Dê este livro - R$ 30,00 - de presente

Dê este livro - R$ 30,00 - de presente
Adquira no Boulevard Shopping (na Cappa Clara Tabacaria), Restaurante Flor do Maracujá (na Kalilândia), bancas Avenida, Cidreira e Status (na avenida Getúlio Vargas), no Espaço Cultural e O Folheteiro (no Mercado de Arte Popular)

Segunda semana

Segunda semana
Orient Cineplace Boulevard: 21h40

Disponível na plataforma NOW a partir do dia 27

Disponível na plataforma NOW a partir do dia 27

Lançamento mundial

Lançamento mundial
Orient Cineplace Boulevard - 13 - 15h40 - 18h20 - 21

*

*

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Primeira deputada federal pela Bahia é natural de Feira de Santana

No dia 7 de março, 56 anos da morte - aos 55 anos - da política e filantropa Leolina Barbosa de Souza Costa (Feira de Santana, 7 de novembro de 1907 - Novo Hamburgo-RS, 7 de março de 1963), mais conhecida como Nita Costa.
Fundadora do PTB na Bahia, partido pelo qual foi eleita deputada federal, tornando-se a primeira parlamentar feminina pelo Estado da Bahia, em 1954. Como deputada (1955-1959), atuou na defesa dos direitos civis das mulheres.
Seu mandato foi marcado pela apresentação do Projeto de Lei nº 3.915 de 1958, que regulamentava os direitos civis da mulher casada, propondo mudanças nos artigos 233, 329, 330, 380 e 393 do Decreto Lei n° 4.657 de setembro de 1942, que definia o homem como chefe da família ("Diário do Congresso", de 12/05/1956).
O projeto de Nita, ao propor a alteração na estrutura do poder na família, trazia à tona uma das demandas mais avançadas do feminismo de então, que somente seriam atendidas na Constituição de 1988. 
Nos seus quatro anos de mandato, Nita Costa apresentou outros projetos relacionados com a aplicação de recursos nos setores da assistência social, saúde e cultura. Em 1958, tentou reeleger-se deputada federal pelo PTB mas não obteve êxito.
Filha de Deoclécio Barbosa de Sousa e Maria Machado Barbosa de Sousa, viveu em Salvador, onde se casou, aos 17 anos, teve duas filhas com o empresário Leonardo Costa, e passou a desenvolver trabalho assistencial na área da saúde, ao lado do médico Alfredo Ferreira de Magalhães (1873-1943), que e 1903, criou o Instituto de Proteção e Assistência à Infância da Bahia, para atendimento a mulheres e crianças carentes. Após a morte do médico, Nita Costa sucedeu-o na direção do Instituto. Posteriormente, empreendeu, angariando donativos entre comerciantes e industriais locais, a construção do Hospital Infantil Alfredo Magalhães, em Salvador, no Rio Vermelho.
A pedido do Governo do Estado, ela cedeu uma ala do hospital para a construção de uma maternidade, que recebeu seu nome.
Fonte: Acervo do Núcleo de Preservação da Memória Feirense Rollie E. Poppino

Nenhum comentário: