*

*

sábado, 31 de agosto de 2013

Exemplo de torcedor


Fluminense de Bom Jardim, Delmer Guida (Fotos Luiz Tito), 58 anos, há 18 anos mora e trabalha no Macapá, capital do Amapá, Norte do Brasil. Torcedor do Botafogo desde os seis anos de idade, presidente da AmapaFogo, ele participou na tarde deste sábado, 31, do Feijão no Fogão, evento do Botafogo Sem Fronteiras e da Associação dos Botafoguenses de Feira de Santana, realizado no Sítio Campestre. Sua vinda foi incentivada pelos filhos que lhe deram a viagem de presente pelo Dia dos Pais. Delmer enfrentou 17 horas de viagem para chegar em Feira de Santana. Saiu na sexta-feira, 30, às 8 horas, de Macapá. Fez escalas em Belém-PA e Brasília-DF até chegar em Salvador, às 23h30.
Zootecnicista, ele é proprietário do Shopping Rural, que tem tecnologia e experiência em nutrição animal. Presta consultoria e assistência técnica em agronegócio.

Campestre Sítio aprovado




O Campestre Sítio Para Eventos, local onde foi realizado o Feijão no Fogão, evento do Botafogo Sem Fronteiras, na tarde deste sábado, 31, é um espaço cheio de beleza e tranqüilidade, com toda infra-estrutura necessária em área de 5.200 metros quadrados, situado na Estrada do Papagaio. 
Tem salão coberto, deck, camarim climatizado, apoio para crianças, parque infantil, lago com ilha, estacionamento.
Tanto a Doralice (Foto 1) quanto Dimas Oliveira (Foto 2) aprovaram o local.

O programa é "outros médicos"...



Eis que você está trabalhando numa prefeitura do interiorzão do Brasil - São Gabriel da Cachoeira-AM, onde o governo Dilma diz que "nenhum médico brasileiro quer ir", e recebe um comunicadozinho "simpático" desse (Foto: Reprodução), de um prefeito do PC do B, aliado de Dilma, rescindindo o seu contrato de forma abrupta, sem preocupação com a sua situação de chefe de família, de pai, de mãe... http://www.cearanews7.com.br/noticias/politica/pt-e-pcdob-sao-os-unicos-aliados-que-fecham-com-dilma-sobre-consulta-popular-para
Demitir médicos para dar lugar aos cubanos? Como assim???
Eis aí a verdadeira face deste programinha mentiroso do governo do PT. Das prefeituras e governos que apoiam o PT. O programa "Mais Médicos" tinha por fim contratar médicos para regiões em que não há médicos, e não para substituir médicos já contratados. Afinal, é "mais médicos", e não "outros médicos"...
Mais uma arapuca da presidAnta Dilmentirinha... dos prefeitos do PT e muita gente, por trás de interesses que não são o bem-estar estar da população.
Fonte: Tony Scostt - Facebook

Tarde Alvinegra




Na tarde deste sábado, 31, participação no Feijão no Fogão, evento do Botafogo Sem Fronteiras e da Associação dos Botafoguenses de Feira de Santana, realizado no Sítio Campestre. 
Torcedores alvinegros de Feira de Santana, Salvador, Brumado, Irecê, entre outras cidades baianas e até de Macapá, no Amapá. Presenças do "Furacão da Copa" Jairzinho, de Maurício, do presidente do clube Maurício Assumpção. 
Loja oficial do Botafogo foi instalada no espaço com vários itens para atender o torcedor do Fogão.

Túnel do tempo



Time de voleibol do Feira Tênis Clube nos anos 60: Em pé, Zé Raimundo, Palito, Jurinha e Peron. Agachados: Castelo, Gilberto e Paulinho.
Fonte: Perfil no Facebook de Gilberto Duarte

"Durante 18 meses, governo brasileiro deu treinamento a cubanos e não moveu uma palha levar médicos às áreas carentes do país"



Por Reinaldo Azevedo
Num debate havido no programa "Entre Aspas", da GloboNews, comandado por Mônica Waldvogel, o senador Humberto Costa (PT-SP) afirmou, com todas as letras, que o governo brasileiro vinha tratando da importação de médicos cubanos havia já um ano e meio. Escrevi um post a respeito na segunda-feira. Costa afirmou literalmente:
"Esse programa já vem sendo trabalhado há um ano e meio. Boa parte desses cubanos já trabalharam em países de língua portuguesa, não têm dificuldade com a língua. E, ao longo desse um ano e meio, eles vêm tendo conhecimento sobre o sistema de saúde no Brasil, doenças que existem aqui e não existem lá…"
Como se constata na fala acima, Costa não está a dizer que o programa estava sendo pensado apenas nos escaninhos da burocracia, que havia uma vaga ideia a respeito ou coisa, que, quem sabe?, o Brasil poderia fazer um dia. Nada disso!
O senador está a dizer que os cubanos "vêm tendo conhecimento sobre o sistema de saúde no Brasil, doenças que existem aqui e não existem lá…" O Estadão publica um texto informando que os cubanos vêm tendo aulas há seis meses.
Seis meses ou um ano e meio? Em qualquer dos casos, fica evidente que havia um programa secreto em gestação. Chegou-se a pensar por aqui que o governo tomou medidas meio atabalhoadas, pressionado pelas manifestações.
Costa, que deve conhecer o assunto porque é um petista graúdo e porque foi ministro da Saúde, afirmou que a coisa é bem mais antiga: remonta ao tempo em que a popularidade de Dilma estava lá nos cornos da Lua, e as ruas, pacíficas.
Seis meses ou um ano e meio? A diferença é, sim, relevante:
a: como, há um ano e meio, não havia a pressão (embora houvesse a necessidade) por mais médicos nos rincões do Brasil, isso sugere que a importação dos cubanos atendia mais a uma necessidade de Cuba do que do Brasil;
b: nesse um ano e meio, o Ministério da Saúde não moveu uma palha para atrair os médicos brasileiros para as áreas carentes. Por que não? Porque, afinal, havia um programa em curso;
c: os cubanos se espalham por praticamente todos os países da América Latina que hoje têm governos de esquerda. O Brasil, até havia pouco, era uma exceção;
d: cubanos ou brasileiros, os médicos que vão para essas áreas carentes terão de enfrentar um problema fundamental: a falta de infraestrutura.
A questão do tempo - se seis ou dezoito meses - só é irrelevante diante de uma questão óbvia: quando Alexandre Padilha, ministro da Saúde, anunciou, no mês passado, que o governo desistira dos médicos cubanos, ele estava contando o oposto da verdade.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

"É mentira que faltem leis para cassar parlamentares condenados; é que sobraram desídia e 'nonchalance'"



Por Reinaldo Azevedo
Vejam bem: não se chega a ter um deputado-presidiário por acaso. É preciso que muita gente se junte para fazer a coisa errada - ou para não fazer a coisa certa. É assim que surge um Natan Donadon. Os congressistas dizem agora que tentarão tomar medidas para impedir que o episódio se repita. Uma delas é votar na Câmara proposta já aprovada no Senado, que põe fim ao voto secreto em casos como cassação de mandato. O correto senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), um político sério, já apresentou uma PEC que estabelece a perda de mandato para parlamentares condenados em processo criminal, com sentença transitada em julgado. Tudo isso está sendo estudado para que a barbaridade não se repita. Ok. Mas não há como ignorar: nada disso seria necessário. Já hoje há caminhos para impedir esse absurdo. A condenação criminal implica perda de direitos políticos, conforme estabelece o Artigo 15 da Constituição. Essa mesma Constituição, no Artigo 55, autoriza a Mesa da Câmara a, nesse caso, simplesmente declarar a cassação, sem necessidade de passar pelo plenário - a menos que se admita que alguém pode ser parlamentar sem direitos políticos; a menos que se admita que, sem esses direitos, o indivíduo pode ser representante do povo. Tenham paciência!
Não é só isso. O artigo 92 do Código Penal está à disposição dos juízes. Ali se estabelece que condenação criminal em sentença transitada em julgado por crimes contra a administração pública e pena superior a quatro anos implica a perda de mandato. O dispositivo só não é autoaplicável. É preciso que conste da sentença condenatória. E pronto! Suponho que ninguém considere inconstitucional o Código Penal brasileiro.
Por que essas coisas são relevantes? Porque a desídia e a, se me permitem, nonchalance dos que podiam ter tomado, a seu tempo, a devida providência estão passando, agora, como se fossem fatalidades determinadas pela lei. Ora, Teori Zavascki disse com todas as letras que não vê incompatibilidade constitucional entre a condição de presidiário e de parlamentar. Explicitamente, não mesmo! Não há lá nada assim: "O parlamentar que for preso perderá o mandato…". A questão é de outra natureza: saber por que está preso. É por processo criminal? Se está preso, é quase certo que a sentença é superior a oito anos. A rigor, basta que o juiz, do Supremo ou não, se atenha ao Código Penal. Nem mesmo é necessário o tal ato declaratório da Câmara.
O Brasil tem, sim, alguns exotismos legais e mesmo constitucionais. O Artigo 55, combinado com o 15, não chega a ser um exemplo de clareza. Mas que não se venha agora atribuir à lei o que dependeu, isto é inescapável, da vontade dos homens. Os seis que decidiram remeter às respectivas Casas legislativas a prerrogativa de cassar ou não os mandatos dos condenados estavam entre duas alternativas que reivindicam o estatuto de constitucional. Entre as duas, escolheram a pior, a que faz mal ao Brasil. O mesmo se dará, lembro uma vez mais, quando chegar a hora de decidir se há ou não embargos infringentes. Caso decidiram que sim e caso o julgamento do mensalão fique para as calendas, trazendo consigo a impunidade, que ninguém venha dizer que isso se deve às leis ambíguas que temos. Não! Se isso acontecer, terá sido por vontade dos que votaram para que isso acontecesse.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Dia de Botafogo Sem Fronteiras

Botafogo realiza neste sábado, 31, em Feira de Santana, mais uma edição do evento Botafogo Sem Fronteiras - Feijão no Fogão. Já estão na cidade  os ídolos Mauricio, herói do título carioca de 1989, e Jairzinho, Furacão da Copa de 70. O presidente do clube  Mauricio Assumpção também está presente para participar do evento. A Associação dos Botafoguenses de Feira de Santana com a torcida Feira Fogo participa.
É através do Botafogo Sem Fronteiras que o clube pretende se conectar de forma permanente ao torcedor e alcançar a melhor base de sócios do Brasil. União de forças para fazer o Botafogo crescer ainda mais.
O Botafogo Sem Fronteiras consiste na 'invasão' alvinegra que engloba todas as ações do clube, promovendo os principais ativos e ao mesmo tempo difundindo símbolos, taças, ídolos e toda nossa gloriosa história. A principal novidade fica por conta do programa de sócio-torcedor Sou Botafogo.
Agora, os participantes do evento receberão uma carteirinha personalizada e experimentarão as vantagens de ser sócio-torcedor do Botafogo durante um mês de graça na categoria Sem Fronteiras!
SERVIÇO
Botafogo Sem Fronteiras - Feira de Santana Data: 31/8 Horário: 12 horas Local do evento: Sítio Campestre - Bairro Papagaio. BR 116 Norte (destino ao Centro Arquidiocesano).

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Educadora empossada na Academia de Educação de Feira de Santana.



Em sessão solene (Fotos: Divulgação) realizada na terça-feira, 27, no Auditório da Associação Comercial e Empresarial, a Academia de Educação de Feira de Santana empossa o seu primeiro membro correspondente, a professoa Leda Jesuino dos Santos. Uma sessão altamente rica, não só pelas ilustres presenças, mas também pelas peças discursivas, todas elas dignas de serem publicadas.  Além dos membros da Academia de Educação, estavam presentes o vice-prefeito Luciano Ribeiro, um dos filhos da  professora Leda, Paulo André Jesuino, representando a família,  Presidente da Academia Baiana de Educação, professor Astor Pessoa e vários membros daquela  Academia,  dentre outros participantes.  
O vice-presidente da Academia, Geraldo Leite, foi o primeiro a discursar, apresentando a justificativa da sua indicação para que a professora Leda Jesuino fosse convidada a integrar a Academia, na condição de Membro Correspondente. Relembrou a trajetória da educadora, escritora e poetisa, que ao lado de Isaías Alves e Thales de Azevedo, conheceu os encantos da vida acadêmica e mergulhou na Educação, na Metafísica e na Filosofia, entregando-se à vontade de servir.
Em seguida, o acadêmico Josué Mello saudou a mais nova confreira, em nome da Academia de Educação, num pronunciamento que encantou a todos pela forma poética com que descreveu a professora Leda Jesuino, a quem denominou de “a dama da Educação na Bahia”. E disse: "A senhora evidencia para nós, pelo seu viver, que é possível construir uma caminhada limpa e pura, com dignidade e ética, ser amiga e solidária, cristã, serviçal, comprometida com as causas do bem, do belo, do justo, sempre disponível aos apelos sociais e educacionais". 
O terceiro orador, o acadêmico Edivaldo Machado Boaventura, fez o seu pronunciamento, citando a importância da professora Leda Jesuino no cenário educacional da Bahia, destacando as várias instituições onde a mesma já atuou, em algumas  delas na condição de fundadora,  as missões realizadas, as experiências acumuladas (a sabedoria),  os livros publicados, a poesia, a crônica, dizendo tratar-se de uma educadora que integra a série de mulheres líderes da educação na Bahia e que permanece ávida na busca do conhecimento, na busca do saber e na busca de Deus. 
Finalmente, a professora Leda Jesuino inicia o seu discurso, dizendo sentir-se comprometida emocionalmente diante das palavras proferidas pelos ilustres oradores, onde, a seu ver, predominou a afetividade,  agradecendo a cada um deles.  Disse ainda sentir-se honrada com as presenças, motivo que a faz mais vigorosa no momento em que precisou reunir  equilíbrio emocional para agradecer.  Palmilhou toda a sua trajetória pessoal e profissional e voltou o olhar para a educação fazendo uma viagem nas concepções e nos contextos educacionais, com análises críticas da educação brasileira no panorama moderno. 
Uma verdadeira aula, proferida por uma verdadeira educadora que permanece "lúcida na forma de entender e interpretar" e "sábia na ciência de ensinar e de gerir" e faz da educação uma missão que não tem fim, porque não aceita aposentadoria.  
Também usaram da palavra o presidente da Academia Baiana de Educação professor Astor Pessoa, saudando a presidente de honra daquela Casa e finalmente a presidente da Academia de Educação de Feira de Santana, professora Anaci Paim, que agradeceu as honrosas presenças, enaltecendo a figura da acadêmica correspondente, que vem agregar valores  à Academia de Educação. Falou ainda da satisfação para a Academia em receber, também, na condição de correspondente, os grandes educadores já eleitos, professor Astor Pessoa, professora Zilma Parente de Barros  (relatora do parecer que aprovou o funcionamento da Universidade Estadual de Feira de Santana) e o ex-governador da Bahia Roberto Santos. A posse desses acadêmicos será ainda agendada. 
Fonte: Academia de Educação de Feira de Santana 

Região Metropolitana de Feira de Santana conta com população estimada de 732.754 habitantes



A Região Metropolitana de Feira de Santana, que ainda não saiu do papel, com a cidade pólo e seus cinco municípios passa a contar este ano com a população estimada de 732.754 habitantes, com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Município                                  2010         2013
Feira de Santana                  566.642   606.139
São Gonçalo dos Campos    33.283     36.641
Conceição do Jacuípe           30.123     32.761
Amélia Rodrigues                   25.190     26.477
Conceição da Feira                 20.391    22.226
Tanquinho                                  8.008       8.510
Total                                      683.637   732.754

O modelo adotado pelo IBGE para estimar os contingentes populacionais dos municípios brasileiros emprega metodologia onde se observa a tendência de crescimento populacional do município, entre dois Censos Demográficos consecutivos, em relação a mesma tendência de uma área geográfica hierarquicamente superior.
O método requer a existência de uma projeção populacional, que leve em consideração a evolução das componentes demográficas (fecundidade, mortalidade e migração), para uma área maior que o município, quer dizer, para a Unidade da Federação, Grande Região ou País. Desta forma, o modelo matemático desenvolvido estaria atrelado à dinâmica demográfica da área maior. Em síntese, o que a metodologia preconiza é que: se a tendência de crescimento populacional do município entre os Censos for positiva, a estimativa populacional será maior que a verificada no último levantamento censitário; caso contrário, a estimativa apontará valor inferior ao último Censo.

Rotary inscreve jovens para intercâmbio no exterior


Até o dia 6 de setembro, o Rotary International inscreve estudantes de Feira de Santana e região para seleção de intercambistas. Os jovens vão morar cerca de um ano no exterior e frequentar uma escola local, possibilitando o aprendizado de uma nova língua e contato com a cultura do país anfitrião, que pode ser de diversos continentes conforme a disponibilidade de vagas.
O programa é aberto a estudantes entre 15 a 16 anos de idade (até a data de inscrição), com bom desempenho escolar, que sejam atuantes na comunidade e possuam certas qualidades, como facilidade de adaptação e disposição para enfrentar novos desafios. O intercambista mora em casas de famílias de rotarianos ou de pessoas indicadas por eles, além de ser acompanhado pelo Rotary Club local durante toda a viagem. 
Os candidatos precisam ser indicados por um Rotary Club local, preencher o formulário de inscrição e participar de uma seleção. Junto com suas famílias serão entrevistados pessoalmente. 
Em Feira de Santana, para conhecer mais sobre o programa e as condições do intercâmbio, o responsável pela família do candidato ao intercâmbio deve manter contato com Joildo Nascimento Oliveira, através do telefone 3221-1720.


"Defender com unhas e dentes"



Por Leonel Kaz

Abre aspas.
1. Vamos defender, com unhas e dentes, nossos "direitos" adquiridos, adquiridos sim!, com recursos públicos para satisfazer interesses pessoais.
2. Vamos defender os gastos com necessidades próprias inquestionáveis e relevantes, como gasolina para jatinhos e compra de caviar para governadores.
3. Vamos defender que não sejamos jamais investigados pela emissão de notas fiscais da empresa que for, na data que for, com validade para todos os meses do ano, pois precisamos manter despesas superiores a nossos salários.
4. Vamos defender nossas reuniões secretas e votos secretos e acordos secretos. E ainda as despesas secretas em viagens de nossa Presidente e seu vice.
5. Vamos defender parentes e familiares para quem distribuímos empregos públicos, sem nenhum concurso, visando preservá-los e aos seus descendentes, pagando sempre salários acima do teto.
6. Vamos defender nossos auxílio-paletó, auxílio-refeição e auxílio-viagem (hospedados no Copacabana Palace e Hotel Emiliano, a exemplo de nossos pares), já que estamos sempre a serviço, os 365 dias do ano, mesmo no Carnaval em Cuba.
7. Vamos (nos) defender contra esta garotada que sai em manifestações, pois o que querem é nos tirar as benesses que sempre tivemos, como construir fundações maranhenses com nosso próprio nome e com dinheiro público.
8. Vamos defender as emendas legislativas que permitem "comprar" votos de cabresto de nossos rincões, fingindo que construímos aqui, acolá alguma obra em benefício do povo.
9. Aliás, vamos continuar fingindo sempre, trocando seis decretos por meia-dúzia de outros decretos, como a que transforma corrupção em crime hediondo…
10. Vamos defender nossos acordos de gaveta, nossas comissões de propinodutos e nossas comissões de inquérito que não dão em nada.
Fecha aspas. Este abaixo-assinado foi firmado por inúmeros deputados federais, deputados estaduais e vereadores.
Publicado no blog de Leonel Kaz, no site de VEJA

"Pelas barbas de Fidel"



Destaque em Cuba no Granma, jornal oficial do governo: "Médicos cubanos oferecem serviços (ao Brasil) por solidariedade e amor à vida". Especialmente a dos parentes deles na ilha, faltou dizer, claro.
Fonte: Cláudio Humberto

Sem segunda vez


"Pela primeira vez população de Feira de Santana supera 600 mil habitantes", dizem jornalistas. E o município vai ter segunda vez nesta questão?

Constatação


Em Feira de Santana existe imprensa mal escrita e mal falada. Uma constatação verdadeira. E que não é de agora. 

"O líder das manhãs"


Enviado por TV Record Bahia

Democrata lamenta legado do PT para a Bahia


"Uma pergunta que não quer calar: por que a Bahia é o único Estado do Nordeste que vai ter pedágio na BR-101 e o último trecho da rodovia no país a ser duplicado?", questiona o vice-presidente estadual do Democratas, Heraldo Rocha (Foto: Valter Pontes), ao tomar conhecimento da realização do leilão da estrada federal, marcado para outubro.
Para Rocha, o tratamento discriminatório e prejudicial do governo petista com a Bahia reflete a ingratidão a um povo que majoritariamente votou em Lula e Dilma. "Na ilusão de que tendo também um governador do PT haveria benefícios para o estado, o eleitor baiano ainda elegeu Jaques Wagner duas vezes para infelicidade geral da população".
O dirigente democrata lamenta o legado do PT para a Bahia. "O que cresceu foi a violência, o caos da saúde e a falta de qualidade na educação em nosso Estado". Na opinião de Heraldo Rocha, o eleitorado baiano vai saber dar a resposta merecida aos ingratos petista no ano que vem. "As eleições de 2014 serão o início de um novo tempo".
(Com informações da Assessoria do Democratas Bahia)

"A quem pode interessar a não cassação do deputado condenado? quem faz parte do quarto grupo?"

Por Cesar Maia
Ao levantar a cena do crime, Sherlock Holmes perguntava sempre a Watson, seu auxiliar: "A quem pode interessar?". Esta é a pergunta que deve ser feita. A lista dos que não compareceram ou estavam presentes e não foram votar traz algumas impressões digitais. 
Os ditos de esquerda  - PT e amigos - porque anteciparam o cenário que terão quando da cassação dos companheiros João Paulo Cunha e Genoíno. A decisão do presidente da câmara de deputados de não votar mais cassações até que o voto deixe de ser secreto, paradoxalmente, dá a eles um instrumento para esses casos: não votar isso até o final dos mandatos, em dezembro de 2014. Claro, há também o baixo clero, sempre solidário com..., o baixo clero. Há também os tementes a condenações. Esses dois grupos, com a cobertura dos deputados do PT que não votaram, se sentiram com força para se "solidarizar" a eles. Mas há um quarto grupo que precisa ser submetido à lupa de Sherlock Holmes: os que apostam na desestabilização. Para os donos de currais eleitorais, tanto faz a opinião pública. Quanto mais rejeição consciente à política, maior a chance de eles se reelegerem. E, junto a eles, os que apostam na desestabilização, pela esquerda ou pela direita. A investigação sobre a importância de cada grupo deve continuar. Mas identificar sinais do quarto grupo –os desestabilizadores- é fundamental neste momento.
Fonte: "Ex-Blog do Cesar Maia"

Editora Dsop participa da Bienal do Livro


Enviado por Divulgação Dsop

Deu em Claudio Humberto


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Especialmente chique


Materiais simples, usados de forma sustentável, 
são a solução para compor ambientes charmosos, 
sofisticados, criativos e, sobretudo, ecológicos
O deck do ofurô foi desenvolvido pelas próprias designers por meio de cabos de vassoura. As quatro luminárias de PVC teve trabalho do artista plástico pernambucano Márcio Oliveira
 Fotos: Gustavo Xavier

Quase todo mundo já escutou, ao menos uma vez na vida, o lema 'menos é mais'. Hoje, com cada vez mais pessoas adotando o estilo de vida sustentável, esse conceito se torna ainda mais forte.  Na decoração, esse é o ideal buscado pelos profissionais em seus projetos. Se antes a ostentação e o consumo exagerado eram sinônimos de luxo, agora aqueles que conseguem unir à tríplice: beleza, conforto e natureza são considerados elegantes. Não somente isso, são estimados por conseguir tudo isso gastando menos e respeitando o meio ambiente, sem abrir mão de tecnologia e praticidade.
Contudo, para conseguir um ambiente com tantos atributos, é necessário planejamento e pesquisa, além, é claro, de muita criatividade. As designers de interiores Fabiana Visacro e Laura Santos, da VS Design, demonstraram muito talento ao elaborarem um projeto que une todos esses predicados de forma charmosa. O trabalho das profissionais está exposto na mostra Morar Mais Por Menos que leva o mote 'o chique que cabe no bolso'. Trata-se da elegante Sala de Banho.
Um dos itens que mais chama a atenção no espaço projetado por Fabiana e Laura é o deck do ofurô que apresenta solução alternativa. "Aplicamos um verniz em cabos de vassouras e as utilizamos como acabamento do deck. Parece bambu, mas são cabos de vassouras", contam.
As designers não economizaram nas ideias criativas e sustentáveis. Além do deck do ofurô, elas conseguiram um efeito impressionante na Sala de Banho ao lançarem mão das luminárias de PVC rendadas. "Durante três meses, o artista plástico Márcio Oliveira trabalhou em cima dos tubos de PVC para transformá-los em lindas luminárias. Depois de lixar os tubos, o artista faz os desenhos das folhas e com uma broca de aço de 1,5mm vai dando forma as figuras. É um trabalho minucioso e muito delicado. Iluminamos esses tubos com lâmpadas de LED, que são mais econômicas. O resultado ficou muito bonito e romântico. E o melhor disso tudo está na economia desses materiais e na valorização do artesanato", ressaltam.
Para conferir a Sala de Banho projetada pela VS Design, basta visitar a mostra até 29 de setembro, no endereço: Engenheiro Bady Salum, 315, Mangabeiras, Belo Horizonte/MG. 
(Com informações de Ana Paula Horta e Fernanda Pinho, da Mão Dupla Comunicação)


Nos tempos em que Feira tinha movimento teatral



Nos anos 60 e 70, Feira de Santana tinha movimento teatral - hoje não tem mais.
No fértil período, foram montadas peças de autores nacionais e até internacionais como: "Toda Donzela Tem um Pai Que É uma Fera", de Gláucio Gil; "O Cão Siamês de Alzira Power", de Antonio Bivar; "Greta Garbo, Quem Diria, Acabou no Irajá", de Fernando Melo; "O Assalto", de José Vicente; "As Criadas", de Jean Genet; "Morte e Vida Severina", de João Cabral de Melo Neto; "Os Inimigos Não Mandam Flores", de Pedro Bloch; "Os Justos", de Albert Camus; "Viúva, Porém Honesta", de Nelson Rodrigues; "A Revolução dos Beatos", de Dias Gomes; "A Guerra Mais ou Menos Santa", de Mario Brasini; "O Patinho Preto", de Walter Quaglia; "Só Faraó Tem Alma", de Silveira Sampaio; "Apareceu a Margarida", de Roberto Athayde; "Eles Não Usam Black-Tie", de Gianfrancesco Guarnieri; "Pluft, o Fantasminha", de Maria Clara Machado; "Piquenique no Front", de Fernando Arrabal, entre outras.
O quadro atual é desolador.

Filmes em Exibição no Orient Cineplace



 Período de 30 de agosto a 5 de setembro
LANÇAMENTO NACIONAL


SE PUDER... DIRIJA!, de Paulo Fontenelle, 2013. Com Luís Fernando Guimarães, Leandro Hassum, Lavínia Vlasak, Bárbara Paz, Reynaldo Gianecchini e Gabriel Palhares. Comédia. João, pai ausente de Quinho e ex-marido de Ana, é manobrista em um estacionamento ao lado de Ednelson. Ele precisa dar um jeito para fugir do trabalho e ir se encontrar com o filho, pois havia prometido à ex-mulher passar o dia com a criança. A solução que ele encontra é pegar o carro de uma fiel cliente do estacionamento. Classificação: Livre. Duração: 84 minutos. Horários: 13h20, 15h20,17h20, 19h20 e 21h20. Em 3D. Sala 4 (264 lugares)
LANÇAMENTO

FLORES RARAS, de Bruno Barreto, 2013. Com Gloria Pires, Miranda Otto, Marcelo Airold e Treat Williams. Drama. O relacionamento lésbico entre a brasileira Lota de Macedo Soares, idealizadora do Parque do Flamengo, e a americana Elizabeth Bishop, considerada uma das maiores poetisas da língua inglesa. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 116 minutos. Horários: 19 horas e 21h30. Sala 2 (160 lugares).
CONTINUAÇÕES
OS INSTRUMENTOS MORTAIS: CIDADE DOS OSSOS (The Mortal Instruments: City of Bones), de Harald Zwart, 2013. Com Lilly Collins, Jamie Campbell Bower, Jared Harris, Jonathan Rhys Meyers e Lena Headley. Ação. Jovem presencia um misterioso assassinato, mas ela não sabe o que fazer porque o corpo da vítima sumiu. Para piorar a situação, sua mãe desapareceu e precisa sair em busca dela em uma Nova York diferente, repleta de demônios, magos, fadas, lobisomens. Ela conta com ajuda de amigos. Cópia dublada. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 130 minutos. Horários: 13 horas, 15h40, 18h20 e 21 horas. Sala 1 (243 lugares).
GENTE GRANDE 2 (Grown Ups), de Dennis Dugan, 2013. Com Adam Sandler, Chris Rock, Kevin James, David Spade, Salma Hayek, Maria Bello, Maya Rudolph e Taylor Lautner. Comédia. Quatro amigos voltam a se reunir em um fim de semana com suas esposas, na pequena cidade onde eles cresceram. Desta vez, eles vão aprender valiosas lições com seus filhos em um dia cheio de surpresas. Em terceira semana. Cópia dublada. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 101 minutos. Horários: 14h40 e 16h50. Sala 2.
PERCY JACKSON E O MAR DE MONSTROS (Percy Jackson and the Sea of Monsters), de Thor Freudenthal, 2013. Com Logan Lehman, Rosário Dawson e Uma Thurman. Aventura. Percy Jackson e seus amigos estão na busca do Velocino de Ouro, o único artefato mágico capaz de proteger o Acampamento Meio-Sangue da destruição. Em terceira semana. Cópia legendada. Classificação livre. Duração: 108 minutos. Horários: 14h10, 18h50 e 21h10. Sala 3 (167 lugares).
OS SMURFS 2  (The Smurfs 2), de Raja Gosnell, 2013. Com Neil Patrick Harris e Hank Azaria. Animação e live action. O feiticeiro Gargamel continua determinado em roubar a essência dos Smurfs. Ele cria duas pequenas criaturas que são muito semelhantes às criaturas azuis. No entanto, as suas semelhanças físicas não são suficientes para os aproximar da misteriosa essência dos Smurfs. Em quinta semana. Classificação: Livre. Duração: 105 minutos. Horário: 16h30. Sala 3.
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)



"Cubanos presos, aqui e lá"



Por Carlos Alberto Sardenberg
O problema não é que sejam médicos, muito menos cubanos. O problema é o método de contratação, que convalida grave violação de direitos humanos.
Importar trabalhadores é normal. Importam-se, por exemplo, os melhores profissionais, para agregar conhecimento e expertise às práticas locais. Ou se traz um tipo de trabalhador que não se encontra no país importador. Ou ainda pessoas que topam salários e serviços que os locais não aceitam.
Este é o caso da importação de médicos pelo governo brasileiro. Tanto que os estrangeiros só poderão exercer um tipo de medicina e apenas nos lugares para os quais foram designados. Não vieram para transmitir alguma ciência ou prática nova. O médico de família e o atendimento básico não são novidades por aqui.
Mas são insuficientes, diz o governo. É um argumento. As entidades médicas brasileiras, portanto, não têm razão quando se opõem à importação em si.
Ocorre que a história não termina aí. Tão normal quanto a importação de trabalhadores é a exigência de qualificação - algum tipo de avaliação do profissional estrangeiro para saber se atende às necessidades nacionais. Todos os países fazem isso.
Portanto, o governo brasileiro pode abrir uma espécie de concurso internacional para contratar médicos. Mas, primeiro, eles têm que passar por prova de capacitação, como passa qualquer brasileiro quando entra para qualquer serviço público. Segundo, esse mercado deve ser livre.
Assim: o país importador oferece a oportunidade e dá as condições de trabalho, os estrangeiros, pessoalmente, se candidatam, fazem os testes e assinam o contrato. Esse documento, obviamente, pode ser rescindido. Imagine que o médico chega numa cidade remota e verifica que não tem a menor condição de atender. Ou não recebe o salário acertado. Ele pode retirar-se e rescindir o contrato. Inversamente, se começa a fazer besteira, o governo, o contratante, pode afastá-lo.
E se o médico, afinal, achar que entrou numa fria, e que sua família não se adaptou - ele pode pegar um ônibus, ir até o aeroporto mais próximo e embarcar, com seu passaporte e o de seus familiares, de volta para casa. Ou para Miami.
Essa é a situação dos médicos argentinos ou portugueses. Não é, obviamente, o caso dos cubanos. Estes não têm o contrato de trabalho com o governo brasileiro ou outra entidade local, não recebem salário brasileiro, não têm o direito de desistir, têm passaporte que só dá direito de voltar a Cuba, não têm, pois, a liberdade de deixar o Brasil e ir para qualquer lugar que desejarem.
São funcionários do governo cubano, destacados para trabalhar no Brasil - sob as regras contratuais do regime cubano, uma ditadura. E não poder trazer a família, que permanece refém em Cuba, sem poder viajar para o Brasil ou para qualquer outro lugar - isso é de uma violência sem limite.
Os médicos ficam presos no Brasil, suas famílias, em Cuba. Parece exagerado, mas é a pura verdade. Tanto que o governo brasileiro foi logo avisando os doutores cubanos que não tentem fugir ou pedir asilo, porque serão presos e deportados.
Por isso, não vale a comparação com empresas brasileiras que levam trabalhadores brasileiros para suas obras em outros países. Os brasileiros foram livremente e podem voltar ao Brasil (ou qualquer lugar) quando quiserem.
Tudo considerado, o governo brasileiro pode importar médicos, mas não praticar a violação de direitos humanos embutida no contrato dos cubanos. Os médicos brasileiros podem exigir provas de validação dos estrangeiros. Mas não podem hostilizar pessoalmente os cubanos. Tirante os militantes, a situação pessoal deles é penosa.
O governo brasileiro mentiu várias vezes nesse episódio. Em maio último, o então chanceler Patriota havia dito que se preparava a importação de 6 mil cubanos. Dada a reação ruim, o ministro Padilha disse que o governo havia desistido do projeto. Agora, assim de repente, aparecem 4 mil médicos preparados para vir ao Brasil.
O governo apenas aproveitou o momento para lançar o Mais Médicos, com esse propósito principal de trazer os cubanos. Com marketing: quem pode ser contra a colocação de médicos em lugares carentes? Por outro lado, a presidente Dilma comprou uma briga feia com os médicos brasileiros, caracterizados como ricos insensíveis no discurso oficial e aliado. Uma ofensa, claro, mesmo considerando que há médicos que não cumprem suas obrigações. A grande maioria está aí, ralando.
Finalmente, e se algum cubano entrar, por exemplo, na embaixada dos EUA e conseguir refúgio, o que fará o governo brasileiro?
Carlos Alberto Sardenberg é jornalista.
Fonte: "O Globo"

Mais compartilhamento



Corre no Facebook

Compartilhando



Fonte: Movimento Contra Corrupção

Supremo mantém pena de quase 11 anos de prisão para José Dirceu



O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira, 29, rejeitar o recurso e manter em 10 anos e 10 meses a pena de prisão estipulada para o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado por formação de quadrilha e corrupção ativa no processo do mensalão.
Por maioria de votos (oito a três), todas as alegações apresentadas por Dirceu foram rejeitadas. Os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello foram os três que defenderam atender parte dos pedidos do ex-ministro, mas ficaram vencidos.
Durante julgamento no ano passado, a Corte entendeu que ele foi o "mandante" do esquema, que consistiu no pagamento a deputados para que votassem a favor de matérias de interesse do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A decisão de rejeitar o recurso de Dirceu foi tomada no julgamento dos chamados embargos de declaração – recursos que servem para contestar omissões, contradições ou obscuridades no acórdão (documento que resumiu as decisões tomadas durante o julgamento). Na véspera, o Supremo já havia rejeitado, por unanimidade, o recurso do deputado federal José Genoino (PT-SP), condenado a seis anos e 11 meses de prisão.
Ao defender a manutenção da pena de José Dirceu, Celso de Mello disse que nada "se mostra mais lesivo aos valores que informam ordem republicana" que a formação de quadrilha por "altos dirigentes governamentais" interessados em "corromper o poder".
Fonte: G1

Inauguração do Intor



A Clínica do Ombro está convidando para a inauguração do Instituto de Traumatologia, Ortopedia e Reabilitação (Intor), que será realizada na segunda-feira, 2 de setembro, às 19 horas, na rua Aristides Novis, 206, Kalilândia. "Sua presença é muito importante para nós", diz o convite.

"Blog da Feira" suspenso



No Facebook questionei Jânio Rego: quem acessa o 'Blog da Feira' vê mensagem que "está temporariamente suspenso por motivos administrativos". O que houve? 
Ele respondeu: "Problemas Dimas Oliveira, problemas, mas está sendo resolvido". 
Até o momento desta postagem, às 18h55, o "Blog da Feira" está fora do ar.

Feira de Santana com 606.139 habitantes



Reprodução de 3 metros x 1,5 metro está afixada na Feira Cópias

Feira de Santana passou de 556.642 habitantes (2010), para 606.139 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes a 1º de julho deste ano, publicados n
a edição do "Diário Oficial da União", desta quinta-feira, 29.
Feira de Santana continua como a 15ª cidade mais populosa do Brasil, excetuando-se capitais. É a 34ª cidade mais populosa do país, entre todas. Segunda cidade da Bahia e segunda cidade não-capital do Nordeste - a primeira é Jaboatão dos Guararapes-PE, com 675.599 habitantes.
Feira tem mais habitantes que oito capitais:
Cuiabá-MT - 569.831 
Porto Velho-R0 - 484.992 
Florianópolis-SC - 453.281
Macapá-AP - 437.255
Rio Branco-AC - 357.194
Vitória-ES - 348.265 
Boa Vista-RR - 308.996
Palmas-TO - 257.903.
Fonte: Página Oficial de José Ronaldo no Facebook