*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Bye, bye 2019!

Blog Demais fecha 2019 com esta postagem - a 205ª de dezembro e 1.952ª do ano. Em 13 anos de atuação, está com 4.872.000 visitas. 

Até o novo ano!

À espera de "Frozen 2"


O novo ano inicia no Orient Cineplace Boulevard com a pré-estreia da animação "Frozen 2", nesta  quarta-feira, 1º de janeiro, com sessões às 14 horas, 16h10, 18h20 e 20h30. O dia seguinte, quinta-feira, 2, entra em lançamento nacional, às 13 horas, 14h10, 15h10, 16h20, 17h20 e 19h30, em duas salas e seis sessões, além de matinal, no sábado, 4, às 10h50.
Trata-se do 61º filme de Walt Disney Animation Studio e último filme dos anos 2010.
No mercado doméstico, com 130 milhões de dólares, tornou-se a terceira maior abertura de um filme de animação, depois de "Procurando Dory" (2016), com 135 milhões de dólares e “Os Incríveis 2” (2018), com 183 milhões de dólares. Já rendeu mais de 1,1 bilhões de dólares
O trailer oficial de "Frozen 2" foi lançado em 13 de fevereiro deste ano, e se tornou o trailer de filme de animação mais visto de todos os tempos, com 116.400.000 visualizações nas primeiras 24 horas.
A trama é inspirada no conto "A Rainha da Neve", do escritor dinamerquês Hans Christian Andersen. Por que Elsa nasceu com poderes mágicos? A resposta está em uma jornada tão perigosa quanto notável que ela empreende. Esta a premissa do filme que, além de musical e tratar de família, tem aventura, comédia e fantasia, como no primeiro, "Frozen: Uma Aventura Congelante", de 2013. Após os créditos finais tem cena suspresa.
O filme anterior ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Animação. Os diretores são os mesmos: Jennifer Lee e Chris Buck. A trilha sonora é dos mesmos autores, Kristin-Anderson Lopez e Robert Lopez, com destaque para "Into the Unknow", indicada para o Globo de Ouro de Melhor Música Original - com o primeiro "Frozen" a dupla ganhou o Oscar e Globo de Ouro da categoria, com "Let It Go".
Enquanto isso, "Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker" entra em terceira semana; e a comediota brasileira "Minha Mãe É uma Peça 3", entra em segunda semana, ocupando duas salas e nove sessões, mais matinais no sábado.

"2019, o ano em que os 'cegos' não quiseram ver"

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro ocupava a cena política com declarações malucas, o seu governo conseguia conquistar os melhores resultados econômicos dos últimos anos. O ano de 2019 registrou a retomada da economia, com mais de um milhão de empregos formais criados, maior crescimento do PIB desde 2013 (1,17% segundo previsão do último boletim Focus do ano), além dos menores juros da História (4,5%). Mas persiste o clima de "tragédia iminente" de 2013.

Agenda cumprida

A inflação foi para o chão, assim como o "Risco Brasil", e reformas essenciais, como a da Previdência, foram aprovadas.

Desengavetado

O acordo Mercosul-União Europeia, pelo qual o Brasil se empenhava havia 20 anos, foi concluído nos primeiros meses do governo.

Criminalidade reduziu

A economia impacta até o total de mortes, e 2019 deve ser o primeiro ano neste século a registrar menos de 40 mil homicídios no Brasil.

No mundo da lua

A imprensa caiu na armadilha de dar importância às declarações birutas do presidente, e mal percebeu o surgimento de um novo País.

Prêmio Enganação da Década

Vai para Lula, que deixou a Presidência em 2010 com aprovação perto de 80% e vai encerrar a década com múltiplas condenações na Justiça por corrupção e lavagem de dinheiro, além de figurar como réu em outros seis inquéritos, com potencial de mais de 120 anos de cadeia.

Condenação é desespero

É troféu do ex-governador carioca Sérgio Cabral, que já acumula penas de mais de 200 anos de cadeia pelos esquemas de corrupção desvendados pela Lava Jato. E este ano "fechou acordo de delação".

Troféu Velha Raposa

O prêmio é do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que, com seus escassos 74 mil votos, vestiu modelito de "representatividade mais relevante" que a do presidente Jair - 58 milhões de votos - Bolsonaro.

Sinceridade de ouro

Vai para o deputado Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO), que em gravação exortou os colegas a barrar a prisão após condenação em 2ª instância, "senão o nosso presidente Rodrigo Maia será o primeiro".

Jatinho cheio 2019

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre ganha. Não poupou os cofres públicos e pegou jatinho da Força Aérea para ir a uma festa da Honda, em Orlando (EUA), em plena Black Friday. A "esticada" foi de seis dias.

Pirralha sem aula

A adolescente Greta Thunberg leva o caneco: não só fez do movimento verde uma das maiores bandeiras de ativistas, também transformou matar aula em "causa" com sua Skolstrejk (greve de escola) pelo clima.

Crítica seletiva

O troféu é dos neoambientalistas que parecem achar que incêndio na Amazônia é novidade e ignoram que os dois primeiros anos do governo Lula foram os piores da História na região; com desmatamento de 49.422 km2. Em 6 dos 8 anos de Lula, o desmatamento superou 2019.

Ouro de tolo

Vai para os deputados federais e senadores que elegeram Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre (ambos do DEM) presidentes da Câmara e do Senado. As apostas eram em representantes da "nova política", mas acabaram virando símbolo de "mais do mesmo" no cotidiano brasileiro.

Fonte: Claudio Humberto

Feliz Ano Novo


Programas na véspera do Ano Novo

A Orient Cinemas informa que nesta terça-feira, 31, véspera do Ano Novo, no Orient Cineplace Boulevard, serão exibidas sessões com início até às 16 horas.
Assim, com os filmes:
"Minha Mãe É uma Peça 3", às 13 horas e 15h15, na Sala 1.
"Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker", às 13h10 e 16 horas, na Sala 2; 13 horas, na Sala 3; e 13h40 e 15h45, na Sala 4.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

"Matar ou Morrer", pela enésima vez

Um dos maiores westerns já realizados

Na noite desta segunda-feira, 30, neste momento, mais uma exibição no TeleCine Cult, do clássico western psicológico "Matar ou Morrer" (High Noon), de Fred Zinnemann, 1952, com Gary Cooper (Foto: IMDb) e Grace Kelly. Trata sobre a solidão humana e o comportamento de uma pequena cidade paralisada pelo medo. Um filme presente em todas as listas dos maiores westerns já realizado. A visão anterior foi em 28 de maio de 2018.  

O filme contém uma metáfora sobre a "caça às bruxas" de Hollywood. É também uma alegoria política. Os Estados Unidos consideram muito relevante este filme, tanto que uma cópia foi guardada numa cápsula do tempo para ser aberta em 2213.

A duração do filme é o tempo da ação narrada - entre às 10h40 e o meio dia de um domingo em Hadleyville, em 1870. No relógio, o passar dos minutos. Nesse período de tempo, o xerife Will Kane (Gary Cooper), recém-casado com Amy Fowler (Grace Kelly), tenta obter ajuda para enfrentar o pistoleiro Frank Miller (Ian MacDonald) - que está chegando de trem - e seus comparsas (Robert J. Wilke, Lee Van Cleef e Sheb Wooley). No passado, Kane mandou o criminoso para a cadeia. Todos dão conselho para que ele saia da cidade, até sua mulher. Mas o sentimento de dever, apesar do medo, fala mais alto. 

Ganhador de três Oscar da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood: Melhor Ator - Gary Cooper, Melhor Montagem - Elmo Williams, e Melhor Música - Dimitri Tiomkin, com "Don't Forsake Me" (Não Me Abandone).


Deu no Facebook


Por Felipe Fiamenghi

"Não há nada mais difícil ou perigoso do que tomar a frente na introdução de uma mudança."
(MAQUIAVEL, Nicolau)

Eu nunca votei no PT. Durante 16 anos, fui governado por presidentes que não elegi. Agora, terminando o 1º ano de governo Bolsonaro, conseguimos ver que, sim, existe realmente a divisão "Nós x Eles", que a esquerda tanto prega. Uma parte do povo, assustadoramente, torce para o país dar errado.
Vimos estudantes lutando para pagar por uma carteirinha gratuita; trabalhadores exigindo volta do imposto sindical. Vimos um senador da República sendo ovacionado por proibir o presidente de extinguir um seguro obrigatório. Fato que, em qualquer outro país, lhe renderia um linchamento.
Nunca um presidente foi tão perseguido, massacrado, desrespeitado. A imprensa o critica, diariamente, sem nenhum tipo de censura. Ainda assim, chamam-no de fascista e ditador. Publicam boatos, criam notícias, fazem de tudo para desestabilizar o governo.
Nunca tantos vetos foram derrubados pelo Congresso. Em um país onde sempre tinha um "faz-me rir", para que qualquer coisa fosse aprovada, os parlamentares não sabem votar pelo benefício do povo. Só querem que esse governo acabe o mais rápido possível. Assim, voltam a encher os bolsos, como sempre.
Nunca uma base aliada desfez-se com tanta velocidade. Muitos não entenderam as propostas do presidente. Achavam que ele não falava sério. De jornalista traiçoeira, até ator pornô, passando por rockeiro youtuber, inúmeros aproveitadores se "achegaram" em Bolsonaro, achando que, depois da vitória, ganhariam uma "boquinha". Seria a velha política, com personagens diferentes.
Tão logo perceberam que "quebraram a cara", pularam do barco, passando a fazer críticas severas e, inclusive, atentar contra o governo.
Ainda assim, tivemos um ano de recordes. Bolsa de valores em uma alta jamais atingida; taxa de juros em baixa histórica; o menor risco Brasil da década; inflação sob controle; investimentos internacionais atingindo US$ 75 bilhões; criação de quase 1 milhão de novas vagas formais de emprego.
Para desespero da oposição, o único lugar que o presidente caiu foi no banheiro e, apesar dos esforços contrários, o Brasil vai muito bem, obrigado.
Que venha 2020 e que toda a esquerda continue mordendo a língua. Amém!

Fazer o Bem no Mundo começa com você


Fazer a Diferença no Mundo começa com você
A Fundação Rotária viabiliza o trabalho de rotarianos que encontram soluções sustentáveis para as maiores necessidades de suas comunidades. No entanto, ainda temos trabalho pela frente e precisamos da sua ajuda.
Transforme a vida de pessoas da sua cidade e do exterior com uma doação. Faça a diferença por meio do Rotary para que, juntos, possamos continuar Fazendo o Bem no Mundo.DOAR
OAR
Enviado por The Rotary Foundation