Istoé/Sensus: Aécio lidera com 54,6% das intenções de voto e abre 9,2 pontos contra Dilma

O candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), aparece com 54,6% das intenções de voto no último levantamento Sensus/Istoé, considerando os votos válidos, contra 45,4% da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição. A diferença é de 9,2 pontos percentuais, o equivalente a cerca de 12,8 milhões de votos. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Com a totalidade dos votos, Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%; 11,9% (aproximadamente 12,8 milhões de eleitores). A consulta entrevistou 2 mil pessoas em 24 estados e em 136 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01166/2014.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Devolução de valor de IPTU pago em duplicidade não é feita pelo desgoverno do prefeito Tarcízio Pimenta

O contribuinte que pagou em duplicidade a cota única do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de Feira de Santana, em 9 de abril deste ano, continua sem receber o que tem direito do governo do prefeito Tarcízio Pimenta (PDT). 

A dois úteis do fim do desgoverno do prefeito Tarcízio Pimenta, relembra-se mais uma vez o caso contado pelo Blog Demais, em mais de uma postagem, no dia 17 de abril, contribuinte descobriu que pagou em duplicidade o valor atribuído ao seu imóvel. O filho que mora no domicílio recebeu o carnê e quitou. Ele, que não recebeu carnê de outro imóvel onde reside, pagou as duas cotas com emissão de segunda via pela Internet.

Com a descoberta do pagamento em duplicidade, ele deu entrada no protocolo da Secretaria da Fazenda de solicitação de restituição do valor pago duas vezes. Passados mais de oito meses, o status nesta quarta-feira, 26, continua como "em andamento". A solicitação está empacada no Departamento de Contabilidade desde 24 de julho. O valor é de R$ 112,50. 
Assim, a triste constação de que se o desgoverno do prefeito Tarcízio Pimenta não está fazendo nem devolução de dinheiro - quantidade irrisória - pago a mais, pagar aos inúmeros credores?

Nenhum comentário: