Clique na imagem

*

*
Clique na logo para ouvir

*

*

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Várias soluções, num pacote só


Quem vai comprar um apartamento já consegue adquirir uma morada sustentável e econômica. Construtoras investem em empreendimentos com soluções que reduzem o impacto no ambiente e os gastos com manutenção no fim do mês
Ecologicamente correto, o ecogranito não exige o corte de rochas já que aproveita os resíduos gerados pelas jazidas de extração do granito
O ecogranito tem uma consistência pastosa. Com a aplicação de um primer, esta pasta é aplicada sobre a superfície a ser coberta e, depois de seca, aparenta uma chapa de granito bruto. É necessário apenas um dia e somente um funcionário para a sua aplicação
O ecogranito tem as mesmas características de resistência e durabilidade do granito o que permite aos clientes economizar com manutenção
Fotos: Osvaldo Castro
Uma pesquisa desenvolvida recentemente pela União para BioComércio Ético (UEBT) em sete países mostrou que 84% dos entrevistados deixariam de comprar um produto caso a marca não respeitasse o meio ambiente. Diante dessa realidade, empresas oferecerem produtos cada vez mais ecologicamente corretos. Na construção civil, por exemplo, construtoras já apresentam ao mercado apartamentos com soluções que reduzem o custo de manutenção do prédio e o impacto no ambiente.
Peterson Querino é diretor da Construtora Casa Mais, marca que investe na sustentabilidade e alia esse recurso à economia. Ele explica como isso é possível: "Em todos os nossos empreendimentos é indissociável pensar no ambiental e pensar no benefício que nosso cliente terá. Trabalhamos sempre com o tripé produto sustentável x qualidade x custo para o cliente. Isto é possível com a padronização da maioria de nossos materiais. Este ganho de escala é repassado para nossos clientes".
A construtora utiliza várias opções alternativas que são menos poluentes e ainda amigas do bolso dos clientes. O ecogranito, tecnologia inovadora voltada para o revestimento de elementos de vedação e estruturais é um desses sistemas. "Este produto reduz muito o impacto no meio ambiente. Além disso, como tem boa durabilidade, o cliente terá baixo custo com manutenção no futuro", conta o diretor.
Além disso, a Casa Mais também adotou outra solução que tem agradado: a fachada de vidro. "Além de ser esteticamente mais bela, essa alternativa é econômica. O vidro deixa que a iluminação natural entre por mais tempo no ambiente, assim, ele fica mais iluminado e as luzes artificiais podem ser acesas um pouco mais tarde", salienta Peterson.
O diretor da construtora cita mais exemplos. "Instalamos medidores individuais de água em nossos empreendimentos. Essa medida gera em média economia de 40% na conta de água, segundo Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (Aabic). Também optamos por sensores de presença nas áreas comuns. Eles mantêm as luzes acesas enquanto alguém ocupar o ambiente. De acordo com o tempo programado, as luzes são apagadas automaticamente após alguns minutos. Estes dispositivos geram economia significativa de energia elétrica. Ações como estas têm resultado imediato no impacto ambiental e, claro, no bolso do consumidor".
(Com informações de Ana Paula Horta e Fernanda Pinho, da Mão Dupla Comunicação)

Nenhum comentário: