No Aprisco

No Aprisco

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Tarcízio Pimenta nas Baraúnas

Depois de caminhada por entre ruas e vielas das Baraúnas e da Galiléia está acontecendo neste momento comício da coligação "Feira Vai Continuar Princesa", na avenida Riachuelo, a principal do populoso e popular bairro. Uma animada multidão aguarda a palavra do prefeiturável Tarcízio Pimenta. O prefeito José Ronaldo e candidatos a vereador residentes no bairro já fizeram seus pronuncamentos.

"Palhaçada do Amor" no Festival de Teatro Infantil

Zeus Oliveira (Pirulito) e Ângelo Máximo (Pipoca) em "Palhaçada do Amor"
Divulgação




A Cia Teatral Nós Por Exemplo, de Feira de Santana, apresenta o espetáculo infanto-juvenil. “Palhaçada do Amor”, nesta segunda-feira, 6 de outubro, no Teatro Ângela Oliveira do Centro de Cultura Maestro Miro, às 16 horas, e no dia 10 seguinte, no Teatro Municipal Margarida Ribeiro, às 9 horas, dentro da programação do1º Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana, que será realizado de 6 a 12 de outubro.
“Palhaçada do Amor” estreou em 27 de março deste ano, no projeto do Serviço Social do Comércio (Sesc) “Viva o Circo”. Atualmente prossegue com o seu projeto itinerante “O Teatro Vai à Escola”, dentro das escolas públicas, particulares e adjacências do ensino fundamental de Feira de Santana. Além das escolas e teatros o projeto é também desenvolvido, em animações de festas infantis, festivais de teatro e circos.
“Palhaçada do Amor” conta a história de dois palhaços que fogem de um circo. Um quer deixar de ser palhaço, quer ter outras profissões; o outro foge em busca do amor de uma bailarina que o trocou por um animador de festas infantis.
Os palhaços Pirulito e Pipoca se conhecem nessa fuga e além de palhaçadas, querem fazer outras atividades, estimulando assim a criatividade, a lógica, a imaginação da mente infanto-juvenil, propiciando à criança uma atividade totalmente voltada para um divertimento lúdico e de participação, através de brincadeiras, estórias contadas, adivinhações, dança, música, jogos dramáticos etc. É a historia da criatividade, da indagação, da mudança e da evolução.
O espetáculo “Palhaçada do Amor” também estará fazendo uma temporada de apresentações em novembro, todos os sábados e domingos, às 16 horas, no Teatro Municipal Margarida Ribeiro.
O texto é Carlos Augusto Nazareth, com adaptação e direção de Roberval Barreto. No elenco: Zeus Oliveira (Pirulito) e Ângelo Máximo (Pipoca). A direção musical é de Solange Targino e os cantores são Isaias Ribas e Roberval Barreto.Tem trabalho de corpo de Marcos Caribé. Roberval Barretro também atua como operador de luz e Elizama Santos como operadora de som.
NÓS POR EXEMPLO
Esta companhia teatral surgiu em 2004 da formação de uma oficina de Iniciação Teatral e montou o espetáculo “Pedro Malazarte”, da autora Maria Helena Kuiner. Fundada por Roberval Barreto tem como proposta popularizar o teatro através de preços módicos e se apresentar em locais não convencionais, como praças, escolas etc.
Em 2005, montou o espetáculo “As Tranças de uma Careca”, inspirado em "A Cantora Careca", de Ionesco e atualmente está em cartaz, se apresentando todos os anos no projeto "O Teatro Vai aos Bairros", da Prefeitura Municipal, através da da Fundação Cultural Egberto Costa.
O grupo está ensaiando o espetáculo “Capitu, Capitu, Capitolina”, baseado no livro "Dom Casmurro", de Machado de Assis, também no projeto itinerante “O Teatro Vai à Escola” para as escolas de nível médio e superior.

Geraldo Leite palestra sobre vida e obra de Dival Pitombo




A vida e a obra de Dival da Silva Pitombo foi o tema da terceira sessão pública da Academia de Educação de Feira de Santana, com palestra proferida pelo acadêmico Geraldo Leite (fotos, divulgação), no Instituto de Educação Gastão Guimarães, na quinta-feira passada, dia 25 de setembro.
Um público de aproximadamente 150 pessoas assistiu a um verdadeiro documentário contendo lembranças agradáveis, acontecimentos, fatos e até episódios inusitados envolvendo a trajetória de Dival Pitombo em sua ânsia de inserir um novo cenário em Feira de Santana, algo além do progresso econômico, o cenário da arte e da cultura.
Apresentando um conteúdo rico em detalhes, intercalado com músicas eruditas, clássicas e também do folclore brasileiro, Geraldo Leite destacou várias personalidades, filósofos, escritores, intelectuais e artistas de renome, nacional e internacional, que fizeram parte da vida do homenageado, e contribuíram para o crescimento cultural desta cidade.
Uma aluna do Gastão Guimarães recitou o poema de autoria do homenageado, intitulado "O Ciclo", enquanto que Denise Caribé, juntamente com um grupo de professoras aposentadas daquele educandário, entoaram o "Hino ao Gastão Guimarães", cuja letra também é de autoria de Dival Pitombo.
Foi uma homenagem digna do ilustre patrono que nomeia a cadeira número 4 da Academia.
Ao final da sessão, foi inaugurada a exposição itinerante com a biografia dos onze patronos. Um visual bonito, aliado à riqueza da biografia daqueles personagens que dedicaram suas vidas à causa da educação em Feira de Santana. A exposição foi doada à Academia pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), que na oportunidade foi homenageada com o título de Colaborador da Acefs, através do seu diretor professor Heraldo Moraes da Silva. A exposição deverá permanecer na biblioteca do Gastão Guimarães até o dia 14 de outubro, quando será transferida para outro local público.
A presidente da Academia, professora Anaci Paim, em suas palavras finais, convidou a todos para o I Seminário Nacional de Educação a ser realizado em 15 de outubro, Dia do Professor, com o tema "Indicadores de Qualidade da Educação Básica". O Seminário terá a participação dos Conselhos Nacional, Estadual e Municipal de Educação, do Compromisso Todos pela Educação e do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes.
Prossegue a Academia cumprindo a sua agenda, dentro do Plano de Ação previamente aprovado. A próxima sessão pública está marcada para 27 de novembro, quando a acadêmica Yara Cunha irá apresentar a vida e obra do patrono da cadeira número 1, Alice de Oliveira Costa.
(Com informações de Marilene Carneiro Barreto, secretária da Acefs)

Sem divulgação por conveniência

Uma pessoa da família foi entrevistada nesta terça-feira, 30, para uma pesquisa do Ibape, como informou a entrevistadora. Depois de tomar informações para um perfil sócio-econômico, perguntou "em que candidato a prefeito votaria nas eleições?", "em qual candidato que não votaria?" e quis saber "como avalia o governo do prefeito José Ronaldo?".
Deve ser uma dessas pesquisas de "consumo interno" de partidos da oposição, que não são divulgadas porque não são favoráveis aos candidatos do PMDB, PSDB e PT.
É sempre assim. As pesquisas divulgadas são desacreditadas e as feitas sob encomenda não têm números revelados, pois similares.

Tarcízio Pimenta termina campanha mantendo o alto nível


























































































Candidato do Democratas quer
vencer no primeiro turno

"Micareta ou Carnaval?", se perguntavam na noite de segunda-feira, 29, militantes e candidatos a vereador que acompanharam Tarcízio Pimenta em caminhada pelos bairros Chácara São Cosme, seguindo pela rua Papa João XXIII, em direção ao Areal, quase nas proximidades com o Tomba.
Nos braços do povão, o candidato do Democratas à Prefeitura de Feira de Santana foi literalmente arrastado da Chácara ao Areal, sempre bastante assediado pelos moradores destas localidade, identificados com a história do menino pobre que com muito esforço superou as dificuldades impostas pela vida e se transformou num médico humanitário, com toda a sua formação iniciada e concluída em escolas públicas.
Fazendo um balanço da sua campanha, Tarcízio realçou o caráter propositivo da sua mensagem, com ênfase em projetos que segundo o democrata colocarão Feira de Santana na perspectiva dos desafios futuros, "o que será possível graças aos investimentos estruturantes que foram implantados no município, na gestão de José Ronaldo de Carvalho.
"Vamos avançar, pois não é hora de ficarmos olhando pelo retrovisor da história. Quem nos deixou, nos deixou: é passado. Vamos seguir com José Ronaldo que ele continua com a gente. Eu tenho a minha história de trabalho e de luta; a história de um filho da terra que humildemente quer o voto do seu povo para dar continuidade a um trabalhoa dministrativo que é reconhecido e admirado por todos", disseTarcízio.
EM ALTO NÍVEL
O prefeito José Ronaldo lembrou o nível da campanha do seu candidato, pontuando que em nenhum momento, no horário gratuito do rádio ou da TV, foram lançados programas com teor difamatório ou com o intuito de atingir a honra dos demais adversários.
(Com informações de Jorge Magalhães e fotos de ACM)

Nova temporada de "Um Caso de Língua"

A peça "Um Caso de Língua", da Cia Teatro, tem temporada no Teatro do Sesi - Rio Vermelho, em Salvador, a partir de sexta-feira, 3 de outubro até 30 de novembro, sempre de de sexta-feira a domingo.
"Um Caso de Língua" é um espetáculo que, sem didatismos, alia divertimento e informação, mostrando um desenho dos diversos aspectos que forjaram o idioma nacional. É através da criação de tipos pitorescos e seus falares que o ator Urias Lima se colocou sob a direção de Carmem Paternostro para trazer ao público este seu segundo trabalho solo. Sem perder o tom observador-mordaz sobre a diversidade da língua nacional, o ator faz desfilar diante do espectador inúmeros aspectos da riqueza prosódica do português falado no país. “Nossa língua é pluralista, vai além da comunicação, porque informa, agrega, identifica e socializa, sem equivalente em nenhum outro país de língua portuguesa”, diz Urias que, também é autor do projeto ganhador do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2007.
O trabalho é fruto de mais de quatro anos de anotações, leituras e também de cuidadosa pesquisa sobre a origem da língua falada no país. O espetáculo faz um mosaico da formação do Português Brasileiro, a partir das influências de três matrizes lingüísticas: africana, portuguesa e tupi.
A peça usa como suporte a música “Língua”, de Caetano Veloso, para ressaltar a importância deste valioso patrimônio cultural brasileiro que - segundo o ator - nos amalgama como Nação. A construção do discurso do espetáculo também se utiliza de textos de Luis de Camões e lingüistas brasileiros, a exemplo de Marcos Bagno, como também de fragmentos de artigos de Gero Camilo e Fabrício Carpinejar, colhidos em revistas de grande circulação. Com poemas de Vinicius de Morais e Carlos Drummond de Andrade, os textos são costurados por uma trilha sonora que vai de Aldir Blanc a Arnaldo Antunes e Racionais MCs.
A peça
Dá para imaginar uma versão baiana da criação do mundo? Pois é nesse tom que o espectador de "Um Caso de Língua" vai sendo introduzido nas variações de alguns falares da língua nacional e suas origens. Daí para falar dos baianos ilustres é só um detalhe, todos eles desfilam garbosos em citações que lhe são popularmente atribuídas. Nesse passo, como não poderia deixar de ser, em se tratando de uma versão baiana de criação do mundo, nem o diabo deixa de aparecer na história. Claro, se criaram o mundo tem que haver céu e inferno com diabo e tudo!
Senha dada ao público é hora de escolher, por exemplo, a palavra “bunda” para brincar com as matrizes lingüísticas que formaram o falar brasileiro. “Poucas pessoas se dão conta de que a palavra “bunda” (uma preferência nacional) tem origem no dialeto banto. A bunda brasileira, com a qual requebramos nas festas populares é uma herança lingüística e genética da África”, explica Urias Lima. De fato, a palavra deriva de “mbunda”, segundo o estudioso Antonio Risério. E para quem leu Drummond nunca é demais lembrar que a nossa bunda foi objeto de poema homônimo do grande poeta.
Mas nossa língua não se contenta com a África somente e corre atrás dos indígenas e se apropria de palavras como Jacaré, Jaguar, Paraná, Ipanema, Carioca, Mogi-Mirim, Itamaraty, Itararé, Aracaju, Sergipe, Coaraci, Tapioca, Maracanã, Maracujá, Jaburu, Juriti, Siriema etc. “Se retirarmos o que há de tupi na língua portuguesa ninguém se comunica. A língua portuguesa no Brasil desaparece. É isto que reclama diversos lingüistas. Nossos filhos aprendem na escola uma língua portuguesa, que não é portuguesa. É brasileira”, diz Urias.
A conclusão é de que o português falado no Brasil é uma língua híbrida. Quando chegou à costa brasileira em 1532, porque em 1500 os portugueses descobriram o Brasil e só retornaram 32 anos depois, o português era formado por 160 mil verbetes. Hoje a Língua Brasileira tem 240 mil verbetes. Ou seja, português de Portugal, só palavras que nos fornecem condições jurídicas, políticas e didáticas.
A direção do espetáculo está a cargo da diretora e coreógrafa Carmen Paternostro, conhecida pela excelência plástica e vigor corporal que costuma imprimir em seus espetáculos. Carmen Paternostro, que volta a dirigir após um período dedicado às aulas de mestrado em dança, tem espetáculos marcantes no currículo como "Merlin ou a Terra Deserta", de Tankred Dorst; "Dendê e Dengo", de Aninha Franco; "Os Negros", de Jean Genet; "Lágrimas de Um Guarda-Chuva", de Eid Ribeiro, dentre outros. A diretora, que sempre dirigiu grandes elencos, retorna conduzindo, pela primeira vez, um trabalho individual.
Em seu segundo trabalho solo, o ator Urias Lima, conhecido na cena teatral baiana por espetáculos como "Os Negros", de Jean Genet, com a mesma diretora, e "Comédia do Fim - IX Montagem", do Núcleo de Teatro do TCA, prêmio Braskem de Melhor Espetáculo Adulto em 2003, sob direção de Luiz Marfuz, cita ainda as várias coincidências que permeiam a estréia do seu projeto em 2008, ano em que os assuntos lusófonos estão na ordem do dia: discussões sobre a reforma ortográfica, bicentenário da chegada da família real no Brasil, aniversário de 400 anos do padre Antonio Vieira e a XIII Montagem do Núcleo do TCA que prepara espetáculo com abordagem semelhante, já que baseado no romance "O Triste Fim de Policarpo Quaresma", de Lima Barreto.
A produção é de Selma Santos Produções e Eventos Ltda
(Com informações de Agnes Cajaiba, de Selma Santos Produções e Eventos)

"Não dá mais para ter um prefeito adverso"

"Com Sérgio (Carneiro) na Prefeitura vamos poder ampliar o acesso da população de Feira deSantana, porque as prefeituras são as executoras das ações na área de saúde e educação. Não dá mais ter um prefeito adverso às políticas públicas que o presidente Lula vem aplicando em todo país", pontuou o secretário Jorge Solla, durante caminhada do prefeiturável petista no Sobradinho, na noite de segunda-feira, 30.
A consideração do secretário da Saúde revela de voz própria o que todo mundo em Feira de Santana sabe: que está dificultando as ações na área, prejudicando a população porque o prefeito José Ronaldo de Carvalho é de oposição ao Governo do Estado e ao Governo Federal.

Até os cegos são usados

Um grupo de cegos atendidos pelo Centro de Apoio Pedagógico aos Deficientes Visuais da Fundação Jonathas Telles de Carvalho está sendo usado pela Professora Gorette (Maria Gorette Carneiro Cerqueira), candidata a vereadora pelo Partido Verde (PV) no horário eleitoral gratuito da televisão.

"Pura Política" e a campanha de Feira de Santana

No site "Pura Política" (www.purapolitica.com.br), do jornalista João Andrade Neto, de Salvador, a nota "Pesquisa: Sérgio cai. Petista cai e Colbert começa a reagir", que dá os números da pesquisa da Compet, divulgada por Renato Ribeiro no programa "Rádio Repórter".
Também traz o seguinte comentário:
Muitos boatos e comentários na cidade dão conta que o candidato Sérgio Carneiro (PT) passa por um momento crítico de sua campanha, além das “divergências com o publicitário Duda Mendonça, a Malagueta, agência de sua campanha. O candidato está com problemas da campanha anterior, quando disputou as eleições de deputado federal e se elegeu”. Chegam informações ao nosso site, que o deputado “não teria honrado compromissos da campanha anterior, e não foram poucos, a que disputou para deputado federal”. Além das centenas de reclamações de correligionários que teriam apoiado Sérgio em diversas cidades do estado e que hoje “Sérgio os abandonou”.

Chegam equipamentos da cúpula do Teatro Virtual





























Material tem peso bruto de quatro toneladas e veio dos Estados Unidos de navio















Imagens da chegada dos equipamentos da cúpula do Teatro Virtual
Fotos: Basílio Fernandez
A tela de projeção em formato circular com 13 metros de diâmetro do Teatro Virtual, primeira etapa do Museu Parque do Saber, procedente dos Estados Unidos, foi desembarcada na segunda-feira, 29, em Feira de Santana. São quatro caixas com estruturas metálicas e peças de alumínio e cobre, com micro-furos de 2 milímetros, além de galões de tinta especial para pintura da parte interna da cúpula.
Também chegaram suportes que servirão para sustentar as caixas acústicas que serão distribuídas pela cúpula do Teatro Virtual. Todo o material tem o peso bruto de quatro toneladas, divididas em quatro caixas de sete metros de cumprimento.
Esses equipamentos foram adquiridos pelo Governo Municipal sob encomenda, há cerca de oito meses, tempo em que foi produzido pela Artco-Tec Manufaturing, Inc., em Canal Fulton, Ohio. Trata-se de equipamentos específicos para a sala de 13 metros de diâmetro - nos outros cinco planetários existentes no mundo com o ZKP4 Quinto, a cúpula é de 12 metros de diâmetro.
Devido às dimensões das caixas com a carga, a Prefeitura não encontrou transporte aéreo nos Estados Unidos. O material saiu de trem de Canal Fulton, na região centro-oeste do país, para o Porto de Nova York, onde em navio mercante fez viagem de 32 dias para o Porto de Santos, de onde veio, de carreta para Feira de Santana, com percurso durando dois dias.
Assim, todos os equipamentos para a montagem final do Teatro Virtual já se encontram no local. Primeiro, de Jenna, Alemanha, vieram os equipamentos do ZKP4 Quinto, constituídos de projetor equipado com feixe de fibras óticas, computadores, sistema de som, além de cabos e conexões.
Técnicos norte-americanos
Ainda nesta semana chegam os técnicos norte-americanos, junto com instrumentos e ferramentas, para a montagem da cúpula. De São Paulo chegam 60 metros de andaimes especiais, conforme especificação da empresa, para o serviço.
Para essa montagem os técnicos dos Estados Unidos utilizarão feixes de laser para a colocação das chapas onde serão projetadas as imagens, visando maior perfeição. O ambiente para o serviço de montagem encontra-se em fase final da colocação de revestimento acústico, necessário para atendimento de exigências da Carl Zeiss, empresa alemã onde foi adquirido o ZKP4 Quinto. A previsão é que a equipe leve cerca de 15 dias no processo de montagem da cúpula.
O auditório será refrigerado com 21 graus 24 horas por dia, pois as chapas de alumínio da cúpula, de 1,5 milímetro de espessura, não podem sofrer variação térmica.
Após essa montagem da cúpula, começam a ser instaladas por técnicos da Kastrup, de Curitiba, Paraná, as poltronas feitas por encomenda para o auditório do Teatro Virtual. Elas apresentam variação de inclinação, dando maior conforto aos espectadores. São 160 poltronas colocadas em formato circular.
Depois, a vez da chegada dos técnicos alemães da Carl Zeiss, para a montagem do ZKP4 Quinto, levando cerca de 20 dias para completar o serviço. A estimativa de abertura do Teatro Virtual é em meados de novembro.

Pela liberdade da imprensa




"Nenhum país está imune à crise"

O senador José Agripino (DEM-RN) criticou as declarações de autoridades do governo brasileiro que procuram amenizar a gravidade da crise financeira que atinge os mercados mundiais. Para o líder da Oposição, "país nenhum está imune à crise" e insinuar o contrário "é uma falta de responsabilidade". Na tarde desta segunda-feira (29), a turbulência se agravou diante da rejeição, pelo Congresso norte-americano, do pacote de salvamento no valor de US$ 700 bilhões para socorrer as instituições financeiras. As bolsas de valores do mundo todo despencaram. A Bovespa fechou em queda de 9,36%. O ministro da Fazenda do Brasil, Guido Mantega, porém, disse, em entrevista à imprensa, acreditar que o pacote de salvamento ainda será aprovado. O ministro também voltou a reforçar sua confiança na economia nacional. Na avaliação do líder do Democratas, no entanto, o problema é mais grave. “As commodities vão entrar em colapso, o que vai prejudicar muito a economia. O Brasil é, hoje, uma economia globalizada, que está em interface com o mundo todo. Tem mais é que ficar muito antenado”, disse Agripino.
(Com informações do "Blog 25: Democratas" e da Agência Senado).

O que faz um vereador?

Em Feira de Santana, 323 candidatos a vereador disputam nas eleições deste domingo, 5 de outubro, as 21 cadeiras - número da próxima legislatura - da Câmara Municipal. Todos 19 vereadores atuais são candidatos à reeleição e a estimativa é a de que cerca da metade não permaneçam na Casa. Atualmente, o salário de um vereador é de cerca de R$ 7 mil, brutos.
O que faz um vereador?
O vereador tem duas funções principais: fiscalizar as ações da Prefeitura e legislar. A segunda implica em analisar e votar, aprovando ou rejeitando, projetos de lei apresentados pelos próprios vereadores, pelo Executivo (Prefeitura) ou pela sociedade civil. O vereador, como parte de seu mandato, exerce suas funções também fora das salas do Legislativo, seja visitando as comunidades ou participando de discussões sobre temas municipais em eventos fora da Câmara.
Mas, em grande parte do tempo, estão nos gabinetes, nas comissões técnicas ou em plenário, onde são apreciados e votados a maioria dos projetos que podem se transformar em leis municipais. Do ponto de vista estrito da Constituição Federal, o vereador pode:
• Aprovar, emendar ou rejeitar o projeto de orçamento do município, que é de iniciativa do Executivo.
• Definir de que forma o solo urbano deve ser ocupado: altura dos prédios, uso residencial ou comercial etc.
• Fiscalizar permanentemente atos do governo – acompanhar e denunciar irregularidades da administração municipal ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público. Exemplo: acompanhar o resultado das licitações, empenho e pagamento das firmas contratadas; acompanhar como o dinheiro é aplicado e verificar a qualidade dos serviços.
• Criar normas gerais sobre concessão de serviços públicos.
• Conceder títulos de cidadania e de homenagem aos cidadãos.
E o vereador não pode:
• Alterar a estrutura administrativa da Prefeitura.
• Gerar despesa pública fora do orçamento.
• Legislar sobre assuntos de competência do Estado ou da União.

Lucidata MegaStore

Nesta quarta-feira, 1º de outubro, às 20 horas, coquetel de re-inauguração da nova Lucidata. O convite é para conhecer a tecnologia da primeira mega store de informática de Feira de Santana. Fica na avenida Getúlio Vargas, 441.

Paralisação de bancários prejudica candidatos aliados do governo

A cinco dias das eleições, os bancários de Feira de Santana, assim como de outras grandes cidades e capitais brasileiras, realizam nesta terça-feira, 30, uma paralisação de 24 horas. O objetivo é o de reabrir as negociações para o reajuste de salários e benefícios da categoria.
O grande transtorno causado aos clientes pode refletir domingo, 5 de outubro, nas urnas. A população deve reagir ao movimento, mesmo que a paralisação tenha motivo. Os bancários são ligados à CUT e ao PT. Quem se sente prejudicado e está indeciso em relação ao voto vai optar por candidato que não seja aliado do governo federal.
A paralisação é também um indicativo de greve por tempo indeterminado a partir do dia 8 de outubro, caso não haja novas negociações.
O cliente que tem conta que vence nesta terça-feira, 30, não terá o vencimento adiado e deve fazer o pagamento no prazo, nesta data. Para isso, a população deve procurar canais alternativos de atendimento, como caixas eletrônicos, Internet, casas lotéricas, agências dos correios e supermercados, telefone, que estão funcionando normalmente, possibilitando a realização de algumas transações.

Debate na TV Subaé e divulgação de pesquisa Ibope

A TV Subaé vai realizar debate entre os quatro prefeituráveis de Feira de Santana nesta quinta-feira, 2 de outubro. Em cinco blocos, tem início previsto para às 21h45, depois da novela "A Favorita", e não poderá passar da meia-noite. O mediador será da Rede Bahia.
Na mesma quinta-feira, antes do debate, no "BA TV 2ª Edição", a divulgação de terceira pesquisa pelo Ibope.

"O simbolismo da eleição na capital e Wagner"

Por Tasso Franco, no "Bahia Já":
O município de Salvador tem 20% do eleitorado da Bahia. Por sí só, não define a eleição estadual porque, numericamente, os 80% restantes estão espalhados nos 415 outros do território.
Ainda assim, a capital, além da sua dimensão eleitoral tem o simbolismo político.
A capital é espelho para onde convergem todos os baianos, principal pólo cultural e de negócios, centro aglutinador dos serviços, das excelências no ensino, na medicina, na engenharia, no jornalismo e assim por diante.
É onde reside o governador do Estado e se situam os órgãos principais dos outros poderes, o Tribunal de Justiça e a Assembléia Legislativa.
Daí que, uma vitória (ou derrota) em Salvador tem uma dimensão regional (e nacional) e conta muito nas eleições estaduais.
Nesta eleição, quando se confrontam os principais líderes políticos do Estado, o governador Jaques Wagner (PT), o ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) e o ex-governador Paulo Souto (DEM) tornou-se plebiscitária.
Nessa ciranda, a situação mais complicada é a do governador Jaques Wagner. Está, praticamente, na obrigação de colocar o seu candidato a prefeito, Walter Pinheiro (PT), no segundo turno, sob pena de amargar a maior derrota nacional do PT no país.
Geddel não teria muito a perder porque a essa altura da campanha já conseguiu fazer o impossível, tornar seu candidato João Henrique (PMDB), até pouco tempo com uma estratosférica rejeição e sem perspectiva de vitória, a uma competitividade impressionante. Já está no lucro. Se levar João ao segundo turno é a glória.
Souto também não teria muito a perder na medida em que, posto na oposição pela vontade do eleitorado, em 2006, vê, no momento, seu candidato com chances reais de chegar ao segundo turno, o que significa uma vitória diante do desmonte do antigo PFL, processo que se deu a partir de janeiro de 2007.
De sorte que, o problema maior está no colo de Wagner. Pinheiro tem dito e repetido várias vezes em seu programa que Lula é 13, o presidente; Wagner é 13, o governador; ele é 13, o candidato a prefeito que deseja chegar ao poder, em Salvador, para compor essa aliança num mesmo partido dos segmentos municipal, estadual e federal. Este é o maior teste que o governador Wagner está enfrentando desde que foi eleito em 2006. Dificilimo porque as pesquisas apontam um quadro de indefinições, sem que o candidato do PT, até agora, tivesse conseguido a tão propalada "virada".
Os componentes do processo estão demarcados e carimbados: vitória (ou derrota) de João, credite-se a Geddel; vitória (ou derrota) de Pinheiro, credite-se a Wagner; e vitória ou derrota de Neto, a Paulo Souto.
Daí o simbolismo de Salvador na perspectiva 2010 e todo empenho desses três líderes diante da eleição do próximo domingo, na velha Cidade da Bahia.

Faltam cinco dias para as eleições

Tire suas dúvidas sobre as regras que devem ser observadas na hora de votar
No próximo domigo, 5 de outubro, mais de 128 milhões de brasileiros vão escolher os novos 5.563 prefeitos e mais de 52 mil vereadores dos municípios brasileiros - em Feira de Santana o colégio eleitoral é de 346.593 pessoas aptas a votar. São quatro candidato a prefeito e 323 candidatos a vereador. A votação é das 8 às 17 horas, e o eleitor deve levar o seu título ou um documento oficial com foto, como a carteira identidade ou de trabalho.
O eleitor que não estiver na cidade em que vota no dia da eleição deve justificar a sua ausência em qualquer local de votação ou em postos de justificativa montados pela Justiça Eleitoral. A justificativa é feita por meio de formulário que será distribuído gratuitamente nos cartórios eleitorais e que estão disponíveis na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na Internet, desde o dia 27 de setembro. Os formulários também serão distribuídos nos locais de votação no dia da eleição.
Tire suas dúvidas:
1) O eleitor que não portar o título no dia da eleição pode votar?
Sim. O eleitor está apto a votar mesmo sem portar o título de eleitor no dia da eleição. No entanto, o eleitor deverá ir a seção que ele vota e levar um documento com foto para comprovar sua identidade. É proibido a apresentação de certidão de nascimento ou casamento com intuito de provar a identificação.
2) Quais documentos devo levar para poder votar?
Você precisa do seu título eleitoral. Se perdeu o título, o eleitor poderá votar com o documento de identidade ou com outro documento que tenha foto (certificado de reservista, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação, com foto, e identidades funcionais) e deve saber o número da seção eleitoral onde vota.
3) Qual é o horário de início e término da votação?
O recebimento dos votos começa às 8 horas e termina às 17
4) Quem tem preferência para votar no dia da eleição?
Terão preferência para votar os candidatos, os juizes eleitorais, seus auxiliares de serviço e servidores da Justiça Eleitoral,os eleitores maiores de 60 anos, os enfermos os portadores de necessidades especiais e as mulheres grávidas e lactantes.
5) O que eu faço se não puder comparecer à votação?
Se você estiver fora de sua cidade, justifique sua ausência, no dia da eleição, em qualquer local de votação ou posto de justificativa, entre 8 e 17 horas. Você deverá dirigir-se a qualquer cartório eleitoral ou Tribunal Regional Eleitoral para obtenção do formulário de requerimento de justificativa eleitoral. Com o formulário preenchido e seu título de eleitor, ou algum documento de identificação em mãos, você deve entregá-lo em qualquer local de votação. Se você estiver doente ou tiver qualquer outro problema, deve procurar o seu cartório eleitoral para fazer a justificativa até 60 dias depois das eleições, munido dos documentos que comprovem o motivo da ausência. Lembre-se que primeiro e segundo turno são eleições independentes, portanto, é preciso uma justificativa para cada votação. No caso do eleitor que estiver no exterior no dia da eleição, o prazo para fazer a justificativa é de 30 dias contados de seu retorno ao país.
6) O que acontece se eu não votar e não justificar a minha ausência?
O eleitor que não votar nem justificar sua ausência nos prazos determinados pela Justiça Eleitoral deverá pagar uma multa imposta pelo juiz eleitoral. Sem a prova de que votou, pagou multa ou de que se justificou devidamente, o eleitor não poderá:1. inscrever-se em concurso para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles, 2. obter passaporte ou carteira de identidade, 3. renovar matrícula em estabelecimentos de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, 4. obter empréstimos em estabelecimentos de crédito mantidos pelo governo, em autarquias, sociedade de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social. 5. participar de concorrência e praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda. Se o eleitor deixar de votar em três eleições consecutivas, seu título será cancelado.
7) O que é proibido de fazer no dia das eleições?
No dia da eleição é proibido usar auto-falante e amplificadores de som ou realizar comício ou carreata. Fazer boca de urna e divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos, por meio de publicações, cartazes, camisas, bonés, broches ou anúncios em vestuários. Desobedecer às normas consiste em crime eleitoral, com penalidade de detenção de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período e multa no valor de cinco mil a quinze mil Ufir, que equivale a R$ 5.325,00 e R$ 15.975,00 respectivamente.
8) O que posso levar comigo na hora de votar?
No recinto da mesa de votação o eleitor não poderá fazer uso de telefone celular, equipamento de radiocomuicação ou outro equipamento que possa comprometer o sigilo do voto.
9) Quem tem que votar?
Os alfabetizados maiores de 18 e menores de 70 anos são obrigados a votar. Para os jovens entre 16 e 18 anos, maiores de 70 anos, analfabetos e inválidos o voto é facultativo.
10) Alguém têm como saber em que candidato eu votei?
A urna eletrônica é um meio seguro de votação. Nem mesmo os juízes ou técnicos da Justiça Eleitoral têm como saber em quem os eleitores votaram. Não acredite, se algum candidato ou cabo eleitora, lhe disser que tem como saber em quem você votou. Isso é apenas uma forma de intimidação. O direito ao sigilo do voto é uma importante conquista – garantida até pela Constituição – e permite que você exerça sua cidadania votando, exclusivamente, com base na sua consciência.
11) Quanto tempo o eleitor pode ficar na cabina de votação?
Poderá permanecer na cabina o tempo necessário para exercer o seu direito/dever de votar, ou seja, indicando o número dos candidatos de sua preferência.
12) O eleitor pode pedir ajuda aos mesários na hora de votar?
Pode, mas somente quanto à maneira de votar. Aos mesários é proibido orientar o eleitor quanto às teclas numéricas que devem ser digitadas, não podendo, em hipótese alguma, ficar ao lado do eleitor, para que seja preservado o sigilo do voto.
13) Como fazer para votar em branco?
Basta pressionar tecla [BRANCO] e, em seguida, a tecla verde [CONFIRMA].
14) Em quais casos o voto é nulo?
O voto será nulo se o eleitor digitar um número de candidato ou partido inexistente e Apertar a tecla [CONFIRMA] [verde]. Para evitar esse problema, leve anotados os números dos seus candidatos.
15) Qual a conseqüência se você votar nulo?
Votar nulo representará a vitória do candidato que obtiver mais votos válidos. Assim, você poderá favorecer um candidato ruim pelo abandono de sua oportunidade de escolher conscientemente o seu representante. A não participação no processo eleitoral poderá acarretar uma realidade política prejudicial a todos.
16) Como votar só na legenda para vereador?
Basta digitar o número do partido e depois pressionar a tecla verde [CONFIRMA].
17) O voto é obrigatório nos dois turnos? Quem não votou no 1º turno pode votar no 2º?
Sim o voto é obrigatório nos dois turnos. Porém, o eleitor que não votou no primeiro turno deve justificar a ausência e votar normalmente no segundo turno.
18) Como vota o eleitor deficiente visual?
Nas seções onde previamente a Justiça Eleitoral foi informada de que há eleitor com deficiência visual, haverá fone de ouvido para que ele possa ouvir o que está digitando E, ainda, a urna conta com identificação numérica em braile em cada uma das teclas para facilitar a votação. É emitido também um rápido sinal sonoro após a digitação de cada tecla e um longo sinal ao final da votação.
19) E o analfabeto, como vota?
O voto do analfabeto é facultativo. Porém, caso queira votar e não saiba assinar, será colhida a impressão digital do seu polegar direito no caderno de votação. Assim, basta pressionar o número dos candidatos da sua preferência e, em seguida [CONFIRMA].
20) Quebrei meu braço. Como votarei e como assinarei?
Votará e assinará com a outra mão. Se não puder assinar, será colhida a impressão digital do seu polegar direito no caderno de votação. Se mesmo assim for impossível, o eleitor poderá justificar sua ausência, apresentando atestado médico até 60 dias após a data de cada eleição ao Juízo Eleitoral.
21) Quem pode permanecer no recinto da seção eleitoral?
· Os membros da mesa receptora de votos
· Os candidatos
· Um fiscal de cada partido ou coligação
· Um delegado de cada partido ou coligação
· O eleitor durante o tempo necessário à votação.
22) O que acontece com o eleitor que votar ou tentar votar por outro eleitor?
Responderá por crime eleitoral cuja pena, nesse caso, é de três anos de reclusão.
23) O que acontece com o eleitor que violar ou tentar violar o sigilo do voto?
Responderá por crime eleitoral, cuja pena é de até dois anos de detenção.
24) E se o eleitor só se lembrar do nome e não do número do candidato?
Na seção eleitoral estará afixada a lista completa com os nomes e números dos candidatos. É só consultá-la.
25) E se o eleitor digitar errado o número do seu candidato na hora de votar?
É só corrigir a operação usando a tecla laranja, e começar o processo novamente.
26) O que é considerado crime eleitoral no dia da eleição?
Promover desordem que prejudique os trabalhos eleitorais, com detenção até dois meses e pagamento de 60 a 90 dias-multa.Impedir ou embaraçar o exercício da votação, com detenção até seis meses e pagamento de 60 a 100 dias-multa. Violar ou tentar violar o sigilo do voto, com detenção até dois anos.

Pesquisas podem ser divulgadas no dia da votação

Os debates entre os candidatos na TV não podem ultrapassar a meia-noite desta quinta-feira, dia 2 de outubro, respeitando o horário oficial do município.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, explicou que o limite de 48 horas antes das eleições para a realização dos últimos debates entre os candidatos tem o objetivo de dar ao eleitor “uma folga psicológica, um tempo para refletir sozinho e sem mais influência externa, sem mais propaganda massiva” sobre a sua escolha.
“É preciso que o eleitor fique livre de interferência externa e, consigo mesmo, faça aquilo que é próprio do processo eleitoral. O eleitor se torna um desaguadouro de todo esse aparato, um funil de todo esse processo. O eleitor, que consultando seus próprios botões, sua própria consciência, escolhe seu candidato e vota tão livre quanto conscientemente”, afirmou.
Pesquisas de boca-de-urna
Não existe restrições a divulgação de pesquisa de boca-de-urna nas eleições municipais de 2008. Os resultados das pesquisas de voto realizadas no dia das eleições poderão ser divulgados a partir das 17 horas nos municípios em que a votação já estiver encerrada. Como este ano não haverá eleição para presidente da República, as pesquisas de boca-de-urna não enfrentarão as restrições impostas pela Justiça Eleitoral decorrentes das diferenças do fuso horário brasileiro. Já as pesquisas de intenção de voto, realizadas em data anterior ao dia das eleições, podem ser divulgadas a qualquer momento, inclusive no dia da votação, segundo resolução aprovada pelo TSE. A resolução estabelece critérios para o registro e divulgação de pesquisas eleitorais, como a obrigatoriedade, por ocasião da divulgação dos resultados, de informar o período de coleta de dados, a margem de erro, o número de entrevistas, o nome da empresa
(Com informações do Centrro de Divulgação da Justiça Eleitoral)

Vantagem de Tarcízio Pimenta atinge até mais de 61%




Na pesquisa da Compet, divulgada na segunda-feira, 29, por Renato Ribeiro no programa "Rádio Repórter", o gráfico comparativo entre os candidatos demonstra a vantagem de Tarcízio Pimenta (DEM) em relação aos seus três adversários na expectativa de vitória, com 61% (arredondado de 61,20%); no voto estimulado, com 52% (arredondado de 52,40%), e no voto espontâneo, com 39% (arredondado de 39,30%).

Independente de quem vai votar maioria (61,20%) do eleitorado acredita que Tarcízio ganha eleições

"Independente de quem você vai votar para prefeito, em sua opinião, qual desses candidatos vai ganhar as eleições?". Essa questão foi feita aos 847 eleitores entrevistados pela pesquisa de opinião pública realizada pela Compet e divulgada no programa "Rádio Repórter", pelo jornalista e radialista Renato Ribeiro, na Rádio Subaé, na tarde de segunda-feira, 29.
Para 518 entrevistados (61,20%) a expectativa de vitória favorece o candidato do Democratas Tarcízio Pimenta. Sérgio Carneiro (PT) fica com 13,90% (118 eleitores), Colbert Filho com 6,60% (56) e José Almeiri com 0,50% (quatro).

Todos dados de pesquisa favorecem Tarcízio Pimenta

O Blog Demais teve acesso ao relatório da pesquisa de opinião pública realizada em Feira de Santana pela Compet Pesquisas, Marketing, Treinamentos, nos dias 24 e 25 de setembro, e divulgada na segunda-feira, 29, pelo programa "Rádio Repórter", pelo jornalista e radialista Renato Ribeiro. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral e teve Denivaldo Fernandes como estatístico responsável.
Como foi amplamente divulgado, o prefeiturável Tarcízio Pimenta (DEM) aparece com 52,40% da intenção de voto estimulado ("Se a eleição para prefeito de 2008 fosse hoje e os candidatos estes, em quem você votaria?"). Dos 847 entrevistados, ele tem base de 444 eleitores.
No cruzamento por sexo e idade, no eleitorado masculino Tarcízio tem 55,90% nos eleitores de 16 a 25 anos; 52,24% de 26 a 35 anos; 50% de 36 a 50 anos; 53,40% de 51 a 65 anos; 66,70% no eleitorado de 66 anos a mais (total de 53,50%). No eleitorado feminino, os números são esses: 60,60% de 16 a 25 anos; 51,80% de 26 a 35 anos; 49,70% de 36 a 50 anos; 43,20% de 51 a 65 anos; e 47,84% no eleitorado de 66 anos a mais (total de 51,50%).
No cruzamento por ocupação, a melhor situação de Tarcízio Pimenta é entre professores, com 68%. A pior, entre empresários, com 12,50% - única situação onde leva desvantagem para Sérgio Carneiro (37,50%) e empata com Colbert Filho (12,50%).
No cruzamento por escolaridade, os números de Tarcízio são: analfabetos (56,80%), lê e escreve (56,50%), primeiro grau (55,80%), segundo grau (49,70%) e superior (37,74%).

Morosidade é característica do estilo petista de governar

Pela quinta vez o governo petista adia a entrega do Estádio Metropolitano de Pituaçu, em Salvador. A quinta data marcada foi dia 30 de setembro, esta terça-feira. Mas, a obra não está pronta e está adiada a abertura para data não definida. O que significa que o jogo Bahia X Corínthians será realizado em Feira de Santana, no Jóia da Princesa, em 18 de outubro, um sábado.

Grande apoio

O governador petista Jaques Wagner declara apoio até em Ibicoara (Sandra Vital, do PC do B), cidade de 15. 856 habitantes da Chapada Diamantina que tem candidato do PT, Gilmadson Cruz de Melo. Já em Feira de Santana só aparece em foto-montagem ao lado de Colbert Filho (PMDB) e Sérgio Carneiro (PT).

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Tarcízio diz que "povo vai dizer sim a quem trabalha"





































Candidato do Democratas luta para vencer a eleição no primeiro turno


A seis dias das eleições que vão revelar o nome do sucessor de José Ronaldo de Carvalho, o deputado Tarcízio Pimenta, candidato do Democratas à Prefeitura de Feira de Santana, continua com a agenda de reuniões e compromissos de campanha completamente tomada, o que tem exigido um esforço ingente do democrata para não deixar de comparecer a nenhum evento.
Entre sábado, 27, e domingo, 28, Tarcízio chegou a participar de uma caminhadano comércio de Feira, a pedido da juventude que o apóia, uma carreata no bairro Santa Mônica, além de mais duas grandes caminhada nos bairros Tomba, Horto e Conceição II.
Também no domingo, Tarcízio Pimenta e o prefeito José Ronaldo de Carvalho comandaram uma carreata que percorreu o distrito de Bonfim de Feira. Depois de levar a sua mensagem aos moradores dos povoados de Terra Nova, Santa Cruz, Gameleiras, Caboronga, e Morrinhos, Tarcízio foi recepcionado em ritmo de carnaval, em Bonfim.
TÁ CHEGANDO A HORA...
"Está chegando a hora da verdade e o povo de Feira vai dizer 'sim' a quem trabalha e a quem produziu para a nossa cidade. É chegada a hora do nosso povo responder aos oito anos de luta e de muito trabalho do governo José Ronaldo de Carvalho, período em que a nossa cidade encontrou o seu caminho e o seu destino, embora muitos poucos que não acreditavam que a cidade poderia se reerguer, preferiram abandoná-la, chegaram até mesmo a vender os bens que tinham, deram as costas para Feira e foram morar em Salvador", discursou o democrata.
Em pé, sobre a calçada da praça central de Bonfim de Feira, Pimenta relembrou a imagem negativa que a cidade experimentou, o descrédito e o caos administrativo que baixaram a auto-estima dos feirenses, e conclamou o eleitorado a refletir conscientemente, mas sem se esquecer do passado recente, "para não entrarmos em aventuras mergulhando em águas que a gente não conhece, pois não podemos nos dar mal novamente, e Feira de Santana não precisa que ninguém venha de fora para administrá-la", enfatizou.
ESTRANGEIRO LA RÁ, RÁ...
Em tom pausado, o prefeito José Ronaldo, que não tem medido esforços para estar junto de Tarcízio em todos os eventos de campanha, em jornadas iniciadas às seis da manhã e sem hora de encerrar, ponderou que o seu grupo político não foi a Bonfim de Feira para pedir voto para uma pessoa estranha, "mas alguém que tem serviço prestado nesta terra", disse.
Ele ressaltou, ainda, que está apoiando um homem do povo, e indagou, olhando a multidão na praça: "Será que ele não merece ser prefeito, só porque é de origem humilde e passou dificuldades? Eles não sabem porque não são gente igual a gente", respondeu Ronaldo.
Acompanhada pelo suplente de deputado federal Jairo Carneiro e pela suplente de deputada estadual Eliana Boaventura, a comitiva da coligação "Feira Vai Continuar Princesa" rumou para o distrito vizinho de Jaguara, onde participou da tradicional "Festa de Vaqueiro" da região.
FEIRA LIVRE
Nesta segunda-feira, 29, Tarcízio Pimenta e a militância voltaram ao Centro de Abastecimento. Bem descontraído entre feirantes, consumidores e personagens que já entraram para o folclore do Ceasa, Tarcízio abraçou e se deixou abraçar por todos, desde a saída da caminhada, ao lado da Euterpe Feirense, até finalizar o evento por volta de meio dia e meia, depoisde percorrer vários galpões colhendo mensagens de estímulo e reivindicações para tornar o Centro de Abastecimento "ainda mais pujante", como afirmou o candidato democrata.
(Com informações de Jorge Magalhães e fotos de ACM)

Nova pesquisa causa desespero em Sérgio Carneiro

A assessoria do deputado federal Sérgio Carneiro (PT), candidato à Prefeitura de Feira de Santana, divulgou a nota "Pesquisas fabricadas tentam mascarar a virada de Sérgio Carneiro".
No texto, considera que "se desenha a novidade de escolher um prefeito que seja parceiro do presidente da República, do governador e de um senador, filho da terra".
Afirma que é "a melhor chapa para que os feirenses possam escolher, com o PT, o PCdoB, o PDT, o PSB e o PSC".
Coloca que iniciada a campanha no rádio e na TV, "um novo quadro se desenhou e a cada semana a virada acontecia, com o claro crescimento da candidatura de Sérgio nas ruas. A vontade do povo falou mais alto e o segundo turno já é fato".
Considera que "o crescimento diário do candidato do PT provocou o desespero de adversários", que "ainda inconformados, lançam na mídia pesquisas fabricadas, que apenas atendem aos interesses de quem as encomenda, tentando manipular a opinião pública".
Por fim afirma que "Sérgio segue firme e forte na campanha, confiando na militância que sempre acreditou na caminhada para a vitória. A virada é agora e as políticas públicas do maior partido de esquerda da América Latina, o Partido dos Trabalhadores, que o Brasil e a Bahia confiaram, vai acontecer em Feira de Santana".
Blog Demais comenta:
- A "novidade" que ele quer para Feira de Santana não dá certo em Salvador com o prefeito João Henrique, irmão de Sérgio Carneiro, que tem os mesmos "parceiros" e ainda Geddeel Vieira Lima.
- Feira é conhecida como cidadela de resistência a governos.
- Afirmar que é a "melhor chapa" é simplesmente encher a própria bola.
- A tal "virada" ocorreu na pesquisa do Ibope, quando cresceu 6% com a aparição forçada de Lula em gravação.
- Por que desacreditar de pesquisa se se utiliza os dados favoráveis dela?
- Segundo turno em Feira de Santana é peça de ficção que o candidato tenta influenciar o eleitorado com manipulação da informação.
- "Desespero" é o que Sérgio Carneiro demonstra com uma nota como esta.
- A militância do PT está de braços cruzados, em "operação padrão", como o deputado estadual José Neto
- Por fim, Feira de Santana tem memória e conhece bem a história de Sérgio Carneiro.

Mais uma pesquisa indica vitória de Tarcízio no primeiro turno

Melhor cenário para os três adversários juntos tem percentual de 34,40%

Tarcízio Pimenta: indicação de vitória no primeiro turno em todas as pesquisas
Foto: ACM
O programa "Rádio Repórter", ancorado pelo jornalista e radialista Renato Ribeiro, na Rádio Subaé, divulgou na tarde desta segunda-feira, 29, pesquisa de opinião pública encomendada pela R. A. Comunicação Ltda e executada pela Compet Consultoria, Marketing e Treinamentos Ltda nos dias 24 e 25 de setembro.
Voto estimulado
Na intenção de voto estimulado para prefeito, a pergunta: "Se a eleição para prefeito fosse hoje e os candidatos estes, em quem você votaria?"
Tarcízio Pimenta (DEM): 52,40%
Sérgio Carneiro (PT): 18,20%
Colbert Martins (PMDB): 15%
Professor Almeri (PSDB): 1,20%
Indeciso: 4,10%
Branco/Nulo: 3,40%
Não sabe/Não opina: 5,70%.
Voto espontâneo
Na intenção de voto espontâneo para prefeito, a pergunta: "Se a eleição de 2008 fosse hoje, em quem você votaria para prefeito?"
Tarcízio Pimenta (DEM): 39,30%
Sérgio Carneiro (PT): 14%
Colbert Martins (PMDB): 11,60%
Indeciso: 7,70%
Branco/Nulo: 1,40%
Não sabe/Não opina: 26%.
Expectativa de vitória
Com a questão: "Independente de quem você vai votar para prefeito, em sua opinião, qual desses candidatos vai ganhar as eleições?"
Tarcízio Pimenta (DEM): 61,20%
Sérgio Carneiro (PT): 13,90%
Colbert Martins (PMDB): 6,6%
Professor Almeri (PSDB): 0,50%
Indeciso: 4,60%
Branco/Nulo 0,10%
Não sabe/Não opina: 13,10%.
Rejeição
Com a questão "Dentre esses candidatos há algum que você não votaria de jeito nenhum para prefeito?"
Professor Almeri (PSDB): 25,50%
Tarcízio Pimenta (DEM): 18,10%
Sérgio Carneiro (PT): 14,30%
Colbert Martins (PMDB): 14%
Indeciso: 2,40%
Branco/Nulo: 1,30%
Não sabe/Não opina: 24,40%.
Características
Foi adotada uma amostra estratificada por cotas, sendo repartida utilizando o método Probabilidade Proporcional ao Tamanho (PPT), com um total de 847 entrevistas, obtendo representatividade do município, envolvendo seus distritos e povoados. Os entrevistados foram moradores e eleitores do município de Feira de Santana, com idade superior a 16 anos. As entrevistas foram domiciliares. A margem de erro da amostra é de 3,40% com 95% de confiança.
A pesquisa foi registrada junto à Justiça Eleitoral na 154ª Zona Eleitoral, sob o número do protocolo 1323/2008, com o objetivo de investigar as opiniões/intenções e avaliações da população a respeito das eleições para prefeito no ano de 2008 do município.
Antes, foram realizadas e divulgadas pesquisas da Economic, DataQualy e Ibope (duas). Todas com números favoráveis ao candidato do Democratas.

Tarcizo

No programa do PT no horário eleitoral gratuito da televisão, na noite desta segunda-feira, 29, o senador João Durval Carneiro (PDT) apareceu citando o nome de Tarcízio por três vezes. Em todas, falou Tarcizo.

Feira tem 18 candidatos a vereador inaptos

Nas eleições municipais são 323 candidatos a vereador de Feira de Santana. Este número está considerado apto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Enquanto isso, 18 candidaturas foram consideradas inaptas pelo Tribunal.
São quatro candidatos do PSDC: Antônio Moreira, Elton Filho, Vado e Sônia Sandes; três pelo PSDB: Juquinha do Trenzinho, Danilo Bezerra e Chicão; três do PPS: Gambiarra, Baixinho de Colbert e Maria de Fátima; dois do PDT: Kareen Couto e Raimundo; uma do DEM: Conceição do Povo; um do PHS: Marquinhos Orea; um do PMDB: Renato o Popular China; um do PT: J. Costa; uma do PTN: Dra. Cristina Rosa; e um do PV: Quinho.
(Com informações no site do Tribunal Superior Eleitoral)

Processo contra candidatura de Fábio Lucena ainda não tem definição

No TSE registro de candidatura do vereador está como apto
Na sessão desta segunda-feira, 29, da Câmara Municipal, o vereador Fábio Lucena (DEM) voltou a falar sobre o pedido de impugnação de sua candidatura, feito pelo Ministério Público Eleitoral, através da promotora Patrícia Medrado.
Segundo o vereador, após perder duas vezes, na instância local e estadual (junto ao Tribunal Regional Eleitoral da Bahia), o MPE voltou a recorrer junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em busca da impugnação da candidatura do vereador.
"Apesar do parecer inicial ter sido favorável ao MP, o processo ainda será votado e não há uma definição do TSE sobre o caso. Como a minha candidatura foi aceita por unanimidade, quando o processo estava no TRE, eu acredito que não terei maiores problemas", explicou Fábio Lucena.
O Blog Demais consultou o site do TSE (www.tse.gov.br), no link Divulgação de Registros de Candidaturas, e o nome de Fábio Lucena está na situação apto. O vereador candidato à reeleição não está entre os 18 considerados inaptos.
DENÚNCIA
O vereador denunciou que existem candidatos divulgando que sua candidatura já foi cancelada, com o objetivo de ganhar mais votos e conseguir apoio das lideranças que o apóiam.
"Eu quero comunicar aos meus eleitores que não acreditem no que ouvem por aí, porque com certeza poderei concorrer normalmente às eleições. Eu acho um absurdo esta política de querer roubar votos de seus concorrentes com mentiras", afirmou o vereador.
Jair de Jesus (PSL), Maurício Carvalho (PR), Renildo Brito (PTC) e Roberto Tourinho (PSB) manifestaram apoio ao vereador e se posicionaram contra as práticas dos concorrentes. "Quero que saiba que, apesar de militarmos em posições opostas, tenho muito respeito pelo colega e desejo, sinceramente, que em 1° de janeiro de 2009, a cidade possa contar com o senhor de volta a esta Casa", declarou Roberto Tourinho.
(Com informações da Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal)

Os três "neo-mosqueteiros"

Por Henrique Cerqueira
Eu e muita gente do meu tempo (que não faz tanto tempo assim) forjaram suas personalidades com a leitura de almanaques e gibis e vendo filmes de justiceiros (no bom sentido), como "Fantasma" (O Fantasma Que Anda), "Tarzan (O Rei das Selvas), "Zorro" (Dom Diego de La Vega), "Batman" (O Homem Morcego), "Robin Hood" (o nobre que tirava dos avarentos para distribuir com os pobres), que saudade desses personagens e tantos outros.
Entretanto, "nunca na história deste país", nem mesmo "qundo eu era criança pequena lá em Barbacena", escutei falar que um presidente da República se preocupasse com as eleições na terra de Maria Quitéria e de Lucas Evangelista.
Ele, o presidente, "cabra da peste" (de questionáveis intenções), lembra seu conterrâneo, Virgolino Ferreira da Silva, o "Lampião", de quem ouviu falar desde a infância, quando tangia bodes nos cafundós de Pernambuco, orgulhoso das estrepolias do "Rei do Cangaço" e seus cabras.
A conduta do chamado "justiceiro das caatingas", que confundia a força do direito com o direito da força, deve ter influenciado o menino barrigudo chamado Luiz, posto que, o raptor de Maria Bonita pretendia ser "interventor do sertão", após receber das mãos de padre Cícero Romão Batista a patente de capitão, tendo como missão passar nas cordas o grande Luiz Carlos Prestes, o "Cavaleiro da Esperança", que sonhava fazer voltar aos pampas gaúchos aquele que por simples bajulação entregou a doce Olga Benário aos fuzileiros nazistas.
Para o bem de todos e felicidade geral do Nordeste, o líder de "Corisco" e "Volta Seca" teve a sua saga encerrada no leito do rio Angicos, crivado de balas deflagradas pelas volantes de Alagoas, Bahia e Sergipe.
Para onde é que foi Luiz, o "barrigudinho"? Forte, no dizer de Euclides da Cunha, orgulhoso como um leão do norte, preferiu o "pau de arara", vencendo penosamente as "léguas tiranas" até chegar à "terra da garoa, da lama e do pau" ("ouvir a triste partida", onde, por razões que a própria razão desconhece, tornou-se comandante em chefe das Forças Armadas).
Oito anos depois de projetar um criatório de galinhas caipiras, único dentre todos os palácios do mundo, no uso de suas funções e presunções, voltou sua mente "nordestínica" para a "terra das boiadas", onde pretende dobrar seus opositores com a ajuda dos três "neo-mosqueteiros", que nada têm em comum com os lendários D'Artagnan e os três mosqueteiros Athos, Porthos e Aramis. O lema dos citados heróis é "um por todos e todos por um". A principal diferença é que os "neo-mosqueteiros" agora usam uma nova palavra de ordem: "três unidos contra um".
Felizmente, este um, conta com o apoio de um "Ricardo Coração de Leão", reencarnado na figura boa e simples de um homem chamado José.
* Henrique Cerqueira é advogado e radialista

Concerto Primavera no Cuca nesta quinta-feira

Para quem gosta de música erudita, o Grupo de Câmara do Seminário de Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), apresenta uma programação variada na quinta-feira, 2 de outubro, com entrada franca.
É o Concerto Primavera, que acontece a partir das 19h30, no Teatro do Centro Universitario de Cultura e Arte (Cuca), uma mostra do trabalho desenvolvido pelos professores e alunos do seminário, no decorrer do semestre. O concerto, que homenageia a primavera, conta com a participação especial de convidados da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).
De acordo com Doraneide Tosta, coordenadora do Seminário, durante o eventoserão apresentados vários períodos da história da música, entre os quais o barroco, o clássico, e o romantismo. O espetáculo reúne peças musicais, como "Romance Para Violino e Orquestra", de Beethoven; "A Primavera das Quatro Estações", de Antonio Vivaldi; "Concerto Para Clarineta e Orquestra", de Mozart; "Trio Sonata Para Violino e Violoncelo", de Gluck.
(Com informações de Socorro Pitombo, da Assessoria da Uefs/Cuca)

O "efeito Lula"

Está no blog do jornal "O Povo", de Fortaleza, Ceará:
Esta é para os "inimigos" do presidente Lula festejarem. Lembram da vinda dele a Natal, aqui perto, para dar uma força na campanha da petista Fátima Bezerra à prefeitura? Pelo que os institutos de pesquisa mediram da repercussão, deu zebra!
Duas pesquisas que sairam ontem e hoje nos jornais da capital potiguar mostram que a participação de Lula, com direito a discurso inflamado contra o principal apoiador da candidatura da adversária Micarla Souza (PV), o senador Agripino Maia (DEM), não ajudou e pode até, ter piorado, a situação eleitoral de sua (dele) colega do PT.
Lula foi duro contra Agripino ao participar de comício, nove dias atrás, no palanque de Fátima, que também junta a governadora Wilma Faria, do PSB, e o senador Garibaldi Alves, que preside o Senado. Esperava-se que o evento repercutisse positivamente nas pesquisas subseqüentes, especialmente porque, até então, Fátima Bezerra vinha tirando a diferença para Micarla.
Não é o que apontam as pesquisas dos institutos locais Certus e Consult, divulgadas ontem. O primeiro apontou Micarla com quatro pontos a mais e Fátima com outros quatro a menos na comparação com os números imediatamente anteriores ao comício. O segundo mostra a candidata do PV 17 pontos à frente da adversária, em situação cômoda para decidir a disputa já no próximo domingo.
Como detalhe necessário, diga-se que Micarla Souza, que é da base do governo Lula, nunca adotou uma postura de ataque ao presidente pela participação dele na campanha de Natal em favor da adversária. Queixa-se, é verdade, mas muito educadamente.

Concessões de emissoras de rádio e Tv estão vencidas

Deu no jornal "Folha de S. Paulo":
Pelo menos 184 emissoras de rádio e de televisão funcionam com prazo de concessão vencido. Segundo especialistas, a situação no setor é caótica. Há casos de emissoras que estão com as concessões expiradas há mais de 20 anos e cujos pedidos de renovação de outorga ficaram emperrados no Ministério das Comunicações e no Congresso Nacional.
As famílias dos ex-presidentes da República Fernando Collor de Mello e José Sarney têm emissoras nessa situação, além de outros políticos, como o senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) e os deputados federais Jader Barbalho e Elcione Barbalho (ambos do PMDB-PA). Todos alegam que entregaram a documentação no tempo adequado ao governo.
O prazo de concessão da rádio Gazeta de Alagoas, da qual Collor é acionista, expirou em 1993. A rádio funciona com autorização precária do governo.
A concessão da rádio Mirante do Maranhão, na cidade de Imperatriz, terminou em 1996. O proprietário da emissora, Fernando Sarney, filho do senador José Sarney (PMDB-AP), fez o pedido de renovação da outorga por dez anos, na época devida, assim como a família Collor, mas os processos caíram em exigências e não chegaram a ser aprovados pelo Congresso Nacional.

Deu em Claudio Humberto

Acordo ortográfico: uma estupidez
O presidente Lula assina uma estupidez, nesta segunda-feira: o decreto fixando o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, produto do lobby de editoras de livros didáticos. Milhões de exemplares atuais serão inutilizados, e os títulos, claro, novamente impressos, adquiridos e pagos regiamente pelo Ministério da Educação. E o pior: o acordo é rejeitado por intelectuais do Brasil e d’além mar.

Lula é pé frio

Está no jornal "Folha de S. Paulo":
Após comício de Lula, piora posição do PT em Natal
Em vez de subir, Fátima Bezerra, a candidata do PT à prefeitura de Natal (RN), caiu nas pesquisas depois do comício estrelado por Lula. O empurrão de Lula produziria, no dizer do petismo local, a ansiada "virada". Deu-se, porém, o inverso. Fátima caiu em duas pesquisas. E Micarla, apoiada pelo proto-oposicionista José Agripino Maia (DEM), subiu. Retornou a patamares que, se mantidos, podem dar-lhe a vitória no primeiro turno.

Três gays assumidos candidatos

Jornal local fez matéria sobre a existência de oito candidatos gays à Câmara Municipal de Feira de Santana. Mas, não cita nome de nenhum deles.
Pelo que se tem conhecimento em Feira de Santana, são homossexuais assumidos: Cristin Antônio de Almeida, o Chris Helmayd, do PTN; Helder Santos Souza, o Helder Han, do PT; e José Barbosa da Costa Neto, o Rafaela Di Castro, do PSL.
Interessante 1: nenhum deles tem apoio de grupo gay local.
Interessante 2: a Câmara Municipal continuará sem ter um gay assumido em sua composição.

Carreta e caminhada em Bonfim de Feira e Jaguara










































































































































Imagens que mostram a dimensão da carreta e caminhada da coligação "Feira Vai Continuar Princesa" em Bonfim de Feira e Jaguara, neste domingo, 28.

Fotos: ACM

Vários significados


Uma ilustração como esta - cartazes no chão do candidato a vereador Prof. Bento com apoio do deputado estadual Zé Neto, ambos do PT - tem vários significados.
Cinco deles:
1. Pode ser desprezo do eleitorado.
2. PT jogado no chão.
3. Rejeição ao candidato e ao padrinho.
4. Ação de neo-petistas contra os "puros-sangue".
5. Má educação de jogar papel na rua.