#vaiterBRT

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

O porquê da permanência

Por Dimas Oliveira
Matéria no jornal "Folha de S. Paulo", edição de domingo, 6, trata sobre eleições de 2016 no país, que foram as que "tiveram maior troca de partidos desde 2000", completando que "apenas 24,7% das cidades mantendo a legenda de 2012. Ainda assim, 76 cidades elegem o mesmo partido para comandar a prefeitura desde 2000", incluindo Feira de Santana.
"Mas para um pequeno grupo de cidades, entra eleição, sai eleição, e quase nada muda", diz o texto, com viés contra o que chama de "feudo".
No levantamento feito pelo jornal a partir dos dados da Justiça Eleitoral, a identificação de 76 cidades - 1% do país - em que as últimas cinco eleições foram vencidas por candidatos do mesmo partido. No caso de Feira de Santana, o Democratas - sigla que estará à frente do Executivo por 20 anos seguidos.
"Prefeitos democratas venceram as últimas cinco disputas em Feira de Santana-BA, por exemplo", conta.
"José Ronaldo venceu em 2000 e 2004, deu lugar em 2008 a Tarcízio Pimenta e voltou a vencer em 2012 e 2016", diz o texto da "Folha".
Permanência é a palavra chave. Não existe desejo de mudança dos eleitores. A oposição é incompetente, daí não existir alternância de poder em Feira de Santana. A caminhada política e o desempenho eleitoral de José Ronaldo (Democratas), pela confiança da maioria do eleitorado, são dignos de destaque, culminando com a vitória acachapante e esmagadora de 2 de outubro, que o conduz para seu quarto mandato.
A superioridade numérica levou o democrata a vencer sua quarta eleição em primeiro turno e com mais facilidade que as anteriores.
Sua primeira eleição para prefeito foi em 2000, vencendo em primeiro turno, com 126.230 votos. Então, ele tinha 64% em pesquisa estimulada e obteve votação de 61% - primeira e única vez com diminuição de percentual.
Na eleição de 2004, de novo eleito em primeiro turno, com 170.162 votos. Na pesquisa estimulada, aparecia com 63% e na votação chegou a 68%. Na eleição de 2012, mais uma vez eleito em primeiro turno - 195.967 votos -, obteve então vitória eleitoral de maior percentual no Norte e Nordeste do país, com o percentual de 66%. A pesquisa estimulada apontava 65%.
Agora, com 212.408 votos, a vitória de 165.516 votos de frente, chegou à votação de 71%, com a pesquisa estimulada dando 69%.
Outro dado interessante no desempenho dele é sobre pesquisa estimulada versus rejeição nas quatro eleições: em 2000, apareceu com 64% e 12%; em 2004, com 63% e 12%; em 2012, com 65% e 11%; e em 2016, com 69% e 12%. São números constantes.
Hoje, em 2016, o colégio eleitoral de Feira de Santana é de 397.590 pessoas. Em 2012, o eleitorado era de 373.543 pessoas. Em 2004, o município contava com 316.937 eleitores. Em 2000, o cenário era com 274.049 eleitores.
Os números de José Ronaldo podem ser adjetivados a escolha de cada um. Acachapantes, esmagadores, excepcionais, fenomenais, indiscutíveis, irrefutáveis e singulares. Números frios e verdadeiros.
José Ronaldo tem eleitorado cativo, consolidado e em expansão. É o primeiro prefeito de Feira de Santana a obter quatro mandatos. Poucos políticos no país apresentam situação similar.
Coluna publicada no jornal "NoiteDia", edição desta sexta-feira, 11

Nenhum comentário: