No Aprisco

No Aprisco

quarta-feira, 31 de maio de 2017

"Mulher-Maravilha" em lançamento nacional

A personagem da DC Comics Diana Prince, a "Mulher-Maravilha" (Wonder Woman), apareceu no filme "Batman Vs. Superman: A Origem da Justiça", de 2016, e vem aí em "A Liga da Justiça", em produção. Nos três filmes é interpretada pela bela atriz e modelo israelense Gal Godot (Fotos: IMDb). A super-heroína é baseada em comic book, criado em 1941 por William Houlton Marston (1893-1947). O filme é dirigido por uma mulher, Patty Jenkins.
O novo filme de ação, aventura, fantasia e ficção-científica tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 1º de junho, no Orient Cineplace Boulevard.
Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.
Enquanto isso, em segunda semana, "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar", quinto filme inspirado na atração dos parques da Disney, "Pirates of the Caribbean". É muita ação, aventura e fantasia na tela.
Em terceira semana, o filme de ação e aventura "Rei Arthur: A Lenda da Espada".
Mais continuações: o filme de ação "Velozes e Furiosos 8", em oitava semana; e a animação "O Poderoso Chefinho", em décima semana.

Trailer de "Mulher-Maravilha"


Assista

Trailer de "Mulher-Maravilha", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 1º de junho, no Orient Cineplace Boulevard.

"Temer completa, 'vivo', duas semanas de crise"



Completam-se nesta quarta (31) duas semanas desde a crise em que parecia iminente a queda do presidente Michel Temer. Primeiro, noticiou-se que em gravação ele deu aval à "compra de silêncio" do ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba. Ouvindo-se a gravação, não foi bem assim. Fiel ao princípio de "cada dia a sua agonia", Temer sobrevive no cargo. Mas ninguém sabe por quanto tempo resistirá.
Primeiro round
Mais de 50 edições desacreditaram o áudio produzido para incriminar Temer, dando-lhe sobrevida e reduzindo a pressão pela renúncia.
Segundo round
O teor dos acordos de delação e leniência, permitindo que criminosos escapassem sem punição, também ajuda o presidente a sobreviver.
Terceiro round
O choque do dia 24 não parou a economia, que há 5 anos não crescia como no primeiro trimestre de 2017. Para muitos, é o que importa.
Prova de fogo
O presidente fez ontem, em São Paulo, sua primeira aparição diante de uma plateia de investidores do Brasil e de 40 países. Foi até aplaudido.
Fonte: Cláudio Humberto

"Já é, antes de ser"

Trecho da coluna de Tostão em jornais de todo o Brasil, nesta quarta-feira, 31:
"Estou curioso para ver o jovem Vinícius Júnior jogar durante toda uma partida. Quando talentosos jovens tornam-se fenômenos mundiais, as TVs mostram reportagens sobre a infância, o primeiro técnico (são muitos), o primeiro gol, o lugar em que viviam.
Tudo isso já fizeram com Vinícius Júnior, antes de ele ser titular do Flamengo.
São os novos tempos, espetaculosos, em que as histórias são contadas antes de terem acontecido.

Vinícius Júnior já é, antes de ser. Tomara que seja."

terça-feira, 30 de maio de 2017

Oncologista feirense em matéria no "Miami Herald"

O oncologista Bruno Rossi Bastos, feirense, do Maroone Cancer Center da Cleveland Clinic Florida, Nos Estados Unidos, destacado em matéria especial sobre saúde na edição do "Miami Herald", de sexta-feira, 26, sobre o uso do sistema imunológico para combater o câncer, que está mostrando promessa significativa.
Para ele, "a imunoterapia é uma maneira mais natural de tratar o câncer, em vez de atacar as células cancerígenas com produtos químicos".

Charge de Sponholz

José Ronaldo: "Para eu ser candidato, preciso de respaldo"

Publicada na edição desta terça-feira, 30, no jornal "Tribuna da Bahia", a matéria "ACM Neto diz que decisão final sobre candidatura sairá apenas no início de 2018".

Como box da matéria com o prefeito de Salvador, comentário do prefeito José Ronaldo sobre a questão:
"O prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), cotado para ser vice de Neto na campanha, comentou sobre a possibilidade de candidatura do aliado soteropolitano. 'Ele é jovem, um político jovem, um homem jovem. E, respaldado por essa juventude, é claro que ele se sente ainda mais entusiasmado por esse mundo da política. Já disse em outras oportunidades: ele tem tudo para ser candidato a governador do Estado. É uma decisão dele, uma escolha dele, mas evidentemente se ele decidir isso vai buscar apoios', afirmou à Tribuna.
Ronaldo ainda comentou sobre os rumores de que vai integrar a chapa, afirmando que 'o diálogo está aberto'. '[...] se surgir uma oportunidade de eu disputar uma vaga na chapa majoritária, evidentemente que tenho disposição para tal. Mas não sou candidato de mim mesmo [...] Para eu ser candidato, preciso de respaldo'." 

segunda-feira, 29 de maio de 2017

DVDs disponíveis

O Ministério Aprisco recebeu doação de mais de uma centena de DVDs. São dramas, filmes de ação e aventura, ficção científica e comédias. 
Você gosta de filmes? Veja que oportunidade de adquirir alguns títulos, todos originais, com valores módicos.
Cada filme está sendo ofertado a R$ 3,00. Dois títulos por R$ 5,00 e cinco títulos por R$ 10,00. A arrecadação será destinada às ações sociais do Aprisco.

Homenagem à Cuba dos anos 1950

Com roteiro do escritor cubano Guillermo Cabrera Infante (vítima da revolução de Fidel Castro), "A Cidade Perdida" (The Lost City), primeiro longa de Andy Garcia (outra vítima) faz homenagem à Cuba dos anos 50.
Filme visto no Orient Cineplace, em 2006, e que tenho em minha coleção de DVD.

Temas como drama familiar e romance impossível estão no filme, que retrata a cultura da época, a dança, a música. Tudo com uma bela fotografia e figurino apropriado. É um filme que emociona e faz pensar sobre o que é tirania. É ambientado em Havana, final dos anos 1950, no momento da turbulenta transição do opressivo regime de Fulgencio Batista para o governo marxista de Fidel Castro. Os horrores da revolução cubana são mostrados, assim como a realidade histórica, mas não do ponto de vista comunista. Mostra também que toda ditadura é ruim, seja de direita ou principalmente de esquerda. Numa cena, Che Guevara, sem o romantismo da mídia, informa que eliminou mais um dos 55 prisioneiros, muitos dos quais ele próprio acionando o gatilho. Ele fala que “os fins justificam os meios”.
Andy Garcia, também ator principal, interpreta o dono de um clube de sucesso nessa época e que acaba exilando-se em Nova York. Ele considera seu filme como um tributo histórico à sua terra natal. Além de Andy Garcia, o elenco tem Bill Murray, Dustin Hoffman, Tomás Milian, Millie Perkins, Richard Bradford e Inés Sastre.
A homenagem agridoce de Andy Garcia à Cuba levou 16 anos para ser realizada. Utilizando a música, literatura e a dança, o filme captura Havana em sua florescência tropical. Aborda o momento em que músicos eletrificavam audiências com o ritmo feito em Havana daquela época.
A trilha sonora é composta por 40 canções diferentes, entre mambos, cha-cha-chas, rumbas, danzones, boleros. Juntas, criam uma história oral de Cuba. São canções de amor a uma cultura indomável, que se revela na música, mas também na dança, na poesia, nas heranças européia e africana, na revolução, no tabaco e no azul do céu e da água que circunda a ilha.
Enfim, trata-se de uma aula da história de Cuba, bem diferente do que a mídia e as universidades ensinam. Tanto que "A Cidade Perdida" não recebeu a divulgação que merece.

Comunicação da Câmara equivocada

Na solenidade de entrega da Comenda Maria Quitéria à Antonia Velloso, ícone do teatro de Feira de Santana, na noite de quinta-feira, 25, o prefeito José Ronaldo foi representado pelo secretário de Planejamento Carlos Brito e não pelo secretário de Governo Paulo Aquino como informou equivocadamente a Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal.

domingo, 28 de maio de 2017

"Governo vê 'torcidas organizadas' no badernaço"



Chegou ao governo federal e a autoridades de segurança do governo do DF informações sobre a suposta participação de integrantes de torcidas organizadas do Corinthians nos atos violentos do badernaço de quarta (24), em Brasília. Conhecidos pelo estilo "briga de rua" que levam aos estádios, os grupos teriam sido recrutados por ex-dirigentes do clube ligados ao PT. Também tem sido atribuído a sindicalistas e "mortadelas" ligados à Força Sindical parte significativa da brutalidade.
Demonstração de força
Líder da Força Sindical, o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) se credenciou junto a Lula, em sua tentativa de reaproximação.
Cachê inflacionado
Sindicalistas ligados à CUT atribuem à Força Sindical cachê de R$ 360 a cada "mortadela" levado a Brasília em ônibus. A CUT pagaria R$ 50.
Força do dinheiro
Foi de R$ 49,6 milhões em 2016 a receita da Força só com contribuição sindical, em vias de extinção na reforma que, claro, a entidade deplora.
Pedido suspeito
No dia 23, senadores do PT pediram ao governador do DF para a PM não revistar ônibus que chegavam a Brasília para o protesto do dia 24.
Fonte: Cláudio Humberto

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Memória: Revista lançada há 50 anos



Em 1967, há 50 anos, quando dava os primeiros passos no jornalismo impresso de Feira de Santana, lancei a revista "Arte & Cultura", que ficou no primeiro número, em janeiro daquele ano.
Na capa, uma xilogravura de Deolindo Checcucci. Como conteúdo, entrevista que fiz com a atriz Antonia Velloso, artigo de Jonicael Cedraz, coluna de teatro de Geraldo Lima, coluna nossa de cinema e diversas notas sobre o então efervescente movimento artístico local.
Os professores Carlos Brito e Raimundo Gama, que se preocupam com a história e a memória da cidade, devem ter exemplares.

Raymundo Pinto e "A Primeira Vez"

Recebi do escritor Raymundo Pinto (Foto), exemplar do livro "A Primeira Vez”, na noite de quinta-feira, 25, na recepção que Antonia Velloso ofereceu no Casarão Fróes da Motta, após ser homenageada pela Câmara Municipal com a Comenda Maria Quitéria.
A obra contém oito histórias curtas, na forma de contos, e sucede ao romance "Orfandade de um Ideal", publicado em 1993. O prefácio é do escritor Joaci Góes e as ilustrações são do artista plástico Ângelo Roberto. 
O autor, feirense, é desembargador aposentado Tribunal Regional do Trabalho (TRT), do qual foi corregedor regional e vice-presidente. Formado em Direito, praticou advocacia nesta cidade. Com vocação para o magistério, deu aulas de História em colégios locais.
Ainda em sua terra, Raymundo Pinto foi candidato a vereador em 1966. Com a vitória de João Durval Carneiro para prefeito, ele foi nomeado secretário de Educação e Cultura, período de 1967 a 1971. Foi consultor jurídico do Centro de Desenvolvimento Industrial (Cedin). Em 1979, ingressou na Justiça do Trabalho, como juiz, após aprovação em concurso público.
Na bibliografia de Raymundo Pinto constam publicações técnicas da área do Direito do Trabalho. São de sua lavra as obras jurídicas "Súmulas do TST Comentadas", "Guia Prático de Linguagem Forense" e "Domésticos - Entenda a Nova Legislação". "Pequena História de Feira de Santana" foi seu livro de estreia, publicado nos anos 1970.
Teatro
Aluno da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBa), ele atuou na peça "A História de Tobias e Sara", de Paul Claudel, com direção de Martin Gonçalves. Foi a primeira vez que subiu num palco, em 1960. Depois, atuou em "Os Fuzis da Senhora Carrar", de Bertolt Brecht, também em Salvador.
Em Feira de Santana, com a criação da Sociedade Cultural e Artística de Feira de Santana (Scafs), ele atuou como ator em "Uma Véspera de Reis", de Aloisio Azevedo, ao lado de Antonia Velloso. Depois, passou a dirigir peças. Em 1965, "A Nova Helena", de Francisco Pereira da Silva; em 1966, "Toda Donzela Tem um Pai Que É uma Fera", de Gláucio Gil; e em 1967, "Só o Faraó Tem Alma", de Silveira Sampaio, com Antonia Velloso.

Morre ex-vereador Renato Sá



Faleceu nesta sexta-feira, 26, o advogado Renato Ribeiro D'El-Rey Sá Bittencourt Câmara (Foto: Blog Por Simas), um dos mais conceituados com atuação em Feira de Santana. 
Ele foi vereador de Feira de Santana por dois mandatos no período de 1972-1983. Foi presidente do Legislativo. Renato Sá era filiado ao MDB e foi um dos criadores da Bancada Independente da Câmara. Foi candidato a deputado estadual.
Na condição de presidente da Câmara, como conta o jornalista e historiador Adilson Simas, em fevereiro de 1982, poderia ter assumido a Prefeitura, quando o então prefeito Colbert Martins fez viagem ao Rio de Janeiro. Seu substituto, o vice-prefeito José Raimundo Pereira de Azevedo se encontrava nos Estados Unidos em viagem oficial. Renato Sá não pode assumir porque também se encontrava nos Estados Unidos, representando o Poder Legislativo na mesma viagem. Coube ao vereador Antonio Carlos de Alencar e Marinho, vice-presidente da Câmara, assumir o cargo de prefeito.

Grande momento da Câmara

"A Câmara Municipal vivencia um grande momento: a concessão da Comenda Maria Quitéria  a uma das responsáveis pela evolução do movimento teatral em Feira de Santana, a partir de 1964", disse o vereador José Carneiro, autor do projeto de Decreto Legislativo de 2015 que concedeu a honraria. 
"É justo que se preste homenagens em vida a quem merece e, Antonia Velloso, por ter sido destacada como grande atriz, está fazendo jus em receber a honraria, como dama e madrinha do teatro amador em Feira de Santana", falou o radialista Gildarte Ramos. 
"Sem dúvida, Antonia Velloso é o maior nome feminino do teatro de Feira de Santana", considerou o jornalista Dimas Oliveira.
A Comenda Maria Quitéria foi outorgada a Antonia Maria Guimarães Velloso na noite de quinta-feira, 25, em solenidade no plenário da Câmara Municipal (Fotos: Arivaldo Públio), presidida pelo vereador Marcos Lima e com a presença de mais três dos 21 vereadores: o autor da medida, José Carneiro, Gerusa Sampaio - que fez a leitura do Decreto Legislativo - e Alberto Nery.
O secretário de Planejamento Carlos Brito - que entregou cópia do Decreto Legislativo - formou a mesa representando o prefeito José Ronaldo, juntamente com o desembargador Raymundo Pinto, do Tribunal Regional do Trabalho. Também presente o secretário de Cultura, Esporte e Lazer Edson Borges.
Em suas falas, tanto José Carneiro como Gildarte Ramos desfiaram sobre a participação da homenageada no teatro feirense e baiano, numa época em que se vivia sob o regime da censura no país. Foram citadas as inúmeras peças de teatro encenadas principalmente no palco do Cine Santanópolis, bem como os três filmes nos quais Antonia participou.
A Câmara, como ressaltou o vereador José Carneiro, reconhece "o talento e a dedicação de Antonia Velloso pela cultura de Feira de Santana contemplando-a com a Comenda Maria Quitéria".
Após a solenidade, Antonia Velloso recebeu convidados no Casarão Fróes da Motta. Um encontro entre integrantes do grupo que fez arte e cultura nas décadas de 1960 a 1980.
Presenças: Aelson Mata com Eliete Maria, Alvaceli Silva, Alvalinda Mércia, Arailton Públio, Arivaldo Públio, ex-vereador Celso Daltro, Celly Rodrigues, Cinthia Portugal, Beto Souza, Dimas Oliveira com Doralice Oliveira, Emanoel Freitas, Geraldo Lima, Ideval Alves, Iza Maria Pinto Pereira com Djalma Pereira, cineasta e professor Johny Guimarães, José Brandão, jornalista José Carlos Teixeira, Norma Suely Alves e Silva, fotógrafa Rosa Maria Santos, professor Raimundo Luiz e cantor Tonho Dionorina, entre outros.

15 anos sem Egberto Costa


Completam quinze anos, nesta sexta-feira, que o jornalista Egberto Tavares Costa (Foto) foi vítima de um desaparecimento brutal, de um crime absurdo. Em 26 de maio de 2002, a perda dessa personalidade ética e humana que Egberto Costa era: um dos mais destacados profissionais de comunicação de Feira de Santana.
Continua na lembrança de todos, o homem democrata, íntegro, organizado, sensível, tolerante e trabalhador. Como jornalista tinha uma escrita firme e decidida, tendo desempenhado relevante papel nos meios de comunicação locais. Quando faleceu, era secretário de Comunicação Social do primeiro governo José Ronaldo de Carvalho, desde 1º de janeiro de 2001.
Egberto Tavares Costa nasceu em Tanquinho, no dia 25 de setembro de 1945. Filho de Manoel Ribeiro Costa (falecido) e Bernadete Tavares Costa. Formado em Licenciatura em Estudos Sociais, pela extinta Faculdade Estadual de Educação de Feira de Santana, precursora da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Como professor, ele ministrou aulas de História, Geografia e Estudos Sociais no Colégio Estadual e no Colégio Estadual Agostinho Fróes da Motta.
Como jornalista, Egberto foi fundador, superintendente e editor do "Feira Hoje", tendo trabalhado como repórter no "Diário de Notícias", sendo redator do jornal "Situação", correspondente dos jornais "IC Shopping News" e "Tribuna da Bahia", editor da revista "Panorama da Bahia" e da "Gazeta Feirense", também das publicações "Rodentada", "Endogastro Científico" e "Folha Cultural".
No rádio, foi noticiarista da Cultura AM e Antares FM, emissora onde manteve por vários anos o programa "Um Minuto Com Egberto Costa", de opinião. Egberto Costa foi também chefe da Assessoria de Comunicação (Ascom) da Câmara Municipal, assessor de imprensa do Clube de Campo Cajueiro, Colégio Leonardo Da Vinci e Estação da Música. Egberto Costa foi ainda assessor do então deputado estadual José Ronaldo.
Livros
Foi autor dos livros "50 Anos de Rotary Clube de Feira de Santana", em 1991, "Memória Fotográfica de Feira de Santana", da Fundação Cultural de Feira de Santana, em 1994, e "Caminhando & Servindo", em 2001. Em 2005, a edição do livro "Estrada do Tempo", uma coletânea de textos do jornalista Egberto Costa, organizada pela também jornalista Madalena de Jesus, que idealizou o projeto com o secretário de Planejamento e diretor da Fundação Senhor dos Passos, Carlos Brito. O livro traz o selo do Núcleo de Preservação da Memória Feirense.
Era sócio do Rotary Clube de Feira de Santana, tendo exercido sua presidência no ano rotário 1983-1984.
Na juventude fez teatro amador e manteve coluna em jornais sobre as artes cênicas. Fundou o Banco de Olhos de Feira de Santana e a Fundação Comendador Jonathas Telles de Carvalho. Foi componente do Conselho Permanente dos Jogos Abertos do Interior, diretor do Clube de Campo Cajueiro, diretor executivo da Associação Feirense de Assistência Social (Afas).
Homenagens póstumas
Depois de 57 anos de vida dedicados a Feira de Santana, Egberto Costa tem seu nome perpetuado com homenagens póstumas em logradouro (praça no Conjunto Wilson Falcão), unidade de ensino (Biblioteca do Ginásio Municipal Joselito Amorim), prédio público (instalações da Ascom, na Câmara Municipal) e entidade cultural (Fundação Cultural Municipal).

Balaio Político

Escolha
"A escolha por Feira de Santana foi uma deferência ao nosso Estado e a essa cidade tão bem administrada por José Ronaldo, um grande prefeito". A declaração foi do ministro da Secretaria de Governo Antonio Imbassahy sobre a escolha da cidade para o lançamento do Dia "D" de mobilização contra a gripe, no sábado, 13, com a presença do ministro da Saúde Ricardo Barros e da ministra dos Direitos Humanos Luilinda Valois.
Moção de repúdio
A Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade, em reunião ordinária na terça-feira, 23, uma moção de repúdio ao cantor e vereador Igor Kannário pelo comportamento "agressivo e desrespeitoso" contra a policial militar Tainá Gomes na noite de domingo, 21, na Micareta de Feira de Santana.  
Moção de repúdio II
A Comissão, da qual faz parte o deputado estadual feirense Ângelo Almeida (PSB), considerou a atitude do cantor "abusiva, de cunho autoritário e desrespeitosa à Polícia Militar, uma vez que incitaria o ódio e a violência contra a corporação". Outra moção de apoio a Policial Militar e de solidariedade a PFem também foi aprovada.
Nota da PM
Sobre o episódio em que o cantor e vereador Igor Kannário agrediu a policial militar Tainá Gomes na Micareta de Feira de Santana, a Secretaria da Segurança Pública emitiu nota, na qual ressalta que vai apurar os supostos excessos cometidos durante a Micareta.
Nota da PM
A SSP entende que "levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. Ressalta ainda que o fato está sendo avaliado e que, caso se configure desacato, a SSP tomará as providências judiciais cabíveis".
Tainá
A policial militar Tainá Gomes, envolvida em polêmica com o cantor Igor Kannário, explicou nas redes sociais, o ocorrido. "Fiquei barbarizada com discurso dele, pois o que ele disse que falei (que vai ter que provar) não faz parte do meu vocabulário, me sentir humilhada como policial, como cristã e como mulher, que venceu preconceitos para chegar até onde me encontro". 
Coluna publicada da edição desta sexta-feira, 26, do jornal "NoiteDia"

"PT quis impedir vistoria de ônibus de baderneiros"



Na véspera do protesto que virou badernaço em Brasília, um grupo de senadores do PT foi ao Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, pedir ao governador Rodrigo Rollemberg para que a Polícia Militar não vistoriasse ônibus chegando a Brasília com manifestantes. Rollemberg respondeu aos senadores Paulo Rocha (PA), Lindbergh Farias (PE) e Humberto Costa (PE) que não poderia atender o pedido.
O mais afoito
Segundo fonte do governo do DF, o senador Lindbergh foi o mais "enfático" no pedido para a PM não revistar ônibus de manifestantes.
Caiu a ficha
Após a destruição em Brasília, a suspeita agora é que a cúpula do PT sabia que haveria o badernaço, marcado para o dia seguinte.
Como uma peneira
Apesar da decisão do governador de manter a vistoria, porretes, armas brancas, bombas, escudos etc. passaram pela "peneira" da PM.
Sem comentários
A assessoria de Lindbergh confirmou a reunião com o governador do DF, e não comentou a acusação de tentar impedir a revista dos ônibus.
A firma é rica
Cerca de 900 ônibus levaram 40 mil a Brasília. De Brasília mesmo, apenas 5 mil. "Mortadela" ferido pelos próprios manifestantes contou no Hospital de Base de Brasília haver embolsado cachê de R$ 360.
Fonte: Cláudio Humberto

Projeto Clássicos Boulevard neste sábado

Para quem gosta de aproveitar ao máximo o sábado à noite e, de preferência, curtindo um som de qualidade, o projeto Clássicos Boulevard é uma ótima sugestão.
Através de um duo com violino e piano, Artur Cruz (Foto 1) e Rogério Ferrer (Foto 2) irão interpretar canções de um repertório clássico e, ao mesmo tempo, agradável.
A apresentação ocorre neste sábado, 27, das 19h30 às 22 horas, na praça de alimentação Olney São Paulo do Boulevard Shopping.
(Com informações de Paula Britto, da ComunicAtiva Associados)

"As Voltas do Mundo", de Jailton Batista


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Mensagens pela honraria a Antonia Velloso

Comendadora Antonia Velloso ladeada por Gildarte Ramos e casal Doralice e Dimas Oliveira
Foto: Arivaldo Públio

Nas redes sociais, mensagens congratulatórias a Antonia Velloso, pela homenagem recebida da Câmara Municipal: a Comenda Maria Quitéria. Foram lidas por Gildarte Ramos na sessão solene, na noite desta quinta-feira, 25:
"Sem dúvida, Antonia Velloso é o maior nome feminino do teatro de Feira de Santana. Parabéns!" 
Dimas Oliveira, jornalista, ex-ator de teatro
*
"Antonia me deu muita alegria e é merecedora desta homenagem. Beijos amiga."
Hildete Galeão, ex-atriz de teatro
*
"Merecida homenagem. Parabéns a nossa querida Antônia."
Ideval Alves, professor, ex-ator de teatro
*
"Saber sobre Antonia Velloso me deixou muito feliz! Tem tantos anos que não sei dela! Antonia é uma amiga querida e colega de trabalho maravilhosa. Participei dos dois filmes citados e de várias peças de teatro ao lado dela. A comenda que vai receber é mais que merecida."
Jacques de Beauvoir, colunista do jornal "Tribuna da Bahia" e do site "Bahia Vitrine".
*
"Ela merece!"
Livia Maria Soares de Azevedo, professora e ex-atriz de teatro
*
"Bem merecido! Gostaria de estar presente, mas não poderei ir, por conta de compromissos aqui no Rio de Janeiro."
Mary Barbosa, astróloga, ex- atriz de teatro
*
"Ela merece!"
Neide Sampaio, professora, ex-atriz de teatro
*
"Estou em viagem. Por isso não estarei presente. Meu carinho e admiração por Antonia Veloso." 
Ozana Machado Barreto, empresária e amante da cultura
*
"Reconhecimento, lembranças, homenagens e gratidão. Isso sim que merecem as pessoas que com sua arte ou ofício não passaram por passar e deixaram para a humanidade o seu importante e significativo legado como contribuição. Bravo, Antonia Velloso!"
Pedrone Chaves, artista plástico, de Estrasburgo, na França
*
"Ela merece. Uma atriz maravilhosa e batalhadora pelo teatro feirense. Convivi com ela e sei do seu valor."
Raimundo Matos de Leão, estudou Teatro e é professor da Universidade Federal da Bahia.

Lembrando entrevista com Antonia Velloso há 50 anos



A atriz Antonia Velloso (Foto), 80 anos, vai receber da Câmara Municipal a Comenda Maria Quitéria, em sessão solene nesta quinta-feira, 25, às 19h30. O projeto de decreto legislativo de 2015, é de autoria do vereador José Carneiro (PSDB). 
Há pouco mais de 50 anos, em janeiro de 1967, o então iniciante jornalista Dimas Oliveira lançou a revista "Arte & Cultura" - ficou no primeiro número -, para divulgar mensalmente cinema, teatro, música, artes plásticas e literatura.
Na edição, entrevista com Antonia Velloso, "a melhor atriz do teatro feirense, jovem de talento versátil, que se adapta a qualquer personagem que interpreta e sabe conduzir-se a contento".
Dimas Oliveira - O que acha da música moderna?
Antonia Velloso – Aprecio a bossa nova, mas em matéria de música a coisa mais gostosa mesmo é o nosso samba.
DO - Tem algum "hobby"?
AV - A leitura antes de dormir, no máximo 30 minutos.
DO - Qual a sua definição pessoal sobre o amor?
AV - Amor quer dizer paz, compreensão, o único sentimento que salvaria o mundo da guerra atômica. Infelizmente os homens vivem com os corações transbordando de ódio.
DO - Qual a melhor coisa da vida?
AV - É não passá-la em branco. É lutar, de algum modo, em benefício de um povo, principalmente ao que se refere à sua arte e à sua cultura.
DO - Qual o melhor filme que assistiu?
AV – Gosto de filmes realistas onde a verdade fala mais alto, assim como "O Grito da Terra".
DO – Qual o seu ator e atriz preferidos?
AV - Vi Paulo Autran em "Liberdade, Liberdade", é um ator fabuloso.
DO - Gostaria de fazer cinema?
AV - Talvez, o teatro tem uma grande vantagem. O ator tem a possibilidade de corrigir as falhas em cada apresentação que se sucede. Isso acontece comigo. Quando termino uma apresentação digo comigo mesma: na próxima farei melhor.
DO - Que acha do teatro feirense?
AV – É teatro feito na raça. Não temos local de apresentação que é o mais importante. O prefeito Joselito Amorim prometeu um terreno para a construção do teatro... Talvez o Dr. João Durval Carneiro venha cumprir essa promessa que foi esquecida. Quanto ao público, já começa a prestigiar o nosso teatro.
DO - Qual seu melhor desempenho?
AV - Dona Filó em "A Guerra Mais ou Menos Santa", de Mario Brasini.
DO - Qual seu próximo trabalho?
AV - A convite da Scafs farei a mulher do faraó, na peça de Silveira Sampaio, "Só o Faraó Tem Alma".
DO - Alguma observação a fazer?
AV - Um grande elogio a você, pela criação desta revista, principalmente pelo primeiro número experimental, em manuscrito. Você é realmente um jovem inteligente e capacitado.
P. S.: A entrevista foi feita no escritório de contabilidade de Djalma Pereira, no Edifício Pires, onde Antonia Velloso trabalhava.

"Para badernaço, tanto faz polícia ou Exército"



O Exército na rua excitou a imaginação da esquerda, temendo "ameaça autoritária", e da direita, que sonha com militares no poder. O Exército foi acionado porque não havia número suficiente de soldados da Força Nacional em Brasília. Indagado sobre a diferença entre garantir a ordem com o Exército ou a Força Nacional, o ministro Raul Jungmann (Defesa) de longo histórico de esquerda foi curto e grosso: "Nenhuma".
Covardes e burros
Além de covardes, os mascarados são burros. Com suas bombas, pedras, e coquetéis molotov, ajudaram o governo que querem derrubar.
Vanguarda do atraso
Continuam com a cabeça nos anos 1960 os políticos que protestaram contra o Exército nas ruas para restabelecer a ordem. Maior atraso.
Licença para o terror
Há fartura de fotos e imagens dos delinquentes que tentaram incendiar ministérios, veículos etc. Mas, outra vez, ficarão impunes.
Fonte: Cláudio Humberto

"O exército de baderneiros bateu em retirada"

Por Augusto Nunes
O que houve nesta quarta-feira em Brasília nada tem a ver com manifestação política, coisa rotineira em países democráticos. Foi uma explosão de violência concebida para transformar a capital numa versão brasileira da Caracas embrutecida e desfigurada por Hugo Chávez e seus filhotes liberticidas. Foi uma celebração da insolência arquitetada pelo ajuntamento de bolivarianos que se expressam em português de cortiço.
No Congresso e na Esplanada dos Ministérios, viu-se em ação pelegos apavorados com o fim da vida mansa garantida involuntariamente por trabalhadores sindicalizados, parlamentares corruptos em pânico com a Lava Jato, vândalos sem cérebro movidos a mortadela e tubaína, vadios profissionais atraídos pelos pixulecos oferecidos a incendiários amadores e outras abjeções a serviço da seita que quase destruiu o país.
As afrontas ao Estado de Direito alcançaram dimensões tão desafiadoras que, tratada inicialmente como caso de polícia, a ofensiva selvagem virou um caso para as Forças Armadas, cujas funções constitucionais incluem a garantia da ordem pública. Tropas formadas por baderneiros aparentemente incuráveis têm cura: os ataques criminosos são interrompidos pela aparição de tropas militares.
Neste 24 de maio, o remédio produziu efeitos imediatos. Previsivelmente, os vigaristas disfarçados de guerreiros do povo brasileiro bateram em retirada, ou saíram em desabalada carreira, tão logo toparam com soldados de verdade. Países civilizados confiam às Forças Armadas a preservação da normalidade democrática. Assim deve ser num Brasil resolvido a enterrar a era da canalhice.
Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Salada fantasiosa em "Rei Arthur e a Lei da Espada"



Decepcionante o filme de "Rei Arthur e a Lei da Espada", que entra em segunda semana no país a partir desta quinta-feira, 25 - em Feira de Santana, no Orient Cinemas Boulevard. Foi visto - difícil aguentar até o fim - na noite desta quarta-feira, 24. A ruindade explica o fracasso nas bilheterias norte-americanas, arrecadando tão somente 14,7 milhões de dólares em seu fim de semana de estreia.
A clássica história do Rei Arthur, da Távola Redonda, Excalibur, Camelot, Avalon, já teve várias versões, mas este filme pretensiosamente modernoso é mesmo ruim. Tem ação, violência estilizada. Não tem nenhum intertesse romântico na trama. É um amontoado de inconsistências.
Na trama, não aparecem Guinevere, Lancelot, Galahad, Morgana, Cerdic, Tristan, Gawain. Merlin só é citado. Mas tem personagens africanos, chinês mestre em arte marcial, vikings. Imaginem a salada fantasiosa.
Os cenários não parecem ser da Inglaterra. Os figurinos não parecem em nada de cavaleiros, damas e nobres. Guerreiros são mascarados.
Tem muita magia negra, possessão demoníaca, controle da mente, poder sobrenatural, dimensão alternativa.
Não têm nada a ver também a aparição de monstros e animais gigantes (elefantes, cobras, ratos, morcegos). Ainda aparecem grafiteiros em plena idade média, bem como tatuagens. Por fim, escravidão. Um coquetel despropositado, completado com a aparição do ex-jogador de futebol David Beckham (Foto) numa ponta.

Filmes em Exibição no Orient Cineplace Boulevard



Semana até 31 de maio de 2017
LANÇAMENTOS NACIONAIS

PIRATAS DO CARIBE: A VINGANÇA DE SALAZAR (Pirates of the Caribbean: Dead Men Tell No Tales), de Joachim Ronning e Espen Sandberg, 2017. Com Johnny Depp, Javier Bardem, Geoffrey Rush, Kaya Scodelario, Keira Knightley e Orlando Bloom. Ação e aventura. O capitão Salazar lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os piratas existentes na face da Terra. Para escapar, Sparrow precisa encontrar o Tridente de Poseidon, que dá ao seu dono o poder de controlar o mar. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 129 minutos. Horários: 13 horas, 15h40 e 18h20, com cópia dublada; e 21 horas, com cópia legendada. Sala 4 (240 lugares).
REAL - O PLANO POR TRÁS DA HISTÓRIA,  de Rodrigo Bittencourt, 2017. Com Emílio Orciollo Neto, Bemvindo Siqueira, Norival Rizzo, Tato Gabus Mendes, Paolla Oliveira e Mariana Lima. A ação de passa em  Brasília, em maio de 1993. Após uma sequência de planos econômicos que não surtiram efeito, o país é levado à hiperinflação. Uma seleta equipe econômica, protegida em um bunker contra pressões políticas, mergulha na missão de reformar o Estado e criar o Plano Real. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 96 minutos. Horários: 16h20, 18h30 e 20h40. Sala 2 (158 lugares). CONTINUAÇÕES
ROCK DOG: NO FARO DO SUCESSO (Rock Dog), de Ash Brannon, 2016. Animação. Quando um rádio cai do céu nas mãos de um cachorrinho, ele resolve sair de casa em busca da realização de seu sonho: tornar-se músico. Em quarta semana. Classificação: Livre. Duração: 90 minutos. Horário: 13h30. Sala 1. 
REI ARTHUR: A LENDA DA ESPADA (King Arthur: The Legend of the Sword), de Guy Ritchie, 2017. Com Charlie Hunnan, Astrid Bergès-Frisbey e Jude Law. Ação e aventura. Arthur é um jovem que controla os becos de Londonium e desconhece sua predestinação até o momento em que entra em contato pela primeira vez com a Excalibur. Desafiado pela espada, ele precisa tomar decisões, enfrentar seus demônios e aprender a dominar o poder que possui para conseguir unir seu povo e partir para a luta contra o tirano Vortigem. Em segunda semana. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 126 minutos. Horários:  15h30 e 18h10, com cópia dublada; e 20h50, com cópia legendada. Sala 1 (240 lugares). 
O PODEROSO CHEFINHO (The Boss Baby), de Tom McGrath, 2017. Animação. Um bebê falante que usa terno e carrega uma maleta misteriosa une forças com seu irmão mais velho invejoso para impedir que se acabe com o amor no mundo. Em nona semana. Classificação: Livre. Cópia dublada. Duração: 98 minutos. Horário: 14h10. Sala 2.
ALIEN: COVENANT (Alien: Covenant), de Ridley Scott, 2017. Com Michael Fassbender e Katherine Waterston. Thriller e ficção científica. A tripulação do navio-colônia Covenant descobre o que eles acreditam ser um paraíso inexplorado. Cópia dublada. Em terceira semana. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 122 minutos. Horário: 13h30. Sala 3 (165  lugares)
GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 (The Guardians of the Galaxy Vol. 2), de James Gunn, 2017. Com Chris Pratt e Zoe Saldana. Ação e Aventura. Os Guardiões têm que lutar para manter sua recém-descoberta família unida enquanto desvenda o mistério da real ascendência de Peter Quill. Em quinta semana. Cópia dublada. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 137 minutos. Horário: 16 horas. Sala 3.

VELOZES E FURIOSOS 8 (The Fate of the Furious), de F. Gary Gray, 2017. Com Vin Diesel, Jason Statham e Charlize Theron. Ação. Dom e Letty estão em sua lua de mel. Mas quando uma misteriosa mulher seduz Dom, ele não consegue escapar a traição daqueles mais próximos de si. Cópia legendada. Em sétima semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 136 minutos. Horários: 18h45 e 21h30. Sala 3.
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cinemas Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing do Orient Cinemas)

Novo lançamento de "Tabuleiro da Maria" em mostra cultural da FTC

O livro "Tabuleiro da Maria", da jornalista e professora Madalena de Jesus (Foto: Divulgação), lançado em março deste ano, volta a ser apresentado ao público nesta quinta-feira, 25, durante a 2ª Mostra Científico-Cultural da FTC. A autora participará de um bate-papo com estudantes, ao lado dos escritores Carlos Magno, Alfredo de Morais e Fernanda Mastrolorenzo.
A jornalista, que é assessora de comunicação da unidade de Feira de Santana da instituição de ensino, estará presente em dois momentos da mostra, às 9 e às 19 horas. Os autores Carlos Magno e Alfredo de Morais são professores da faculdade, enquanto Fernanda Mastrolorenzo é estudante do primeiro semestre do curso de Odontologia.
"Estou muito feliz em poder lançar o 'Tabuleiro' na faculdade. É uma forma de retribuir o apoio ao projeto e reafirmar a convivência de muito de carinho e respeito que tenho com todos em meu local de trabalho", diz Madalena, que também pretende lançar o livro em Conceição do Jacuípe, sua terra natal, em data a ser definida. "Com certeza será mais um momento de grande emoção", prevê.
A programação da Mostra Científico-Cultural contará ainda com atrações musicais, mostra de práticas de metodologias ativas em estandes instalados no campus e apresentação de uma quadrilha temática. O evento terá início pela manhã e se estenderá até a noite, envolve estudantes e professores de todos os cursos da FTC Feira de Santana.                       
Sobre o livro                       
"Tabuleiro da Maria" é uma coletânea de textos da jornalista Madalena de Jesus, publicados no blog que tem o mesmo nome, ao longo de sete anos - entre 2010 e 2017. São "retratos" de pessoas e situações, a maioria de Feira de Santana. A construção simples facilita a leitura e possibilita um passeio pela história da própria autora na Comunicação e na Educação, áreas em que transita simultaneamente.