#vaiterBRT

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Sobre aviação em Feira de Santana

Dois momentos do Aero Clube de Feira de Santana, em 1945. Na primeira foto, Marinita Oliveira posa em frente a aeronave; na segunda foto, Marinita representando o Colégio Santanópolis, com Lourdes Falcão, esta representando a Escola Normal.
Fotos: "Blog Santanópolis"

"No período posterior a 1930, quando as redes de estradas se estavam rapidamente estendendo por todo o Brasil, a aviação comercial desenvolvia-se, igualmente, com rapidez. Enquanto Feira de Santana constituía o centro de convergência e divergência das estradas federais e estaduais na Bahia, o município virtualmente não era afetado pela expansão dos transportes aéreos. As primeiras linhas aéreas na Bahia acompanharam a costa, por um lado e, para oeste, o rio São Francisco. Em 1950 as companhias de aviação locais e nacionais fizeram a ligação, pelo ar, da Cidade do Salvador com o vale do São Francisco e com algumas das principais cidades do interior do Estado. Por causa da relativa proximidade de Feira de Santana com a Capital, não se sentiu a necessidade de um serviço aéreo direto entre as duas cidades.
A importância do domínio do ar durante os anos de guerra despertou o interesse pela aviação no Brasil. Em 1942, um decreto presidencial determinou a construção de um campo de emergência em cada município do país. Em consequência desse decreto inaugurou-se um aeroporto em Feira de Santana (Organizou-se um aeroclube na cidade, adquiriram-se vários aeroplanos leves e projetou-se uma linha de táxis aéreos entre Feira de Santana e a Capital. Nos primeiros tempos o clube desenvolveu grande atividade, porém, o interesse primitivo logo desapareceu. Em 1950, somente restava uma aeronave. O campo de pouso, com um hangar, caiu logo no abandono. Aparentemente, só os caminhões e automóveis é que terão mesmo de resolver o problema dos transportes no que diz respeito a Feira de Santana."
NOTAS
1. Em 1951, fez-se uma tentativa para reviver o interesse pela aviação, em Feira de Santana. Nesse ano uma empresa baiana estabeleceu um serviço regular de passageiros entre a Cidade do Salvador e Feira de Santana. Depois de duas semanas esse serviço foi suspenso.
2. Em 1951, um serviço postal aéreo, em duas vezes por semana, se inaugurara entre Salvador e Feira de Santana. As aeronaves não pousavam no campo, mas aí jogavam as malas postais. A correspondência remetida de Feira de Santana continuou a ser enviada por terra para o Correio central, em Salvador.
3. O campo de aviação de Feira de Santana, que funcionou até o início dos anos 80, era instalado no Campo Limpo, onde atualmente está implantado o sub-bairro George Américo - que tem as ruas Aeroclube, Aeroporto, Aviação, Campo de Aviação, Espaçonave e Paraquedista.
Extraído do livro "Feira de Santana", de Rollie E. Poppino, Editora Itapuã, páginas 215, 216 e 217. 

Nenhum comentário: