No Aprisco

No Aprisco

Lançamento nacional

Lançamento nacional
Na próxima quinta-feira, no Orient Cineplace Boulevard

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Obra de governo e sendo do PT sempre é um caso incerto

Por Dimas Oliveira
Anunciada pelo Governo do Estado como "maior intervenção urbanística realizada na história de Feira de Santana", a requalificação da Lagoa Grande está inacabada. Pela propaganda oficial no período eleitoral de 2016, as obras estavam 90% concluídas e seriam entregues no início de 2017.
"A nova realidade para a população se tornou possível depois do investimento de cerca de R$ 70 milhões dos governos estadual e federal. As obras, sob responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Urbano, incluem o tratamento do espelho d'água, infraestrutura, requalificação urbana, pavimentação, drenagem, melhorias habitacionais e unidades sanitárias".
O tempo vai passando e a tão badalada intervenção - virou até cartão postal antecipado - não é recebida pela Prefeitura de Feira de Santana, pois não está pronta nem quase pronta. E não aceita receber "por etapas", como quer e anuncia o deputado estadual José Neto (PT).
Em sua coluna no jornal "Folha do Estado", o jornalista Oydema Ferreira, na quarta-feira, 18, cobra, com contundência, "para onde foram os 70 milhões que dizem ter investido na Lagoa Grande e adjacências?" Ele conta que esteve no local "buscando o que se prometeu e o que encontramos: mau cheiro, peixes morrendo por falta de oxigênio (e os defensores do meio ambiente ainda existem?), obras mal feitas, passeios deteriorados, passarelas idem, quadra de esporte enferrujando, falta de árvores, muito mato, pouca iluminação, um total desrespeito ao nosso dinheiro." E o respeitado colunista constata: "E o Tribunal de Contas, Ministério Público, nada fiscalizam. Feira não merece. Lava Jato nessa obra."
José Neto, que se autoproclama como artífice da obra - lembrar que o projeto original é da Prefeitura -, está a correr nas emissoras de rádio para "tentar tapar o sol com a peneira" e colocar na Prefeitura a culpa pelo atraso.
O petista reconhece que a Lagoa Grande está com "sujeira e mato crescendo e outras coisas que nós não queremos", precisando de limpeza, de corte e molhação da grama. Mas, segundo ele, "a empresa responsável entrou em conflito com a Conder, pois diz que não é com ela". José Neto afirma também sobre o problema de pedras que foram encontradas na Rocinha. "Vai precisar de aditamento e de mais recursos".
Ele próprio revela o impasse criado com a empresa contratada pela Conder, que se nega a fazer o serviço que falta. Com isso, o atraso na entrega. "A previsão inicial seria em janeiro. Eu acredito que até junho o nosso plano é intensificar o trabalho para as outras etapas. Vamos ver se até o meio do ano, que acho um prazo razoável, entregamos o saneamento e a Lagoa tudo junto para podermos comemorar".
Obra de governo e sendo do PT, em relação a Feira de Santana, sempre é um caso sério e incerto. Lembre-se do Teatro e Centro de Convenções, que está empacado desde o início do governo Jaques Wagner. A construção do equipamento - que o PT encontrou com 80% das obras prontas - foi completamente abandonada pelos governos petistas nesses dez anos.
Artigo publicado no jornal "NoiteDia", edição desta sexta-feira, 27

Nenhum comentário: