*

*

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

E como ficariam os lulopetistas em Feira de Santana?

Por Joilton Freitas
Os lulopetista de Feira de Santana vivem falando mal de José Ronaldo. Mas o partido tenta, através de seus partidos satélites, cooptar o prefeito para a chapa de Rui Costa visando às eleições de 2018. 
E por que isso acontece? Simples: para fortalecer a candidatura à reeleição do governador. 
O Palácio de Ondina sabe que a eleição será difícil. Sabe que precisa impor baixa nas fileiras da oposição. Rui Costa tem uma boa avaliação junto aos baianos. 
Mas sabe que isso é muito pouco para se manter à frente como mandatário maior do Estado. 
A derrocada do partido em nível nacional, com a sua maior estrela, o ex-presidente Lula, bastante avariada, as contas para chegar, não fecham. 
É óbvio, que até a eleição tem muita coisa para acontecer e em política, um ano pode ser uma eternidade. Rui sabe que precisa se fortalecer no interior, onde reside a maioria do seu eleitorado ou do PT, devido ao programa Bolsa Família. 
O candidato do Democratas, ACM Neto, tem aparecido bem na região metropolitana. Conta com o apoio do PSDB e PMDB. Isso para ficarmos nos grandes, que têm densidade junto ao eleitorado e tempo de TV e rádio. 
A possível migração de Ronaldo para a base petista é de uma engenharia muito grande e traumática. 
O prefeito sempre foi fiel a sua linha política ideológica. Ronaldo sabe que não se faz política sozinho. Lidera uma grupo que lhe acompanha com uma fidelidade canina. Conseguiu trazer para o seu grupo aliados de peso: Colbert  Martins, Sérgio Carneiro e até o apoio de João Durval, que mesmo com uma idade avançada, é um político que tem muito carisma e eleitores no sertão. 
Portanto, Ronaldo consegui aglutinar em torno de si uma coisa que político mais precisa: apoios! Pelo seu perfil de aglutinador, ele se fortaleceu nos últimos anos. Assim, se tornou uma peça importante no xadrez político do Estado. 
Diante disso, acredito que ele continuará onde sempre esteve. Ele não é dado a movimentos bruscos. Não é um político sonhador. Tem pé no chão e sabe para onde os ventos sopram. A não ser que os ventos mudem. Nesse caso, tudo pode acontecer. 
Sim, e como ficariam os lulopetistas, em Feira, que o tem como inimigo mortal?
Joilton Freitas é radialista
Fonte: Facebook

Nenhum comentário: