*

*

sábado, 19 de março de 2016

Música de qualidade que deixa gosto de quero mais



A plateia da quinta edição do Festival de Filarmônicas Princesa do Sertão saiu enlevada na segunda e última noite do evento, na sexta-feira, 18, com o repertório apresentado pela Escola de Música Estevam Moura, Sociedade Filarmônica 25 de Março e Filarmônica 24 de Junho, esta de Jeremoabo. Todas deram espetáculo de deleite musical, na promoção exitosa da Fundação Senhor dos Passos, através do Núcleo de Preservação da Memória Feirense. O Festival contou com apoio da Prefeitura de Feira de Santana, através do Pró-Cultura e patrocínio da Paraguassu Veículos.
No Festival, uma demonstração de como a música pode ser um instrumento de inclusão e transformação social.
Estevam Moura
Dezessete alunos da Escola de Música Maestro Estevam Moura com idades entre oito e 14 anos, do bairro das Baraúnas e adjacências, mais a sustentação de três músicos da Sociedade Filarmônica 25 de Março formaram o grupo regido pelo maestro Antonio Carlos Batista Neves Júnior, o Tony Neves, feirense e integrante da Filarmônica da Universidade Federal da Bahia (Ufba), recém-formado em Música.
Eles executaram "Crazy Clock", de autoria desconhecida; "Aura Lee - Love Me Tender", de George R. Poulton, conhecida na interpretação de Elvis Presley; "Sonho de Amor", do repertório de Zezé Di Camargo & Luciano; e "Asa Branca", de Luiz Gonzaga.
O objetivo da Escola de Música é primordialmente a formação de músicos para a necessária revitalização da secular Filarmônica, patrimônio cultural de inestimável valor para Feira de Santana. 
25 de Março
Sete peças compuseram a apresentação da Sociedade Filarmônica 25 de Março. Contando com 23 músicos e sob a regência do maestro Tony Neves, a quase sesquicentenária filarmônica desfiou o seu Hino, autoria de João Manoel Dantas, os dobrados "Antonio Carlos", de Heráclio Guerreiro, "João e Íris", de José Gomes de Assis”, "Tusca", de Estevam Moura, "Girassol", de Osvaldo Cabral, mais a marcha "Ana Maria", de Lulu Nerega, e por fim o "Hino a Feira", de Georgina Erismann, para os entusiásticos aplausos dos presentes.

24 de Junho
Para encerrar o quinto Festival de Filarmônicas Princesa do Sertão, a apresentação da Filarmônica 24 de Junho, de Jeremoabo, que está perto de completar 122 anos.
Com 35 músicos - a maioria de adolescentes e quase a metade de garotas - e sob a regência do maestro Mário da Silva, iniciou sua tocata com "As Rosas Não Falam", de Cartola, passou por "Menina Veneno", de Ritchie, e enveredou pelas internacionais "Fascinação", de Maurice de Feraudy e Dante Pilade,  "La Paloma",  de Iradier e Salaverri, "Summertime", de George Gershwin, "Imagine", de John Lennon, "Yesterday", de The Beatles, "I Just Called To Say Love You", de Stevie Wonder, do filme "A Dama de Vermelho", "My Way", de Frank Sinatra, "Eternally", de Charles Chaplin, do filme "Luzes da Ribalta", atingindo o clímax com "Valsa do Imperador", de Johann Strauss e "Bolero", de Maurice Ravel, e culminando com os dobrados "Batuta", de Heráclio Guerreiro, e "As Folhas Murchas", de Virgilino Oliveira dos Santos.
Quem foi ao Teatro Frei Felix de Pacatuba, do Centro Comunitário Ederval Fernandes Falcão, saiu embevecido com tanta música de qualidade, que deixou o gosto de quero mais.

Nenhum comentário: