sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

"Parque temático infantil no Irã ensina a usar armas pesadas e odiar Israel"

Parque infantil no Irã ensina a usar armas e odiar Israel
Foto: Reprodução

O governo do Irã inaugurou um parque temático chamado "Cidade dos Jogos para Crianças Revolucionárias", que ensina meninos a partir dos oito anos de idade a usar uniformes militares e atacar os "inimigos", como Israel e o Ocidente.
Usando armas de brinquedo que disparam balas de plástico, os alvos mais comuns são bandeiras dos Estados Unidos e fotografias de primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.
No local, são feitas simulações de guerra e os visitantes podem "brincar" com réplicas de armamentos pesados, como rifles AK-47s e granadas. Além dos tutoriais de armamentos, as crianças são ensinadas a operar bombas e a desviar de minas terrestres.
Os instrutores gritam ordens das torres de controle pelo rádio e coordenam as ações dos soldados-mirins no solo. Dos alto-falantes ouve-se a gravação de sons de guerra verdadeiros como trilha sonora, incluindo ataques aéreos e metralhadoras.
Com idade variando entre oito a 13 anos, os visitantes aprendem a escalar paredes e rastejar, além de táticas de formação militar. As instalações do parque, construído na região de Mashad, segunda maior cidade iraniana, lembram o programa da "Sagrada Defesa" que usou milhares de crianças e adolescentes na guerra contra o Iraque durante a década de 1980.
Hamid Sadeghi, que gerencia o parque, contou ao "The Sun" que "na Cidade dos Jogos, tentamos passar para as crianças mensagens sobre lutas armadas e temas globais, utilizando para isso jogos, diversão e atividade de grupo". O objetivo é estimular desde cedo os iranianos a se envolver na "luta contra o Ocidente".


A entrada no parque é gratuita para crianças de oito a 13 anos
                                                Foto: Reprodução

Objetivo é invadir Jerusalém
Entre as réplicas no local está a mesquita de Zanyab, que fica em Damasco, Síria, onde estariam os restos mortais da neta de Maomé. Segundo a tradição, eles têm o dever de protegê-la. Com isso, aprendem por que o Irã está ao lado do governo sírio na luta contra a Arábia Saudita, que apoia as forças rebeldes.
O último exercício do dia é onde eles têm os olhos vendados e devem atirar uma bola contra uma bandeira de Israel até derrubá-la. Não por acaso, o governo do Irã transmite pela TV uma campanha de recrutamento focado nos adolescentes. A esperança é que eles se alistem voluntariamente para a guerra na Síria e no Iraque.
O comercial em forma de clipe mostra adolescentes e crianças cantando uma canção chamada "Mártires que defendem o santuário sagrado". Enquanto eles cantam, surgem imagens de jovens portando armas e sendo submetidos a treinamento militar. No final, fica claro que o o objetivo após o final da guerra síria é "libertar Jerusalém".
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

Nenhum comentário: