*

*

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

terça-feira, 14 de junho de 2016

Lembrando "Salomão e a Rainha de Sabá"

Gina Lollobrigida em duas fotos promocionais do filme
Reprodução

Em 1960, no Cine Madrid, na rua Castro Alves, onde hoje funciona o Kilogril, a assistência ao filme "Salomão e a Rainha de Sabá (Solomon and Sheba), de King Vidor, 1959. Foi o octagésimo oitavo filme visto por Dimas Oliveira, então com 12 anos.
Cinquenta anos depois, adquiri exemplar em DVD que faz parte de coleção, do filme baseado em passagens bíblicas.
Logo antes que sua morte, o rei Davi (Finlay Currie) tem uma visão de Deus que lhe diz que seu filho mais novo Salomão (Yul Brynner) o deve suceder no trono.
Mas seu irmão Adonias (George Sanders) ambiciona ficar no trono. Israel prospera sob o reino do rei sábio. Entretanto, o faraó do Egito concede parte do Mar Vermelho à rainha de Sabá (Gina Lollobrigida) e com ela conspira encontrar uma maneira de destruir Salomão, cuja sabedoria é temida e respeitada por todos os povos e é vista como uma ameaça a todos os demais monarcas da região. Salomão, ao mesmo tempo que enfrenta as intrigas do irmão que tenta derrubá-lo do trono, recebe a visita da rainha de Sabá que tenta de todas as maneiras seduzi-lo com seu encanto para conquistar todo o seu seu reinado.
Tem duração de 141 minutos, os cenários são suntuosos e são belos os figurinos da rainha de Sabá, como é bela a atriz Gina Lollobrigida.
Ainda no elenco: Marisa Pavan (Abisagh), John Crawford (Joab), Harry Andrews (Baltor), Laurence Naismith (Hezrai), Jose Nieto (Ahab), Alejandro Rey (Sittar), Julio Pena (Zadok), Maruchi Fresno (Bethseba), William Devlin (Nathan), Felix de Pomes (general egípcio), Jean Anderson (Takian), Jack Gwyllim (Josias), Claude Dantes (mãe), Anne Scott (garota), Virgilio Teixeira (homem).
Tyrone Power interpretava Salomão e quando filmava uma cena de duelo de espadas, na Espanha, teve um ataque de coração fulminante, que o matou. O diretor King Vidor substituiu o ator por Yul Brynner e, assim, completou o filme. Dá para notar, reparando bem, nas cenas de duelo, Tyrone nelas.

Nenhum comentário: