*

*

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14

Rede Orient - A partir de quinta-feira, 14
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

"A conspiração dos éticos"

Post no Blog reinaldo Azevedo, nesta sexta-feira, 31:
Zé Dirceu já tem um culpado pelo seu processo: a imprensa.
Lewandowski, o juiz falastrão, já tem um culpado pelas suas trapalhadas: a imprensa.
Os defensores do promotor Tales Ferri Schoedl recomendam: é preciso ignorar a imprensa.
O presidente sabe quem resiste às glórias de seu governo: a imprensa.
Até os puxa-sacos da imprensa sabem onde estão os inimigos: na imprensa.
Quem persegue Renan Calheiros? Ora, é a imprensa.
Pelo exposto, resulta que o verdadeiro mal do Brasil é a imprensa.
Se ela não existisse, seríamos governados pela conspiração dos éticos.

Qual dos dois?

José Neto e Colbert: Qual dos dois?

Arquivo


O governador Jaques Wagner, que deu entrevistas em pelo menos duas emissoras de rádio feirenses nesta sexta-feira, 31, disse no programa "Primeira Página", na Rádio Povo, ao ancora Valdomiro Silva, que “não tenho decisão nem pelo deputado Zé Neto nem pelo deputado Colbert”.
Como é público e notório, ambos são pré-candidatos a prefeito de Feira de Santana em 2008. Dificilmente, um abrirá mão da disputa para o outro nas próximas eleições.
O deputado federal Colbert Martins Filho (PMDB) vai tentar pela quarta vez sentar na cadeira de prefeito. Em 1996, com 46.330 votos, ficou em terceiro lugar na disputa. Em 2000, pelo PPS, ele obteve 69.395 votos (33,78%), ficando em segundo lugar, com José Ronaldo de Carvalho (PFL) ganhando em primeiro turno. Na eleição de 2004, também pelo PPS, a terceira derrota de Colbert Filho, diminuindo sua votação em relação ao pleito anterior, com 47.721 votos (19,21%), perdendo para José Ronaldo, que obteve 170.162 votos (68,49%), também em primeiro turno.
O deputado estadual José Neto (PT) disputará sua terceira tentativa em ser prefeito. Em 1996, ficou em quinto lugar entre os nove candidatos, com 9.155 votos. Em 2000, não foi candidato e quatro anos depois, em 2004, ficou em terceiro lugar, com 30.576 votos (12,31%).

"Conversa fiada faz mal à saúde"

Vale a pena republicar avaliação feita pelo jornalista Glauco Wanderley sobre a situação da saúde:
"Consumiu valioso tempo de sua árdua jornada o secretário de Saúde, Jorge Solla, esfalfando-se por explicar a nós incautos jornalistas em 11 páginas de minucioso relato o que é que se passa afinal na relação entre estado, município e Santa Casa.Esforço vão, pois aposto que quase ninguém terá tido a santa paciência de ler, com vagar, para tentar entender o mistério que se encerra neste nebuloso caso “republicano” (como gostam de dizer os petistas).
Não que falte à imprensa boa vontade com os governantes, que isso não falta, qualquer um pode ver. É que naturalmente ninguém gosta de ser feito de besta e o bate-boca já ultrapassou o limite do tolerável.
A população nem a imprensa está interessada em saber quem tem razão. O que se quer é um atendimento decente na Saúde, que tem faltado em Feira e na Bahia toda. Aliás tem faltado até o atendimento. Decência já é luxo.
O tom do tratado enviado por Jorge Solla, é de hostilidade com a gestão da saúde no município. Reclama que Feira de Santana não cumpre sua parte, que o estado está sozinho tentando melhorar as condições de atendimento de emergência – quando o município deveria agir, já que possui gestão plena, concedida pelo Ministério da Saúde –, queixa-se da ausência da secretaria municipal de Saúde em discussões coletivas com outros municípios e chega às raias da mesquinhez, dizendo que o estado assumiu os prejuízos provocados pelo incêndio de uma ambulância do SAMU na emergência do hospital.
A essência do documento é provar que o dinheiro a mais que passará a ser recebido pelo município foi graças a gestões do governo estadual, com a condição de que fosse empregado no funcionamento da emergência do Dom Pedro; e que a versão de que se trata de dinheiro do SUS que viria de qualquer modo, é enganosa e alardeada ardilosamente nos meios de comunicação pela prefeitura, para não dizer pelo prefeito.Mas se há dúvidas sobre o assunto elas foram criadas pelas declarações dos próprios representantes do estado, capitaneados pelo deputado Zé Neto, cujos pronunciamentos nunca se notabilizaram pela clareza nem pela objetividade.
Porém agora tudo isso simplesmente já não vem ao caso. A guerrinha política cansou quem se deu ao trabalho de prestar atenção nela. O que a prefeitura e o estado precisam fazer é mostrar resultado.
Dispensam-se os esforços midiáticos. Afinal, Solla gastou tantas horas de redação e revisão para explicar, justificar e convencer-nos de suas virtudes e boas intenções. E no entanto, em apenas uma frase bem simplória, Fátima Mendonça, a mulher do governador Jaques Wagner, pintou o quadro completo, na já histórica entrevista à revista Metrópole: “A saúde é dose, né?”.

"Agência arretada"

Está em Cláudio Humberto, edição desta sexta-feira, 31:

"A agência de publicidade Leiaute, irmã siamesa do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e vencedora da milionária licitação do seu governo, ganhou um contrato de R$ 7,7 milhões na Agência Nacional do Petróleo. Presidida não por acaso pelo também baiano ex-deputado Haroldo Lima".

"O quê? Como?"

Em Cláudio Humberto, nesta sexta-feira, 31:

"Nunca antes na História deste país se viu araponga tão desinformado: o chefe da Abin, Márcio Buzanelli, soube pela imprensa que estava demitido".

"Tu e vós e vós e tu"

Na edição desta sexta-feira, 31, do jornal "Folha do Norte", trecho final do artigo ("Tu e vós e vós e tu") de Hugo Navarro:
"O que está causando preocupações, entretanto (...). É o problema da identidade do governo do Estado. O povo elegeu governador, todo mundo sabe. Mas, em Feira, pessoas ligadas ao governo, embora do governo não façam parte, estão constantemente a falar do governador no plural: nós fazemos, nós exigimos, nós inventamos, nós queremos, nós executamos, nós mandamos, nós promovemos. Não se trata do plural majestático, sinal de grandeza, poder e alguma dose de megalomania dos príncipes, mas uma espécie de apropriação dos poderes, prerrogativas e personalidade do governador do Estado. Com tala força o nós é empregado, que já está tentando intrometer-se nas decisões do governo do Município, causando confusão no seio do povo e de parte de imprensa nem sempre cauta. Se o governo é apresentado como nós, quem manda na Bahia? Tu e vós?".

Por que "Primo Basílio" ainda não está em cartaz em Feira?

Cartaz de "Primo Basílio", sucesso do cinema brasileiro
Divulgação

Muita gente questionando ao Blog Demais o porque do filme "Primo Basílio", de Daniel Filho, baseado na obra homônima de Eça de Queiroz, lançado no país há três semanas, ainda não ter entrado em cartaz em Feira de Santana, no Orient Cineplace.

Falando na manhã desta sexta-feira, 31, com Franklin Mônaco, da Orient Filmes, ele informou o motivo. A produção brasileira foi lançada no mercado nacional com cópias insuficientes - cerca de 160. É provável que na sexta-feira, 7 de setembro, ele chegue à cidade. Em três semanas, até domingo passado, foi visto por 456.164 espectadores.

Observação

De Alberto Dines, no site "Observatório da Imprensa":"Lula produziu esta pérola: 'A imprensa pensa ter o dom da verdade'. A imprensa não pensa que tem o dom da verdade, ela somente busca a verdade. Quem parece detestá-la é o presidente Lula".

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Roteiro de filmes




Período de 31 de agosto a 6 de setembro




LANÇAMENTOS
A MORTE PEDE CARONA
(The Hitcher), de Dave Meyers, 2007. Com Sean Bean, Sophia Bush e Zachary Knighton. Terror. Em viagem de férias, jovem casal dá carona a um homem, sem saber que ele é um psicopata. Classificação: 16 anos. Duração: 83 minutos. Horários: 15h20 e 19h30. Sala 1 (243 lugares).
POSSUÍDOS (Bug), de William Friedkin, 2007. Com Ashley Judd, Michael Shannon, Harry Connick Jr. e Lynn Collins. Suspense. Depois de sofrer ataque violento do seu ex-marido, garçonete tenta reiniciar sua vida amorosa com outro homem, que vê insetos por toda parte, mas vai encontrar dificuldades. Classificação: 16 anos. Duração: 16 anos. Horários: 14h30 (sábado e domingo), 16h40, 18h50 e 21 horas. Sala 3 (167 lugares).
CONTINUAÇÕES
SANEAMENTO BÁSICO - O FILME
, de Jorge Furtado, 2007. Com Fernanda Torres, Wagner Moura, Lázaro Ramos, Camila Pitanga e Paulo José. Drama. Os moradores de uma pequena vila de descendentes de colonos italianos se reúnem para tomar providências a respeito da construção de uma fossa para o tratamento do esgoto. Eles elegem uma comissão, que é responsável por fazer o pedido junto à Prefeitura. Classificação: 12 anos. Duração: 113 minutos. Horários: 13 horas (sábado e domingo), 17h10 e 21h20. Sala 1.
MIMZY – A CHAVE DO UNIVERSO (The Last Mimzy), de Robert Shaye, 2007. Com Chris O’Neill, Rhiannon Leigh Wryn e Joely Richardson. Aventura. Dois irmãos encontram uma misteriosa caixa de brinquedos que lhes dá talentos especiais e uma inteligência incomum. Mas, elas, seus pais e professores são levados a um mundo estranho. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 100 minutos. Horários: 14h20 (sábado e domingo), 16h30, 18h35 e 20h40. Sala 2 (160 lugares).
OS SIMPSONS - O FILME (The Simpsons Movie), de David Silverman, 2007. Animação. Homer Simpson tem um porco como novo animal de estimação. Devido a um silo perfurado e cheio de fezes, um desastre de grandes proporções acontece em Springfield. Isto faz com que uma multidão sedenta por vingança se reúna diante da casa dos Simpsons, querendo Homer e sua família de qualquer jeito. Eles conseguem escapar, mas a partir de então passam a discutir e se dividir sobre o ocorrido. O fato chama a atenção do presidente dos Estados Unidos e do chefe da Agência de Proteção Ambiental, que planeja realizar um plano para conter o desastre ocorrido. Em terceira semana. Classificação: 12 anos. Duração: 90 minutos. Horários: 13h30 (sábado e domingo), 15h25, 17h20, 19h15 e 21h10. Sala 4 (264 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Dia do Voluntário comemorado pelo Rotary e Prefeitura

Marcando o Dia do Voluntário, comemorado na terça-feira, 28, o Rotary Clube de Feira de Santana-Leste promoveu nesta quinta-feira, 30, no Sest/Senat, órgão parceiro no evento, um Dia de Ação de Cidadania, do projeto Ampliando Horizontes. O evento, desenvolvido gratuitamente através de parceria da Prefeitura de Feira de Santana, proporcionou exames de vista e óculos, higiene bucal e aplicação de flúor, além de palestras sobre empreendedorismo, para crianças entre oito e 14 anos e seus acompanhantes.
Durante o evento, conforme o presidente do Rotary Clube Feira Leste, Eloan Ferreira, foram atendidas cerca de 50 crianças, sendo 30 pela manhã e outras 20 à tarde. “São ações como este que fazem a diferença, dando oportunidade de melhores condições de vida às pessoas carentes, através de gestos simples dos voluntários, dando um pouco de si para a coletividade”, ressaltou.
Durante o evento também participaram João Pereira Leal, da Aliança Jóias, e o rotariano Júlio Pinto. As atividades ainda contaram com a participação das secretarias de Desenvolvimento Social, da Saúde, da Educação e de Transportes e Trânsito, além da Viação Princesinha, que cedeu os ônibus para o transporte das crianças, estudantes de escolas públicas da rede municipal.
O evento foi aberto às 7 horas. Em seguida, oferecida uma palestra sobre empreendedorismo para donas-de-casa, acompanhantes das crianças assistidas pelo projeto. “Incentivamos e orientamos as mulheres a buscarem alternativas viáveis para agregarem renda à receita familiar sem ter que sair de casa, através de cursos de corte e costura, bordado e muitos outros”, destacou Eloan Ferreira.
O Sest/Senat também participou da iniciativa, além de oferecer espaço, com oferta de material e consultórios odontológico e oftalmológico. A oftalmologista Rosa Barreto prestou atendimento voluntário na realização dos exames das crianças e ressaltou a necessidade delas passarem por exames periódicos a fim de evitar prejuízos na aprendizagem escolar.
Na área de odontologia, Suzana Fernandes e Juarez Fernandes orientaram as crianças sobre a necessidade de realizarem uma escovação dentária correta para evitar a cárie, assim como a adoção de outros métodos higiênicos que auxiliam na prevenção da doença. Ainda realizaram a aplicação de flúor.

IBGE atrasa divulgação de estimativa de população referente 2006

Já tratamos neste blog que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga anualmente as estimativas das populações residentes dos municípios brasileiros no ano anterior, em obediência à lei complementar nº 59, de 22 de dezembro de 1988, bem como ao artigo 102 da lei nº 8443, de 16 de julho de 1992.
Assim, nos três anos anteriores, a divulgação foi feita sempre no dia 1º de julho. Já se chega ao final de agosto e o IBGE ainda não divulgou os números referentes 2006. Qual a explicação do instituto para o atraso?
Em 2004, Feira de Santana aparecia com 519.173 habitantes (de 2003). Em 2005, passou para 527.625 habitantes (de 2004), 8.452 a mais que a estimativa anterior. Em 2006, Feira aparecia com 535.820 habitantes (de 2005), 8.195 a mais que o ano anterior.
Tendo como base os números anteriores, Feira pode passar a ter uma estimativa em torno de 540 mil habitantes.
As estimativas são divulgadas em tabela que contém a população estimada para cada um dos 5.564 municípios brasileiros. A tabela também é publicada no “Diário Oficial da União”.
A rotina da divulgação das estimativas das populações municipais é importante para que o Tribunal de Contas da União (TCU) utilize as mesmas como base para o cálculo das quotas referentes ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Jornal condenado a pagar indenização a Maluf

Está no site "Terra" que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou o jornal "O Estado de S. Paulo" e o jornalista José Nêumane Pinto a pagarem uma indenização no valor de 100 salários mínimos ao deputado federal Paulo Salim Maluf (PP). O valor corresponde a uma indenização por dano moral pela publicação e autoria do editorial intitulado "Viva o Voto", publicado na edição do dia 26 de abril de 2000.
Paulo Maluf considerou o texto "um compêndio de enojantes insinuações e aleivosidades". Na publicação, José Nêumane Pinto lamenta, comentando frase de Pelé, que "o voto direto não tenha livrado o Brasil de pragas como Maluf" e que "hoje a possibilidade mais concreta de Maluf e sua escola virem a ser castigados por malfeitorias em território nacional está nas mãos do FBI".
Para o jornalista, "as instituições brasileiras são tão lerdas e tolerantes que só há a possibilidade concreta de capturar um chefão de nosso crime político organizado se ele violar alguma lei americana - principalmente a da lavagem de dinheiro sujo".
Enquanto isso, o recurso que pedia a revisão da decisão judicial, solicitado pelo jornal e pelo jornalista, foi negado pelo ministro Antônio de Pádua Ribeiro, do STJ.

Se ligue no rádio

Mais uma quinta-feira, que é dia de participação deste jornalista no programa "Rádio Repórter", ancorado com muita eficiência por Renato Ribeiro. Assim, por volta das 17h30, na "Dica Cultural", vamos falar sobre os dois lançamentos a partir desta sexta-feira, 31, no Orient Cineplace: "Possuídos" - distribuição da California Filmes, que deve render promoção para os ouvintes do programa e leitores do Blog Demais, e "A Morte Pede Carona", além das continuações: "Os Simpsons - O Filme", "Saneamento Básico - O Filme" e "Mimzy - A Chave do Universo".
Ainda vamos dar conta sobre as elimonatórias do festival de música "Vozes da Terra" e mais o que está programado em termos de atividades culturais.
O convite é para que o leitor deste blog se ligue no rádio.

Celebração da moda no Iguatemi

Está se aproximando a data do considerado maior evento de moda do interior da Bahia: O Iguatemi Fashion Day. O evento acontecerá no dia 13 de setembro, uma quinta-feira, com uma programação de desfiles e atrações que "vão fazer uma festa muito badalada e em grande estilo". Neste dia, o shopping fechará mais cedo, às 20 horas, reabrindo às 21 horas somente para convidados. Vários lojistas do Iguatemi apresentarão as coleções para da Primavera-Verão 2008 em desfiles super glamourosos na praça Raimundo Assis e em performances e coquetéis dentro das lojas. Será um verdadeiro show de moda para encantar o público com muito charme e badalação.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

California Filmes lança 15 títulos em DVD

A bela Ines Sastre em "A Cidade Perdida"

Divulgação


A distribuidora California Filmes, que há mais de 15 anos atende o mercado de home enterteinment no segmento rental, inaugurou uma nova fase com sua entrada no segmento sell-thru, pelo qual disponibilizará uma relação de 15 títulos para o consumidor final, via varejo, ao preço sugerido de R$ 39,90.
A lista inclui obras especiais como "Manderlay" (segundo longa da trilogia de Lars Von Trier), "Três Enterros" (estréia na direção de Tommy Lee Jones, premiado em Cannes), "Caché" (de Michael Haneke, com Juliette Binoche e Daniel Auteuil), "A Cidade Perdida" (de e com Andy Garcia, que faz uma bela homenagem a Havana), e o terror "Abismo do Medo" (de Neil Marshall).
A estréia da nova operação é uma conseqüência do bom desempenho nos segmentos onde já atuava. Presente na distribuição de filmes para cinema desde o segundo semestre de 2005, a California obteve no ano passado a marca de 1,3 milhão de ingressos vendidos e ganhou posições no ranking das distribuidoras do mercado cinematográfico brasileiro, subindo do 14º para o nono lugar. No ranking das distribuidoras independentes do país, ocupa hoje a quarta posição.
Veja a relação dos primeiros filmes lançados em sell-thru: "Abismo do Medo", de Neil Marshall; "Caché", de Michael Haneke; "A Cidade Perdida", de Andy Garcia; "Os Fugitivos", de Todd Robinson; "O Homem Urso", de Werner Herzog; "Hooligans", de Lexi Alesander; "Maldição", de Courtney Solomon; "Manderlay", de Lars Von Trier; "O Mercador de Veneza", de Michael Radford; "O Prisioneiro da Grade Ferro", de Paulo Sacramento; "A Proposta", de John Hillcoat; "Querida Wendy", de Thomas Vinterberg; "O Sacrifício", de Neil LaBute; "Três Enterros", de Tommy Lee Jones; e "36", de Olivier Marchal.

Sinopse de "Possuídos"

Cena de "Possuídos": Tensão psicológica
Divulgação

A sinopse de "Possuídos" (Bug), filme de William Friedkin, distribuído pela California Filmes, que entra em cartaz no Orient Cineplace, nesta sexta-feira, 31: Agnes(Ashley Judd) é uma garçonete solitária com um passado trágico, que escapou de seu abusivo ex-marido Gross (Harry Connick Jr.), recentemente saído da prisão. Ela muda-se para um motel de beira de estrada e através de sua colega de trabalho lésbica R.C. (Lynn Collins) é apresentada para um paranóico veterano da Guerra do Golfo, Peter (Michael Shannon), e iniciam um romance. Contudo, as coisas nem sempre são como parecem e Agnes está prestes a experimentar um pesadelo claustrofóbico e real quando insetos começam a surgir.
O filme foi lançado no Brasil no dia 24 passado.

Frente a favor dos mototaxistas tem apoio de Fernando de Fabinho

O deputado federal Fernando de Fabinho, vice-líder do Democratas na Câmara dos Deputados, participou na terça-feira, 28, em Brasília, do lançamento da Frente Parlamentar Mista Pela Regulamentação da Profissão de Mototaxista e Motoboy. Segundo o parlamentar, a frente, da qual faz parte, tem o propósito de inserir a sociedade brasileira nas discussões sobre o papel desses profissionais e discutir de que modo será feita sua inserção no mercado de trabalho, bem como a regulamentação da categoria.
No evento, Fernando de Fabinho disse ao presidente do Movimento Nacional pela Regulamentação do Motociclistas, Raimundo Nonato, e ao presidente da Federação dos Mototaxistas e Motoboys do Brasil, Robson Alves, que tem inteira compreensão sobre a utilidade dos serviços prestados pelas duas categorias, que carregam encomendas e passageiros em todos os estados do país, principalmente nos estados das regiões Norte e Nordeste, onde a oferta de ônibus coletivos na maioria dos municípios é pouca ou quase nenhuma.
“A regulamentação desses profissionais é essencial, bem como o acesso deles à educação no trânsito, aos conhecimentos de primeiros socorros, à pilotagem defensiva e à prevenção de acidentes com motos, que, inclusive, será tema de campanha nacional. Portanto, grupos e pessoas contrárias à regulamentação dessas categorias deveriam, antes de tudo, perceber que em milhares de municípios deste país não existe oferta de ônibus. Por isso, se torna imprescindível para a população e para os comércios locais o trabalho dos motoboys, dos motofretes e dos mototaxistas, que atendem às demandas da população e, por conseguinte, ajudam a fomentar a economia", disse.
Segundo Fernando de Fabinho, os líderes da categoria presentes ao encontro reclamaram que grupos econômicos ligados aos empresários de transportes coletivos e à mídia, têm feito carga contra a regulamentação, ao afirmarem, inclusive, que os motociclistas são a causa principal dos acidentes de trânsito, o que, segundo a categoria dos motoboys e dos mototaxistas, não é verdade. Éle informou que eles deixaram claro que os índices de acidentes causados, por exemplo, em Feira de Santana, na Bahia, são ínfimos e que, com o passar do tempo, a regulamentação vai ser concretizada porque, no Brasil, existem 2,8 milhões de trabalhadores que pilotam motos, o que, sem sombra de dúvida, conta muito para que suas reivindicações sejam atendidas.
“A frente a favor desses trabalhadores vai atuar para regulamentar a profissão. São quase três milhões de mototaxistas e motoboys, que ganham seus sustentos com essa atividade. Vamos regulamentar e exigir que eles observem as leis do trânsito, se reciclem e obedeçam o regulamento de seus sindicatos, no que concerne aos passageiros, ao veículo e às regras estabelecidas pelo estado brasileiro. Além disso, 70% dos profissionais que pilotam motocicletas trabalham no Norte e Nordeste, o que nos leva a perceber que a oferta de transportes nessas duas regiões deixa muito a desejar. Vamos regulamentar a profissão, a fim de vivermos em paz e dentro da lei", concluiu Fernando de Fabinho.

Vozes da Terra tem eliminatórias sábado e domingo


Prefeito José Ronaldo e secretário Maurício Carvalho, em premiação de festival anterior
ACM/Secom
A sétima edição do festival de música Vozes da Terra tem sua eliminatória neste sábado, 1º, e no domingo, 2 de setembro, às 19 horas, no Teatro Ângela Oliveira, no Centro de Cultura Maestro Miro, com apresentações das 30 melhores músicas inscritas - quinze em cada noite -, com entrada franca. A realização é da Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e da Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa.
Em cada eliminatória saem seis candidatos para a final - os 12 finalistas serão divulgados no domingo. A grande final do festival será realizada em 22 de setembro, no Mega Fest, com atração nacional de peso, como informa o secretário Maurício Carvalho.
Na primeira eliminatória, participação das seguintes músicas: “Ai Se Não Fosse o Velho Chico”, de Alexandre Pires Nazareth e Moisés de Oliveira, com interpretação de Hardson F. Oliveira; “Amar É Preciso”, de Miguel de Oliveira Júnior, com Miguel Ramos; “Mágica”, de e com Cristina Porto; “Feito Passarinho”, de Ademício Portela de Miranda, com Pititiu; “Universo Paralelo”, de e com Gulherme Guilhe; “A Gota d’Água”, de e com Célia Zaiin; “Inverno”, de e com Gleidson Guedes; “Fuga”, de Ligiomar Carvalho, com Janno; “Gente do Brasil”, de e com Edir Carneiro; “Tudo Passa”, de e com Joelma Morbeck; “Adeus pra Você”, de Cléa Silva Gomes de Souza, com Talitha Costa; “Frenesi da Multidão”, de Heidy Elizabeth Haerdy, com Rayde Haerdy; “Simples Assim”, de e com Régis Valle; “Bateu Saudade”, de e com Antônio Marques; e “A Letra A”, de e com Josh.
Na segunda eliminatória, apresentações das seguintes músicas: “Você em Mim”, de e com Manu Schwartz; “Só o Tempo Vai Dizer”, de e com Viviane Macedo; “Samba Incomum”, de Maurício de Oliveira Santos, com Mury; “Madrugada”, de e com Fabrício Barreto; “Libertação”, de e com J. Cerqueira; “Todo Mundo Quer Balanço”, de e com Jorge Dirá; “Deusa Música”, de e com Juliana Greyce; “Soneto Que Não Queria Existir”, de Nívia Maria Vasconcellos e Paulo Akenaton, com Karla Dias; “Eu Só Penso em Você”, de e com Gabriela Moraes; “Eletronicamente Feito a Mão”, de Aildemário Costa de Freitas e Nélio Alves Rosa Filho, com Paulo Costa; “Manuela” (O Chão Se Abriu), de e com Guymeo Jumonji; “Duas Almas”, de e com Vamessa Aguzzoli; “Meia Luz”, de e com Vênus Carvalho; “É Preciso Mudar”, de Miguel Mensitieri e Paulinho Jequié, com Paulino Jequié; e “Feito Bailarina Top Model”, de e com Marcos Paulo.
Conjunto (melodia, harmonia e ritmo), letra (tema e poesia), interpretação, performance de palco e arranjos, são os critérios em que a comissão indicada estará estribada para o julgamento.

Tarcízio critica falta de comunicação do governo

Ainda sobre a polêmica entrevista da primeira-dama, Fátima Mendonça, à revista "Metrópole", o deputado estadual Tarcízio Pimenta (DEM), falou na Assembléia Legislativa, na terça-feira, 28, que "falta alguém com o mínimo de competência na área da Comunicação para orientar o governador".
Na opinião de Tarcízio Pimenta, "o governador está só, o chefe da Agecom não sabe de nada, nem quando o governador viaja (Jaques Wagner estava terça-feira em Santiago, Chile, participando de encontro da OIT - Organização Internacional do Trabalho).
Criticando o chefe da agência de Comunicação - Tarcízio disse não lembrar seu nome (Robinson Almeida), pela pouca visibilidade no cargo -, o deputado lembrou que "ele esteve na minha cidade, em Feira de Santana, e Wagner só deu dois minutos para falar com a imprensa". Segundo Tarcízio, "Wagner tem a primeira-dama como porta-voz. Finalmente apareceu alguém para falar do governo".

Cultura do lero-lero

Na entrevista da primeira-dama Fátima Mendonça à revista “Metrópole”, crítica para a diretora do Museu de Arte Moderna (MAM), Solange Farkas (que é tida como feirense, apesar de ter nascido em Baixa Grande).
Ela mora em São Paulo e vem a Salvador uma vez por mês, pelo que consta. “Toda hora me dizem que a diretora do MAM não aparece. Eu até falei pra eles que o Louvre não fecha. Ninguém vê o Louvre fechar”, alfinetou a primeira-dama.

Primeira-dama do Estado reconhece que governo Wagner não disse a que veio

Desde terça-feira, 28, que não se fala em outra coisa na Bahia: a entrevista dada à revista “Metrópole” pela primeira -ama Fátima Mendonça. Na sessão da Assembléia Legislativa, ela causou o maior rebuliço entre os deputados. Os deputados adesistas foram claramente constrangidos pelo ataque frontal feito.
Primeiro, ela considerou como “falta de vergonha danada” a adesão de deputados ao governo Wagner. Também criticou a área de cultura. E afirmou categoricamente que é preciso “pegar o norte do governo e transformar num discurso”. A primeira-dama reconhece que o governo do marido não disse a que veio, “ninguém sabe o que é”, mesmo se completando oito meses.
Fátima Mendonça também falou sobre a crise na saúde e até fez comparação do governo Lula com o governo do seu marido. “Eu digo a Jaques que não pode ficar igual ao presidente, demorando de fazer as mudanças necessárias”.
Fátima Mendonça declarou à Metrópole que “é preciso perceber que não tem oposição. É uma revoada, todo mundo querendo vir pro lado de cá. É uma falta de vergonha danada”.
O líder do Democratas, Heraldo Rocha, salientou que “ao contrário do que diz a primeira dama existe oposição, sim, na Assembléia, agora, quem foi pra lá agachado é quem teria que responder”. Disse mais que “ela reconheceu a inércia e a omissão deste governo. Não somos nós da oposição que estamos dizendo isso. É a primeira-dama do Estado”.O deputado Paulo Azi, também do DEM, disse que a primeira-dama está equivocada, pois, “a oposição não está acabando. O que acontece é que o governo não tem norte, não tem projeto. Ninguém sabe o que significa o governo Wagner, daí que a bancada da maioria sequer sabe como se posicionar”.

Terror psicológico de qualidade

Ashley Judd no cartaz de "Possuídos"

Divulgação
O filme de suspense “Possuídos” é o principal programa da semana cinematográfica, no Orient Cineplace, que se inicia na sexta-feira, 31 e vai até quinta-feira, 6 de setembro.
O título original de “Possuídos” é “Bug” (Insetos), que remete a um veterano de guerra (Michael Shannon) que vê insetos em toda parte e que acredita estar possuído por suas larvas. Ele se encontra num quarto de motel com uma garçonete (Ashley Judd), que teme pela saída do ex-marido da prisão.
“Possuídos”, com distribuição da Califórnia Filmes, vem precedido de bons comentários, sendo até considerado “um dos filmes de horror mais perturbadores já imaginado”. O diretor, William Friedkin, já ganhou Oscar por “O Exorcista”, em 1973. Segundo a revista “Set”, “aos 71 anos, Friedkin mostra que não perdeu a mão”, completando que ele “faz um brilhante exercício de terror psicológico”. Para a “Veja”, “um estudo da vulnerabilidade feminina que, ou se esconde atrás de uma couraça, ou é destruída pela violência masculina”.

Refilmagem de terror

Sophia Bush, assustada em "A Morte Pede Carona"

Divulgação
Nesta 36ª semana cinematográfica, no Orient Cineplace, uma das novidades é o filme de terror “A Morte Pede Carona”, refilmagem de produção de 1986 com o mesmo título.
Assim, “A Morte Pede Carona” (The Hitcher), já no circuito nacional, chega afinal ao Multiplex do Iguatemi. Na ação, um casal de jovens pega a estrada e é surpreendido por um psicopata para quem dá carona. No elenco, o conhecido Sean Bean faz o psicopata que o título original sugere.
Trata-se de um remake, que até despertou interesse, há 20 anos. Nos créditos, o nome de Michael Bay, diretor do recente “Transformers”, atuando como produtor.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Três continuações nas telas

"Os Simpsons - O Filme" entra em terceira semana

Divulgação
A muito boa animação “Os Simpsons - O Filme”, em terceira semana; o drama brasileiro “Saneamento Básico - O Filme” e o filme de ficção científica infanto-juvenil “Mimzy - A Chave do Universo”, com cópia dublada, ambos em segunda semana, continuam em cartaz a partir desta sexta-feira, 31, início da 36ª semana cinematográfica no Orient Cineplace.
Em "Os Simpsons", bastam o politicamente incorreto das situações mais os acontecimentos inusitados e várias referências a pessoas e acontecimentos reais, para valer a sua qualificação. Para ver e rever.

Maniçoba

Nesta sexta-feira, 31, a partir das 11 horas, o jornalista Cristóvam Aguiar e o engenheiro Augusto Pimenta Filho estarão inaugurando o restaurante "O Engenheiro Que Virou Maniçoba", uma casa especializada em servir maniçoba para consumo imediato, embalada para viagem ou entrega em domicílio.
O restaurante está localizado na rua Cachoeira, 31, em frente à Mansão Orion, no aprazível e tradicional bairro da Kalilândia. Eles contam com a presença de todos para degustar deliciosa maniçoba, gozar de um ambiente gostoso, rodeados de amigos e tendo uma boa conversa.
Lembrando que o restaurante só abre às sextas-feiras, mas faz entregas durante toda a semana. "A gente tem hora pra abrir, mas não tem hora pra fechar", diz Cristóvam.

"Graxeira, Graças a Deus" compete em Festival Nacional de Teatro

José Guedes e Márcio Sherrer em "Graxeira, Graças a Deus": Competição em São Mateus-ES
Divulgação


Depois de conquistar o troféu de Melhor Espetáculo Adulto” pelo Júri Popular do VIII Festival Nacional de Teatro de Guaçuí, no Espírito Santo, a Companhia Graxeira de Teatro volta ao Estado vizinho com a peça “Graxeira, Graças a Deus”, para participar do XVIII Festival Nacional de Teatro de São Mateus (Fenate), que termina neste sábado, 2. A cidade de São Mateus fica a 206 quilômetros de Vitória, capital.
As apresentações do espetáculo teatral feirense serão nesta quarta-feira, 29, para a comissão julgadora e depois para o público, no Cine Teatro Shopping.
Com aulas de teatro, por meio de oficinas cênicas, além de discusão do fazer teatral, as atividades do festival tiveram início no dia 25 de agosto.
Este ano, o Fenate homenageia a arte circense. O evento, que tem apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), será encerrado com a entrega do Troféu Anchieta aos vencedores do XVIII Fenate, no Cine Teatro Shopping, às 20h30.
A montagem feirense, com Márcio Sherrer, José Guedes e Adriano Lima, está há 14 anos em cartaz, permanência que demonstra seu sucesso. A ida para competir no festival foi viabilizada através de apoio da Prefeitura de Feira de Santana, por meio da Associação de Artistas de Teatro de Feira de Santana (ARTFS).















segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Colbert assina CPI dos totalitários, dos que ignoram a liberdade de imprensa

O deputado federal Colbert Martins Filho (PMDB) assinou o requerimento de abertura da CPI proposta pela tropa de choque de Renan Calheiros para investigar a venda de parte da TVA para a Telefonica. Nem Sérgio Carneiro (PT), muito menos Fernando de Fabinho (DEM) assinaram.
Como disse Reinaldo Azevedo em seu blog, "desde logo, fica evidente uma coisa: o requerimento da CPI é, quase exclusivamente, obra da base governista. Embora Wladimir Costa seja peemedebista, observem que há apenas 29 assinaturas do partido; do PT, há 60.
Eis aí: trata-se, obviamente, de uma tentativa estúpida de retaliação do partido cuja cúpula, como estamos vendo, está sendo processada pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção ativa e formação de quadrilha. Não há nada de errado numa CPI, é claro. Desde que não seja usada como instrumento de chicana".

Programa Ampliando Horizontes na quinta-feira

Nesta quinta-feira, 30, no Dia do Voluntário, a realização do programa Ampliando Horizontes, realização do Rotary Clube de Feira de Santana-Leste, em parceria com a Prefeitura de Feira de Santana, através das secretarias de Desenvolvimento Social, da Saúde e de Transportes e Trânsito, com apoio do Sest/Senat, que abraçou a idéia e estará colocando à disposição as instalações da instituição para o evento, que também conta com apoio da Casa da Amizade e Fundação Jonathas Teles de Carvalho.
Segundo Eloan da Silva Ferreira, presidente do clube de serviço, a proposta está definida para o atendimento de cinqüenta alunos de escolas indicadas, sendo trinta no turno da manhã e vinte no turno da tarde, com a programação tendo início a partir das 7 horas, com o traslado dos alunos e de seus acompanhantes sob a incumbência do Sincol.
Na ação social, paralelamente aos exames de vista - óculos serão ofertados aos estudantes com essa necessidade -, será oferecido aos jovens estudantes práticas de higiene bucal, com aplicação de flúor, sendo que para seus acompanhantes serão realizadas palestras sobre empreendedorismo, visando à valorização da mulher, onde se espera proporcionar ferramentas para quem deseja transformar seu talento em renda, criando seu próprio negócio.Durante a programação serão servidos lanches, realizadas oficinas de teatro e outras atividades lúdicas, objetivando o entretenimento dos participantes enquanto aguardam por serem atendidos pelos médicos e pelos dentistas.

Música em Pauta movimenta Cuca na quinta

Com o objetivo de levar música para a comunidade, o Seminário de Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) realiza nesta quinta-feira, 30, às 19 horas, o projeto Música em Pauta, no teatro do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), com entrada franca.
Coordenadora do Seminário de Música, órgão ligado ao Cuca, a professora Doraneide Tosta informa que o projeto visa ainda contribuir para o aperfeiçoamento e desinibição dos alunos. Segundo ela, os recitais abertos à comunidade podem acontecer em locais variados de quatro a cinco vezes ao ano.
O projeto Música em Pauta reúne os professoresAna Lúcia Moda (violino), Daniela Cerqueira (piano), Gledisney Oliveira (flauta transversal), Goreti Figueiredo e Hamilton Gonçalves (violão), MônicaVasconcelos e Nilene Borges (piano), além de alunos do Seminário de Música e a participação de convidados especiais, como Wilson Mendes, Diogo Lima e José Pereira (Zé das Congas).
O Seminário de Música oferece cursos de piano, violino, violão clássico, trompete, flauta doce, clarinete, saxofone, flauta transversal e violoncelo, incluindo disciplinas práticas e teóricas.

"Comunicação Com o Mercado" na Unef

O publicitário Paulo Gusmão, da Total Propaganda, de Aracaju, membro da Associación Latinoamericana de Agencias de Publicidad (Alap) fez palestra na noite desta segunda-feira, 27, para os alunos de Comunicação Social no auditório da Unidade Superior de Ensino de Feira de Santana (Unef)
O evento foi uma iniciativa da BP Produções e Eventos, organizadora do Mico - Mídia & Comunicação, que este ano, em sua segunda edição, acontece de 12 a 14 de outubro, na capital de Sergipe.
"Comunicação Com o Mercado" foi o tema da palestra. No final, Paulo Gusmão disse que "acredito que em breve a propaganda irá ultrapassar os meios, criando novos formatos".
Foram mostrados vários anúncios publicitários, inclusive premiados no recente 14º Festival de Gramado.

Parlamentar defende votação da reforma política

“As propostas que estão em discussão na Câmara leva os partidos e o Governo a procurarem um denominador que os faça entrar em acordo e, conseqüentemente, aprovar no plenário a reforma política que há muito tempo a população brasileira espera. Os parlamentares que são contrários à reforma política favorecem a continuidade de um sistema político e eleitoral há muito tempo viciado. Nós, do DEM, não vamos concordar e muito menos permitir que a base do Governo mantenha as coisas como estão”. A declaração é do vice-líder do Democratas (DEM) na Câmara, deputado federal Fernando de Fabinho. Ele afirmou que o partido vai lutar na Câmara para que a reforma política saia do papel e seja, definitivamente, implementada.
Fernando de Fabinho informou que o projeto da reforma política é um dos que vão ser analisados esta semana na Câmara. Mas, para isso, precisam ser discutidas pelo plenário, seis medidas provisórias que constam na pauta de votação. Os deputados vão analisar as duas principais emendas relacionadas ao projeto da reforma política, que tratam de temas diferentes e não têm consenso entre todos os partidos. A expectativa é que, dessa vez, pelo menos uma parte da reforma seja definida.
Segundo ele a reforma política é um conjunto de propostas que alteraram, principalmente, em termos constitucionais, a legislação nacional no que se refere à estrutura política. Ou seja: as eleições, os partidos políticos e os assuntos relacionados ao mandato e à representação política. Para Fernando de Fabinho, as eleições personalizadas e laços partidários frágeis, na verdade, emperram a reforma política na Câmara de Deputados.
Propostas
O deputado explicou que a maioria dessas propostas estabelece, entre outras medidas, cláusula de barreira, voto em lista fechada ou preordenada, financiamento público de campanha, proibição de coligação nas eleições proporcionais (para vereador e deputado) e fidelidade partidária. Fabinho informou também, que cada ponto da reforma política está sendo votado separadamente, por acordo de líderes, a começar pelas listas preordenadas.
“No Brasil, a reformulação estrutural do sistema político requer estudo e atenção. A maioria dos políticos é retórica à reforma política e resiste em aceitar mudanças, já que elas representam, para muitos destes, perda de poder e de influência", afirmou para logo complementar que “a reforma política não é somente debatida no Legislativo e no Executivo. É de longa data a preocupação do TSE, onde foram elaboradas sugestões de alteração de vários aspectos da lei. Só este ano ocorreram mais de 30 migrações partidárias. Um recorde na história da Câmara, o que é um absurdo”.
Ao concluir, o deputado Fernando de Fabinho disse que defende, em um primeiro momento, a fidelidade partidária e o financiamento público das campanhas. Conforme ele, os parlamentares têm o poder de legislar em nome do povo e devem observar e atender seus interesses.

Sondagem de solo para viaduto está sendo feita

O som produzido pela batida do bate-estaca anunciou, na manhã desta segunda-feira, 27, que foi dado o primeiro passo para a construção do viaduto no cruzamento da avenida Getúlio Vargas com avenida João Durval Carneiro. Os operários iniciaram a sondagem do solo. Retirarão, com sondas de ferro, a terra que vai à rocha. Todo material vai levado para ser analisado em laboratório. Serão feitos estudos em seis pontos específicos.
“Toda obra como esta começa com a parte da segurança. E a sondagem do terreno é que vai servir como base para que se faça a estrutura do viaduto”, afirmou o secretário de Planejamento, Carlos Brito. “Esta é uma das partes mais importantes de todo projeto, que vai mudar para sempre o perfil urbano de Feira de Santana, deixando-a mais moderna e preparada para o futuro”, disse mais.
“A análise vai definir qual o tipo de fundação que vai ser usada aqui, bem como nos levar a conhecer a profundidade do lençol freático”, afirmou Alexandra Vargas, encarregado da sondagem. “Todas as informações serão repassadas para o calculista estrutural, que fará todo estudo e definir qual será o melhor material a ser usado aqui”, completou.
O material é coletado a cada metro perfurado, identificado e colocado em sacos plásticos. A análise laboratorial é feita em Salvador. Estiveram presentes ao início da obra os secretários de Comunicação Social, Anchieta Nery, de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural, Mário Borges e o superintendente de Trânsito, Antônio Carlos Machado.
Ao todo serão construídos cinco viadutos, até o final do próximo ano, dentro do Projeto de Integração Urbana. O segundo será o do contorno da Cidade Nova. Os outros se localizarão nos cruzamentos entre as avenidas Maria Quitéria/Eduardo Fróes da Motta/Francisco Maia, João Durval Carneiro/Eduardo Fróes da Motta/Ayrton Senna e Getúlio Vargas/Eduardo Fróes da Motta/Nóide Cerqueira.
O investimento total será de R$ 35.882 milhões, com financiamento da Corporação Andina de Fomento (CAF), entidade sediada em Caracas, Venezuela, com contrapartida do Tesouro Municipal. Os viadutos serão construídos pelo consórcio formado pelas empresas TOP Engenharia e Tranenge, que venceram a licitação pública realizada pela Prefeitura.

sábado, 25 de agosto de 2007

Quem é ele

Trechos de artigo de Ildásio Tavares, na "Tribuna da Bahia", edição deste sábado, 25, que mostra a que vieram o secretário da Cultura Márcio Meirelles e o governo petista:
"A Secretaria da Cultura está se lixando para as tradições da Bahia e procurando arranjar um jeito de criar o Bolsa-Cultura, pensando que os artistas estão esfomeados feito pobres camponeses, explorados pela alta sociedade, dos operários da Petrobras, dos metalúrgicos, dos funcionários públicos que lá chegaram por chantagem política pra nada fazer, se locupletarem com propina e fazer a justiça social, pondo a grana em Cancun como José Dirceu".
...................................................................................
"Está mais do que certo o secretário da Cultura quando nega apoio à ressurreição do tradicional Teatro Gamboa, como Teatro Gamboanova, evangelho do teatro. Pra que teatro? Já tem o Vila Velha que ACM lhe deu, a quem não falta grana. (...)
"Vamos dar toda a força ao Gamboa, porque a Secretaria da Cultura só tem desrealizações culturais e um dia desse tira a estátua de Castro Alves da praça, acusando-o de carlista, e bota uma estrela vermelha no lugar".
Pois é, assim é o Márcio Meirelles, o mesmo que junto ao governador Jaques Wagner, não vê necessidade de Feira de Santana ter o seu Teatro e Centro de Convenções - obra que está paralisada desde que assumiram o poder.

Para avivar a lembrança

Em 6 de agosto, o médico Eduardo Leite, diretor do Hospital Geral Clériston Andrade, publicou no "Blog da Feira", um "protesto sobre o impasse" entre o Hospital Dom Pedro de Alcântara e a Secretaria de Estado da Saúde, intitulado "Inacreditável! O HDPA rejeita ajuda do Governo Estadual".
Lembramos, neste momento, um trecho bem esclarecedor, pois depois da Santa Casa ter aceito a imposição, a Secretaria de Saúde que impor a gestão de recurso que vem da União para a Prefeitura:
"Mesmo contando com a ajuda do governo estadual na pessoa do secretário da Saúde Jorge Solla, inexplicavelmente, segundo dizem, a Mesa Diretora da Santa Casa, recusa uma ajuda de mais de 300.000,00 reais/mês, referentes a pagamento de mais de 21 médicos e medicamentos.
Ajuda estadual que poderia ser aumentada segundo afirma o secretário Jorge Solla. Só há uma resposta: o Estado, através da Universidade Estadual, seria, com certeza, um entrave aos interesses de grupos médicos supracitados e a políticos insensíveis à causa social".

Mudança só na letra

No governo petista, a secretaria é de Desenvolvimento Social e Combate à Pobresa. Mudança significativa que está nos papéis oficiais e relises da pasta.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

"A grande imprensa"

Artigo de Ali Kamel no jornal "O Globo"
A grande imprensa está sob ataque. Não do público, que continua considerando o jornalismo que aqui se produz como algo de extrema confiabilidade, conforme atestam pesquisas de opinião recentes. Os ataques vêm de setores autoritários e antidemocráticos, que, diante do noticiário, sentem-se ameaçados. Esses setores consideram que só é notícia aquilo que, em nenhuma hipótese, atrapalha os seus planos de poder. Não importa que alguns acontecimentos lhes sejam embaraçosos; importa que ou não sejam noticiados ou sejam levados ao público de tal forma que o efeito, para eles, seja positivo ou neutro. Já disse uma vez: isso não seria jornalismo, mas propaganda.
Evidentemente, em seus ataques eles não deixam transparecer essa verdade. Tão logo surge um evento que eles consideram desvantajoso, começam a gritar, dizendo que não é o evento que lhes faz mal, mas a cobertura da grande imprensa. Costumam seguir o seguinte padrão: mentem, atribuem à grande imprensa coisas que ela não fez e denunciam conspirações que não existem. Sempre num tom indignado, dourando a grita com defesas “apaixonadas” da liberdade de expressão e do que chamam de democratização da mídia. Um disfarce. Às vezes, publicam livros, financiados por partidos, com estudos pseudocientíficos como os que tentam demonstrar que, em 2006, os jornais penderam pesadamente a favor de Alckmin e contra Lula, no noticiário eleitoral. Tais estudos se esquecem apenas de contar que todo o noticiário sobre o mensalão e outros escândalos foi considerado prova de desequilíbrio contra Lula. Ora, se é assim, qual seria a alternativa para que o estudo apontasse equilíbrio? Não noticiar os escândalos? Mas isso sim seria perder o equilíbrio e a isenção.
É uma tautologia, mas, na atual conjuntura, vale dizer: o jornalismo só é livre e independente quando não depende de nenhuma fonte exclusiva de financiamento. Quanto mais variadas forem as fontes de recursos que sustentam um jornal, uma revista, um portal de internet ou uma emissora de rádio e televisão, mais livres e independentes serão estes veículos. O leitor pode fazer o teste. Veja os anunciantes da grande imprensa e verifique: a variedade é tanta que o veículo não depende, nem de longe, de ninguém isoladamente para sobreviver. E por isso é livre. E por isso é independente. O leitor poderá fazer outro teste. Procure algum veículo que se diga livre e independente e ao mesmo tempo se dedique costumeiramente a atacar a grande imprensa e a defender este ou qualquer governo. Veja os anunciantes. Eles serão poucos e a concentração, grande. Quase sempre, será propaganda governamental. Se o veículo for um portal de internet, verifique quem são os controladores: fundos de pensão de órgãos do governo.
Portanto, livre mesmo, só a grande imprensa. Só ela tem os meios para investir em recursos humanos e tecnológicos capazes de torná-la apta a noticiar os fatos com rapidez, correção, isenção e pluralismo, sem jamais se preocupar se o que é noticiado vai ser bom ou ruim para este ou aquele cliente, para este ou aquele governo. A grande imprensa sabe que o seu compromisso é com o público, que lhe dá a audiência que lhe traz publicidade. A grande imprensa sabe que o público exige informação de qualidade e que não pode ser enganado. O grande público é o que faz as suas escolhas cotidianas de acordo com o que é melhor para si, é o mesmo que tem discernimento para votar, para eleger seus governantes. Consumidores exigentes, grande público e cidadãos conscientes não são três entidades distintas, mas uma única realidade.
Na cobertura da tragédia da TAM, a grande imprensa se portou como devia. Como não é pitonisa, como não é adivinha, desde o primeiro instante foi, honestamente, testando hipóteses, montando um quebra-cabeças que está longe do fim. A nação viveu um descalabro aéreo nos últimos dez meses? Então é necessário testar qual o impacto dessa desordem no acidente (e, hoje, ouve-se o ministro da Defesa dizer que a prioridade não é mais o conforto ou a ausência de filas, mas a segurança, uma admissão cabal de que, antes, não era assim). A pista de Congonhas estava escorregadia (a ponto de no dia anterior ao desastre, uma aeronave deslizar até um canteiro e outra quase se espatifar no fim da pista)? Então é preciso verificar se a pista foi fundamental no desastre. Chegam informações de que a manutenção da TAM é falha? Então é preciso saber como estava o avião acidentado (e descobrir que ele voava com o reverso pinado). A análise da caixa preta ficou pronta? Então é preciso tentar revelar o seu conteúdo e mostrar que uma falha do piloto pode ter sido a causa do acidente. É a grande imprensa que noticia tudo isso, passo a passo, tendo apenas em mente informar o grande público, sem pensar no impacto negativo ou positivo que isso terá para o governo ou para a companhia aérea.
É assim aqui, é assim em todas as democracias. Quando do furacão Katrina, a imprensa americana, num continuum, testou muitas hipóteses: noticiou que aquela era uma tragédia anunciada, mostrou que houve cortes federais para obras urgentes nos diques que se romperam, denunciou a inépcia do governo no socorro imediato às vítimas. E a única coisa que o governo fez foi se defender, com dados e argumentos. O público pôde julgar quem estava com a razão. Ninguém ouviu de aliados de Bush que a mídia queria derrubá-lo, provocar o seu impeachment, desestabilizar o seu governo.Já aqui, temos de conviver com essas bazófias. Porque aqui, ao contrário de lá, há quem queira que a informação esteja a reboque de projetos de poder.

Cadê?

Que é dos R$ 400 mil mensais tão alardeados pelo Governo do Estado para a Santa Casa de Misericórdia aplicar no Hospital Dom pedro de Alcântara?

Feira entre os municípios que geram mais empregos

Feira de Santana foi apontado pelo Cadastro Geral de Empregos e Desligamentos (Caged), do Ministério do Trabalho, como um dos municípios que mais gerou empregos nos últimos 12 meses no Estado. Foram 24.303 admissões contra 21.357 desligamentos, variação de 4,85%. Está atrás de Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari.
Durante o I Encontro Nacional de Empregabilidade, nos dias 16 e 17 de agosto, o município foi homenageado.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Roteiro de Filmes


Período de 24 a 30 de agosto


LANÇAMENTOS
SANEAMENTO BÁSICO - O FILME, de Jorge Furtado, 2007. Com Fernanda Torres, Wagner Moura, Lázaro Ramos, Camila Pitanga e Paulo José. Drama. Os moradores de uma pequena vila de descendentes de colonos italianos se reúnem para tomar providências a respeito da construção de uma fossa para o tratamento do esgoto. Eles elegem uma comissão, que é responsável por fazer o pedido junto à Prefeitura. Classificação: 12 anos. Duração: 113 minutos. Horários: 14 horas (sábado e domingo), 16h20, 18h40 e 21 horas. Sala 1 (243 lugares).
MIMZY – A CHAVE DO UNIVERSO (The Last Mimzy), de Robert Shaye, 2007. Com Chris O’Neill, Rhiannon Leigh Wryn e Joely Richardson. Aventura. Dois irmãos encontram uma misteriosa caixa de brinquedos que lhes dá talentos especiais e uma inteligência incomum. Mas, elas, seus pais e professores são levados a um mundo estranho. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 100 minutos. Horários: 14h10 (sábado e domingo), 16h10, 18h20 e 20h30. Sala 2 (160 lugares).
CONTINUAÇÕES
A VOLTA DO TODO-PODEROSO
(Evan Almighty), de Tom Shadyiac, 2007. Com Steve Carell, Morgan Freeman, John Goodman e Laura Graham. Comédia. Âncora de um telejornal foi eleito para seu primeiro mandato como congressista. Ele se muda para Washington com sua esposa e os três filhos. Logo após se instalar em sua nova casa, ele passa a receber estranhas encomendas, que incluem ferramentas e grandes quantidades de madeira. É quando se encontra com Deus, que lhe incumbe a missão de construir uma arca, já que uma inundação está por vir. Inicialmente, ele descarta a idéia, mas uma série de situações faz com que aceite a missão. Em segunda semana. Classificação indicativa: Livre. Duração: 96 minutos. Horários: 13 (sábado e domingo), 15 e 17 horas. Sala 3 (167 lugares).
DURO DE MATAR 4.0 (Live Free Or Die Hard), de Len Wiseman, 2007. Com Bruce Willis, Timothy Olyphant, Maggie Q, Justin Long e Cliff Curtis. Ação. O ex-policial John McClane volta de sua aposentadoria para impedir que terroristas instalem o caos pela Internet, depois que um hacker invade a infra-estrutura que controla as comunicações, os transportes e a energia dos Estados Unidos. Em quarta semana. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 129 minutos. Horários: 19 horas e 21h30. Sala 3.
OS SIMPSONS - O FILME (The Simpsons Movie), de David Silverman, 2007. Animação. Homer Simpson tem um porco como novo animal de estimação. Devido a um silo perfurado e cheio de fezes, um desastre de grandes proporções acontece em Springfield. Isto faz com que uma multidão sedenta por vingança se reúna diante da casa dos Simpsons, querendo Homer e sua família de qualquer jeito. Eles conseguem escapar, mas a partir de então passam a discutir e se dividir sobre o ocorrido. O fato chama a atenção do presidente dos Estados Unidos e do chefe da Agência de Proteção Ambiental, que planeja realizar um plano para conter o desastre ocorrido. Em segunda semana. Classificação: 12 anos. Duração: 90 minutos. Horários: 13h30 (sábado e domingo), 15h25, 17h20, 19h15 e 21h10. Sala 4 (264 lugares).

ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Iguatemi Fashion Day

Foto divulgação do Iguatemi Fashion Day


No dia 13 de setembro, acontecerá o evento Iguatemi Fashion Day. Será uma noite regida pelo inusitado, totalmente envolvida pela moda e encantará a todos numa grande festa preparada especialmente para receber clientes e convidados das lojas do Iguatemi.

O evento já é sucesso e este ano promete repetir a dose e surpreender a todos. Na ocasião as lojas mostrarão suas marcas e produtos, lançarão a coleção da moda primavera-verão, com muito glamour e badalação. O cliente irá se deparar em cada momento da festa com alguma novidade como performances, desfiles, shows. Tudo feito para encantar. O Iguatemi Fashion Day é com certeza mais uma marca de sucesso lançada pelo Shopping Iguatemi Feira.

Semana do Soldado no Iguatemi

Em 25 de agosto é comemorado o Dia do Soldado. Esta data surgiu em homenagem ao Duque de Caixas, que nasceu neste dia no ano de 1803. Ele foi o maior soldado-estadista do país e é relembrado como herói nacional da Guerra do Paraguai.
O soldado é o cidadão fardado precursor na defesa da sua Pátria e das instituições. Vá conferir a exposição que está armada na praça Raimundo Assis, do Shopping Iguatemi até o dia 26, e aproveite para conhecer mais um pouco a história e ações do Exército Brasileiro e conhecer o dia-a-dia e as ferramentas de trabalho desses homens que honram a pátria.

Sábado tem McDia Feliz no Iguatemi

Neste sábado, 25, acontecerá no Shopping Iguatemi, a Campanha Nacional do McDia Feliz, que acontece em todas as cidades do país que possuem lojas do Mc Donald’s, tendo como principal objetivo neste dia vender o maior número de sanduíches Big Mac, e destinar toda renda adquirida para o Grupo de Apoio a Criança Com Câncer (Gacc).

O apelo é para que não se deixe de participar e ajudar essas crianças. "Traga sua família e seus amigos para adquirirem o Big Mac no dia 25 e aproveite para se divertir com uma programação super animada que acontecerá das 11 às 20 horas, na praça de alimentação do Iguatemi. As crianças do Gacc agradecem pela sua ajuda. Participe!".

"Cidade de Deus" está mais para "Cidade do Diabo"


Cena de "Cidade de Deus"
Divulgação
Com o lançamento do livro "Seis Passeios Por Cidade de Deus" (veja postagem anterior), que trata sobre o livro e o filme "Cidade de Deus", a contribuição do Blog Demais para reacender a polêmica.
Assim, lembramos de comentário feito à época da visão do filme:
O crescimento da violência numa favela do Rio de Janeiro, dos anos 60 aos 80, é o tema de "Cidade de Deus", filme brasileiro que está sendo superestimado. Estreou no dia 30 de agosto de 2002 - em Feira no dia 6 de setembro - em mais de 100 salas no país. Em maio, participou fora de concurso do Festival de Cinema de Cannes, na França. O lobby é para que ele seja indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2003 - o que aconteceu
Na verdade, trata-se apenas de um produto competitivo no mercado, graças à estética pop de filme americano, com roteiro enxuto, ritmo ágil de videoclip (com samba) e recursos técnicos e financeiros - custou 3,3 milhões de dólares. Remete de cara a Quentin Tarantino e seu “Pulp Fiction”. Um espetáculo de pura violência cinematográfica, que não apresenta nenhuma esperança de redenção para os personagens.
Naturalmente que o tema é atual e que o filme foi feito para chocar e incomodar, mas “Cidade de Deus” exagera na exploração da violência, banalizando-a. No filme, a vida não tem nenhum valor. Polícia, política e imprensa - a capacidade sexual das jornalistas - são ridicularizadas.
“Cidade de Deus” é nome de favela. O nome de Deus usado em vão. Está mais para “Cidade do Diabo” com o inferno que é mostrado, com a violência, o sangue, as drogas, as intrigas, a linguagem cheia de gírias e palavrões em cada fala. Para confirmar: até um exu aparece no filme.

Livro "Seis Passeios Por Cidade de Deus" tem lançamento

O Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) está convidando para o lançamento do livro "Seis Passeios Por Cidade de Deus". Organizada pelos professores Marcos Cezar Botelho de Souza e Cláudio Cledson Novaes, a obra traz seis ensaios sobre "Cidade de Deus", livro de Paulo Lins publicado em 1994. Entra também em debate sua posterior adaptação para o cinema, com o filme homônimo lançado em 2002 e dirigido por Fernando Meireles e Kátia Lund.
Os trabalhos apontam a convergência entre cinema e literatura e entram em cena para mapear as tensões que acossam a cultura brasileira atual, deixando evidentes olhares investigativos que levantam uma série de novas questões sobre a nacionalidade brasileira.
Para o professor Orlando Freire Jr., apresentador da obra, os "Seis Passeios Por Cidade de Deus" são a prova de que "as questões levantadas a partir do conhecimento do livro e do filme são 'chapas quentes' que estão longe de esfriar". Nesse sentido, vêm para reacender e pôr em debate um tema que, desde o lançamento da obra de Lins, vem suscitando polêmicas e agitações na cena cultural do Brasil e do mundo: a violência que caracteriza e rasura a nossa identidade nacional.
Além dos organizadores, assinam artigos as pesquisadoras Valquíria Lima, Ísis Moraes, Patrícia Cerqueira e Ana Carolina Cruz, todas integrantes do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Diversidade Cultural da Uefs. Ao final da coletânea, os leitores ainda têm um encontro especial com um dos maiores críticos de cinema do país, o professor Ismail Xavier, da Universidade de São Paulo (USP), que concedeu entrevista ao professor Cláudio Novaes especialmente para a edição.
"Seis Passeios Por Cidade de Deus" sai sob o selo Uefs/MAC, como segundo volume publicado pela "Coleção Corisco", criada para publicar os estudos produzidos no campo das relações comparadas entre cinema e literatura.
O lançamento acontece no dia 30 de agosto, no hall do Departamento de Letras e Artes, módulo II da Uefs, a partir das 16 horas. Confira a programação: 16 horas - Exibição do filme "Cidade de Deus"; 17h30 - Debate com os autores; e 18 horas - Coquetel de lançamento.

Sugestão de lei

Contra as agências bancárias existe a chamada lei dos 15 minutos, que fixa o tempo máximo para atendimento de clientes, que nem sempre é cumprida. Por que não existe lei similar para atingir casas de show, hospitais e outros espaços onde enormes filas se formam?

No "Rádio Repórter"

Hoje é dia de participação deste jornalista no programa "Rádio Repórter", na Rádio Subaé AM, ancorado por Renato Ribeiro, quando estaremos na "Dica Cultural", por volta das 17h30, falando das novidades dos cinemas na semana que entra, bem como de outras manifestações artísticas e culturais

Sobre público e renda de filmes

"os Simpsons - O Filme", em cartaz
Divulgação

Em seus três primeiros dias em cartaz no Brasil, entre sexta-feira, 17, e domingo, 19, “Os Simpsons - O Filme” foi visto por 576.880 espectadores, rendendo R$ 4.989.569,00 nas bilheterias, com 473 cópias, inclusive uma em Feira de Santana, no Orient Cineplace. Entra em segunda semana, a partir desta sexta-feira, 24.
Como informamos em postagem anterior, conquistou a segunda maior bilheteria para um filme de animação (atrás de “Shrek Terceiro”), bem como a sexta maior abertura do ano. Nos Estados Unidos, “Os Simpsons” já obteve em quatro semanas a arrecadação de 165.271.443 de dólares.
A partir de sexta, também continuam em cartaz no Multiplex do Iguatemi: “Duro de Matar 4.0” (visto até domingo passado por 950.907 espectadores no país), e “A Volta do Todo Poderoso” (com público de 581.469 pessoas, no mesmo período).
Ainda sobre público, as duas novidades a partir desta sexta-feira, “Saneamento Básico - O Filme” e “Mimzy - A Chave do Universo”, foram vistos no país, até domingo passado, por 133.223 e 38.349 espectadores, respectivamente.
Já o filme de ação “Transformers”, que está em cartaz até esta quinta-feira, 23, no Orient Cineplace, em matinê, foi visto até o dia 19 por 1.826.299 assistentes, sendo que nos EUA rendeu ata agora, em sete semanas, 306.487.922 dólares.

Colbert desinformado

Viaduto na rotatória da Cidade Nova será o segundo a ser construído
ACM/Secom
Está na "Tribuna Feirense", edição desta quinta-feira, 23, que o deputado federal Colbert Martins Filho (PMDB), "acha estranho" que o Governo Municipal tenha feito licitação para contratar a empresa responsável pela obra dos viadutos, pois a operação com a "instituição financeira venezuelana (ele nem sabe o nome, que é CAF - Corporação Andina de Fomento) ainda não está autorizada pelo Congresso".
Desinformado - e provavelmente incomodado com o iminente desenvolvimento da grandiosa obra -, o parlamentar e candidato pela quarta vez a prefeito de Feira de Santana não sabe, ou não quer saber, que o serviço vai ser iniciado com recursos próprios.
Primeiro, vai ser iniciada a obra do viaduto que será localizado no cruzamento entre as avenidas Getúlio Vargas e João Durval Carneiro. O segundo será o da rotatória da Cidade Nova. A construção dos outros três viadutos será iniciada depois da assinatura do contrato com a CAF. A instituição financeira permite que até 20% do valor da operação seja empregado por parte da Prefeitura - a contrapartida do Município.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Um quilo de sal

A nova (de novo com Kardé Mourão à frente) diretoria do Sinjorba já assumiu o mandato desde 1º de agosto, porém, para marcar a mudança na direção, realizará um ato político nesta sexta-feira, 24, no Centro Cultural da Câmara Municipal de Salvador, a partir das 19h30.
Enquanto isso, a diretoria regional de Feira de Santana eleita nos dias 17 e 18 de julho, em votação que contou com a participação de dez dos tão somente 12 colegas votantes, renunciou. Passados mais de 30 dias, a situação de impasse não foi resolvida e o Sinjorba local está sem cabeça. Pelos estatutos, uma nova eleição. Mas, ninguém mais quer segurar o pepino. Afinal, para que sindicato?
Quem quiser prestigiar o ato em Salvador deve levar um quilo de alimento não perecível. Se eu fosse lá levaria um quilo de sal.

Que idéia!

Pelo que foi informado a este Blog Demais, em sua visita na semana passada, o secretário da Cultura Márcio Meirelles, andou sugerindo - fora da reunião formal realizada - que a construção da boate Jerimum fosse transferida de local.
Depois de entender a besteira dita, ele mudou o foco, já na reunião, para que o local seja restaurado pela iniciativa privada.
Lembramos mais uma vez que o Estado, no governo João Durval, salvou a iniciativa privada, adquirindo o complexo Carro de Boi, construindo no espaço o Centro de Cultura Amélio Amorim - obra que só ficou pronta e funcionou quando o carlismo assumiu, depois do desastre Waldir Pires/Nilo Coelho.

Sem defesa

O secretário da Saúde Jorge Solla ouviu na Assembléia Legislativa, na terça-feira, 21, que de janeiro a junho deste ano, o número de óbitos no Hospital Geral Clériston Andrade foi de 724, 25% a mais que no mesmo período do ano passado. Não teve como defender o governo.

Troca-troca

O prefeito de Salvador João Henrique Barradas se afastou do PDT e se filiou ao PMDB, objetivando maior visibilidade e condições de reeleição. Seu irmão, o deputado federal Sérgio Carneiro, se quiser mesmo ser candidato a prefeito de Feira de Santana, vai ter que sair do PT. E o caminho que está aberto para ele é o do PDT.

Retrovisor

O governo Jaques Wagner continua olhando no retrovisor. Rebatendo críticas de deputados da oposição, terça-feira, 21, na Assembléia Legislativa, o secretário da Saúde Jorge Solla disse que "o caos existe em muitos setores da saúde. Mas esse caos foi construído nos últimos 50 anos".
Com a afirmação recorrente do governo, ele incluiu os governos de João Durval e Waldir Pires, que são aliados.

Obras de restauração no Paço Municipal são inspecionadas por José Ronaldo

O prefeito José Ronaldo de Carvalho inspecionou as obras de reforma do Paço Municipal Maria Quitéria, na avenida Senhor dos Passos, na manhã desta quarta-feira, 22. A expectativa é de que o serviço de restauração do patrimônio histórico municipal tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) seja concluído até final do mês de outubro deste ano.
A restauração do prédio da Prefeitura está sendo realizada desde julho do ano passado, pela Construtora Serra Valle, vencedora de licitação pública realizada pelo governo municipal. A obra é minuciosa, de forma artesanal visando manter e resgatar as características originais do prédio centenário.
As intervenções envolvem restauração do telhado, recuperação de pinturas e afrescos, restauração de detalhes da arquitetura e manutenção geral de redes elétrica, hidráulica, restauração de portas e janelas, além de balaústres.
A arquiteta restauradora Itana Lima, da Construtora Serra Valle, observa que o trabalho demanda de muito tempo em função de se tratar do resgate de detalhes arquitetônicos históricos tombados, que devem ser preservados em suas origens. “Mesmo assim, já estamos na fase final, faltando agora acabamentos”, considerou.
Estiveram acompanhando o prefeito José Ronaldo os secretários de Planejamento Carlos Brito, de Administração João Marinho Gomes Júnior, de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural Mário Borges, e de Serviços Públicos Justiniano França.

José Ronaldo entrega 14 caminhões coletores novos para limpeza pública

O prefeito José Ronaldo de Carvalho inspecionou, na manhã desta quarta-feira, 22, os novos 14 caminhões coletores e compactadores incorporados à frota da limpeza pública de Feira de Santana, em substituição à frota antiga. Os veículos, que ficaram expostos em frente ao Paço Municipal Maria Quitéria, na avenida Getúlio Vargas, já entraram em operação, para atender à população.
Ao autorizar a incorporação dos caminhões ao serviço, o prefeito José Ronaldo destacou a preocupação do governo municipal em oferecer um serviço moderno e eficiente na limpeza pública. “Estamos cumprindo rigorosamente este compromisso, garantindo um serviço de qualidade”, disse.
O diretor do Departamento de Limpeza Pública da Secretaria de Serviços Públicos, Luiz Araújo, observou que Feira de Santana sai à frente, mais uma vez, ao garantir a universalização da coleta de resíduos sólidos. Desde o início do governo, a coleta de resíduos residenciais é realizada tanto na sede do município quanto nos sete distritos.
A substituição dos caminhões compactadores da limpeza pública, utilizados para limpeza pública de Feira de Santana, através da empresa Qualix Serviços Ambientais Ltda, estava prevista no contrato licitatório para exploração do serviço. “E foi cumprido rigorosamente dentro do prazo de 120 dias”, explicou Luiz Araújo.
Os caminhões são Cargo 1722-E, com sinalização refletiva e luminosa. Possuem capacidade para coleta de 15 metros cúbicos de lixo compactados. Nas laterais dos caminhões plotagens de fotos do repórter fotográfico ACM, da Secretaria de Comunicação Social, mostrando importantes obras desenvolvidas pelo Governo Municipal para a comunidade, nas áreas de saúde, educação, cultura e infra-estrutura.
Durante o ato de entrega dos veículos também estiveram presentes os secretários Justiniano França, de Serviços Públicos, Mário Borges, de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural, Carlos Brito, de Planejamento, e João Marinho Gomes Júnior, de Administração.

DN Mix recebe indicação do Bahia Recall 2007

A DN Mix Comunicação, de Dilton Júnior e Nau Santana, é uma das agências publicitárias indicadas ao Bahia Recall 2007 que premia na noite desta quinta-feira, os destaques deste ano. Esta é a edição de número 13 e a Rede Bahia, que realiza o prêmio, explora o tema “Nem sorte, nem azar. Idéias.”
A agência foi indicada na categoria Varejo, com o comercial intitulado “Comum”, elaborado para a Axé Informática. A indicação deixa os sócios-proprietários Dilton Júnior e Nau Santana num misto de realização e certeza de estarem no caminho certo, já que a DN Mix tem apenas dois anos no mercado.
É claro que a indicação também "é prova da competência e dedicação" dos profissionais que compõem a nova agência. Mas, Dilton Júnior garante, “a DN Mix desenvolve uma comunicação criativa e inovadora e chegou para ficar”. “Somos uma agência que procura oferecer a solução ideal para cada um de seus clientes, somando a qualidade com a agilidade, a praticidade e o preço”, completa o publicitário Nau Santana.
A premiação do Bahia Recall, que tem a participação de 12 agências e indicação de nove materiais, acontece no Teatro da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).




Ambientalista denuncia Ibama

Deu no jornal "Correio da Bahia", de 4 de agosto:

A ambientalista Telma Lobão fez ontem mais uma denúncia contra o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Ela teria conseguido, através da Internet, registrar no órgão federal o próprio cachorro como um Consultor Técnico Ambiental e, de posse do certificado, comprou anilhas (pulseiras de identificação) de uso exclusivo para animais silvestres na fábrica Anilhas Capri. Os documentos foram entregues ao Ministério Público Estadual (MPE), que vai averiguar o caso e encaminhar as informações para a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF).
O cachorro, chamado Felipe Lopes, ainda emprestou nome para a retirada de um boleto bancário para pagamento de uma licença de pesca amadora, de validade temporária. Ela usou número de inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF) do pai, falecido em 1995, e o número da própria carteira de identidade. No mesmo site, Telma ainda conseguiu registrar a cadela chamada Vick Lopes, como proprietária de uma moto-serra e pagou um boleto bancário no valor de R$30,00 para a licença obrigatória de porte e uso do equipamento.
"Ela cometeu o crime de falsidade ideológica fornecendo informações falsas e a Justiça é quem vai julgar os seus atos", afirmou Célio Costa Pinto, superintendente regional do Ibama. "Eu não quis levar nenhuma vantagem. Fiz isto apenas para demonstrar a fragilidade do sistema de licenciamento", retrucou Telma Lobão. O superintendente nega qualquer facilidade para fraudes, pois os documentos apresentados pela ambientalista não possibilitam a realização de nenhuma atividade.
No entanto, usando o registro de técnico ambiental em nome do cachorro Felipe Lopes, Telma afirma que comprou por telefone diversas anilhas abertas e fechadas como se fosse um criador autorizado a comercializar aves. As anilhas são personalizadas e utilizadas em araras-azuis, vermelhas, jandaias, papagaios, tanto para filhotes como para aves adultas. "Se uma fiscalização flagrar uma pessoa transportando uma ave com esta anilha ele não pode ser apreendido. É como se fosse a legalização do tráfico de animais", acrescenta ela.

O que esperar de filme brasileiro?

Fernanda Torres e Wagner Moura em "Saneamento Básico - O Filme"

Divulgação


O que esperar de uma realização com o nome de "Saneamento Básico - O Filme", ainda mais sabendo que é um filme brasileiro? Bem, depois de "O Cheiro do Ralo", o cinema nacional precisa mesmo de saneamento?
Trata-se de um filme dentro do filme. O diretor Jorge Furtado se utiliza de metalinguagem. Assim, um filme para falar do processo de fazer filme.
O filme tem sido superestimado por parte da crítica, como sempre acontece na tentativa de valorizar "o que é nosso". No elenco, para não variar tem os baianos Lázar Ramos e Wagner Moura. Em quatro semanas em cartaz no país, foi visto por 120.416 espectadores. O risco é de cada um.

Ficção científica para público infantil

Chris O'Neill em "Mimzy - A Chave do Universo"
Divulgação

Uma das novidades no Orient Cineplace, a partir desta sexta-feira, 24, e o filme de aventuras, "Mimzy - A Chave do Universo" (The Last Mimzy), destinado ao público infantil, com cópia dublada. No lançamento da PlayArte, duas crianças encontram uma caixa repleta de objetos especiais capazes de ampliar suas capacidades mentais e seu modo de perceber a vida.
Trata-se de um curioso filme de ficção científica dirigido Robert Shaye e muito mais que um filme infantil, ele aborda as potencialidades humanas, suas reações perante o desconhecido e a importância das novas gerações.
A história é baseada no conto "Mimsy Were the Borogoves", de Lewis Padgett - pseudônimo para o casal de autores já falecidos Henry Kuttner e C.L.Moore -, publicado originalmente na revista norte-americana "Astounding", em 1941. Não faltam rao filme eferências a "Alice Através do Espelho", de Lewis Carroll, e uma série de conceitos estudados e divulgados pela física quântica.
Pelos comentários, a mistura entre ficção e realidade é marcante ao longo do filme, que, por um lado deixa o espectador deslumbrado pelas maravilhas conseguidas pela súbita genialidade das crianças, mas também mostra o terror provocado pelo desconhecido nas mentes mais rígidas.


terça-feira, 21 de agosto de 2007

O que continua

"Os Simpsons - O Filme"

Divulgação
Última semana de agosto, 35ª do ano. No Orient Cineplace, continua em cartaz, a partir de sexta-feira, 24, a excelente animação “Os Simpsons - O Filme”, assim como a comédia “A Volta do Todo-Poderoso”, ambos em segunda semana. Também, o filme de ação “Duro de Matar 4.0”, em quarta semana.
Em sua primeira semana no Brasil, "Os Simpsons" conquistaram a segunda maior bilheteria para um filme de animação, atrás de "Shrek Terceiro", bem como a sexta maior abertura do ano, com 576,8 mil espectadores e arrecadação de cerca de R$ 5 milhões.

José Ronaldo autoriza construção de viadutos

O prefeito José Ronaldo de Carvalho disse, durante a assinatura do contrato para a construção dos dois primeiros viadutos, dos cinco previstos, que a iniciativa vai mudar definitivamente o perfil urbanístico da cidade. “A história da cidade vai ser dividida em duas etapas: agora e o depois, quando os viadutos forem inaugurados. Feira não será mais mesma, devido a grandiosidade do Projeto de Integração Urbana, disse.
O contrato com o consórcio TOP-Trenenge, que venceu a licitação internacional, foi assinado na manhã desta terça-feira, 21, numa cerimônia concorrida realizada na sala de treinamentos do Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf), com as presenças de várias autoridades municipais. “A ordem de serviço está automaticamente sendo dada”, disse o prefeito. O investimento total será de R$ 35.882 milhões. As obras vão gerar mais de 200 empregos diretos.
O serviço vai ser iniciado com recursos próprios. O primeiro que vai ser começado é que será localizado no cruzamento entre as avenidas Getúlio Vargas e João Durval Carneiro. O segundo será o da rotatória da Cidade Nova. “A nossa expectativa é de que em abril, no máximo, estejamos inaugurando a primeira unidade. Por ser mais complexo e maior, o da Cidade Nova deve demorar cerca de 13 meses para ser finalizado”, informou.
A construção dos outros três será iniciada depois da assinatura do contrato com a Corporação Andina de Fomento (CAF), entidade sediada em Caracas, Venezuela. A instituição permite que até 20% do valor da operação seja empregado por parte da Prefeitura. Esta é a parte da contrapartida do município.
O prefeito enfatizou que naquele momento estava assinando o início de uma obra que há muito era esperada pelos feirenses. “Teremos uma cidade moderna e com vários vetores de crescimento, porque o projeto não consiste apenas nos viadutos, mas em algo maior, mais dinâmico e que vai influenciar com toda estrutura urbana da cidade. Estamos preparando Feira para o futuro. Os reflexos serão sentidos bem mais adiante”, disse José Ronaldo. Assinaram o contrato pelo consórcio Alex Guedes, pela TOP, e Edilberto Carvalho, pela Trenenge.
O secretário de Planejamento, Carlos Brito, disse que o andamento do processo em Brasília continua fluindo normalmente. “Está sendo analisado por algumas comissões técnicas. Mas nas mais importantes já foi aprovado. Acredito que dentro de até dois meses o contrato entre as partes, com o aval do Governo Federal, vai ser devidamente assinado”, informou.
A primeira unidade terá 94 de extensão. Vai ser construído ao longo da avenida João Durval Carneiro. “Não teremos custos adicionais de desapropriação”, disse o secretário, que fez uma sucinta apresentação do projeto. “Esta é uma iniciativa que tem objetivos claros, definidos, que oferece opções de crescimento para a cidade e que vai mudar, para melhor, a malha urbana”, completou.
A expectativa é de que todos os viadutos estejam concluídos em 420 dias. Mas, segundo os empresários, existe a possibilidade de que os equipamentos sejam entregues aos feirenses em um período de tempo mais curto.

Cuca apresenta recital do pianista Paulo Gondim

Responsável pela formação de muitos pianistas na Bahia, o arranjador e também compositor Paulo Gondim se apresenta em recital nesta quinta-feira, 23, às 19h30, no Teatro Universitário, do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca). A iniciativa é da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Seminário de Música, com lançamento do CD "Puro Prazer" e das partituras "Trajetórias Sonoras" e "4 Peças Para Piano", de Paulo Gondim e sua irmã, Margarida Gondim.
"Puro Prazer" é a expressão que define a relação do compositor com a música há mais de 60 anos. Traz composições mais singelas como Valsinha, composta quando ele tinha ainda 12 anos e outras mais modernas, como a faixa-título, feita no ano passado.
Professor da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (Ufba) desde 1959, Paulo Gondim participou ativamente como solista, recitalista, camerista e cantor da programação de extensão da instituição. Destacam-se os inúmeros concertos e apresentações do “Madrigal da Ufba” (tenor-solista), os concertos do Conjunto “Música Nova” e do “Bahia Ensemble” (piano-solo), além de atuações com a Orquestra Sinfônica da Ufba e da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), na realização de obras em primeira audição.
Paulo Gondim também participou de festivais, cursos e tournées de concertos no Brasil e no exterior, incluindo no seu roteiro a Alemanha, Uruguai, Paraguai e Estados Unidos, onde teve a oportunidade, em recitais realizados em Albany, New Platz e Woodstock-NY, de estrear e gravar suas composições, que resultaram no lançamento do CD “ Family Album” (1996-1997).Compôs várias obras para piano, reunidas nos fascículos: "3 Peças para Piano” (1997), “5 Peças para Piano” (2003) e o presente fascículo “Trajetórias Sonoras”, contendo 10 peças em diferentes estilos.

"Professores do Estado estão órfãos"

Texto de Tasso Franco (http://www.bahiaja.com.br/):
Até a última eleição majoritária na Bahia, em 2006, a categoria dos professores da rede estadual de ensino, nos níveis médio e universitário, alinhava-se, na política, com as lideranças do PC do B e do PT, na esperança de que, esses partidos quando chegassem ao poder máximo no Estado revissem as questões dos seus minguados salários. Os professores, ao longo dos anos, incentivados por esses líderes, sempre colocaram em pauta ajustes acima da inflação visando assegurar perdas históricas em seus salários, a deteriorização do poder de compra, a humilhação nas salas de aula, entre outros. Chegou-se, nos governos do então PFL, a propor reposições de até 84% nos salários, tese amplamente defendida pelas lideranças do PC do B e do PT.
Nas últimas eleições, finalmente, o PT chegou ao poder, com Jaques Wagner governador e Edmundo Pereira, do PMDB, na vice. O PC do B também se sentiu no poder na medida em que participou da coligação que elegeu Wagner/Edmundo.
E, desde então, a categoria dos professores achou ou entendeu que a sua situação salarial iria se modificar, os tais ganhos das perdas acumuladas seriam resolvidos e, assim, iniciou-se o ano de 2007, com essa expectativa, inclusive animada com as declarações do indicado secretário da Educação, Adeun Sauer, até mesmo antes de assumir o cargo, de que a educação seria prioritária, democratica e coisa e tal.
Mas, o que se viu ao longo desses últimos meses foi uma quebra-de-braço entre o governo do Estado e a categoria dos professores, até agora, sem que houvesse um ganho real acima do que foi aprovado pela Mesa Central de Negociações e pela Assembléia Legislativa, reajustes que variam de 4.5% a 17.28%, parcelados, o que só levará a categoria a perceber o salário mínimo (professor de nível médio) em novembro deste ano.
Duas greves violentas desmantelaram a prioridade do ensino. A primeira, dos professores do segundo grau; e, a segunda, dos professores das universidades estaduais. Em ambas, os adjetivos lançados contra o governo e o governador Wagner foram de "autoritário", "desrespeitoso", "traidor", "enganador", entre outros.
Ou seja, houve uma quebra de confiança entre a categoria e o governo do PT/PCdoB, os professores se sentiram traidos e, hoje, encontram-se órfãos na medida em que consideram que o atual governo se assemelha ao do PFL, com as mesmas práticas em relação às reivindicações da categoria.
E agora, para onde irão os professores em termos políticos, em 2010?Essa é a pergunta que se faz, no momento, no meio político, entendendo-se que se houve uma quebra de confiança com o governo Wagner, a categoria o abomina, pelo menos 80% dos professores, e não marchará com o PT na próxima eleição. Ao contrário, fará oposição.Mas, para onde essa categoria se deslocaria? Para o Democratas é pouco provável, pois, historicamente sempre foi contrária a esse grupo. Para o PMDB também parece pouco provável na medida em que o PMDB é coadjuvante do PT e, em sendo assim, é tudo farinha do mesmo saco quando se tratam das reivindicações dos professores: PT,PCdoB,PMDB e DEM são (na tese dos professores) todos iguais.Para o PSB da deputada Lídice da Mata é um caminho, mas, este partido não tem força para lançar um candidato a governador, em 2010, salvo se Lídice eleger-se prefeita de Salvador, em 2008. O PSB faz parte da coligação com o PT, mas, se finge de morto. Só quer os ganhos, se preserva ao máximo e não entra nesse tipo de debate.
Poderá, portanto, em 2010, abraçar o professor e ser abraçado por essa categoria, ainda que, não venha a ter perspectiva alguma com esse partido, no futuro.
A rigor, hoje, a categoria dos professores encontra-se orfã, a procura de alguém que garanta resolver as suas questões salariais.Obviamente que, Wagner, ainda com três anos de governo pela frente, poderá modificar suas relações com os professores. Garante que vai "resgatar a qualidade da educação por meio de investimentos na rede física, com um novo projeto pedagógico e na melhoria e qualificação dos recursos humanos".
Mas, nesse momento, até que pomova algo nessa direção, na prática, nenhum professor; nem pai de aluno; nem aluno acredita nisso.

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

"Graxeira, Graças a Deus" premiada em Festival Nacional de Teatro

Elenco de "Graxeira, Graças a Deus"
Divulgação

“Melhor Espetáculo Adulto” pelo Júri Popular do VIII Festival Nacional de Teatro de Guaçuí, no Espírito Santo. Esta a mais nova conquista dda Companhia Graxeira de Teatro com a peça “Graxeira, Graças a Deus”, de Luiz Gomes, com direção de Fernando Marinho. A participação foi no Teatro Municipal Fernando Torres, no período de 14 a 18 de agosto.
A peça ainda teve três outras indicações: Melhor Ator (José Guedes), Melhor Ator Coadjuvante (Márcio Sherrer) e Melhor Maquiagem (Grupo).
Aproveitando a estadia no Espírito Santo, o grupo cometeu duas apresentações em Aracruz.
Enquanto isso, “Graxeira, Graças a Deus” estará representando a Bahia no Festival de Teatro Nacional de São Mateus, também no Espírito Santos, com encenação no dia 29 deste.
A montagem feirense está há 14 anos em cartaz, permanência que demonstra seu sucesso.
A ida ao Festival foi viabilizada através de projeto aprovado no Programa de Incentivo Cultural e Esportivo do Município de Feira de Santana (ProCultura), edição 2007.

domingo, 19 de agosto de 2007

"O Brasil é isso mesmo que está aí"

Ensaio de Roberto Pompeu de Toledo, na revista "Veja", que está nas bancas:
Os distraídos talvez ainda não tenham percebido, mas o Brasil acabou. Sinais disso foram se acumulando, nos últimos meses: a falência do Congresso e de outras instituições, a inoperância do governo, a crise aérea, o geral desarranjo da infra-estrutura. A esses fatores, evidenciados por acontecimentos recentes, somam-se outros, crônicos, como a escola que não ensina, os hospitais que não curam, a polícia que não policia, a Justiça que não faz justiça, a violência, a corrupção, a miséria, as desigualdades. Se alguma dúvida restasse, ela se desfaz no parecer autorizado como poucos de um Fernando Henrique Cardoso, cujas credenciais somam oito anos de exercício da Presidência da República a mais de meio século de estudo do Brasil. "Que ninguém se engane: o Brasil é isso mesmo que está aí", declara ele, numa reportagem de João Moreira Salles na revista Piauí.
Ora, direis, como afirmar que o Brasil acabou? Certo perdeste o senso, pois, se estamos todos ainda morando, comendo, dormindo, pagando as contas, indo às compras, nos divertindo, sofrendo, amando e nos exasperando num lugar chamado Brasil, é porque ele ainda existe. Eu vos direi, no entanto, que, quando acaba a esperança, junto com ela acaba a coisa à qual a esperança se destinava. É à esperança no Brasil que o sociólogo-presidente se refere. Para ele, o Brasil jamais conhecerá um crescimento como o da China ou o da Índia. "Continuaremos nessa falta de entusiasmo, nesse desânimo", diz. O prognóstico é tão mais terrível quanto coincide com - e reforça –-o sentimento que ultimamente tomou conta mesmo de quem não é sociólogo nem nunca conheceu por experiência própria os mecanismos de governo e de poder.
O Brasil que "é isso mesmo" é o das adolescentes grávidas e dos adolescentes a serviço do tráfico, das mães que tocam lares sem marido, das religiões que tomam dinheiro dos fiéis, dos recordes mundiais de assassinatos e de mortos em acidentes automobilísticos, dos presos que comandam de suas células o crime organizado, dos trabalhadores que gastam três horas para ir e três horas para voltar do trabalho, das cidades sujas, das ruas esburacadas.
Procura-se o governo e... não há governo. Há muito que nem o presidente, nem os governadores, nem os prefeitos mandam. Quem manda é a trindade formada pelas corporações, máfias e cartéis. Não há governo que se imponha a corporações como a dos policiais, ou a dos professores, ou a dos funcionários das estatais. Não há o que vença as máfias dos políticos craques em arrancar para seus apaniguados cargos em que possam distribuir favores e roubar. Para enfrentar - ou, humildemente, tentar enfrentar - cartéis como o das companhias aéreas, só em época em que elas estão fragilizadas, como agora. Às vezes os cartéis se aliam às máfias, em outras se transmudam nelas. Em outras ainda são as corporações que, quando não se aliam, se transformam em máfias. Em todos os casos, o interesse público, em tese corporificado pelos governos, não é forte o bastante para dobrar os fragmentados interesses privados.
A tais males soma-se o cinismo. Não há outra palavra para descrever o projeto, supostamente de fidelidade partidária, aprovado na semana passada na Câmara. O projeto, muito ao contrário de punir ou coibir os trânsfugas, perdoa-lhes o passado e garante-lhes o futuro. Quanto ao passado, estão anistiados os parlamentares que trocaram de partido e que por isso, no entendimento do Tribunal Superior Eleitoral, deveriam perder o mandato. No que concerne ao futuro, o projeto estabelece que a cada quatro anos os parlamentares terão folga de um mês na regra da fidelidade partidária, pois ninguém é de ferro, e estarão abertos a negócios e oportunidades. Estamos diante de uma das mais originais contribuições da imaginação brasileira ao repertório universal de regras político-eleitorais. Para concorrer a uma eleição, o candidato deve estar filiado a um partido há pelo menos um ano. Mas, segundo o projeto, no mês que antecede a esse ano de jejum o candidato pode trocar o partido pelo qual foi eleito por outro. Como a eleição é sempre em outubro, esse mês será o setembro do ano anterior. Eis o Carnaval transferido para setembro. O projeto é uma esposa compreensiva que, no Carnaval, libera o marido para a gandaia.
FHC não era tão descrente. No parágrafo final do livro A Arte da Política, em que rememora os anos de Presidência, escreveu: "Se houve no passado recente quem empunhasse a bandeira das reformas, da democracia e do progresso, não faltará quem possa olhar para a frente e levar adiante as transformações necessárias para restabelecer a confiança em nós mesmos e no futuro desse grande país". Na reportagem da revista Piauí, ele não poupa nem seu próprio governo: "No meu governo, universalizamos o acesso à escola, mas pra quê? O que se ensina ali é um desastre". Pálidos de espanto, como no soneto de Bilac, assistimos à desintegração da esperança na pátria, o que equivale a dizer que é a pátria mesma que se desintegra aos nossos olhos
.