Dê este livro - R$ 30,00 - de presente

Dê este livro - R$ 30,00 - de presente
Adquira no Boulevard Shopping (na Cappa Clara Tabacaria), Restaurante Flor do Maracujá (na Kalilândia), bancas Avenida, Cidreira e Status (na avenida Getúlio Vargas), no Espaço Cultural e O Folheteiro (no Mercado de Arte Popular)

Lançamento nacional

Lançamento nacional
Orient Cineplace Boulevard: 13h40 - 18h20 - 20h50

Lançamento mundial

Lançamento mundial
Orient Cineplace Boulevard - 13 - 15h40 - 18h20 - 21

*

*

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Morre ator Bruno Ganz

Faleceu na sexta-feira, 15, o ator suíço Bruno Ganz, aos 77 anos. Ele se tornou conhecido ao interpretar o ditador nazista Adolph Hitler em "A Queda! As Últimas Horas de Hitler" (Foto: IMDb).
Filmografia



Nomes de Feira de Santana na lista de beneficiários

Na revista "IstoÉ" da semana passada, a matéria "A farra das indenizações", que traz a lista completa com os nomes dos beneficiários e seus respectivos valores.  A lista total de pessoas beneficiadas até o final de 2018 inclui 39 mil nomes. O teto de indenização determinado por lei é R$ 100 mil. De Feira de Santana, vários nomes aparecem na lista.
O Ministério dos Direitos Humanos analisa os dados da Comissão da Anistia, desde o dia 30 de janeiro. Uma avaliação preliminar revela indícios de direcionamento para o pagamento de indenizações a pessoas próximas dos governos petistas.
A publicação apurou junto a técnicos que atuaram e ainda atuam na Comissão de Anistia que a regra geral estabelecida pelas gestões do PT era a de conceder as indenizações. Alguns critérios vagos e genéricos atuaram, conforme denunciam os próprios técnicos da Comissão, para facilitar a aprovação dos pagamentos. Eram as "brechas" para que as indenizações fossem concedidas. Por exemplo, toda greve ocorrida durante o período militar, mesmo que fosse de cunho trabalhista, era considerada política só pelo fato de ter ocorrido durante a ditadura. Gerou, assim, toda a sorte de indenizações.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

"O fim de uma ilusão"

Yoani Sánchez fez um artigo especialmente para a Crusoé.
Ela conta que os cubanos sonharam alto com o dinheiro brasileiro destinado à ilha na era PT, mas a esperança virou pó.
Dizer "Brasil" em Cuba é mencionar um sonho, o reflexo de algo que poderia ter sido e que não foi. Mas também é a evidência do fracasso de uma estratégia e da caída em desgraça de um apoio que teve mais ideologia do que pragmatismo.
Leia o artigo completo aqui.
Fonte: https://www.oantagonista.com




"Hipocrisia ataca o PSL, mas ignora PT, DEM..."


Em meio ao falatório para transformar em escândalo de corrupção a transferência de R$400 mil a uma candidata do PSL não eleita em Pernambuco, setores hostis ao presidente Jair Bolsonaro, inclusive na mídia, fazem vista grossa para 'figurões' que torraram R$ 60 milhões dos fundos partidário e eleitoral, em 2018, e apesar da montanha de dinheiro público, fracassaram nas urnas. Casos dos petistas Lindbergh Farias (R$ 2,6 milhões do PT) e Dilma Rousseff (R$ 4,1 milhões).
Lula: R$ 20 milhões

Caso chocante de gasto do Fundo Eleitoral foi o de Lula, o presidiário: sem pôr o pé na rua, teve R$ 20 milhões do PT para sua "campanha".

Papelão

Também ninguém menciona o caso de Romero Jucá (RR). Recebeu R$ 2,25 milhões do MDB, proveniente do Fundo Eleitoral, e nada.
Desmobilizados
Integrante da tropa de choque anti-impeachment, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) gastou R$ 2 milhões do Fundo e também fracassou.
Dinheiro nosso
Os petistas Wadih Damous e Luiz Sérgio dançaram no Rio, Zé Mentor Valmir Prascidelli, em SP. Receberam R$ 3 milhões e não são citados.
Fonte: Cláudio Humberto

Olney São Paulo e a literatura

41 anos da morte de Olney
Além de inscrever seu nome - e o de Feira de Santana - no cenário cinematográfico nacional e internacional, Olney São Paulo (07.08.1936-15.02.1978) também era ligado à literatura. Ele escreveu em 1965 o livro de contos  "A Antevéspera e o Canto do Sol".
Nesse livro, o conto "Destacamento", foi republicado em 2009 como o nome de "Cravo Santo", pela Fundação Senhor dos Passos, através do Núcleo de Preservação da Memória Feirense. Exemplares foram distribuídos aos presentes no dia 9 de agosto de 2009, no Tributo a Olney São Paulo, realizado na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).  
Olney foi diretor da revista "Sertão", órgão da Associação Cultural Filinto Bastos, exclusivamente cultural. No número 1 da revista, ele escreveu o ensaio "Vingança".
Ele também assinava a coluna "Cineópolis", no jornal "O Coruja", do Colégio Santanópolis, onde estudava. Começou escrevendo sobre cinema antes de roteirizar e dirigir filmes.
Estudos de relações entre literatura e cinema no Brasil, foram desenvolvidos pelo Núcleo de Estudos em Literatura e Cinema (Nelci), da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
Olney também foi estudado para uma seleção de mestrado em História da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo, por Johny Guimarães da Silva, com a proposta "O Sertanejo no Cinema de Olney São Paulo".
Como já foi dito, Olney é sertanejo-urbano, jacuipense, feirense, baiano, carioca e brasileiro, um artista do mundo.
Homenagens
Em Feira de Santana, Olney deu nome a Cine Clube - que não está mais em atividade; seu filme "O Grito da Terra" virou nome de jornal - também extinto; teve mesa com seu nome no Balcão Di Vidros - um bar que já fechou. Também foi nome de premiação, em 1994, do Salão Universitário de Artes Plásticas, do Museu Regional de Arte. Na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) existia o Coletivo Olney São Paulo, entidade formada por professores e alunos para estudar cinema. Na Galeria Carmac, no centro da cidade, tem um espaço chamado praça Olney São Paulo, e no Tomba existe uma extensa rua com seu nome. Olney também denomina a praça de alimentação do Boulevard Shopping.
Mais: a edição de 1978 da Jornada Baiana de Cinema fez homenagem a Olney. "Muito Prazer", filme de David Neves, com Ilya São Paulo no elenco, teve lançamento em Feira de Santana, no Íris, em homenagem póstuma a Olney.
"Pinto Vem Aí" foi premiado no V Festival Brasileiro de Curta-Metragem do Jornal do Brasil. "Manhã Cinzenta" foi apresentado em vários festivais internacionais, como Pesaro (Itália), Cracóvia (Polônia), Mannheimm (Alemanha) - onde foi premiado com o Filmdukaten, em 1970, e causou curiosidade nos alemães com sua presença, pois ele foi para o festival de sandálias de tiras de couro cru, naturalmente compradas na feira livre de sua terra -, Londres (Inglaterra), Havana (Cuba), e Viña Del Mar (Chile). "Manhã Cinzenta" (rèalisé par Olney A Sau Paulo) também participou de mostra paralela no Festival de Cannes (França), em 1970. Em 1976, participação no V Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz (Portugal).
Olney foi elogiado por Orson Welles (realizador do maior filme de todos os tempos, "Cidadão Kane"), para quem "Manhã Cinzenta" era um filme extraordinário. Glauber Rocha chamou Olney de "mártir do cinema brasileiro", disse mais que ele "é a metáfora de uma alegoria. Alegorias estas que muitas vezes foram barradas mas que nunca deixaram de ser registradas". Sobre "Manhã Cinzenta", o crítico e cineasta Rubem Biáfora comentou no jornal "O Estado de São Paulo": "Uma fita mais abertamente polêmica, que a Censura cometeu o erro e a inutilidade de proibir". A empresa Dezenove Som e Imagem, em São Paulo, dedicada a "filmes de autor", tem em seu acervo uma cópia de "Manhã Cinzenta".
No catálogo oficial do I Mille Occhi, oitava edição do Festival Internacional de Cinema e de Arte, realizado em Triestre, na Ítália, entre 18 e 26 de setembro de 2009, consta artigo de Dimas Oliveira, especialmente escrito (e traduzido do inglês para o italiano), sobre "Grito da Terra", de Olney São Paulo, que foi exibido no festival. A atriz Helena Ignez - que atuou na realização feirense - foi destacada com o "Premio Anno Uno" e teve mostra de seus filmes no evento. O catálogo dedica 26 páginas (29 a 54) a Helena Ignez, sendo as duas últimas destinadas ao filme de Olney São Paulo.
No dia 3 de dezembro de 2011, Olney foi homenageado dentro da mostra de curtas do Tocayo, evento multimídia que ocupou o Galpão da Ação da Cidadania, no Centro do Rio de Janeiro. Ao todo foram exibidos quatro títulos do cineasta: "Manhã Cinzenta" (1968), obra que culminou em sua prisão; "Grito da Terra" (1964); "Sob o Ditame do Rude Almajesto: Sinais de Chuva" (1976); e "Pinto Vem Aí" (1976). A 12ª edição do Tocayo reuniu cerca de 50 artistas, com 12 horas de atividades culturais. Em 2011, Henrique Dantas lançou o documentário "Sertão Cinzento", sobre Olney e seu filme mais polêmico, "Manhã Cinzenta". Em 2013, a vez de Henrique Dantas lançar "Sinais de Cinza: A Peleja de Olney São Paulo Contra o Dragão da Maldade", que conta a trajetória do cineasta e dá a dimensão da importância do cinema político de Olney.
A data de nascimento de Olney, 7 de agosto, é Dia Nacional do Documentarista.

"Pelo fim da PEC da Bengala"


Por Percival Puggina
Num vídeo, vejo o atual presidente do STF, em palestra realizada no ano de 2014, discorrendo com enorme naturalidade sobre um crime de supressão de documentos ocorrido sob suas barbas. Na TV, fico sabendo que, sob múltiplos apelos, a CPI Lava Toga foi morar no arquivo do Senado. Nas redes sociais, informam-me que o Supremo começa a deliberar sobre ações envolvendo aborto, crime de homofobia e temas conexos. Há poucos dias, chocou-se a nação com a liminar concedida por Toffoli, quando ainda longe a alvorada, para que a eleição do presidente do Senado ocorresse como convinha à banda podre do PMDB e do PT. A imensa maioria dos senadores lixou-se para a ordem judicial, exibiu o voto dado, destronou a turma sinistra e ficou por isso mesmo. Um mês antes, Marco Aurélio não determinara a soltura de mais de 200 mil presos? No Twitter, o procurador do Ministério Público de Contas junto ao TCU, Júlio Marcelo Oliveira aponta três pilares de sustentação da impunidade, sendo, um deles, "a visão de mundo de Gilmar, Toffoli, Lewandowski e Marco Aurélio, que parecem sofrer quando um corrupto é preso". E arremata: "O STF, hoje, é parte do problema e não da solução". Há que dar um jeito no Supremo e a revogação da PEC da Bengala é o jeito.
Resulta difícil conciliar toda uma infinita cadeia de ocorrências nada louváveis e o muito mais que se sabe e presume, com a arrogância que tão decisivamente se manifesta naquele recinto. A mais recente evidência está no ingresso em pauta de temas que todos sabem ser de competência do Congresso Nacional, como a criminalização da homofobia e do aborto.
A alegação que empurra ou puxa essas pautas para endereço errado é pueril: o Legislativo se recusa a legislar. Diante disso, com muita propriedade, indaga o promotor de Justiça Bruno Carpes: "E quando o Judiciário deixa de julgar, o Legislativo julga por ele?" (cai o pano, o público aplaude).
Então, vamos explicar bem devagar para que até os ministros do STF entendam. Nos parlamentos, as coisas funcionam assim. Suponhamos (apenas um exercício de imaginação, tal projeto não existe) que um deputado protocole proposta para permitir, que, em nome do multiculturalismo, famílias de certas etnias possam promover a mutilação genital feminina (infibulação), segundo seus próprios costumes, com atendimento pelo SUS para evitar riscos à saúde (argumentos, aliás, que têm sido usados para justificar crimes muito maiores contra a vida). O projeto "Infibulação gratuita e segura" poderia circular durante décadas sem ser votado porque o autor, sabendo-o sem apoio, não o quer rejeitado. Omissão do Legislativo? Não! O projeto não tem apoio suficiente, não conseguiu formar maioria, não vai a plenário porque não tem voto, e o autor não tem interesse em perder.
Raramente, muito raramente, um projeto de parlamentar vai a plenário para ser rejeitado. O que acontece com esses temas que o STF se dispõe a abraçar é exatamente isso: envolvem assuntos sobre os quais não há maioria formada para aprovação, o que equivale a rejeição. E rejeitar um projeto, ou não o aprovar, é prerrogativa do Poder. Deu para entender, senhores ministros, ou preciso desenhar? Quem sabe um Power Point? Um videozinho? Uma entrevista com qualquer funcionário do protocolo da Câmara dos Deputados facilitaria a compreensão.
Quando o STF, alegando "omissão do Legislativo", invade sua competência e passa a legislar, está, pura e simplesmente, impondo a ilegítima vontade de sua pequena maioria sobre legítima decisão majoritária do Legislativo. É uma reiterada usurpação de competência que está, também ela, a apontar para necessidade de revogar a PEC da Bengala, conforme iniciativa proposta pela deputada Bia Kicis.
Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de "Crônicas Contra o Totalitarismo"; "Cuba, a Tragédia da Utopia"; "Pombas e Gaviões"; "A Tomada do Brasil". Integrante do grupo Pensar+.
Fonte: https://diariodopoder.com.br

Continuam à disposição


Estão no "Diário Oficial da Bahia", edição de quarta-feira, 13, decretos do governador Rui Costa que mantém à disposição da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, até 6 de junho de 2019, o servidor capitão PM Saulo Pereira Figueiredo, do quadro da Polícia Militar da Bahia, vinculada à Secretaria da Segurança Pública; até 31 de dezembro de 2019, os servidores Ozeny José de Moraes Cerqueira, lotado na Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural; e o servidor Mário Costa Borges, lotado  na Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura, todos sem ônus para os órgãos cedentes.
Assim, continuam no governo do prefeito Colbert Martins, Saulo Figueiredo, na Secretaria de Transporte e Trânsito; Ozeny Moraes, na Secretaria de Gestão e Convênios; e Mário Borges, na Chefia do Gabinete.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Dimas demais no cinema


No cinema indonésio, a presença de vários Dimas. Atores: Dimas, Dimas Anggara e Dimas Aditya; diretor: Dimas Djayadiningrat; cinegrafistas: Dimas Bathara e Dimas Iman Subhono; músico: Dimas Rakhmansyah.
Também no cinema grego, a presença de Dimas. Ator: Tasos Dimas; diretor: Christos Dimas.
No cinema americano, os atores Ray Dimas e Dimas Sutteno, que atuou em "Cidadão Kane" (1941).
Na Espanha, o ator Dimas e o cinegrafista Dimas. Tem Filipe Dimas, ator de naturalidade desconhecida.
Na Venezuela, os atores Dimas Gonzalez e Dimas Rodrigues. No Brasil, o ator gaúcho Dimas Costa.
Ainda tem os filmes "Dimas", aventura de Lindsay Hibbard, Estados Unidos, 2018 (poster); "Dimas", documentário grego sobre o halterofilista Spyrros Dimas; "Dimas de Leon", filme mexicano de 1986; e "Dimas e Madalena", filme filipino de 1997.

Convite para lançamento


Feira de Santana tem população estimada de 609.913 pessoas

Feira de Santana tem população estimada - em 2018 - de 609.913 pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população do último censo, em 2010, é de 555.642 pessoas.
Feira de Santana é o 34º município brasileiro entre os 5.570. É o segundo do Estado, entre 417 municípios. E é o primeiro município da micro região, entre 24.

Filmes em Exibição no Orient Cineplace Boulevard

Semana até quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

LANÇAMENTOS NACIONAIS
ALITA: ANJO DE COMBATE (Alita: Battle Angel), de Roberto Rodriguez, 2019. Com Rosa Salazar, Christoph Waltz, Jennifer Connelly e Mahershala Ali. Ação, aventura e ficção científica. Uma ciborgue é descoberta por um cientista, mas ela não tem memórias sobre sua criação. No entanto, possui grande conhecimento de artes marciais e vai buscar informações sobre seu passado. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 121 minutos. Horários: 13h10, 15h40, 18h10, com cópia dublada; e 20h40, com cópia legendada. Sala 4 (261 lugares).
MINHA FAMA DE MAU, de Lui Farias, 2019. Com Chay Suede, Malu Rodrigues, Gabriel Leone, Isabela Garcia e Paula Toller. Biografia. Na Tijuca dos anos 60, o jovem Erasmo Carlos alimenta uma paixão: o rock and roll. Fã de Elvis, Bill Haley e Chuck Berry, ele aprende a tocar violão enquanto vive de sonhos, bicos e pequenas delinquências. Sua fama de roqueiro atrai Roberto Carlos e logo se tornam parceiros e amigos. Um megassucesso chega com a Jovem Guarda, programa de televisão onde Roberto, Erasmo e Wanderléa são a atração principal. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 116 minutos. Horários: 13h40, 18h20 e 20h50. Sala 3 (165 lugares).
CONTINUAÇÕES
ESCAPE ROOM (Escape Room), de Adam Robitel, 2019. ComDeborah Ann Woll, Taylor Russel e Tyler Labine. Thriller. Christen resolve presentar o namorado em seu aniversário com um convite para participar de um jogo em que os participantes precisam conseguir sair de um labirinto. Mas, o que prometia ser um jogo inofensivo acaba de mostrando um quarto de horror. Segunda semana. Cópia dublada. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 100 minutos. Horários: 16h10, na Sala 3; e 19 horas e 21h10. Sala 1 (240 lugares).

COMO TREINAR SEU DRAGÃO 3 (How To Train Your Dragon: The Hidden World), de Dean DeBlois, 2019. Animação. Soluço e Banguela descobrem seus verdadeiros destinos: chefe da aldeia como governante de Berk ao lado de Astrid e o dragão como líder de sua própria espécie. À medida que os dois ascendem, a ameaça mais sombria que enfrentaram testará os laços de seu relacionamento como nunca antes. Quinta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Horários: 14h20 e 16h40. Sala 1.]
UMA AVENTURA LEGO 2 (The Lego Movie 2), de Mike Mitchell, 2019. Animação. Invasores lego duplo vindos do espaço, destruindo tudo em seu caminho a uma velocidade avassaladora. A batalha para derrotá-los e restaurar a paz no universo Lego levará Emmet, Lucy, Batman e seus amigos a mundos distantes e inexplorados, incluindo uma galáxia repleta de planetas inexplorados, personagens estranhos e novas músicas viciantes. Segunda semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração 107 minutos. Horários: 14 horas, 16h20, 18h40. Sala 2 (165 lugares). 

MINHA VIDA EM MARTE, de Susana Garcia, 2018. Com Monica Martinelli e Paulo Gustavo. Comédia. Com a ajuda de sua melhor amiga, Fernanda agora tem que lidar com as vantagens de ser casada, ou talvez solteira. Oitava semana. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 93 minutos. Horário: 21 horas. Sala 2.
ENDEREÇO E TELEFONE
Orient Cineplace Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515, para informações sobre programas e horários.(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

José Ronaldo em encontros de democratas


O ex-prefeito e ex-candidato a governador José Ronaldo (Democratas) teve uma quarta-feira, 13, de agenda intensa em Brasília-DF. 
Ele esteve reunido com o presidente do Senado Davi Alcolumbre (Democratas), bem como com o governador de Goiás Ronaldo Caiado (Democratas) e deputados federais baianos Elmar Nascimento, líder do partido na Câmara Federal, e João Roma.
"O futuro do Brasil será feiro com trabalho e diálogo", disse em sua página no Facebook.

Morre atriz Bibi Ferreira


Assista ao vídeo

Bibi Ferreira ao lado de Sabu no drama inglês "O Fim do Rio"
Foto: IMDb

A atriz Bibi Ferreira morreu nesta quarta-feira, 13, aos 96 anos. Era cantora, diretora, produtora, musicista e escritora, considerada a Grande Dama do palco brasileiro. Durante sua carreira ininterrupta de 72 anos, ela foi a força por trás dos muitos marcos do teatro brasileiro ao longo do século XX. 
Nascida Abigail Izquierdo Ferreira em 01 de junho de 1922, no Rio de Janeiro, seu pai foi um dos maiores atores do Brasil, Procópio Ferreira. Sua mãe era a bailarina espanhola Aída Izquierdo Ferreira.
Sua atuação no cinema foi pequena. Atuou em apenas quatro filmes:
"O Fim do Rio" foi filmado em Manaus, no Rio Amazonas, em Boa Vista-RR e Belém-PA, em 1947. Nesse filme, ela toca e canta "Trepa no Coqueiro" (Go Up the Cocoanut Tree), acompanhada de Raymon Lopez e Sua Banda.

Filme que promete ser de "arromba"



Gabriel Leone, Malu Rodrigues e Chay Suede em "Minha Fama de Mau"
Foto: Divulgação

Em "Minha Fama de Mau", de Lui Farias, figuras icônicas do cenário musical brasileiro, a partir do cantor e compositor Erasmo Carlos (Chay Suede). Assim, um mergulho nostálgico na música e na vida de Erasmo, o Tremendão, um símbolo do rock nacional. O filme tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 14, com três sessões - 13h40, 18h20 e 20h50 - no Orient Cineplace Boulevard.
O drama é inspirado na biografia do próprio artista. Aparecem na trama, Roberto Carlos (Gabriel Leone), Vanderleia (Malu Rodrigues), Carlos Imperial (Bruno de Luca), Billy Blanco (Paulo Machado), Candinha (Paula Toller), Tim Maia, então Tião (Vinicius Alexandre).
Tem referências a "Roberto Carlos em Ritmo de Aventuras", de Roberto Farias, pai de Lui, realizado em 1968, com a abertura do filme. Também a Elvis Presley, Bill Halley and His Comets, Chuck Berry. Citações a Renato e Seus Blue Caps e Eduardo Araújo.
O filme resgata 17 sucessos dos anos 60: "Minha Fama de Mau", "Festa de Arromba", "Eu Sou Terrível", "Lobo Mau", "Sentado à Beira do Caminho", "Vem Quente Que Eu Estou Fervendo", "Gatinha Manhosa", "Prá Sempre" e "Devolva-me", interpretadas por Chay Suede, esta última com Malu Rodrigues, que também canta  "Prova de Fogo" e "Meu Anjo de Guarda". Já Gabriel Leone interpreta "Parei na Contra Mão", "É Proibido Fumar", "Suzie", "O Calhambeque", "Amigo" e "João e Maria". "O filme está preocupado em contar a história das músicas e daí a trajetória do cantor, do autor", diz Lui Farias.

"Ceo da Disney faz visita a Brasília... pela Fox"


O principal executivo do conglomerado Disney, Roberto Iger, visitou Brasília nesta terça (12) para participar de reunião no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que examina grandes aquisições e fusões para evitar concentração e monopólio. Ele veio tratar da compra, pela Disney, do grupo 21st Century Fox, dono de estúdio de cinema, canais de TV a cabo etc e subsidiárias. Incluindo os canais Fox no Brasil. O que está "pegando" é a inclusão, no pacote, da FoxSports.
Fiscalização
Órgãos de controle de concorrência nos Estados Unidos implicaram. A Disney, que é dona dos canais ESPN, queria controlar a FoxSports.
Conflito
A Disney queria a FoxSports, terceira potência dos canais esportivos no Brasil, atrás de SporTV e ESPN. Mas poderia virar concentração.
Outro assunto
A visita de Roberto Iger coincide com os planos do DF de atrair parque temático Disney para Brasília. Mas a visita não teve esse objetivo.
Fonte: Cláudio Humberto

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Trailer de "Minha Fama de Mau"


Assista
Trailer de "Minha Fama de Mau", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 14, no Orient Cineplace Boulevard.

Trailer de "Alita: Anjo de Combate"


Assista
Trailer de "Alita: Anjo de Combate", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 14, no Orient Cineplace Boulevard.

Biografia de Erasmo Carlos e outra novidade

Biografia de Erasmo Carlos, "Minha Fama de Mau" é uma das novidades do Orient Cineplace Boulevard, a partir desta quinta-feira, 14. O outro lançamento é "Alita: Anjo de Combate".
Em "Minha Fama de Mau", de Lui Farias, na Tijuca dos anos 60, o jovem Erasmo Carlos (Chay Suede, Foto 1) alimenta uma paixão: o rock and roll. Fã de Elvis, Bill Haley e Chuck Berry, ele aprende a tocar violão enquanto vive de sonhos. Sua fama de roqueiro atrai Roberto Carlos e logo se tornam parceiros e amigos. Um megassucesso chega com a Jovem Guarda, programa de televisão onde Roberto (Gabriel Leone), Erasmo e Wanderléa (Malu Rodrigues) são a atração principal. 
Filme de ação, aventura e ficção científica, com direção de Roberto Rodriguez, com Rosa Salazar (Foto 2), como uma ciborgue que é descoberta por um cientista, mas ela não tem memórias sobre sua criação. No entanto, possui grande conhecimento de artes marciais e vai buscar informações sobre seu passado.
A animação "Uma Aventura Lego 2" entra em segunda semana, assim como o drama de mistério e ficção científica "Escape Room". Os dois filmes são inspirados em jogos, o segundo em  Puzzle.
Mais continuações: a comédia brasileira "Minha Vida em Marte", em oitava semana; e a animação "Como Treinar Seu Dragão 3", em quinta semana.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

"PSL na Bahia vai unir força com Democratas para derrubar o PT", diz secretário Alberto Pimentel


Secretário de Trabalho, Esportes e Lazer de Salvador e membro da Executiva do PSL na Bahia, Alberto Pimentel quer que o seu partido se una ao Democratas para derrotar o PT na eleição de 2022, quando haverá a sucessão de Rui Costa (PT).
"O rumo do PSL na Bahia é unir força com o Democratas para tentar derrubar o PT no nosso estado. Ninguém vai a lugar nenhum sozinho. Acho que unido a gente consegue mais. Obviamente, o PSL vai buscar o seu espaço e o Democratas. Já temos o nosso espaço e vamos buscar crescimento. Juntando isso tudo, a gente vai tentar derrubar o PT aqui no nosso estado", afirmou, em entrevista ao jornal "Tribuna da Bahia".
Casado com a presidente do PSL na Bahia, a deputada federal Professora Dayane Pimentel, Alberto afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não irá retaliar o Estado, mas ressaltou que o chefe do Palácio do Planalto pode beneficiar a Bahia sem ajudar o governo de Rui Costa. "Existe outras formas de beneficiar. Pode ser diretamente pelos municípios. A parceria será maior com os prefeitos do PSL e do Democratas, da base aliada. Mas, de jeito nenhum, o presidente irá prejudicar o nosso Estado", declarou.
Pimentel defendeu, ainda, que o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, seja o candidato à sucessão de ACM Neto em 2020. "A minha vontade é que ele seja o candidato de ACM Neto para a sucessão", ressaltou. 

Agência Reguladora fiscaliza serviços públicos de água

Termo de compartilhamento assinado com a Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia

A Agência Reguladora de Feira de Santana (Arfes) assinou na segunda-feira, 4, o termo de compartilhamento - por prazo indeterminado - da regulação e fiscalização dos serviços púbicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário com a Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Agersa).
O termo entre os entes federativos tem o objetivo de compartilhar as ações na área de saneamento básico, onde a agência estadual fica responsável pela regulação dos serviços de abastecimento de água e esgoto e a agência municipal fica responsável pela fiscalização desses serviços.
"Uma fiscalização mais efetiva dos serviços será o fruto desta iniciativa de gestão associada", assegura o diretor presidente interino da Agência Reguladora Carlos Brito, que assinou o convênio com o diretor presidente da Agersa Walter Antônio de Oliveira Júnior.
Segundo o convênio assinado, cabe à Agência Reguladora de Feira de Santana a regulação e fiscalização nos espaços de suas competências e limite territorial municipal a serem definidos.
"Fiscalizar diretamente os aspectos técnicos, operacional e gerenciais, bem como a qualidade da água distribuída à população" é um dos itens contidos no convênio, como informa o advogado Gabriel Marques Porto, diretor da Arfes.

Morte da atriz Julie Adams


Tomando conhecimento nesta segunda-feira, 11, do falecimento da atriz norte-americana Julie Adams (Fotos: IMDb), antes Julia Adams – seu nome real era Berry May Adams -, ocorrido no dia 3 passado, aos 93 anos. Era um dos principais nomes femininos do cast da Universal International nos anos 50. 
Ficou famosa por interpretar a heroína em perigo Kay Lawrence no filme "O Monstro da Lagoa Negra", de Jack Arnold, 1954, que serviu de inspiração para "A Forma da Água", o grande filme de 2018, de Guillermo Del Toro.
A publicidade da Universal afirmava que suas pernas ganhavam um prêmio como "a mais perfeitamente simétrica do mundo" e que estavam seguradas por 125 mil dólares. 
Julie Adams foi casada com o escritor e produtor Leonard Stern e com o ator Ray Danton.
Sua autobiografia foi co-escrita com seu filho Mitchell Dantos, intitulada "A Estrela do Sorte do Sul: Reflexões da Lagoa Negra", em 2011. 
Filmografia

Alberto Pimentel: "PSL vai unir força com Democratas para derrubar o PT"


Secretário Alberto Pimentel com sua esposa deputada federal 
Professora Dayane Pimentel
Foto: Divulgação

Secretário de Trabalho, Esportes e Lazer de Salvador e integrante da Executiva do PSL na Bahia, Alberto Pimentel quer que o seu partido se una ao Democratas para derrotar o PT nas eleições de 2022, quando haverá a sucessão do governador Rui Costa (PT).
"O rumo do PSL na Bahia é unir força com o Democratas para tentar derrubar o PT no nosso Estado. Ninguém vai a lugar nenhum sozinho. Acho que unido a gente consegue mais. Obviamente, o PSL vai buscar o seu espaço e o Democratas. Já temos o nosso espaço e vamos buscar crescimento. Juntando isso tudo, a gente vai tentar derrubar o PT aqui no nosso Estado", afirmou, em entrevista ao jornal "Tribuna da Bahia", publicada nesta segunda-feira, 11.

Casado com a presidente do PSL na Bahia, a deputada federal Professora Dayane Pimentel, Alberto afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não irá retaliar o Estado, mas ressaltou que o chefe do Palácio do Planalto pode beneficiar a Bahia sem ajudar o governo de Rui Costa. "Existe outras formas de beneficiar. Pode ser diretamente pelos municípios. A parceria será maior com os prefeitos do PSL e do Democratas, da base aliada. Mas, de jeito nenhum, o presidente irá prejudicar o nosso Estado", declarou.
Pimentel defendeu, ainda, que o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (Democratas), seja o candidato à sucessão de ACM Neto em 2020. "A minha vontade é que ele seja o candidato de ACM Neto para a sucessão", ressaltou.
 

Fonte: "Bahia Notícias"


"O Senado brasileiro sepultou Goebbels"

Por Percival Puggina

Neste momento, em algum gabinete parlamentar, redação de jornal ou repartição partidária, alguém está produzindo uma narrativa para explicar o inexplicável. Não sei quem é o tipo, nem sobre o que escreve. Mas o sujeito está lá, dedilhando seu computador, a construir histórias sobre fatos que, interpretados como devem, prejudicam seu partido, seu parlamentar, sua visão de mundo, sua engenharia social. A seu modo, é um discípulo de Goebbels. A atividade é bem remunerada e antiga, mas ele talvez ainda não saiba: é um homem fora de seu tempo.
Uma das nove musas gregas, de nome Clio, filha de Zeus e Mnemósine, era a fonte de inspiração da História e da criatividade. A parte que cabe aos operosos construtores de narrativas no Brasil contemporâneo é a da criatividade, somente ela. Dane-se a História! Sua tarefa é orientada para induzir ao erro, ocultar o que for inconveniente, exibir como acontecido o que não passa de suposição. Aliás, convencer sobre suposições é parte do trabalho, profundamente desonesto, portanto. Era o trabalho de Goebbels.
Também assim, em muitas salas de aula, a história do Brasil e os acontecimentos cotidianos são objetos de "narrativas" em dissimulados cursos de formação de militantes, que engrossam o caldo de cultura necessário a tal objetivo. Também assim, a imagem de Lula, a cada condenação, vai para o restauro e ganha grotesco remendos retóricos. Também assim, em vez de examinarem a indecente pretensão de eleger Renan Calheiros, criticaram a desobediência dos senadores ao "sagrado" sigilo de voto imposto pelo companheiro Toffoli. Também ele, está fora de seu tempo.
Nos últimos cinco anos, conservadores e liberais foram sendo acordados de sua letargia e passaram a clamar por mudanças, pelo desmonte desses artefatos de guerra cultural que custeiam. Descobriram que podiam recuperar seu país. E graças às redes sociais, aos modernos meios de comunicação, ninguém mais é dono da notícia e, menos ainda, de seu significado. O construtor de narrativas pode colocar na boca de um congressista a frase de que Lula foi condenado novamente para prejudicar sua indicação ao Nobel da Paz. Ele pode mandar dizer que não foram as organizações criminosas que motivaram a Lava Jato, mas a Lava Jato que criminalizou a política. Pode, mas viralizará em memes, piadas e causará gargalhadas. Goebbels vai ao suicídio.
Qualquer dúvida sobre o significado dessa nova, democrática e irreprimível interação restou esclarecida nas duas sessões preparatórias para a instalação do ano legislativo e eleição da presidência do Senado. Bem vistas as cenas, lançado esse olhar sobre o fervilhante comportamento do plenário, ficou evidente a intensa atividade on-line. Senadores filmavam e filmavam-se, falavam e ouviam. Iam às suas páginas e escreviam. E liam. E contavam likes e dislikes. Às urtigas a ordem do Toffoli! Exibiram seus votos porque a sineta da soberania popular soava sobre as mesas e nos bolsos dos casacos.
Durante décadas, os construtores de narrativas foram muito bem sucedidos. Especialmente no tempo das velhas "cartilhas". Ou do "cartilhismo", como dizíamos aqui no Rio Grande do Sul, onde escrevo. Com estes instrumentos, os ativistas de esquerda eram nacional e uniformemente abastecidos de construções retóricas, esfarrapadas desculpas e grotescas acusações que, reiteradas além dos limites da náusea, tinham, pela repetição, aquele indigesto e conhecido poder de convencimento estudado por Goebbels. Pois esse tempo acabou, rápido e a muito baixo custo. No Senado brasileiro, Goebbels foi sepultado de vez, com audiência nacional. Raras preces, muitas vaias.
Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de "Crônicas Contra o Totalitarismo"; "Cuba, a Tragédia da Utopia"; "Pombas e Gaviões"; "A Tomada do Brasil". Integrante do grupo Pensar+.
Fonte: https://diariodopoder.com.br

domingo, 10 de fevereiro de 2019

"TRF4 pode até mandar Lula para a penitenciária"


Quando julgar o recurso da segunda condenação do ex-presidente Lula, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) poderá rever o sua prisão em uma sala especial da Polícia Federal, em Curitiba, até por provocação do Ministério Público Federal (MPF). A avaliação é que Lula desfruta de tratamento privilegiado. A questão poderá também ser suscitada pelo novo juiz titular da 13ª Vara Federal, Luiz Antonio Bonat.
Sem previsão legal
Sérgio Moro ordenou o cumprimento da pena em uma sala da PF, por sua condição de ex-presidente, mas não há previsão legal para isso.
Custo elevado
O custo de Lula em Curitiba é de R$ 10 mil ao dia, enquanto o custo médio de um presidiário no Brasil não passa de R$ 2,7 mil por mês.
Um século de cana
As duas sentenças de Lula já somam 25 anos e ainda há sete outros processos que podem totalizar mais de cem anos de prisão.
Alegada prerrogativa
Defensores de Lula acham que ele tem a "prerrogativa" de cumprir todas as penas na sala especial, como se encontra atualmente.
Fonte: Cláudio Humberto