quinta-feira, 30 de outubro de 2014

"O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão: Veredas" em expedição em Monte Santo



O filme "O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão: Veredas" em expedição pelo Sertão. Esta produção da Larty Mark com direção e roteiro de Tuna Espinheira será exibido em sessão pública na praça da Matriz no município de Monte Santo, nesta sexta-feira, 31, e no distrito de Muquém, no sábado, 1º de novembro, sempre às 19 horas.

Candidato tem até terça-feira para apresentar prestação de contas final



Prazo para prestação de contas eleitoral final teve início no dia 6 
Termina na próxima terça-feira, 4 de novembro, o prazo para que todos os candidatos que concorreram às eleições em outubro, bem como comitês financeiros e os diretórios partidários estaduais, apresentem a  prestação de contas final à Justiça Eleitoral,  com a discriminação dos recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro arrecadados para financiamento da campanha eleitoral e dos gastos que realizaram. O prazo teve início no dia 6 de outubro e terminará em 4 de novembro.
Todos os candidatos que concorreram às eleições deste ano deverão apresentar a prestação de contas final à Justiça Eleitoral. Fazem parte desta lista, inclusive, os que renunciaram, foram substituídos ou tiveram seus registros de candidatura indeferidos. O relatório também deve ser apresentado pelos comitês financeiros e diretórios partidários estaduais, além dos municipais que arrecadaram e aplicaram recursos em campanha.
As prestações de contas finais devem ser encaminhadas à Justiça Eleitoral pela internet, por meio do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE). Além do envio eletrônico, deverá ser impresso o 'Extrato da Prestação de Contas' gerado pelo sistema. O extrato deverá ser protocolado no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), juntamente com todos os documentos previstos no art. 40 da Resolução nº 23.406/2014, do Tribunal Superior Eleitoral. Deverá conter obrigatoriamente as assinaturas do prestador de contas e do seu administrador financeiro, caso haja, bem como as assinaturas do advogado e do contador.
Os dados das contas eleitorais finais são disponibilizados imediatamente a partir da recepção no protocolo do Tribunal e podem ser acessados pelo público em geral por meio do link do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais.
A ausência da prestação de contas eleitoral final impede a diplomação dos candidatos e implica em restrição para emissão de certidão de quitação eleitoral.

Prêmio "Comerciante do Ano 2014" homenageia empreendedor de Feira de Santana


Na noite de quarta-feira, 29, a Fecomércio-BA reuniu líderes empresariais e do poder público da Bahia durante a tradicional solenidade de entrega do título de Comerciante do Ano, na Casa do Comércio, em Salvador. O presidente da Fecomércio-BA, Carlos de Souza Andrade, concedeu o título e fez a outorga da Medalha Visconde de Cairú ao empresário de Feira de Santana Luís Henrique Mercês, do Grupo Mersan, rede varejista de calçados, que foi prestigiado por autoridades políticas, empresários, familiares e colaboradores que acompanham sua trajetória.
O presidente da Fecomércio-BA, Carlos de Souza Andrade, ressaltou a tradição do prêmio entregue anualmente desde 1985 e a importância de valorizar o empreendedorismo no comércio no interior  baiano. "O sucesso do Grupo Mersan comprova que o interior é um mercado pujante para a economia, que deve ser alvo de políticas públicas que favoreçam e atraiam investimentos também para o comércio, pois o poder de consumo no nosso interior ainda é um nicho a ser explorado", declarou Andrade.
O vice-presidente da Federação e presidente do Sindicato do Comércio de Feira de Santana, José Carlos Moraes Lima, fez as saudações ao homenageado. "Luis é um líder inconteste de um grupo em plena expansão. O seu sucesso como empreendedor se deve a uma vida dedicada à sua família, pois sem ela talvez não tivesse chegado aonde chegou", disse José Carlos.
Em seus discurso, Luis, que é filho de comerciantes, agradeceu ao apoio da família, de sua mulher e seus três filhos, que juntos com ele administram o Grupo Mersan. Também pediu o apoio da Fecomércio-BA para que as médias empresas tenham tratamento diferenciado no campo das exigências fiscais junto ao governo. "Essas empresas, que já foram pequenas, precisam de estímulo para continuarem a investir e a crescer", salientou o empresário.
A mesa diretora da solenidade contou com as presenças do chefe de Gabinete da Secretaria da Indústria e Comércio Luiz Gonzaga, representando o Governo do Estado; da secretária de Ordem Pública Rosemma Maluf, representando a Prefeitura de Salvador; do prefeito de Feira de Santana José Ronaldo, do presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado da Bahia (Faceb) Clovis Cedraz, do presidente da ACB Marcos de Meirelles Fonseca, e do presidente da FCDL Antoine Tawil.
SOBRE O COMERCIANTE DO ANO
Filho de comerciantes, Mercês lidera há mais de 30 anos a rede varejista de calçados, que hoje conta com 32 unidades divididas entre Feira de Santana, Salvador, Serrinha, Coité, Alagoinhas, Itabuna e Itaberaba, respondendo por um a geração de mais de 700 empregos.  O plano de expansão do grupo prevê a abertura de mais 10 lojas nos próximos dois anos e o início do sistema de franchising e vendas on-line. O empresário é também diretor de marketing do Sindicato do Comércio de Feira de Santana e participa das diretorias da CDL Feira e Associação Comercial de Feira de Santana.
Fotos: César Vilas Boas
(Com Informações de  Délia Coutinho, da Assessoria de Comunicação)

"COMO A REDE PETISTA ATUA, COM TENTÁCULOS NOS GRANDES VEÍCULOS, PARA TENTAR MUDAR UM FATO: NO DIA 21, YOUSSEF DISSE À PF E AO MP QUE DILMA E LULA SABIAM DA ROUBALHEIRA NA PETROBRAS. E NÃO HOUVE RETIFICAÇÃO NENHUMA, JANIO DE FREITAS! É MENTIRA!"



Por Reinaldo Azevedo
Não pensem que a rede a serviço do petismo para distorcer informações está restrita aos blogs sujos, alimentada pelo capilé estatal. Chega também à grande imprensa. Aliás, os fiéis servidores da causa adorariam ver os veículos nos quais atuam debaixo do chicote do partido. Torcem fervorosamente para que Dilma imite Hugo Chávez, Evo Morales, Rafael Correa e Cristina Kirchner e avance contra a "mídia", onde ganham o pão. Mas vamos adiante. Prestem atenção à sequência de fatos.
1. VEJA publicou na edição de sexta-feira, dia 24, a informação de que, no âmbito da delação premiada, Alberto Yousseff havia afirmado à Polícia Federal e ao Ministério Público que Dilma e Lula sabiam, sim, da roubalheira na Petrobras. ATENÇÃO: O DEPOIMENTO EM QUE YOUSSEF ACUSA A DUPLA PRESIDENCIAL É DO DIA 21 DE OUTUBRO.
2. A VEJA começou a chegar aos leitores na sexta, dia 24. No sábado, dia 25, Folha, em manchete, e Estadão, com chamada na primeira página, PUBLICAVAM A MESMA INFORMAÇÃO.
NOTA LATERAL - VEJA não antecipou edição coisa nenhuma. Isso é mentira. Sigamos.
Nesta quarta, o jornal O Globo publica uma notinha, sem assinatura, sem fonte, sem nada, afirmando que, na verdade, Yusseff não teria dito o que disse à PF no dia 21, mas apenas no dia 22, numa retificação.
O apparatchik petista entrou em ação, afirmando que haveria uma espécie de articulação para acusar Dilma às vésperas da eleição. Em sua coluna de hoje, na Folha, Janio de Freitas, por exemplo, escreve a seguinte besteira (em vermelho):
Na quarta 22, "um dos advogados" de Youssef "pediu para fazer uma retificação" em depoimento prestado na véspera por seu cliente. "No interrogatório, perguntou quem mais sabia (…) das fraudes na Petrobras. Youssef disse, então, que, pela dimensão do caso, não teria como Lula e Dilma não saberem. A partir daí, concluiu-se a retificação.
Janio está, como se vê, desmentindo a manchete da própria Folha de sábado, dia 25, que apurou rigorosamente o que apurou VEJA. Até aí, tudo bem. Poderia fazê-lo se tivesse razão. Só que Janio e outros da espécie menores do que ele estão divulgado uma MENTIRA. Não houve depoimento nenhum na quarta-feira. A informação é falsa como nota de R$ 3.
Quem está fazendo escarcéu com isso nas redes sociais é gente que ainda vai acabar atrás das grades porque também recebia dinheiro do esquema que era gerenciado por Alberto Youssef, com dinheiro roubado da Petrobras.
O Valor Pro, um serviço eletrônico do Valor Econômico, resolveu entrar na história e, COM A INFORMAÇÃO CERTA, contribuiu para fazer ainda mais confusão. Ao veículo, o advogado de Youssef, Antonio Figueiredo Basto, disse o seguinte:
"Nesse dia [NA QUARTA-FEIRA], não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira. Não houve retificação alguma. Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo".
Entendeu, Janio de Freitas, ou quer um desenho? O advogado está desmentido a nota apócrifa do Globo, não a VEJA ou a Folha, onde você trabalha. Aliás, por que citar apenas a VEJA?
Muito bem. Bastaria a Janio ter feito a lição de casa, tarefa que um foca teria cumprido, e telefonado para o advogado ou para a Polícia Federal perguntando se tinha havido alguma oitiva na quarta, dia 22. E ficaria sabendo que se trata de uma mentira. Mas Janio já passou da fase de deixar suas convicções se contaminar pelos fatos.
Eu entendo por que Janio espalha isso.
Eu entendo por que a Carta Capital espalha isso.
Eu entendo por que os sites e blogs sujos espalham isso.
Mas não entendo por que o Globo publicou a nota mentirosa, já que, até onde sei, é um jornal que leva a sério o compromisso com a verdade. É O CASO DE APURAR COMO UMA INFORMAÇÃO MENTIROSA FOI PLANTADA NO JORNAL. Ao identificar os responsáveis, certamente se estará chegando a um dos tentáculos de um monstrengo de muitos tentáculos.
Quanto ao Valor Pro, dizer o quê? Um curso de redação não faria mal por ali. Nunca antes na história deste país se produziu um texto tão confuso, embora o jornalista estivesse com a informação certa, a saber:
1: só houve depoimento no dia 21, conforme informaram VEJA, Folha e Estadão;
2: não houve depoimento nenhum no dia 22;
3: não houve retificação nenhuma.
Para encerrar: garanto que essa é a "mídia" de que o Gilberto Carvalho gosta: a "mídia" que conta mentiras ou porque é regiamente paga para isso, com dinheiro estatal, ou por alinhamento ideológico.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"Um dos trogloditas da Venezuela encarregados de descer o sarrafo no povo está no Brasil e firma 'acordos' com o MST, com a anuência de Dilma e de Carvalho, o que não gosta da imprensa livre. Ah, sim: o cara é o ministro dos 'movimentos sociais' daquele país, como Carvalhinho…"



Por Reinaldo Azevedo
O jornalista Claudio Tognoli, informa em seu blog que decidiu entrar no site do Ministério do Poder Popular para as Comunas da Venezuela, que é um dos aparelhos daquele país que organizam as milícias chavistas, aquelas que andaram matando estudantes e oposicionistas. E descobriu coisas interessantes.
Sabem quem está em visita oficial ao Brasil? Elías Jaua, que é um vice-presidente setorial (um cargo que existe por lá) do Desenvolvimento do Socialismo Territorial da Venezuela e titular do tal Ministério das Comunas. O governo bolivariano informa que, nesta terça, foi firmada uma série de acordos, em Guararema, entre o governo venezuelano e o MST nas áreas de treinamento e desenvolvimento da produtividade comunal. Vejam vídeo acima.
Segundo Jaua, os "acordos têm o objetivo de incrementar a troca de experiências e formação para fortalecer o que é fundamental numa revolução socialista, que é a formação da consciência e a organização do povo para defender suas conquistas e seguir avançando na construção de uma sociedade socialista."
Ah, bom!!! Eu nem sabia que havia uma revolução socialista em curso no Brasil. Agora sei.
Deu para entender por que Gilberto Carvalho quer tanto os conselhos populares? Eis aí: depois de o chavismo - agora nas mãos de Nicolás Mauduro - ter conduzido a Venezuela ao caos, chegou a hora de "trocar experiências" com o Brasil. Imaginem vocês se um líder de alguma ditadura de direita andasse por aqui a firmar convênios com grupos organizados da sociedade. Seria uma gritaria danada! Eu mesmo seria o primeiro a protestar. Mas, como se trata de uma ditadura de esquerda, bem, nesse caso, pode.
Quando se aponta a má intenção do decreto 8.243, de Dilma, que será sepultado pelo Congresso, é evidente que não se trata de um delírio paranoico de reacionários, como quer fazer crer o sr. Carvalho. Nada disso! Atenção! A área dos chamados "movimentos sociais", na qual se insere o MST, é da competência do ministro, e o troglodita venezuelano que veio para cá fazer proselitismo e acordos com o movimento certamente não está no país sem o seu estímulo e a concordância do governo Dilma.
Assim, o MST, um movimento fartamente financiado com dinheiro púbico, firma convênios obscuros - o que a Venezuela tem a lhe ensinar? - com um governo que mata seu próprio povo na rua. Vai ver os gloriosos seguidores de Stedile querem saber como é viver num país em que se racionam a comida e o papel higiênico.
É… faz sentido! Como entra menos, sai menos. Menos rango, menos consumo de papel. É uma piada!
A presença deste senhor no Brasil é a prova da falta de inocência do decreto do senhora Dilma Rousseff. Vai ser enterrado pelo Congresso. E, do modo como ela o quer, será enterrado quantas vezes for apresentado.
A Venezuela não é e não será aqui, represidenta!
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Pastor Ricardo Murilo lança "Escuderia"

"Escuderia" é o nome do livro de Ricardo Murilo Souza de Carvalho, que será lançado na segunda-feira, 6 de novembro, às 19h30, na Igreja Batista Central, junto com exposição de quadros com o mesmo tema. Tem o subtítulo "Deus, Escudo Nosso".
Ricardo Murilo, bacharel em Teologia, professor de Filosofia e Educação Religiosa, é idealizador de festas de impacto evangelístico em Feira de Santana. É pastor da Comunidade Cristã Shalom Adonai, no George Américo. Casado com Viviane com quem tem os filhos Bem-Judá e Ismirna.

Festa dos Tabernáculos no Sertão

"A figura do casamento é usada frequentemente nas Escrituras para representar a relação entre Deus e seu povo. No Velho Testamento, Deus é o marido e o povo de Israel, a esposa. No Novo Testamento, Cristo é o noivo e a igreja, a noiva."
 Ao compreender a riqueza desse símbolo, o Colégio Lírio dos Vales, comemorando seus 12 anos, preparou uma linda Festa dos Tabernáculos com o tema "Casamento na Roça", adaptando essa linguagem figurada aos costumes do sertão, realizada na noite de quarta-feira, 29, no Teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim.
"Foi uma celebração ao nosso Deus por seu amor para com o seu povo agradecendo pela sua graça e misericórdia", como disse a diretora da escola, professora Janeide Borges.
O programa, com a participação da Banda Canto de Vida no louvor, constou de oração de gratidão, toque do shoffar, "A Preparação Para Receber o Noivo - o Arraial de Deus", "A Chegado do Noivo - Jesus Cristo É o Senhor do Nordeste", "A Escolha da Noiva - Êta! Deus É Bom Demais!", "O Povo Reconhece a Soberania do Noivo - Ele Vai Te Atender", "A Cerimônia do Casamento - Quadrilha Gospel", "As Bodas - Festa no Céu", "Gratidão Pelas Chuvas no Sertão - Só o Senhor É Deus", e o "Grand Finale - Quer Ir Mais Eu? Vamo!". Alunos do Fundamental II, 1º, 2º, 3º, 4º e 5º Ano participaram da festa. 

Deu em Claudio Humberto


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

"Gilberto Carvalho, gente!, quer cuidar de nós. Credo! Ou: A última do santo inquisidor do stalinismo cristão"



Por Reinaldo Azevedo
O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, continua dedicado a fazer o terceiro turno da eleição, embora o seu partido tenha vencido o segundo. Sabem qual é o problema? A ele, não basta vencer. Ele precisa destruir os adversários e quer a unanimidade. Enquanto a presidente Dilma fala em dialogar, ele continua interessado na guerra. Segundo este gigante do pensamento, “sem dúvida nenhuma, essa vitória de um projeto acabou significando a derrota daqueles que usam a mídia como panfleto, como semeadores do ódio e da divisão do país, o que felizmente não aconteceu”.
Para começo de conversa, não há um "projeto", mas um poder consolidado.
Há, sim, gente que usa "a mídia como panfleto", dedicada "a semear o ódio e a divisão do país". São os blogs sujos financiados pelas estatais e os sites e publicações do esgoto, que servem ao governismo. Carvalho sabe quais são. É claro, no entanto, e ninguém é inocente, que ele estava se referindo à edição de VEJA de sexta passada - na terça desta semana, já era a maior venda em banca da revista em 12 anos.
A revista informou que, em seu depoimento, Alberto Youssef afirmou à Polícia Federal e ao Ministério Público que Dilma e Lula sabiam do esquema de roubalheira montado na Petrobras. No sábado, Folha e Estadão trouxeram a mesma informação. Curiosamente, só a VEJA, como diria o poeta, excitou a fúria dos algozes. Curiosamente, Carvalho concedeu uma entrevista ao UOL, do mesmo grupo que edita a Folha, atacando a VEJA.
Carvalho, só um homem bom, está muito preocupado com a credibilidade do que chama "mídia" e diz que a "liberdade de imprensa" é intocável. É bem verdade que se trata de um governo que distribui anúncios àqueles que considera amigos e os sonega quando os veículos de comunicação não corta as cabeças que eles pedem. Mas que não se confunda isso com autoritarismo. Disse esse grande pensador:
"Eu penso que em relação à mídia, não temos que tomar nenhuma atitude que mude de repente o cenário da mídia ou que fira a liberdade de imprensa. Ela é sagrada e tem que ser mantida. Eu prefiro devolver para a mídia a reflexão. A própria mídia tem que pensar no que aconteceu no Brasil, refletir sobre os excessos que aconteceram. Ou ela se autorregulamenta e entende o que é a participação democrática na mídia, ou cada vez mais a sua credibilidade vai pelo ralo".
Como Gilberto Carvalho é bom! Tão bom quanto um santo inquisidor que manda as pessoas para a fogueira para que elas reflitam sobre os seus pecados, enquanto ele, muito pio, encomenda a sua alma. Carvalho, o stalinista cristão, cobra uma autocrítica disso que ele chama "mídia", como se ela fosse um bloco, como se ela fosse "monolítica" - para empregar a palavra que Dilma deve ter descoberto por esses dias, posto que ela a empregou nas entrevistas da Record, da Globo, da Band e do SBT.
Doce Gilberto Carvalho! Ele está preocupado com a nossa "credibilidade" e pretende que os veículos de comunicação se abram à "participação democrática". O que será que isso quer dizer? Criar "conselhos de redação", talvez, comandados pelo "povo" - o "povo do PT", é claro?! Saibam que aquele famigerado Plano Nacional de Direitos Humanos trazia algo muito parecido com isso.
Com a imprensa que está aí, que Carvalho diz ser contra o PT, o partido obteve o quarto mandato consecutivo e já planeja o quinto. Com a imprensa que ele tem em mente, o PT nunca mais sairia do poder, e as opiniões divergentes seriam banidas. Reitero: ele está falando essa bobajada toda vencendo a eleição. Imaginem se tivesse perdido.
Não pensem que sua investida é irrelevante. Não é, não! Muita gente, a partir desta quinta, vai se empenhar em provar para Gilberto Carvalho que ele está errado. "Você também, Reinaldo?" Eu não! Estou me lixando! Ele não é meu juiz. Sendo quem é, tê-lo como um crítico severo do meu trabalho é, para mim, uma honra adicional. Eu jamais vou me esquecer que este senhor tentou jogar no colo do governo de São Paulo os protestos violentos de rua - até que eles passassem a varrer o país e caíssem no colo de Dilma - e até os rolezinhos, onde, segundo o valente, havia um confronto de classes e um confronto racial. Nunca vi tamanha irresponsabilidade política.
Gilberto Carvalho ser ministro de estado é um escárnio. Ele não tem serenidade para isso, embora fale com a mansidão dos inquisidores.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard


Período de 30 de outubro a 5 de novembro
LANÇAMENTO
TIM MAIA, de Mauro Lima, 2014. Com Babu Santana, Alinne Moraes, Cauã Reymond e Robson Nunes. Drama biográfico. "Mais grave, mais agudo, mais eco, mais retorno, mais tudo!" O grito de guerra ainda ecoa nas festas de todas as gerações, idades e classes sociais, onde a música de Tim Maia é sinônimo de alegria e romance. Transgressor, amoroso e debochado, ele se consagrou como um dos artistas mais queridos e respeitados da música brasileira. Desde a adolescência, Tim Maia sempre fez o que queria, com quem e quando queria, e pagou um preço alto por sua liberdade. Mas, depois de sua passagem, a música brasileira nunca mais foi a mesma. Não recomendável para menores de 16 anos. Duração: 141 minutos. Horários: 14h40, 17h40 e 20h40. Sala 4 (264 lugares).
CONTINUAÇÕES 
DRÁCULA: A HISTÓRIA NUNCA CONTADA (Dracula Untold), de Gary Shore, 2014. Com Luke Evans, Dominic Cooper e Samantha Barks. Ação. Os habitantes da Transilvânia sempre foram inimigos dos turcos. Para evitar que sua população fosse massacrada, o rei local aceita entregar centenas de crianças. Entre elas estava seu próprio filho, Vlad Tepes, que aprendeu com os turcos a arte de guerrear e logo ganha fama pela ferocidade nas batalhas e também por empalar os derrotados. De volta à Transilvânia, é nomeado príncipe e governa em paz por 10 anos. Só que o rei mais uma vez exige que mais crianças sejam entregues aos turcos e, com isso, inicia uma nova guerra. Para vencê-la, recorre a um ser das trevas que vive pela região. Após beber o sangue dele, Vlad se torna um vampiro e ganha poderes sobre-humanos. Cópia dublada. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 110 minutos. Horários: 14h30, 16h40, 18h50 e 21 horas. Sala 1 (243 lugares).
O CANDIDATO HONESTO, de Roberto Santucci, 2014. Com Leandro Hassum, Luiza Valdetaro, Julia Rabello e Flávio Galvão. Comédia. Acompanha a campanha do político corrupto João Ernesto Praxedes, um mentiroso candidato à presidência da República, que passa a falar somente a verdade na reta final do segundo turno das eleições, onde lidera nas pesquisas. Em quinta semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 110 minutos. Horários: 13h50, 16h10, 18h30 e 20h50. Sala 2 (160 lugares).
O APOCALIPSE (Left Behind), de Vic Armstrong, 2004. Com Nicolas Cage, Cassi Thomson e Chad Michael Murray. Ação e ficção. Milhões de pessoas de todas as partes do mundo desaparecem, deixando para trás tudo o que era material. Todos os bebês, inclusive os que estavam para nascer, desaparecem - alguns durante o parto. Instala-se o caos no mundo inteiro. Descobre-se então que os cristãos foram enviados ao Paraíso, deixando “para trás” os pecadores. Cópia dublada. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 110 minutos. Horários: 14h10, 16h30 (exceto no sábado e no domingo), 19 horas e 21h20. Sala 3 (167 lugares).
A LENDA DE OZ (Legends of Oz: Dorrothy’s Return), de Will Finn e Dan St. Pierre, 2014. Animação. Dorothy acaba de voltar para casa de sua incrível jornada a Oz, mas já a estão chamando para mais uma aventura. Ao acordar em Kansas após o tornado, ela e o cão Toto voltam para Oz em um arco-íris mágico enviado por seus amigos, o Espantalho, o Leão e o Homem de Lata. Em quarta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 88 minutos. Horário: 16h30 – somente no sábado e domingo. Sala 3.
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

"Separatismo é conversa de cretinos - não importa se vermelhos ou azuis"



Por Reinaldo Azevedo
Essa conversa sobre separatismo no Brasil é asquerosa, é revoltante. Foi inventada por Lula, e, claro!, os porta-vozes do PT na imprensa logo aderiram à tese, atribuindo a adversários do PT o rancor separatista.
Ainda voltarei ao assunto, sim. Não! Não foram Norte e Nordeste que deram a vitória a Dilma porque há lá, se me desculpam a tautologia, muitos nortistas e nordestinos. A questão é de outra natureza: está relacionada à pobreza, que se concentra, como se sabe, no Norte e Nordeste do país - onde, de fato, está o maior número de pessoas atendidas pelo Bolsa Família. A questão é bem mais séria. Um programa social, que tem apenas o condão de tirar as pessoas da miséria e da indigência social e econômica, transformou-se numa máquina de produzir votos - e isso, sim, é imoral.
A população pobre, além de vítima das circunstâncias, não pode agora ser responsabilizada por um resultado eleitoral que eu também acho ruim para o Brasil. Vou escrever sobre tudo isso com mais vagar. De imediato, acho que é hora de a gente rechaçar essas teses de Nordeste contra Sudeste, não importa quem a advogue, sejam os petistas, obedecendo à orientação de Lula, sejam os seus adversários.
Aliás, Lula, ele mesmo, deveria ter vergonha de investir nessa história: afinal, é um nordestino que se tornou a maior liderança nacional no Sudeste. Durante um bom tempo, diga-se, ele despertava temores extremos justamente na população do… Nordeste!
Rebatam essa besteira. Esse negócio de falar em separatismo é um atentado à inteligência, ao bom senso e até à decência. Voltarei a esse assunto neste blog e falarei a respeito na minha coluna de amanhã, na Folha.
Quem fala em separar o Sudeste e o Sul do resto do Brasil, lamento!, não entendeu nada. Ao contrário: precisamos é somar esforços com os pobres do Brasil, do Nordeste ou não, para que eles se libertem da caridade que hoje os escraviza e os torna alvos fáceis do terrorismo de um partido político.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"Burrice e ignorância"

Por Arnaldo Jabor
A burrice é diferente da ignorância. A ignorância é o desconhecimento dos fatos e das possibilidades. A burrice é uma força da natureza (Nelson Rodrigues).
A ignorância quer aprender. A burrice acha que já sabe. A burrice, antes de tudo, é uma couraça. A burrice é um mecanismo de defesa. O burro detesta a dúvida e se fecha.
O ignorante se abre e o burro esperto aproveita. A ignorância do povo brasileiro foi planejada desde a colônia. Até o século XIX era proibido publicar livros sem licença da Igreja ou do governo. A burrice tem avançado muito; a burrice ganhou status de sabedoria, porque com o mundo muito complexo, os burros anseiam por um simplismo salvador. Os grandes burros têm uma confiança em si que os ignorantes não têm. Os ignorantes, coitados, são trêmulos, nervosos, humildemente obedecem a ordens, porque pensam que são burros, mas não são; se bem que os burros de carteirinha estimulam esse complexo de inferioridade.
A ignorância é muito lucrativa para os burros poderosos. Os burros são potentes, militantes, têm fé em si mesmos e têm a ousadia que os inteligentes não têm. Na percentagem de cérebros, eles têm uma grande parcela na liderança do país. No caso da política, a ignorância forma um contingente imenso de eleitores, e sua ignorância é cultivada como flores preciosas pelos donos do poder. Quanto mais ignorantes melhor. Já pensaram se a ignorância diminuísse, se os ignorantes fossem educados? Que fariam os senhores feudais do Nordeste em cidades tomadas como Murici ou o município rebatizado de cidade Edson Lobão, antiga Ribeirinha? A ignorância do povo é um tesouro; lá, são recrutados os utilíssimos "laranjas" para a boa circulação das verbas tiradas dos fundos de pensão e empresas públicas.
Como é o "design" da burrice? A burrice é o bloqueio de qualquer dúvida de fora para dentro, é uma escuridão interna desejada, é o ódio a qualquer diferença, a qualquer luz que possa clarear a deliciosa sombra onde vivem. O burro é sempre igual a si mesmo, a burrice é eterna como a Pedra da Gávea. De certa forma eu invejo os burros. Como é seu mundo? Seu mundo é doce e uno, é uma coisa só. O burro sofre menos, encastela-se numa só ideia e fica ali, no conforto, feliz com suas certezas. O burro é mais feliz.
A burrice não é democrática, porque a democracia tem vozes divergentes, instila dúvidas e o burro não tem ouvidos. O verdadeiro burro é surdo. E autoritário: quer enfiar burrices à força na cabeça dos ignorantes. O sujeito pode ser culto e burro. Quantos filósofos sabem tudo de Hegel ou Espinoza e são bestas quadradas? Seu mundo tem três ou quatro verdades que ele chupa como picolés. O burro dorme bem e não tem inveja do inteligente, porque ele "é" o inteligente.
Mesmo inconscientemente, aqui e lá fora, a sociedade está faminta de algum tipo de autoritarismo. A democracia é mais lenta que regimes autoritários. Sente-se um vazio com a democracia - ela decepciona um pouco as massas. Assim, apelos populistas, a invenção de "inimigos" do povo, divisão entre "bons" e "maus" surtem efeito. Surge, na política, a restauração alegre da burrice. Isso é internacional. Bush se orgulhava de sua burrice. Uma vez ele disse em Yale: "Eu sou a prova de que os maus estudantes podem ser presidentes dos USA". E, aí, invadiu o Iraque e escangalhou o Ocidente. E está impune, quando deveria estar em cana perpétua. Aqui, também assistimos à vitória da testa curta, o triunfo das toupeiras.
O bom asno é sempre bem-vindo, enquanto o "pernóstico" inteligente é olhado de esguelha. A burrice organiza o mundo: princípio, meio e fim. A burrice dá mais ibope, é mais fácil de entender. A burrice dá mais dinheiro; é mais "comercial".
Em nossa cultura, achamos que há algo de sagrado na ignorância dos pobres, uma "sabedoria" que pode desmascarar a mentira "inteligente" do mundo. Só os pobres de espírito verão a Deus, reza nossa tradição. Existe na base do populismo brasileiro uma crença lusitana, contrarreformista, de que a pobreza é a moradia da verdade.
No Brasil, há uma grande fome de "regressismo", de voltar para a "taba" ou para o casebre com farinha, paçoca e violinha. E daí viria a solidariedade, a paz, num doce rebanho político que deteria a marcha das coisas do mundo, do mercado voraz, das pestes e, claro, dos "canalhas" neoliberais. É a utopia de cabeça para baixo, o culto populista da marcha à ré.
Nosso grande crítico literário Agripino Grieco tinha frases perfeitas sobre os burros. "A burrice é contagiosa; o talento não" ou "Para os burros, o 'etc' é uma comodidade..." ou "Ele não tem ouvidos, tem orelhas e dava a impressão de tornar inteligente todos os que se avizinhavam dele", "Passou a vida correndo atrás de uma ideia, mas não conseguiu alcançá-la", "Ele é mais mentiroso que elogio de epitáfio", "No dia em que ele tiver uma ideia, morrerá de apoplexia fulminante".
Vi na TV um daqueles bispos de Jesus, de terno e gravata, clamando para uma multidão de fiéis: "Não tenham pensamentos livres; o Diabo é que os inventa!". Entendi que a liberdade é uma tortura para desamparados. Inteligência é chata; traz angústia, com seus labirintos. Inteligência nos desorganiza; burrice consola. A burrice é a ignorância ativa, é a ignorância com fome de sentido.
Nosso futuro será pautado pelos burros espertos, manipulando os pobres ignorantes. Nosso futuro está sendo determinado pelos burros da elite intelectual numa fervorosa aliança com os analfabetos.
Como disse acima, a liberdade é chata, dá angústia. A burrice tem a "vantagem" de "explicar" o mundo. O diabo é que a burrice no poder chama-se "fascismo".

Trailer de "Vingadores: Era de Ultron" - Versão estendida

Confira o teaser trailer legendado versão estendida de "Vingadores: Era de Ultron", da Marvel, que chega aos cinemas no dia 30 de abril de 2015. 
Os Estúdios Marvel apresentam "Vingadores: Era de Ultron", a sequência épica do maior filme de super-heróis de todos os tempos, "Os Vingadores".
Quando Tony Stark tenta reiniciar um programa de manutenção de paz, as coisas não dão certo e os super-heróis mais poderosos da Terra, incluindo Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, terão que passar no teste definitivo para salvar o planeta. Com o aparecimento do vilão Ultron, a equipe dos Vingadores tem a missão de neutralizar seus terríveis planos. Alianças complicadas e ação inesperada pavimentam o caminho para uma aventura épica global.
"Vingadores: Era de Ultron" da Marvel é estrelado por Robert Downey Jr., que retorna como Homem de Ferro, ao lado de Chris Evans (Capitão América), Chris Hemsworth (Thor) e Mark Ruffalo (Hulk). Ao lado de Scarlett Johansson (Viúva Negra) e Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), e com o apoio de Samuel L. Jackson (Nick Fury) e Cobie Smulders (agente Maria Hill), a equipe precisa se reunir para derrotar James Spader (Ultron), um vilão tecnológico terrível que busca a extinção da raça humana. No caminho, eles terão que enfrentar dois misteriosos e poderosos novatos, Wanda Maximoff, interpretada por Elizabeth Olsen, e Pietro Maximoff, interpretado por Aaron Taylor-Johnson, e encontrar um velho amigo em uma nova forma quando Paul Bettany se torna o Visão. Escrito e dirigido por Joss Whedon e produzido por Kevin Feige, "Vingadores: Era de Ultron" da Marvel é baseado na popular série de revistas em quadrinhos da Marvel "The Avengers", publicada pela primeira vez em 1963. 
Prepare-se para uma aventura cheia de ação quando "Os Vingadores" retornarem em "Vingadores: Era de Ultron" em 30 de abril de 2015.
Siga no Twitter: twitter.com/disneybrnews
(Com informações de Gláucia Zachariadhes, Atendimento Disney, de Selma Santos Produções e Eventos

"Sobre a ‎fraude‬ eleitoral feita pelo PT"



Francis Lauer é tradutor
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

"Terceiro turno"

Por Carlos Brickman
Campanha pró-impeachment, baseada num abaixo-assinado com mais de um milhão de adesões? Bobagem: Dilma acaba de ser reeleita, com 54,5 milhões de votos, e não existem condições políticas para afastá-la legalmente. Da mesma forma, os 14 pedidos de impeachment já protocolados na Câmara Federal devem morrer por asfixia: o Governo tem maioria folgada e cuidará de arquivá-los.
Mas haverá terceiro turno. Não agora, mas quando forem divulgadas oficialmente, ou vazarem, as delações premiadas de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef a respeito do Petrolão. Há mais: um diretor de uma das empresas atingidas pela Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, já comunicou ao Ministério Público que está disposto a negociar a delação premiada. Há outros interessados.
Com revelações que podem atingir gente importante do Governo, talvez a opinião pública se mobilize (ou não), forçando parlamentares a rever posições. Pode ser que no fim não aconteça nada (Suas Excelências acabam de ser eleitos, e só terão de enfrentar as urnas daqui a quatro anos, quando tudo que hoje é importante não passar de vaga lembrança), mas a dura batalha para deslegitimar o Governo inevitavelmente deixará vítimas - talvez de escalão mais baixo, mas talvez não.
Nessas épocas de crise ocorrem coisas estranhas (uma bobagem até baratinha, as cascatas artificiais da Casa da Dinda, inflamou a opinião pública. Uma entrevista de Pedro Collor levou à queda de seu irmão, o presidente Collor). Também pode acontecer de Dilma domar a crise.
Como se vingará em seguida?

"Todos precisam entender que ganhamos perdendo"

Por Reynaldo Rocha
Oliver, não sou o menino da piada que, ao receber um pote de estrume como presente de aniversário, procura pelo cavalo. Mas queria compartilhar contigo algumas visões mais otimistas (realistas, penso eu) do que vivemos nestas eleições.
1. Houve, sim, um movimento que esteve sufocado nos 12 últimos anos.
2. O PT não mete mais medo. Eles  que estão com medo. A bolivarização do Brasil está muito mais distante do que há um ano.
3. Há uma oposição. Saímos dos teclados. E mesmo nos teclados ganhamos novas companhias.
4. Aprendemos a jogar o jogo deles. Aceitamos o Brasil dividido. Eles - que ganharam - que rastejem em busca de tratamento para a fratura que provocaram.
5. O PMDB não será mais o eterno sócio minoritário dos que detêm o poder. O PMDB tem faro aguçado. Que o PT não conte com a docilidade dos alugados de praxe. Não a terá.
6. Prefiro os dez senadores atuais do PSDB (mais o Reguffe, do PDT) que aquela massa amorfa que nunca nos representou.
7. Não há como evitar o esclarecimento do Petrolão. A história ainda está em seu começo. Alguém duvida que será maior que o Mensalão?
8. Quem no PT tem formação acadêmica para ser ministro da Fazenda? Alguém com escopo para evitar o desastre?
9. O PT vendeu em hasta pública tradicionais aliados como Sarney, Eduardo Cunha, Henrique Alves e Jader Barbalho. Terá troco?
10. Quem imagina que as vozes das redes sociais serão silenciadas? Quem imagina que a derrota não fortaleceu a ira santa contra a seita?
11. Gilberto Kassab será ministro? E Aloizio Mercadante? Faltará tema para que o PT se enferruje ainda mais aceleradamente?
12. Quem disse que esqueceremos a Rosemary Noronha?
13. E Lulinha? Quantos escândalos ainda estão por surgir? Quem acha que deixaremos de cobrar quem elegeu a presidAnta?
Como disse, o povo perdeu o medo do PT. E Lula, hoje, é só um doente, desequilibrado, desbocado e perdedor. Dilma ganhou a eleição (graças a João Santana). Lula perdeu. Perdeu em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Pernambuco. E mesmo em Minas Gerais (onde o PT ganhou) a cor da campanha de Pimentel era azul.
O que nos resta é entender (Marina acertou ao menos uma vez) que perdemos ganhando. Veremos o apodrecimento progressivo desse infame projeto de poder.
E estarei por cá, lembrando nomes, sobrenomes, endereços e fatos que mostrarão que corpos podres desaparecem quando expostos ao sol.
A oposição aprendeu. Sobretudo, perdeu o medo de dar nome aos bois, vacas e mulas. Como a gente sempre fez por cá.
Abraços. E vamos em frente!
Fonte: "Coluna do Augusto Nunes"

"Turbulência à vista: Câmara convoca dois ministros de Dilma"

A Câmara dos Deputados impôs uma segunda derrota ao governo de Dilma Rousseff na primeira semana pós-eleições. Depois de derrubar o decreto que cria a Política Nacional de Participação Social, a Casa aprovou nesta quarta-feira (29) a convocação de dois ministros, Neri Geller (Agricultura) e Edison Lobão (Minas e Energia) - este citado no escândalo do petrolão -, para depor na Comissão de Agricultura, integrada em sua maioria por deputados de oposição. Aliados do Palácio do Planalto, parlamentares do PT e do PMDB entraram em obstrução para evitar a aprovação das audiências, mas não obtiveram sucesso. Por se tratar de uma convocação, não convite, os ministros obrigatoriamente terão de atendê-la.
Conforme os requerimentos, Geller dará esclarecimentos sobre o controle de qualidade de vacinas contra a febre aftosa, e Lobão, sobre a venda de 51% das Centrais Elétricas de Goiás (Celg) à Eletrobrás. Inevitavelmente, contudo, Lobão será confrontado com as denúncias de corrupção dentro da Petrobras. "Ele tem muito o que falar sobre a Petrobras. Os escândalos atingem exatamente a pasta dele. Para mim, ele não teria de ser convocado, mas sim demitido", afirmou o deputado Nilson Leitão (PSDB-MT). De acordo com o ex-diretor Paulo Roberto Costa, Lobão é um dos políticos envolvidos no esquema do petrolão.
A sessão nesta quarta foi marcada pela troca de acusações e pelo clima eleitoral. "Vamos tentar negociar. Esse clima de eleição não faz bem ao país. Temos de aprovar as coisas respeitando o ritual e a Casa", disse o deputado Márcio Macêdo (PT-SE), que tentava transformar a convocação dos ministros em convite - que poderia ser recusado. "Chega a ser engraçado o PT e seus aliados agora cobrando diálogo. Eles fizeram a campanha mais suja e sórdida do país, denegrindo a imagem das pessoas por não terem competência do debate", disse o líder do Democratas, deputado Ronaldo Caiado.
Na noite de terça-feira (28), a Câmara deu a primeira evidência das dificuldades que Dilma terá com os congressistas: derrubou o decreto que cria a Política Nacional de Participação Social, proposta pessoalmente desenhada pela presidente e pelo ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência). Para a Câmara, Dilma atropelou os poderes do Parlamento ao apresentar a medida por meio de uma canetada, sem antes passar pelo Congresso.  

"Dois dias depois de reeleita, 'represidenta' sofre derrota histórica na Câmara, que rejeita decreto bolivariano sobre conselhos populares"



Por Reinaldo Azevedo
Dois dias depois da reeleição de Dilma Rousseff, a Câmara dos Deputados, por ampla maioria - foi realizada em votação simbólica, com encaminhamento de lideranças - derrubou o decreto 8.243, o dos Conselhos Populares. Acompanhei a sessão. Voltarei ao assunto com mais detalhes. O PT, o PSOL, o PCdoB e o PROS tentaram desesperadamente obstruir a votação do Decreto Legislativo 1.491, que derruba o de Dilma. Não conseguiram.
Por mais que os governistas, alguns com discursos lastimáveis, tenham afirmado que não se trata de uma derrota de Dilma, a verdade evidente é que se trata, sim. Ela perdeu, e a democracia ganhou.
Não custa lembrar trechos do monstrengo dilmiano. O Artigo 1º do decreto estabelece: "Fica instituída a Política Nacional de Participação Social - PNPS, com o objetivo de fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de diálogo e a atuação conjunta entre a administração pública federal e a sociedade civil". Sei… O Inciso II do Artigo 3º sustenta ainda que uma das diretrizes do PNPS é a "complementariedade, transversalidade e integração entre mecanismos e instâncias da democracia representativa, participativa e direta".
Certo! Então os conselhos seriam uma forma de democracia direta, né? Só que é a democracia direta que se realiza à socapa, sem que ninguém saiba. Ou o "cidadão" decide fazer parte de algum “coletivo” ou “movimento social” ou não vai participar de coisa nenhuma. O texto tem o topete de definir o que é sociedade civil logo no Inciso I do Artigo 2º: "o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”". Ou por outra: é sociedade civil tudo aquilo que o poder decidir que é; e não é o que ele decidir que não é.
Fim da propriedade privada
Como observei numa coluna na Folha, O "indivíduo" só aparece no decreto para que possa ser rebaixado diante dos "coletivos" e dos "movimentos sociais institucionalizados" e "não institucionalizados", seja lá o que signifiquem uma coisa, a outra e o seu contrário. Poucos perceberam que o decreto institui uma "justiça paralela" por intermédio da "mesa de diálogo", assim definida: "mecanismo de debate e de negociação com a participação dos setores da sociedade civil e do governo diretamente envolvidos no intuito de prevenir, mediar e solucionar conflitos sociais".
Ai, ai, ai… Como a Soberana já definiu o que é sociedade civil, poderíamos esperar na composição dessa mesa o "indivíduo" e os movimentos "institucionalizados" e "não institucionalizados". Se a sua propriedade for invadida por um "coletivo", por exemplo, você poderá participar, apenas como uma das partes, de uma "mesa de negociação" com os invasores e com aqueles outros "entes". Antes que o juiz restabeleça o seu direito, garantido em lei, será preciso formar a tal "mesa"…
Isso tem história. No dia 19 de fevereiro, o ministro Gilberto Carvalho participou de um seminário sobre mediação de conflitos. Com todas as letras, atacou a Justiça por conceder liminares de reintegração de posse e censurou o estado brasileiro por cultivar o que chamou de "uma mentalidade que se posiciona claramente contra tudo aquilo que é insurgência". Ou por outra: a insurgência lhe é bem-vinda. Parece que ele tem a ambição de manipulá-la como insuflador e como autoridade.
Vocês se lembram do "Programa Nacional-Socialista" dos Direitos Humanos, de dezembro de 2009? É aquele que, entre outros mimos, propunha mecanismos de censura à imprensa. Qual era o Objetivo Estratégico VI? Reproduzo trecho:
"a - Assegurar a criação de marco legal para a prevenção e mediação de conflitos fundiários urbanos, garantindo o devido processo legal e a função social da propriedade.
(…)
d - Propor projeto de lei para institucionalizar a utilização da mediação como ato inicial das demandas de conflitos agrários e urbanos, priorizando a realização de audiência coletiva com os envolvidos (…) como medida preliminar à avaliação da concessão de medidas liminares (…)"
Dilma voltou à carga, resolveu dar uma banana para o Congresso e, em vez de projeto de lei, que pode ser emendado pelos parlamentares, mandou logo um decreto, que não pode ser emendado por ninguém.
Quebrou a cara. E olhem que isso aconteceu com a atual composição da Câmara. A da próxima legislatura é ainda mais inóspita ao governo. A democracia respira, sim, senhores! Se Dilma quer brincar com essas coisas, que vá para Caracas.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Comerciantes do Mercado de Arte Popular recebem capacitação

Programa de Requalificação visa aprimorar receptividade e atendimento a turistas que visitam a cidade
O Mercado de Arte Popular (MAP) de Feira de Santana contempla cerca de 90 permissionários e é um dos locais mais visitados por quem deseja conhecer a terra e a gente da Princesa do Sertão. Com o objetivo de aprimorar a receptividade e o atendimento aos turistas, e preparar para o chamado "turismo de negócios", ocorrem desde o dia 15 de outubro oficinas e cursos voltados para esses empreendedores do espaço.
Em parceria com a Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, através do Departamento de Turismo, e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), o Sebrae participa do programa de requalificação possibilitando palestras sobre qualidade no atendimento, organização e planejamento, para que os turistas e clientes em geral fidelizem o espaço. Além disso, os comerciantes passam a compreender melhor o papel do associativismo como o caminho que viabiliza maior participação e estreita os laços entre a sociedade organizada e o poder público.
Segundo a técnica do Sebrae em Feira de Santana, Lúcia Leite, a instituição já realizou duas Oficinas SEI Planejar: "Como Organizar e Planejar o Meu Negócio" e "Como Administrar e Controlar o Meu Dinheiro". Nesta quarta-feira, 29, "levaremos a Oficina SEI Empreender, e, no dia 12 de novembro, encerramos nossa participação com a Oficina sobre Como Arrumar o Ponto de Vendas /Gestão Visual de Lojas", enumera Lúcia.
O Programa de Requalificação encerrará suas atividades no final de novembro, com a reinauguração do Mercado de Arte Popular.
(Com informações de Cristhiane Castro, Agência Sebrae de Notícias Bahia)