Lançamento em breve

Lançamento em breve

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Comércio tem horário especial de funcionamento para Natal



A partir de sábado, 6 de dezembro, o comércio feirense passa a funcionar em horário especial em função dos festejos natalinos. O acordo assinado entre o Sindicato do Comércio e o Sindicato dos Empregados do Comércio de Feira de Santana informa que as horas extras obedecerão à Convenção Coletiva 2014/2015, bem como alimentação e vale transporte.
Confira o horário:
Sábado, 6, até às 15 horas
Domingo, 7, das 09 às 15h.
De segunda-feira, 8, a sexta-feira, 12, até às 19 horas
Sábado, 13, até às 15 horas
Domingo, 14,  das 9 às 15 horas
De segunda-feira, 15, a sexta-feira, 19 até às 21 horas
Sábado, 20, até às 18 horas
Domingo, 21, das 9 às 17 horas
Segunda-feira, 22, e terça-feira, 23, até às 21 horas
Quarta-feira, 24, até às 16 horas
(Com informações de Silvana Ferraz, da Assessoria de Comunicação da CDL)

Ponto de venda itinerante traz O Natal O Boticário para Feira de Santana


Caminhões em formato de caixa de presente ganham as ruas para levar praticidade e conforto para os consumidores 
para as compras de fim de ano
Caminhões, transformados em caixas de presentes gigantes, percorrerão 45 cidades brasileiras levando O Natal O Boticário para os quatro cantos do país durante os meses de novembro e dezembro. O ponto de venda móvel, iniciativa inédita da empresa, terá espaço para experimentação e venda de kit presentes criados especialmente para a comemoração. Até 21 de dezembro, os seis caminhões adaptados vão levar mais conforto e praticidade para os consumidores durante as compras de fim de ano. Para este ano, O Boticário lançou 25 kits presente com marcas consagradas pelo público, além de acessórios exclusivos que deixam os presentes ainda mais especiais. As novidades incluem opções para todos os gostos e bolsos, das lembrancinhas aos “presentões”.
Na Bahia, o caminhão chega nesta quinta-feira, 27, na cidade de Alagoinhas. Já na segunda-feira, 1º de dezembro, passará pela cidade de Feira de Santana, seguida de Salvador, onde permanecerá de 3 a 7 de dezembro. A unidade móvel já passou pelas cidades de Ilhéus, 23, Itabuna, 24, e Camaçari, 26.
Sobre O Boticário
O Boticário é uma empresa do Grupo Boticário. Inaugurado em 1977, em Curitiba/PR, tem hoje a maior rede fraqueada de cosméticos do Brasil. A empresa conta com mais de 900 franqueados e 3.690 pontos de vendas em cerca de 1.750 cidades brasileiras. Seus produtos têm preços acessíveis, sofisticação e tecnologia de ponta. São mais de 1.100 itens, entre maquiagem, perfumaria e cuidados pessoais, como cremes, protetores solares, loções, desodorantes, shampoos, sabonetes, entre outros.
Sobre o Grupo Boticário
Constituído em 2010, o Grupo Boticário é uma referência internacional no varejo de beleza. Controla quatro unidades de negócio (O Boticário, Eudora, quem disse, berenice? e The Beauty Box), e é mantenedor da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Está presente em oito países e conta com uma força de trabalho composta por 7 mil colaboradores diretos que acreditam que beleza não é o que a gente sonha, imagina ou quer. Beleza é o que a gente faz.
(Com informações de Gabriela Bandeira, da Texto e Cia Assessoria de Comunicação)

Manutenção de monumento continua



Desde sexta-feira, 14, que o Monumento Relógio Rotary - criado pelo arquiteto Amélio Amorim - doado ao Município pelo Rotary Club de Feira de Santana e um dos cartões postais de Feira de Santana, está recebendo necessária manutenção.
A manutenção do equipamento público é bancada pelo Rotary Club, com limpeza e pintura de sua estrutura, mudança de material em peça e manutenção e acerto do relógio pela empresa Dimep.
Na tarde desta quinta-feira, 27, a pintura avançava. O monumento também vai ganhar uma nova iluminação, destacando as suas belas formas.
Inaugurado há pouco mais de 17 anos, em 7 de julho 1997, com o clube de serviço sob a presidência de Miguel Fernandes Dórea, maior defensor e cuidador do monumento.
Localizado no segundo quarteirão da avenida Getúlio Vargas, onde está a praça de alimentação, próximo do Paço Municipal Maria Quitéria, é feito em fibra de vidro.
As imagens são de Washington Nery.

"Janot acha que já dá para pedir a abertura de alguns inquéritos. Ou: Certo colunismo quer inventar agora os 'heróis do povo brasileiro' do Petrolão, e o homem mau da hora é o… juiz Sérgio Moro!"



Por Reinaldo Azevedo
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, considera contar já com os elementos necessários para abrir ainda neste ano os primeiros inquéritos para investigar políticos envolvidos com o petrolão, embora ainda haja delações em curso. O doleiro Alberto Youssef prestou seu depoimento final no dia 25. É o que informa Severino Motta, na Folha desta quinta. Quantos inquéritos? Ainda não se sabe. O método será diferente daquele empregado no caso do mensalão, em que todos foram investigados num único inquérito, o que, convenham, tornou o caso enrolado, confuso e trabalhoso. Só que a abertura de investigação de autoridades com direito a foro especial por prerrogativa de função depende da autorização de tribunais superiores.
Só para lembrar: são processados e julgados por crimes comuns no STF o presidente da República, o vice-presidente, os membros do Congresso Nacional, o Procurador-Geral da República, os ministros de Estado, os membros de Tribunais Superiores, os do TCU e os chefes de missão diplomática de caráter permanente. São processados e julgados pelo STJ os governadores de Estado e do Distrito Federal, os desembargadores, os membros dos Tribunais de Contas dos Estados e do DF, os juízes dos Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais Regionais Eleitorais e do Trabalho, os membros dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios e os integrantes do Ministério Público da União. Há dezenas de autoridades citadas nas delações premiadas: deputados, senadores, ministros de Estado e governadores. Ainda não conhecemos todos os nomes porque eles surgiram no âmbito da delação premiada, que é sigilosa. Mas alguns, como vocês sabem, vieram a público.
Pessoas sem foro especial podem acabar sendo processadas por tribunais superiores se for impossível dissociar a sua atuação da de autoridades com esse direito, a exemplo do que aconteceu no mensalão.
Janot enviou ainda ao Supremo, nesta terça, pareceres contrários à pretensão de três acusados de envolvimento com a roubalheira na Petrobras. Como há políticos citados no caso, as respectivas defesas de Murilo Barrios, sócio da Sanko Sider, fornecedor da Petrobras, e de Waldomiro de Oliveira, um empregado de Youssef, pediram que os atos do juiz Sérgio Moro sejam considerados nulos, com a revogação de prisões, já que só o Supremo poderia atuar no caso.
Para o procurador-geral da República, o pedido "desborda da boa-fé objetiva". Quem vai dar a palavra final é o ministro Teori Zavascki, relator do caso no STF.
Para arrematar: os esbirros do petismo na imprensa seguem firme em sua campanha contra o juiz Sérgio Moro, apontando ilegalidades onde não há. Depois dos "heróis do povo brasileiro" do mensalão, agora há colunistas querendo criar os "heróis do povo brasileiro" do petrolão. O verdugo daqueles pobres ladrões era Joaquim Barbosa; o dos pobres ladrões de agora, Sérgio Moro.
É de dar nojo!
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"Pergunta na cadeia"



Do ex-Secretário Nacional de Justiça, delegado Romeu Tuma Jr. ontem no Twitter: "Se os empreiteiros foram 'extorquidos', por que não se queixaram ao Lula e à Dilma, a quem doaram tantos $$$"?
Fonte: Cláudio Humberto

Licitação do BRT no dia 4 de dezembro

O projeto do Bus Rapid Transit (BRT) está aprovado.O prefeito José Ronaldo de Carvalho (Democratas) recebeu a informação na quarta-feira, 26, quando esteve na Caixa Econômica Federal para uma reunião.
Ele conta que "foi um encontro produtivo com técnicos que elaboraram o projeto para a Prefeitura. O projeto foi elaborado por técnicos experts no assunto, estudiosos, pessoas que já elaboraram projetos para outras partes do Brasil, como Brasília-DF e Curitiba-PR".
Ele adianta que na quinta-feira, 4 de dezembro, às 10 horas, no Paço Municipal Maria Quitéria, vai  autorizar a abertura do processo licitatório em concorrência pública nacional. Trata-se de "um investimento em torno de R$ 100 milhões para melhorar a mobilidade urbana, o sistema de transporte da cidade".

Charge de Sponholz


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

"Dilma se encontra com Boff e Beto, os autores que criaram a obra que rivaliza com a Galinha Pintadinha. Ou: O Bebê Capeta de Frei Betto"



Por Reinaldo Azevedo
Ai, ai… Lá vamos nós. A presidente Dilma Rousseff decidiu receber nesta quarta dois representantes do próprio hospício mental para tratar, segundo entendi, de tema nenhum, numa evidência de que a suprema mandatária pode andar meio desocupada. Leonardo Boff, suspeito de ser teólogo, e Betto, suspeito de ser frei, estiveram a governanta. O encontro acontece um dia depois de a dupla ter assinado um dito "manifesto de intelectuais petistas" contra a indicação de Joaquim Levy e Kátia Abreu para, respectivamente, os ministérios da Fazenda e da Agricultura. Hein? Intelectuais petistas? Isso é como cabeça de bacalhau e enterro de anão. Alguém já viu? Se intelectuais, como petistas? Se petistas, como intelectuais? A obra de maior peso escrita pela dupla se chama "A Galinha e a Águia", que costuma aparecer, nas livrarias, ao lado de "A Galinha Pintadinha".
Betto e Boff são expoentes de uma certa teologia que costumo chamar de "Escatologia da Libertação". Por alguma estranha razão, a dupla acredita que Deus discrimina os viventes segundo a conta bancária e a filiação partidária. Acham que o Altíssimo é compatível, por exemplo, com Fidel Castro. Já chego lá. Disse o Boff ao jornal O Globo: "Ela [Dilma] mesma não promoveu muito contato com as bases, porque se ocupava muito com a administração dos grandes projetos. E ela disse que, a partir de agora, será um ponto alto do seu governo, um diálogo permanente, contínuo, orgânico com os movimentos sociais e com a sociedade em geral".
Audácia do Boff! É o mesmo chororô de Gilberto Carvalho, segundo o qual os "movimentos sociais", que mobilizam não mais do que alguns poucos milhares de pessoas, devem tomar, na cabeça e na agenda do governante, o lugar de milhões de pessoas. Mas Dilma os recebeu, não é? E eles representam quem, além da própria loucura? Loucura?
Sim. O dito Frei Betto criou o seu próprio "Pai Nosso". É verdade! Começa assim: "Pai-nosso que estais no céu, e sois nossa Mãe na Terra, amorosa orgia trinitária, criador da aurora boreal e dos olhos enamorados que enternecem o coração, Senhor avesso ao moralismo desvirtuado e guia da trilha peregrina das formigas do meu jardim (…)". Para Ler a íntegra, clique aqui. Não ficou nisso. Ele também criou a "Ave Maria" latino-americana. Assim (íntegra):
Ave Maria,
grávida das aspirações de nossos pobres,
o Senhor é convosco,
bendita sois vós entre os oprimidos,
benditos os frutos de libertação
do vosso ventre.
Ele é autor de uma outra peça imaginosa, em que Santa Tereza d’Ávila transa - sim, leitor, faz sexo, faz aquilo naquilo - com Che Guevara e… engravida. Teria nascido o Bebê de Rosemary?
Dilma decidiu dar trela a essa gente. É bem provável que não tenha se aproximado da janela em nenhum momento, né? Não custa ser precavido. Ah, sim: Boff, o audacioso, disse não ter debatido nomes de ministros com a presidente. Que bom, né? Afinal, ninguém o elegeu para isso. Ainda que essas duas personagens tenham um apelo, digamos, momesco, ao recebê-las com certa solenidade, Dilma exibe sinais preocupantes, como se estivesse a purgar os pecados do realismo, ajoelhando-se no altar de heresias delirantes. 
Vade retro!
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard



Período de 27 de novembro a 3 de dezembro
CONTINUAÇÕES
JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - PARTE 1 (The Hunger Games: Mockingjay - Part 1) de Francis Lawrence, 2014. Com Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Chris Hemsworth, Julianne Moore e Elizabeth Banks. Ação e ficção-científica. Após sobreviver por duas vezes aos Jogos Vorazes, Katniss Everdeen servirá como símbolo de uma revolução iniciada no Distrito 13. Além de ter que manter sua imagem de ícone, a jovem ainda precisa se preocupar em defender sua mãe e sua irmã no meio da guerra. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 125 minutos. Horários: 13 horas, 15h40, 18h20 e 21 horas, na Sala 4 (264 lugares); e 13h40 (exceto no sábado, 22, e no domingo, 23), 16h20, 19 horas e 21h40, na Sala 3 (167 lugares).
DEBI & LÓIDE 2 (Dumb and Dumber To) de Bobby Farrelly e Peter Farrelly, 2014. Com Jim Carrey, Jeff Daniels e Kathleen Turner. Comédia. Os inseparáveis Lloyd e Harry estão de volta. Desta vez, Harry descobre que teve uma filha ilegítima, que agora precisa dele para um transplante de rim. Ele leva o amigo Lloyd para conhecer a garota, e os dois percebem que não têm a responsabilidade necessária para serem pais. Em terceira semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 110 minutos. Horários: 14h10 (exceto no sábado e no domingo), 16h40, 19 horas e 21h20. Sala 1 (243 lugares).
IRMÃ DULCE, de Vicente Amorim, 2014. Com Regina Braga, Bianca Comparato, Gracindo Júnior, Malu Valle, Zezé Polessa, Irene Ravache e Glória Pires. Cinebiografia. Irmã Dulce, religiosa baiana, dedicou grande parte de sua vida a ajudar aos necessitados. Tendo o amor e a caridade como prioridades, ela ignora preconceitos, desconfianças, dogmas e até mesmo sua saúde frágil, sempre colocando-se à disposição do outro. Conhecida como "Anjo Bom da Bahia", ela pode se tornar a primeira santa brasileira. Em terceira semana. Não recomendável para menores de 10 anos. Duração: 94 minutos. Horários: 14h20, 16h30, 18h40 e 20h50. Sala 2.
A LENDA DE OZ (Legends of Oz: Dorrothy’s Return), de Will Finn e Dan St. Pierre, 2014. Animação. Dorothy acaba de voltar para casa de sua incrível jornada a Oz, mas já a estão chamando para mais uma aventura. Ao acordar em Kansas após o tornado, ela e o cão Toto voltam para Oz em um arco-íris mágico enviado por seus amigos, o Espantalho, o Leão e o Homem de Lata. Em oitava semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 88 minutos. Horário: 14h20 - somente no sábado (29) e domingo (30). Sala 2.
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

"Aleluia diz que petrolão é máfia comandada por Lula e autorizada por Dilma"



O presidente estadual do Democratas e deputado federal eleito, José Carlos Aleluia,  afirmou nesta quarta-feira, 26, que o esquema de desvio de dinheiro da Petrobras, chamado de "petrolão", foi o caso de corrupção com maior "roubo" em volume de dinheiro do mundo, comandado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e autorizado pela atual presidente Dilma Rousseff (PT). 
"Lula é o comandante. Quem é o líder do PT? Se os tesoureiros roubam, se os presidentes roubam, Lula é o responsável e Dilma é cúmplice", resumiu, ao defender que o ex-chefe do Executivo Nacional foi "formalmente comunicado" sobre o esquema pelo Tribunal de Contas da União. 
O democrata ainda classificou o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, de "pau mandado" e disse que Lula deve ser punido por seu envolvimento no caso de corrupção, já que teria "escapado" de uma condenação no mensalão por ser presidente à época. "Eu quero ver quando é que Lula vai ser preso", alfinetou. 
Durante entrevista a Samuel Celestino na Rádio Tudo FM, Aleluia criticou, ainda, o projeto de Controle Econômico da Mídia - que seria uma forma do governo "controlar a notícia" da mesma forma que pretenderia dominar o Supremo Tribunal Federal (STF). 
"O maior risco que a democracia brasileira corre é permitir que continuem indicando membros do STF - e a presidente, se continuar no cargo, indicará quatro ou cinco", avaliou. 
O deputado federal acaba de voltar de uma viagem à Coreia do Sul, onde participou do Encontro da União Democrática Internacional, e comparou a situação da América Latina ao governo comunista da Coreia do Norte, que viveria uma "ditadura sanguinária". 
"É uma tristeza muito grande saber que ainda existe gente, no Brasil, que quer seguir o modelo da Coreia e de Cuba", afirmou. Segundo Aleluia, as ideias do Foro de São Paulo está "dominando" a América Latina. "A receita criada por Fidel Castro, por Lula e por Chaves está sendo aplicada integralmente na Venezuela, onde já não há mais liberdade e democracia, e tá faltando comida; no Equador, cada dia mais se acentua a ausência da democracia; na Bolívia, um pouco menos, mas também; na Argentina... A América Latina está entrando no caminho da infelicidade", concluiu.
Fonte: "Bahia Notícias"

Instituto Histórico e Geográfico tem festividades



A direção do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana (IHGFS) está convidando para participação nas festividades de encerramento das suas atividades para o ano de 2014, com a seguinte programação: distribuição da revista número 11, entrega de diplomas aos novos sócios, e palestra com o professor Carlos Alberto Oliveira Brito.
Será no sábado, 13 de dezembro, às 11 horas, no Restaurante Cravo e Panela.

Azul marca data para acabar voo de Feira de Santana para Salvador

A Azul vai deixar de operar de forma direta os voos de Feira de Santana para Salvador e vice-versa, a partir do dia 2 de fevereiro de 2015.
A informação é da própria empresa.

Featurette de Stan Lee em "Operação Big Hero"



Confira acima featurette legendado do Stan Lee sobre sua participação em "Operação Big Hero" (Big Hero 6), animação da Disney, de Don Hall e Chris Williams, que estreia nos cinemas no dia 25 de dezembro.
Curta no Facebook: facebook.com/DisneyMoviesBrasil
Siga no Twitter:  twitter.com/disneybrnews  
Inspirado na série de quadrinhos da Marvel, "Operação Big Hero" é uma comédia de ação e aventura, que se passa na cidade de San Fransokyo, uma mistura de São Francisco e Tóquio.
Você vai conhecer Hiro Hamada, gênio da robótica, que aprende a utilizar sua genialidade graças a seu brilhante irmão Tadashi.
Depois de estranhos acontecimentos que atingem a cidade, Hiro se une aos seus melhores amigos: o robô Baymax, a veloz Go Go Tomago, o obcecado por organização Wasabi, a especialista em química Honey Lemon e o fã de quadrinhos Fred. Determinados a solucionar o mistério e com ajuda da tecnologia eles iniciam os treinamentos para se tornarem os novos heróis da cidade. 
(Com informações de Gláucia Zachariadhes, Atendimento Disney, de Selma Santos Produções e Eventos)

Novo piso salarial do comércio é de R$ 870,00



Convenção Coletiva 2014/2015 já está em vigor

Nova Convenção Coletiva do trabalho foi aprovada no dia 25 pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de Feira de Santana. De acordo com a convenção, o novo piso salarial do comércio é de R$ 870,00 para os empregados que exercem a função de comerciário.
O novo piso salarial não se aplica  aos office-boys, faxineiros, serventes, embaladores, entregadores, ajudantes de depósito, ajudantes de caminhão, bem como todos os empregados que não exerçam funções típicas do comerciário. Para os empregados que recebem salário superior ao piso da categoria, o reajuste é de oito pontos percentuais sobre o salário de novembro de 2013.
(Com informações de Silvana Ferraz, da Assessoria de Comunicação da CDL)

"Este homem, de quase US$ 100 milhões, deixa muita gente em pânico. Por quê?"





Por Reinaldo Azevedo
Porque ninguém prova, com tanta eloquência, a existência de um esquema criminoso na Petrobras. Mais do que isso: ele também é um emblema da dimensão do assalto. Vamos lembrar: Pedro Barusco (foto) era um mero gerente de Serviços da Petrobras, um auxiliar de Renato Duque, o diretor da área, que era da cota petista. Mais do que isso: pertence, vamos dizer, ao "universo José Dirceu". Segundo Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, Duque era o homem que cuidava do propinoduto para o PT. Mas voltemos a Barusco.
O subordinado de Duque se dispôs a devolver, prestem atenção!, US$ 97 milhões aos cofres públicos. Esse é o dinheiro que ele admite ter sido, na prática, roubado da Petrobras. Estamos falando, leitores, de algo em torno de R$ 252 milhões. Como é que um quadro de segundo escalão é capaz de amealhar tal fortuna?
Muito bem! Parece que a sua disposição de devolver o dinheiro é para valer. Uma conta já foi aberta na Caixa Econômica Federal, e, em breve, cumprida a sua parte no acordo, Barusco transfere o dinheiro para o banco brasileiro.
Qual é o temor especial que seu nome desperta? Barusco está, consta, muito doente e muito pessimista sobre suas possibilidades de cura. Aqueles que fizeram negócios com ele ao longo dos anos temem que resolva ter um surto de sinceridade num momento difícil da sua vida. Essa gente está com medo da rapidez com que o engenheiro trocou uma iminente prisão pela confissão de que, sim!, era tudo verdade.
Há pânico com a possibilidade de que ele resolva, vamos dizer, fazer uma faxina na sua biografia dizendo tudo o que sabe. E ninguém que rouba essa quantidade sabe pouco. Já escrevi e reitero: acho que é preciso que se apure a possibilidade de que ele seja um laranja de uma estrutura bem maior.
"Ah, em situações extremas, as pessoas podem mentir…", dirá alguém. Até podem. Mas me parece que se trata de uma daquelas circunstâncias em que a pessoa busca, ao menos, um alívio para a própria consciência. Todos aqueles que concorreram para que Barusco conseguisse ter US$ 97 milhões no exterior estão certamente preocupados.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

José Ronaldo prorroga validade de concurso público por dois anos

O prefeito José Ronaldo de Carvalho decretou que fica prorrogado por dois anos, a contar de 20 de dezembro de 2014, o prazo do Concurso Público destinado a provimento dos cargos da Administração Municipal.
Ele considerou que "o Concurso Público realizado pela Administração Municipal para prover vagas de vagas nos quadros da Prefeitura, teve seu resultado homologado através de Decreto Municipal, em 20 de dezembro de 2012"; considerou também que "o Edital desse Concurso estabelece que 'o prazo de validade pode ser prorrogado uma vez por igual período'; considerou ainda que "a Constituição Federal estabelece que 'o prazo de validade do concurso público será de dois anos, prorrogável uma vez por igual período'; e enfim considerou "persistirem as necessidades do serviço público municipal que determinaram a realização da seleção, caracterizando assim o interesse da coletividade na prorrogação do prazo de validade do referido Concurso".
O Concurso Público é destinado a provimento dos cargos de agente de trânsito, arquiteto, assistente social, auditor fiscal, biólogo,  contador, enfermeiro, engenheiro agrônomo, engenheiro ambiental, engenheiro civil, engenheiro químico, especialista em educação, fiscal de serviços públicos, geólogo, intérprete de libras, mecânico de máquinas e veículos, médico, motorista, operador de máquinas pesadas, professor (Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental), secretário escolar, técnico em enfermagem.
O Decreto nº 9.409 foi publicado na edição desta quarta-feira, 26, do jornal "Folha do Estado".

"PT já se prepara para provável prisão de Vaccari"



Já é dada como certa na cúpula do PT a prisão do seu tesoureiro João Vaccari Neto, apontado como o principal interlocutor do partido junto ao esquema bilionário de corrupção na Petrobras. A expectativa no PT é que haverá uma nova fase da Operação LavaJato, da qual Vaccari não escapará da prisão, a exemplo de outros agentes políticos sem foro privilegiado, inclusive do PP e o PMDB, igualmente delatados.
Questão de tempo
O próprio Vaccari até já preveniu a família e os amigos mais próximos sobre sua provável prisão, conforme está coluna revelou há um mês.
Cordão de isolamento
Dilma ordenou e o PT afastou João Vaccari da campanha após as primeiras denúncias. Edinho Silva foi improvisado como seu tesoureiro.
Maracutaia
Operação Lava Jato apurou que Vaccari criou empresa-fantasma para ocultar a grana suja recebida do esquema de ladroagem do Petrolão.
Pensando bem…
…como concluiu um atilado leitor, ser tesoureiro do PT é uma profissão de risco: sempre dá cadeia.
Fonte: Cláudio Humberto

"Juiz da Operação Lava-Jato reage às tentativas de desmoralizá-lo. E tem a lei a seu favor"



Por Reinaldo Azevedo
No dia 3 de novembro, escrevi aqui um post intitulado "O PT e advogados de corruptos se organizam agora para tentar destruir o juiz Sérgio Moro", com base em reportagem publicada na revista VEJA.
Dois advogados de empreiteiras o acusam de manobrar à margem da lei para impedir que o caso migre todo para o Supremo. Ele também estaria usando a decretação de prisões para forçar delações premiadas e cerceando o direito de defesa ao não permitir o acesso de acusados ao conteúdo das delações. A acusações foram feitas pelos advogados Alberto Toron, em entrevista concedida à Folha, e Fabio Tofic Simantob, em reclamação ao Supremo. Eles defendem, respectivamente, as empreiteiras UTC e Engevix. Advogados têm o dever de defender os seus clientes. Mas nem por isso a gente precisa ser sensível à livre interpretação que possam fazer da lei. Moro classificou as acusações de "fantasiosas" - e me parece que ele está certo.
Vamos ver. O juiz tem impedido que os investigados citem nomes de políticos em seus depoimentos por uma razão simples: eles têm foro especial por prerrogativa de função, e caberá ao STF ou ao STJ, a depender do cargo, a condução do processo. Assim quer a Constituição, não o juiz. Ele tem ciência - e parece que não pode ser censurado por conhecer os códigos de seu país - de que poderia provocar a nulidade do processo por um mero erro formal. O juiz negou que esteja investigando políticos: "O objeto desse processo não envolve o crime de corrupção de agentes políticos, mas sim crimes licitatórios, de lavagem e, quanto à corrupção, apenas de agentes da Petrobras."
Do que os advogados o acusam? De reconhecer a existência do chamado foro privilegiado? É a lei. De resto, acho que não fica bem toda essa ânsia dos doutores para que o caso migre para o Supremo. Acaba passando a impressão de que, na Corte maior do país, eventuais corruptos teriam melhor sorte. Acho bom o STF refletir sobre tal ilação.
Quanto ao acesso à delação premiada, dizer o quê? Seu caráter é necessariamente sigiloso. E só há consequências se as revelações feitas estiverem ancoradas em provas. Toron fala como se não soubesse do que seu cliente está sendo acusado. E ele sabe. Ter acesso às delações implica imiscuir-se no trabalho de investigação do Ministério Público e da Polícia Federal. Não consta que essa seja uma prerrogativa de um advogado de defesa. Fosse assim, nenhuma investigação avançaria, não é? É como se Toron quisesse que seu cliente soubesse antes tudo o que os investigadores já sabem para, então, responder a uma pergunta.
Não vamos confundir alhos com bugalhos. Todos os advogados sabem do que são acusados seus respectivos clientes. O que não sabem - nem devem saber - e de quais provas já dispõem as autoridades que investigam e que dizem respeito, atenção!, a toda a teia criminosa. E os crimes, como a gente sabe, aconteceram, ou um grupo de delatores não se disporia a entregar alguns milhões de dólares que foram roubados da Petrobras.
O ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo, encaminhou alguns questionamentos a Moro. Não está claro se foi mera ação burocrática ou se, de fato, se mostra simpático à tese dos advogados. De resto, não custa lembrar: é o Ministério Público Federal quem detém a guarda do conteúdo da delação premiada, não o juiz Sérgio Moro.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Charge de Sponholz


terça-feira, 25 de novembro de 2014

Charge de Sponholz


Releitura de Caim e Abel


James Dean e Raymind Massey em "Vidas Amargas"
Foto: Divulgação

"E saiu Caim de diante da face do Senhor e habitou na terra de Node, à leste do Éden". É do versículo 4: 16 de Gênesis que foi tirado o título de "East of Eden", romance de John Steinbeck, no qual foi baseado o filme que no Brasil tem o título de "Vidas Amargas". Assim, uma releitura da passagem bíblica de Caim e Abel.
Revi ao filme em DVD de minha coleção. Tinha assistido ao filme em 1966 - primeiro visto nesse ano -, no Cine Íris. "Vidas Amargas" é excelente, realizado com muita sensibilidade.
No drama, a luta desesperada de Cal (James Dean) com seu irmão Aron (Richard Davalos) pelo amor e reconhecimento do pai (Raymond Massey). Ele descobre que sua mãe (Jo Van Fleet), até então dada como morta, mora na cidade vizinha. A jovem Abra (Julie Harris) namora Aron, mas fica dividida com o desajustado Cal. O conflito entre o bem e o mal está contido no filme, assim como o tema da desintegração familiar. Como pano de fundo a Primeira Guerra Mundial transformando a vida de uma pacata cidade. Mesmo com a amrgura do título brasileiro, há esperança.
Primeiro filme de James Dean, marcou sua primeira indicação póstuma ao Oscar, a primeira do tipo na história da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Teve outras indicações ao Oscar: Diretor (Elia Kazan), Roteiro (Paul Osborn) e Atriz Coadjuvante (Jo Van Fleet), tendo conquistado esta premiação. Foi o Melhor Filme Dramático do Festival de Cannes, indicado à Palma de Ouro, e conquistou o Globo de Ouro na categoria de Melhor Filme.



Lembrando postagem sobre a Placo do Brasil

Em postagem no dia 12 de julho de 2013, a partir de postagem do prefeito José Ronaldo em sua página no Facebook, o Blog Demais deu:
Na tarde desta sexta-feira, 12, o prefeito José Ronaldo recebeu a visita do diretor industrial José Ernesto Luksas, da Placo do Brasil, empresa do grupo francês Saint-Gobain, líder mundial na fabricação de vidro, cerâmica e gesso que está sendo implantada no Núcleo da BR-324 do Centro Industrial do Subaé (CIS). O grupo investe R$ 100 milhões para a produção de placas de gesso, tipo drywall.
O secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico Antonio Carlos Borges Júnior acompanhou o encontro.
A empresa está presente em 68 países, empregando mais de 100 mil pessoas.
"Externei a satisfação do investimento da empresa em Feira de Santana e foi tratada sobre a possibilidade de implantação de outras empresas do grupo. Ainda foi feito pleito da Placo apoiar a Prefeitura na construção de uma unidade escolar", disse José Ronaldo.

Ilusão de ética



 Por Sergio Oliveira
Um empresário, Ricardo Semler, que se diz tucano, com ficha abonada por Fernando Henrique, autor de um texto intitulado "Nunca se roubou tão pouco no Brasil", publicado na "Folha de São Paulo", texto este que está sendo divulgado pelos petistas como um troféu, anistiando-os, talvez, das suas roubalheiras (roubaram pouco), alega que a Petrobrás cobra propina desde a década de 70. Sabedor disto, para quem ele denunciou, a partir do momento em que tomou conhecimento de tal fato? Citam, também o Paulo Francis,como fez o Tarso Genro num texto que escreveu, referindo à Lava-Jato: "Cometem um erro grave, por dois motivos fundamentais: primeiro, todos lembram das denúncias de Paulo Francis, 'arquivadas' pelo governo da época, que acusava a existência de pesados esquemas de corrupção na estatal. Logo, a corrupção na Petrobras é histórica e o que deveríamos celebrar é que ela vem sendo combatida." Paulo Francis não apresentou provas; questionado se a fonte era segura, disse: "É verdade. Um amigo meu, advogado…"
Toda vez que o PT é pego com mão na cumbuca, vem com o argumento de que os outros também fizeram no passado. O caso é que, no passado, quando o PT foi criado, todos os outros eram desonestos, safados, enfim, e eles os éticos. Hoje vemos que tudo não passou de ilusão de ética.
Sergio Oliveira, aposentado, é de Charqueadas-RS

Quatro continuações nas telas



No Orient Cinemas Boulevard, nesta 49ª semana, a partir de quinta-feira, 27, somente continuações nas telas. 
Em segunda semana, o filme de ação e ficção-científica "Jogos Vorazes: A Esperança - Parte I", de Francis Lawrence, primeira parte do terceiro filme da saga. Jennifer Lawrence continua encabeçando o elenco, como Katniss Everdeen. Em 2012, a franquia começou com "Jogos Vorazes", de Gary Ross; em 2013, a sequência com "Jogos Vorazes: Em Chamas", de Francis Lawrence.
Em terceira semana, "Irmã Dulce", cinebiografia de Vicente Amorim, sobre a religiosa baiana conhecida com o "Anjo Bom da Bahia". Também em terceira semana, a comediota americana "Debi e Lóide 2", com Jim Carrey e Jeff Daniels.
Somente em uma sessão vespertina, no sábado e no domingo, a continuação em oitava semana da animação "A Lenda de Oz", destinada ao público infantil.

"cinema demais": etapa de colagem e acabamento



Miolo do livro "cinema demais" está impresso (Fotos). Agora a etapa de colagem e acabamento.
No marca-texto: A partir de colunas escritas semanalmente por Dimas Oliveira entre 1967 e 1970, durante quatro anos, para o jornal semanário "Situação", o livro "cinema demais" oferece um panorama da exibição cinematográfica em Feira de Santana, apresentando um recorte da história dos dois cinemas de então, Íris e Santanópolis.
Os textos reunidos no livro têm consistência de coletânea. É fruto de incentivo à preservação da memória feirense.

"Quem foi Che Guevara?"

Por Ion Mihai Pacepa


É hora de tirar a sorridente mascara de Che e revelar a sua verdadeira face.   

Hollywood se despede de 2009 com uma fraude monumental: o épico 'Che', de Steven Soderbergh, com quatro horas de duração, em castelhano, transformando um assassino marxista sádico num, de acordo com o 'New York Times', "genuíno revolucionário durante as estações do seu martírio". [1] A palavra "estações" faz referência a Cristo nas Estações do Calvário - a Via Crucis.  O protagonista do filme, Benicio del Toro, realmente comparou "o herói revolucionário cubano Ernesto Che Guevara" a Jesus Cristo. [2] 
O 'Che' de Soderbergh é uma ficção criada pela comunidade KGB, da qual fez parte o serviço de espionagem romeno ao qual pertenci - o DIE - numa época que me coloca diretamente na trama. O Che real foi um assassino que comandou pelotões de fuzilamento comunistas e fundou o terrível gulag cubano. Foi também um covarde que obrigou os outros a lutar até a morte pela causa comunista e que mandou para o patíbulo centenas de pessoas que se recusaram a fazê-lo, mas que se rendeu sem luta ao exército boliviano embora estivesse armado até os dentes. "Não me matem" implorou Che aos seus captores. "Valho mais vivo do que morto". [3] O filme de Soderbergh omite este episódio - o qual demoliria o seu Che.
Eu poderia escrever um livro sobre como o terrorista Che foi transformado num ídolo esquerdista inspirador - como um belo príncipe emergindo lindamente de uma repulsiva lagarta - e pode ser que o faça algum dia. Por enquanto, aqui vai um resumo de como a KGB criou o seu Che de ficção.
Na década de 1960, a popularidade do bloco soviético estava em baixa. A brutal repressão soviética ao levante húngaro de 1956 e o seu papel na crise dos mísseis cubanos de 1962 enojaram o mundo, e cada um dos ditadores dos países satélites soviéticos tentou se safar como pôde. Khrushchev substituiu a "imutável" teoria marxista-leninista da revolução proletária mundial pela política de coexistência pacífica e fingiu ser um defensor da paz. Dubcek apostou num "socialismo com face humana" e Gomulka no lema "deixe a Polônia ser a Polônia". Ceausescu proclamou a sua "independência" de Moscou e se retratou como um "dissidente" dentre os líderes comunistas.
Os irmãos Castro, que temiam qualquer tipo de liberalização, decidiram apenas maquiar, com uma romântica fachada revolucionária, o seu comunismo desastroso que estava matando o país de fome. Escolheram Che como garoto propaganda, já que ele havia sido executado na Bolívia - na época um aliado dos EUA - e assim podia ser retratado como um mártir do imperialismo americano.
A "Operação Che" foi lançada mundialmente pelo livro "Revolution in the Revolution" - uma cartilha para insurreição guerrilheira comunista escrito pelo terrorista francês Régis Debray - que elevou Che aos altares. Debray dedicou a sua vida a exportar a revolução estilo cubano por toda a América Latina; em 1967, entretanto, uma unidade das forças especiais bolivianas treinada pelos EUA o capturou, juntamente com todo o bando guerrilheiro de Che.
Che foi sentenciado à morte e executado por terrorismo e assassinato em massa. Debray foi sentenciado a 30 anos de prisão mas foi libertado depois de três anos devido à intervenção do filósofo francês Jean Paul Sartre, um comunista romanticamente envolvido com a KGB, que também era o ideólogo do bando terrorista Baader-Meinhof. Sartre aclamou Che Guevara como "o ser humano mais completo do nosso tempo". [4] Em 1972, Debray retornou à França, onde trabalhou como conselheiro para a América Latina do presidente François Mitterrand, e dedicou o resto da vida a disseminar o ódio contra os Estados Unidos.
Em 1970, os irmãos Castro elevaram a santificação de Che a um novo patamar. Alberto Korda, oficial da inteligência cubana trabalhando secretamente como fotógrafo para o jornal cubano 'Revolución', produziu uma foto romantizada de Che. Aquele Che agora famoso, com longos cabelos ondulados e usando uma boina com estrela, olhando diretamente nos olhos de quem o vê, é o logo de propaganda do filme de Soderbergh.
É de se notar que esta foto de Che foi apresentada ao mundo por um agente da KGB trabalhando secretamente como escritor - I. Lavretsky -, num livro intitulado "Ernesto Che Guevara", editado pela KGB. [5] A KGB chamou a foto de "Guerrillero Heroico" e a espalhou por toda a América do Sul - área de influência de Cuba. O editor milionário italiano Giangiacomo Feltrinelli, outro comunista romanticamente envolvido com a KGB, inundou o resto do mundo com a imagem de Che impressa em cartazes e camisetas. O próprio Feltrinelli virou terrorista e foi morto em 1972 enquanto plantava uma bomba nos arredores de Milão.
Ouvi o nome de Che pela primeira vez em 1959, da boca do general Aleksandr Sakharovsky, antigo chefe da inteligência soviética e conselheiro para a Romênia, que mais tarde dirigiu a "revolução" dos Castro e foi recompensado com a promoção a chefe da toda-poderosa organização de inteligência estrangeira soviética, posição que manteve por quinze anos. Ele chegou a Bucareste com o seu chefe, Nikita Khrushchev, para conferências sobre Berlim Oriental e sobre a "nossa Gayane cubana". Gayane era o codinome geral para a operação de sovietização da Europa Oriental.
Na época, a burocracia soviética acreditava que Fidel Castro era apenas mais um aventureiro, e relutava em apoiá-lo. Mas Sakharovsky havia ficado impressionado com a devoção ao comunismo do irmão de Fidel, Raul, e do seu tenente, Ernesto Guevara, e fez deles os principais protagonistas da "nossa Gayane cubana". Os dois foram levados a Moscou para serem doutrinados e treinados, e ganharam um conselheiro da KGB.
De volta a Sierra Maestra, Che provou ser um verdadeiro assassino sangue frio nos moldes da KGB - responsável pela morte de mais de 20 milhões de pessoas apenas na União Soviética. "Meti uma bala de calibre 32 no lado direito do seu cérebro, que vazou por toda a têmpora" escreveu Che no seu diário, descrevendo a execução de Eutimio Guerra, um "traidor da Revolução", a quem matou em fevereiro de 1957. [6] Guerra era a sétima pessoa a quem Che matara. "Para enviar homens para o pelotão de fuzilamento não é preciso provas judiciais", explicou. "Estes procedimentos são detalhes burgueses obsoletos. Isso aqui é uma revolução! E uma revolução deve se tornar uma fria máquina de matar movida por puro ódio." [7]
No dia 1° de janeiro de 1959, a "Gayane cubana" venceu, e a KGB encarregou Che de limpar Cuba dos "anti-revolucionários".  Milhares de pessoas foram enviadas para “el paredón”. Javier Arzuaga, capelão da prisão Al Cabaña no início de 1959, escreveu em seu livro "Cuba 1959: La Galeria de la Muerte" ter testemunhado "o criminoso Che" ordenando a execução de cerca de duzentos cubanos inocentes. "Argumentei diversas vezes com Che a favor dos prisioneiros. Lembro-me especialmente de Ariel Lima, um garoto de apenas 16 anos. Che estava obstinado. Fiquei tão traumatizado que em maio de 1959 recebi ordens para deixar a paróquia Casa Blanca, onde ficava La Cabaña… Fui para o México receber tratamento." [8]
De acordo com Arzuaga, as últimas palavras de Che para ele foram: "Quando tirarmos nossas máscaras, seremos inimigos". [9] É hora de tirar a sorridente máscara de Che e revelar a sua verdadeira face. O Memorial Cubano no Parque Tamiami, em Miami, contém centenas de cruzes, cada uma com o nome de uma pessoa identificada, vítima do terror comunista de Raul e Che. [10]
Também é tempo de interromper a mentira de trinta anos, reforçada pelo filme de Soderbergh, de que os irmãos Castro e o seu carrasco Che eram nacionalistas independentes. Em 1972, eu estava presente a um discurso de seis horas no qual Fidel pregou a mesma mentira. No dia seguinte, fui a uma pescaria com Raul. Havia outro convidado no barco, um soviético que se apresentou como Nikolay Sergeyevich. O meu colega cubano, Sergio del Valle, sussurrou no meu ouvido "Aquele é o coronel Leonov". Anteriormente, ele já havia explicado para mim que Leonov era conselheiro da KGB para Raul e Che nas décadas de 1950 e 1960. Lá, naquele barco, para mim ficou claro como nunca que a KGB estava nas rédas da carruagem revolucionária dos Castro. Dez anos mais tarde, Nikolay Leonov foi recompensado por seu trabalho de manipulação de Raul e Che com a promoção a general e representante chefe de toda a KGB.
Na década de 1970, a KGB era um estado dentro do estado. Hoje, a KGB, renomeada de FSB, é o estado na Rússia, e o Che de Soderbergh é o maná dos céus para os representantes dela na América Latina. Meses atrás, duas marionetes do Kremlin - Hugo Chávez e Evo Morales - expulsaram, no mesmo dia, os embaixadores americanos de seus países. Milhares de pessoas carregando o retrato do Che de Soderbergh tomaram as ruas pedindo a proteção militar russa. Navios de guerra russos estão de volta a Cuba - e, mais recentemente, chegaram à Venezuela - pela primeira vez desde a crise dos mísseis cubanos.
"A fraude trabalha como cocaína" costumava dizer para mim Yury Andropov, o pai da contemporânea era russa da fraude, quando ele era chefe da KGB. Em seguida, explicava: "Se você cheirar uma ou duas vezes, não mudará a sua vida. Mas, se você usá-la dia após dia, ela fará de você um viciado, um homem diferente". Mao tinha a sua própria frase: "Uma mentira repetida centenas de vezes vira verdade". O filme de Soderbergh sobre Che prova que ambos estavam certos.
Notas:
[1] A. O. Scott, "Saluting the Rebel Underneath the T-Shirt," The New York Times, December 12, 2008.
[2] Guillermo I. Martínez, "Guevara biopic belies his ruthlessness," The Sun Sentinel, January 1, 2009, p. 13A.
[3] Idem.
[4] Idem.
[5] I. Lavretsky, "Ernesto Che Guevara," Progress Publishers, 1976, ASIN B000B9V7AW, p. 5. Initially published in Russian in 1973.
[6] Matthew Campbell, "Behind Che Guevara mask, the cold executioner," The Sunday Times, September 16, 2007.
[7] Mark Goldblath, "Revenge of Che: no amount of Hollywood puferry will change the fact that commies aen’t cool," The Wall Street Journal, December 19, 2008.
[8] "The Infamous Firing Squads," p. 1, as published in 
http://therealcuba.com/page5.htm.
[9] Idem.
[10] Ibidem.

O general Ion Mihai Pacepa é o oficial soviético de mais alta patente que recebeu asilo político nos Estados Unidos. No Natal de 1989, Ceausescu e a sua esposa foram executados após um julgamento no qual as acusações eram, quase palavra por palavra, extraídas do seu livro "Red Horizons", subsequentemente traduzido para 27 idiomas.
Publicado no FrontPageMagazine.com em 23 de janeiro de 2009.
Tradução: Ricardo Hashimoto, editor do blog Letters To Hungary.
Fonte: "Mídia Sem Máscara"