terça-feira, 16 de maio de 2017

Brasil retratado como em parte ele é

Quem lembra do filme "Turistas", de John Stockwell, 2006, exibido no país, também em Feira de Santana, em maio de 2007?
Na trama, um médico brasileiro mostra-se antiamericano e pratica tortura contra turistas para roubar seus órgãos para distribuir aos pobres em hospitais do Rio de Janeiro. O argumento é risível, não é mesmo? Segundo o personagem é uma vingança contra os séculos de exploração.
Trata-se de uma ação de terror que se passa no Brasil. É o primeiro filme norte-americano a ser inteiramente rodado no país, com sua equipe de produção ficando aqui durante cinco meses. Teve locações em Ubatuba, Rio de Janeiro e Lençóis e Iraquara. Cita-se Recife e Florianópolis com parte do elenco e da ficha técnica formada por brasileiros. A trilha sonora também é com samba, rap e canções de Adriana Calcanhoto ("Fico Assim Sem Você" e "Justo Agora"), Marcelo D2 ("Rebatucada", "Vidro Fumê" e "Vai Vendo"), Mestre Matias ("Joga Capoeira"), Rappa, Claudinho e Bochecha.
O filme seria ambientado na Guatemala. Mas um brasileiro residente em Los Angeles, Raul Guterres, sugeriu as locações para a realização das filmagens no Brasil. Assim, florestas de mata atlântica em São Paulo e locais com grutas subaquáticas, como as de Lençóis, na Chapada da Diamantina foram utilizadas.
Todos os brasileiros envolvidos no filme - o elenco é de doer, com interpretações ruins - são pouco conhecidos ou totalmente desconhecidos.
Os realizadores garantem que o filme é baseado em fatos reais. Na verdade, "Turistas" não mostra nada além do que se vê na televisão e em filmes brasileiros ("Cidade de Deus", "Carandiru", "Cidade Baixa", entre outros) e se lê nos jornais e revistas. Violência, sexo, drogas, crimes, pobreza. Mulheres sem pudor, seminuas e fazendo topless, e bandidos. O Brasil é retratado como em parte ele é na realidade: com samba, sensualidade (com prostitutas se oferecendo para os estrangeiros), cachaça, futebol, miséria. De belo, só as praias.
No cartaz original está contido: "Há alguns lugares que turistas nunca deveriam ir. Turistas vão embora". Nos Estados Unidos, a frase de apelo do filme é: "Num país onde vale tudo, qualquer coisa pode acontecer".
O certo é que o que "Turistas" apresenta não chega a ser ofensivo, como se pintou. Ele envergonha o cinema e não o Brasil.

Nenhum comentário: