#vaiterBRT

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Jairo Carneiro confirma participação em debate

O candidato a prefeito da coligação "Feira Agora Tem Opção", Jairo Carneiro (PP), tem outra importante chance de mostrar ao público feirense, os compromissos de campanha para chegar à Prefeitura de Feira de Santana. Na noite desta quinta-feira, 29, ele estará presente ao debate promovido pela TV Subaé (Rede Globo), logo depois da novela "Velho Chico".
Desde que anunciou oficialmente a sua candidatura, há cerca de 40 dias, Jairo Carneiro não faltou aos debates em escolas, faculdades, órgãos de classe e a encontros junto a comunidades urbanas e da zona rural. Jairo também esteve em reuniões com grupos organizados de comerciantes e de comerciários, sempre ouvindo os anseios do público e agregando opiniões e projetos ao seu plano de governar Feira a partir de janeiro.
No debate desta quinta-feira, o candidato tem certeza de que irá mostrar ao público que está muito bem preparado para dirigir a cidade onde nasceu. Ele já fez essa demonstração em entrevistas concedidas a diversas emissoras de rádio de Feira de Santana, além de jornais impressos e veículos de comunicação online. Jairo ainda falou por 10 minutos sobre os projetos para Feira, no "Bahia Meio Dia", da TV Subaé.
"A oportunidade do debate é extraordinária, pois nos permite, de novo, fazer o público ter conhecimento de tudo o que planejamos. Só mesmo quem tem projeto encara o público como estamos fazendo ao longo dos últimos dias", disse Jairo.
As reuniões realizadas pela direção da afiliada da Rede Globo definiram posições dos candidatos no estúdio, dos assessores em salas especiais e das regras para o debate que será mediado pela repórter Patrícia Nobre, da TV Bahia. O programa terá cerca de 90 minutos de duração, em quatro blocos. Os candidatos vão responder a temas definidos por sorteio e em outros blocos, feitos livremente de candidato para candidato.
"Tenho certeza de que, ao final do programa, a população não terá dúvida de que a verdadeira mudança está bem próxima, pois as nossas propostas representam o que há de melhor para Feira de Santana", concluiu Jairo Carneiro, confiante de que irá para o segundo turno.
(Com informações de Genildo Lawinscky, da Coordenação de Rádio e TV)

Agenda do candidato a prefeito José Ronaldo



Nesta quinta-feira, 29
Tarde - Reunião com equipe de campanha
Noite - Reunião com lideranças políticas
(Com informações da Ascom@joseronaldo.com.br)


Agenda do candidato a prefeito Zé Neto



Nesta quinta-feira, 29
10 horas - Caminhada na rua Marechal Deodoro - Concentração em frente da Pousada Central
14h30 - Visita à fábrica de material esportivo 
16 horas - Visita à fábrica de alimentos 
17 horas - Reunião com moradores do Sobradinho
18 horas - Encontro de lideranças com o candidato a vereador Adriano 
20 às 23 horas - Debate na TV Subaé 
(Com informações de imprensa.13zenetoprefeito@gmail.com)

Agenda do candidato a prefeito Jairo Carneiro

Nesta quinta-feira, 29
8 horas - Reunião com equipe de campanha
10 horas - Gravação de programa eleitoral 
21 horas - Debate na TV Subaé 
(Com informações de Genildo Lawinscky, da Coordenação de Rádio e TV)

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard


Período até 5 de outubro


                                   LANÇAMENTOS NACIONAIS
O LAR DAS CRIANÇAS PECULIARES (Miss Peregrine’s Home For Peculiar Children), de Tim Burton, 2016. Com Eva Green, Asa Butterfield, Terence Stamp, Judi Dench e Samuel L. Jackson. Aventura e fantasia. Quando seu avô deixa para Jake pistas sobre um mistério que se estende por diferentes mundos e tempos, ele encontra um lugar mágico. Mas o mistério e o perigo se aprofundam quando ele começa a conhecer os moradores e aprende sobre seus poderes especiais e seus poderosos inimigos. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 127 minutos. Horários: 13 horas, 15h40, 18h20, com cópia dublada, e 21 horas, com cópia legendada. Sala 4 (261). 
MEU AMIGO, O DRAGÃO (Pete's Dragon), de David Lowery, 2016. Com Bryce Dallas Howard, Robert Redford, Oakes Fegley, Wes Bentley e Karl Urban. Aventura e fantasia. Grace, guarda florestal de um parque que descobre a existência do dragão Elliott, que tem como amigo o menino órfão Pete. Não recomendável para menores de 10 anos. Duração: 102 minutos. Horários: 13h50, 16h10, 18h30, com cópia dublada, e 20h50, com cópia legendada. Sala 1 (240). 
CONTINUAÇÕES
TÔ RYCA!, de Pedro Antonio, 2016. Com Samantha Schmütz, Katiuscia Canoro, Mauro Mendonça, Fabiana Karla e Marília Pera. Comédia.  Selminha é uma frentista que tem a chance de deixar seus dias de pobreza para trás ao descobrir uma herança de família. Mas para conseguir colocar a mão no dinheiro, ela terá que cumprir o desafio lançado por seu tio: Selminha precisa gastar 30 milhões de reais em 30 dias, sem acumular nada e nem contar para ninguém. Na maratona, ela vai acabar descobrindo que tem coisas que o dinheiro não compra. Em segunda semana. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 108 minutos. Horários: 14h10, 16h30, 18h50 e 21h10. Sala 2 (158 lugares). 
CEGONHAS: A HISTÓRIA QUE NÃO TE CONTARAM (Storks), de Nicholas Stoller e Doug Sweetland, 2016. Animação. Grande fábrica de bebês, com as cegonhas controlando o empreendimento, enfrenta muitas dificuldades para coordenar as entregas nos horários e locais certos. Em segunda semana. Classificação: Livre. Duração: 86 minutos. Horários: 13h20, 15h20, 17h20 e 19h20. Sala 3 (261). 
BRUXA DE BLAIR (Blair Witch), de Adam Wingard, 2016. Com Brandon Scott, Callie Hernandez, Corbin Reid e Valorie Curry. Terror. Um grupo de estudantes de Milwaukee, durante uma viagem para acampar em uma das florestas da região, decide penetrar ainda mais no coração das árvores do que o previsto e acaba descobrindo que a floresta esconde seres perigosos. Cópia dublada. Em terceira semana. Cópia dublada. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 90 minutos. Horário: 21h20. Sala 3.

ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cinemas Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing da Orient Cinemas)

Estação Nova

Prédio da Estação Nova, inaugurado em 19 de dezembro de 1958, há quase 58 anos, pela Viação Férrea Federal Leste Brasileiro. A Estação foi desativada em 1964. O prédio não existe mais.
Foto cedida por Renato Ware em http://www.estacoesferroviarias.com.br/

Candidata pelo PC do B renuncia para apoiar José Ronaldo


"Percebi nos últimos dias que trabalhar é a melhor forma de alcançar objetivos. Valorização do trabalho e respeito. #25".
A consideração em seu perfil no Facebook é da enfermeira, fisioterapeuta e mestre em Gerontologia Neila Reis, que era candidata à vereadora pelo PC do B e que renunciou à sua candidatura para apoiar a reeleição do prefeito José Ronaldo (Democratas).

Atividades do candidato Zé Neto na terça-feira




O candidato a prefeito Zé Neto (PT), da coligação “É Hora de Mudar”, esteve na manhã de terça-feira, 27, caminhando pelas ruas do centro. O trajeto percorrido passou pela rua Geminiano Costa, ao lado do Feira Tênis Clube, onde conversou com os trabalhadores do transporte alternativo e escutou as demandas deles. Zé Neto seguiu conversando com comerciantes, ambulantes, mototaxistas, e encerrou a caminhada na praça dos Remédios, recebido com muito carinho e entusiasmo.
No final da manhã, o candidato conversou com trabalhadores de uma empresa de produção de equipamentos de iluminação da cidade. Juntamente com o candidato a vereador Tarcísio Branco, conheceu os principais anseios de jovens operários. 
à noite, Zé Neto participou de reunião com moradores de um dos bairros mais antigos de Feira: Santo Antônio dos Prazeres. Ao lado do vereador Alberto Nery, foi apresentada a visão de cidade com foco no cuidado com as pessoas. As falas sobre carências em habitação e segurança foram abundantes, mas também foram muitas as palavras de incentivo.
Seguindo a agenda, Zé Neto caminhou pelos bairros do Caseb e da Rocinha, apresentando e debatendo propostas de um projeto de cidade através desse contato próximo.
(Com informações de imprensa.13zenetoprefeito@gmail.com)

#vaiterBRT - Construção do segundo túnel avança

A construção do túnel na avenida João Durval Carneiro na confluência com a avenida Presidente Dutra, que integra a implantação do BRT, está avançando e dentro do cronograma. A previsão de entrega é no primeiro semestre de 2017.

"Notas sobre o debate Hillary x Trump"

Por Mário Chainho
Aristóteles ensinava que um discurso retórico era composto por três elementos: 'logos', 'ethos' e 'pathos'. O 'logos' é a racionalidade do discurso, embora possa o termo possa ser entendido como o próprio discurso. No caso retórico, a argumentação é composta de exemplos e entimemas. O 'ethos' refere-se ao carácter e à força de persuasão do orador, e o 'pathos' aos sentimentos e crenças do auditório.
Estes três elementos não estão realmente separados, por isso os oradores usam gestos, olhares, sorrisos e certos tons de voz para reforçar o seu 'ethos' ou eventualmente ridicularizarem o do adversário. Por outro lado, algumas das passagens dos discursos de Cícero nos tribunais ou no senado parecem-nos hoje de mau gosto, mas na altura eram necessárias para ir de encontro ao 'pathos' da plateia.
Quando analisamos a carreira de Churchill podemos ver como o peso relativo destes três elementos se alterou. Nas primeiras décadas do séc. XX Churchill discursou várias vezes para um parlamento ou para um público hostil, mas a força do seu carácter e da sua argumentação conseguiram colocar a esmagadora maioria a seu favor no final. Contudo, gradualmente isto tornou-se cada vez difícil de acontecer, não porque Churchill tenha perdido qualidades mas porque as pessoas estavam cada vez menos dispostas a ouvir e a deixarem-se vencer pelos argumentos e pela autoridade de orador mas apenas pretendiam ver defendidas as suas crenças iniciais. Os discursos de Churchill na Segunda Guerra Mundial, como o famoso "sangue, suor e lágrimas", só tinham eficácia por se viver numa situação excepcional, dado que em situações normais aquilo já não funcionava.
Note-se que Churchill tentou adaptar-se sempre à alteração das circunstâncias. Muito cedo ele começou a fazer comunicações pela rádio que tinham muito populares. Mas frequentemente ele era um homem sozinho não apenas na sua luta contra o totalitarismo mas também sendo ostracizado da política do seu país. As máquinas partidárias e de militância naturalmente que aproveitavam também o novo meio de comunicação de massas, e apesar de Churchill ainda ser eficaz quando comunicava, o efeito acabava por se diluir num processo precursor da 'espiral do silêncio', aparecendo múltiplas fontes submergindo os seus discursos.
Em 1960 deu-se uma outra alteração de monta, quando os debates passaram a ser também transmitidos pela televisão. O famoso debate entre Kennedy e Nixon foi assistido por uma minoria de pessoas através da rádio e pelas restantes na televisão. As primeiras acharam que Nixon tinha ganho o debate, mas as segundas não tiveram dúvidas em atribuir a vitória a Kennedy. A rádio permite a transmissão do 'logos' e uma parte do 'ethos'. Contudo, uma segunda parte do 'ethos', ligada à imagem, mostrou que podia facilmente sobrepor-se a estes factores. Nixon vinha recuperando de uma doença, ainda estando magro e suava também, e Kennedy aparecia calmo e confiante. Isto foi o suficiente para um candidato parecer muito melhor do que o outro.
Desde então o elemento "imagem" foi muito trabalhado para convencer as pessoas a certas atitudes a partir dos mínimos indícios. Isto nem sempre é feito pela positiva, porque também é corrente seleccionar certas imagens para denegrir os adversários. Podemos considerar que a imagem se tornou num sucedâneo inferior ("erzats") do 'ethos'. O verdadeiro 'ethos' é uma comunicação entre pessoas reais, que ainda é mantido em parte na rádio, embora o elemento de retorno já seja mais difícil de obter. A televisão já está num plano à parte, aparecendo o orador mais como um símbolo de uma grande máquina que trabalha para aquilo acontecer. O espectador também já não faz parte de um auditório real, ele é um pequeno electrão cuja a função é ficar orbitando à volta do núcleo do átomo. É também interessante notar que a rádio é ainda uma espécie de último reduto dos conservadores em muitas partes do mundo, enquanto a televisão é dominada quase a 100% por esquerdistas.
Mas ocorreu ainda outra transformação fundamental na retórica moderna, desta vez ligado ao 'pathos'. O caminho já estava aplanado com a redução dos indivíduos "à sua insignificância". Depois, com a concentração dos meios de comunicação social, trabalhando em conjunto com a industria do cinema e do espectáculo, tornou-se possível fabricar um novo 'pathos' com enorme velocidade. Assim, as pessoas passaram a incorporar novas ideias e reacções quase instintivas a certas palavras simplesmente porque aquilo vem imerso na linguagem e em incontáveis símbolos distribuídos na cultura.
É neste contexto que devemos encarar o confronto entre Hillary Clinton e Donald Trump. Ele tinha, desde o início, uma missão quase impossível. As pessoas que dominam o novo 'ethos' (imagem) e o novo 'pathos' estão totalmente e abertamente ao lado de Hillary. Contudo, não há empreendimento humano que seja invencível e infalível. Assim, uma das primeiras coisas que Trump fez foi mostrar desprezo pelo "politicamente correcto", o que era também uma forma de dizer às pessoas que elas podiam recuperar alguma dignidade humana e deixar de ser bichinhos insignificantes face às divindades da política. Cheios de desprezo, os comentadores chamam a isto de "populismo", certamente que temendo pela continuidade dos seus lugares bem pagos.
Sem descurar totalmente o elemento de imagem, Donald Trump tentou recuperar ao longo da campanha os elementos clássicos da retórica, nomeadamente o foco no ‘logos’, falando das dificuldades reais das pessoas, e o seu 'ethos' pessoal, ligado à sua actividade empresarial e não a uma máquina de propaganda. O resultado foi espantoso. Considerado inicialmente apenas como uma notícia humorística, Trump fez a sua escalada e chegou ao primeiro debate entre candidatos à presidência com um empate nas sondagens.
Contudo, aqui chegados, coloca-se a questão de saber quais são os limites para o procedimento "invulgar" de Donald Trump, que quase teve de concorrer à margem do Partido Republicano. Uma coisa é ir conquistando eleitorado enfrentando colegas de partido, mas outra coisa é enfrentar directamente uma Hillary Clinton suportada por uma imensa máquina de propaganda, ou melhor, de controlo mental.
É necessário admitir que a estratégia de Clinton para este primeiro debate foi adequada para os seus fins, o que não é muito difícil de perceber porquê à luz das notas que avancei aqui. Em primeiro lugar, Hillary não apareceu cansada ou mesmo com ar tão alienado como aconteceu em várias ocasiões. Ela assumiu a imagem de uma pessoa madura que debate com um adolescente inconsciente, fazendo constantes sorrisos de condescendência e de superioridade. Ao mesmo, tempo, ela consegue mentir com toda a naturalidade do mundo, aquilo a que os comentadores chamam de "confiança", enquanto Trump não tem esta "virtude" e por vezes perdia alguma fluidez no discurso, também porque foi colocado várias vezes na defensiva por um moderador que não sabia lá muito bem qual era a sua função.
Mas talvez o mais relevante passou-se ao nível do 'pathos'. Quando em comícios anteriores Trump discursou para o seu público, parecia que alguns dos chamados "valores americanos" estavam bem vivos: industrialização, empreendorismo, liberdade (sobretudo materializada na maior desregulamentação), lei e ordem. Víamos o público exaltar com estas coisas e parecia que a América ainda estava viva. Contudo, no ambiente do debate com Hillary sentia-se que algo estava diferente. Apesar de haver um certo compromisso para o público não se manifestar, ele acabou por fazer isto várias vezes, mas não quando Trump apelava aos valores supostamente caros aos americanos.
As intervenções de Hillary acabaram por demolir quase totalmente a pretensão de os valores americanos estarem vivos. Aqui convém recordar o que eu disse anteriormente com o controlo do 'pathos', que em termos um tanto simplistas podemos dizer que está relacionado com o "politicamente correcto". No fundo, a campanha de Hillary Clinton é uma extensão do politicamente correcto, que não é apenas uma série de ideias que estão inculcadas na cabeça das pessoas mas um conjunto de reacções quase epidérmicas perante certas palavras e frases.
Então, se Trump fala em desregulamentação, Hillary diz que tal foi a causa da crise financeira (lá se vai a liberdade); se Trump fala em baixar impostos, Hillary fala em aumentá-los para os ricos (e lá vem o socialismo para os não ricos); se Trump fala em lei e ordem, Hillary contrapõe com o racismo da polícia e dos americanos em geral, defendendo também o controlo de armas. Hillary defende Obama contra Trump, e este nota que ela já disse coisas horríveis sobre Obama, e que essa hipocrisia não pega mais, mas talvez não seja bem assim, porque a frieza dos psicopatas impressiona muita gente. Nota-se que nestas questões o público estava maioritariamente com ela, o que significa que já desistiu do "sonho Americano", se é que alguma vez isso foi mais do que uma fantasia a não ser para uns poucos. Obviamente que Trump percebeu que a argumentação de Hillary era extremamente desonesta e suja, mas pouco podia fazer numa ambiente de debate retórico, em que aquilo que candidata democrata dizia já se transformou numa espécie de senso comum.
Para já, nada está decidido. Obviamente que os principais jornais e comentadores disseram que Hillary ganhou o debate. Só podiam afirmar o contrário se tivesse ocorrido alguma hecatombe. Convenientemente, a CNN apresenta uma expressiva maioria de 62% dando a vitória a Hillary Clinton, mas o público alvo pode estar longe de representar o conjunto nacional americano. Algumas sondagens em sites importantes dão indicadores opostos, mas também eles não serão indicadores confiáveis das intenções de voto por também não serem amostragens aleatórias. Como é normal, a grande maioria os votantes não vai alterar o seu sentido voto devido a este debate, nem sequer por qualquer outra coisa ocorrida até ao fim da campanha, desde que não seja demasiado grave. Contudo, isso pouco importa, porque as eleições serão decididas por curta margem e o que interessa é quem terá o maior ascendente.
O caminho para Hillary Clinton é simples. Ele irá resguardar-se de fazer muitas intervenções públicas, não só para não correr o risco de adoecer mas também para não aparecer mais vezes com ar drogado, o que os jornalistas têm tentado esconder, mas o retiro também servirá para ela preparar com o seu batalhão de assessores os 'sound bytes', as frases condescendentes, os sorrisos idiotas, a firmeza fingida, os olhares falsamente serenos e todas as demais artimanhas, que são inegavelmente eficazes face a um público cada vez mais infantilizado. Ele poderá contar com a ajuda maciça e sempre crescente de todos os jornais, artistas e "líderes mundiais", que se irão desmultiplicar em declarações de apoio à candidata democrata, ao mesmo tempo que irão dramatizar cada vez mais os riscos mortais de Trump subir à presidência. Assim, a sua vitória surgirá com "naturalidade".
O caminho para Donald Trump será inegavelmente mais tormentoso. Ele terá de decidir se vai adocicar mais a sua linguagem, para conquistar algum eleitorado mais moderado (também conhecido por "boiolas"), correndo o risco de nem conseguir isto e de ao mesmo tempo perder algum do ser eleitorado inicial por parecer que já desistir das suas intenções iniciais. Claro que se Trump voltar a um tom mais áspero também corre o risco de perder algum eleitorado, que pode começar a achar que ele é de facto um risco. Seja como for, ele não pode dar-se ao luxo de se retirar como Hillary pode fazer, porque não tem toda uma máquina trabalhando para ele 24 horas por dia. Assim, vai ter que continuar a fazer comício atrás de comício, correndo o risco de vir a ter alguma quebra física entretanto.
Uma vitória de Trump dependerá de vários factores. Por um lado, ele de tem continuar a fazer com que cada vez mais gente acredite no seu desígnio de "tornar a América grande outra vez", e para isso vai ter que impor o seu 'ethos' pessoal sobre a imagem fabricada de Hillary. Por outro lado, ele tem que mostrar a forma absolutamente tendenciosa como são empoladas as suspeitas de ele ser racista ou de ter fugido aos impostos, enquanto os jornalistas não querem destacar coisas incomparavelmente mais graves em relação a Clinton, que tem afirmações onde praticamente faz uma declaração de guerra contra a Rússia, mas também já declarou guerra à religião, ao mesmo tempo que recaem sobre ela suspeitas de crimes de alta traição, financiamento ao Daesh e ligação a todo o tipo de pessoas obscuras. Aparentemente, tudo isto não vai entrar nos próximos debates entre os candidatos (entrou a questão dos e-mails apagados, porque não deu para esconder), e se Trump levantar as questões será considerado lunático. Portanto, será necessário forçar que estes temas entrem em debate, nomeadamente através da pressão através da Internet. Provavelmente, isto não será suficiente mas ao menos servirá para apontar como todo establishment está profundamente corrompido. A hegemonia esquerdista à volta do mundo não é plena e há muita gente que está farta de ser permanente enganada por um sistema que repete sempre as mesmas coisas e atormenta sempre com os mesmos receios. Poderá Trump capitalizar este descontentamento?
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

Caminhada de José Ronaldo empolga comerciantes do Feiraguai


Apertos de mãos, abraços, sorrisos e momentos descontraídos de prosa marcaram a caminhada do prefeito José Ronaldo (Democratas), candidato à reeleição pela coligação "O Trabalho Vai Continuar", por entre as ruas internas do Feiraguai, na tarde de terça-feira, 27.
A boa acolhida a José Ronaldo pelos comerciantes do mais popular entreposto comercial da Bahia, se refletiu no sentimento de satisfação que externaram sobre a atual administração.
"Eu conheço José Ronaldo há mais de 40 anos e sei bem do seu caráter. É um homem que está sempre presente, trabalhando pela melhoria da qualidade de vida dos feirenses, ao contrário de outros políticos que só aparecem aqui de quatro em quatro anos", afirmou Ulysses Mota, dono de um boxe de confecções.
Para Danielson Machado, que comercializa equipamentos de som, "José Ronaldo é o nosso prefeito, pois é o único candidato que tem condições de governar Feira de Santana".Líder em todas as pesquisas de intenção de votos, José Ronaldo esteve acompanhado do candidato a vice-prefeito Colbert Filho, assessores e lideranças políticas.
(Com informações da Ascom@joseronaldo.com.br)

Beleza de festa

Imagens da bela festa 15 Primaveras, da Escola Municipal Maria Antônia Costa, em sua quinta edição. Ocorreu na Mansão 888, na noite de terça-feira.

Fotos de Washington Nery,

Agenda do candidato a prefeito Zé Neto



Nesta quarta-feira, 28
10 horas - Caminhada no Centro de Abastecimento - Concentração no Box dos Artesãos
12 horas - Almoço com lideranças da saúde
15 horas - Apresentação de proposta de governo na Faculdade Nassau
16 horas - Reunião com lideranças
18 horas - Caminhada no bairro Jussara
19h30 horas - Caminhada no bairro Feira X
(Com informações de imprensa.13zenetoprefeito@gmail.com)

Agenda do candidato a prefeito José Ronaldo



Nesta quarta-feira, 28
Manhã - Reunião com equipe de campanha
Tarde - Reuniões políticas

19h30 - Caminhada no conjunto Feira IX e Expansão.
(Com informações da Ascom@joseronaldo.com.br)

Agenda do candidato a prefeito Jairo Carneiro

Nesta quarta-feira, 28
9 horas - Gravação de programa eleitoral 
12 horas - Reunião com Rotary Clube Feira Leste 
15 horas - Reunião com assessores
19h30 - Caminhada no bairro Viveiros 
(Com informações de Genildo Lawinscky, da Coordenação de Rádio e TV)

"Ainda falta um"

Após a prisão de Antonio Palocci, já não se duvida em Brasília que Lula será mesmo preso. Há motivos até bem mais graves que as acusações a Palocci. As apostas são de que Lula não passará o fim de ano solto.
Risco de extinção
O PT reconhece a iminente prisão de Lula, que será fatal, porque, para sobreviver, o partido terá encontrar um substituto capaz de liderar o soerguimento. Mas todos estão na cadeia por corrupção.
Fonte: Claudio Humberto


terça-feira, 27 de setembro de 2016

Governador petista não crê em pesquisa

O governador petista Rui Costa veio a Feira de Santana na terça-feira, 27, para desacreditar as pesquisas do Ibope divulgadas pela TV Subaé e que deram ampla vantagem ao prefeito José Ronaldo (Democratas), candidato à reeleição pela coligação "O Trabalho Vai Voltar" - a última com 64% na espontânea, 70% na estimulada, 75% nos votos válidos e 79% na margem de erro para mais.
"Pesquisa não acerta o resultado da eleição", respondeu ao repórter Jota Bezerra, da Rádio Povo.
Promotor de estratégia de pulverização de candidaturas - o governador apoia seu líder Zé Neto, também petista, bem como torce pelos outros quatro candidatos de oposição -, Rui Costa desmereceu com enfase a validade das pesquisas eleitorais. Para o petista, "pesquisa só tem uma finalidade. Tentar influenciar o voto do eleitor".
Neste sábado, 1, véspera das eleições a TV Subaé divulga a terceira e última pesquisa encomendada ao Ibope. 
Em Feira de Santana, há quatro eleições pelo menos (2000, 2004, 2008 e 2012) as pesquisas acertaram os resultados das eleições.

Lembrando sobre o Feira Tênis Clube

Descaracterizado de sua funcionalidade inicial, o Feira Tênis Clube é notado pela sua estrutura física devastada por fatores outros, que não apenas do tempo.
Há quem lamente, há também, quem proteste contra a situação atual do que já foi o principal clube da cidade. Outros preferem manter vivas, na memória, todas as lembranças de um tempo dourado. Tempo ápice, glorioso, e que não mais volta.  
Convidado pela TV Olhos d'Água, o jornalista Dimas Oliveira falou sobre os áureos anos do "FêTêCê".
Clique e assista: 
https://www.facebook.com/tvolhosdagua/videos/937797662999311/

Trailer de "O Lar das Crianças Peculiares"




Assista
Trailer de "O Lar das Crianças Peculiares ", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 29, no Orient Cinemas Boulevard.

Trailer de "Meu Amigo, O Dragão"



Assista
Trailer de "Meu Amigo, O Dragão", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 29, no Orient Cinemas Boulevard

Dois filmes de aventura e fantasia



Dois lançamentos nacionais, ambos filmes de aventura e fantasia, nesta quadragésima semana, no Orient Cinemas Boulevard, a partir de quinta-feira, 29. São "O Lar das Crianças Peculiares", de Tim Burton, e "Meu Amigo, o Dragão", de David Lowery.
Do visionário diretor Tim Burton, e baseado no romance best-seller de Ranson Riggs,  "O Lar das Crianças Peculiares" (Miss Peregrine's Home For Peculiar Children), é considerado como uma "experiência cinematográfica inesquecível". A casa do título é um orfanato, um lugar mágico cheio de moradores com poderes especiais. Tem a bela Eva Green (Foto 1 Divulgação) encabeçando o elenco, além de Asa Butterfield, Terence Stamp, Judi Dench e Samuel L. Jackson.
"Meu Amigo, o Dragão" (Pete's Dragon) é uma produção da Disney, estrelada por  Oakes Fegley (Foto 2 Divulgação) como o Pete do título original, o amigo do dragão, além de Bryce Dallas Howard, Robert Redford, Oona Laurence, Wes Bentley.
Todos os dois lançamentos têm sessões com cópias dubladas e legendadas.
Continuam em cartaz a comédia brasileira "Tô Ryca!", último filme com Marília Pera, a animação "Cegonhas", e o filme de terror "A Bruxa de Blair".
O novo "Sete Homens e um Destino", que chegou a ser anunciado na semana passada, continua sem ser lançado em Feira de Santana.

Ipês florescem nas avenidas

Os ipês da avenida Getúlio Vargas e da avenida Maria Quitéria esperaram o início da primavera e estão florescendo. 
Estão mostrando suas cores para o enlevo dos transeuntes.
Ao contrário do que previram ambientalistas e eco-chatos, a implantação do BRT não afetou o arvoredo das duas avenidas.

Ibope mostra que Elinaldo vence eleições em Camaçari

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira, 27, aponta que o vereador Antonio Elinaldo, candidato do Democratas a Prefeitura de Camaçari, venceria com folga a eleição do próximo dia 2 de outubro. Ele aparece com 65% dos votos válidos, contra 32% do deputado federal e ex-prefeito Luiz Caetano (PT), 2% da candidata Jailce Andrade (PCdoB) e 1% de Francisco Irmão (SD). Nilton Resistência, do Psol, não foi sequer citado no levantamento. A pesquisa ouviu 406 pessoas entre os dias 23 e 25 de setembro. A margem de erro é de 5% para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo de número BA-01619/2016.
No cenário geral, sem a exclusão de votos brancos e nulos, bem como daqueles que não souberam ou não responderam, Elinaldo aparece com 53% das intenções de voto, frente aos 26% de Caetano. Jailce manteria os 2% e Francisco Irmão o 1%. Brancos e nulos chegaram a 14% e não souberam ou não responderam 4%. Na pesquisa espontânea, quando não é apresentada ao eleitor a lista com os nomes dos candidatos, o democrata lidera com 45% das intenções de voto, contra 22% de Caetano e 1% de Jailce. Brancos e nulos somam 16% e não souberam ou não informaram 15%. 

O candidato do PT mais uma vez lidera a pesquisa no quesito rejeição. Entre os entrevistados, 49% disseram que não votariam em Caetano de jeito nenhum. Entre os postulantes, Elinaldo tem a menor taxa de rejeição, com 22%. O Ibope revelou ainda que o prefeito de Salvador, ACM Neto, é melhor cabo eleitoral do que o governador Rui Costa. Isso porque para 47% dos entrevistados, o apoio do gestor democrata aumentaria em muito a decisão por votar em determinado candidato, contra apenas 22% de Rui Costa.
(Com informações de democratascamacari@gmail.com)

As chanchadas de antigamente eram bem melhores

Adelaide Chiozzo e John Herbert, casal romântico em "O Petróleo É Nosso"

Pôster da chanchada brasileira
Fotos: Reprodução
 
O primeiro filme brasileiro que assisti, "O Petróleo É Nosso", de Watson Macedo, 1954, foi a minha quinta ida ao cinema - no caso, Cine Íris, em 1955. Estava com sete anos de idade.
Premiado como Melhor filme no Festival Cinematográfico do Distrito Federal, em 1954, "O Petróleo É Nosso" foi um dos grandes sucessos do gênero chanchada - assim eram chamadas as comédias, recheadas de números musicais com artistas famosos.
No elenco, Violeta Ferraz, Catalano, Adelaide Chiozzo, Heloísa Helena, Mary Gonçalves, Nancy Wanderley, Pituca, John Herbert, Consuelo Leandro e Wilson Grey.
As páginas musicais: "Graças a Deus", com Linda Batista; "Renunciei", "São Paulo" e "Parabéns", com Emilinha Borba; "Zé Corneteiro", com Virgínia Lane; "Casa Portuguesa", com Gilda Valença; "Sabiá" e "Tempinho Bom", com Adelaide Chiozzo; "Sob o Céu de Paris", com Ivon Curi; entre outras.
Interessante no filme, o nome que é dado à companhia petrolífera: Petroneca (ou seja, petróleo...nada). O título do filme remete à campanha publicitária nacionalista nos anos 40.
Depois, pela ordem, a assistência de "Sai de Baixo", de J. B. Tanko; "Carnaval em Marte", de Waton Macedo; "Angu de Caroço", de Eurides Ramos; "Metido a Bacana", de J. B. Tanko;  "Colégio de Brotos", de Carlos Manga; "O Noivo da Girafa", de Victor Lima; e "Garotas e Samba", de Carlos Manga.
Com a lembrança, uma certeza: as chanchadas de antigamente eram bem melhores que as atuais do cinema brasileiro.
Postagem publicada originalmente em 6 de setembro de 2013

"Ficha de Palocci é suja desde quando foi prefeito"



A prisão de Antônio Palocci, ex-ministro de Lula e de Dilma, levou o PT a fingir "indignação" outra vez, como se os ladrões fossem heróis e os culpados estivessem na força-tarefa da Lava Jato. Palocci é chamado de "ladrão" pelos adversários desde quando foi prefeito de Ribeirão Preto (SP) e acusado de envolvimento no escândalos como da "máfia do lixo". Como ministro, foi acusado de multiplicar sua fortuna.
Conhecimento de causa
Rogério Buratti, ex-assessor, revelou que a "máfia do lixo" da prefeitura de Ribeirão Preto pagava mensalão de R$ 50 mil a Antonio Palocci.
Abuso de poder
O caseiro Francenildo sofreu perseguição implacável após confirmar que Palocci ia muito a mansão frequentada por prostitutas, em Brasília.
Ah ta!
Condenada a pagar R$ 400 mil ao caseiro, a Caixa alegou não ter havido quebra, mas somente a "transferência" do sigilo a Palocci.
Ministério da Cadeia
O PT poderia montar todo um Ministério com os seus filiados presos e/ou condenados apenas neste ano. José Dirceu, Paulo Bernardo, Guido Mantega e Antonio Palocci. Ainda falta o chefão.
Alívio no submundo
A Lava Jato dará trégua a alguns ladrões ainda soltos: a lei eleitoral prevê uma "pausa" em prisões, que só podem ser efetuadas até cinco dias antes da eleição e somente 48 horas após o fim do pleito.
Pensando bem...
...no PT, afinal, não é só a língua que está presa.
Fonte: Cláudio Humberto

Agenda do candidato a prefeito Jairo Carneiro

Nesta terça-feira, 27
7h15 - Entrevista na Rádio Povo - Programa "Primeira Página" 
9 horas - Caminhada na rua Marechal Deodoro 
15h30 - Visita aos moradores do condomínio "Minha Casa, Minha Vida", no Aviário 
19h30 - Caminhada no bairro Rua Nova
(Com informações de Genildo Lawinscky, da Coordenação de Rádio e TV)

Agenda do candidato a prefeito José Ronaldo



Nesta terça-feira, 27
Manhã - Reuniões políticas
15 horas - Caminhada no Feiraguai e reuniões políticas
19 horas - Caminhada no bairro Jussara
20 horas - Caminhada no bairro Viveiros
(Com informações da Ascom@joseronaldo.com.br)

Agenda do candidato a prefeito Zé Neto



Nesta terça-feira, 27
9h30 - Caminhada no centro - Concentração ao lado do Feira Tênis Clube
14 horas - Reunião com equipe de coordenação da campanha
17h30 - Reunião com candidato a vereador no Núcleo Conceição
18h30 - Reunião com candidato a vereador no bairro Santo Antonio
19 horas - Caminhada nos Bairros Caseb e Rocinha - Concentração no Espaço Vitória, na rua Sorocaba, Caseb
21h30 -  Caruru no Tomba
(Com informações de imprensa.13zenetoprefeito@gmail.com)

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

"15 Primaveras" pela quinta vez



Um projeto que é uma ação social ocorre na noite desta terça-feira, 27, pela quinta vez. Trata-se do baile de debutantes "15 Primaveras", promovido pela Escola Municipal Maria Antonia da Costa, dirigida por Nelcilândia Arouca.
No ano passado, o evento colocou Feira de Santana no programa "Caldeirão do Huck", da Rede Globo. O apresentador Luciano Huck não esteve ao vivo naquela noite de 22 de setembro, na Mansão 888 - mesmo local -, mas interagiu em vídeo e mandou equipe para gravar todo o evento. Quem marcou presença foi o ator carioca Rodrigo Simas, do elenco de "Malhação" e atração do "Caldeirão do Huck", que dançou valsa com as 37 debutantes durante quase uma hora.
Luciano Huck também patrocinou o buffet, o bolo e conseguiu a participação de soldados do 35º Batalhão de Infantaria, que foram os "príncipes" das meninas-moças.
Mais uma vez, a festa vai contar com convidados, incluindo as 24 debutantes, suas famílias, professores e servidores da escola, parceiros e colaboradores.
Como nas duas edições anteriores, o jornalista e radialista Renato Ribeiro vai atuar como mestre de cerimônia, de forma voluntária.
As debutantes são: Alana de Santana Leôncio, Ana Carolina Moreira Pereira, Claudiane Ferreira dos Santos, Cristiane Carvalho Santos, Eduarda Santos Ferreira, Erica Ariane Ferreira Silva, Ericka Adorno Pedreira, Isadora Santos Gomes, Janalina de Souza Santos, Jeniffer Sacramento Cerqueira,, Jéssica da Silva Cerqueira, Joiciele Porto da Silva, Lauriane dos Santos Evangelista Souza, Lívia Maria Araújo Lima, Lívia Santos da Conceição, Luciene Santana Araújo, Maria Isabel dos Santos Conceição Reis, Maria Israeline Ferreira da Silva, Monique dos Santos Rodrigues, Raisa Almeida Pereira, Ravena Vanessa dos Santos Jesus, Roselane Pinheiro Teixeira, Thaise Santos de Jesus e Vanessa Barbosa dos Santos.

Petista contra petista



O ex-vereador petista Marialvo Barreto postou no Facebook:
"O governo Wagner investiu muito em Feira, e Rui Costa continua ampliando esses investimentos, beneficiando não somente Feira de Santana, mas todo seu entorno.
No entanto se diz que o Governo do Estado pode transformar Feira numa veradeira princesa, com saneamento, infraestrutura, saúde et, que o povo vai dizer que foi José Ronaldo que fez.
O trabalho do nosso governo, aqui, não cola no Governo.
Uma pergunta tem que ser feita: Por que?"
Em comentário, que atinge ao candidato a prefeito Zé Neto, líder do Governo, ele mesmo responde: "Pessoas para serem porta vozes... temos, mas..."