No Aprisco

No Aprisco

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

"O comunismo nu"

Por Carlos Azambuja
Um livro escrito em 1958, "The Naked Communist" (O Comunista Nu), do autor Cleon Skousen (ex-agente do FBI) mostra os passos da agenda para perverter e transfigurar os valores da sociedade e para a implantação do regime comunista.                   
O livro aponta 45 metas comunistas a partir de 1958 cujo propósito é subverter a sociedade americana por dentro, e também está sendo cumprido à risca em todos os países que estão sendo alcançados num processo revolucionário mundial. Vejam apenas alguns dessas metas. As mais macabras.
Meta nº 03: Desenvolver a ilusão de que o desarmamento total dos Estados Unidos seria uma demonstração de superioridade moral.
Meta nº 17: Tomar o controle das escolas. Usá-las como meio de transmissão para o socialismo. Suavizar o currículo. Tomar o controle das associações de professores.
Metas nº 20 e 21: Infiltrar na imprensa. Tomar o controle de postos-chaves no rádio, TV e cinema.
Meta nº 24: Eliminar todas as leis que regem a obscenidade chamando-as de "censura", e uma violação da liberdade de expressão e de imprensa.
Meta nº 25: Quebrar padrões culturais de moralidade, promovendo a pornografia em livros, revistas, filmes e televisão.
Meta nº 26: Apresentar a degeneração e promiscuidade homossexual como "normal, natural, saudável." O autor alegou que os comunistas procuram incentivar a prática da masturbação.
Metas nº 27: Infiltrar as igrejas e substituir a religião revelada pela religião "social". Desacreditar a Bíblia enfatizando a maturidade intelectual que não necessita de uma "muleta religiosa".
Meta nº 28: Eliminar a oração nas escolas, alegando que ela viola o princípio da "separação entre Igreja e Estado."
Meta nº 32: Apoiar qualquer movimento socialista para controle central sobre qualquer aspecto da cultura - educação, entidades sociais, programas de bem-estar, clínicas de saúde mental -, etc.
Meta nº 38: Transferir alguns poderes de prisão da polícia para entidades sociais. Tratar todos os problemas comportamentais como desordens psiquiátricas que ninguém, senão psiquiatras, podem compreender ou tratar.
Meta nº 40: Desacreditar a Família como uma instituição. Encorajar e promiscuidade e o divórcio fácil.
Meta nº 41: Enfatizar a necessidade de criar os filhos longe da negativa influência dos pais. Atribuir: preconceitos, bloqueios mentais e retardo de crianças à influência supressiva dos pais.
O comunismo está morto?
O mito comum é que o comunismo está morto; no entanto, há mais membros de partidos comunistas hoje no mundo do que jamais houve.
Uma coisa que os comunistas estão fazendo em todo o mundo é não usar esse nome, haja vista a experiência histórica horrível de genocídio, ditaduras e fomes causadas em vários lugares do mundo; por isso, agem sob uma variedade de nomes, exemplos: Forças Democráticas, Progressistas etc.
Enquanto todo mundo está dizendo que o comunismo morreu, ele vive em grande parte da África, ressurgiu na África do Sul, nas Américas do Sul e Central. Hoje são países comunistas: China, Cuba, Coréia do Norte, Vietnã, Rússia; é muito forte na Europa Oriental e na União Européia; enfim, é forte em quase todos os países do mundo.
Por que algo comprovadamente maléfico se alastra facilmente no mundo?
Whitaker Chambers disse que o comunismo é bem-sucedido porque a maioria das pessoas que promovem causas comunistas não são comunistas. Os "idiotas úteis" como Lenin os chamava, dão um ar de legitimidade que nunca teriam se fossem identificados como comunistas. O comunismo também se utiliza de movimentos sociais (financiados por capitalistas) para fazer pressões nos governos locais com intenção em mudanças de leis; e também subverter a ordem pública com protestos e convulsões sociais, dando a impressão de que o atual regime não está dando certo e que são necessárias mudanças "para melhor"atender  aos "anseios" do povo.  
Engana-se quem acha que o comunismo acabou com a derrubada do muro de Berlim; o que ele não conseguiu através das armas e violência, hoje consegue por meios pacíficos, transfigurando cenários e valores de dentro pra fora. E o que deixa todo o planeta em maus lençóis, é que não existe nenhuma oposição centrada e capacitada com recursos intelectuais e financeiros... O futuro é sombrio ao ver esse sistema tirânico estender seus tentáculos em todo mundo e alcançando até as almas das pessoas sem que elas percebam.
Carlos Azambuja, historiador, é colunista do MSM e autor do livro A Hidra Vermelha.
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

Nenhum comentário: