*

*

Lançamento nacional nesta quinta-feira

Lançamento nacional nesta quinta-feira

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Feira de Santana já tem "O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota"



O livro "O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota", de Olavo de Carvalho, que está na lista dos mais vendidos - Não Ficção - desde o lançamento, na segunda quinzena de agosto, já está disponível em Feira de Santana. 
Indo ao Boulevard Shopping encontrei o livro na Livraria Atlântica, e já adquiri meu exemplar.

Deu em Claudio Humberto


"O fim do silêncio de dez meses mostrou que Lula não sabe o que dizer sobre o caso Rose"



Por Augusto Nunes

Na entrevista concedida a Leonardo Cavalcanti e Tereza Cruvinel em 26 de setembro, publicada neste domingo pelo Correio Braziliense, Lula finalmente quebrou o silêncio de mais de 300 dias sobre o escândalo em que se meteu ao lado de Rosemary Noronha. O assunto não mereceu mais que duas perguntas. O ex-presidente usou 100 palavras para não dizer nada.  A amável dupla de repórteres deu-se por satisfeita e mudou de assunto: "O que o senhor achou da reação do governo brasileiro em relação à espionagem norte-americana?"
Como atesta o diálogo abaixo transcrito, com comentários do colunista entre parênteses, poucos minutos bastaram para os entrevistadores ministrassem uma aula de jornalismo cúmplice e o entrevistado erguesse um monumento à desfaçatez:
CB - Como o senhor avalia a decisão da CGU de pedir a destituição do serviço público da ex-chefe do Gabinete da Presidência de São Paulo, Rosemary Noronha, por 11 irregularidades, incluindo propina, tráfico de influência e falsificação de documentos?
Lula: Ela já estava demitida. O que a CGU fez foi confirmar o que todo mundo já sabia o que ia acontecer.
(A primeira pergunta faz de conta que a companheira instalada por Lula no escritório da Presidência chegou lá não pela porta dos fundos, mas pelo currículo; que a coleção de patifarias se resumiu a 11 irregularidades; que a integrante da quadrilha especializada no comércio de pareceres de órgãos oficiais agiu sozinha; que os irmãos Paulo e Rubens Vieira são uma invenção da imprensa; as delinquências devassadas pela Polícia Federal foram descobertas pela CGU; que a destituição de Rose encerrou o caso de polícia que o Ministério Público ainda investiga; que o ex-presidente e a ex-segunda-dama não se conhecem nem de vista.
Na primeira resposta, mais curta que a pergunta, Lula não menciona o nome de Rose. Ele faz de conta que a protegida que pediu exoneração há um ano foi demitida logo depois da Operação Porto Seguro. E jura que todo mundo sabia que iria acontecer o que ainda não aconteceu).
CB - Mas tudo ocorreu dentro de um escritório da Presidência, em São Paulo.
Lula: Deixa eu falar uma coisa. A CGU julgou um relatório feito pela Casa Civil. E pelo o que eu vi do relatório, ele confirma as conclusões da Casa Civil. Todo servidor que comete algum ilícito tem de ser exonerado. O que valeu para o escritório vale para qualquer lugar no Brasil, no setor público. Vale para banco, vale para a Receita Federal. Vejo isso com muita tranquilidade. (Lula se vira para o assessor de imprensa e pergunta). "Não foi exonerado esses dias um companheiro que trabalhava com a Ideli (Salvatti)"? (Lula se refere ao assessor da Subchefia de Assuntos Federativos, Idaílson Vilas Boas Macedo, após notícias de que faria parte do esquema de lavagem de dinheiro descoberto pela Polícia Federal na Operação Miqueias).
(Na segunda e última pergunta, os entrevistadores fazem de conta que "tudo ocorreu dentro de um escritório da Presidência". Esse tudo inclui viagens no AeroLula, luas-de-mel internacionais financiadas com dinheiro, um cruzeiro marítimo nas imediações de Ilhabela, falsificação de documentos, a promoção dos irmãos gatunos a diretores de agências reguladoras, a compra do carro novo, as reuniões entre governadores e empresários de estimação, fora o resto. É muita bandalheira para pouco espaço.
Também na segunda e última resposta, mais longa que a pergunta, Lula não menciona o nome de Rose. Ele faz de conta que não viu nada de mais no relatório da Casa Civil ou nas conclusões da CGU. E finge não enxergar diferenças entre um Idailson que serviu a Ideli Salvatti e a mulher da qual se serviu durante quase dez anos - e que se serviu do namorado que chamava de "PR" para prosperar como fora-da-lei. Haja cinismo)
Lula quebrou o silêncio por imaginar que a parceria com jornalistas de confiança afugentaria a assombração que o persegue desde novembro de 2012. Outro tiro no pé. O bisonho desempenho do entrevistado deixou claro que, ao fim de dez meses, não descobriu como safar-se do escândalo pessoal e intransferível. Agora que recuperou a fala, não poderá mais esconder-se de jornalistas dispostos a fazer as perguntas certas. E não sabe o que dizer.
A contagem iniciada pela coluna há 311 dias terminou. Um novo capítulo do caso Rose apenas começou.
Fonte: "Direto ao Ponto"

"Mais uma conquista do PT - Brasil registra déficit fiscal pela primeira vez desde 2001"



Por Reinaldo Azevedo
Na VEJA.com:
O Brasil registrou em agosto seu primeiro déficit primário desde o início da série histórica, em 2001. O déficit de 432 milhões de reais acumulado em agosto significa que o governo não conseguiu economizar recursos para engordar o montante necessário para pagar os juros da dívida em 2013. Segundo o Banco Central, que divulgou a nota, o déficit foi causado pelos maiores gastos com a Previdência. Contudo, pesou também a queda da arrecadação de impostos.
O resultado foi bem pior que o esperado por analistas, cuja mediana apontava para saldo positivo de 1,85 bilhão de reais. Em julho, o país havia registrado superávit primário de 2,287 bilhões de reais. Em 12 meses até agosto, a economia feita para pagamento de juros foi equivalente a 1,82% do Produto Interno Bruto (PIB), longe da meta do governo para o ano, de 2,3%. No acumulado dos primeiros oito meses, o esforço fiscal está em 1,72% do PIB.
Curiosamente, nesta segunda-feira, o BC e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, emitiram declarações afirmando que o cumprimento da meta de superávit não é necessário para reduzir o endividamento público. Segundo Mantega, o governo tem sido capaz de reduzir o endividamento sem cumprir a meta cheia. O ministro fez tal afirmação em evento organizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Já o BC declarou que um superávit "amplo" não é necessário no Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta segunda.
O déficit primário em agosto foi causado pelo resultado negativo de 55 milhões de reais do governo central, formado pelo governo federal, BC e Previdência Social. Em agosto, as contas públicas foram afetadas pelo início do pagamento do 13º salário a aposentados e pensionistas, aumentando o rombo da Previdência que, segundo o BC, ficou em 5,733 bilhões de reais. O resultado apurado pelo BC é bem pior do que o divulgado pelo Tesouro Nacional na sexta-feira, que mostrava um superávit primário de 87 milhões de reais do governo central - valor considerado baixo, porém, ainda no campo positivo. Ainda segundo o BC, os estados e municípios tiveram déficit de 174 milhões de reais no mês passado, enquanto que as empresas estatais tiveram saldo negativo 203 milhões de reais.
O BC informou ainda que o déficit nominal - receitas menos despesas do governo, incluindo pagamento de juros - ficou em 22,303 bilhões de reais no mês passado, enquanto a dívida pública representou 33,8% do PIB, ante 34,1% em julho, e chegou a 1,573 trilhão de reais. Em dezembro de 2012, a dívida estava em 35,2% do PIB. No acumulado do ano, o superávit primário soma 54,013 bilhões de reais, sendo 37,441 bilhões de reais feitos pelo governo central e 16,774 bilhões de reais economizados por Estados e municípios. A meta cheia de superávit primário para este ano era de 155,9 bilhões de reais, ou cerca de 3,1% do PIB, mas o governo já reduziu a meta a 2,3%, ou 111 bilhões de reais. Isso significa que, para cumprir a meta, o governo terá de economizar em apenas quatro meses o mesmo valor economizado ao longo de todo o ano.
Os resultados fracos até agosto também foram resultado do baixo dinamismo da receita, afetada pelo mau desempenho da atividade econômica do país, e altos gastos com custeio da máquina pública.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão: Veredas" tem pré-estreia em Feira de Santana




1. Juraci Dórea monta escultura no campus da Uefs

2. Tuna Espinheira com Dimas Oliveira, Juraci Dórea e o produtor Wiltonauar Moura
3. Tuna Espinheira e equipe em Canudos
Fotos: Divulgação

Na noite de terça-feira, 15 de outubro, às 20 horas, em sala do Orient Cineplace, pré-estreia do documentário "O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão: Veredas", com argumento e direção de Tuna Espinheira, filmado principalmente em Feira de Santana, com tomadas no Campo do Gado e no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), onde foram plantadas esculturas do "Projeto Terra" do artista plástico feirense.
"Este trabalho, cujo protagonista é um personagem da história desta brava região", segundo Tuna, pretende mostrar o sertão através do imaginário, inspirado no "Projeto Terra", que completa 30 anos de execução por Juraci Dórea.
Aprovado pelo FSA/BRDE - Prodavi, o filme foi rodado em Digital HD pela produtora Larty Mark. A produção executiva é de Wiltonauar Moura e deverá também ser exibido pela TVE Bahia. Tem apoio do governo Cidade Trabalho, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico.
O documentário "revisita os caminhos percorridos pelo artista, registrando o que ainda existe, recuperando o que for possível e colocando novas obras no trajeto entre Feira de Santana, Monte Santo, Canudos e Raso da Catarina, colhendo depoimentos de pessoas e personagens de cada local ao mesmo tempo em que promoveu o conhecimento da arte", conta Tuna Espinheira. Além de Juraci Dórea ser o motivo do filme, a produção conta com dois nomes feirenses na ficha técnica: Dimas Oliveira e Selma Soares.
Tuna Espinheira escreve sobre seu trabalho: "Era uma vez o sertão que virou museu a céu aberto, ao sol, a chuva, ao tempo... foi, precisamente desta maneira, que o artista, Juraci Dórea, arrumou seu matulão e, fazendo às vezes do pregador bíblico, João Batista, adentrou as veredas do sertão baiano, descortinando suas icônicas esculturas, de madeiras vestidas de couro, com uma linguagem contemporânea, desconhecida naqueles ermos, bradando no deserto. Logo/logo, viriam as exposições itinerantes, ciganas, de quadros de pintura, com motivos populares. Um festão em cada lugar por onde passava. E assim foi que, estas semeaduras de arte em léguas tiranas , no agreste, através de documentações fotográficas, chegaram à mídia e o fazer do artista ganhou botas de sete léguas e asas de albatroz e, invertendo a normalidade do processo, saiu do assombroso museu a Deus dará, para os espaços emblemáticos das Bienais, São Paulo, Veneza etc. E o Sertão virou mar...
Nosso filme/documentário, assim foi em busca de contar esta estória cuja gênese é o distante 1982, tempo abissal, sobretudo para encontrar vestígios das esculturas pioneiras, urdidas como arte efêmera, de vida curta. Juraci embarcou nesta canoa, foi um dos mais indômitos membros da equipe, plantamos, de Feira de Santana, passando por Monte Santo e Canudos, quatro novas e enormes esculturas, conversamos com muita gente sertaneja... À mercê do calor da hora, fomos colhendo material... O combustível necessário para que La Nave Vá... 
No próximo dia 15 de outubro, na luminosa tela grande do escurinho do cinema , em Feira de Santana, estaremos realizando a pré-estreia deste filme, de 52 sertanejos minutos, às 20 horas. Esperando que, daí em diante ele, o filme, possa caminhar com as suas próprias pernas... Com as graças da corte celeste..."

Oposição se une em Camaçari de olho em 2014



Lideranças do Democratas, PMDB e PTN, entre outros partidos, se reuniram em Camaçari no sábado, 28, para tratar de política e comemorar os 255 anos de aniversário do município. Estiveram na cidade o secretário de Urbanismo e Transportes de Salvador José Carlos Aleluia, presidente do Democratas na Bahia deputado estadual Paulo Azi, e lideranças locais, a exemplo do líder da oposição no município, vereador Antônio Elinaldo.
Os oposicionistas testaram a popularidade no tradicional desfile em homenagem ao aniversário de Camaçari. Num dos momentos, acabaram dando de cara com o ex-prefeito Luiz Caetano (PT), que foi vaiado durante as comemorações, assim como a deputada estadual Luiza Maia (PT). Moradores da rua Fernando Pessoa, por exemplo, levaram uma faixa cobrando do ex-prefeito e do atual, Ademar Delgado, solução para os problemas de rato e esgoto a céu aberto que perduram há nove anos.
"Camaçari já levantou a voz contra os desmandos do PT no município e no estado. A população aqui já decidiu que quer um novo projeto que resgate a capacidade que Camaçari sempre teve de gerar oportunidades no mercado de trabalho e qualificação profissional", afirmou Paulo Azi.
(Com informações da Assessoria de Comunicação do Democratas)

Traga o verde para dentro da sua casa



Projetos da Casa Cor Minas Gerais integram flores e plantas
à arquitetura e decoração dos ambientes

Integrar o verde ao projeto de casas e apartamentos é um pedido cada vez mais recorrente aos profissionais de decoração e arquitetura. Além de sustentável, garante o charme todo especial ao ambiente.
O arqdecor Luis Fábio Rezende integrou o jardim à decoração e arquitetura de um dos seus últimos projetos chamado de "Casa do Jardim". O profissional partiu de um flamboyant para desenhar todo o conceito do anexo construído para integrar um dos 34 ambientes da 19ª edição da Casa Cor Minas. Parte da árvore entra pela casa, passa pela cozinha gourmet, hall e termina na sala. No lavabo, uma parede de heras, original do terreno, dá um charme acolhedor. A varanda feita sobre um deck, tem a função de mirante para todo o jardim. Além disso, Luis Fábio usou de tons de verde e marrom para determinar a paleta de cores usadas na decoração clássica e contemporânea.
Cristina Menezes também partiu de um conceito parecido para o projeto da sua Pocket House. Inteiramente construída em um container naval reaproveitado, o ambiente de 29m² de Cristina possui uma mini horta vertical no espaço dedicado à cozinha e a lateral longitudinal foi recortada dando lugar a portar de vido de correr integrando o jardim ao espaço.
Já para os arquitetos Jonathas Valle e Sérgio Vianna, responsáveis pelo projeto do banheiro ecotransportável, a junção entre os lavabos masculino e feminino criou um hall de circulação decorado pela parede de heras original da casa.
A19ª Casa Cor Minas acontece na Pampulha até dia 22 de outubro.
Casa Cor Minas - 19ª edição
Período: Até 22 de outubro
Local: Alameda das Palmeiras, 444 - Pampulha
Horário: 4ª à 6ª feira de 14 às 22 horas;
Sábado de 13 às 22 horas;
Domingo de 13 às 19 horas
Special Sale: 19 a 22 de outubro
Ingresso: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia - para idosos acima de 60 anos, crianças e estudantes)
(Com informações de Fabiana Carvalho, da Link Comunicação Empresarial)

Encontro reúne noivas e tendências





Os passos para a montagem de uma festa de casamento com toda magia que as noivas sempre sonharam, estarão reunidos no Campestre Sítio, neste domingo, 6, durante o Encontro de Noivas de Feira de Santana. O evento, que reúne diversas empresas especializadas em casamentos, tem início a partir das 16 horas.
A ideia nasceu de uma comunidade da rede social Facebook (Noivas Feira de Santana) que possui quase 600 membros, em sua maioria, mulheres que já tem data marcada para dizer "Sim", ou estão bem perto disso. "Na comunidade elas trocam experiências, dão dicas e compartilham seu dia a dia como noivas. O encontro nasceu para possibilitar que elas e outras noivas vivessem isso de forma mais intensa, não apenas com a intenção de fechar negócios, mas também de adquirir um leque de ideias para montarem o seu grande dia", explicou Jéssica Almeida, organizadora do evento.
Durante a festa, montada especialmente para elas, as noivas terão acesso às tendências em decoração, flores, beleza, wedding motion (vídeo), fotobook, buffet, cake design, convites, assessoria musical, assessoria de evento, moda e personalização, que estão fazendo das cerimônias de casamento, momentos inesquecíveis por todo o país. Uma palestra cujo tema é "Inspirações Para o Grande Dia”, promete ser o ponto alto do encontro, e será ministrada por Mikaella Ferreira, editora de conteúdo do blog Noiva Nova. "O casamento é um momento único para nós mulheres e, por valorizarmos isso, cada vez mais o casal quer que esse momento expresse a história, a personalidade de cada um, para que as pessoas reconheçam em todas as partes da festa que ela tem a cara deles. E o Encontro de Noivas tem esse objetivo: de unir em um só momento as ferramentas que as noivas precisam para organizar a festa dos seus sonhos", explica Jéssica.
As inscrições estão sendo feitas através do site www.encontrodenoivas.com.br ou de forma presencial na loja Paullus, Getúlio Square, na avenida Getúlio Vargas. O evento é aberto para homens e mulheres, ao custo de R$ 20,00.
(Com informações de Beatriz Ferreira, da Notre Comunicação)

Faltam 15 dias para lançamento em Feira de Santana



Por Tuna Espinheira 
Era uma vez o sertão que virou museu a céu aberto, ao sol, a chuva, ao tempo... foi, precisamente desta maneira, que o artista, Juraci Dórea, arrumou seu matulão e, fazendo às vezes do pregador bíblico, João Batista, adentrou as veredas do sertão baiano, descortinando suas icônicas esculturas, de madeiras vestidas de couro, com uma linguagem contemporânea, desconhecida naqueles ermos, bradando no deserto. Logo/logo, viriam as exposições itinerantes, ciganas, de quadros de pintura, com motivos populares. Um festão em cada lugar por onde passava. E assim foi que, estas semeaduras de arte em léguas tiranas, no agreste, através de documentações fotográficas, chegaram à mídia e o fazer do artista ganhou botas de sete léguas e asas de albatroz e, invertendo a normalidade do processo, saiu do assombroso museu a Deus dará, para os espaços emblemáticos das Bienais, São Paulo, Veneza etc. E o Sertão virou mar...
Nosso filme/documentário, assim foi em busca de contar esta estória cuja gênese é o distante 1982, tempo abissal, sobretudo para encontrar vestígios das esculturas pioneiras, urdidas como arte efêmera, de vida curta. Juraci embarcou nesta canoa, foi um dos mais indômitos membros da equipe, plantamos, de Feira de Santana, passando por Monte Santo e Canudos, quatro novas e enormes esculturas, conversamos com muita gente sertaneja... À mercê do calor da hora, fomos colhendo material... O combustível necessário para que La Nave Va... 
No próximo dia 15 de outubro, na luminosa tela grande do escurinho do cinema (Orient Cineplace), em Feira de Santana, estaremos realizando a pré-estreia deste filme, de 52 sertanejos minutos, às 20 horas. Esperando que, daí em diante ele, o filme, possa caminhar com as suas próprias pernas... Com as graças da corte celeste... 
* Tuna Espinheira, cineasta, é o diretor de "O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão; Veredas"

"Um Caso de Língua" no dia 18 de outubro


Comida
Titãs
Bebida é água! 
Comida é pasto! 
Você tem sede de que? 
Você tem fome de que?...
A gente não quer só comida 
A gente quer comida
Diversão e arte 
A gente não quer só comida 
A gente quer saída 
Para qualquer parte...
A gente não quer só comida 
A gente quer bebida 
Diversão, balé 
A gente não quer só comida 
A gente quer a vida 
Como a vida quer...
O espetáculo "Um Caso de Língua" tem apresentação em Feira de Santana no Teatro da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), na sexta-feira, 18 de outubro, com sessão às 20 horas. Ingressos: inteira: 50,00 e meia: 25,00, à venda no CDL
Trata-se de um espetáculo bem humorado sobre nosso português. Assim é "Um Caso de Língua"que aborda aspectos importantes na formação e dinâmica da língua portuguesa falada no Brasil. O espetáculo, de viés cômico, apoia-se em três bases: diversão, informação e teatro. "É uma escolha totalmente adequada ao perfil do nosso projeto. Abrir as sessões de apreciação de espetáculos com esta montagem reforça nossa crença e defesa da arte e da cultura nos processos de reflexão e formação do cidadão: 'Um Caso de Língua' fala sobre a gente", diz Felipe de Assis, coordenador geral do Projeto Mediação Fiac.
No palco, Urias Lima (Foto: Divulgação) cita trechos da literatura brasileira, fragmentos de letras de músicas, ditados populares, poemas e textos retirados do universo virtual. Tudo costurado com muito humor e usando como suporte a canção 'Língua', de Caetano Veloso. O texto é resultado de mais de cinco anos de anotações, leituras e pesquisa, realizadas pelo próprio ator. "O espetáculo propõe uma reflexão sobre o ensino da língua portuguesa no Brasil", aponta Urias, que conquistou o Prêmio Braskem de Teatro, com este seu segundo trabalho solo, na categoria de Melhor Ator de 2008, dirigido por Carmen Paternostro, uma das maiores diretoras da cena teatral baiana.
(Com informações de Gabriela Azevedo)


Feira Fashion Trends tem "Entre as Cores e as Sensações" como tema


"Entre as Cores e as Sensações" é o tema da terceira edição do evento de moda Feira Fashion Trends  que acontece na quarta-feira, 9 de outubro,  às 19 horas, no Spazio.
Um acontecimento na cidade de Feira de Santana que faz a responsabilidade social dividir as passarelas com o melhor da coleção primavera verão 2014. Cerca de mil pessoas estão sendo aguardadas no evento.
Os convidados irão conhecer os stands da Clínica Iderma, Estúdio Fotográfico Fernanda Freire e Revista Mulher +. Degustaram as delícias do Premieer Café, Yoba e Cantina Aprile.
Todos os convites serão trocados por leite em pó e fraldas descartáveis que serão doados à Associação de Apoio a Pessoa com Câncer (AAPC) e o público pode conferir as novas tendências e estilos da nova estação, através dos desfiles das lojas M.Zanirato, Jully Aquino Jóias Alternativas, Gerlanda Teles Woman Store, Elementais, Lotus Fitness Wear. Make-Up-Hair será de Jorge Melo Misk de Beleza.
"Feira Fashion Trends,  ser solidário é estar na moda".
(Com informações de Lilia Campos)

Calendário Eleitoral


Sábado, 5 de outubro de 2013 (um ano antes)
a.           Data até a qual todos os partidos políticos que pretendam participar das eleições de 2014 devem ter obtido registro de seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral (Lei nº 9.504/97, art. 4º).
b.   Data até a qual os que pretendam ser candidatos a cargo eletivo nas eleições de 2014 devem ter domicílio eleitoral na circunscrição na qual desejam concorrer (Lei nº 9.504/97, art. 9º, caput).
c.   Data até a qual os que pretendam ser candidatos a cargo eletivo nas eleições de 2014 devem estar com a filiação deferida no âmbito partidário, desde que o estatuto partidário não estabeleça prazo superior (Lei nº 9.504/97, art. 9º, caput e Lei nº 9.096/95, arts. 18 e 20, caput).
Fonte: Tribunal Superior Eleitoral

"PT privatiza 'Minha Casa Minha Vida' e usa verba do programa para beneficiar militantes. Na lambança, há de tudo: improbidade administrativa, ofensa à Constituição e crime eleitoral"


Por Reinaldo Azevedo
Jamais atribuí ao PT algo que o partido não tivesse feito. Nunca foi preciso fantasiar sobre teorias conspiratórias para criar um bicho-papão. Até porque, quando o partido está na área, não resta ao cronista muito espaço para imaginação. No mais das vezes, os petistas surpreendem só porque conseguem ir além dos juízos mais severos que possamos fazer a respeito deles. O diabo é sempre mais feio do que se pinta. Reportagens publicadas no Estadão neste domingo (aqui, aqui e aqui) provam, sem margem para dúvidas, que o programa "Minha Casa Minha Vida", em São Paulo, transformou-se num instrumento de luta política. Onze das doze entidades cadastradas para receber repasses do governo federal e gerir a construção de casas são comandadas pelo PT; a outra é ligada ao PCdoB. Juntas, elas administram uma bolada de R$ 238,2 milhões. Pior: essas entidades criam critérios próprios para selecionar os beneficiários das casas, que não constam das disposições legais do "Minha Casa Minha Vida". Vamos ver.
O governo federal, por meio do Ministério das Cidades, seleciona entidades - o único critério e haver uma militância organizada - que passa a gerir fatias milionárias de recursos para a construção das casas. E como e que esses grupos administram o dinheiro? Leiam trecho (em vermelho):
Os critérios não seguem apenas padrões de renda, mas de participação política. Quem marca presença em eventos públicos, como protestos e até ocupações, soma pontos e tem mais chance de receber a casa própria. Para receber o imóvel, os associados ainda precisam seguir regras adicionais às estabelecidas pelo programa federal, que prevê renda familiar máxima de R$ 1,6 mil, e prioridade a moradores de áreas de risco ou com deficiência física. A primeira exigência das entidades é o pagamento de mensalidade, além de taxa de adesão, que funciona como uma matrícula. Para entrar nos grupos, o passe vale até R$ 50. Quem paga em dia e frequenta reuniões, assembleias e os eventos agendados pelas entidades soma pontos e sai na frente.
Ou por outra: as entidades petistas privatizam o dinheiro público e só o distribuem se os candidatos a beneficiários cumprirem uma agenda política. Atenção! O MST faz a mesma coisa com os recursos destinados à agricultura familiar. A dinheirama vai parar nas mãos de cooperativas ligadas ao movimento, e as que são mais ativas politicamente são beneficiadas. Não houvesse coisa ainda mais grave, a simples cobrança da taxa já é um escândalo. Essas entidades, afinal, passam a cobrar por aquilo a que os candidatos a uma casa têm direito de graça. É claro que isso fere o princípio da isonomia.
Mas esse não e, reitero, o aspecto mais grave. Observem que o eventual acesso, então, a uma moradia passa a ser privilégio de quem se dedica a um tipo muito particular de militância política - gerenciada, como é evidente, pelos petistas. Assim, o que é um programa do Estado brasileiro passa a beneficiar apenas os que estão sob o guarda-chuva de um partido político. O Ministério das Cidades diz que não pode interferir na forma como essas associações se organizam. Entendi: então o governo lhes repassa o dinheiro - e elas pode, se quiserem, jogar a Constituição e as leis no lixo. Parece-me escandalosamente claro que, ao tolerar essa prática, os responsáveis pela pasta incorrem em vários parágrafos da Lei de Improbidade Administrativa - isso para começo de conversa.
Haddad
As indicações passam a ser arbitrárias. E contam, como não poderia deixar de ser, com o apoio do prefeito Fernando Haddad. Em agosto, ele assinou um decreto em que estabelece que essas entidades poderão indicar livremente os beneficiários do programa. E não pensem que é pouca grana, não! É uma bolada! Leiam mais um trecho:
A maior parte das entidades é comandada por lideranças do PT com histórico de mais 20 anos de atuação na causa. É o caso de Vera Eunice Rodrigues, que ganhou cargo comissionado na Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab) após receber 20.190 votos nas últimas eleições para vereador pelo partido. Verinha, como é conhecida, era presidente da Associação dos Trabalhadores Sem Teto da Zona Noroeste até março deste ano - em seu lugar entrou o também petista José de Abraão. A entidade soma 7 mil sócios e teve aval do Ministério das Cidades para comandar um repasse de R$ 21,8 milhões. A verba será usada para construir um dos três lotes do Conjunto Habitacional Alexius Jafet, que terá 1.104 unidades na zona norte.
No ano passado, Verinha esteve à frente de invasões ocorridas em outubro em prédios da região central, ainda durante a gestão de Gilberto Kassab (PSD), e em pleno período eleitoral. Em abril, foi para o governo Haddad, com salário de R$ 5.516,55. A Prefeitura afirma que ela está desvinculada do movimento e foi indicada por causa de sua experiência no setor.
Outra entidade com projeto aprovado - no valor de R$ 14 milhões -, o Movimento de Moradia do Centro (MMC), tem como gestor Luiz Gonzaga da Silva, o Gegê, filiado ao PT há mais de 30 anos e atual candidato a presidente do diretório do centro. Com um discurso de críticas à gestão Kassab e de elogios a Haddad, ele também nega uso político da entidade. "Qualquer um pode se filiar a nós e conseguir moradia. Esse é o melhor programa já feito no mundo", diz sobre o Minha Casa Minha Vida Entidades.
Campanha eleitoral
Como se vê, esses "movimentos" são tão independentes quanto um táxi. Atuaram abertamente durante a campanha eleitoral em favor de Fernando Haddad e contra a gestão anterior. E é certo que, além da apropriação de dinheiro público, do possível crime de improbidade, da agressão a direitos fundamentais garantidos pela Constituição, tem-se também o crime eleitoral. Leiam:
Nas eleições do ano passado, pelo menos três vereadores petistas - Juliana Cardoso, Nabil Bonduki e Alfredinho - tiveram o apoio de entidades de moradia para obter a vitória nas urnas. Também do partido, o deputado federal Simão Pedro e o estadual Luiz Cláudio Marcolino tiveram com o apoio de líderes dos sem-teto nas eleições de 2010.
"Nas últimas eleições nós fizemos campanha para o Nabil (Bonduki), mas eu gosto mesmo e tenho simpatia é pela Juliana (Cardoso)", afirma Vani Poletti, do Movimento Habitação e Ação Social (Mohas), com sede na região de Cidade Ademar, na zona sul da capital. Ela afirma estar insatisfeita com o fato de o PP do deputado federal Paulo Maluf ter ficado com a Secretaria Municipal de Habitação. "O movimento esperava que fosse o Simão Pedro."
Retomo
Simão Pedro, é? É o atual secretário de Serviços da Prefeitura de São Paulo. Não custa lembrar: é ele o amigão e ex-chefe de Vinicius Carvalho, o chefão do Cade, que conduz aquela estranha investigação sobre a Siemens. Um rapaz sem dúvida influente…
Entenderam agora por que os companheiros querem tanto o financiamento público de campanha? Os demais partidos ficariam obrigados a se contentar com o que lhes coubesse de um eventual Fundo. Com os petistas, no entanto, seria diferente. Além do apoio da máquina sindical - proibida, mas sempre presente -, a legenda continuaria livre para usar recursos públicos, por intermédio dessas entidades, para fazer campanha eleitoral.
O caso está aí. Não há dúvida, ambiguidade ou mal-entendido. Um partido está usando dinheiro público em seu próprio benefício e manipulando as regras de um programa federal para que ele beneficie apenas os seus "escolhidos".
Com a palavra, o Ministério Público. O que é isso senão a criação de um estado paralelo, de sorte que os mecanismos de decisão deixem de obedecer a critérios republicanos e se submetam às vontade de um partido? Pensem um pouquinho: de outro modo e com outros meios, também o mensalão não foi outra coisa. Em São Paulo (e duvido que seja muito diferente Brasil afora), o "Minha Casa Minha Vida" virou propriedade privada das milícias petistas.
Fonte: "Blog  Reinaldo Azevedo"

Dia da Secretária


Enviado por Sintest-BA/Uefs

domingo, 29 de setembro de 2013

Aleluia anuncia primavera do Democratas em Barreiras



"A filiação do grande líder do Oeste, Zito Barbosa, ao Democratas sinaliza que o partido vive a sua primavera. Um novo tempo se inaugura com o fortalecimento de uma legenda que volta a crescer em todo o Estado", afirmou o secretário de Urbanismo e Transporte de Salvador, José Carlos Aleluia, durante evento realizado na Câmara Municipal de Barreiras, na manhã deste domingo, 29.
"Ao contrário do que imaginara algumas aves agourentas da política baiana, o Democratas está vivo e cada vez mais forte para as eleições de 2014", disse Aleluia ao lado do prefeito ACM Neto, do ex-governador Paulo Souto, do prefeito de Feira de Santana José Ronaldo, do deputado federal Cláudio Cajado e dos deputados estaduais Paulo Azi e Hebert Barbosa, além do presidente do partido em Barreiras, Pablo Barrozo.
A caravana de líderes democratas ainda participa neste domingo de atos de filiação ao partido em Serrinha, onde haverá a adesão de Dr. Adriano Lima, e, em Campo Formoso, local em que o deputado estadual Elmar Nascimento assinará a sua ficha de filiação ao partido.
"No próximo dia três de outubro, com a presença do presidente nacional José Agripino Maia, vamos marcar a primavera do Democratas na Assembleia Legislativa, com a entrada no partido de mais três deputados estaduais. Além de Elmar, Sandro Régis e Targino Machado", avisou Aleluia.
(Com informações de Imprensa Democratas Bahia)

Congresso de Avivamento da Juventude Bethânia



Entre sexta-feira, 18 de outubro, e domingo, 20, a realização do Congresso de Avivamento "Eu Preciso de Você?", com o tema "Acende a Chama em Mim". O pastor nigeriano Peter Ikechukwu (Foto: Facebook) será o preletor. Mariano Neto estará no louvor assim como o Ministério de Louvor da Bethânia. A ação missionária é da Juventude Bethânia.

José Ronaldo prestigia filiações ao Democratas






Na manhã de sábado, 28, o prefeito de Feira de Santana José Ronaldo de Carvalho (Democratas) participou do concorrido ato de filiação de Fernando Antonio da Silva Pereira (Tato), ex-prefeito de Cachoeira, ao PSDB, ocorrido na Câmara Municipal.   
Presentes o deputado federal Jutahy Júnior, atual prefeito de Cachoeira Carlos Pereira, mais ex-prefeitos de diversos municípios da região, vereadores, lideranças políticas e comunitárias.  
Tato Pereira é postulante a uma vaga na Assembleia Legislativa. 
Neste domingo, 29, José Ronaldo segue para Barreiras, no Oeste da Bahia, para o ato de filiação de Zito Barbosa ao Democratas, no plenário da Câmara Municipal.
Ele estará junto ao prefeito de Salvador ACM Neto, ex-governador Paulo Souto, secretário de Urbanismo e Transportes da Prefeitura de Salvador José Carlos Aleluia, deputado estadual Herbert Barbosa, o presidente do Democratas na Bahia Paulo Azi. 
A expectativa é grande em torno deste evento que vai reunir lideranças políticas de Barreiras e de toda a região. Zito Barbosa sairá candidato a deputado federal. 
Ainda neste domingo, José Ronaldo participa junto como outras lideranças dos atos de filiação ao Democratas do deputado estadual Elmar Nascimento, em Campo Formoso; e de Adriano Lima, mais conhecido como Dr. Adriano, em Serrinha, que é filho do ex-prefeito ZéValdo Lima e deve sair candidato a deputado estadual. 
Fonte: Página Oficial de José Ronaldo no Facebook

Última oportunidade para ver "A Coisa"



Neste domingo, 29, às 20 horas, no Teatro da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), última oportunidade em Feira de Santana de assistir Jackson Costa (Fotos: Marcio Lima), um dos mais prestigiados atores baianos com reconhecimento nacional, encenando o espetáculo "A Coisa", que foi contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz.
Com as de Feira de Santana são dez apresentações com preços populares, até 6 de outubro, distribuídas entre as cidades de Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, e, encerrando a temporada, a capital sergipana, Aracaju.
A proposta principal do espetáculo é musicalizar textos da rica tradição oral da poesia brasileira e portuguesa. Gregório de Mattos, Castro Alves, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, José Delmo e Ramon Vane, entre outros, terão seus poemas interpretados e acompanhados por uma banda de música popular contemporânea – formada por sintetizador, teclado, guitarra, baixo e percussão. Recorrendo a recursos cenográficos e iluminotécnicos, "A Coisa" estrutura-se como um gênero polissêmico em que se associam o teatro, a música e a poesia, numa obra impactante e comunicativa. "O que busco é, justamente, a musicalidade de cada texto. E o acompanhamento sonoro em cena ajuda a colocar imagens nas palavras", explica Jackson Costa.
Assim, experimentando um formato contemporâneo para os tradicionais recitais de poesia, o espetáculo promove a difusão de poemas importantes e sugere ao público dois desafios: a apuração de uma percepção mais sensível e a superação dos modelos rígidos a que estão submetidos os nichos culturais mercadológicos. Trata-se, ainda, de estimular a aventura das palavras a partir do contato com uma miscelânea de poemas. Um estímulo, sobretudo, à oralidade, já que esta é a origem histórica e tradicional da poesia.
Com direção de Paulo Dourado e produção da Sole Produções, o espetáculo conta com a participação de um cantor convidado diferente em cada apresentação. Sempre com um som contemporâneo eletrônico que mescla elementos percussivos e tribais. "Às vezes os textos parecem rap, mas com uma riqueza sonora e de idéias que não é comum na maioria dos raps; outras vezes utilizamos bateria solo para acompanhamento ou castanholas em poemas eróticos", salienta o ator.
Valor do ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Ficha técnica:
Direção: Paulo Dourado e Jackson Costa
Ator: Jackson Costa
Direção Musical: Tadeu Mascarenhas
Textos: Gregório de Mattos, Castro Alves, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, José Delmo e Ramon Vane.
Músicos:
Teclado: Tadeu Mascarenhas
Baixo: Marcelo Velanes
Percussão: Sidney Argolo
Bateria: Thiago Nogueira
Guitarra: Tico Marcos
Roadie: Cláudio Tatuzão
Direção de Produção: Simone Carrera
Coordenação de Produção: Luciana Müller
Assistente de Produção: Fernanda Caymmi
Produção Local Aracaju: Solange Gomes
Fotografia: Nanci Viegas
Técnico de Iluminação: Luciano Reis
Técnico de sonorização: Caetano Bezerra
 (Com informações de Gabriel Monteiro)

sábado, 28 de setembro de 2013

Análise de pesquisa



Por Sérgio Oliveira

Em avaliação do governo Dilma temos: ótimo/bom (37%); regular (39%); ruim/péssimo (22%); ns/nr (1%); expectativa em relação ao governo Dilma: ótimo/bom (39%); regular (33%); ruim/péssimo (23%); ns/nr (5%); maneira de governar: aprova (54%); não aprova (40%); ns/nr (6%); confiança: confia (52%); não confia (43%); ns/nr (5%).
Aí a pesquisa é dividida em nove áreas de atuação e os resultados não tem nada a ver com os do item anterior, senão vejamos:
Educação: aprova (33%); não aprova (65%); ns/nr (2%)
Saúde: aprova ( 21%); não aprova (77%); ns/nr (1%)
Segurança Pública: aprova (24%); não aprova (74%); ns/nr (2%)
Combate Fome e Pobreza: aprova  (51%); não aprova (47%); ns/nr (2%)
Meio Ambiente: aprova (41%); não aprova (52%); ns/nr (4%)
Impostos: aprova (22%); não aprova (73%); ns/nr (5%)
Combate Inflação: aprova (27%); não aprova (68%); ns/nr (5%)
Taxa de Juros: aprova (23%); não aprova (71%)/ ns/nr (6%)
Alguns percentuais, somados, não dão 100%.
Somando os nove percentuais de aprovação, temos o total de 281 que, dividido por 9 = 31,22%
A soma dos nove percentuais de não aprovação totaliza 584 que, dividido por 9 = 64,89%
NS/NR totaliza 34 que, dividido por 9 = 3,78%
Quer dizer: uma parte da pesquisa parece nada ter a ver com a outra.
Sergio Oliveira, aposentado, é de Charqueadas-RS

Brasilidade em cada canto



Realizada pela primeira vez em um projeto assinado por 
Oscar Niemeyer, a edição 2013 da Casa Cor Minas estimula arquitetos a se voltarem para a rica produção 
da arte e do design brasileiros.
Poltrona de Sérgio Rodrigues e escultura de Sonia Ebling valorizam o luxo do design e da arte no Brasil em ambiente da arquiteta Estela Netto, na Casa Cor Minas
Visitar a Casa do Jardim, ambiente de Luís Fábio Rezende de Araújo na Casa Cor é uma excelente oportunidade de apreciar obras de grandes artistas brasileiros.
Fotos: Daniel Mansur

Datada do ano de 1953, a casa projetada para a família Dalva Simão, na região da Pampulha em Belo Horizonte, marca a história da Casa Cor como sendo o primeiro projeto de Oscar Niemeyer a receber uma edição do maior evento de arquitetura e decoração da América Latina. Para os profissionais participantes, a oportunidade de criar dentro de um espaço assinado pelo grande mestre da arquitetura foi vista como um privilégio e um incentivo à valorização de tantos outros nomes que fizeram e fazem a história da arquitetura, do design e da arte no Brasil.   
Responsável pela execução do Gazebo, a arquiteta Estela Netto foi uma das profissionais que optou por privilegiar o estilo e a riqueza dos elementos brasileiros em seu projeto. "Como a Casa Cor este ano está sendo feita numa casa projetada pelo Niemeyer, uma casa modernista, eu decidi fazer um projeto que tivesse relação com isso e que tivesse uma linguagem de arquitetura e design brasileiros. Portanto, buscamos usar elementos arquitetônicos e de design exclusivo de nomes consagrados do Brasil", observa a arquiteta. Partindo dessa premissa, ela não pensou duas vezes na hora de fazer a escolha do mobiliário. "O ambiente possui mobiliário do Sérgio Rodrigues, Jader Almeida e da Etel Carmona, que tem um móveis de luxo, feito com madeira certificada, que recebe beneficiamento e tratamento diferenciados", explica Estela, que também pensou em outros detalhes. "Ainda nessa linha de luxo e design brasileiro, pensei também em obras de arte. O ambiente possui obras da Sonia Ebling que é uma escultora muito conhecida, brasileira e que também nos remete à produção de arte, arquitetura e design no Brasil".
Quem também optou por apostar nas escolhas nacionais, foi o arquiteto Luís Fábio Rezende de Araújo, que executou a Casa do Jardim. "O mobiliário do meu ambiente conta com inúmeras peças do consagrado designer Jader Almeida e também com uma poltrona de Carlos Motta", revela. No espaço projetado por Luís Fábio, o mobiliário convive em harmonia com diversas obras de arte, entre quadros e esculturas, também assinadas por artistas brasileiros. "A Casa do Jardim é realmente uma casa recheada de obras de arte, quem visitar o espaço poderá apreciar obras de Frans Krajcberg, Leopoldo Martins, Rubens Ianelli, Ricardo Carvão Levy, Fernando Lucchesi, Barssotti, Erli Fantin e Fernando Velloso", enumera o profissional.
Para conferir o resultado final do Gazebo e da Casa do Jardim, visite a Casa Cor: Até 22 de outubro. Rua Alameda das Palmeiras, 444, Bairro São Luiz, Belo Horizonte.
(Com informações de Ana Paula Horta e Fernanda Pinho,daMão Dupla Comunicação)