*

*

*

*

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Arqueólogos comprovam passagem bíblica

Um grupo de arqueólogos comprovaram que uma passagem bíblica está historicamente correta, depois de realizarem escavações na Cidade de David, em Jerusalém. Os artefatos encontrados estão queimados e datam de há 2600 anos, provando que o episódio que relata o incêndio de Jerusalém, bem como a tomada da cidade, aconteceu realmente. 
A Israel Antiquities Authority (Autoridade das Antiguidades de Israel) foi a entidade responsável pelas escavações, onde foram encontrados ossos queimados, sementes de uva, madeira e objetos de cerâmica, cobertos por camadas de cinza, segundo o site IFLScience.
Joe Uziel, arqueólogo responsável pelas escavações, referiu que muitos dos objetos encontrados tinham rosetas carimbadas que permitem identificar com precisão a época datada.
"Estas rosetas carimbadas são características do fim do Templo de Salomão", explicou o arqueólogo num vídeo divulgado pela Israel Antiquities Authority. O Primeiro Templo é também conhecido como Templo de Salomão, que foi construído durante o seu reinado e concluído a 960 a.C e, posteriormente, destruído em 586 a.C. pelos babilônios. "Aparentemente os edifícios não foram todos destruídos na mesma altura. Alguns foram destruídos e outros foram apenas abandonados."
A passagem bíblica, que refere o fogo de Jerusalém, encontra-se em 2 Reis: "No sétimo dia do quinto mês do décimo nono ano do reinado de Nabucodonosor, rei da Babilônia, Nebuzaradã, comandante da guarda imperial, conselheiro do rei da Babilônia, foi a Jerusalém. Incendiou o templo do Senhor, o palácio real, todas as casas de Jerusalém e todos os edifícios importantes", pode ler-se no texto da Bíblia.

Nenhum comentário: