*

*

Lançamento nacional nesta quinta-feira

Lançamento nacional nesta quinta-feira

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"Partidos aliados exigem demissão de Imbassahy"



Antes elogiado, o ministro Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) virou um problema para o presidente Michel Temer. A maior parte dos partidos aliados, como PR e PP, exige sua substituição. Ele é acusado de se empenhar mais pelo PSDB, seu partido, do que articular em favor do governo. Imbassahy passaria a maior parte do tempo trabalhando por sua eventual candidatura a senador ou a governador da Bahia.
Assim não dá
Inconformados com o Imbassahy no cargo, deputados baianos, antigos aliados de Temer, não querem mais saber de conversa com o Planalto.
Bahia é o meu País
"Ele só tem olhos para o PSDB da Bahia", criticou o influente líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL), referindo-se a Imbassahy.
Fonte: Cláudio Humberto

Leilão em São Paulo com obra de Raimundo de Oliveira

Raimundo de Oliveira (1930-1966) é pouco lembrado em Feira de Santana, sua terra. Além do filme de Olney São Paulo, "Profeta da Feira de Santana", 1971, do lançamento do livro "A Via Crucis de Raimundo de Oliveira", da mostra de trabalhos no Clube de Campo Cajueiro, da denominação de uma galeria de arte e do Museu de Arte Contemporânea, qual a homenagem póstuma relevante para aquele que só alcançou a glória, a níveis nacional e internacional?
Raimundo de Oliveira deixou obra de grande importância para a arte brasileira, sendo ainda hoje um de seus raros nomes com cotação no Brasil e no exterior.
Na segunda-feira, 21, em São Paulo, ocorre na Galeria James Lisboa, um leilão que conta com trabalho do considerado melhor modernista da arte religiosa no país. Trata-se de "Anjo" (Foto Divulgação:), 1958, tamanho 50x50, técnica mista sobre papel colado em placa. Além de ser presencial, o leilão funciona com lances pela Internet ou pelo telefone.
"Que nunca mais suceda o que aconteceu comigo a nenhum artista brasileiro nem de lugar nenhum" - Raimundo de Oliveira, na carta que deixou.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Trailer de "Uma Família Feliz"


Assista

Trailer da animação "Uma Família Feliz", que tem lançamento nesta quinta-feira, 17, no Orient Cineplace Boulevard.

Trailer de "Annabelle 2: A Criação do Mal"


Assista 
Trailer do filme de terror "Annabelle 2: A Criação do Mal", que tem lançamento nesta quinta-feira, 17, no Orient Cineplace Boulevard.

Thriller de terror e mistério mais animação

Uma das novidades desta semana no Orient Cineplace Boulevard, a partir desta quinta-feira, 17, é o filme é o thriller de terror e mistério "Annabelle 2: A Criação do Mal". Trata-se de continuação da história relatada em "Annabelle", de 2014, que antecipa a ação dos filmes "A Evocação", 2013, e "A Evocação 2", 2016. A saga se baseia num caso real ocorrido nos Estados Unidos durante os anos 1970, narrados nos arquivos do casal de demonologistas Lorraine e Ed Warren.
Na trama, anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amedrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.
Outra novidade é a animação alemã "Uma Família Feliz", que se junta à animação russa "O Reino Gelado: Fogo e Gelo", que entra em segunda semana para atender à demanda infantil.
São quatro continuações no Multiplex do Boulevard Shopping: o filme de ação, aventura e ficção científica "Valerian e a Cidade dos Mil Planetas", em segunda semana; o filme de ação, aventura, drama, ficção científica, thriller, com temática pós-apocalíptica "Planeta dos Macacos: A Guerra" entra em terceira semana; com ação e aventura “Homem-Aranha: De Volta ao Lar", chega à sétima semana.
A comédia brasileira "Malasartes e o Duelo Com a Morte", só passa até esta quarta-feira, 16. Não atrai público ao cinema. O cinema brasileiro continua em baixa.

Começam os Jogos Esportivos Escolares

Os Jogos Esportivos Escolares (Jespe) 2017 ocorrem no Ginásio de Esportes do Serviço Social da Indústria (Sesi) e da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em Feira de Santana. O evento começa na sexta-feira, 18, e vai até 1º de outubro. É anunciado como "Um novo conceito de evento esportivo escolar".
São cerca de dois mil atletas inscritos nas modalidades: Baleado, Basquete, Futsal, Handebol, Futevolei, Futsal e Vôlei.
Participam além da Escola Sesi José Carvalho: Escola Ideal, Colégio Acesso, Colégio Anísio Teixeira, Escola Adventista, Colégio Helyos, Escola Castro Alves, Colégio Asas, Colégio Peixoto, Colégio Limite, Escola João Paulo I, Colégio Adventista, Escola Criativa, Colégio Santo Antônio, Colégio Nobre, Colégio Padre Ovídio, Escola Lírio dos Vales, Colégio Super Star, Colégio Resgatyesua.
O acesso custa R$ 5,00 e parte da arrecadação será revertida para a Associação FSA Esporte Cultura.
A promoção é do Sesi, JSB Esportes e Spassos Turismo.

"Conheça a 'família' em que a mãe é o pai, o pai a mãe, e o filho de 4 anos é criado sem gênero definido"

Por Rodrigo Constantino
Conheça a primeira "família" (e bota aspas nisso!) britânica de "gênero fluido". Louise e Nikki Draven estão criando seu filho de quatro anos de idade, Star Cloud (?!?), de modo a "ele" não se sentir obrigado a ser um menino.
A "mãe" de Star Cloud (caramba, dói o dedo toda hora que tenho de escrever esse "nome") é Louise, que nasceu homem mas fez tratamento hormonal para se transformar completamente numa "mulher" (não, caros leitores, não há alteração artificial capaz de mudar a biologia, por mais que os "progressistas" digam o contrário).
Já o "pai" é o "pansexual" Nikki, que nasceu mulher mas se veste de vez em quando como homem, quando dá na telha. Nikki, de 30 anos, diz com orgulho: "Nenhum de nós fica preso ao gênero com que nascemos". É a morte da biologia, essa ciência irrelevante, para dar lugar à ideologia, já que tudo é "construção social". O amor é lindo!
E como o "casal" tem a cabeça muito aberta (talvez tanto que o cérebro até caiu dela), o "meninx" será criado sem essas "restrições" terríveis impostas pela biologia. Não há nada natural em ser menino ou menina, acreditam, e em nome da liberdade é preciso driblar esses obstáculos. Eles se consideram uma "família ordinária", como outra qualquer. Só digo uma coisa:
São uma família qualquer, com esse detalhe extra: são quem eles querem ser. E eis onde o Ocidente escorregou, pelo visto: uma geração mimada passou a crer que seus desejos e apetites são direitos inalienáveis, e que o mundo deve ser moldado à sua imagem, não nós que devemos nos adaptar ao mundo como ele é. É a tirania do desejo, quase num ato de solipsismo radical: toda a realidade é subjetiva e criada pelo indivíduo.
Chegamos, então, no "gênero neutro" como ideal de criação dos filhos, para não limitarmos suas possibilidades de "escolha". As palavras e conceitos perdem o sentido, e família passa a ser qualquer coisa que resolvam chamar de família, assim como casamento, e até mesmo homem e mulher.
"Nós nunca falamos a Star que ele é um menino, nós falamos que ele pode ser o que ele quiser", disse um dos "pais". O problema, claro, é se o garoto quiser ser um tigre ou um golfinho, como ironizou um episódio de South Park. Negar-lhe esse "direito" seria limitar muito suas escolhas com base no "especismo", o preconceito de espécie. Por que só ser humano? Por que não bicho?
Quando o repórter perguntou ao Star se ele era menino ou menina, ele disse que era um menino, mas logo depois mudou a resposta, quando Nikki interferiu e disse: "Ou você é apenas uma pessoa?" Isso não é crime? Esses dois seres confusos estão usando o filho como rato de laboratório em seus experimentos sociais, com os aplausos dos "intelectuais" e dos covardes que cederam ao politicamente correto para não serem acusados de "preconceituosos" ou "reacionários".
Malucos e gente estranha sempre existiram. O problema é que hoje os malucos assumiram o hospício, e trancafiaram os médicos, como no conto de Edgar Allan Poe. E ai de quem ousar falar que isso é maluquice! O conceito de normalidade não mais existe, já que tudo é normal. Na verdade, nem tudo: aqueles conservadores cristãos que ainda falam em família tradicional são bem loucos, não é mesmo?!
Diante de tanta loucura, cabe perguntar: será que o Islã vai vencer o Ocidente por um ato de escolha racional dos próprios ocidentais, desesperados com o andar da carruagem "progressista" em sua civilização?
Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos

Ação na Justiça Federal contra título da UFRB a Lula

O vereador de Salvador Alexandre Aleluia (Democratas), entrou na Justiça contra o Título de Doutor Honoris Causa que a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em Cruz das Almas, vai entregar ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado pelo juiz Sérgio Moro por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP). A alegação é que o petista foi responsável pela criação da UFRB.
Aleluia entrou na Justiça Federal pedindo que a Universidade seja impedida de conceder o título a Lula, que inicia caravana pelo Nordeste do país. 

Feira de Santana ainda não tem "mais de 700 mil habitantes"

A estimativa da população residente em Feira de Santana, segundo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com data de referência de 1º de julho de 2016 - a estimativa de 2017 ainda não saiu -, é de 622.639 - em 2015 eram 617.528 habitantes.
Pelo último Censo - de 2010 - a população de Feira de Santana é de 556.642 habitantes.
Mesmo com os números, alguns continuam declarando que Feira de Santana "tem mais de 700 mil habitantes". Não tem.
Feira de Santana continua como a 15ª cidade mais populosa do Brasil, excetuando-se capitais. É a 34ª cidade mais populosa do país, entre todas. Segunda cidade da Bahia e segunda cidade não-capital do Nordeste - a primeira é Jaboatão dos Guararapes-PE.
Das cidades mais populosas, são 18 capitais, a capital federal, Brasília, e 14 cidades de interior - oito em São Paulo (Guarulhos, Campinas, São Bernardo do Campo, Santo André, Osasco, São José dos Campos, Ribeirão Preto e Sorocaba), três no Rio de Janeiro (São Gonçalo, Duque de Caxias e Nova Iguaçu), duas em Minas Gerais (Uberlândia e Contagem), e uma em Pernambuco (Jaboatão dos Guararapes).
 
Feira tem mais habitantes que oito capitais: Cuiabá-MT, Porto Velho-R0, Florianópolis-SC, Macapá-AP, Rio Branco-AC, Vitória-ES, Boa Vista-RR, e Palmas-TO.

FEIRA DE SANTANA


"A existência desse problema, contudo, não diminui o alcance do progresso que Feira de Santana conquistara, em 1950. Em menos de um século e meio, por causa de uma combinação feliz de fatores geográficos e humanos, o município saíra da condição de uma comunidade rural insignificante para as alturas de um grande centro comercial e industrial em estratégico cruzamento de estradas na Bahia. Os desenvolvimentos políticos, econômicos e sociais, que refletiam o rápido crescimento do município, foram verdadeiramente notáveis. Qualquer que seja o aspecto que se considere desse progresso, conduz êle claramente à conclusão de que Feira de Santana sempre bem mereceu o título de Princesa do Sertão."

Parágrafo final da conclusão do livro "Feira de Santana", de Rollie E. Poppino, Coleção Baiana, 1968, Editora Itapuã.

Equívocos em jornal e site

A coluna "Raio Laser" do jornal "Tribuna da Bahia", edição desta terça-feira, 15, informa que o vereador Pablo Roberto (PHS) assumiu a presidência da Câmara Municipal. A mesma informação foi dada na sexta-feira, 11, pelo site "Bahia Notícias". 
Na verdade, ele estava no cargo de secretário de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos e com a morte do vereador Reinaldo Miranda Vieira Filho, que estava na presidência da Casa, assumiu como primeiro suplente.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Olney São Paulo na Embrafilme

O cineasta Olney São Paulo (segundo da direita para a esquerda) e equipe no dia da liberação pela Embrafilme do financiamento para o filme "O Forte", em 1974.  
Foto: Marcello Fernandes

Sebrae convida para Painel de Comunicação e Empreendedorismo

Enviado por Vívian Rodrigues, da Agência Sebrae de Notícias Bahia


Parque de Exposição há 50 anos II

Parque de Exposição João Martins da Silva, em Feira de Santana, no distante ano de sua inauguração, em 1967. 
Fonte: IBGE - Série: Acervo dos Municípios Brasileiros

Parque de Exposição há 50 anos

Pavilhões existentes no início do Parque de Exposição João Martins da Silva, em 1967.
Foto: IBGE

Errar é humano, revisar, imprescindível

Na produção de qualquer conteúdo escrito - impresso ou digital - é imprescindível a atuação de um revisor de textos. O revisor, pelo seu conhecimento e olho clínico, perceberá as falhas cometidas pelo redator. Será capaz de perceber, por exemplo, um espaço a mais entre duas palavras, identificar uma vírgula em lugar errado, sua falta ou seu uso desnecessário.
Saberá usar corretamente termos suscetíveis a dúvidas, como mau e mal; porque, por que, porquê e por quê; sessão, seção e cessão; acender e ascender; dispensa e despensa; concerto e conserto, entre tantos outros. Notará problemas de concordância verbal e nominal, distinguirá advérbios e adjetivos, saberá quando usar por e pôr; por e puser, fazer e fizer, ver e vir, insipiente e incipiente - e estará atento à repetição de palavras nas frases. Também saberá usar corretamente as orações subordinadas e deixará os textos claros e objetivos. Policiará o uso do "que", chamado de "queísmo", atentará para os cacófatos - alguns, engraçados; outros, maliciosos - e ainda se encarregará de dar um basta no gerundismo, nos vícios de linguagem e nos modismos disseminados pela mídia, que nos faz crer que "por conta de" e "a nível de" - membros da mesma família - são formas corretas de falar e escrever, e mais um sem-número de erros que o escritor poderá deixar passar.
Que o escritor ou o redator erre ao escrever é plenamente compreensível, afinal sua função é escrever e a do revisor, revisar. Quando cada ator tem seu papel bem definido na produção do texto, tudo funciona com perfeição e todos saem ganhando, principalmente o leitor, elemento mais importante nesse processo. Considerando que a revisão é etapa não obrigatória mas recomendável, sujeitar-se-á ao risco o autor ou editor que dela abrir mão. E o erro pode ocorrer em datas, números e informações. Isso é comum, daí ser possível achar absurdos em livros já impressos, sem revisão ou mal revisados. Como consequências advêm prejuízos com reimpressão, a situação incômoda de dar explicações ao leitor ou simplesmente ignorá-lo, como é bastante comum. Já questionei a respeito de erros em livros que li e nem mesmo resposta obtive do editor. É frustrante, mas isso é bem frequente. E o silêncio por parte do editor/autor, neste caso, pode ser interpretado como um mea culpa.
No que concerne ao revisor, deste profissional exige-se que perceba os erros e aponte soluções, pois é seu papel deixar o texto isento de quaisquer imperfeições. Para isso é necessário que use e abuse das gramáticas, tenha em mãos dicionários específicos e apoie-se em manuais de redação. Com relação aos manuais há quem condene seu uso, o que é uma grande bobagem, pois neles há dicas importantes. Os manuais, tanto quanto as gramáticas e os dicionários, devem fazer parte do ferramental do revisor. Se fossem materiais de uso do redator/autor, talvez fosse dispensável a presença do revisor.
Para concluir, há editores e escritores que veem o trabalho de revisão como despesa, quando deveriam enxergar como investimento. Mas não é só isso: entre os novos escritores, os que estão esperando a chance de publicar o primeiro livro, muitos pensam que escrever uma obra é digitar em Word, mandar para a editora e aguardar a aprovação. Ledo engano! Trabalho feito assim pode ser descartado de imediato. Errar é humano, mas para resolver estes problemas é que existem os revisores. Munidos de lápis e caneta marca-texto ou com a cara enfiada na tela de um computador, estes profissionais - que devotam verdadeiro sacerdócio à atividade - dão forma e sentido àquilo que antes parecia um emaranhado de palavras. Mas aqui vai um alerta: é preciso que o revisor seja escolhido a dedo, pois nesse meio também há os excelentes, os bons e os medíocres, mas isto é tema para outra edição.
Texto Ideal – Serviços Editoriais
Contatos:
Skype: josias747
WhatsApp: 12 9 9703-1212

Facebook Divulga Escritor
https://www.facebook.com/DivulgaEscritor/

Terrorismo é isso



Por Marli Gonçalves
Estou querendo esticar a palavra. Dar a ela o sentido que está aqui perto de nós, já. No Brasil não tem terremoto, não tem furacão, mas não se pode mais dizer que no Brasil não tem terrorismo. Deus, ele está diante de nós!
 Ou você vai dizer que não? Imaginou a mãe, na janela, aguardando o filho de 15 anos voltar da escola, vê-lo apontar ali na esquina, já pensando no almoço que vai dar a ele e imediatamente observar que agora o menino corre? Em seguida ver o filho cambaleando e caindo morto por uma bala que atravessou seu corpo trocada por um reles celular? Isso não é terror, não? Sabe o nome da rua onde isso aconteceu? Rua Caminho da Educação. São Bernardo do Campo, SP.
Uma van escolar parada à força, duas crianças, bebês ainda, levadas por bandidos, e abandonadas mais de uma hora depois numa quebrada, como se pudessem ficar ali no porta-luvas do carro? Isso não é terror, não? E o caminhoneiro mantido refém com uma arma na cabeça, salvo apenas pelas palavras convincentes de uma mãe ao seu filho perdido, e que aconselhou-o a se entregar e liberar o motorista? O que terá ela dito? Oferecido um casaquinho?
E que dizer das crianças violentadas para toda a sua existência, e que todos os dias  sofrem, sofrem muito?
Alguém disse que nenhuma definição pode abarcar todas as variedades de terrorismo que existiram ao longo da História. Concordo. Que existem, diria. Que se multiplicam. Moldadas em várias formas, se disseminam de forma assustadora, inclusive na incompetência na condução de nações. Uma variedade muito além do que se poderia imaginar.Já parou um pouco para pensar mais sério sobre as crescentes e fervorosas pendengas internacionais, largando um pouco de lado essa nossa mesquinha política que só gera atos e fatos vergonhosos e pobres de espírito?  Está esquisito, perigoso: vocês bem sabem  que em briga de cachorros  grandes a gente sempre sai mordido. Isso é terrorismo. Topetudo loiro briga com gordinho de olhinhos puxados. Pena que isso não seja uma colorida história em quadrinhos de nossa tenra infância. Riquinho, Bolinha, Brotoeja, Luluzinha.
Terrorismo é tocar o terror. Termo usado para designar o uso de violência, seja ela física ou psicológica, em um grupo de vítimas, mas com objetivo de afetar toda uma população e espalhar os sentimentos de pavor, medo e terror. Se não é exatamente o que estamos vivendo, me digam, terrorismo é o quê?
Olha o bombardeio. Andar pelas ruas vendo corpos caídos ou moradias de papelão que se multiplicam assustadoramente nas cidades. Reparar no descuido com que são cuidados os bens públicos. A violência no trânsito. O medo em cada passo. Notícias de repetição do mesmo todos os dias. As hordas de refugiados chegando, expulsos de suas terras, vindo buscar - e logo aqui - a esperança!
Em geral o terrorismo tradicional em suas formas pretende derrubar governos. No nosso caso são os governos que estão favorecendo atos terroristas. 
Marli Gonçalves é jornalista

Sexta edição do Belly Fest Feira

Lançamento da Oriental Fair VII ocorre com grande show de dança


No próximo sábado, 19, às 19h30, no Centro de Cultura Maestro Miro ocorre a sexta edição do Belly Fest Feira com show oriental, mostra de dança e feira temática. Será uma apresentação única de dança com o melhor do árabe e tribal em Feira de Santana. O evento tem direção da bailarina e gestora feirense Bia Vasconcelos.
"Além de oficializar o lançamento do #OrientalFair liberando o tema, convidados e programação, o Belly Fest promove uma noite de muita dança e cultura oriental", conta Bia Vasconcelos. "Venha curtir esse momento e traga toda a família", é o apelo que faz.
Programação Belly Fest 6ª Edição
Belly Fest Show - Apresentação com alunos de Bia Vasconcelos e convidados profissionais mostrando repertório clássico, moderno, folclórico árabe e tribal. Dança oriental em única apresentação.
Belly Fest Mostras - Se você quiser mostrar seu talento, se inscreva agora mesmo. Teremos o maior prazer em receber sua dança em nosso palco. Vagas limitadas e sujeitas à ordem de inscrição.
Belly Fest Feira Oriental- Haverá venda de artigos orientais com uma exposição temática no foyer do teatro. Imperdível.
Ingressos - R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) - estão à venda com Bia Vasconcelos e alunas. No dia do evento os ingressos serão vendidos no local a partir das 17 horas.

(Com informações de Bia Vasconcelos)

Rui Costa obriga servidores, aposentados e pensionistas a curtir suas postagens em redes sociais

O setor de comunicação do governo Rui Costa se supera a cada dia. Desta vez chegou, através do whatsapp da #TVServidor, prints do grupo interno da Secretaria de Comunicação petista onde funcionários do Governo a quem chama de "boca de véia" estaria "puto porque as redes sociais dele estão pouco curtidas".
Segundo a Casa Civil, o petista estaria perdendo a batalha virtual contra ACM Neto. "O governador Rui Costa utiliza com frequência os três canais mais populares das redes (Facebook, Instagram e Twitter) e, apesar de gastar muito com patrocínio, apresenta pouco engajamento em todos os seus perfis. Apenas para efeito de comparação, o prefeito ACM Neto tem três vezes mais seguidores em suas redes, sem gastar com patrocínios", disse a circular.
No fim, Rui Costa determina que "todos os servidores, inclusive os aposentados e pensionistas, passem a curtir suas postagens e façam uma campanha para ampliar os seus fãs nas redes sociais".

Tradição e raiz

Por César Romero
Em cartaz no Museu de Arte da Bahia, no Corredor da Vitória, dirigido por Pedro Arcanjo, a exposição Crônica Sertaneja de Juraci Dórea.  A curadoria na mostra, que segue até o dia 10 de setembro, é de Ayrson Heráclito.  O artista nasceu em Feira de Santana. Arquiteto desde 1968, é mestre em Literatura e Diversidade Cultural.  Dirigiu o Departamento de Cultura do Município de Feira de Santana, de 1994 a 1996.
Pintor, desenhista, gravador, escultor, poeta e professor teve sua primeira exposição em 1962, na Biblioteca Municipal Arnold Silva em Feira de Santana. Daí sua carreira deu partida chegando a importantes exposições no Brasil e exterior, especialmente a XIX Bienal Internacional de São Paulo, 43º Bienal de Veneza e a IIIº Bienal de Havana.
Vivendo entre duas culturas, por um lado o Recôncavo e bem mais ainda a região sertaneja, absorveu e transfigura com obstinação pessoas simples, as lendas, os cantadores, violeiros, a literatura de cordel, os costumes, a religiosidade, as festas de tradição, a cultura do couro. Uma síntese do imaginário popular, quando revela bens culturais de raiz brasileiras. Busca uma arte que se identifique aos costumes de sua terra, em torno do mais autêntico. Decodificar esse universo místico e abrangente tem sido um dos seus desafios.
Juraci Dórea é da família que busca uma arte brasileira como aconteceu com Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, Gilvan Samico, Sante Scaldaferri, Francisco Liberato, J.Cunha, Antonio Maia, Rubem Valentim, Emiliano Di Calvalcanti.
Sua pintura bem cuidada, minuciosa, tem comunicação imediata com o espectador a quem cabe decifrar os códigos do sertão, referência fundamental. O trabalho do artista guarda para esta e gerações futuras, uma série de bens singulares que formatam a cultura nacional. Suas pesquisas plásticas visuais é um documento, uma cosmovisão do sertão brasileiro, que se estendem pelos estados da Bahia, Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte, portanto uma pintura nordestina, focando mais intensamente o sertão baiano.
Juraci Dórea ajustou um vocabulário bem definido à sua maneira, criando uma iconografia extremamente pessoal, intransferível. Um idioleto formatado com o passar do tempo.
A pintura de Juraci Dórea é um ato político, quando indica os procedimentos relativos à comunidade, coletividade, referentes à sociedade onde vive ou atua, um saber organizado sobre um conjunto de atividades humanas.
Crônica Sertaneja tem montagem soberba, bem pensada, curadoria afinada com o pensar do artista.
A expo consta de 40 trabalhos entre desenhos, pinturas, esculturas, instalações e objetos. Um acerto.

César Romero é artista plástico e crítico de arte
Fonte: Correio

Ruindade do futebol baiano

Vitória não sai da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro 2017. Bahia está quase lá.
Os dois times baianos foram derrotados na primeira rodada do returno. O rubro-negro, em casa. Em 20 jogos até agora, o Vitória perdeu 11 vezes, empatou quatro e ganhou tão somente cinco jogos. Está na vice-lanterna, em décimo-nono lugar. Fez 21 gols e tomou 31 gols, com saldo negativo de dez. Tem a segunda pior defesa.
O Bahia está em décimo-quinto lugar lugar, com seis vitórias, cinco empates e nove derrotas. A defesa do tricolor é menos pior que a do rubro-negro: tomou 28 gols. E o ataque é melhor que o do rival, com 25 gols, com saldo negativo de três gols.


sábado, 12 de agosto de 2017

Morre Glen Campbell, ator e cantor country



Faleceu na terça-feira, 8, o cantor e compositor americano de country, Glen Campbell. Ele também atuou no cinema, destacando-se no western "Bravura Indômita" (True Grit), de Henry Hathaway, 1969, como um Texas Rangers, ao lado de John Wayne e Kim Darby. Interessante que este filme foi exibido neste sábado, 12, no TeleCine Cult.
Filmografia 
Fonte: IMDb

Mortos não sabem coisa nenhuma

Eclesiastes 9: 5-6, 10: "Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Tanto o seu amor como o seu ódio e a sua inveja já pereceram; nem têm eles daí em diante parte para sempre em coisa alguma do que se faz debaixo do sol. Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças; porque no Seol, para onde tu vais, não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma."

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

ACM Neto diz que Rui Costa teme enfrentamento em 2018

O prefeito de Salvador, ACM Neto (Democratas), defendeu nesta sexta-feira, 11, em entrevista ao programa "Bahia no Ar", da Rádio Sucesso FM, a candidatura do vice-prefeito de Camaçari, José Tude (PMDB), a uma cadeira na Assembleia Legislativa nas eleições do ano que vem. Ele afirmou ainda que sua ingerência na gestão do prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo (Democratas), se resume na troca de experiências entre amigos e aliados, ou seja, sem qualquer tipo de controle sobre o governo municipal local, como insinuam opositores do democrata na cidade. "Sempre que for procurado por Elinaldo, vou dar minhas sugestões e também aprender com ele. É coisa de gente maldosa dizer que exerço qualquer influência além disso", ressaltou.
"Elinaldo é uma pessoa de palavra, vai honrar seus compromissos com Camaçari e sempre conversamos sobre os problemas da cidade. Eu procuro saber sobre o município porque Camaçari está no meu coração. Mas jamais teria a pretensão de ter qualquer controle sobre a gestão dele. Elinaldo não precisa que ninguém exerça um papel de tutor sobre ele. Converso com ele e troco experiências com ele como faço também com o prefeito de Simões Filho e outros que me procuram", afirmou ACM Neto.
O prefeito de Salvador lembrou ainda que Elinaldo assumiu o município quebrado pelo PT. "Ele, como eu, pegou uma prefeitura totalmente endividada, uma cidade com muitos problemas. Cabe a ele agora virar o jogo. Elinaldo montou uma equipe qualificada e está arrumando a casa. Esse momento inicial é de organizar as finanças. As grandes realizações vão vir depois. Quem governa com responsabilidade não tem medo de ir às ruas, como Elinaldo faz, como eu faço desde 2013. Essas dificuldades são normais no início. Assim como Elinaldo, também não tinha experiência no Executivo quando assumi a Prefeitura. Mas as coisas vão acontecer e sempre que for procurado vou buscar dar minha contribuição", salientou.
Para ACM Neto, Antonio Elinaldo já está avançando em áreas como limpeza pública, iluminação e pavimentação, além da limpeza de canais, entre outras realizações. "Repito: as grandes realizações vão vir depois. O momento é de arrumar a casa e assegurar a prestação dos serviços básicos. Comigo também aconteceu dessa forma. O importante é olhar as pessoas de frente e contar a elas o que é possível fazer agora e o que pode ficar para depois".
Eleições 2018 
ACM Neto disse que não esconde o desejo de que Tude, a quem classificou como aliado fiel e correto, seja candidato a deputado estadual. "Será muito importante ter Tude representando Camaçari na Assembleia Legislativa. Isso não é o lançamento de pré-candidatura, mas é algo que está sendo discutido", frisou. Ele afirmou ainda que caberá ao vice-prefeito de Camaçari, no momento certo, definir o partido pelo qual disputará o pleito. Atualmente, ele está no PMDB. "O PMDB é aliado nosso e terá papel central nas discussões sobre 2018. De modo que não me sinto à vontade para especular sobre uma troca de partido do vice-prefeito para o Democratas, por exemplo. No momento certo isso será tratado", disse Neto.
ACM Neto afirmou ainda que ainda não decidiu se será candidato ao governo. "No momento estou preocupado em governar Salvador", disse. Ele reconheceu, no entanto, que o governador Rui Costa teme uma eventual candidatura do democrata ao governo. "Isso fica claro na relação que o governador tem com a Prefeitura de Salvador, sempre de disputa, como ficou evidente na questão da integração dos ônibus urbanos com o metrô. Mas não vou me preocupar com esse tipo de provocação. Na linguagem popular, não vou comer pilha", declarou, acrescentando que Salvador sofreu quatro anos de perseguição no governo da presidente Dilma Rousseff, principalmente em relação às obras de implantação do BRT que vai ligar a Estação da Lapa à região do Iguatemi.
(Com informações de José Lopez, da Assessoria de Comunicação do Democratas)

Grupo de chorinho aos sábados no Boulevard



Mais um fim de semana de boa música e entretenimento de qualidade para os feirenses. A partir deste sábado, 12, o projeto Ritmos Boulevard traz para o shopping o grupo de chorinho Amigos do Arauá. As apresentações ocorrem na Praça de Alimentação Olney São Paulo, das 19h30 às 21 horas. 
No repertório da banda, canções de compositores feirenses, além dos grandes clássicos da música brasileira e do chorinho. Os Amigos do Arauá seguem com shows no Ritmos Boulevard durante todo mês de agosto, sempre aos sábados neste domingo, 13, tem programação das 12h30 às 14 horas. Diversão garantida para toda família!
Sobre o grupo
O grupo Amigos do Arauá teve início em 2007, durante uma brincadeira no condomínio Enseada do Arauá, na Ilha de Itaparica. Atualmente, o grupo é composto por Professor Araújo e Felipe (percussão), Dinho (bandolim), Claudilson (voz e violão de 7 cordas), Junior (voz e violão) e Gleiciane (voz). Em 2014, a banda gravou o primeiro DVD, nomeado "Tempos e Tons".
(Com informações de ComunicAtiva Associados)

"Venezuela encolheu sob a ditadura bolivariana"



A ditadura de Nicolás Maduro, herdeiro político de Hugo Chávez na Venezuela, que para o PT é o "farol do socialismo", empobreceu aquele país a tal ponto que o comércio com o Brasil despencou de mais de US$ 6 bilhões para quase US$ 1,3 bilhão por ano, segundo revelou o ministro Aloysio Nunes (Relações Exteriores). Os dados são de 2016. A expectativa é que ao final de 2017 o resultado seja ainda mais trágico.
Tempestade perfeita
Venezuela sofre a chamada "tempestade perfeita": grave crise política, grave crise econômica e grave crise humanitária.
A caminho do brejo
No terceiro trimestre de 2016 o Brasil exportou para a Venezuela cerca de US$980 milhões; representa queda de 60% em relação a 2015.
Ruim para todo mundo
Sem divisas e sem mercado, economia em frangalhos, as importações venezuelanas caíram quase 90% no primeiro semestre de 2017.
Elogio a Temer
A ignorante que chefia a "diplomacia" venezuelana elogiou o governo Temer: o Brasil "é vergonha mundial", disse, por apoiar a suspensão da seu país do Mercosul. Pega bem ser mal falado pela ditadura Maduro.
Fonte: Cláudio Humberto

"Imbecilidades do ecofascimo: 'Salvem o clima, não tenham filhos, erradiquem a humanidade'"


A pregação verde prefere embutir a tese ridícula da extinção da humanidade na (de)formação da juventude
Foto: Reprodução

Por Luis Dufaur
Seth Wynes, da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, e Kimberly A. Nicholas, da Universidade Lund, na Suécia, com ar de ciência publicaram na revista "Environmental Research Letters" um estudo com conclusões que até há pouco só se ouviam em grupos niilistas extremamente "anti-humanos".
Em poucas palavras, resumiu o site "Agenda Europe", os autores defendem: "Salve o clima, não tenha filhos. Ou, ainda melhor, erradique a humanidade".
O pretexto é muito batido e bem fajuto: combater as mudanças climáticas e reduzir a emissão de CO2.
Para isso, eles propõem a introdução em nível planetário de quatro costumes fundamentais: alimentação vegana, parar de viajar de avião, deixar de usar carro e limitar a família.
Ter menos filhos é o mais eficaz dos quatro costumes - aliás, o mais "anti-humano" -, vindo em segundo lugar o abandono do uso do carro.
Na concepção verde-niilista o homem não é mais visto como o resumo da Criação divina, o reflexo mais acabado do Criador que se encarnou para remi-lo.
Se não é nada disso, para que deveria ele então continuar existindo, se causa prejuízo ao planeta? - pergunta o "Agenda Europe".
Wynes e Nicholas fazem malabarismos com coeficientes e equações a fim de montar pretextos para colocar a humanidade de cabeça para baixo.
Na prática, o objetivo final daria na divisão dos homens em duas singulares castas: a dos que poderiam ainda existir, mas sem procriar, e a casta inferior, que não teria esse privilégio.
Essa divisão em castas já está acontecendo de alguma maneira com uma opressiva promoção legal social, política e econômica das tendências LGBT, da ideologia de gênero, do malthusianismo e das políticas de controle da população, observa o "Agenda Europe".
Segundo o estudo citado, o combate à população deve de imediato focar as crianças e os adolescentes, notadamente seus livros escolares.
Isso teria efeitos mais profundos do que todas as medidas de controle do CO2 que os governos podem cogitar - explica.
Wynes e Nicholas propõem mudar os costumes dos povos e acham que os adolescentes são os mais sensíveis à transformação. Eles não o dizem em termos diretos, mas tratar-se-ia no fundo de introduzir um chocante viés na educação que favoreceria formas de perversão contrárias à família ou à prole.
Eles sugerem que a promoção do veganismo e o abandono do consumo de carne podem ser mais facilmente introduzidos nas mentes juvenis. O mesmo poderia se dizer do abandono do transporte privado em benefício do transporte público e de formas alternativas como a bicicleta.
Segundo os dois extremados autores, algumas das ações não vão ser bem recebidas. E dão como exemplo o insucesso da proibição das sacolas plásticas em lojas e supermercados.
Em todos os casos, fazer o cérebro dos jovens durante a adolescência parece ser para eles o golpe ideal para provocar uma imensa mudança civilizacional.
A "Folha de S. Paulo" reproduziu um elogio da desequilibrada e invasiva proposta.
"Esqueça a reciclagem ou o uso de lâmpadas mais eficientes: se você deseja dar uma contribuição pessoal significativa para a luta contra as mudanças climáticas, o negócio é ter menos filhos, não andar de carro nem de avião e abolir a carne do cardápio", comenta colaboração de Reinaldo José Lopes para a "Folha".
O autor destaca um dos grandes desafios apontados pelo tendencioso estudo: os habitantes dos países em desenvolvimento aspiram a consumir no nível os países ricos. Isso incluiu o uso de carros maiores e comer carne com frequência. 

A "política do filho único" chinesa horrorizou o mundo. Mas o radicalismo ambientalista sonho algo pior. Na foto: mãe chinesa junto a seu filho que foi obrigada a abortar.
Essa tendência natural do espírito humano é focada no estudo como grave vício psicológico que impede ao ambientalismo realizar suas enganosas manobras para "evitar mudanças climáticas extremas".
"Nós não vamos conseguir diminuir as emissões no ritmo necessário só com novas tecnologias menos poluentes. Se conseguirmos passar de maneira clara a mensagem sobre os métodos que funcionam, temos uma chance de modificar o comportamento das gerações mais novas", diz Wynes.
A família é o meio ambiente ideal para o homem se desenvolver, viver rodeado do afeto e dos cuidados entre pais e filhos. Mas ela está sendo apresentada como o fulcro do mal.
A vida larga e próspera se torna um dos maiores males a serem combatidos, devendo ser inviabilizada e extinta como produto de uma "reeducação" massiva das gerações jovens.
A solução é análoga à pretendida por Mao-Tse-Tung com a Revolução Cultural chinesa: métodos claros e radicais de conscientização sob a sombra de uma pressão constante.
E quem não se conscientizar?
No caso da China, acabou dando em massacre geral dos relutantes. Para esse ambientalismo, poderia ser uma opção que auxiliaria na redução da humanidade.
De onde as frequentes alusões elogiosas à Revolução Cultural maoísta na boca de inimigos da vida, inclusive socialistas e ambientalistas.http://revculturalfamilia.blogspot.com.br/
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

"Cinema Faroeste Vol. 5"

A Versátil apresenta "Cinema Faroeste Vol. 5", digistack com três DVDs que reúne seis clássicos do gênero, incluindo a inédita versão restaurada de "A Quadrilha Maldita", acompanhada por um ótimo depoimento sobre esse cult admirado por Quentin Tarantino e Martin Scorsese. São quase uma hora de extras. A edição é limitada e com seis cards. Já encomendei meu exemplar.
DISCO 1
"Chisum - Uma Lenda Americana" (Chisum), de Andrew V. McLaglen, 1970. Com John Wayne, Forrest Tucker, Christopher George. Para defender suas propriedades, o criador de gado John Chisum se junta a Billy the Kid e Pat Garrett para lutar na lendária Guerra de Lincoln County. Superprodução com um dos últimos papéis do "The Duke" no cinema.
"A Quadrilha Maldita" (Day of the Outlaw), de André De Toth, 1959. Com Robert Ryan, Burl Ives, Tina Louise. O terrível Jack Bruhn e sua quadrilha dominam um vilarejo ilhado pela neve, mas os caubóis e rancheiros da região decidem enfrentá-los. Cultuado faroeste de De Toth ("Cidade Tenebrosa") que inspirou "Os Oito Odiados", de Tarantino.
DISCO 2
"Um Pecado em Cada Alma" (The Violent Men), de Rudolph Maté, 1955. Com Glenn Ford, Barbara Stanwyck, Edward G. Robinson. Um ex-militar confederado pretende vender sua fazenda para o rancho vizinho e se mudar com a noiva, mas muda de ideia quando um dos seus ajudantes é morto. Com espetacular elenco, este faroeste subestimado é uma das pérolas do gênero nos anos 50.
"À Borda da Morte" (The Proud Ones), de Robert D. Webb, 1956. Com Robert Ryan, Jeffrey Hunter, Virginia Mayo. O xerife Cass Silver precisa enfrentar o corrupto dono do saloon e seus pistoleiros, além de crises recorrentes de cegueira. Com linda fotografia de Lucien Ballard ("O Grande Golpe"), este é um faroeste urbano de rara força.
DISCO 3
"Homens Indomáveis" (Silver Lode), de Allan Dwan, 1954. Com John Payne, Lizabeth Scott, Dan Duryea. Um respeitado morador de uma cidadezinha é preso durante seu casamento sob a acusação de ter matado seu irmão e roubado uma grande soma de dinheiro. Obra-prima do mestre Dwan que faz uma alegoria do Macarthismo.
"A Renegada" (Woman They Almost Lynched), de Allan Dwan, 1953. Com John Lund, Brian Donlevy, Audrey Totter. A história de Kate Quantrill, a destemida mulher do lendário fora da lei Charles Quantrill. Subversivo faroeste feminista de Dwan em que as mulheres assumem o primeiro plano, antecipando assim o revolucionário Johnny Guitar.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Detalhe em "Dunkirk"

Em "Dunkirk" somente personagens masculinos. Afinal, na Segunda Guerra Mundial, não havia participação de mulheres. 
Mas, na trama, de passagem, aparecem duas personagens femininas, uma enfermeira (Miranda Nolan) e uma aeromoça (Kim Hartman). Também aparecem mulheres - figurantes - na estação de trem (Foto: IMDb) em sequência perto do final do filme.

Cenas impactantes de "Dunkirk"

Quatro cenas impactantes do filme "Dunkirk". 
Fotos: IMDb

Elenco de "Dunkirk"


Nove atores de "Dunkirk": Fionn Whitehead (em sua estreia no cinema), Mark Rylance, Tom Hardy, Jack Lowden, Kenneth Branagh, James D'Arcy, Cillian Murphy, Harry Stilles e Barry Keoghan, pela ordem.
Fotos: IMDb