Clique na imagem

*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ministra de Dilma defende aborto

Ministra petista Iriny Lopes: "Não dá para obrigar mulher a ter filho"
Foto: Reprodução


Por Julio Severo
O governo de Dilma, a mulher que nunca renunciou ao seu terrorismo do passado, mal começou e o aborto já vira prioridade. De acordo com reportagem do jornal esquerdista "Folha de S. Paulo", a nova ministra Iriny Lopes, escolhida por Dilma Rousseff para tratar das questões das mulheres, vai ter como preocupação defender exatamente aquilo que quase derrotou Dilma na eleição presidencial e aquilo que Dilma se comprometeu a não promover: o aborto.
Veja a matéria:
“Não vejo como obrigar alguém a ter um filho que ela não se sente em condições de ter. Ninguém defende o aborto, é respeitar uma decisão que, individualmente, a mulher venha a tomar.” Essa é a posição pessoal declarada pela atual deputada federal pelo PT do Espírito Santo e futura ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, 54.
A informação é de entrevista de Johanna Nublat publicada na edição desta segunda-feira, 27, da "Folha".
Iriny tem histórico de militante dos direitos humanos e sua declaração toca num dos pontos mais explorados durante a disputa eleitoral. Para ela, o papel do Governo Federal na questão é cumprir a lei, e cabe ao Congresso definir políticas públicas.
O tema consta em programa do PT do início do ano. A futura presidente Dilma Rousseff, porém, se disse contrária a mudanças na legislação - que prevê o aborto apenas em caso de estupro ou risco à saúde materna.
Leia trechos da entrevista:
A sra. fala sobre o aborto?
Sim. Temos a responsabilidade no zelo da saúde pública, dentro da lei, de não permitir nenhum risco às mães.
A sra. tem uma posição pessoal sobre o assunto?
Minha posição é que temos que ter muitas políticas de prevenção e de esclarecimento. Agora, eu não vejo como obrigar alguém a ter um filho que ela não se sente em condições de ter. "Ah, é defesa do aborto..."
Ninguém defende o aborto, trata-se de respeitar uma decisão que, individualmente, a mulher venha a tomar.

É impressionante. Em plena estação de Natal, época de pensar em Jesus, e os petistas só estão pensando em aborto e derramamento de sangue!
Fonte: http://www.juliosevero.com/

Um comentário:

Mariana disse...

Só querem pensar no direito de decisão da mulher de ter ou não um filho...não seria o caso, então, de se fazer uma política de esclarecimento sôbre o "transar" irresponsavelmente sem qualquer tipo de contrasceptivo? Se podem "pintar e bordar" à vontade, teem que assumir os riscos, inclusive de uma gestação, não é?
Do jeito que o PT coloca, parece mais um convite ao prazer irresponsável, com a permissão do abôrto prá "corrigir" qualquer incômodo.