*

*

*

*

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Tchau querida ou Dilma nunca mais

Artigo publicado na edição desta sexta-feira, 6, do jornal "NoiteDia":
A presidente Dilma Rousseff esteve em Simões Filho, na terça-feira da semana passada, para entregar unidades habitacionais do programa "Minha Casa, Minha Vida". Com o iminente afastamento da presidente, depois da derrota na Câmara dos Deputados e a expectativa de repetição no Senado, pode ter sido a última visita de Dilma à Bahia.
Em relação a Feira de Santana, lembrar que a última visita de Dilma Rousseff como presidente foi em 18 de março passado. Então, ela também entregou unidades habitacionais do programa "Minha Casa, Minha Vida".
Antes, Dilma esteve em Feira de Santana como ministra da Casa Civil por duas vezes. Uma em março de 2009, outra em 9 de outubro do mesmo ano, para visitar a obra do Hospital da Criança e assinar concessão das BR-116 e BR-214.
O maior motivo de sua presença em Feira foi a entrega de casas do programa "Minha Casa, Minha Vida", com visitas em 18 de março de 2013, 27 de dezembro de 2013, 29 de abril de 2014, 25 de fevereiro de 2015, além da passagem mais recente.
Em 2010, ela gravou comercial para a campanha das eleições presidenciais em residencial do "Minha Casa, Minha Vida" no bairro Conceição. Em 2 de outubro de 2012, em campanha, Dilma veio apoiar o então candidato a prefeito Zé Neto.
Na campanha para reeleição, em 25 de setembro de 2014, ela participou de caminhada pelo centro da cidade. Foi quando Dilma destacou a importância de Feira de Santana e disse que caso fosse reeleita voltaria à cidade para participar da inauguração do BRT - obra que os petistas locais até hoje trabalham contra -, que como disse na época, "é uma novidade em investimento e mobilidade urbana".
É provável que Dilma tenha vindo à cidade em outras oportunidades não lembradas. Feira de Santana sempre a recebeu bem, inclusive contribuiu com votações expressivas para ela nas eleições de 2010 e 2014.
Mas, pelo andar da carruagem, Dilma nunca mais em Feira de Santana. Sem mandato, ela não vem mais para a cidade. Tchau, querida!

Nenhum comentário: