ele tem de fazer política.
Dilma disse que FHC deixou como herança uma inflação maior do que a que herdou - é falso! Que o governo (de novo!) tucano proibiu a construção de escolas técnicas. É falso. Atribuiu ao PSDB a responsabilidade por Minas ser a segunda unidade da Federação mais endividada do país. É falso. A dívida é a segunda, mas a gestão do partido, que pegou o Estado quebrado, reduziu o endividamento em 37%. A presidente-candidata disse ainda que os tucanos não têm apreço pelo salário mínimo. É falso. Nas gestões FHC, o aumento real passou de 85%. Segundo Dilma, seus adversários são contra o Enem. Ocorre que ele foi criado na gestão Paulo Renato - ministro de Educação de FHC. A petista voltou a chamar as ETECs de São Paulo, nas quais se inspira o Pronatec, de escolas experimentais. Falso! São 217 escolas, com 221 mil alunos.
Dilma levou algumas invertidas inesperadas porque o adversário já conhecia a resposta e tinha planejado o contra-ataque. Aécio perguntou se ela continuava a achar José Dirceu um herói ou se considerava justa a punição que lhe foi aplicada. A presidente-candidata fez o que dela se esperava: devolveu com o que chama de "mensalão mineiro". Coube ao tucano o arremate: um dos coordenadores da campanha da petista em Minas é Walfrido dos Mares Guia, peça-chave do que ela chama mensalão mineiro. Então Dilma acredita que esse tal crime aconteceu, mas chama seu principal organizador para a coordenação de sua candidatura em Minas?
O momento emblemático se deu no confronto sobre a corrupção. Um dos indecisos quis saber o que era preciso fazer para combatê-la. Cada candidato elencou as suas medidas e coisa e tal, mas Aécio partiu para a política: a mais eficaz das medidas, disse ele, é mesmo tirar o PT do poder.
Dilma perdeu feio até quando parecia que poderia ganhar. Quando se debate a questão das aposentadorias, Aécio afirmou que pretende criar um meio de acabar com o fator previdenciário. Mais uma vez, convidou Dilma para o corpo a corpo, e ela foi, afoita: afirmou que o dito-cujo foi criado no governo FHC. É verdade. E Aécio concordou. Só que ele lembrou que o Congresso aprovou o fim do fator, mas que Lula vetou. Xeque-mate.
Quantos votos o bom desempenho num debate muda ou conquista? Ninguém sabe. O fato é que Aécio está no segundo turno, contra a previsão de todos os institutos de pesquisa. E foi, sem dúvida, o melhor debatedor da jornada. Venceu o embate. Vamos ver agora o que acontece nas urnas. Para encerrar: o debate da Globo teve quase audiência de novela: 30 pontos. Foi um banquete para os indecisos.
Caso os principais institutos de pesquisa voltem a cometer erros gritantes, já dispõem de uma boa desculpa: foi o debate da Globo que mudou tudo!
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"Impeachment de Dilma já tem 636.598 assinaturas"



Petição de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) acumulava no começo da noite desta sexta-feira (24) mais de meio milhão de assinaturas (exatas 575 mil). À 01h58 deste sábado (25), esse número já chegava a 636.598. A petição, no site Avaaz, ganhou fôlego após revelação do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal de que Dilma e Lula sabiam do roubo na Petrobras. A PF suspeita que Youssef "lavou" R$ 10 bilhões.
Desqualificando
Em sua propaganda eleitoral na tevê, Dilma optou por desqualificar a revista Veja, que publicou a notícia, ameaçando-a de processo.
Credibilidade
Ao afirmar que Veja "não tem credibilidade", Dilma deveria explicar por que seu governo acredita na revista: é um dos principais anunciantes.
Gatunagem
O megadoleiro Alberto Youssef era o caixa do esquema de gatunagem na Petrobras, desmantelado pela Operação Lava Jato.
BC da ladroagem
Youssef e seu "sócio" Paulo Roberto Costa comandavam uma espécie de "banco central" da corrupção, instalado em 2006, no governo Lula.
Fonte: Cláudio Humberto

"Folha e Estadão apuram o mesmo que VEJA: Youssef disse à PF e ao MP que Dilma e Lula sabiam dos crimes na Petrobras. Dilma vai processá-los também?"


Por Reinaldo Azevedo

Neste sábado, tanto o Estadão como a Folha (em manchete) trazem reportagens com as informações publicadas por VEJA na edição que começou a circular nesta sexta, a saber: Alberto Youssef afirmou à Polícia Federal e ao Ministério Púbico que Dilma e Lula sabiam dos malfeitos na Petrobras. A revista informou, por exemplo, que, segundo o doleiro, José Sérgio Gabrielli, então presidente da estatal, ordenou que o esquema pagasse R$ 1 milhão a uma agência de publicidade que ameaçava denunciar o esquema. Segundo apurou o Estadão, Youssef afirmou que foi Lula quem mandou Gabrielli agir. Pois é…
No horário eleitoral do PT, Dilma atacou a revista VEJA e anunciou que pretende processá-la. Repetiu a ladainha no debate da Globo. Isso é com a governanta. Qualquer um que tenha acompanhado a fala da candidata sabe que VEJA é que tem motivos para processá-la. Mas isso também não é comigo. Meu ponto aqui é outro. Pergunto: a petista pretende ir à Justiça também contra a Folha e o Estadão, porque trazem as mesmas notícias, ou tão notável privilégio só é concedido à VEJA?
Indaguei aqui e já tenho a resposta: que veículo de comunicação sério deixaria de publicar a informação que VEJA publicou? Notem que os dois jornais não se limitaram a reproduzir o que disse a revista. Eles também foram apurar. E chegaram praticamente às mesmas informações.
Uma dezena de celerados fascistoides, estimulados pela fala irresponsável de Dilma, foram fazer bagunça ontem na portaria da Abril. Largaram lá um monte de papel picado e picharam algumas placas. Essa gente expressa o que entende por democracia. Mas é importante notar: o estímulo veio de cima. Não tem jeito, isto não varia, igual em toda parte e em qualquer tempo: os principais inimigos dos autoritários é a imprensa livre. Vejam o que se deu na Venezuela. E vejam como está a Venezuela. Vejam o que se deu na Argentina. E vejam como está a Argentina.
Folha e Estadão fizeram, insisto, suas próprias e respectivas apurações e chegaram ao lugar a que havia chegado VEJA. Também eles não esperaram para publicar a informação depois do segundo turno. Pergunto outra vez: quantos veículos mais Dilma pretende processar?
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"O fim de uma era"


Por Vlady Oliveira

Enquanto o candidato Aécio Neves mostrava preparo, elegância e determinação para vencer e convencer no debate realizado pela Globo, uma foto postada no Coturno do Coronel simboliza o retrato acabado do que é o PT e sua corja de vagabundos. É uma foto do prédio do Grupo Abril, escandalosamente vandalizado por criminosos acobertados nas milícias porcas financiadas e apoiadas por esta quadrilha que insiste em querer nos desgovernar por mais quatro insuportáveis anos totalitários e fundamentalistas.
Atacam o mensageiro pela gravidade da mensagem. Querem esconder do povo brasileiro o tamanho de suas maracutaias. A VEJA não é governo, meus caros. Não é órgão público. É uma empresa privada, como a sua casa e a minha, caro eleitor indeciso. Dá pra entender o tamanho da afronta e a virulência dos ataques que fazem às nossas liberdades?
Eu mesmo já tive que suportar o petê enviando um carro de som para a porta do condomínio onde moro - um condomínio residencial particular - para fazer o maldito proselitismo de sempre sob o pretexto de conclamar a vigilância privada de nosso conjunto residencial. A polícia foi chamada para restabelecer a ordem, miseravelmente conspurcada por esta camorra aboletada no poder.
Essa gente é contra o Brasil decente. Contra a propriedade privada. Contra a livre iniciativa. Contra a liberdade de expressão. Dessa gente emana um fedor insuportável do autoritarismo mais tacanho, mais canhestro e mais perigoso. Você tem a chance de deletar essa camorra do poder no domingo, caro eleitor. Pela via democrática. Pela exaustão. Pela indignação que essa gente causa em seres decentes. Faça a sua parte.
Há muito que isso extrapolou de um simples briga de torcidas capitaneadas por times diferentes. Eles querem o direito de continuar a roubar no jogo. Comprar o juiz. Aparelhar o campo. Amordaçar nossa democracia. Enganar os incautos. Você pode fazer a diferença, cidadão.Limpe essa sujeira em que se transformou nossa política. Tire esses vagabundos do poder no domingo. É a chance de ser honesto com o seu país. Pense bem na borrada que você dará na urna neste dia histórico. Depois disso, você pode não ter um país para voltar pra casa.
Fonte: Coluna do Augusto Nunes

Deu em Claudio Humberto


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Campanha por Aécio até a véspera da eleição

A candidatura à Presidência da República de Aécio Neves recebe o apoio da população de Feira de Santana, durante a caminhada, neste sábado, 25, véspera do dia das eleições em segundo turno, em mais uma atividade de campanha, saindo às 8 horas da praça Monsenhor Renato Galvão. 
O percurso: rua Conselheiro Franco, rua Tertuliano Carneiro, praça Fróes da Motta, rua General Câmara, praça D. Pedro II (de O Nordestino) e avenida Senhor dos Passos, encerrando em frente ao Paço Municipal Maria Quitéria.
"Todos os democratas que querem mudança estão convidados à participação", diz o prefeito José Ronaldo. Ele completa: "Vista verde, amarelo ou azul e venha para as ruas manifestar esse desejo, carregando a bandeira do Brasil. Manifeste sua indignação contra o que está aí."
Durante a véspera do dia eleitoral, também ocorrerão carreatas e caminhadas em Salvador, assim como em outras cidades do interior, eventos promovendo a campanha pró Aécio.
ROTEIRO ELEITORAL
No domingo, o prefeito vota no Ginásio Municipal Joselito Amorim, às 9 horas, na seção 6 da 154ª Zona eleitoral. Depois, José Ronaldo visita outras seções eleitorais.
Fonte: Página de José Ronaldo no Facebook

Resposta oficial de VEJA às agressões da candidata-presidente Dilma



Sobre a fala da presidente no horário eleitoral
A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, ocupou parte de seu horário eleitoral para criticar VEJA, em especial a reportagem de capa desta semana. Em respeito aos nossos leitores, VEJA considera essencial fazer as seguintes correções e considerações:
1) Antecipar a publicação da revista às vésperas de eleições presidenciais não é exceção. Em quatro das últimas cinco eleições presidenciais, VEJA circulou antecipadamente, no primeiro turno ou no segundo.
2) Os fatos narrados na reportagem de capa desta semana ocorreram na terça-feira. Nossa apuração sobre eles começou na própria terça-feira, mas só atingiu o grau de certeza e a clareza necessária para publicação na tarde de quinta-feira passada.
3) A presidente centrou suas críticas no mensageiro, quando, na verdade, o cerne do problema foi produzido pelos fatos degradantes ocorridos na Petrobras nesse governo e no de seu antecessor.
4) Os fatos são teimosos e não escolhem a hora de acontecer. Eles seriam os mesmos se VEJA os tivesse publicado antes ou depois das eleições.
5) Parece evidente que o corolário de ver nos fatos narrados por VEJA um efeito eleitoral por terem vindo a público antes das eleições é reconhecer que temeridade mesmo seria tê-los escondido até o fechamento das urnas.
6) VEJA reconhece que a presidente Dilma é, como ela disse, "uma defensora intransigente da liberdade de imprensa" e espera que essa sua qualidade de estadista não seja abalada quando aquela liberdade permite a revelação de fatos que lhe possam ser pessoal ou eleitoralmente prejudiciais.

 

Depoimento do doleiro Alberto Youssef - Áudio Completo



Depoimento de Alberto Youssef que não estava protegido por sigilo de Justiça, em que ele afirma que Lula loteou a Petrobras entre  os aliados.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"Aécio lidera com nove pontos de vantagem sobre Dilma"



Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra que o candidato do PSDB chega à reta    final da campanha com 54,6% das intenções de voto                     

Da redação
 Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. "Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação", afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.
        

Aécio Neves seria eleito presidente do Brasil se a eleição fosse hoje, afirma Sensus
Foto: Reprodução

De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios  revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.
Para conquistar os indecisos as duas campanhas apostam as últimas fichas nos principais colégios eleitorais do País: São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. O objetivo do PSDB e ampliar a vantagem obtida em São Paulo no primeiro turno e procurar virar o jogo em Minas e no Rio. Em São Paulo, Aécio intensificou a campanha de rua, com a participação constante do governador reeleito, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com as pesquisas realizadas pelo comando da campanha de Aécio, em Minas o tucano já estaria na frente de Dilma e a vantagem veio aumentando dia a dia na última semana. Processo semelhante ocorreu em Pernambuco, depois de Aécio receber o apoio explícito da família de Eduardo Campos e do governador eleito, Paulo Câmara. Os mesmos levantamentos indicam que no Rio de Janeiro a candidatura do senador mineiro vem crescendo, mas ainda não ultrapassou a presidenta. Para reverter esse quadro, Aécio aposta no apoio de lideranças locais, basicamente de Romário, senador eleito pelo PSB, que deverá acompanhá-lo nos últimos atos de campanha. Para consolidar a liderança, Aécio tem usado os últimos programas no horário eleitoral gratuito para apresentar-se ao eleitor como o candidato da mudança contra o PT. Isso porque, as pesquisas internas mostram a maior parte do eleitor brasileiro se manifesta com o desejo de tirar o partido do governo.
No comando petista, embora não haja um consenso sobre qual a melhor opção a ser colocada em prática nos dois últimos dias de campanha, a ordem inicial é a de continuar a apostar na estratégia de desconstrução do adversário. Nas duas últimas semanas, o que se constatou é que, ao invés de usar parlamentares eleitos para esse tipo de ação - como costumava fazer o partido em eleições passadas - os petistas escalaram suas principais lideranças para a missão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a própria candidata. Os petistas apostam no problema da falta d'água para tirar votos de Aécio em São Paulo e numa maior presença de Dilma em Minas para procurar se manter á frente do tucano no Estado.   
 PESQUISA ISTOÉ/Sensus
Realização - Sensus
Registro na Justiça Eleitoral - BR-01166/2014
Entrevistas - 2.000, em cinco regiões, 24 estados e 136 municípios do País
Metodologia - Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo - De 21 a 24 de outubro
Margem de erro - +/- 2,2%
Confiança - 95%


Damha Urbanizadora participa do 4º Festimóveis Feira de Santana


A Damha Urbanizadora, uma das empresas líderes no setor de loteamentos fechados no país, marca presença no 4º Festimóveis Feira de Santana, evento direcionado ao público que deseja comprar um imóvel.
Os visitantes que passam pela feira têm a oportunidade de conhecer o Residencial Village Damha  II, por meio do book e material informativo. Localizado no bairro SIM, o segundo empreendimento da Damha na cidade possui 683 lotes, em uma área total de 473 mil m².
O evento está ocorrendo  na praça principal do Boulevard Shopping, até domingo, 26.  O horário de funcionamento é de sexta-feira a sábado,  das 10 às 22 horas, e no domingo, das 14 às 21 horas.
Sobre a Damha Urbanizadora
A Damha Urbanizadora é uma empresa parte do Grupo Encalso Damha, conglomerado empresarial fundado em 1964 que atua nos seguintes segmentos: Engenharia Civil, Agronegócios, Shopping Center, Concessão de Rodovias, Energia e Empreendimentos Imobiliários.
Presente no cenário nacional desde 1979, a Damha desenvolve e executa loteamentos fechados e condomínios residenciais, reconhecidos pela alta qualidade urbanística e construtiva. Em seus projetos, aplica o que há de melhor em conceito de urbanismo no País e infraestrutura qualificada, em perfeita harmonia com o meio ambiente. Ao projetar empreendimentos que integram padrão diferenciado de moradia, lazer e segurança, a Damha transforma o cotidiano dos moradores e das cidades em que se insere.
A Damha Urbanizadora conta atualmente com 59 empreendimentos já lançados em nove estados brasileiros e mais de 21 mil unidades comercializadas. Em 2013, obteve um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 700 milhões. O landbank total é de mais de 100 milhões de m², que representam um VGV potencial superior a R$ 7 bilhões.
(Com informações de Laiza Lopes, Juliana Sampaio e Debora Maturana, de Edelman Significa)
Assessoria local:  Lilia Campos

Horário do Boulevard Shopping no 2º turno das eleições

O Boulevard Shopping vai funcionar em horário normal no dia 26 de outubro, 2º Turno das Eleições. As lojas ficarão abertas das 14 às 20 horas. Já a praça de alimentação Olney São Paulo abre às 12 e fecha às 21 horas. O Hiper Bompreço funciona normalmente das 8 às 21 horas, enquanto as Lojas Americanas ficarão abertas das 13 às 21 horas. A programação do cinema também permanece normal.

(Com informações de Marcela Gelinski, da ComunicAtiva Associados)

CDL inicia a campanha “Descubra um tesouro..., revire os baús da memória”

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Feira de Santana dá início a campanha "Descubra um tesouro..., revire os baús da memória", com o intuito de resgatar a história do comércio feirense, com a finalidade de tornar possível a formação de uma vasta coleção para o futuro Museu do Comércio que já está sendo criado na sede da entidade.
Todas as regiões brasileiras, e as cidades que as compõe, têm um perfil definido no tempo histórico. Algumas são regiões de pesca, outras de produção agrícola e, como é o caso de Feira de Santana e municípios circunvizinhos, há nesse perfil comercial, essa saga de desbravadores que percorriam o sertão com suas malas em lombo de mulas, cavalos e até gado, para comercializar os produtos vindos de fora; nesse exemplo, Feira se tornou a matriz comercial de onde se irradiava todo o fluxo de mercadorias para mais de 100 municípios baianos.
A CDL, compreendendo o importante papel dessa região no desenvolvimento do estado da Bahia, decidiu, numa atitude pioneira e audaciosa, recorrer ao conceito de museu para tratar dessa memória e dessa história. Para isso, todos os cidadãos estão sendo convocados a dar uma busca nos seus baús de memórias, em casa ou na casa de parentes, vizinhos e amigos no intuito de descobrirem objetos antigos, como: máquinas registradoras; máquinas de calcular manuais; aparelhos telefônicos; balanças; manuais de produtos; recipientes para cereais e outras mercadorias; exemplares de objetos que eram vendidos na região e que hoje fazem parte da história e são facilmente reconhecidos pelos mais experientes; fotografias de locais, pessoas, eventos; documentos diversos, a exemplo de notas fiscais de compras; informações sobre revendedor ou fabricante; propagandas de época; brindes (flâmulas, lápis, caixas de fósforo, etc.); mobiliário; malas e baús; moedas e cédulas; mapas; enfim, toda e qualquer coisa que tenha referência com a área comercial, desde o século XVII.
Diante desta proposta, convidamos a todos os cidadãos feirenses para abraçar esta causa, dando início a uma "caçada" ao TESOURO. E quando descobrir, não importa se um, dois ou 100 tesouros, dirija-se à sede CDL e doe o objeto que encontrou, para que possa fazer parte do acervo do Museu. Mas, se você não quiser ou não puder dar, existem outras formas de incorporar. Por isso, venha conversar conosco. Estaremos de braços abertos esperando você e o seu tesouro histórico, artístico, comercial.
Abrace esta causa, sendo um membro da futura Associação de Amigos do Museu do Comércio.

(Com informações de Silvana Ferraz, da Assessoria de Comunicação da Câmara de Dirigentes Lojistas)

Quem lembra da Churrascaria Shangay?


Oposição faz campanha por Aécio até a véspera da eleição

A candidatura de Aécio Neves à Presidência da República recebeu o apoio da população de Salvador, com acenos e gestos positivos, durante a Carreata 45, liderada pelo prefeito ACM Neto e o ex-governador Paulo Souto, na manhã desta sexta-feira, 24, no bairro de Brotas (Foto: Divulgação). “No próximo domingo, a Bahia vai manifestar sua vontade de mudança nas urnas, votando em Aécio”, afirmou Neto. Ainda nesta sexta, outras carreatas foram realizadas nos bairros do Cabula, Cidade Baixa e Cajazeiras.
Na parte da tarde, houve um ato pró-Aécio Neves, promovido pelas juventudes do Democratas, PMDB e PSDB, na frente do Iguatemi. O presidente estadual do Democratas, deputado federal eleito José Carlos Aleluia, esteve presente. “Os jovens são o futuro deste País. Eles querem novidades. Eles querem um caminho novo. Aécio é o novo jeito de governar com eficiência e decência”, assinala Aleluia.
Neste sábado, 25, a partir das oito horas, no Farol da Barra, haverá a PEDALADA MUDA BRASIL - AGORA É AÉCIO, com a participação do prefeito ACM Neto. O evento ciclístico será aberto a todos, que queiram participar. A sugestão da organização do ato sobre duas rodas é para os participantes irem, preferencialmente, trajados de verde e amarelo e com bandeiras do Brasil.
A Barra também será palco da Charanga 45, um divertido ato de apoio à candidatura de Aécio, que ocorrerá neste sábado, a partir das 17 horas. O prefeito ACM Neto, o ex-governador Paulo Souto e os presidentes estaduais José Carlos Aleluia, do Democratas, e Geddel Vieira Lima, do PMDB, já confirmaram presença. Durante a véspera do dia eleitoral, no sábado, também acontecerão carreatas pela capital baiana, assim como, em outras cidades do interior, haverá eventos promovendo a campanha tucana.
ROTEIRO ELEITORAL
Os líderes da oposição na Bahia já estão com seus roteiros eleitorais definidos para o próximo domingo. O ex-governador Paulo Souto vota, às 9h30, na Escola Pedro Calmon, no Jardim Armação. Às 10 horas, Geddel Vieira Lima vai às urnas do Colégio Antonio Vieira, no Garcia. O prefeito ACM Neto votará às 10h30, na Faculdade de Administração da Ufba, no Vale do Canela. Já Aleluia cumpre seu dever cívico às 11h30, no Colégio Anísio Teixeira, na Ladeira do Paiva, na Caixa D’Água. Todos devem se reunir na votação do prefeito ACM Neto.
Em Feira de Santana, o prefeito José Ronaldo vota no Ginásio Municipal Joselito Amorim, às 9 horas, na seção 6 da 154ª Zona eleitoral.

"Doleiro Yousseff promete entregar à Justiça números de contas secretas do PT em paraísos fiscais"



O Planalto sabia de tudo

Os trechos mais quentes da reportagem de VEJA deste fim de semana sobre as confissões à Justiça do doleiro Alberto Youssef, um dos cabeças do esquema de corrupção na Petrobras:
• - O Planalto sabia de tudo!
  - Mas quem no Planalto? - perguntou o delegado.
  - Lula e Dilma - respondeu o doleiro.

• Na semana passada ele aumentou de cerca de trinta para cinquenta o número de políticos e autoridades que se valiam da corrupção na Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais. Aos investigadores Youssef detalhou seu papel de caixa do esquema, sua rotina de visitas aos gabinetes poderosos no Executivo e no Legislativo para tratar, em bom português, das operações de lavagem de dinheiro sujo obtido em transações tenebrosas na estatal. Cabia a ele expatriar e trazer de volta o dinheiro quando os envolvidos precisassem.
• Entre as muitas outras histórias consideradas convincentes pelos investigadores e que ajudam a determinar a alta posição do doleiro no esquema - e, consequentemente, sua relevância pa­ra a investigação -, estão lembranças de discussões telefônicas entre Lula e Paulo Roberto Costa sobre a ampliação dos "serviços", antes prestados apenas ao PP, também em benefício do PT e do PMDB.
• "O Vaccari está enterrado", comentou um dos interrogadores, referindo-se ao que o do­leiro já narrou sobre sua parceria com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto. O doleiro se comprometeu a mostrar documentos que comprovam pelo menos dois pagamentos a Vaccari. O dinheiro, desviado dos cofres da Petrobras, teria sido repassado a partir de transações simuladas entre clientes do banco clandestino de Youssef e uma empresa de fachada criada por Vaccari.
• O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu a dar à PF a localização, o número e os valores das operações que teria feito por instrução da cúpula do PT.
• Youssef dirá que um integrante da ­coor­denação da campanha presidencial do PT que ele conhecia pelo nome de "Felipe" lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam­panha presidencial de Dilma Rousseff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba.
Fonte: "O Globo"

"A CAPA DE VEJA - Ou: Se Dilma for reeleita, o presidente do Brasil acabará sendo MichelTemer. Ou: Além de dizer que a governanta sabia da roubalheira na Petrobras, doleiro diz que pode ajudar polícia a identificar contas secretas do PT no exterior. Parece que a casa caiu!"



Por Reinaldo Azevedo
O governo segurou dados negativos sobre o Ideb, a miséria e a arrecadação, entre outros, porque teme que eles possam prejudicar a votação da candidata do PT à reeleição. Já é um escândalo porque o Estado brasileiro não pertence ao partido. Ao jornalismo não cabe nem retardar nem apressar a publicação de uma reportagem em razão do calendário eleitoral. A boa imprensa se interessa por fatos e disputa, quando muito, leitores, ouvintes, internautas, telespectadores. Na terça-feira passada - há três dias, portanto -, o doleiro Alberto Youssef, preso pela Operação Lava Jato, deu um depoimento estarrecedor à Polícia Federal e ao Ministério Público. A revista VEJA sabe o que ele disse e cumpre a sua missão: dividir a informação com os leitores. Se, em razão disso, pessoas mudarão de voto ou se tornarão ainda mais convictas do que antes de sua opção, eis uma questão que não diz respeito à revista - afinal, ela não disputa o poder. E o que disse Youssef, como revela VEJA, numa reportagem de oito páginas? Que Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sabiam da roubalheira que havia na Petrobras.
Mais: Youssef se prontificou a ajudar a Polícia a chegar a contas secretas do PT no exterior. Segundo as pesquisas, Dilma poderá ser reeleita presidente no domingo. Se isso acontecer e se Youssef fornecer elementos que provem que a presidente tinha conhecimento das falcatruas, é certo como a luz do dia que ela será deposta por um processo de impeachment. Não é assim porque eu quero. É o que estabelece a Lei 1.079, com base na qual a Câmara acatou o processo de impeachment contra Collor e que acabou resultando na sua renúncia. O petrolão já é o maior escândalo da história brasileira e supera o mensalão.
O diálogo que expõe a bomba capaz de mandar boa parte do petismo pelos ares é este:
- O Planalto sabia de tudo!
- Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
- Lula e Dilma, respondeu o doleiro.
Youssef diz ter elementos para provar o que diz - e, em seu próprio benefício, é bom que tenha, ou não contará com as vantagens da delação premiada e ainda poderá ter a sua pena agravada. A sua lista de políticos implicados no esquema já saltou, atenção, de 30 para 50. Agora, aparece de forma clara, explícita, em seu depoimento, a atuação de José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras durante o califado de Lula e em parte do governo Dilma. Entre outros mimos, ele revela que Gabrielli o chamou para pagar um cala-boca de R$ 1 milhão a uma agência de publicidade que participava do pagamento ilegal a políticos. Nota: Youssef já contou à PF que pagava pensão mensal a membros da base aliada, a pedido do PT, que variavam de R$ 100 mil a R$ 150 mil.
Pessoas que conhecem as denúncias de Youssef asseguram que João Vaccari Neto - conselheiro de Itaipu, tesoureiro do PT e um dos coordenadores da campanha de Dilma - será fulminado pelas denúncias. O doleiro afirma dispor de provas das transações com Vaccari. Elas compõem o seu formidável arquivo de mais de 10 mil notas fiscais, que servem para rastrear as transações criminosas.
Contas no exterior
É nesse arquivo de Youssef que se encontram, segundo ele, os elementos para que a Polícia Federal possa localizar contas secretas do PT em bancos estrangeiros, que o partido sempre negou ter, é claro. Até porque é proibido. A propósito: o papel de um doleiro é justamente fazer chegar, em dólar, ao exterior os recursos roubados, no Brasil, repatriando-os depois quando necessário.
Por que VEJA não revelou isso antes? Porque Youssef só depôs na terça-feira. A revista antecipou a edição só para criar um fato eleitoral? É uma acusação feita por pistoleiros: VEJA publicou uma edição na sexta-feira anterior ao primeiro turno e já tinha planejada e anunciada uma edição na sexta-feira anterior ao segundo turno. Mas que se note: ainda que o tivesse feito, a decisão seria justificada. Ou existe alguém com disposição para defender a tese de que vota melhor quem vota no escuro?
Quanto ao risco de impeachment caso Dilma seja reeleita, vamos ser claros: trata-se apenas da legislação vigente no Brasil desde 10 de abril de 1950, que é a data da Lei 1.079, que define os crimes de responsabilidade e estabelece a forma do processo. Valia para Collor. Vale para Dilma. Se Youssef estiver falando a verdade - num processo de delação premiada - e se Dilma for reeleita, ela será deposta. Se a denúncia alcançar também seu vice, Michel Temer, realizam-se novas eleições diretas 90 dias depois do último impedimento se não tiver transcorrido ainda metade do mandato. Se os impedimentos ocorrerem nos dois anos finais, aí o Congresso tem 90 dias para eleger o titular do Executivo que concluirá o período.
Informado, o eleitor certamente decide melhor. A VEJA já está nas bancas.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"